Breaking News
Home / Curiosidades / História da Coca-Cola

História da Coca-Cola

Asa Candler, fundador da Coca-Cola Company

PUBLICIDADE

Asa Griggs Candler, fundador da Coca-Cola Company, foi também um promotor imobiliário e banqueiro e famoso por sua filantropia.

Nascido em 1851 como um dos onze filhos de um próspero comerciante e plantador, Candler foi criado com fortes crenças religiosas e éticas de trabalho da empresa.

Candler tornou-se um bem sucedido fabricante de medicamentos patenteados, e em 1888 ele comprou os Coca-Cola direitos de produção do fundador John Pemberton.

Ele imediatamente percebeu o potencial de negócio da Coca-Cola e adquiriu a propriedade completa do negócio Coca-Cola para 2.300 dólares por 1891.

Ele mudou a fórmula várias vezes para melhorar o sabor, melhorar a vida de prateleira e segurar ele tinha um produto único, porque várias pessoas tiveram conhecida fórmula original de Pemberton.

Dentro de quatro anos, dom de merchandising de Candler ajudou a expandir o consumo de Coca-Cola para todos os cantos dos Estados Unidos.

Usando métodos de publicidade e de distribuição inovadores, Candler comercializado este novo produto não mais como uma medicina, mas como um refrigerante.

Em 1908, o script Coca-Cola tinha sido espalhados por 2,5 milhões de metros quadrados de paredes e janelas exibidas 10.000 sinais Coca-Cola.

Até 1899, a Coca-Cola foi vendido apenas como uma bebida em cima do balcão. Dúbio sobre embalagem portátil, Candler vendeu os direitos de engarrafamento em 1899 por um dólar. As duas primeiras unidades de engarrafamento foram localizados em Chattanooga e Atlanta.

O sucesso das operações foi rapidamente percebeu e em 1929, 27 países tinham instalações de engarrafamento. Em 1916 introdução na garrafa um contorno patenteado feito Coca-Cola instantaneamente reconhecível de imitadores de paladar, visão e tato.

No dia de Natal de 1917, Candler decidiu dar a Coca Cola Company para seus filhos. O filho mais velho de Asa Howard assumiu o controle total sobre a Coca-Cola, e seus irmãos e irmãs levou assentos no conselho. Em 1919, a família Candler vendeu a Coca-Cola Company para Ernest Woodruff.


Marca mundialmente conhecida da Coca-Cola

Coca-Cola é um refrigerante de noz-de-cola vendido em mais de 140 países. É produzida pela The Coca-Cola Company, que também é ocasionalmente referida como Coca-Cola ou Coke. É a marca mais conhecida e vendida do mundo. A maior concorrente da Coca-Cola é a Pepsi. Além de “Coca-Cola”, o refrigerante recebe os nomes de “Coca”, “Coke” ou apenas “Cola” dependendo de cada país ou região.

Criada pelo farmacêutico John Pemberton em 1886 e originalmente produzida como um remédio patenteado, a Coca-Cola alterou sua fórmula original e gradativamente conquistou novos mercados. Um dos responsáveis pelos sucesso da Coca-Cola Company foi o empresário Asa Griggs Candler, cujas táticas agressivas de marketing levaram a empresa a conquistar largas fatias do mercado de refrigerantes no mundo, a partir do século XX até os dias atuais.

A The Coca-Cola Company enfrenta acusações de que a Coca-Cola traria efeitos colaterais perversos na saúde de consumidores, não havendo comprovação científica ou consenso sobre o assunto. Há também acusações de práticas monopolistas por parte da multinacional.

História


O museu World of Coca-Cola em Las Vegas (Estados Unidos) mostra memorábilia de várias décadas e oferece amostras de refrigerante de vários lugares do mundo

A bebida Coca-Cola foi desenvolvida a partir da fórmula de um remédio, calmante para tosse, dosado pelo farmacêutico John Styth Pemberton em 1886 em Columbus, no estado da Geórgia, EUA. Recebeu originalmente o nome de Pemberton´s French Wine Coca. Ele foi inspirado pelo sucesso formidável de um produto similar europeu de Angelo Mariani chamado Vin Mariani.

A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca, originalmente da Colômbia – País da América do Sul. A bebida também recebeu seu sabor de noz de cola. Hoje, o estimulante foi alterado para cafeína, mas o sabor ainda é feito através de noz de cola e folha de coca. A cocaína foi removida das folhas e a bebida não contém traços da droga. Era vendida originalmente como remédio por cinco cents o copo. Depois foi relançada como bebida leve. As primeiras vendas foram feitas na Farmácia de Jacob na cidade de Atlanta, em 8 de maio de 1886, e pelos primeiros oito meses apenas nove bebidas eram vendidas durante o dia todo. Pemberton anunciou a bebida pela primeira vez em 29 de maio do mesmo ano no Atlanta Journal.

A princípio, o concentrado era embalado em pequenos barris de madeira, na cor vermelha. Por isso, o vermelho foi adotado como cor oficial da bebida. Até 1915, uma pequena quantidade de cocaína estava entre os ingredientes do refrigerante.

Asa Griggs Candler comprou Pemberton e seus parceiros em 1887 e começou a realizar uma campanha agressiva de marketing do produto. A eficiência destes anúncios não seria percebida até muito tempo depois. Pela época de seu 50º aniversário, a bebida já tinha alcançado status de ícone nacional americano.

A Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 12 de março de 1894 e as primeiras latas de alumínio da Coca apareceram em 1955. O primeiro engarrafamento da Coca-Cola ocorreu em Vicksburg, Mississippi na Biedenharn Candy Company em 1891. Seu proprietário era Joseph A. Biedenharn. As garrafas originais eram garrafas Biedenharn, muito diferentes do visual atual de silhueta que as garrafas possuem. Asa Candler estava em dúvidas quanto ao engarrafamento da bebida, mas os dois empreendedores que propuseram a idéia foram tão persuasivos que Candler assinou um contrato dando-lhes controle total do procedimento. Porém o contrato tornar-se-ia ainda um problema por décadas para a companhia, devido aos seus termos um tanto falhos.

Quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial, os soldados americanos enviaram cartas para a Coca-Cola Company, pedindo que a bebida lhes fosse fornecida. Motivada com as cartas, a Coca-Cola desenvolveu “fábricas” móveis que foram enviadas para as frentes de batalha junto com técnicos da empresa, que garantiam a produção e a distribuição da bebida para os soldados. Apesar dos custos de produçao na frente de batalha serem elevados, a companhia decidiu arcar com os mesmos, numa tática de marketing, vendendo o refrigerante pelo mesmo preço praticado nos EUA. Tendo em vista a sua associação com os produtos americanos e os Estados Unidos, ela acabou exercendo o papel de um símbolo patriótico. A popularidade da bebida aumentou bastante após a guerra, quando os soldados voltaram fazendo propaganda do refrigerante. Então foi lançado um tipo de embalagem que vendia 6 garrafas de coca-cola (sixposts), a qual se tornou preferida das donas de casa americanas.

Hoje em dia, são vendidas cerca de 40 mil latinhas e garrafas de Coca-Cola por segundo nos Estados Unidos. O produto é vendido em mais de 140 países.

Fórmula da Coca-Cola

A fórmula da coca-cola, para fins nutricionais é a que segue abaixo:

Informação nutricional de Coca-Cola
Porção de:
200ml (1 copo)
Quantidade por porção VD%
Valor Energético 85kcal = 361kJ 4
Sódio 10mg

A matéria-prima da Coca-Cola refrescos, é um segredo industrial protegido por várias patentes. A cópia dessa fórmula é guardada no cofre principal do SunTrust Bank em Atlanta. Seu predecessor, a Trust Company, supervisionou a oferta pública inicial em 1919 da Coca-Cola Company.

Uma lenda urbana diz que apenas dois executivos têm acesso à fórmula, com cada um deles tendo acesso a apenas metade da fórmula. De fato, a Coca-Cola possui uma regra restringindo o acesso a apenas dois executivos, cada um sabendo a fórmula completa e outros, além da dupla descrita, conhecem o processo de formulação.

Publicidade e a Coca-Cola

Embora os brasileiros não tenham notado a Coca-Cola Refrescos S/A foi uma das empresas estrangeiras mais inovadora em anuncios além dos vários já conhecidos “slogans” em seus anúncios na sua longa história, incluindo “A pausa que refresca”, “Gostaria de comprar uma Coca para o mundo”, “Isso é que é”, “Coca-Cola é isso aí”, “Coca-Cola dá mais vida a tudo…”, “Tudo vai melhor com Coca-Cola”, “Emoção pra valer”, além das mais recentes: “Essa é a real”, “Tudo de vibe” e as últimas lançadas “Viva o que é bom.” e “Viva o lado Coca-Cola da Vida”.

Também é sobejamente conhecida a frase “Sempre Coca-Cola”, assim como, em Portugal, o famoso slogan criado pelo poeta Fernando Pessoa: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se!” dessa última frase foi inspirada no modelo de propaganda direta com o consumidor elaborado pela empresa, quando distribuiu direta e gratuitamente, conforme o número de pessoas de cada lar brasileiro, unidades do saboroso refrigerante coca-cola.

Onipresença dos anúncios

Os anúncios da Coca foram sempre muito penetrantes e influentes, já que um dos objetivos de Woodruff era assegurar que todo mundo na Terra bebesse Coca-Cola como sua bebida preferida. Em alguns lugares, anúncios da Coca-Cola são quase onipresentes, especialmente em áreas mais ao sul da América do Norte, como em Atlanta, onde a Coca surgiu. Os Jogos Olímpicos de Verão de 1996 foram em Atlanta, e como resultado, a Coca-Cola recebeu publicidade gratuita. A Coca-Cola também foi a primeira patrocinadora dos Jogos Olímpicos, nos Jogos de 1928 em Amsterdã.

Compra da Columbia Pictures

Numa tentativa de aumentar seu portfólio, a Coca-Cola comprou a Columbia Pictures em 1982. A Columbia ofereceu publicidade para produtos da Coca em seus filmes enquanto esteve sob comando da empresa, mas depois de alguns sucessos, a Columbia começou a ir mal nas finanças, e foi largada pela companhia em 1989.

Coca-Cola vs. Papai Noel

A publicidade da Coca-Cola tem tido um impacto significativo na divulgação da cultura norte-americana, sendo freqüentemente creditada à bebida a “invenção” da imagem moderna do Papai Noel como um homem idoso em roupas vermelhas e brancas, justamente as cores da Coca-Cola. Apesar disso, a companhia começou a promover esta imagem de Papai Noel somente na década de 1930, nas suas campanhas de inverno; mas usar esta imagem de Papai Noel já era comum antes disso.

Na década de 1970, uma canção de um comercial da Coca-Cola chamado “I´d Like to Teach the World to Sing (eu gostaria de ensinar o mundo a cantar)”, produzida por Billy Davis, tornou-se uma música popular de sucesso, mas não há evidências de que tenha, de fato, ajudado a aumentar as vendas do produto.


Líquido negro (ou cor de caramelo escuro) semi-transparente caracterísitico da bebida em sua garrafa mais famosa

Slogans

No Brasil

1942: “A pausa que refresca”
1952: “Isto faz um bem”
1957: “Signo de bom gosto”
1960: “Coca-Cola refresca melhor”
1964: “Tudo vai melhor com Coca-Cola”
1970: “Isso é que é”
1976: “Coca-Cola dá mais vida”
1979: “Abra um sorriso. Coca-Cola dá mais vida.”
1982: “Coca-Cola é isso aí”
1988: “Emoção pra valer!”
1993: “Sempre Coca-Cola”
2000: “Curta”
2001: “Gostoso é viver”
2003: “Essa é a real”
2004: “Viva o que é bom”
2006: “O lado Coca-Cola da vida”
2007: “Viva o lado Coca-Cola da música”
2008: “Cada gota vale a pena”

Fonte: www.centraldecomida.com

História da Coca-Cola

Coca-Cola, ocasionalmente referida como simplesmente Coca ou Cola (ou com seu apelido em inglês, Coke) é um refrigerante de noz-de-cola vendido em mais de 140 países. Produzida pela The Coca-Cola Company, é a marca mais conhecida e vendida do mundo.

