Breaking News
Home / Curiosidades / História da Chanel

História da Chanel

PUBLICIDADE

Coco Chanel, pseudônimo de Gabrielle Chanel (Saumur, França, 19 de agosto de 1883 – Paris, 10 de janeiro de 1971), um era um designer de alta costura francesa fundador da marca Chanel. É o único designer de moda que está na lista das cem pessoas mais influentes do século XX da revista Tempo.

Ele foi um dos costureiros mais prolíficos na história e uma das mais inovadora durante a Primeira Guerra Mundial. Foi uma ruptura com a elegância opulenta e pouco prático da Belle Epoque e criou uma linha de roupas casuais, simples e confortável. Também se consolida como bolsas de grife, perfumes, chapéus e jóias. Sua fêmea famoso terno sob medida tweed aparadas tornou-se um ícone da elegância feminina, e seu perfume Chanel No. 5 é um produto conhecido em todo o mundo.

Criado em um orfanato dirigido por freiras, ela era conhecida por sua determinação, ambição e vitalidade que se aplicam a sua vida profissional e social. Ele alcançou o sucesso como empresário e destaque social na década de 1910, graças aos contatos que ofereceram seu trabalho. Altamente competitivo, a sua personalidade oportunista levou-a a tomar decisões contestadas que gerou controvérsia e danificou sua reputação, especialmente a sua posição durante a ocupação alemã da França na Segunda Guerra Mundial.

A guerra e sua ligação com um oficial nazista afetando seriamente a sua empresa e sua imagem, anunciando que a concorrência era responsável por espalhar. 5, no entanto, conseguiu reabrir seu negócio em 1954, 6 após o qual obteve um sucesso renovado, especialmente em Estados- Unidos eo Reino Unido, numa primeira fase, até sua morte em 1971

Uma Diva da Criação

Já havia sido dançarina de cabaré, mas acabaria por ser também acusada de colaborar com nazis. A vida de Coco Chanel foi exactamente como as suas criações: irreverentes e provocantes.

Nascida em 1883, numa pequena vila, em Saumur, Coco Chanel, de seu nome original Gabrielle Chasnel, começou por mostrar ao mundo os seus dotes numa loja de chapéus, situada numa pequena cidade do interior de França.

Era ela quem fazia os chapéus, mas foi conjuntamente a originalidade das suas roupas que se tornaria famosa em Paris, por altura da década de 20. Eliminou os espartilhos da sua concepção de vestuário, e foi ela a responsável pela introdução de calças na indumentária feminina e de vestidos demasiadamente curtos para a época.

Criando um estilo particular e mítico, a importância das suas criações foi de tal ordem que o seu nome é reconhecido e relembrado por todos os cantos do mundo. Sinónimo de elegância e inovação feminina, a marca Chanel é ainda hoje um dos ícones do universo da moda. Revolucionária por excelência, Coco Chanel era uma mulher de um estilo muito característico.

Usava o cabelo curto, como o dos homens, e foram muitas as mulheres que naquela época optariam por seguir esta nova vaga que a criadora havia instalado.

Uma verdadeira artista, chamaram-lhe alguns, uma devassa, chamaram-lhe outros. Pela primeira vez, por altura da Primeira Guerra Mundial, Coco Chanel utilizou tecidos quase nunca utilizáveis no mundo da moda, como o jersey. A partir deste, criaria vestidos práticos, que eram concebidos para serem usados sem o corpete.

A libertação feminina perfumava cada criação de Coco Chanel, e esse factor incomodou muitos homens da época que a consideravam uma influência nada positiva e imprópria para as mulheres daquele tempo.

De personalidade contraditória, difícil, sedutora, e irreverente, Coco Chanel entregou-se de corpo e alma ao mundo da moda a partir da criação de chapéus, roupas diversas, bolsas, bijuterias, penteados, perfumes. Tudo em prol da libertação e elegância da mulher! Órfã aos 6 anos e abandonada pelo pai, esteve durante algum tempo em orfanatos, e chegou mesmo a apresentar-se como dançarina em cabarés.

Mas, a sua vida foi sempre um envolver de mistérios ainda hoje por revelar. Sabe-se, contudo, que Coco Chanel tinha um enorme poder sobre os homens, seduzindo-os por completo. Era uma mulher envolvente que, possivelmente, seduzia os homens envolvendo-os nos seus famosos, longos, e característicos colares de pérolas.

Pouco antes dos anos 20, Coco Chanel criou os primeiros pijamas para senhora, e nos anos posteriores viria a administrar um salão em Paris. Foi este o salão novamente inaugurado em 1954, recorrendo a um símbolo característico das confecções de Chanel: um vestido em tweed debruado. À mulher, Coco Chanel daria a liberdade das formas, do corpo, o soltar das amarras das roupas que cobriam o seu corpo e que faziam com que ela não se conseguisse movimentar.

Coco Chanel foi um mito do seu tempo, e continua a ser uma referência entre nós. Karl Lagerfeld é o director de criação da marca Chanel desde 1983, tanto na alta costura como na gama prêt-à-porter, fazendo rejuvenescer as criações de Coco Chanel.

