Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Curiosidades / História da Apple

História da Apple

PUBLICIDADE

1. Introdução

A Apple Inc. é uma das maiores empresas do ramo da informática presentes nos tempos de hoje, recebendo destaques com produtos como iPhone e iPad.

Sendo referência em se tratando de modernidade, a empresa teve que passar por uma longa trajetória, tendo momentos de declínio e de sucesso. Passaremos, neste documento, uma visão geral de como foi o momento de criação da empresa, assim como as obras que embasaram o sucesso que ela hoje possui.

2. A Criação

Na década de 70, Steve Wozniak, engenheiro da computação, desenvolveu sozinho seu primeiro computador pessoal, o Apple I. Foi ele mesmo quem fez todo o design e a montagem do produto.

História da Apple
Steve Wozniak

História da Apple
Steve Jobs

Com boas expectativas, seu amigo Steve Jobs deu a ideia a Wozniak de levar a obra para o mercado, tendo suas vendas iniciadas em 11 de abril de 1976.

Dez dias antes, Steve Wozniak e Steve Jobs, juntamente com Ronald Wayne, deram início ao legado da hoje Apple Computers Inc. Esse nome foi utilizado durante 30 anos, até que em 2007 foi retirado o “Computers” do nome, reflexão da filosofia da empresa de estar presente em diversos setores do mercado mundial de informática. Para entender melhor como a Apple chegou aos dias de hoje, vamos analisar nas próximas seções, em ordem cronológica, como foram suas primeiras contribuições para o mercado da informática.

3. Primeiros Passos

Como visto no capítulo anterior, o que causou a criação da Apple Computers Inc. foi o Apple I, obra de Steve Wozniak. Esse computador pessoal era vendido como uma espécie de placa-mãe, sem dispositivos que hoje são considerados – a responsabilidade de tornar a máquina em um computador utilizável era de responsabilidade do usuários, que ainda deveriam adquirir gabinete, fonte, teclado e dispositivo de tela. Apesar de tamanha simplicidade, o computador era vendido por 2500 dólares.

Cerca de um ano depois, foi dado início à série Apple II, que foi o primeiro sucesso da empresa. Além de ter um design bem mais amigável do que o seu predecessor, conseguiu fortemente bater os seus principais concorrentes TRS-80 e Commodore PET, pelo fato de possuir gráficos coloridos e uma arquitetura aberta. O investimento numa melhor aparência foi devido à vontade de destinar o Apple II às massas, e não apenas para os entendidos do assunto, como engenheiros e curiosos de informática. Olhando do ponto de vista da arquitetura aberta, Wozniak conseguiu fazer com que o Apple II recebesse uma vasta variedade de dispositivos de terceiros, incluindo controladores de vídeo, discos rígidos, componentes de rede e outros.

O impacto industrial da segunda série dos computadores da Apple Computers Inc. foi enorme, pois foi o primeiro computador pessoal a alcançar o olhar da população em geral – os preços estavam ao alcance da classe média e uma parceria com um consórcio de educação computacional espalhou o uso do aparato nas escolas. Outros mercados explorados foram os de jogos, processamento de texto e impressão.

Talvez um dos maiores destaques do Apple II tenha sido a utilização do aplicativo de planilhas eletrônicas VisiCalc, o primeiro “aplicativo matador” da história dos microcomputadores.

A máquina era vendida por 2300 dólares, com 4 kB de memória RAM, ou $2600 dólares, com o máximo de 48 kB de memória.

4. Apple Lisa vs. Macintosh

Entrando nas proximidades da década de 80, é notável que o que mais se destacou foi o conflito entre duas obras da empresa: Apple Lisa e Macintosh.

Steve Jobs esteve trabalhando no primeiro projeto, mas foi afastado por conta de discussões internas, fato que levou-o a desenvolver o projeto Macintosh, de Jef Rasnkin. Essa pequena separação causou uma competição, onde “ganharia” quem lançasse o computador mais rapidamente. A vitória foi para o Apple Lisa, sendo o primeiro computador pessoal de todos os tempos a possuir uma GUI (interface gráfica). Apesar disso, o projeto foi uma falha por possuir um alto custo e poucos softwares em sua plataforma.

Em 1984 enfim foi lançado o Macintosh, considerado uma obra-prima da empresa. Na época era considerado um microcomputador bastante poderoso por suas capacidades gráficas, desenvolvidas para suportar a intuitiva GUI do Macintosh. Mas a boa recepção não durou por muito tempo, como veremos no próximo capítulo.

5. Crise e Tentativa de Volta ao Mercado

No começo da década de 90 a Apple entrou em um declínio, ao apresentar, por exemplo, o Macintosh Portable e a linha Centris. Este último foi vendido em diferentes confusas configurações, causando o desentendimento do público quanto a diferença das diferentes distribuições e, por consequência, uma péssima imagem para a empresa.

A Apple também tentou participar de outros mercados voltados ao consumidor, como o de câmeras digitais e televisões, mas foram tentativas precipitadas que também resultaram em falha.

Outro fator que levou a empresa a esse estado foi a concorrência com o Windows. A Microsoft conseguiu bastante crescimento nessa mesma época, pois se esforçou em entregar softwares para computadores baratos, enquanto a Apple focava em uma experiência mais cara. A empresa de Jobs e Wozniak processou a Microsoft por utilizar uma interface gráfica parecida com a do Apple Lisa, tendo investido muito dinheiro nisso, mas no final das contas o esforço não foi capaz de evitar o arquivamento do processo.

Apesar de todas as perdas, a Apple esforçou-se em meados da mesma década para reerguer-se, investindo em plataformas alternativas como o Newton, plataforma para PDAs. Era notável a dedicação para trabalhar em inovação, visto a criação da Apple Store, tentativa de criar uma nova estratégia de mercado.

6. Ingresso na Modernidade

Foi por volta da virada do milênio que a empresa introduziu o seu grande investimento em design e tecnologia moderna: o iMac.

Nesse tempo a empresa começou a demonstrar os seus maiores crescimentos, iniciando uma aquisição de diferentes companhias e softwares. Visando criar uma amálgama de aplicativos que compusessem um sistema operacional completo e voltado tanto para consumidores quanto para profissionais, nasce o Mac OS X, sendo um sistema estável e seguro.

A partir daí a empresa não parou mais, sendo um dos nomes mais citados quando se trata de inovação e confiabilidade no ramo da informática. É no século 21 que a agora Apple Inc. desprende-se mais da exclusividade dos microcomputadores e aborda os dispositivos portáteis, tendo como melhores referências o iPod, iPhone e iPad.

7. Conclusão

O crescimento da empresa é de fato impressionante: começaram com um projeto pessoal de um dos co-fundadores e virou uma empresa. Passaram por diversos modelos, sendo uns grandes sucessos e outros enormes fracassos.

A Apple é uma empresa que direciona mais a sua atenção ao desenvolvimento de produtos sem perder o foco na área de pesquisa. Junto com isso, a experiência, visão inovadora e foco em design permaneceram firmes, fator decisivo à sobrevivência da empresa e definição como uma das maiores que existem até então.

Glauco Roberto Pires dos Santos

Fonte: cin.ufpe.br

História da Apple

História da Empresa

Apple Computers, Inc. foi fundada em 1 de Abril de 1976, por abandonam a faculdade Steve Jobs e Steve Wozniak, que trouxeram para a nova empresa uma visão de mudar a maneira como as pessoas viram computadores.

Jobs e Wozniak queria fazer computadores pequenos o suficiente para que as pessoas tê-los em suas casas ou escritórios. Simplificando, eles queriam um computador que era fácil de usar.

Jobs e Wozniak começaram a construir o Apple I na garagem de Jobs e vendeu-os sem um monitor, teclado, ou caixa (que eles decidiram adicionar em 1977). O Apple II revolucionou a indústria de computadores com a introdução dos primeiros-ever cor graphics.1 Vendas saltou de US $ 7,8 milhões em 1978 para US $ 117 milhões em 1980, o ano da Apple veio a público.

Wozniak deixou a Apple em 1983 devido a um interesse cada vez menor no dia-a-dia da Apple Computers. Jobs então contratado da PepsiCo John Sculley para ser presidente.

No entanto, este movimento saiu pela culatra e depois de muita polêmica com Sculley, Jobs deixou em 1985 e passou a coisas novas e maiores. Ele fundou sua própria empresa de software NeXT e ele também comprou a Pixar de George Lucas, que mais tarde se tornaria um enorme sucesso em animação por computador de filmes como Toy Story, Vida de Inseto, Monstros SA e Procurando Nemo.

Através do resto da década de 1980, a Apple ainda estava bem e, em 1990, a empresa registrou seus maiores lucros ainda. Este foi, no entanto, em grande parte devido aos planos que Jobs já postas em movimento antes que ele deixou, mais notavelmente o seu negócio com uma pequena empresa com o nome de Adobe, criadora do Adobe Portable Document Format (PDF). Juntas, as duas empresas criaram o fenômeno conhecido como editoração eletrônica.

Em 1985 Sculley rejeitou um apelo do fundador da Microsoft, Bill Gates, para licenciar seu software. Esta decisão, mais tarde, voltar para assombrá-lo porque o sistema operacional da Microsoft, cujo o Windows (OS) contou com uma interface gráfica semelhante ao da Apple, se tornou seu maior rival no final de 1980 e durante os anos 1990.

Ao longo de alguns anos, a quota de mercado da Apple sofreu lentamente após o seu pico em 1990 e em 1996, os especialistas acreditavam que a empresa a ser condenada.

Não foi até 1997, quando a Apple estava desesperadamente precisando de um sistema operacional, que comprou a NeXT Software (empresa de Jobs) e do conselho de administração decidiu pedir alguma ajuda de um velho amigo: Steve Jobs. Jobs tornou-se um CEO interino, ou iCEO como ele chamou a si mesmo (Jobs não era oficialmente o CEO até 2000). Jobs decidiu fazer algumas mudanças em torno Apple. Ele forjou uma aliança com a Microsoft para criar uma versão para Mac do seu software de escritório popular.

Não muito tempo após esta decisão foi o ponto de viragem para a empresa. Jobs reformulou os computadores e introduziu o iBook (um laptop pessoal). Ele também começou ramificando-se em leitores de MP3 (iPod) e software media player (iTunes). Esta foi a melhor jogada de Jobs ainda. Embora os computadores ainda são uma parte importante da Apple, seus produtos relacionados com música (ou seja, do iPod e iTunes) tornaram-se a mais rentável da empresa. A Apple também lançou recentemente o iPhone, um telefone celular, ea Apple TV. Enquanto Steve Jobs morreu 05 de outubro de 2011, a Apple continua com seu legado.

Apple Inc. foi pioneira em seu caminho através da indústria, e não o computador uma vez, mas várias vezes ao longo de sua existência. Ele acredita em empurrar os limites da criatividade, a fim de produzir produtos interessantes e valiosos para a sociedade. Depois de mais de 30 anos, é inegável que a Apple “teve um impacto profundo em tecnologia, inovação e influenciando não só como usamos computadores, mas as actividades para as quais o que usá-los.”

Fonte: www.loc.gov

História da Apple

História da Apple e seus Sistemas Operacionais

Após estudarem junto, Steve Wozniack e Steve Jobs foram trabalhar em empresas do Vale do Silício.

O primeiro foi trabalhar na HP, e o segundo na Atari. Woz(Steve Wozniack) se ocupou em computer-design quando em 1976 ele criou o que seria o Apple 1.

Ja Jobs tinha uma visão futura e convenceu o amigo a vender esta máquina e assim nasceu a Apple Computers.

História da Apple
Woz & Jobs

Os usuários não virão os computador de Woz e Jobs como sendo uma coisa séria, e a Apple não conseguiu começar a conquistar seu espaço até 1977 quando o Apple II foi lançado em uma feira local de computadores.

Caixa plástica e gráficos coloridos, este computador era uma revolução no mundo da computação. As vendas cresceram, os Apples começaram a serem exportados, e muitos funcionários de alto nível técnico foram admitidos na empresa.

A Apple cresceu muito.

Em 1980 foi lançado o Apple III e as vendas continuaram altas.

Porém em 1981 o mercado começou a ficar saturado, e ele foram obrigados a demitir muitos funcionários, pois a venda começou a se tornar difícil. Neste mesmo ano, Woz teve que se ausentar por causa de um acidente aéreo e Jobs se tornou o presidente da empresa.

Após uma visita a Xerox Parc, Jobs e outros engenheiros começaram a desenvolver o Lisa. Lisa foi o primeiro computador a ter um mouse e ter uma interface gráfica.

Lançado em 1983, ele visava tornar o trabalho mais fácil e aumentar a produtividade. Jobs entrou no projeto em 78 e abandonou em 82 quando se juntou ao projeto Macintosh.

Em 1984 Jobs junto com Sculley, então presidente da Pepsi, que se tornara presidente da Apple, lançaram o Macintosh. O Macintosh era um Computador munido do sistema operacional MAC OS, o primeiro a usar um Desktop, ícones para representar os itens do pc como pastas, atalhos para programas etc.De início as pastas eram criadas renomeando-se uma “Pasta Vazia” que estava sempre na raiz do disco. A partir do System 2.0 o sistema foi modificado, com a inclusão do comando “Nova Pasta” no menu Arquivo do Finder.

Muitos achavam o Macintosh muito radical em vista a outros sistemas, pois como ele era trabalhava em torno de uma interface gráfica, a maior pate dos programadores se sentiu contrariada, pois teria que adaptar seus sistemas para pode rodar no Macintosh.

História da Apple
Machintosh

Um fato marcante foi um acordo com a microsoft em 1997 com a volta de Jobs como CEO da Apple, pela troca de 150 milhões de dólares em ações da Apple, Microsoft e Apple fariam uma patente conjunta, e o mais importante, terminaria a disputa judicial pela cópia do GUI.

A Microsoft ainda concordaria em pagar uma soma não comentada por utilizar elementos da Apple no Windows OS. A Microsoft também lançaria o Office 98 para o Mac.

Após isso muitos lançamentos da Apple podemos acompanhar como , os IPods, iPhones. Ainda hoje os Apples sãoi muito utilizados em edição de Som, videos e imagens pela sua qualidade e seu desempenho.

Fonte: www.icefusion.com.b

História da Apple

Apple Inc. é uma empresa multinacional que cria produtos eletrônicos de consumo, computadores pessoais, software de computador e servidores comerciais , e é um distribuidor digitais de conteúdo de mídia.

Linhas de produtos da Apple principais são o iPhone telefone inteligente, iPad computador tablet, iPod players de mídia portáteis, e Macintosh linha de computadores.

Steve Jobs e Steve Wozniak criaram a Apple Computer em 1 de Abril de 1976, e incorporou a empresa em 03 de janeiro de 1977, em Cupertino, Califórnia.

Por mais de três décadas, a Apple Computer foi predominantemente um fabricante de computadores pessoais, incluindo o Apple II , Macintosh e Power Mac linhas, mas enfrentou vendas rochosas e baixa participação de mercado durante a década de 1990.

Jobs, que tinha sido expulso da empresa em 1985, retornou à Apple em 1996 depois de sua empresa NeXT foi comprada pela Apple.