Sua maior concorrente é a Pepsi.

Criada pelo farmacêutico John Pemberton em 1886 e originalmente produzida como um remédio patenteado, a Coca-Cola alterou sua fórmula original e gradativamente conquistou novos mercados. Um dos responsáveis pelos sucesso da Coca-Cola Company foi o empresário Asa Griggs Candler, cujas táticas agressivas de marketing levaram a empresa a conquistar largas fatias do mercado de refrigerantes no mundo, a partir do século XX até os dias atuais.

A Coca-Cola Company enfrenta acusações de que a Coca-Cola traria efeitos colaterais perversos na saúde de consumidores, não havendo comprovação científica ou consenso sobre o assunto. Há também acusações de práticas monopolistas por parte da multinacional. Durante as comemorações do 4 de julho de cada ano, o hábito de beber Coca-Cola é um ato simbólico de pró-americanismo, ou seja, de sentimento de aprovação da política e do modo de vida dos Estados Unidos da América por pessoas de outros países.

A bebida Coca-Cola foi desenvolvida a partir da fórmula de um remédio, tônico para os nervos, dosado pelo farmacêutico John Styth Pemberton em 1886 em Columbus, no estado da Geórgia, EUA.

Recebeu originalmente o nome de Pemberton’s French Wine Coca. Ele foi inspirado pelo sucesso formidável de um produto similar europeu de Angelo Mariani chamado Vin Mariani.

A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca, originalmente da Colômbia.

A bebida também recebeu seu sabor de noz de cola.

Hoje, o estimulante foi alterado para cafeína, mas o sabor ainda é feito através de noz de cola e folha de coca. A cocaína foi removida das folhas e a bebida não contém traços da droga. Era vendida originalmente como remédio por cinco cents o copo.

Depois foi relançada como bebida leve. As primeiras vendas foram feitas na Farmácia de Jacob na cidade de Atlanta, em 8 de maio de 1886, e pelos primeiros oito meses apenas nove bebidas eram vendidas durante o dia todo. Pemberton anunciou a bebida pela primeira vez em 29 de maio do mesmo ano no Atlanta Journal.

A princípio, o concentrado era embalado em pequenos barris de madeira, na cor vermelha. Por isso, o vermelho foi adotado como cor oficial da bebida.

Até 1915, uma pequena quantidade de cocaína estava entre os ingredientes do refrigerante.

Asa Griggs Candler comprou Pemberton e seus parceiros em 1887 e começou a realizar uma campanha agressiva de marketing do produto.

A eficiência destes anúncios não seria percebida até muito tempo depois. Pela época de seu 50º aniversário, a bebida já tinha alcançado status de ícone nacional americano.

A Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 12 de março de 1894 e as primeiras latas de alumínio da Coca apareceram em 1955.

O primeiro engarrafamento da Coca-Cola ocorreu em Vicksburg, Mississippi na Biedenharn Candy Company em 1891. Seu proprietário era Joseph A. Biedenharn.

As garrafas originais eram garrafas Biedenharn, muito diferentes do visual atual de silhueta que as garrafas possuem.

Asa Candler estava em dúvidas quanto ao engarrafamento da bebida, mas os dois empreendedores que propuseram a idéia foram tão persuasivos que Candler assinou um contrato dando-lhes controle total do procedimento. Porém o contrato tornar-se-ia ainda um problema por décadas para a companhia, devido aos seus termos um tanto falhos.

Quando os Estados Unidos entraram na Segunda Guerra Mundial, os soldados americanos enviaram cartas para a Coca-Cola Company, pedindo que a bebida lhes fosse fornecida. Motivada com as cartas, a Coca-Cola desenvolveu “fábricas” móveis que foram enviadas para as frentes de batalha junto com técnicos da empresa, que garantiam a produção e a distribuição da bebida para os soldados. Apesar dos custos de produção na frente de batalha serem elevados, a companhia decidiu arcar com os mesmos, numa tática de marketing, vendendo o refrigerante pelo mesmo preço praticado nos EUA. Tendo em vista a sua associação com os produtos americanos e os Estados Unidos, ela acabou exercendo o papel de um símbolo patriótico. A popularidade da bebida aumentou bastante após a guerra, quando os soldados voltaram fazendo propaganda do refrigerante. Então foi lançado um tipo de embalagem que vendia 6 garrafas de coca-cola (sixposts), a qual se tornou preferida das donas de casa americanas. Hoje em dia, são vendidas cerca de 40 mil latinhas e garrafas de Coca-Cola por segundo nos Estados Unidos. O produto é vendido em mais de 140 países.

Fórmula da Coca-Cola

A fórmula da coca-cola, para fins nutricionais é a que segue ao lado, no entanto a fórmula exata do xarope,a matéria-prima da Coca-Cola refrescos, é um segredo industrial protegido por várias patentes.

A cópia dessa fórmula é guardada no cofre principal do SunTrust Bank em Atlanta. Seu predecessor, a Trust Company, supervisionou a oferta pública inicial em 1919 da Coca-Cola Company. Uma lenda urbana diz que apenas dois executivos têm acesso à fórmula, com cada um deles tendo acesso a apenas metade da fórmula. De fato, a Coca-Cola possui uma regra restringindo o acesso a apenas dois executivos, cada um sabendo a fórmula completa e outros, além da dupla descrita, conhecem o processo de formulação.

Controvérsia sobre o uso de folha de coca: Apesar de a Coca-Cola Company negar há muito tempo, a agência antidrogas peruana, DEVIDA, disse que a companhia compra 115 toneladas de folha de coca do Peru e 105 toneladas da Bolívia por ano, para usar como ingrediente em sua fórmula secreta.

Recentemente, na Bolívia, o presidente Evo Morales afirmou que a Coca-Cola usa a produção de coca na fabricação do refrigerante.No Brasil, já há alguns anos a fabricante de refrigerantes Dolly vem brigando na justiça pela cassação do registro da Coca-Cola junto ao Ministério da Agricultura e recentemente um laudo do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal brasileira concluiu que a Coca-Cola usa folhas de coca como matéria-prima na fabricação do extrato vegetal (também chamado de mercadoria nº 05).