Mas, nem só de roupa vive o mundo desta mulher que revolucionou os anos 20. Lembremo-nos também do famoso perfume ‘Chanel nº5’, concebido em 1921, por Ernest Beaux. Consta-se que Coco Chanel lhe pediria para ele obter ‘um perfume de mulher com cheiro a mulher’. O resultado está à vista! Porquê o número 5? Dizia ela que era o seu número de sorte!

Coco Chanel conheceu muitas celebridades, e tinha como clientes outras tantas personalidades distintas daquela época: Marlene Dietrich, Ingrid Bergman, a princesa Grace ou Marilyn Monroe. A mulher que libertou outras tantas mulheres, e que deixou em enorme contributo ao mundo da moda, teve também momentos controversos.

Foi acusada de colaborar com os nazis por altura da segunda Guerra Mundial, e chegou mesmo a ser presa no fim da guerra. Como nunca foi provada a sua culpa, viria a ser libertada tempo depois.

A mulher que tantos idolatravam, e que tanta gente conseguia reunir à sua volta, acabou por falecer sozinha, depois de muitos casos amorosos, que não passaram disso mesmo. Faleceu em 1971, num quarto do hotel Ritz, completamente sozinha. Como Coco Chanel afirmou em tempos:

Eu criei um estilo para o mundo inteiro. Vê-se em todas as lojas ‘estilo Chanel’. Não há nada que se assemelhe. Sou escrava do meu estilo. Um estilo não sai da moda. Chanel não sai da moda.

E, nem ela mesma sonhava o quanto esta declaração podia ser verdadeira!

Décadas volvidas, a marca Chanel está aí para durar!

1883-1971

Gabrielle Bonheur Chanel, uma menina nascida em Saumur em França a 19 de Agosto de 1883, é, ainda hoje considerada uma referência de elegância, estilo e classe.

Coco Chanel, nome pelo qual ficou conhecida, tem nas suas origens, a história de uma família numerosa que cedo ficou privada da companhia da mãe, uma doméstica que faleceu ainda jovem e com 4 filhos menores. Seu pai, Albert Chanel, era caixeiro viajante, e com a morte da esposa viu-se forçado inscrever as duas filhas num colégio interno, enquanto os rapazes foram trabalhar para uma quinta.

Aos 16 anos, mudou-se para Paris onde teve o seu primeiro emprego na área do comércio. Foi bailarina e ainda tentou a sua sorte como actriz no cinema francês.

Aos 25 anos, Coco Chanel conhece o amor da sua vida, um milionário inglês Artur Capel, que a ajuda a realizar o sonho de abrir a sua primeira loja: uma loja de chapéus em Paris. Depressa a sua loja se tornou uma referência de elegância, bom gosto e sofisticação, à qual a Cidade Luz não ficou indiferente abrindo-lhe as portas da sociedade parisiense.

Uns anos mais tarde, e depois de ter perdido o seu grande amor, Coco Chanel abre a sua primeira loja de costura dedicando o seu tempo à criação de modelos originais. Roupa mais desportiva para praia e campo, foram as primeiras criações da estilista que criou as primeiras calças para mulher.

Este foi um passo decisivo na revolução da alta-costura feminina, que rapidamente aderiu ao estilo inovador, ousado, mas charmoso das calças à boca de sino, das malhas finas, das jaquetas curtas ou mesmo dos vestido negros.

No início dos anos 20, e depois de se apaixonar por um príncipe russo, Chanel destaca-se pela originalidade das suas criações para o folclore russo, chamando a atenção de alguns nomes do mundo das artes, tais como Picasso, Greta Garbo, entre outros.

O seu nome passou a ser uma referência de moda em todo o mundo, ao qual Hollywood, e as suas estrelas, não ficaram indiferentes. Um estilo muito próprio, criado à imagem da sua criadora, uma mulher independente, de sucesso e com personalidade que conquistou Jacqueline Kennedy, uma mulher referência no bom gosto, frequentemente capa de revista de moda e de sociedade.

Classe, elegância, qualidade, conforto e sensualidade estavam sempre presentes nas suas criações, que rapidamente se estendeu a outras áreas como os acessórios de moda e da perfumaria de onde se destaca a criação de um perfume numa associação ao seu número da sorte: o numero 5. Assim nasceu em 1936, o “Chanel 5”, o perfume mais vendido do mundo, um clássico de referência na perfumaria.

Coco Chanel, morreu em 1971 em Paris, com 88 anos de uma vida de glamour que marcou indiscutivelmente a história da moda e do mundo. Uma mulher de paixões, quer no campo pessoal quer no profissional onde criou um estilo para o mundo inteiro tornando-se um mito da moda que, como a própria um dia disse:

“(…) Chanel não sai de moda”.

Fonte: www.mulherportuguesa.com/www.pioneer-paper.com

Veja também

Labirinto

Labirinto

PUBLICIDADE Definição Um Labirinto complicada rede irregular de passagens ou caminhos nos quais é difícil encontrar o …

Necromancia

PUBLICIDADE Definição Necromancia é o ato de se comunicar com os mortos para descobrir o …

Cistoscópio

Cistoscópio

PUBLICIDADE Definição O Cistoscópio é um instrumento tubular de metal oco, equipado com uma luz, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.