No ano seguinte, tornou-se CEO interino da empresa, que mais tarde tornou-se permanente.

Jobs posteriormente incutiu uma nova filosofia corporativa de produtos reconhecíveis e design simples, começando com o iMac originais em 1998.

Com a introdução do bem sucedido iPod player de música em 2001 e iTunes Music Store, em 2003, a Apple estabeleceu-se como líder em electrónica de consumo e indústrias de vendas de mídia, levando-o a cair “Computer” do nome da empresa em 2007.

A empresa é agora também conhecida por sua iOS gama de telefones inteligentes, media player, e produtos de informática tablet, que começou com o iPhone , seguido do iPod Touch e, em seguida, iPad.

O símbolo

Atualmente, é difícil quem não olhe para a emblemática maçã mordida e não lembre da Apple.

O símbolo da companhia carrega os atributos de tecnologia e inovação, reconhecidos pelo mundo inteiro.

Você já parou para pensar de onde veio a ideia da maçã?

A Maçã

Existem duas vertentes sobre a história do logotipo da Apple.

Uma delas que Jobs e Wozniak eram fãs de Beatles e, para homenagear a banda, escolheram o nome e símbolo da gravadora que eles criaram, Apple (o que gerou posteriormente um processo judicial). Outra versão diz que o símbolo é referência a Isaac Newton e a Lei da Gravidade, tanto que o primeiro logo criado pela empresa retrata a cena do físico e seu episódio com a maçã.

O i minúsculo que antecede o nome dos produtos, marca registrada da Apple (como iPad, iPhone e iPod), representava no início “internet”.

Hoje em dia, traz referência ao individual e pessoal, pois “I” em inglês significa “eu”.

Steve Jobs recebe anualmente US$ 1, segundo contrato. Por causa disso, ele aparece no Guiness Book como CEO com o menor salário do mundo. Porém, sua fortuna é estimada em US$ 6 bilhões, devido às ações da empresa e bonificações.

A Apple é a empresa de segundo maior valor no mundo, aproximando-se dos US$ 300 bilhões. A companhia fica atrás da Exxon Mobil, petroleira, com US$ 370 bilhões.

Fonte: www.editoraevora.com.br

História da Apple

Design, inovação e poder: conheça a história da empresa que trouxe glamour e revolucionou a história dos computadores pessoais.

O que leva milhares de americanos a formarem longas filas em frente às lojas para comprar um smartphone? Qual a fórmula mágica para ser uma das empresas de tecnologia mais respeitadas de todo o mundo?

Conheça um pouco sobre a história da Apple, marca responsável por produtos inovadores e que enlouquecem uma legião de fãs a cada lançamento.

Quem diria que dois garotos hippies da Califórnia realizariam o sonho de levar o computador – uma ferramenta, até então, desconhecida de muita gente – para dentro das casas de todo o mundo?

Pois bem, é assim que começa a história da maçã.

Em 1976, Steve Jobs e Steve Wozniak, dois jovens apaixonados por inovação, faziam parte de um grupo que montava seus próprios computadores de forma bastante artesanal. Foi em um dormitório de faculdade que a Apple Computers Inc. surgiu, trazendo à tona o Apple I, projeto de um computador bastante avançado para a época, mas que foi recusado por empresas já consolidadas, como a Atari e a HP.

História da Apple
Apple-antigo

Embora não tenha sido um grande sucesso de vendas, o Apple I, que era apenas a placa de circuito e custava cerca de 600 dólares (o que hoje equivale a 5000 dólares), foi um bom começo e deixou os rapazes esperançosos. A placa de circuito era geralmente armazenada em uma caixa de madeira, de modo bastante rústico.

O que era um sonho hippie, acabou se transformando na maior promessa da tecnologia e, mais que isso, em um culto.

Afinal, há quem diga que ao comprar um produto Apple, você não está simplesmente adquirindo um MP3 Player ou um computador, mas sim um estilo de vida.

iNovação

Com aperfeiçoamentos notáveis, o Apple I ganhou um sucessor: o Apple II.

Lançado em 1977, ele fez muito sucesso, apesar de seu preço elevado – cerca de 1,200 dólares, o que hoje equivale a 10 mil dólares.

Com características semelhantes às presentes nos computadores de hoje, o Apple II vinha em um gabinete de plástico e com um teclado incorporado. O modelo foi tão bem aceito no mercado, que perdurou até o início dos anos 90.

Do Apple II em diante, a empresa resolveu apostar forte nos computadores com interface gráfica e mouse, ideia que Jobs afirma ter “pego emprestada” da Xerox, empresa onde computadores com interface gráfica eram desenvolvidos há tempos.

Para Jobs, a Xerox tinha em mãos uma ideia brilhante, mas não sabia ao certo o que fazer com ela. A qualidade das interfaces gráficas e dos próprios computadores da Xerox não era satisfatória e o preço era exorbitante. Então, Jobs pegou os computadores da Xerox como base para sua inspiração e trouxe inovações de cair o queixo ao mundo dos computadores.

Em 1983, um grande passo: o lançamento do Lisa, um computador avançado com 1MB de memória RAM, dois drives de disquete, disco rígido de 5MB e um monitor de 12 polegadas.

Com uma interface muito bem elaborada e uma suíte de aplicativos equivalente ao Office de hoje em dia, o Lisa tinha tudo para ser um sucesso absoluto, se não fosse o preço: 10 mil dólares da época.

Um ponto negativo para as vendas, dois pontos para a experiência da empresa, que utilizou o Lisa como base para o Macintosh, em 1984. Com configurações semelhantes a de PCs da época, o Macintosh trazia o sistema operacional Mac OS 1.0, responsável também por popularizar a interface gráfica (GUI).

iMarketing

A era Macintosh não representa apenas inovações nos produtos, mas também no modo com que empresa alcançava seus clientes e em como os computadores Apple tornaram-se objetos de desejo.

Foi com o Macintosh que Steve Jobs resolveu arriscar e, no intervalo do Super Bowl – um dos maiores eventos esportivos dos EUA– veiculou um comercial que deixou milhões de americanos de olhos arregalados.

Esta foi a primeira grande demonstração de interesse de Jobs pelo marketing, um ponto extremamente forte da empresa.

“Quando uma propaganda acaba se tornando um elemento da cultura pop, é porque ela deu certo.”

Assim diz Steve Jobs, à respeito de propagandas como a do iPod e as famosas “Get a Mac” que, assim como a propaganda de 1984, conquistou muitos adoradores dos produtos Apple e tiveram grande repercussão no mundo todo.

iMacintosh

Em 1985, o sucesso do Macintosh pareceu desestabilizar a empresa, que resolveu demitir Steve Jobs e acabou por ficar também sem Steve Wozniak, que voltou para a faculdade. A partir de então, os computadores da Apple perderam o brilho e traziam uma interface desatualizada para os padrões da época, com características que desagradavam os consumidores.

Esta foi uma verdadeira fase de declínio, em que os inovadores e poderosos computadores da maçã não representavam ameaça alguma para concorrentes como a Microsoft e desapontavam os fãs.

Foi apenas em 1991 que a Apple começou a acordar de seu pesadelo e lançou o primeiro PowerBook, um computador portátil que reconquistou o público, alcançando um grande sucesso nas vendas.

PowerPC

Apesar de estar reencontrando a estabilidade, a Apple buscava novas tecnologias que pudessem bater de frente com os PCs, seu grande inimigo. A escolha foi os processadores PowerPC, um processador rápido e co-produzido pela IBM. Em 1994, a primeira leva de computadores PowerPC entrou no mercado e, apesar das expectativas, não foram tão bem aceitos assim.

A incompatibilidade dos processadores PowerPC com os utilizados anteriormente nos Macs, fizeram com que todos os programas tivessem de ser reescritos, causando uma tremenda dor de cabeça tanto para desenvolvedores quanto para os usuários.

A solução da Apple foi criar um programa para emulação dos softwares, o que causava lentidão e vários problemas no sistema. Assim que o tempo passou, os softwares começaram a ser desenvolvidos apenas para processadores PowerPC, amenizando o problema. Mesmo assim, até hoje se discute se a decisão da Apple pelo PowerPC foi correta.

iNesperado

Apesar de todas as ações tomadas pela empresa, em 1995 a Apple continuava em uma certa crise. Com problemas para compra de peças e montagem de produtos, a empresa de Cupertino ainda teve de lidar com questões jurídicas envolvendo a Microsoft e seu Windows 95, que copiou descaradamente a interface gráfica do Mac.

No final de 96, Steve Jobs – fora da Apple desde 1985 – já estava com uma empresa de tecnologia montada e a todo vapor. A NeXT estava desenvolvendo computadores e tudo ia muito bem.

Foi então que a Apple sentiu a necessidade de ter Jobs de volta à empresa e a melhor solução foi comprar a NeXT.

De volta à Apple, as mudanças de Jobs foram essenciais para reerguer a empresa. A começar pelo corte na linha de produtos que, segundo Jobs, era extensa e complicada.

O guru da tecnologia resolveu cortar a linha de computadores Apple a menos da metade, uma decisão que rendeu bons resultados.

A partir de então, a Apple tem sido uma empresa robusta que surpreende o mundo com seu design inovador e tecnologia de cair o queixo.

Alguns exemplos são o PowerBook G3, em 1998, um laptop avançado para a época e cujo preço era acessível.

No mesmo ano, o iMac revolucionou o conceito de computador, trazendo os componentes internos dentro de um monitor. A beleza do produto e a ausência dos já conhecidos cabos conectores chamou a atenção do público jovem e colaborou com a popularização da marca.

iMusic

Em 2001, o grande lance da Apple: um player portátil de áudio e vídeo digital que deixou o mundo em êxtase por seu design arrojado e novidades tecnológicas.

Até hoje o iPod é sinônimo de qualidade em player portátil e conta com uma linha para variadas necessidades de tamanho físico e armazenamento.

Basta sair nas ruas, parques ou academias para ver pessoas com os clássicos fones de ouvido brancos para lá e para cá. Com um marketing intenso e design agradável, o iPod revolucionou a música e colocou a Apple novamente no topo das paradas.

Ainda com a música em foco, a empresa lançou o iTunes, um player moderno que armazena, organiza músicas e as sincroniza com o iPod. Junto ao player, a iTunes Store, uma loja em que milhões de músicas podem ser compradas online, por um preço razoável.

iNcrível

Também em 2001, o Mac OS, sistema operacional da Apple, sofreu grandes mudanças e foi reconstruído tendo o UNIX como base. Extremamente mais robusto e agradável, o sistema operacional Mac OS X é considerado, por muitos, o melhor.

Em 2006, o MacBook, o famoso laptop branco da maçã, foi um sucesso de vendas absoluto por trazer um processador Intel (em vez do PowerPC) e recursos interessantes por um preço bastante acessível se comparado a seus antecessores.

Todos os computadores Apple de hoje trazem o processador Intel que oferece mais rapidez, estabilidade e compatibilidade aos computadores da marca. Mais que um hardware e sistema operacional de qualidade, os MacBooks e iMacs tornaram-se objeto de desejo e culto.

Mais recentemente, o que alavancou a marca foi o iPhone, um smartphone de notável tecnologia, com funções de áudio, câmera, internet e muito mais. Utilizando uma tela multitouch e uma versão reduzida do sistema operacional Mac OS X, o iPhone vendeu mais de 1 milhão de unidades em apenas 74 dias.

MacBooks poderosos, iMacs que carregam toda a potência de um computador dentro do próprio monitor e iPhones cada vez mais versáteis. Além disso, a empresa mostra ao público tecnologias que visam a portabilidade, como o incrível MacBook Air e o iPod nano 3G, peças que provam o poder da Apple no mundo da tecnologia.

Quem mordeu a maçã de Cupertino?

A maçã é pop: todo mundo já viu, todo mundo conhece.

Mas como surgiu a ideia de ter como símbolo de uma empresa de tecnologia uma maçã mordida?

A versão mais plausível e conhecida é a que o símbolo seria uma referência a Newton, que se deu conta da lei da gravidade ao observar uma maçã caindo da macieira.

Outra analogia possível seria com Adão e Eva, os personagens bíblicos, em que a maçã representaria todo o conhecimento e a mordida, a aquisição do mesmo.

História da Apple
Logotipo: A maçã mordida

O primeiro logo da empresa era um tanto quanto exagerado e representa a cena de Newton e sua maçã.

Não é preciso nem pensar duas vezes para ter certeza de que o logo não iria fazer sucesso, afinal, ele vai totalmente contra um dos mais fortes princípios de Jobs: a simplicidade.

Percebendo tudo isso, Jobs caiu na real e deu a luz a um dos mais famosos símbolos de todos os tempos: a maçã mordida.

A Apple é um fenômeno impressionante que está tirando o sono de muitas empresas como a própria Microsoft. Cada vez que Steve Jobs sobe no palco com seu visual minimalista para anunciar um novo produto, o mundo para. Afinal, todos querem saber o que a mais inovadora empresa do Vale do Silício anda aprontando e ninguém quer perder a chance de dar uma mordida na maçã.

Curiosidades

O “i” encontrado na frente do nome de vários produtos da marca (iPod, iPhone, iMac) originalmente representava a “internet” mas, passado algum tempo, adquiriu a conotação de pessoal, uma vez que “I”, em inglês, significa “eu”.
iPods compatíveis com o sistema operacional Windows não começaram a ser vendidos até 2002.
O primeiro slogan da empresa era “Byte into an Apple” (frase ambígua para um byte dentro de uma maçã ou morda uma maçã).
A grande maioria das pessoas que compram um produto da Apple, permanecem fiéis à marca.

Fonte: www.mctomaneh.tk

História da Apple

A história da Apple Computer

A Apple Computer é uma empresa fabricante de computadores e produtora de softwares. Fundada em 1976 na cidade de Santa Clara — Califórnia, por Steven Wozniak, Steven Jobs e Ron Wayne, seus trabalhos começaram no outono de 1974, quando Jobs voltou da Incha e iniciou uma série de reuniões com Wozniak, formando o Homebrew Computer Club.

Enquanto Wozniak apenas adorava criar equipamentos eletrônicos, Jobs tinha a idéia de entrar no mercado de computadores pessoais. Em 1 975, Jobs e Wozniak iniciam o trabalho com o Apple 1.

Em 1° de abril de 1 976, na ensolarada Palo Alto, Califórnia, dois jovens, Steve Jobs e Steve Wozniak, apresentavam ao mundo uma máquina produzida por eles próprios na garagem de Steve Jobs.