O referido laudo diz o seguinte: …segundo os dados publicados na literatura científica […] as folhas de coca provenientes do vegetal cientificamente denominado Erytroxylum novagranatense, variedade truxillensi, cultivada no Peru, são utilizadas como matéria-prima na fabricação do extrato vegetal a partir do qual é fabricado o refrigerante Coca-Cola.

Publicidade e a Coca-Cola

A The Coca-Cola Company é uma das empresas estrangeiras mais inovadoras em anúncios. Além dos vários já conhecidos “slogans” em seus anúncios na sua longa história, incluindo “A pausa que refresca”, “Gostaria de comprar uma Coca para o mundo”, “Isso é que é”, “Coca-Cola é isso aí”, “Coca-Cola dá mais vida a tudo…”, “Tudo vai melhor com Coca-Cola”, “Emoção pra valer”, além das mais recentes: “Essa é a real”, “Tudo de vibe” e as últimas lançadas “Viva o que é bom.” e “Viva o lado Coca-Cola da Vida”.

Também é sobejamente conhecida a frase “Sempre Coca-Cola”, assim como, em Portugal, o famoso slogan criado pelo poeta Fernando Pessoa: “Primeiro estranha-se, depois entranha-se!” dessa última frase foi inspirada no modelo de propaganda direta com o consumidor elaborado pela empresa, quando distribuiu direta e gratuitamente, conforme o número de pessoas de cada lar brasileiro, unidades do refrigerante Coca-Cola.

Onipresença dos anúncios

Os anúncios da Coca foram sempre muito penetrantes e influentes, já que um dos objetivos de Woodruff era assegurar que todo mundo na Terra bebesse Coca-Cola como sua bebida preferida. Em alguns lugares, anúncios da Coca-Cola são quase onipresentes, especialmente em áreas mais ao sul da América do Norte, como em Atlanta, onde a Coca surgiu. Os Jogos Olímpicos de Verão de 1996 foram em Atlanta, e como resultado, a Coca-Cola recebeu publicidade gratuita. A Coca-Cola também foi a primeira patrocinadora dos Jogos Olímpicos, nos Jogos de 1928 em Amsterdã.

Compra da Columbia Pictures

Numa tentativa de aumentar seu portfólio, a Coca-Cola comprou a Columbia Pictures em 1982. A Columbia ofereceu publicidade para produtos da Coca em seus filmes enquanto esteve sob comando da empresa, mas depois de alguns sucessos, a Columbia começou a ir mal nas finanças, e foi largada pela companhia em 1989. A publicidade da Coca-Cola tem tido um impacto significativo na divulgação da cultura norte-americana, sendo freqüentemente creditada à bebida a “invenção” da imagem moderna do Papai Noel ou Pai Natal como um homem idoso em roupas vermelhas e brancas, justamente as cores da Coca-Cola. Apesar disso, a companhia começou a promover esta imagem de Papai Noel somente na década de 1930, nas suas campanhas de inverno; mas usar esta imagem de Papai Noel já era comum antes disso. Na década de 1970, uma canção de um comercial da Coca-Cola chamado “I’d Like to Teach the World to Sing (eu gostaria de ensinar o mundo a cantar)”, produzida por Billy Davis, tornou-se uma música popular de sucesso, mas não há evidências de que tenha, de fato, ajudado a aumentar as vendas do produto.

Uso de crianças em propagandas

A Coca-Cola tem a política de evitar usar crianças menores de 12 anos de idade em suas propagandas, como resultado de um processo no início do século XX que alegou que a cafeína da Coca era perigosa para crianças. Apesar disso, mais recentemente, isto não fez a companhia parar de ter como público-alvo jovens consumidores. Além disso, não ficou claro que a Coca-cola é segura para o consumo de jovens e crianças ou até mesmo para mães grávidas.

Guerra das colas

Durante a década de 1980, a Pepsi-Cola realizou uma série de anúncios televisivos mostrando pessoas que participaram em testes de gosto na qual expressaram sua preferência pela Pepsi em relação à Coca. A Coca-Cola também exibiu anúncios para combater os da Pepsi, num incidente às vezes chamado, no meio publicitário, de “a guerra da cola”. Um dos anúncios da Coca comparou o então chamado “desafio Pepsi” a dois chimpanzés decidindo que bola de tênis tinha mais tecido. Após isso, a Coca-Cola manteve sua liderança no mercado global de refrigerantes, embora a Pepsi tenha conseguido conquistar brevemente alguns mercados regionais.

Polêmicas e controvérsias

Controvérsia sobre acidez: A Coca-Cola vem sendo alvo de acusações, principalmente pelo seu suposto grande nível de ácido (seu valor pH é 2.5, entre vinagre e suco gástrico, resultando em que, devido a essa grande acidez, não seria recomendável ingerir o refrigerante durante as refeições). Alguns fatos pitorescos e não-comprovados são alegados para ilustrar a acusação, como por exemplo, o de que a Coca poderia dissolver um dente de 24 a 48 horas ou desentupir um ralo. A empresa se defende afirmando que seu produto não é mais perigoso que outros refrigerantes, e que ele contém menos ácido cítrico do que uma laranja, havendo também evidências nesse sentido, apresentadas em inúmeros casos judiciais contra a Coca-Cola Company desde os anos 1920.

Controvérsia sobre danos à saúde a longo prazo: Líquido negro (ou cor de caramelo escuro) semi-transparente caracterísitico da bebida em sua garrafa mais famosa. Enquanto muitos nutricionistas acreditam que “refrigerantes e outras comidas ricas em calorias mas pobres em nutrientes podem encaixar-se numa boa dieta”, é um dito popular que bebidas como a Coca-Cola podem causar danos à saúde se consumidas em excesso, particularmente em crianças jovens, cujo consumo de refrigerante compete, ao invés de complementar, com uma dieta balanceada. Por outro lado, estudos mostraram que aqueles que bebem refrigerantes regularmente têm menos quantidade de cálcio (o que pode contribuir para a osteoporose), magnésio, ácido ascórbico, vitamina B2 e vitamina A. Não há informações disponíveis sobre a fonte financiadora de tais estudos. A bebida também foi criticada por usar ácido fosfórico[14] e cafeína. Muitas destas críticas foram desmentidas pela companhia como mitos urbanos.

Acusações extremas e lendas urbanas

Há ainda acusações mais extremas, sem qualquer embasamento científico, de que o produto causaria “risco à vida” devido à sua água carbonada, além de afirmações curiosas como a de que “alguém morreu uma vez numa competição de quem bebia mais Coca”. Há diversas lendas urbanas ou curiosidades folclóricas sobre a bebida, há a lenda obviamente falsa de que um prego imerso em Coca-Cola seria dissolvido, e outra que diz que a Coca-Cola já teria sido verde. As inúmeras lendas urbanas sobre a Coca-Cola fizeram páginas da Internet terem seções completamente dedicadas a isso.

Acusações da Dolly

O Caso Coca-Cola vs. Dolly diz respeito às acusações, feitas pelo presidente da Dolly, fabricante brasileira de refrigerantes, que alega ter sido ameaçado de morte por um ex-funcionário da Coca-Cola, mas que ainda prestava serviços empresa, uma vez que não queria vender a empresa para a Coca-Cola. Tudo foi filmado e o material está disponível no site da empresa Dolly. As denúncia feitas pelo presidente dos refrigerantes Dolly não param nas ameaças de morte.

Codonho acusa ainda a Coca-Cola de uma mega-operação de sonegação fiscal, que foi parcialmente reconhecida pela direção da multinacional.O caso ficou conhecido como “Operação Pan¬gaia” e envolveu cifras superiores a 10 milhões de reais. Graças à grande influência da Coca-Cola no mercado publicitário brasileiro, patrocinando inclusive a Seleção Brasileira de Futebol, a empresa conseguiu abafar o caso na maior parte dos grandes meios de comunicação no Brasil. A marca de refrigerantes está presente em todas as edições da Copa do Mundo desde a Copa de 1950, no Brasil. Duas décadas depois, a empresa intensificou sua presença no esporte ao tornar-se patrocinadora permanente da Fifa e oficial da Copa do Mundo, a partir da edição de 1978. O contrato mais recente, assinado no ano de 2005, tem validade até 2022.Redes de televisão como a Rede Globo, o Sistema Brasileiro de Televisão e a Rede Bandeirantes; revistas como a Veja e Época, bem como jornais como a Folha de São Paulo nem sequer citaram o escândalo; que certamente ocuparia a primeira página de qualquer grande jornal. O Estado de São Paulo chegou a citar o caso, mais precisamente na revista Consultor Jurídico.A revista Caros Amigos também dedicou uma reportagem sobre o tema, mas ainda assim não foi capa.Na televisão brasileira, apenas a Rede Record, além da RedeTV!, noticiou o caso brevemente.

Popularidade conforme o país

A Coca-Cola é a bebida mais vendida na maioria dos países, mas não em todos. Lugares como a Escócia, onde a bebida local Irn Bru , são líderes em vendas, e em Quebec e Ilha do Príncipe Eduardo, Canadá e na Argentina onde a Pepsi é a líder do mercado, fogem dessa regra. A Coca-Cola também é menos popular em países do Oriente Médio e Ásia, como os territórios palestinos e a Índia — por um lado devido ao sentimento anti-ocidental, por ser popular em Israel e por outro indispor de meios e condições para a industrialização. Mecca-Cola, uma marca “islamicamente correta”, virou sucesso no Oriente Médio há poucos anos.

Refrigerantes

Coca-Cola: ocasionalmente referida como simplesmente Coca ou Cola (ou com seu apelido em inglês, Coke) é um refrigerante de noz-de-cola vendido em mais de 140 países. Produzida pela The Coca-Cola Company, é a marca mais conhecida e vendida do mundo. Sua maior concorrente é a Pepsi. Criada pelo farmacêutico John Pemberton em 1886 e originalmente produzida como um remédio patenteado, a Coca-Cola alterou sua fórmula original e gradativamente conquistou novos mercados. Um dos responsáveis pelos sucesso da Coca-Cola Company foi o empresário Asa Griggs Candler, cujas táticas agressivas de marketing levaram a empresa a conquistar largas fatias do mercado de refrigerantes no mundo, a partir do século XX até os dias atuais.

A Coca-Cola Company enfrenta acusações de que a Coca-Cola traria efeitos colaterais perversos na saúde de consumidores, não havendo comprovação científica ou consenso sobre o assunto. Há também acusações de práticas monopolistas por parte da multinacional. Durante as comemorações do 4 de julho de cada ano, o hábito de beber Coca-Cola é um ato simbólico de pró-americanismo, ou seja, de sentimento de aprovação da política e do modo de vida dos Estados Unidos da América por pessoas de outros países.

Coca-Cola Zero ou simplesmente Coca Zero: é uma bebida dietética produzida pela companhia The Coca-Cola Company, tem o nome zero para ter a referência zero açúcar, com o slogan nos Estados Unidos são “zero calorias”, embora em outros países seja “zero açúcar”. No Brasil – assim como em mais de 55 países, incluindo o Canadá e alguns países da União Europeia – a Coca-Cola Zero contém ciclamato de sódio. Esta substância não é adicionada a Coca-Cola Zero nos Estados Unidos e México (onde é proibida). Na Venezuela, em 11 de junho de 2009, através do seu Ministro da Saúde, Jesús Mantilla, a comercialização de Coca-Cola Zero foi proibida com a justificativa de que um dos componentes da bebida poderia ser prejudicial a saúde

Fanta: é um sumo refrigerante vendido pela Coca-Cola Company. A marca Fanta foi lançada no mercado pela primeira vez na Alemanha na década de 1940 e hoje é vendida em 187 países. A Fanta foi criada pelo químico alemão Schetelig durante a Segunda Guerra Mundial, para a Coca-Cola da Alemanha, em Essen.

Devido às restrições do tempo de guerra, a fábrica alemão não obtinha dos Estados Unidos o xarope de base para a produção da Coca-Cola tradicional. O diretor da fábrica, Max Keith, precisava de um produto para manter a fábrica em produção e propôs um sabor a frutos quando analisou que matérias-primas estavam disponíveis. Com fibra de maçã remanescente da pressão para a fabricação de cidra e com um subproduto da fabricação do queijo, a Fanta foi criada e tornou-se logo popular. A Fanta alemã de origem tinha uma cor amarela e um sabor diferente do da hoje comercializada Fanta Laranja. O sabor variou durante o tempo da guerra, em função das frutas disponíveis.