História da Apple
Steve Wozniak

História da Apple
Steve Wozniak

Na época, ninguém levou muito a sério aquela dupla de nerds-meio-hippies que traziam debaixo do braço caixas e mais caixas recheadas com placas de circuito impresso (PCIs) feitas à mão por Wozniaka Peças que eram os cérebros do que foi o primeiro computador pessoal com preço (relativamente) acessível já produzido: o Apple 1. (…) o Apple 1 foi o primeiro passo da longa caminhada empreendida pela Apple Computer em 30 anos de vida, período em que sedimentou a imagem de ser uma das empresas mais visionárias, respei tada e controversas da indústria eletrônica mundial. (…)

Sempre se pôs à frente, sendo uma grande inovadora de tendências. Foi a primeira a apostar em segmentos de produtos até então desconhecidos, ou simplesmen— te ignorados, por boa parte da indústria, como a portabilidade (ela é inventora do PDA e do Tablet PC) e aplicativos de tratamento de imagens. (REZENDE, 2006)

Após oferecerem o Apple 1 à Atari e à HP sem sucesso, Jobs e Woz preferiram produzir o computador por conta própria.

Diz a lenda que de tanto Jobs insistir na idéia de que aquele produto seria vendido como água, seu parceiro não teve alternativa a não ser confeccionar artesanalmente 500 PCIs para serem vendidas pelo preço de US$ 666,66. A definição do custo do Apple 1 foi uma das primeiras de milhões de outras idéias marketeiras de que Jobs lançaria mão em sua carreira. (REZENDE, 2006)

Depois de tanta luta, conseguiram vender as primeiras 50 unidades para uma loja chamada Byte Shop. A Apple acabara de entrar no mercado.

Em 1977 a Apple foi incorporada. Rob Janov desenhou a logomarca da Apple, usada até hoje, com a diferença de um arco-íris, que não existe mais.

Os principais fundadores da Apple Computer

História da Apple
Steven Paul Jobs na Stanford University

Steven Paul Jobs nasceu em Los Altos — Califórnia, em 24 de fevereiro de 1955.

É um empresário americano co-fandador da empresa Apple Computer, da NeXT e da empresa cinematográfica Pixar. Criou alta notoriedade em torno de seu nome por levar a cabo uma política industrial que valoriza o design de seus produtos.

Em 1 972 Jobs concluiu os estudos secundários e iniciou um estágio na Hewlett-Packard (HP), como empregado temporário. Durante sua passagem pela HF conheceu o funcionário Steve Wozniak, engenheiro brilhante que fabricava e vendia ilegalmente um componente chamado Blue Box, que permitia fazer ligações gratuitas.

No início de 1 974 conseguiu emprego na Atari mc. como videogame desiçjner. No outono do meso ano, retornou de uma viagem à India, onde teria ido em busca do equilíbrio espiritual, e iniciou, juntamente com Wozniak, o Homebrew Computer Club.

Ao lado desse parceiro tecnológico, fundou a Apple Computer em 1 976, da qual é hoje diretor-executivo (CEO). É considerado o “pai do Macintosh” (computador revolucionário que preconizou todos os futuros PCs), lançado em 1 984 através de uma campanha publicitária milionária, que sugeria a liberdade total de escolha e de pensamento das pessoas. Estava oficia]izado o siogan Thinkdjfferent(Pense diferente), que marca todos os produtos criados por Steve Jobs.

Steve Jobs é um pioneiro em computador e informática desde seu primeiro empreendimento bem-sucedido, o Apple 1.

Logo depois do Apple II, ele se deu conta do potencial comercial de um computador compacto, monobloco. Mas isso foi só o começo, com a Apple capitalizada por seus computadores “criativos” e simples, e respeitada por sua ousadia.

A partir de 1 979 ele e seu amigo Wozniaki iniciaram a criação de um projeto que iria revolucionar tudo em matéria de /zardware e software.

Era o então Projeto Macintosh, que ainda estava em suas cabeças e no papel. Esse projeto sugeria o desenvolvimento de uma interface gráfica baseada por navegação de ícones, pastas e janelas (a chamada GUI), tudo isso acionado por um mouse — naqueles tempos os computadores somente usavam comando de teclado. Urna prévia demonstração disso foi vista por Jobs numa polêmica visita ao Parc da Xerox Corporation, que Lhe rendeu algumas acusações sem provas de espionagem industrial, fato ainda não totalmente esclarecido. Ao que tudo indica, o modelo do sistema da Xerox foi apenas uma inspiração que desencadeou a criação do primeiro Mac OS (o sistema operacional padrão dos Macintosh, atualmente encontrado na versão X)

Steven Jobs está associado à Apple, embora nem sempre tenha estado lá. Após um período de crescimento inicial, e com a abertura do controle acionário, Jobs começou a encontrar probiernas e oposições à sua gestão no meio da década de 80. Considerado por todos corno um gênio da indústria, mas por muitos com um temperarnento difícil, Jobs enfrentou urna série de desgastes. (T. FILHO, 1998)

A sua última grande novidade foi ramificar a Apple para fora da área exclusiva de informática. Fez isso apresentando o iPod, juntarnente com sua loja virtual de vendas de música legalizada pela Internet, o iTunes.

Steve Jobs faz anualmente palestras emblemáticas, nas MacWorld, quando lança suas tão esperadas idéias criativas e revolucionárias para a Apple (e o público se frustra muito quando não há novidades convincentes nesses eventos da Apple) e tais apresentações são marcadas pela sua maneira de se apresentar sempre de camiseta preta e jeans, tudo muito cool, como dizem os norte-americanos. Nestas MacWorld — feira oficial da Apple — ele e seus parceiros apresentam novidades para uma temporada, tanto em /zardware quanto em sofi tware, que marca a tendência de seu mercado. Urna verdadeira “Meca” para “mac—maníacos” do mundo inteiro. (Autor desconhecido, 2006)

Aos 27 anos, Jobs foi o mais a aparecer no Fortune 500, em um caso raro antes da era .com.

Em 1 975, após deixar a Uni versidade da Califórnia, Woz, como é conhecido Steve Wozn.iak, construiu um computador que se tornaria bem sucedido em todo o seu país.

O computador de Woz, denominado Apple 1, era urna unidade to— talmente montada e funcional, que continha um microprocessador de Us$ 25 e urna única placa de circuito impresso com memória ROM (Autor desconhecido, 2006).

Após o lançamento do Apple TI Wozniak deixou seu trabalho na HP e tornou-se vice-presidente da Apple, responsável pela pesquisa e desenvol i. Wozniak pôde então concentrar-se em melhorar e corrigir as defi— ciências do Apple 1, e adicionar-lhe novas funcionalidades.

O Apple 1 levou a companhia a perto de um milhão de dólares.

Seu novo projeto era manter as mais importantes características:

simplicidade e usabilidade. Woz introduziu um monitor de alta resolução gráfica no Apple II, que passou a ser capaz de mostrar figuras no lugar de apenas letras.

Em 1 978, projetou um drive de disquete de baixo custo. Ele e Randy Wigginton escreveram um sistema operacional simples.

Além de suas habilidades com o hardware, Wozniak escreveu muitos dos programas que executavam no Apple.

Escreveu um interpretador Basic, urnjogo de Breakout (que foi também urna razão para adicionar som ao computador), o código necessário para controlar o drive de disquetes e muito mais (autor desconhecido, 2006).

Woz deixou a Apple definitivarnente em 6 de fevereiro de 1985 e desde então se dedica a ensinar Informática para crianças da escola primária.

O revolucionário Lisa – o primeiro com interface gráfica

O projeto Lisa começou em 1 978. Foi um computador pessoal (PC) revolucionário lançado pela Apple Computer em 1 983, primeiro PC a ter um mouse e urna interface gráfica inspirada nas estações de trabalho Xerox. A idéia do Lisa era tornar os computadores mais fáceis de usar, aumentando assim a produtividade.

História da Apple
Lisa

A origem do nome Lisa é um mistério. Alguns pensam que é o acrônirno de LocallntegratedSoftware Architecture, outros dizem que vem do nome da filha de Jobs e que o acrônimo foi inventado mais tarde para combinar com o nome. O lançamento do Lisa foi em 1 9 dejaneiro de 1 983 ao preço de US$9995.

Utilizava um microprocessador Motorola 68000 a 5 MHz, tinha 1 MB de RAM, memória virtual, um disco rígido externo de 5 MB e dois leitores de disquetes 5,25” de 871 KB. Seu sistema operacional, o Lisa OS, já era multitarefa não-preemptivo (cooperativo), função extremamente avançada para a época e, em parte, responsável pela lentidão do processamento.

Apesar de seu caráter revolucionário, o Lisa foi um enorme fracasso comercial para a Apple.

Numa época em que 96 KB de RAM eram considerados uma extravagância, parte importante do preço do Lisa (e do seu fracasso) pode ser atribuída ao seu excesso de memória. A título de comparação, em 1990 ainda se vendiam computadores com menos memória que o Lisa proporcionava sete anos antes.

Na mesma época do surgimento do Macintosh, em janeiro de 1 984, o Lisa foi substituído pelo Lisa 2, computador que tinha um leitor de disquetes 3,5” de 400 KB em vez dos dois leitores 5,25” 87 1 KB do primeiro Lisa. Versões com disco rígido de 5 MB e 1 O MB foram comercializadas com o nome de Lisa 2/5 e Lisa 2/10. Emjaneiro de 1985, o Lisa 2/10 foi equipado com um emulador Macintosh e rebatizado Macintosh XL (autor desconhecido, 2006).

Macintosh

História

Macintosh, ou Mac, é o nome dos computadores pessoais fabricados pela Apple Computer desde janeiro de 1 984.

O nome deriva de Mcmtosh, um tipo de maçã.

O Macintosh foi o primeiro computador pessoal a popularizar a interface gráfica (GUI).

História da Apple
Macintosh 512 KB

Origens

As bases do projeto Macintosh surgiram no início de 1 979 com Jef Raskin, que imaginou um computador fácil de utilizar e barato para o grande público. Em dezembro de 1979, Raskin foi autorizado a lançar o projeto e começou a procurar um engenheiro capaz de construir o primeiro protótipo. Bili Atkinson, membro do projeto Lisa, apresentou-o a Burreli Smith, um técnico que acabara de ser contratado (autor desconhecido, 2006).

O primeiro protótipo

Segundo Clécio Bachini, o hardware Macintosh original era composto de um processador Motorola 68000, com bus de 1 6 bits externos e 32 bits internos a 7,83MHz. Vinha com 128KB de memória RAM e 64KB de ROM e 256 bytes de PRAM (Ram de parâmetro, algo como a CMOS dos PCs).

Não possuía Izard dríve, m a s v inh a e o m u m floppy dii— veSony de 3.5” de 400KB de face única e auto-ejetável: o usuário ejetava o disco através do sistema, como faz até hoje. Havia pouca possibilidade de expansão. Possuía duas portas seriais RS – 23 2/RS -442 com conectores DE-9 e um conector para expansão defloppy disk drie DB – 1 9.

O teclado era ligado na frente por um conector RJ- 1 1 e a grande inovação, o mouse, era ligado num conector DE-9 na parte traseira.

Essa máquina utilizava menos controladores de memória que o Lisa, tornando sua fabricação bem mais barata (BACHINI, 1999)

Lançamento

O projeto inovador do Macintosh atraiu a atenção de Steve Jobs, que saiu do projeto Lisa com sua equipe para se concentrar nessa nova empreitada. Emjaneiro de 1 98 1 , Jobs tomou a direção do projeto, forçando a retirada de Jef Raskin.

O Macintosh foi lançado em 24 dejaneiro de 1984, com o preço de US$ 2495 e rodava com o sistema operacional Mac OS.

Apesar de uma acolhida entusiástica, ele era radical demais para alguns: como a máquina era construída em torno da interface gráfica, todos os programas em linha de comandos existentes tiveram de ser completamente adaptados. Isso contrariou a maior parte dos desenvolvedores de sofi tware, causando a falta de programas para o Macintosh no início.

O Powerpc

No início dos anos 1990, a aliança Apple Computer/IBMJMotorola anuncia a série de pruutssadores Powerpc de arquitetura Risc. Os primeiros Macintosh que utilizavam o Powerpc surgiram em 1 994. Devido à incompatibilidade dos processadores Powerpc e 68000, todas as aplicações Macintosh tiveram de ser reescritas, inclusive o sistema operacional Mac OS.

AApple, reconhecendo o probleiria, desenvolveu um software emulador para rodar programas escritos para a família 68000 nos Powerpc, mas essa solução iiiterrnediária tornava as aplicações bem mais lentas do que os programas compilados diretamente para o Powerpc. Com o tempo, cada vez mais programas foram sendo desenvolvidos diretamente para o Powerpc e o uso do emulador tornou-se desnecessário. A escolha de utilizar processadores de arquitetura Bise em vez de Cisc (corno os x86 da Intel) foi (e ainda é) urna decisão controversa.

Os clones

A partir de 1 995, para contrabalançar as perdas de mercado, a Appie passou a autorizar outras empresas, como TJrnax ou PowerComputing, a fabricar clones do Macintosh, que acabaram por se extingüir em 1997.

Em abril de 2001, o Macintosh passou por uma segunda grande evolução, desta vez no seu siste— ina operacional, passando ao lViac OS x, baseado no kernel Unix Mach derivado do BSD.

O que um chip Intel faz dentro de um Mac?

No final de 2005, Steve Jobs surpreendeu o mundo da informática ao anunciar que a Apple estava prestes a trocar os processadores Powerpc de seus computadores por processadores da Intel. A razão alegada por Jobs era o desempenho decepcionante dos Powerpc da IBM e Motorola.

Os primeiros modelos de Macintosh equipados com chips da Intel apareceram venda em janeiro de 2006: o MacBook Pro e o iMac, ambos equipados com o processador Intel Core Duo.

A Apple anuncia que o MacBook Pro é quatro vezes mais rápido do que o PowerBook G4, e o iMac duas vezes mais rápido que o iMac G5.

A frase de campanha comercial da Apple para os novos modelos, bastante provocante, era:

“O que um chip Intel faria dentro de um Mac? Muito mais do que já fez em qualquer PC.”

Boot Camp

Em 5 de abril de 2006 a Appie anunciou a disponibilidade de Boot Carnp, urna coleção de tecnologias que auxilia usuários na instalação de Windows XP Service Pack 2 (edições liame ouprofessional) em computadores Macintosh baseados em processadores x86.

A Apple acredita, com esse lançamento, que Boot Carnp torne o Mac ainda mais atraente para os usuários de Windows que consideram a possibilidade de trocar seu Pc por um Macintosh.

Arquitetura

Segundo Ítalo Valério, a Appie Macintosh é uma outra tecnologia de computadores, o que significa dizer que seus componentes e arquitetura são diferentes da popular tecnologia IBMfIntel que conhecemos, a dos PCs. Se você compra uma placa de som comum de PC, por exemplo, você não poderá colocar em nenhuma das versões dos MACs (VALÉRIO, 2006).

Desde o seu início, o Macin-. tosh introduziu e popularizou um grande número de inovações adotadas mais tarde por outros PCs e sisternas operacionais.

Hoje os MACs, como são mais conhecidos, estão sendo utilizados por profissionais da área gráfica, arquitetura, vídeo e tudo relacionado à multimídia. Isso sejustifica pelo fato de sua arquitetura poderosa possuir melhor rendimento que os populares PCs, independente da comparação de clocks e memória que cada um tenha. As formas como os processadores interagem entre si são diferentes e é com isso que os MACs ganham melhor desem penho.