No Japão, a Fanta já teve vários sabores limitados

Fanta Morango com Leite Condensado, Fanta Kiwi, Fanta Manga, Fanta Melão, Fanta Limão, Fanta Framboesa, Fanta Banana com Leite, Fanta Maçã, Fanta Mix de Frutas Vermelhas, Fanta Mix de Frutas, Fanta Pêssego, Fanta Uva Soda, Fanta Soda, Fanta Melão Cream Soda entre outros sabores

Sprite

É um refrigerante sabor limão produzido pela Coca-Cola Company. Começou com o nome de “Lithiated Lemon” em 1929 nos Estados Unidos, e depois chamada de Sprite em 1969. Ela foi competidora direta da 7 Up, uma bebida com sabor de limão produzida pela PepsiCo, mas com o passar da década de 60, a Sprite tomou a liderança das bebidas deste sabor. Utilizava garrafas na cor verde e atualmente mudou a cor para azul, com o slogan “As coisas como são”.Lançado no Brasil em 1984, Sprite é a segunda maior marca da Coca-Cola no mundo e líder absoluta no segmento limão no Brasil. Em 1992, o lançamento de Sprite Lima-Limão inovou com o lançamento de um novo sabor refrescante, que logo conquistou os consumidores. Em 2005, a família foi ampliada com o lançamento de Sprite Zero. Assim como a Coca-Cola, a Sprite não tem a sua fórmula revelada.

Já houve diversas bebidas com diversos sabores com a patente da Sprite, como

Sprite 3G (bebida energética competidora da Red Bull), Sprite on Fire, Sprite Duo (variação disponível na Espanha com menos gás e disponivel em garrafas de 1.5 l), entre outras. Apesar de todas essas variações, só a “Sprite Zero” e a “Sprite” Normal foram mantidas no mercado. O nome Sprite tem origem na literatura juvenil americana, onde significa um toque mágico associado aos conceitos de alegria, espontaneidade e prazer, bem característicos do público jovem e adolescente de 12 a 19 anos.

Guaraná Jesus

Guaraná Jesus é um refrigerante cor rosa com sabor adocicado, lembrando vagamente cravo e canela, devido a estes serem dois de seus, segundo a lenda, 17 ingredientes. Muito popular no estado do Maranhão. O Guaraná Jesus foi criado em 1920 pelo farmacêutico Jesus Norberto Gomes, em São Luís, Maranhão. O refrigerante foi criado acidentalmente quando Jesus tentou sintetizar o remédio que estava em voga no momento com uma máquina de gaseificação importada.

Os ingredientes são, até onde sabe-se, naturais. São extratos de guaraná, que contém cafeína, teofilina e teobromina, coletados em uma viagem que Jesus fez para a Amazônia. Ironicamente, Jesus Gomes era ateu e após agredir fisicamente um padre foi excomungado pela Igreja Católica.Por causa da popularidade na região, a Coca-Cola comprou a marca e seguiu a comercializá-la somente no estado do Maranhão, único lugar onde o guaraná é produzido.Tem como slogans oficiais “O Sonho Cor-de-Rosa”, “Abençoe sua sede!” e “Fé no estômago”.

Fonte: www.flogao.com.br

História da Coca-Cola

Em 1886, ano em que foi apresentada pela primeira vez ao público, na Jacob’s Pharmacy em Atlanta, nos Estados Unidos, a Coca-Cola conquistou a preferência do consumidor e inaugurou a trajetória de um grande sucesso mundial.

A Coca Cola é também referencia em marketing, ela criou a primeira garrafa de vidro, e logo fez uam com o formato conhecido até hoje. A idéia do presidente da empresa era de criar uma garrafa com um formato inesquecível, que se você visse a sombra dela, ou apenas um pedaço do vidro, você saberia que era uma garrafa da marca. então ele propôs um concuros, e o vencedor foi uma garrafa inspirada no formato da fruta Cacau, e logo foi adaptada para o formato de um corpo de uma mulher e assim está até os dias de hoje.

A empresa foi a primeiro multinacional a vender no mercado chinês.

A fórmula da Coca-Cola está guardada no cofre do banca Sun Trust, em Atlanta.

A Coca-Cola é a marca mais conhecida no mundo segundo a revista Business Week.

A publicidade da empresa é muito eficiente, por exemplo, foi ela que criou a imagem do Papai Noel barbudo, com gorro e roupa vermelha que conhecemos hoje, e também os sacos de presentes, em uma de suas campanhas de natal.

Hoje, a Coca-Cola Company está presente em mais de 200 países e responde por mais de 400 marcas de bebidas não-alcoólicas, entre estas, quatro das cinco marcas mais consumidas no planeta: Coca-Cola, Coca-Cola light, Fanta e Sprite.

O termo foi criado por Frank Robinson, contador e amigo de John Pemberton, esse último o inventor do refrigerante. Pemberton era farmacêutico, portanto sua intenção não era criar um refrigerante, mas sim uma espécie de tônico para combater a dor de cabeça. Sendo assim, é bem provável, mas não confirmado, que a primeira fórmula da bebida levasse folhas de coca em sua composição, além de noz de cola e caramelo. Por isso Robinson teria escolhido o nome Coca-Cola, composto pelas duas principais matérias-primas do refrigerante.

Mas por que incluir folha de coca na receita da bebida?

Simplesmente porque a folha de coca tem grande eficácia no tratamento de enjôo e dor de cabeça. Basta lembrar que muitos dos habitantes dos Andes mascam a folha para evitar o soroche, mal-estar causado pela altitude.

Outro motivo: na época do surgimento da bebida (1886) era comum o uso dos princípios ativos da folha de coca em remédios. Esses são dois dos argumentos que sustentam a possível inclusão dessa planta na fórmula original da Coca-Cola. Cabe lembrar, mais uma vez, que essa possível inclusão existiria apenas nas primeiras versões da bebida, quando ela ainda tinha fins medicinais.