Ao contrário dos PCs, os MACs, bem corno outras tecnologias, já nasceram para a multirnídia. Os PCs foram feitos para bancos de dados e tiveram de ser adaptados para a realidade atual. As melhores tecnologias de imagens e vídeo nasceram com o MAC, a exemplo do formato JPG e MPEG. (VALÉRIO, 2006).

Inovações introduzidas ou popularizadas com o Macintosh original:

Interface gráfica: ícones, desktop, etc. Uso do mouse.
Clique duplo (double click) e o drngand-drop (clicar-e-arrastar) para realizar ações com o mouse.
WYSIWYG em edição de texto e gráficos (whatyou see is w/zatyouget:
o que você vê é o que você obtém).
Nomes de arquivo longos, com espaços e sem extensão (até 3 1 caracteres antes do Mac OS X, aumentando para 255 caracteres coni o Mac OS X).
Leitor de disquetes 3.5” de série.
Audio de série, incluindo um a’tofalante de qualidade.
Desiqrz estético e ergonômico (melhorado com os modelos mais recentes, particularnente o iMac em 1998).

Inovações introduzidas ou popularizadas com os Macintosh mais recentes:

Publicação pessoal (desktop publishíng).
Programação pelo usuário através do HyperCard e AppleScript.
A interface SCSI (Mac Plus, 1986).
Entrada de audio de serie (Mac Ilsi &MacLC, 1990).
Leitor de CD-ROM de sene (Quadra 900 1991)
Um ambiente de trabalho unico, distribuido em diversos monitores.
Suporte Ethernet de série (Quadra 700&900, 1991).
Universal serial bus, a popular enrada USB que substituiu diversas outras, tornando-se um padrão mundial
FíreVíre, também conhecido como IEEE 1394, um standard desenvolvido pela Apple e promovido também pela Sony sob o nome iLink (G3 azul e branco, 1998)
Rede sem fio IEEE 802.1 lb e IEEE 802.1 1 g (Wireless networking), denominados comercialmente AirPort,AirPort Extreme, e AirPort Express

Conclusão

A história da Apple Computer gira em torno da vida de Steve Jobs, que, com seu talento visionário e inovador, construiu uma empresa ícone no mundo da informática.
Desde a criação do primeiro protótipo, o Apple I, produzido graças à venda da velha Kombi de Steve Jobs e da calculadora de Steve Wozniak, a empresa-mãe dos computadores pessoais veio crescendo até se tomar uma das gigantes a competir no mercado de PCS. Seus dois criadores, Jobs e Woz, começaram produzindo artesanalmente 500 unidades de seu primeiro produto, o Apple I, e vendendo-o aUS$666,66 a unidade.
A partir daí, Jobs teve rnilhöes de outras idéias em sua carreira, o que tomaria a Apple pioneira no mercado de computadores pessoais.
Logo após o Apple I foram lançados diversos produtos revolucionários em matéria de hardware e software. Esses produtos, às vezes futurísticos demais, fizeram com que a Apple tivesse seus altos e baixos ao longo de sua existência.
Da mesma forma, a carreira de Steve nem sempre foi um mar de rosas, apesar de todo o seu talento e criatividade. Diferentemente de Jobs, seu sócio Steve Wozniak tinha uma visão mais técnica, realizando grandes avanços na parte tecnológica dos produtos da Apple, como o monitor de
alta resolução gráfica e um drive de disquetes de baixo custo.
Em 1993 a Apple lançou seu produto mais marcante até então, o Lisa, primeiro computador a ter um mouse e uma interface gráfica, o que mudou a essência do mercado da informática.
Hoje,a Apple se mantém no mercado graças a seus equipamentos mais direcionados ao mercado de graficos e aplicações visuais e ao lançamento de produtos revolucionários e de alta tecnologia, como o recente Ipod, desenvolvido por Steve Jobs

Antonio Marcos Pereira
Bruno da Silva Chiriu
Carlos Felipe de Oliveira Pedrosa
Carlos Henrique Cirino Lacerda
Gustavo Franco
Sergio Luiz
Vinícius José Andrade Silveira

Referências Bibliográficas

Apple no Brasil, Apple Computer, Inc., 2006 www.apple.com/br
Apple-History. Autor desconhecido www.appIe-history.com/
Association of science. Autor desconhecido, 2l/9/ 2004 vvvi/w.astc.org
Clube do Hardware. Clécio Bachini, I/2/I999
Comunidade Brasileira de Colecionadores Apple2.
Autor desconhecido, l9Í3/2003, appIe2.com.br/
Enciclopédia Digital, Direitos Humanos. Ítalo Valério
Engadget, Weblogs. Inc., 2006
Flickr. Autor Desconhecido. I3/6/2005
Google Brasil, 2006 (acessado em 20/5/2006).

Fonte: www.fumec.br

História da Apple

A Apple é uma empresa multinacional norte-americana que atua no ramo de aparelhos eletrônicos e informática famosa principalmente pela fabricação do computador de marca registrada Macintosh com seu próprio sistema operacional, o Mac OS, entre outros produtos.

Em setembro de 2010, a Apple tornou-se a segunda maior empresa do mundo, atrás da Exxon Mobil.

HISTÓRIA

A Apple foi fundada em 1976, tendo como sócios Steve Jobs (que continua ativo até os dias de hoje) e Steve Wozniak. Tudo começou com o Apple I, que foi desenvolvido por Steve Wozniak nas horas vagas. Embora fosse um projeto bastante avançado para a época, ele foi recusado pela Atari e pela HP, que não enxergavam um futuro para os computadores pessoais. Mesmo assim, a dupla resolveu levar a idéia adiante, produzindo-o com recursos próprios.

O Apple I não foi lá um grande sucesso de vendas, vendeu pouco mais de 200 unidades a 666 dólares (pouco mais de US$ 5000 em valores corrigidos) cada uma.

Mesmo assim, os lucros sustentaram a Apple durante o primeiro ano, abrindo caminho para o lançamento de versões mais poderosas. Quem comprou um, acabou fazendo um bom negócio, pois hoje em dia um Apple I (em bom estado) chega a valer US$ 50.000.

A placa era vendida pelada dentro de uma caixa de papelão, sem nenhum tipo de gabinete, por isso era comum que os Apple I fossem instalados dentro de caixas de madeira feitas artesanalmente.

O Apple I era baseado no processador 6502, um clone do Motorola 6800, que era fabricado pela MOS Tecnology. Ele era um processador de 8 bits, que operava a apenas 1 MHz. Em termos de poder de processamento, o 6502 perdia para o 8080, mas isso era compensado pelos espaçosos 8 KB de memória, suficientes para carregar o interpretador BASIC (que ocupava 4 KB), deixando os outros 4 KB livres para escrever e rodar programas.

Uma das vantages é que o Apple I podia ser ligado diretamente a uma TV, dispensando a compra de um terminal de vídeo.

Ele possuía também um conector para unidade de fita (o controlador era vendido separadamente por 75 dólares) e um conector proprietário reservado para expansões futuras:

Naquela época, as fitas K7 eram o meio mais usado para guardar dados e programas. Os disquetes já existiam, mas eram muito caros.

Os grandes problemas das fitas K7 eram a lentidão e a baixa confiabilidade. No Apple I, os programas eram lidos a meros 1500 bits por segundo e em outros computadores o acesso era ainda mais lento, com de 250 a 300 bits. Era preciso ajustar cuidadosamente o volume no aparelho de som antes de carregar a fita e, conforme a fita se desgastava, era preciso tentar cada vez mais vezes antes de conseguir uma leitura sem erros.

O Apple I foi logo aperfeiçoado, dando lugar ao Apple II, lançado em 1977.

Esse sim fez sucesso, apesar do preço salgado para a época: US$ 1.298, que equivalem a quase 10.000 dólares em valores corrigidos.

O Apple II vinha com apenas 4 KB de memória, mas incluía mais 12 KB de memória ROM, que armazenava um interpretador BASIC e o software de bootstrap, lido no início do boot. Isso foi uma grande evolução, pois você ligava e já podia começar a programar ou a carregar programas. No Apple I, era preciso primeiro carregar a fita com o BASIC, para depois começar a fazer qualquer coisa.

O BASIC era a linguagem mais popular na época (e serviu como base para diversas linguagens modernas), pois tem uma sintaxe simples se comparado com o C ou o Assembly, utilizando comandos derivados de palavras do Inglês.

Este é um exemplo de programa em BASIC simples, que pede dois números e escreve o produto da multiplicação dos dois:

10 PRINT “MULTIPLICANDO”
20 PRINT “DIGITE O PRIMEIRO NUMERO:”
30 INPUT A
40 PRINT “DIGITE O SEGUNDO NUMERO:”
50 INPUT B
60 LETC=A*B
70 PRINT “RESPOSTA:”, C

Este pequeno programa precisaria de 121 bytes de memória para rodar (os espaços depois dos comandos são ignorados, por isso não contam). Ao desenvolver programas mais complexos você esbarrava rapidamente na barreira da memória disponível (principalmente se usasse um ZX80, que tinha apenas 1 KB, o que obrigava os programadores a otimizarem o código ao máximo. Aplicativos comerciais (e o próprio interpretador BASIC) eram escritos diretamente em linguagem de máquina, utilizando diretamente as instruções do processador e endereços de memória, de forma a extraírem o máximo do equipamento.

Voltando ao Apple II, a memória RAM podia ser expandida até 52 KB, pois o processador Motorola 6502 era capaz de endereçar apenas 64 KB de memória, e 12 KB já correspondiam à ROM embutida. Um dos “macetes” naquela época era uma placa de expansão, fabricada pela recém formada Microsoft, que permitia desabilitar a ROM e usar 64 KB completos de memória.

Além dos jogos, um dos programas mais populares para o Apple II foi o Visual Calc, ancestral dos programas de planilha atuais:

O Apple II já era bem mais parecido com um computador atual. Vinha num gabinete plástico e tinha um teclado incorporado. A versão mais básica era ligada na TV e usava o famigerado controlador de fita K7, ligado a um aparelho de som para carregar programas.

Gastando um pouco mais, era possível adquirir separadamente uma unidade de disquetes:

A linha Apple II se tornou tão popular que sobreviveu até o início dos anos 90, quase uma década depois do lançamento do Macintosh. O último lançamento foi o Apple IIC Plus, que utilizava um processador de 4 MHz (ainda de 8 bits) e vinha com um drive de disquetes de 3.5″, já similar aos drives atuais.

Nos anos seguintes, além de continuar aperfeiçoando a linha Apple II, a Apple começou a investir pesadamente no desenvolvimento de computadores com interface gráfica e mouse. A inspiração surgiu numa visita de Steve Jobs ao laboratório da Xerox, onde computadores com interface gráfica eram desenvolvidos desde a década de 70 (embora sem sucesso comercial, devido ao custo proibitivo).

Um bom exemplo do impressionante trabalho desenvolvido pela Xerox ao longo da década de 1970 foi o Xerox Alto (finalizado em 1973), que é considerado a primeira estação de trabalho e também a primeira a ser ligada em rede.

Apesar disso, ele acabou nunca não entrando em produção devido ao custo:

Voltando à Apple, o próximo grande passo foi o lançamento do Lisa, em 1983.

Em sua configuração original, o Lisa vinha equipado com um processador Motorola 68000 de 5 MHz, 1 MB de memória RAM, dois drives de disquete de 5¼ de alta densidade (eram usados discos de 871 KB), HD de 5 MB e um monitor de 12 polegadas, com resolução de 720×360. Era uma configuração muito melhor do que os PCs da época, sem falar que o Lisa já usava uma interface gráfica bastante elaborada e contava com uma suíte de aplicativos de escritório à lá Office.

O problema era o preço: 10.000 dólares da época (suficiente para comprar 5 PCs).

Embora não houvesse nada melhor no mercado, o Lisa acabou não atingindo o sucesso esperado. No total, foram produzidas cerca de 100.000 unidades em dois anos, porém a maior parte delas foram vendidas com grandes descontos, muitas vezes abaixo do preço de custo (como um lote de 5.000 unidades vendido para a Sun em 1987, depois que o Lisa já havia sido descontinuado).

Como a Apple investiu aproximadamente US$ 150 milhões no desenvolvimento do Lisa, a conta acabou ficando no vermelho.

Apesar disso, o desenvolvimento do Lisa serviu de base para o Macintosh, um computador mais simples, lançado em 1984. Ao contrário do Lisa, ele fez um grande sucesso, chegando a ameaçar o império dos PCs. A configuração era similar à dos PCs da época, com um processador de 8 MHz, 128 KB de memória e um monitor de 9 polegadas. A grande arma do Macintosh era o MacOS 1.0 (derivado do sistema operacional do Lisa, porém otimizado para consumir muito menos memória), um sistema inovador de vários pontos de vista.

Ao contrário do MS-DOS ele era inteiramente baseado no uso da interface gráfica e mouse, o que o tornava muito mais fácil de ser operado. O MacOS continuou evoluindo e incorporando novos recursos, mas sempre mantendo a mesma idéia de interface amigável.

Aqui temos um screenshot do MacOS 1.0, ainda monocromático:

Depois do Macintosh original, a Apple lançou um modelo atualizado, com 512 KB de memória RAM. Para diferenciá-lo do primeiro, a Apple passou a chamá-lo de Macintosh 512k. O modelo antigo continuou sendo vendido até outubro de 1985 como uma opção de baixo custo, passando a ser chamado de Macintosh 128k.

Ao longo da década seguinte, a Apple passou por duas grandes revoluções.

A primeira foi a migração do MacOS antigo para o OS X, que por baixo da interface polida, é um sistema Unix, derivado do BSD:

A segunda aconteceu em 2005, quando a Apple anunciou a migração de toda a sua linha de desktops e notebooks para processadores Intel.

Essa combinação permitiu que a Apple se beneficiasse da redução de custo nos processadores e outros componentes para micros PCs, mas ao mesmo tempo conservasse seu principal diferencial, que é o software.

Do ponto de vista do hardware, os Macs atuais não são muito diferentes dos PCs, você pode inclusive rodar Windows e Linux através do boot camp.

Entretanto, só os Macs são capazes de rodar o Mac OS X, devido ao uso do EFI, um firmware especial, que substitui o BIOS da placa-mãe. Existem versões prévias do OS X que podem ser instaladas em outros PCs, mas por serem versões antigas (e cuja distribuição é combatida pela Apple), elas acabam restritas aos círculos mais geeks.

PRODUTOS DE SUCESSO

Apple II – O primeiro computador da família II, cujo nome, mais tarde, inspirou o Macintosh IIsi e o IIci como destaque da tecnologia da época.
Macintosh –
A marca registrada da Apple para seus computadores.
QuickTime –
Uma estrutura de suporte (framework) multi-mídia desenvolvida pela Apple, Inc., para desenvolvimento de software capaz de manipular formatos de vídeo digital, mídia clips, som, texto, animação, música e vários tipos de imagens panorâmicas interativas.
PowerBook G3 – 1998 –
Da família dos G3s da Apple; o primeiro notebook com processador PowerPC G3. Foi popularmente conhecido na série Sex and the city no qual a principal personagem usava-o.
iMac – 1998 –
Um computador que constituía da sua torre com o monitor acoplados num só periférico. desde o primeiro modelo deste computador ele ja a possuia um design arrojado, com cores fortes de alto contraste e diversos atributos novos, com o intuito de atrair o público jovem e popularizar a marca.
iBook – 1999 –
Notebook da Apple criado seguindo as mesmas características do iMac, com varias cores fortes e atributos novos.
iPod – 2001 –
Um dos primeiros players portáteis de áudio e vídeo digital do mundo, que conquistou o público por sua leveza, praticidade, qualidade, modernidade e simplicidade, hoje com uma diversa linha de variadas capacidades de armazenamento e tamanhos.
iTunes Store – 2001 –
É a maior galeria de música digital legalizada no mundo, foi criada para venda de músicas, clipes, álbums, seriados e até filmes para iPod pela internet.
iTunes – 2001 –
Foi desenvolvido para reproduzir e organizar arquivos de música e vídeo digitais. Pelo iTunes também é possível fazer compras de canções e vídeos na iTunes Store e carregar arquivos para iPod.
Mac OS X – 2001 –
Sistema operacional destinado aos computadores Macintosh. Tornou-se o ambiente baseado em Unix mais vendido até hoje (em número de computadores vendidos).
MacBook – 2006 –
Foi o notebook sucessor do ibook. Esta máquina possui melhoramentos significativos como tela larga e já com os processadores Intel Core 2 Duo que melhoraram a confiabilidade, velocidade e, principalmente, o consumo de energia em relação ao antecessor iBook.
iPhone – 2007 –
É um telefone celular com funções de tocador de áudio, câmera digital e internet. A navegação é feita através de sua tela sensível a múltiplos toques (multitouch). Destaca-se ainda pela utilização de uma versão “enxuta” do sistema operacional OS X. Após seu lançamento, o aparelho vendeu 1 milhão de unidades[9] em um período de apenas 74 dias.
iPad – 2010 –
É um ‘tablet’ criado pela empresa e apresentado em 27 de Janeiro. Foi lançado nos Estados Unidos em abril de 2010.É como se fosse o Apple Newton (abaixo) só que fazendo sucesso.
MacBook Air – 2010 –
Apresentado em 20 de Outubro, é a próxima geração de notebooks da Apple. Ele possui, em seu ponto mais largo, 0.68 pol, e no mais estreito, 0,11 pol. Isso se deve à ausência de um Disco Rígido óptico, uma vez que usa memórias flash como unidade de armazenamento, mesmas memórias utilizadas em iPhones e iPads. Ele possui carcaça inteiriça de alumínio (Unibody), assim como seus irmãos mais velhos.

PRODUTOS FRACASSADOS

Apple III – 1980 – O fracassado sucessor do Apple II.
Apple Lisa – 1983 –
O primeiro computador da Apple a usar interface gráfica e mouse. Capaz de multitarefa não-preemptiva e equipado com 1MB (1024KB) de memória RAM.
Apple Newton – 1993 –
Também conhecido com Newton Message Pad, era um computador de mão (palmtop) com tela sensível ao toque (touch screen), reconhecimento de escrita, memória flash e processador RISC. Lançado três anos antes dos populares Palm Pilot.
Quicktake – 1994 –
Uma das primeiras câmeras digitais voltada para o consumidor doméstico. Ficou no mercado durante 3 anos.
Apple Pippin – 1996 –
Vídeo-game que foi um grande fracasso devido à pouca quantidade de jogos publicados e ao grande número de consoles que eram vendidos com defeitos de fabricação.

STEVE JOBS

História da Apple
Steven Paul Jobs

Steven Paul Jobs, mais conhecido como Steve Jobs é um empresário co-fundador das empresas de informática Apple Inc e NeXT.

Criou alta notoriedade em torno de seu nome por levar a cabo uma política industrial que valoriza a inovação e o design de seus produtos.

Steve Jobs, fora do meio empresarial, é menos conhecido pelo seu jeito contraditório de agir.

Budista e não materialista, tem o costume de andar descalço e de bermuda, reduziu seu salário na Apple a 1 dólar e ao mesmo tempo tem uma fortuna estimada em 2009 de 5.1 bilhões de dólares.

Extremamente perfeccionista, chega a olhar pixel a pixel o desenvolvimento de seu trabalho aplicando sempre a simplicidade. Acredita que a equipe organizadora é fundamental em todo o processo, mas acaba por ser um déspota, onde ele é o grupo de um só homem.

Apesar de inúmeras controvérsias apresentadas em seu modo de ser e administrar, e por muitos sendo tomado como insuportável, Steven Paul Jobs é com certeza um dos maiores administradores da atualidade tendo feito e refeito todos os processos e comprovando durante anos ser merecedor de tal título decorrente de sua excepcional carreira de sucesso.

STEVE JOBS — O COMEÇO DA APPLE

Nascido em San Francisco e filho adotivo de Paul e Clara Hagopian Jobs, que lhe deram o nome de Steven Paul, ao lado de seu parceiro tecnológico Steve Wozniak, Jobs fundou a Apple Computer em 1976 com o lançamento do Apple I e logo depois o Apple II.

Com a Apple capitalizada pelos seus computadores criativos e simples, respeitada pela sua ousadia, a partir de 1979 iniciaram em conjunto a criação de um projeto que iria revolucionar tudo em matéria de hardware e software. Era o então projeto Macintosh, que ainda estava em suas cabeças e no papel. Este projeto sugeria o desenvolvimento de uma interface gráfica baseada por navegação de ícones, pastas e janelas (a chamada GUI) tudo isso acionado por um mouse (naqueles tempos os computadores só usavam o teclado) e uma prévia demonstração da tecnologia foi vista por Jobs numa polêmica visita ao PARC da Xerox Corporation, o que lhe rendeu algumas acusações sem provas concretas de espionagem industrial, fato que ainda não foi totalmente esclarecido e ao que tudo indica o modelo do sistema da Xerox foi apenas uma inspiração que desencadeou a criação do primeiro Mac OS (o sistema operacional padrão nos Macintosh).

Em 1984, a Apple lançou o Macintosh, o primeiro e único computador geral com recursos de desenho, tipografia, além de uma interface gráfica abundante.

O lançamento do computador foi feito com um grande estardalhaço através de uma campanha publicitária exibida nos intervalos do Super Bowl, evento que atinge picos de audiência enormes. Este comercial de TV foi emblemático pela sua idéia criativa e já demonstrava uma certa rixa entre Apple e IBM. O comercial faz uma analogia ao livro homônimo de George Orwell 1984.

STEVE JOBS — SAÍDA DA APPLE

Em 1985, Jobs foi forçado a deixar a Apple pelo conselho de administração da empresa, e fundou uma outra empresa de computadores, a NeXT.

Em 1986, comprou a Pixar da Lucasfilm, que anos mais tarde ficou famosa por uma nova linguagem de animação 3D para desenhos animados. Na década de 1990, a Pixar sob liderança de Steve Jobs produziu o primeiro filme infantil animado na sua totalidade por computador, Toy Story.

No dia 24 de janeiro de 2006 a Walt Disney Company adquiriu a Pixar por 7,4 bilhões de dólares. A Disney/Pixar é atualmente o maior estúdio de filme animados do mundo.

STEVE JOBS — RETORNO

Em 1996 a Apple, que estava desenvolvendo um novo sistema operacional, comprou de Steve Jobs a NeXT Computer para poder utilizar o NeXTStep como base para o seu novo sistema operacional.

Com esta operação Jobs retornou para a Apple (que estava numa situação financeira frágil e a ponto de fechar) em 1997 como consultor. A companhia foi salva a tempo com a venda de 40% das ações a rival Microsoft, com uma idéia e um produto criativo de impacto introduzindo o iMac em 1998 com o novo sistema operacional o Mac OS 9.

Com o passar dos anos a Apple readquiriu as ações da Microsoft que evitaria sua falência.

Depois do sucesso de vendas dos primeiros iMacs, preparou uma nova revolução, a de refazer o famoso Mac OS, criando uma nova e poderosa plataforma que uniu o poder e a estabilidade do sistema Unix com a praticidade e elegância do tradicional Mac OS. Em 2000 foi lançado o Mac OS X.

Sob a orientação de Jobs, a Apple aumentou suas vendas significativamente depois destas inovações implantadas por ele e sua equipe. O iMac foi o primeiro computador introduzido no mercado com várias características avançadas, principalmente pelo seu design inovador e pelo material utilizado, basicamente o plástico translúcido e colorido, o que decretou a morte da cor padrão para PCs (o bege), e a partir de então muitos deles passaram a usar este tipo de material nos produtos de informática em geral. Desde então, Jobs vem trabalhando muito em idéias criativas deste nível e obtendo sucesso de vendas com elas.

Uma de suas inovações foi ramificar a Apple para além de seu mercado restrito da informática, passando a atuar na área de eletrônica, telecomunicações (iPhone) e músicas digitais (AAC e MP3), com a introdução em 2001 do tocador portátil de música iPod, integrado com sua loja de venda legal de música pela internet através do iTunes, um software dedicado para reprodução de áudio, vídeo, CDs e de rádios online. O iPod conquistou o público por sua leveza, praticidade, modernidade e simplicidade.

Em 2007 a Apple passou a comercializar telefones celulares, chamados de iPhone, com tecnologia de toque (batizada de multi-touch por aceitar toques simultâneos); em 2008 lançou a versão de tecnologia 3G do aparelho, iPhone 3G; em julho de 2009 lançou o iPhone 3Gs (speed), com comando de voz e muito mais rápido que os modelos anteriores.

Em junho de 2010, a Apple lançou o iPhone 4. Uma das maiores novidades, muito aguardada pelos usuários das versões anteriores, foi a possibilidade do multitask (execução de vários programas simultaneamente), além de câmera com 5 MP com flash, entre outras mudanças. O iPhone 4 foi alvo de polêmicas, após alguns usuários (0,55%, de acordo com a própria fábrica) constatarem que, se tocado em determinado ponto (onde ficava a antena), o equipamento sofria queda de sinal.

Poucas semanas depois, Steve Jobs apresentou-se publicamente em uma conferência, admitindo a existência do problema.

Para contorná-lo, os usuários teriam duas opções: receber gratuitamente uma espécie de capa para evitar o toque na antena; ou então ir a qualquer loja da Apple para a devolução do dinheiro.

STEVE JOBS — MACWORLD

Steve Jobs fazia anualmente palestras emblemáticas (Keynotes), nas MacWorlds, quando lançava suas tão esperadas ideias para a Apple (e o público se frustrava muito quando não havia novidades convincentes nestes eventos da Apple). Jobs e seus parceiros apresentavam as novidades que a empresa lançaria em cada temporada. Muitas dessas novidades acabavam se tornando tendência de mercado. A MacWorld sempre foi considerada uma verdadeira Meca para macmaníacos do mundo inteiro.

No final de 2008, a Apple declarou que a MacWorld 2009 seria a última de que a empresa iria participar. Nesta edição do evento, Phil Schiller, vice-presidente de marketing de produtos da Apple na época, foi o palestrante oficial.

STEVE JOBS — RIVALIDADES

A rivalidade de Steve Jobs com Bill Gates, ex-presidente e dono da Microsoft, já é elemento cultural do setor. Essa disputa pode ser conferida no filme produzido pelo canal de TV a cabo TNT, Pirates of Silicon Valley (Piratas do Vale do Silício), que aborda a biografia deles e das suas empresas, algumas vezes de forma exagerada. Podemos ver a disputa que existia entre eles e suas respectivas empresas muito antes de serem os icones e idolos que são hoje. Apesar de tudo, atualmente vieram a ser bons amigos e empresas parceiras.

STEVE JOBS — PIXAR E DISNEY

Em 1986, Jobs comprou da Lucasfilm um estúdio de computação gráfica, o Pixar Studios, por 5 milhões de dólares. Com uma parceria estratégica com a Disney criou, produziu e lançou vários filmes em animação 3D de sucesso, tais como o Toy Story, Procurando Nemo, Ratatouille e o mais recente Up, Altas Aventuras. Com a compra dos estúdios Pixar pelo grupo de comunicação e entretenimento Walt Disney, Jobs se tornou o maior accionista individual da Disney, onde agora deverá ocupar também um posto no conselho diretivo, segundo uma nota divulgada pela empresa compradora no dia da compra, em Janeiro de 2006.

STEVE WOZNIAK

História da Apple
Stephen Gary Wozniak

Stephen Gary Wozniak, conhecido como Woz ou Wizard of Woz (em alusão ao filme The Wizard of Oz) (São José, 11 de agosto de 1950), é um engenheiro de computação, fundador da Apple Computers, agora a Apple, Inc., junto com Steve Jobs. Foi pioneiro na iniciativa de colocar computadores disponíveis para o consumidor comum.

Apesar de sua contribuição ter sido uma compilação de poucas bem conhecidas idéias que coincidiram perfeitamente com o surgimento da tecnologia necessária para produção em massa de computadores, a engenhosidade de Stephen Wozniak, sua persistência e criatividade deram-lhe o crédito por iniciar a revolução do computador pessoal.

STEVE WOZNIAK — INSPIRAÇÃO E SEUS PRIMEIROS PASSOS

As primeiras inspirações de Wozniak vieram de seu pai LUCY, que foi um engenheiro da Lockheed, e de um personagem de ficção literário: Tom Swift.

Seu pai contaminou-o com a fascinação por eletrônica e frequentemente participava das criações de jovem Woz. Tom Swift, por outro lado, foi para Woz um exemplo da liberdade de criação, conhecimento científico e da habilidade de encontrar soluções para problemas. Tom Swift ainda iria ilustrar os grandes prêmios que o inventor receberia. Hoje, Wozniak retorna aos livros de Tom Swift e os lê para crianças como uma forma de inspiração.

Os valores de Woz foram moldados durante anos pela sua família: filosofia cristã, ética de radioamadores (ajudando pessoas em emergências), livros (a atitude utilitária e humanitária) e outros.

Como um último impulso para sua vida, Wozniak adorava todos os projetos que requeriam grande esforço mental. Ele aprendeu as bases da matemática e da eletrônica com seu pai. Quando Woz tinha 11 anos, construiu a sua própria estação de radioamador, e obteve uma licença de radioamador. Aos 13 anos, foi eleito presidente do clube de eletrônica de sua escola, e ganhou o primeiro prêmio em uma feira de ciências por uma calculadora baseada em transístores. Ainda aos 13 anos, construiu seu primeiro computador que foi a base técnica para o seu sucesso posterior.

Juntamente com John Draper, construiu Blue Boxes, dispositivos com os quais era possível burlar o sistema telefônico da AT&T ao emular pulsos (phreaking).

Com Steve Jobs, que ele conheceu trabalhando como um empregado de verão na HP, ele vendia estas caixas.

STEVE WOZNIAK — O COMEÇO DA APPLE

Em 1975, Woz deixou a Universidade da Califórnia e construiu um computador que eventualmente se tornaria bem sucedido em todo o seu país. Entretanto, ele estava intensamente envolvido no trabalho do Homebrew Computer Club em Palo Alto, um grupo local de hobistas de eletrônica. Seu projeto não tinha ambições maiores.