Atualmente não há no refrigerante nenhum ingrediente relacionado à folha de coca. Na verdade, até mesmo essa informação de que algum dia a fórmula da bebida levou folha de coca é questionável. A própria Coca-Cola não assume. Existem os que dizem que só a noz de cola fazia parte da fórmula.

O termo “coca” teria sido inserido por Robinson simplesmente por ser sonoro e combinar com “cola”.

De qualquer forma, independente do nome ou da antiga composição, os números mostram o sucesso da marca: a cada dez segundos, 126 mil pessoas consomem um produto da The Coca-Cola Company.

Curiosidades de Sobremesa:

1 – O termo Coke é um apelido, algo como uma abreviatura da pronúncia em inglês da marca Coca-Cola.
2 –
O logotipo do refrigerante foi desenhado à mão pelo criador da marca, Frank Robinson.
3 –
Pemberton vendeu os direitos de comercialização da Coca-Cola cinco anos depois de criar a bebida. Quem comprou foi um empresário chamado Asa Griggs Candler. Muita gente diz que Pemberton fez besteira ao vender a fórmula. No entanto, quem entende do assunto, sabe que o sucesso não vem do sabor da bebida em si, mas sim do marketing. Por isso Candler é considerado o grande gênio por trás da Coca-Cola. Foram suas táticas agressivas de propaganda popularizaram a marca.
4 –
Mesmo assim, Candler não era infalível. Até 1894 a Coca-Cola era vendida somente em copos abertos de 237 mililitros, diretamente em pontos comerciais. Nesse mesmo ano um comerciante chamado Joseph Biedenharn propôs a Candler vender a bebida em garrafas. Candler achou que não faria sucesso e, cinco anos depois, vendeu os direitos de engarrafamento por apenas um dólar.
5 –
Após a morte de Candler, seus filhos venderam as fábricas para um grupo de empresários liderados por Ernest Woodruff. Cinco anos mais tarde o filho de Woodruff, Robert, assume a presidência da empresa. Também um gênio do marketing, assim como Candler, ele foi o responsável por popularizar a Coca-Cola no mundo todo.
6 –
Uma das táticas usadas por Woodruff era espalhar o logo da Coca-Cola por todos os eventos possíveis. Ele era adepto de um marketing incisivo. Em uma de suas campanhas, por exemplo, enviou representantes da empresa de porta em porta para instalar um abridor de garrafas de parede, tudo grátis.
7 –
Aliás, a chegada da Coca-Cola no Brasil tem a ver com essa ousadia de Robert Woodruff. Durante a Segunda Guerra Mundial, ele prometeu que todo soldado americano poderia comprar uma Coca-Cola pelo mesmo preço pago nos EUA (cinco centavos), independentemente de onde ele estivesse. Por isso, com a instalação da base americana em Recife, na mesma época, a bebida chegou ao Brasil para fazer valer a palavra de Woodruff.
8 –
O primeiro slogan da marca no Brasil foi “Coca-Cola borbulhante, refrescante, 10 tostões”.
9 –
Coca-Cola faz mal? Desentope pia? Derrete um prego? Nada disso jamais foi provado.
10 –
A Sprite foi o segundo refrigerante lançado pela marca, 75 anos depois de sua fundação

Fonte: www.drsa.com.br

História da Coca-Cola

A origem da Coca-Cola

A bebida Coca-Cola foi desenvolvida a partir da fórmula de um remédio, tônico para os nervos, dosado pelo farmacêutico John Styth Pemberton em 1886 em Columbus, no estado da Geórgia, EUA. Recebeu originalmente o nome de Pemberton’s French Wine Coca. Ele foi inspirado pelo sucesso formidável de um produto similar europeu de Angelo Mariani chamado Vin Mariani.

A bebida recebeu o nome de Coca-Cola porque originalmente o estimulante misturado na bebida era cocaína, que vem das folhas de coca, originalmente da Colômbia. A bebida também recebeu seu sabor de noz de cola. Hoje, o estimulante foi alterado para cafeína, mas o sabor ainda é feito através de noz de cola e folha de coca. A cocaína foi removida das folhas e a bebida não contém traços da droga. Era vendida originalmente como remédio por cinco cents o copo.

Depois foi relançada como bebida leve. As primeiras vendas foram feitas na Farmácia de Jacob na cidade de Atlanta, em 8 de maio de 1886, e pelos primeiros oito meses apenas nove bebidas eram vendidas durante o dia todo. Pemberton anunciou a bebida pela primeira vez em 29 de maio de 1900.

A princípio, o concentrado era embalado em pequenos barris de madeira, na cor vermelha.

Por isso, o vermelho foi adotado como cor oficial da bebida. Até 1915, uma pequena quantidade de cocaína estava entre os ingredientes do refrigerante.

Asa Griggs Candler comprou Pemberton e seus parceiros em 1887 e começou a realizar uma campanha agressiva de marketing do produto. A eficiência destes anúncios não seria percebida até muito tempo depois. Pela época de seu 50º aniversário, a bebida já tinha alcançado status de ícone nacional americano.

A Coca-Cola foi vendida em garrafas pela primeira vez em 12 de março de 1894 e as primeiras latas de alumínio da Coca apareceram em 1955.

O primeiro engarrafamento da Coca-Cola ocorreu em Vicksburg, Mississippi na Biedenharn Candy Company em 1891.

Seu proprietário era Joseph A. Biedenharn. As garrafas originais eram garrafas Biedenharn, muito diferentes do visual atual de silhueta que as garrafas possuem. Asa Candler estava em dúvidas quanto ao engarrafamento da bebida, mas os dois empreendedores que propuseram a idéia foram tão persuasivos que Candler assinou um contrato dando-lhes controle total do procedimento. Porém o contrato tornar-se-ia ainda um problema por décadas para a companhia, devido aos seus termos um tanto falhos.

Referência

Farias, R. F. Para gostar de ler a História da Química. Vol. 2. Campinas: Editora Átomo

Fonte: www.cq.ufam.edu.br

História da Coca-Cola

A HISTÓRIA DA COCA-COLA NO MUNDO

1886 – 1892

Em 1886, enquanto a Estátua da Liberdade é erguida em Nova Iorque, John Pemberton, um farmacêutico de Atlanta, cria uma bebida que se tornaria outro grande símbolo americano. Assim como outros inventos que entraram para a história, a criação de Pemberton é motivada pela curiosidade.