No clube de Palo Alto ele encontrou Steve Jobs. Jobs, cinco anos mais novo que Woz, tinha saído do Reed College em 1972. Jobs e Wozniak concluíram que um computador completamente montado e barato estava a caminho. Eles venderam alguns de seus bens (e.g. a calculadora científica da HP de Woz e a mini-van Volkswagen de Jobs), obtendo US$1.300, e montaram o primeiro protótipo na garagem de Jobs. O primeiro computador era inexpressivo para os padrões de hoje, mas em 1975 ele era uma surpreendente invenção.

Na simplicidade do uso ele estava anos à frente do Altair, que começou a ser comercializado no início de 1975. O Altair não tinha monitor e nem memória interna. Ele recebia comandos através de um conjunto de chaves e um programa simples necessitava de milhares de ligações sem um erro para funcionar. A saída do Altair era apresentada na forma de luzes que piscavam. O Altair era ótimo para verdadeiros geeks, mas ele não era utilizável por um grande público. Ele vinha em um kit para montagem.

O computador de Woz, por outro lado, denominado Apple I, era uma unidade totalmente montada e funcional que continha um microprocessador de US$ 25 e uma única placa de circuito impresso com memória ROM.

Em 1 de abril de 1976, Jobs e Wozniak formaram a Apple Computer, Inc.. Wozniak deixou seu trabalho na Hewlett-Packard e tornou-se vice-presidente com a responsabilidade de pesquisa e desenvolvimento na Apple. O Apple I custava US$ 666,66 (Wozniak disse mais tarde que o valor não tinha relação com o número da besta, e o atribuiu porque gostava de números repetidos.). Jobs e Wozniak venderam os primeiros 25 computadores a um comprador local.

Wozniak pode então se concentrar o tempo todo em melhorar e consertar as deficiências do Apple I e adicionar novas funcionalidades. O Apple I levou companhia perto de um milhão de dólares.

Seu novo projeto era manter as mais importantes características: simplicidade e usabilidade. Woz introduziu um monitor de alta resolução gráfica no Apple II.

Seu computador passou a ser capaz de mostrar figuras no lugar de apenas letras: Eu integrei a alta resolução. São apenas dois chips. Eu não sei se as pessoas utilizarão isto. Em 1978, projetou um drive de disquete de baixo custo. Ele e Randy Wigginton escreveram um sistema operacional simples.

Além de suas habilidades com o hardware, Wozniak escreveu muitos dos programas que executavam no Apple.

Ele escreveu um interpretador Basic, um jogo de Breakout (que foi também uma razão para adicionar som ao computador), o código necessário para controlar o drive de disquetes, e muito mais. Com relação aos programas, o Apple II se tornou mais atrativo para os usuários empresariais devido à famosa e pioneira planilha eletrônica Visicalc de Dan Bricklin e Bob Frankston.

Em 1980, a Apple se tornou pública e fez de Jobs e Wozniak milionários. Com 27 anos, Jobs foi o mais jovem a aparecer no Fortune 500 em 1982, um caso raro antes da era ponto-com.

Casualmente, em 1978, quando a companhia baixou o preço do Apple II, ela ajudou a lançar um outra carreira meteórica, de Mitch Kapor. Kapor conseguiu dinheiro suficiente para comprar o seu próprio Apple.

Inspirado pelo VisiCalc e encontrando com seus inventores, ele acabou por desenvolver o Lotus 1-2-3 e dominou o mercado de planilhas eletrônicas por vários anos.

STEVE WOZNIAK — O DECLÍNIO DA APPLE

Por anos o Apple II foi a principal fonte de receita da Apple, e ele garantiu a sobrevivência da companhia quanto a sua direção se responsabilizou pela criação de aventuras menos rentáveis como o mal sucedido Apple III e o Lisa, que durou pouco tempo. Foi devido aos grandes lucros do Apple II que a Apple foi capaz de desenvolver o Macintosh, vendê-lo, e gradualmente torná-lo em uma máquina que está agora no centro dos produtos da Apple.

Neste sentido, Wozniak pode ser considerado como o financiador principal do Mac.

Em Fevereiro de 1981, Steve Wozniak sofreu um acidente com o seu aeroplano. Como resultado, ele teve uma perda temporária da memória de curto prazo. Ele não se lembrava do acidente, e por um tempo, nem mesmo sabia que tinha se envolvido em um acidente. Ele começou a juntar os fatos de conversas com as outras pessoas. Ele perguntou então a sua esposa se ele se envolveu em algum tipo de acidente. Quando ela contou a ele sobre o evento, sua memória de curto prazo se restabeleceu.

Woz ficou menos entusiasmado com seu trabalho na Apple.

Ele se casou e retornou para a Universidade de Berkeley com o nome de Rocky Clark para obter sua graduação em 1982 em ciência da computação bem como engenheiro eletricista.

Em 1983 ele decidiu retornar ao centro de desenvolvimento da Apple.

Entretanto, ele queria ser não mais do que apenas um engenheiro e um fator motivacional para os trabalhadores da Apple.

STEVE WOZNIAK — O FIM DE UMA ERA

Woz deixou a Apple definitivamente em 6 de Fevereiro de 1985, nove anos após ter fundado a companhia. Wozniak fundou então uma empresa de curta duração, chamada CL9, que desenvolvia aparelhos de controle-remoto.

Rancoroso, Jobs ameaçou seus fornecedores da perda de negócios com a Apple se fizessem negócios com Wozniak. Wozniak pôde encontrar outros fornecedores, mas ficou desapontado com o comportamento amargo de seu antigo amigo.

Mais tarde, Jobs foi obrigado a deixar a Apple por causa de lutas pelo poder. Wozniak e Jobs são orgulhosos de terem originado uma ética anticorporativista no meio dos grandes do mercado de computadores.

Jobs orientou-se à sua (nem sempre) inovadora visão com o NeXT, enquanto Woz dedicou-se ao ensino (ensinava estudantes de 5° ano) e a atividades caritativas no campo da Educação.

STEVE WOZNIAK — RECONHECIMENTO

Steve Wozniak recebeu a Medalha Nacional de Tecnologia e Inovação em 1985. Em Setembro de 2000, Steve Wozniak foi incluído na National Inventors Hall of Fame.

Após deixar a Apple, Woz forneceu todo o dinheiro, além de uma boa parte de suporte técnico, para a escola do distrito de Los Gatos.

Em 2001, Woz fundou a empresa Wheels Of Zeus, uma companhia que produz soluções sem fio.

CURIOSIDADES

Os fundadores da empresa eram fãs dos Beatles e decidiram homenageá-los com uma maçã, já que o nome da gravadora fundada pelos Beatles também era Apple.
Porém, a adoção de um logotipo semelhante rendeu à gigante da informática um processo judicial movido pela gravadora na Inglaterra.
O nome Macintosh é uma homenagem às maças do tipo McIntosh Red, muito comum nos Estados Unidos.
O símbolo da empresa, uma maçã já mordida, lembra a maçã de Isaac Newton, sendo que a mordida representa o senso de descoberta.
Os portáteis e iPhones Apple aparecem em várias sériese filmes tais como Orfã, Buffy-Cacadora de Vampiros, Lua Nova , Percy Jackson e os Olimpianos: O Ladrão de Raios e O Livro de Eli.
Nas séries de tv da Nickelodeon como iCarly e Drake e Josh , os varios produtos da Apple como o iPhone, iMac, iPod ente outros, são representados por uma fictícia marca chamada Pear. O mais marcante, foi o seriado da produtora Universal Pictures, HOUSE MD. Os produtos são os PearPhone, PearPods, iPhone, iMac, Macbook, PearTunes entre outros.

Fonte: fontededados.com

História da Apple

História da Apple

Alguém poderia imaginar que uma maçã, antes colorida e agora prateada, se tornaria mais famosa que a fruta que representa a cidade de Nova York ou a maçã, que é símbolo dos discos dos Beatles?

Com certeza não.

Em matéria de maçã como um símbolo, a do fabricante de computadores APPLE talvez seja apenas comparável a de Adão e Eva. Mas o fato é que, quando se fala em símbolo e quando o símbolo é uma maçã, o que hoje nos vem imediatamente à cabeça são produtos revolucionários como iPod, iPhone, iPad e Macintosh.

A marca traduz aos usuários toda a imagem da criatividade, inovação, design e originalidade.

A história

Tudo começou quando os jovens engenheiros Steve Wozniak e Steve Jobs, que tinham sido colegas de turma no colegial, vislumbraram a possibilidade de desenvolver e comercializar computadores pessoais. Ambos eram interessados em eletrônica e ávidos por inovação. Após a graduação, continuaram amigos e em contato direto, trabalhando em empresas localizadas no Vale do Silício. Jobs trabalhava na Atari e Wozniack na Hewllet-Pachard. Jobs com sua grande visão futurista insistia que ambos, mais Ron Wayne, deveriam tentar vender computadores pessoais. A idéia era desenvolver um microcomputador que pudesse ser menor e bem mais acessível que os modelos desenvolvidos pela lendária PARC. Essa idéia e união resultaram no nascimento da APPLE COMPUTER COMPANY em 1° de abril de 1976.

O capital inicial da empresa, com sede na garagem da casa dos pais de Steve Jobs era originário da venda de uma Kombi e de uma calculadora HP.

A palavra Apple foi escolhida por três razões: o nome iniciava-se com “A”, portanto apareceria listado na frente da maioria dos competidores; ninguém esperaria uma associação de sentidos de uma maçã com computadores, sendo uma aposta no inusitado; e uma maçã está ligada a uma vida saudável (“an apple a day keeps the doctor away”). Além do mais, muito acreditam que a maçã desenhada com faixas era uma alusão marca listrada da IBM e o pedaço mordido uma clara referência ao pecado bíblico.

Steve Jobs, não queria somente vencer a concorrência no ramo dos computadores pessoais, mas sim, mudar uma sociedade, criar uma nova perspectiva de vida para uma nova geração que estava por vir. A recém-fundada empresa resolveu então colocar no mercado o computador batizado de Apple I, criado e desenvolvido por Wozniack. Porém, os hobistas não levaram o Apple I, vendido por US$ 666.66, a sério e os computadores só decolaram em 1977, quando o Apple II foi apresentado em uma feira de informática. Primeiro computador a ter o CPU feito de plástico e com designers gráficos coloridos, era uma máquina impressionante e fez muito sucesso. Em meados de 1978, o lançamento do Apple Disk II, o floppy drive mais barato da época, fizeram com que as vendas da empresa disparassem. Com o aumento das vendas, veio também um aumento significativo da empresa e pôr volta de 1980, quando o Apple III foi lançado no mercado, começaram a vender seus computadores para o exterior.

No afã de dar continuidade à revolução que iniciou, Jobs cometeu o que talvez tenha sido seu primeiro erro: mandou seus projetistas eliminarem a ventoinha do Apple III, o que resultou na necessidade de substituir milhares de unidades danificadas por superaquecimento.

Três anos mais tarde, seria lançada uma versão revisada do Apple III, mas a imagem da máquina já tinha sido irremediavelmente arranhada pela falha de projeto do modelo anterior. Em 1981 as coisas começaram a se complicar. Primeiro, o mercado ficou saturado dificultando as vendas. Depois, Wozniack sofreu um acidente aéreo ficando ausente da empresa e Steve Jobs assumiu o controle. E para complicar o fracasso do computador Lisa. Era o início de uma grande crise, que culminaria com a saída, e depois volta em 1996, de Steve Jobs da empresa.

Nem o estrondoso lançamento do Macintosh em 1984 foi capaz de contê-la. De uma hora para outra os computadores da APPLE perderam o brilho e traziam uma interface desatualizada para os padrões da época, com características que desagradavam os consumidores. Em meados da década de 90, quase a beira da falência, a APPLE começaria a protagonizar uma das maiores reviravoltas no mundo dos negócios com o lançamento de dezenas de produtos e programas, dentre eles o PowerBook, o iMac, o iBook, e mais recentemente o iPod, iPhone e iPad, que revolucionariam o mundo dos computadores e da comunicação, e acabariam com as inúmeras crises por qual a empresa passou, transformando-a na mais inovadora do mundo.

Durante toda sua história a APPLE sempre foi pioneira ao lançar produtos revolucionários como a impressora laser PostScript; o Desktop Publishing; a Universal Serial Bus, popularmente conhecida como entrada USB que substituiu diversas outras, se tornando um padrão mundial, e atualmente usada em Pen Drives e MP3 Players; os primeiros laptops com mouse de série e teclados externos (série PowerBook 100, introduzidos em 1991); o abandono do leitor de disquetes (iMac original, introduzido em 1998); o primeiro computador disponível comercialmente a se basear principalmente no USB para a conexão de periféricos (iMac original, introduzido em 1998); e o primeiro laptop com monitor de tela larga (PowerBook G4, introduzido em 2000).

Em junho de 2005, Steve Jobs surpreendeu o mundo da informática ao anunciar que a APPLE estava trocando os processadores PowerPC de seus computadores por processadores da marca Intel.

Os primeiros modelos de Macintosh equipados com chips da Intel apareceram à venda no começo do ano seguinte: o MacBook Pro e o iMac, ambos equipados com o processador Intel Core Duo.

A frase de campanha comercial para os novos modelos, bastante provocativa, era:

“O que um chip Intel faria dentro de um Mac? Muito mais do que já fez em qualquer PC”.

Com o lançamento de dois novos produtos, o Apple TV e o iPhone, durante a MacWorld 2007, a APPLE anunciou a mudança do seu nome de Apple Computers Inc. para Apple Inc. Esta mudança ocorreu principalmente pelo novo posicionamento mercadológico que a empresa passou a adotar. A empresa, com estes dois novos produtos, e juntamente com o iPod e seus computadores, passou a atuar não somente no mercado de computadores mas também no mercado de eletrônicos. Hoje em dia, MacBooks poderosos, iMacs que carregam toda a potência de um computador dentro do próprio monitor e iPhones cada vez mais versáteis, provam a total capacidade de inovação da empresa.

Além disso, a APPLE mostra ao público tecnologias que visam a portabilidade, como o incrível MacBook Air e o iPod nano 3G, peças que provam o poder da empresa no mundo da tecnologia.

A linha do tempo

1983: LISA. Primeiro computador com interface gráfica, conhecida como GUI, o que mudava para sempre o mundo da informática. Era a primeira vez que uma máquina podia ser usada por qualquer um, sem linguagem especial, pois a operação era feita através de menus e comandos simples. O avançado computador tinha 1MB de memória RAM, dois drives de disquete, disco rígido de 5MB e um monitor de 12 polegadas. Outra inovação era o mouse. Mas seu alto preço (aproximadamente US$ 10.000) não empolgou o público.

1984: MACINTOSH. Primeiro computador pessoal a popularizar a interface gráfica amigável com um sistema operacional revolucionário. Somente em 2007 foram vendidos cerca de 7 milhões de computadores.

1989: MACINTOSH PORTABLE. Primeiro modelo portátil da marca. Pesando 7.2 kg e desajeitado devido ao seu tamanho, o modelo era considerado mais uma “mala” do que um portátil.

1990: MAC OS. Um sistema operacional próprio, lançado depois da batalha com a Microsoft, em virtude do sistema operacional Windows.

1991: QUICKTIME. Primeiro player criado para computadores. Era um poderoso software de multimídia capaz de reproduzir arquivos de vídeo, som, animação e música de vários formatos.

POWERBOOK 100. A nova geração do Macintosh portátil, vendido inicialmente por US$ 2.500. Este computador ajudou a solidificar a reputação da APPLE em produzir desktops e laptops de qualidade.

1993: NEWTON MESSAGE PAD. Primeiro assistente pessoal digital (PDA, na sigla em inglês) com tela sensível ao toque (touch screen), que surgia para destronar os modelos da IBM e da Palm. Seu sistema inovador de reconhecimento de escrita, contudo, ficou só na promessa: o aparelho registrava os caracteres errados. Apesar de ter sido um fracasso comercial, o Newton estabeleceu a base de uma nova categoria que foi a precursora e inspiradora de aparelhos como o BlackBerry, o Palm Pilot e o Pocket PC.

1994: QUICKTAKE. Uma das primeiras câmeras digitais voltadas para o consumidor doméstico foi um tremendo fracasso comercial. Ficou no mercado durante 3 anos.

1996: APPLE PIPPIN. Vídeo-game que foi um enorme e estrondoso fracasso devido a dois fatores: pouca quantidade de jogos publicados e ao grande número de consoles que eram vendidos com defeitos de fabricação.

1997: POWERMAC G3 e o POWERBOOK G3. Linha de computadores e notebooks mais rápidos da época, desenvolvidos para profissionais de computação gráfica. Esses computadores eram baseados em uma nova série de processadores.

1998: iMAC. Sem disquetes (apenas CD), com entradas USB (primeiro computador a oferecer isso), design inovador e várias opções de cores, se tornou um ícone pop e ganhou o título de computador pessoal que mais vendeu em seu lançamento. Era chamado de “a segunda revolução” dos PCs.

1999: iBOOK. A versão portátil do iMac, que acumulou 140.000 pedidos de compra antes mesmo de seu lançamento oficial nas lojas.
POWERMAC G4. Computador voltado para profissionais de publicidade e designers.

2001: iPOD. Em meio ao boom da música digital na Internet, a empresa cria um tocador portátil de arquivos MP3 e comemora mais um sucesso instantâneo de vendas. Este primeiro modelo era compatível apenas com os computadores Macintosh, tinha capacidade de 5GB e chegou às lojas dos Estados Unidos por US$ 399. Nos dois primeiros meses o produto vendeu 125 mil unidades. Com capacidade para guardar mil músicas e fazer seleções personalizadas, dominaria o mercado, tornando-se o Walkman da geração digital. Em todas as suas versões o iPod já vendeu aproximadamente 300 milhões de unidades.
iTUNES. Melhor player de música já criado, foi desenvolvido para reproduzir e organizar arquivos de música e vídeo digitais. Pelo iTunes também era possível fazer compras de canções e vídeos na iTunes Store e carregar arquivos para iPod.
MAC OS X. Grande evolução de estética e usabilidade do seu sistema operacional, abandonando de vez o MAC OS, passando a utilizar um sistema operacional muito mais avançado e eficiente. Está em todas as máquinas da empresa e é o sistema base do iPhone.

2002: iMAC LCD. Enquanto fabricantes do mundo todo copiavam ou adaptavam o design surpreendente do primeiro iMac, a empresa dava um passo à frente com a nova versão da máquina. Similar a um abajur, com uma tela de cristal líquido presa a uma haste móvel, o novo iMac era o primeiro computador-objeto de decoração.

2003: iTUNES STORE. Maior acervo de música digital legalizado do mundo, foi criado para venda de músicas, clipes, álbuns, seriados e até filmes para iPod pela Internet. Uma resposta da APPLE para a disputa entre as gravadoras e os usuários de sistemas de downloads de músicas. Vendendo canções avulsas de forma eficiente e relativamente barata pela Internet, o novo sistema inaugurou o futuro da indústria musical. Milhões de músicas são comercializadas em meses. Atualmente os arquivos de música custam US$ 0.99; jogos por US$ 4.99; US$ 1.99 por episódio de seriado; enquanto o preço dos filmes varia de US$ 9.99 a US$ 14.99. Desde seu lançamento vendeu mais de 6.5 bilhões de músicas. A empresa vende sete em cada dez arquivos de música comercializados legalmente. Em abril de 2008, a iTunes Store ultrapassou o Walmart e tornou-se a maior vendedora de músicas do mundo. Hoje em dia a iTunes Store está disponível em 23 países.
SAFARI. Navegador de Internet introduzido pela APPLE junto com seu sistema operacional MAC OS X no dia 7 de janeiro.

2004

iPOD MINI: A versão menor do iPod original. Foi descontinuado em 7 de setembro de 2005, sendo substituído pelo iPod Nano.
iPOD PHOTO:
Apresentava uma tela colorida com capacidade de armazenar e exibir imagens (JPEG, BMP, GIF, TIFF e PNG) e executar música por até 15 horas. Lançado originalmente em versões de 40GB e 60GB. Em 2005 este aparelho se fundiria com a linha iPod.
G4 CUBE:
Um computador com design extremamente moderno, mas que não decolou nas vendas por ser mais caro dos que os demais modelos da APPLE. Esteve à venda por apenas um ano.

2005

iPOD NANO. Um aparelho com design mais fino, que viria a substituir o iPod Mini. Lançado em cinco cores cheias de estilo, display mais brilhante, com capacidade de 2GB, 4GB e 8GB. A maior novidade em relação ao seu antecessor era a substituição do HD por memória flash, o que fez com que o tamanho e o peso fossem drasticamente reduzidos.
iPOD SHUFFLE. Versão mais simples do iPod, foi criado com o intuito de ser menor, mais leve e mais barato. Além de não contar com um visor e com um Click Wheel, também não utilizava um HD.
MAC MINI. Menor computador desktop vendido pela APPLE, foi desenvolvido com o objetivo de atrair proprietários de computadores Windows, iPods, modelos mais antigos de Macintosh, e qualquer um que se interessasse por um computador pessoal pequeno e fácil de usar. Foi anunciado na Macworld Conference & Expo do dia 11 de janeiro. Dois modelos foram lançados nos Estados Unidos no dia 22 de janeiro. Versões ligeiramente melhoradas foram lançadas no dia 26 de julho. Modelos atualizados com processadores Intel Core foram lançados no ano seguinte.

2006: MACBOOK. Computador portátil, sucessor do iBook, possuía melhorias significativas como tela Wide Screen e os processadores Intel Core Duo que maximizaram a confiabilidade, velocidade e, principalmente, o consumo de energia em relação ao antecessor.

2007

iPHONE: Um telefone celular com funções de tocador de áudio, câmera digital e Internet. A navegação é feita através de sua tela sensível a múltiplos toques (multitouch). Destaca-se ainda pela utilização de uma versão “enxuta” do sistema operacional OS X. Outra característica da interface é a fluidez dos movimentos e trocas de telas. No dia 10 de janeiro, que mais parecia final da Copa do Mundo, nas lojas da APPLE, milhares de fãs se aglomeravam em frente aos monitores de televisão para ver o presidente da empresa, Steve Jobs, anunciar o iPhone seis meses antes de ser lançado no mercado. Poucas horas depois do anúncio, os papéis da empresa na bolsa subiram 8.3% deixando a APPLE US$ 6 bilhões mais rica. Em apenas seis meses foram vendidos 4 milhões de aparelhos.
MAC OS X LEOPARD:
No dia 26 de outubro a nova versão do sistema operacional da marca chegou as lojas dos Estados Unidos. Os novos recursos incluem um sistema de backup de arquivos conhecido como “Time Machine”, melhoras nos sistemas de email e mensagens instantâneas, a capacidade de visualizar documentos ou arquivos sem abrir um programa separado, e acesso rápido a outros computadores em uma rede doméstica ou de escritório. O Leopard é a sexta versão do sistema operacional da APPLE em seis anos, um feito que a empresa não perde tempo em contrastar com a prática da Microsoft, que levou mais de cinco anos para lançar uma nova versão do Windows. O sistema operacional vendeu mais de 6.5 milhões de cópias desde seu lançamento.
iOS:
Sistema operacional móvel desenvolvido inicialmente para o iPhone, e atualmente utilizado iPod Touc, iPad e Apple TV. A interface do usuário é baseada no conceito de manipulação direta, utilizando gestos em multi-toque. A interação com o sistema operacional inclui gestos como apenas tocar na tela, deslizar o dedo, e o movimento de “pinça” utilizado para ampliar ou reduzir imagens.
iPOD TOUCH:
Versão que apresenta os recursos Cover Flow e Multi-Touch para a linha do iPod. Foi a primeira geração da linha a incluir acesso Wireless à iTunes Store.
APPLE TV:
Aparelho capaz de executar vídeos digitais gravados em computadores em televisores. Em 2010 foi lançada a nova versão do aparelho, bem menor que a anterior. A caixinha também possui acesso à Netfix, podcasts e Flickr. Além disso, os usuários podem acessar streaming de música a partir de seus computadores e usar o AirPlay para enviar conteúdo multimídia de seus dispositivos. Em pouco mais de um mês a empresa vendeu mais de 250 mil unidades da nova versão do aparelho.

2008

MAC BOOK AIR. Apresentado em janeiro, o mais delgado, leve e irresistível computador portátil da história, com apenas 1.9 centímetros de espessura, pesando 1.36 quilos e tela de 13,3 polegadas. O novo laptop conta ainda com uma câmera embutida iSight e não incluiu leitor ou gravador de CD ou DVD, mostrando que a APPLE aposta na transmissão de dados sem fio. O produto foi apresentado na MACWORLD por Steve Jobs que fez questão de tirá-lo de dentro de um envelope ofício para reforçar suas proporções.
iPhone 3G. Lançamento, em junho, da nova geração de iPhone chamada 3G, mais fino e maior que seu antecessor, além de ser vendido nas cores brancas e pretas. A nova versão contava com alguns novos aplicativos, como GPS e ferramentas para blogueiros. O aparelho começou a ser vendido no dia 11 de julho em 22 países (o Brasil não estava incluído) ao preço de US$ 199 para o modelo com 8 GB de memória, o equivalente a um terço do preço inicial da versão anterior.
APP STORE. Loja online para venda de programas e aplicativos para iPhone em várias categorias, incluindo jogos, negócios, notícias, esportes, saúde e viagens. A loja alcançou sucesso imediato, impulsionando as vendas do smartphone e ajudando a remodelar a forma de distribuição de conteúdo para celulares. Atualmente a loja oferece mais de 300 mil programas para iPhone, além de mais de 40 mil programas para o tablet iPad. No dia 22 de janeiro de 2011 a loja alcançou 10 bilhões de downloads, enfatizando a liderança da fabricante do iPhone na batalha de software online para celulares.

2009

MAGIC MOUSE. Mouse sem fio com a tecnologia inteiramente sensível ao toque inspirado no iPhone. O novo produto, com design moderno e superfície sem emendas, dispensa os botões e permite ao usuário manipulá-lo apenas com o movimento dos dedos. Apenas com gestos, os usuários podem paginar documentos, girar imagens grandes ou avançar páginas da Internet. Pode ser configurado para canhotos e funciona com até dez metros de distância do computador.
MAC OS X SNOW LEOPARD. Mais novo sistema operacional da APPLE. Entre as mudanças mais importantes no sistema estão: transição para a plataforma de aplicativos de 64 bits; o Grand Central Dispatch, que permite aos equipamentos com processadores de vários núcleos tirarem melhor proveito dessa característica; e o OpenCL, sistema que permite aos Macs utilizarem melhor os processadores gráficos e aprimorar o desempenho nessa área.

2010

iPAD. O primeiro computador em formato de prancheta digital da marca, que une computador, videogame, tocador de música e vídeo e leitor de livro digital, foi apresentado como “mágico” e “revolucionário”. Pesando pouco menos de 700 gramas e equipado com uma tela sensível a múltiplos toques de 9,7 polegadas, com espessura total de 1,2 centímetros, o aparelho pode ser ligado a um teclado externo próprio, ou o usuário pode usar teclas virtuais exibidas na tela. O iPad usa um processador Apple A4 de 1 GHz, tem conectividade Wi-Fi, armazenamento de 16 GB a 64 GB (em memória Flash), Bluetooth 2.0, alto-falantes, microfone e bateria com duração de até 10 horas. A principal novidade é o aplicativo iBooks (para leitura de livros eletrônicos). A empresa já garantiu acordos de distribuição de conteúdo das editoras Penguin, Harper Collins, Simon & Schuster, Macmillan, e Hachette. O aparelho chegou às lojas dos Estados Unidos custando a partir de US$ 500 na versão mais barata, e vendeu em seu primeiro dia 300.000 unidades. Em 80 dias já tinham sido vendidos mais de 3 milhões de aparelhos; e em dezembro atingiu a marca de 14.7 milhões de unidades.
iPhone 4. A quarta geração do ícone da APPLE trouxe novas funcionalidades como resolução de imagem melhor, possibilidade fazer ligações com vídeo, câmera de 5 megapixels com Flash de LED, câmera de vídeo com resolução em HD e iluminação de LED, e bateria com vida mais longa.

2011: MAC APP STORE. Loja online com cerca de mil aplicações gratuitas ou pagas para os computadores Mac.

Uma lenda chamada Macintosh

As bases do projeto Macintosh surgiram no início de 1979 com Jef Raskin, que idealizou um computador fácil de utilizar e barato para o grande público. Em dezembro foi autorizado a iniciar o projeto e começou a procurar um engenheiro capaz de construir o primeiro protótipo. Bill Atkinson, membro do projeto Lisa, apresentou-o a Burrell Smith, um técnico que acabara de ser contratado naquele ano pela empresa.

O primeiro protótipo obedecia às especificações de Jef Raskin: tinha 64 KB de memória, utilizava o lento microprocessador 6805E da Motorola e tinha um monitor de 256 x 256 pixels em preto e branco. Esta máquina utilizava menos controladores de memória que o computador Lisa, tornando sua fabricação bem mais barata. O projeto inovador do Macintosh atraiu a atenção de Steve Jobs que deixou o projeto Lisa para se concentrar no Macintosh.

Em janeiro de 1981, assumiu a direção do projeto, forçando Jef Raskin a sair. O nome Macintosh derivava de um tipo de maçã. O computador foi apresentado de forma estrondosa ao público em 22 de janeiro de 1984, durante o intervalo do Super Bowl (final do campeonato de futebol americano profissional), evento esportivo de maior audiência nos Estados Unidos, e que possui os 30 segundos mais caros da publicidade mundial. O célebre comercial, intitulado de “1984”, dirigido por Ridley Scott e apresentado uma única vez, foi considerado um dos melhores na história da propaganda mundial. O comercial consistia em uma metáfora para a liberdade, onde o Grande Irmão (figura da famosa borá de George Orwell) simbolizava a gigante IBM. O Macintosh chegou as prateleiras das lojas com um preço de US$ 2.495.

Inicialmente as vendas foram boas, mais de 50 mil unidades nos primeiros 100 dias, porém no natal desse mesmo ano, não se sustentaram devido a alguns problemas que o computador apresentava como a memória RAM e a conectividade do disco rígido. Apesar desses problemas, o Macintosh possuía um sistema operacional revolucionário, de uso fácil e intuitivo, utilizando nomes como “lata de lixo” e “notas” em substituição aos complicados comandos dos computadores antigos. O Macintosh foi o primeiro computador pessoal a popularizar a interface gráfica (GUI), na época um desenvolvimento revolucionário. Foi com o Macintosh que o mercado descobriu o desktop publishing, a arte de permitir ao próprio usuário, em casa ou no escritório, criar e editar em ambiente gráfico suas próprias cartas e material impresso com qualidade até então só disponível nas gráficas. A primeira campanha de marketing do Macintosh, chamada de “Test Drive a Mac”, foi introduzida no mercado em dezembro, onde celebridades como Mick Jagger, Michael Jackson e Andy Warhol foram presenteadas com um Macintosh.

Apple Store

No dia 19 de maio de 2001, a APPLE inaugurava suas duas primeiras lojas de varejo, chamadas Apple Store, uma na cidade de McLean, Virginia, e outra em Glendale, Califórnia. As lojas tinham design moderno, limpo, espaçoso e inovador, onde os consumidores podiam saber tudo sobre produtos revolucionários como Macinstosh e iPod. O sucesso foi tanto que outras 25 unidades abriram pelo país. Em 2004 inaugurava uma unidade em Londres, primeira loja no continente europeu. A loja mais espetacular foi inaugurada em 19 de maio de 2006 na badalada 5ª Avenida no coração de Nova York. Como toda criação da empresa, a loja, que custou aproximadamente US$ 9 milhões, tinha visual inovador. Sua entrada era situada em um cubo de vidro de quase 10 metros de altura, decorado com a imagem prateada da maçã, o que lhe rendeu o apelido de “Cubo de Stebe Jobs”.

Inteiramente montada no subterrâneo de Manhattan – eram mais de 2.000 m² construídos no subsolo – oferecia mais de 100 computadores Macintosh e 200 iPods para serem experimentados antes da compra, bem como o maior sortimento de acessórios dentre todas as suas lojas no mundo.

Com cerca de 300 funcionários, a loja possuía também a maior das equipes de atendimento, com Mac Specialists, Mac Geniuses e Mac Creatives para oferecer suporte pessoal, orientação e trabalho em projetos criativos gratuitamente a qualquer hora do dia ou da noite, já que a loja funciona 24 horas por dia. O sucesso dessas lojas se espalhou pelo mundo, chegando ao Canadá, ao Japão, a Itália, Ao Reino Unido, a China e a Alemanha. Atualmente a rede conta com mais de 320 unidades em 11 países e, em 2010, superou os US$ 12 bilhões em faturamento. A empresa não utiliza o termo “flagship” para suas lojas, prefere chamá-las “Significant Stores”, algo como lojas importantes.

Infinite Loop

A sede da APPLE está localizada em Cupertino, mais ou menos 70 km de São Francisco, em pleno Vale do Silício (Silicon Valley para os íntimos), no endereço mais famoso da cidade: 1, Infinity Loop Driveway.

A cidade é basicamente a própria APPLE.

O enorme campus, com 79.000 m2, é formado por seis prédios baixos com seus vidros verdes como uma universidade. Todos os prédios da rua pertencem à empresa, e cada um possui um número de um dígito como endereço, sendo o endereço oficial da APPLE 1 Infinite Loop. Infelizmente, a sede é um dos locais mais bem guardados da cidade, impedindo visitas ou tours programados.

O consolo para os fãs é a completa loja da APPLE, onde se pode encontrar diversos produtos com o logotipo da marca (é a única loja que vende estes produtos), além de computadores, iPods, iPhones, iPads e acessórios.

Think Diffrent

A APPLE, que iniciou na década de 70 a revolução dos computadores pessoais, vinha perdendo grande parte desse mercado nos últimos anos. Com uma série de produtos inovadores, e campanhas publicitárias geniais, a empresa começou a recuperar parte do mercado que havia perdido. Em 28 de setembro de 1997 durante a pré-estréia do filme “Toy Story”, foi apresentada a campanha Think Different (“Pense Diferente”). Com peças impressas, mídia externa (outdoors, pinturas de parede, tetos de ônibus e pôsteres), e um comercial de televisão de 1 minuto, a campanha celebrava figuras históricas que mudaram o mundo por pensarem de maneira diferente como Albert Einstein, Mahatma Gandhi, Martin Luther King, Jr., Pablo Picasso, Maria Callas, Thomas Edson, Miles Davis, Jim Henson, Ted Turner, John Lenon & Yoko Ono, Frank Sinatra e Muhammad Ali, entre outros, exemplificando por que as pessoas deveriam ter um Macintosh. Uma homenagem a gênios criativos que nos servem de inspiração até os dias de hoje.

È uma versão reduzida do texto abaixo que o ator Richard Dreyfuss narrou no anúncio para televisão, enquanto cenas em preto e branco de gênios da história apareciam.

Aqui está para os loucos. Os desajustados. Os rebeldes. Os desordeiros. A rodada de estacas nos buracos quadrados.

Os que vêem as coisas não de maneira diferente. Eles “gostavam de regras. E eles não têm respeito pelo estatuto quo.Você pode elogiá-los, discordar deles, citá-los, desacreditá-los, glorificar ou caluniar-los.

Sobre a única coisa que você não pode fazer, é ignorá-los. Porque eles mudam as coisas.Eles inventam. Eles imaginam. Eles curam.Eles exploram. Que eles criam. Eles inspiram.

Eles empurram a raça humana para a frente. Talvez eles tenham de ser loucos.Como você pode olhar para uma tela vazia e ver uma obra de arte? Ou sentar em silêncio e ouvir uma música que não tenha sido escrito?

Ou, olhar para um planeta vermelho e ver um laboratório sobre rodas? Nós fazemos ferramentas para estes tipos de people. Enquanto alguns podem vê-los como loucos, nós o vemos genius.Porque aqueles que são loucos o suficiente para pensar que podem mudar o mundo, são os que o fazem.

A evolução visual

O logotipo original da APPLE, desenhado por Ron Wayne, mostrava Isaac Newton embaixo de uma macieira. O símbolo da empresa, dizem alguns, foi escolhido pois representava o senso de descoberta.

No logotipo original é possível ler a frase: “Newton…A mente para sempre Viajando através de mares estranhos do pensamento … sozinho”.

Devido a complexidade e dificuldade de ser reproduzido em vários tamanhos, Steve Jobs contratou Rob Janoff, em 1976, para redesenhar o logotipo. O resultado foi o surgimento do famoso logotipo representado por uma maçã colorida com uma mordida, que muitos acreditam estar relacionando a marca com a história bíblica de Adão e Eva ou até mesmo com o matemático Alan Turing, considerado o pai do computador, que cometeu suicídio comendo uma maçã que ele havia envenenado com cianeto. Em 1999, o logotipo assumiu várias cores para acompanhar as cores do iMac. O logotipo atual adotou uma cor cinza cromada, passando uma imagem de tecnologia e sobriedade.

Os slogans

1984: The computer for the rest of us.
1986: Changing the world — one person at a time.
1988: The power to be your best.
1997: Think different.
1998: iThink, therefore iMac.
2001: It’s the biggest thing to happen to Macintosh since the Macintosh. (OS X)
2001: Rip, mix, burn. (iTunes)
2002: Switch.
2004: 10,000 songs in your pocket. (iPod)
2004: From the creators of iPod. (iMac)
2010: This changes everything. Again. (iPhone 4)

O Gênio por trás da marca

Steven Paul Jobs é o garoto-propaganda dos sonhos de qualquer marketeiro. Ele personifica como poucos os conceitos de arrojo e genialidade. Tanto que Jobs é o responsável por anunciar pessoalmente cada lançamento da APPLE.

Considerado uma espécie de pop-star corporativo do mundo dos negócios, ele nasceu no dia 24 de fevereiro de 1955 em São Francisco, filho biológico de Joanne Carole Schieble e Syrian Abdulfattah John Jandali, e criado pelos pais adotivos, Paul e Clara Jobs. Não era um aluno aplicado, achava a escola chata e isolava-se freqüentemente dos colegas. Influenciado pela profissão do pai, mecânico de um laboratório de física, começou, desde muito novo, a se interessar por máquinas e pelo seu funcionamento. Embora tenha abandonado a universidade no primeiro ano, comparecia a palestras técnicas na lendária Hewlett-Packard. Foi nessa época, início dos anos 70, que iniciou a parceria com Steve Wozniak, seu amigo de colegial, com um capital de US$ 1.300. Porém com poucos recursos, tiveram de recorrer à garagem do pai de Jobs para instalar a sua pequena oficina. Para financiar os primeiros 50 circuitos do computador Apple I, ele teve que vender o seu carro Volkswagen e Wozniak a sua calculadora programável. Era o começo de um embrião que se chamaria APPLE.

Considerado o “Pai do Macintosh”, computador revolucionário que preconizou todos os futuros PCs depois de 1984, foi forçado a deixar a empresa, em 1985, pelo conselho de administração, e fundou a NeXT, uma empresa dedicada a soluções informáticas para a educação e o setor empresarial. Sua forte personalidade não deixou que ficasse quieto. Em 1986, comprou a divisão de animação gráfica da LucasFilm, e fundou a PIXAR ANIMATION STUDIOS, que anos mais tarde ficou famosa por uma nova linguagem de animação 3D para curtas e longas metragens.

Em 1996 retornou para a APPLE, que estava em uma situação financeira frágil.

Sob sua orientação, a APPLE aumentou suas vendas significativamente depois de inovações como o iMac, iPod e o iPhone. Para se ter uma idéia do que Steve Jobs é capaz de fazer, basta assistir ou acompanhar as palestras emblemáticas anuais (Keynotes), que ele comanda na MacWorld (feira oficial da APPLE), quando lança suas tão esperadas idéias, que nos últimos anos revolucionaram o mercado e a forma de como a sociedade se comunica.

Tais apresentações são marcadas pela sua maneira de se apresentar, sempre vestindo camisa preta, jeans e tênis New Balance modelo 991. Tudo muito “cool” como dizem os americanos. Cada vez que ele sobe ao palco com seu visual minimalista para anunciar um novo produto, o mundo para. Afinal, todos querem saber o que a mais inovadora empresa do mundo anda aprontando.

A APPLE não seria a mesma sem Steve Jobs.

Em 2006, a Walt Disney comprou a PIXAR e tornou Steve Jobs o maior acionista individual da empresa, onde ocupa também o cargo de conselheiro executivo.

A rivalidade dele com Bill Gates, presidente e dono da Microsoft, já é elemento cultural do setor.

Essa disputa pode ser conferida no filme produzido pelo canal de TV a cabo TNT, “Pirates of Silicon Valley”, que aborda a biografia deles e das suas empresas. Steve Jobs anunciou no dia 14 de janeiro de 2008 que estava se afastando da empresa por licença médica até o final de junho. O executivo disse, por e-mail, a funcionários da empresa que seus problemas de saúde são mais complexos do que ele pensava.

Steve Jobs também indicou a pessoa que assumiria os negócios durante sua licença: Tim Cook, atual diretor-chefe de operações da APPLE.

Mas, seu afastamento durou pouco e ele voltou para fazer novas apresentações revolucionárias como o iPad. No início de 2011 ele anunciou um novo afastamento temporário.

Dados corporativos

Origem: Estados Unidos
Fundação: 1 de abril de 1976
Fundador: Steve Jobs, Steve Wozniak e Ronald Wayne
Sede mundial: Cupertino, Califórnia (1 Infinity Loop)
Proprietário da marca: Apple Inc.
Capital aberto: Sim (1979)
Chairman & CEO: Steve Jobs
COO: Tim Cook
Faturamento: US$ 65.2 bilhões (2010)
Lucro: US$ 14 bilhões (2010)
Valor de mercado: US$ 314.5 bilhões (janeiro/2011)
Valor da marca: US$ 21.143 bilhões (2010)
Lojas: 323 (Apple Stores)
Presença global: + 125 países
Presença no Brasil: Sim
Funcionários: 49.400
Segmento: Eletrônicos
Principais produtos: iPod, iPhone, iTunes, iPad, iMac e Macbook
Ícones: Steve Jobs, Macintosh, a maçã e a Apple store New York
Slogan: Think Different.

O valor

Segundo a consultoria britânica Interbrand, somente a marca APPLE está avaliada em US$ 21.143 bilhões, ocupando a posição de número 17 no ranking das marcas mais valiosas do mundo. A empresa também ocupa a posição de número 56 no ranking da revista FORTUNE 500 (empresas de maior faturamento no mercado americano em 2010).

A marca no mundo

A mais criativa e inovadora empresa do mundo está presente em mais de 125 países, contando aproximadamente com 320 lojas próprias localizadas, em sua grande maioria, nos Estados Unidos, além de unidades na Inglaterra, Canadá, Japão, Itália, Austrália, China, Suíça, Alemanha, França e Espanha. Seu faturamento é de US$ 65.2 bilhões.

O sucesso da marca pode ser traduzido em números: O iTunes, oferecendo mais de 14 milhões de títulos musicais, 2.500 filmes, 3.000 programas de TV, 40.000 vídeo clipes, 20.000 audiobooks e mais de 1 milhão de podcasts, já vendeu mais de 10 bilhões de músicas, mais de 200 milhões de programas de TV e seriados, e 3 milhões de filmes, desde seu lançamento; o iPod, que detém aproximadamente 70% do mercado, já vendeu mais de 300 milhões de unidades desde seu lançamento; o iPhone já superou a marca de 45 milhões de aparelhos comercializados; as vendas nas Apple Stores, onde já passaram quase 300 milhões de pessoas, chegam a cifras superiores a US$ 12 bilhões anualmente.

A APPLE nunca foi tão rica e poderosa.

Você sabia?

O “i” encontrado na frente do nome de vários produtos da marca (iPod, iPhone, iMac) originalmente representava a “Internet” mas, passado algum tempo, adquiriu a conotação de pessoal, uma vez que “I”, em inglês, significa “eu”.

Embora atualmente a APPLE ainda detenha exíguos 4.5% do mercado mundial de computadores, analistas dizem que seu atual sistema operacional, MAC OS X, representa, pela primeira vez, uma ameaça real ao poderoso Windows da Microsoft.

Fonte: mundodasmarcas.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Fórceps

PUBLICIDADE Fórceps é um instrumento de metal com duas alças usadas especialmente em operações médicas …

Fake News

Fake News

PUBLICIDADE O que é fake news? A fake news (ou notícia falsa) é uma notícia que …

Grampo Cirúrgico

Grampo Cirúrgico

PUBLICIDADE Grampo Cirúrgico é um dos vários dispositivo cirúrgico usados para unir, prender, suportar ou …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+