O farmacêutico, que adorava manipular fórmulas medicinais, ao pesquisar a cura para dores de cabeça faz uma mistura líquida de cor caramelo.

Leva a mistura para uma farmácia, a Jacobs Pharmacy, onde o xarope, misturado água carbonatada (gasosa), é oferecido aos clientes, que consideram a bebida muito especial.

A farmácia coloca o copo do produto à venda por US$ 0,05. Frank Robinson, contador de Pemberton, batiza a bebida de Coca-Cola, escrevendo o nome em sua própria caligrafia.

Desde então, o nome Coca-Cola é escrito da mesma maneira.

E a data oficial de nascimento da Coca-Cola fica sendo 8 de maio de 1886 – data em que foi lançada na Jacobs Pharmacy.

Nos primeiros anos são vendidos aproximadamente 9 copos (237 ml) de Coca-Cola por dia. Um século depois, a empresa The Coca-Cola Company já havia produzido mais de 38 bilhões de litros apenas do xarope. Infelizmente, Pemberton era mais um inventor do que homem de negócios.

Sem ter idéia de que inventara um produto que viria a ser um sucesso mundial, em 1891, ele vende a empresa para Asa Griggs Candler, por aproximadamente US$ 2.300,00. Candler torna-se o primeiro presidente da companhia e o primeiro a dar real visibilidade ao negócio e à marca.

1893 – 1904

Asa Candler, um vendedor nato, transforma a Coca-Cola, de uma simples invenção, em um grande negócio.

Ele acha formas criativas e brilhantes de apresentar a nova bebida: distribui cupons para incentivar as pessoas a experimentarem o produto e abastece os farmacêuticos com relógios, balanças e calendários com a marca Coca-Cola.

A promoção agressiva funciona: a marca Coca-Cola está em todos os lugares. Até 1895, Candler já havia construído fábricas em Chicago, Dallas e Los Angeles.

A popularidade do refrigerante exige novas formas de apresentação que permitam a mais pessoas apreciá-lo. Em 1894, Joseph Biedenharn, um comerciante do Mississipi, coloca a bebida em garrafa e a oferece a Candler, que não fica muito entusiasmado com a novidade. Apesar de ser um homem de negócios inovador e brilhante, ele não podia imaginar, na época, que o segredo do sucesso da Coca-Cola estaria em garrafas portáteis que os consumidores pudessem levar a qualquer lugar. Tanto que cinco anos depois, em 1899, por apenas um dólar – U$ 1,00 – vende os direitos de exclusividade para engarrafar e comercializar a bebida aos advogados Benjamin F. Thomas e Joseph B. Whitehead.

1905 – 1918

A imitação pode ser a forma mais explícita de se demonstrar admiração.

Mas a Coca-Cola Company não fica satisfeita com a proliferação de bebidas similares à sua, na esteira do sucesso de seu refrigerante.

É um grande produto e uma grande marca: devem ser protegidos. São elaboradas propagandas dando ênfase à autenticidade da Coca-Cola, sugerindo aos consumidores que exijam o legítimo e não aceitem nenhum substituto. A empresa também decide criar um novo formato de garrafa para dar aos consumidores maiores garantias de estarem tomando a Coca-Cola original. Em 1916, a Root Glass Company, uma empresa de Indiana, inicia a fabricação da famosa garrafa contour que, em 1961 ganharia a condição legal de “marca registrada” exclusiva da Coca-Cola – uma honra conferida a poucas embalagens. A embalagem é escolhida por causa de sua aparência atrativa, design original e pelo fato de, mesmo no escuro ou de olhos vendados, o consumidor poder identificar o produto.

A Coca-Cola Company cresce rapidamente e se expande por todo os Estados Unidos, atravessa as fronteiras e seus produtos chegam a Cuba, Porto Rico, França e outros países. Em 1900, existiam apenas dois fabricantes (empresas engarrafadoras pois produção do extrato exclusiva da The Coca-Cola Company, a única que detém a fórmula). Em 1920 eles já são cerca de 1.000.

A garrafa contour:

A famosa garrafa contour, embalagem de vidro de 237 ml da Coca-Cola, foi lançada em1916.

Mas é uma celebridade até hoje por simbolizar a autenticidade de Coca-Cola com o seu formato mundialmente identificado como marca registrada do centenário refrigerante: ela cabe perfeitamente na mão, faz um som único quando é aberta e oferece um sabor e refrescância que só podem ser de Coca-Cola. O desenho curvilíneo da garrafa contour foi baseado em um conceito original sugerido pelo soprador de vidro sueco, Alexander Samuelson, funcionário da Root Glass Company, de Indiana. A idéia era criar uma garrafa única e especial, que pudesse ser instantaneamente reconhecida até mesmo no escuro. O conceito da garrafa foi proposto em 1913 e patenteado no United States Patent Office em 16 de novembro de 1915. A garrafa foi colocada em uso em 1916, com algumas modificações. E devido às suas curvas, foi apelidada de Mae West, famosa atriz de cinema, conhecida na época por sua sensualidade.

Entre 1951 e 1960, a garrafa passou a ser protegida pela Lei de Direitos Comuns como um símbolo de identificação da Coca-Cola. Em 1960, o U.S. Patent and Trademark Office concedeu à garrafa o status legal de “Marca Registrada”, uma honra conferida a poucas embalagens.

1919 – 1940

Ninguém talvez tenha causado tanto impacto na Coca-Cola Company como Robert Woodruff. Seu pai compra a empresa de Candler em 1918 e Robert assume a presidência cinco anos depois. Foi Candler quem introduz a Coca-Cola no mercado americano. Mas é Woodruff quem consolida a marca e a liderança da Coca-Cola em todo o mundo, durante os 60 anos em que ficou no comando da empresa.

Gênio do marketing, ele vê muitas oportunidades de expansão, conquistando novos mercados com campanhas inovadoras: a Coca-Cola viaja com a equipe americana para a Olimpíada de Amsterdã (em 1928), sua logo é estampada nos trenós de corridas de cachorro no Canadá e nas paredes das arenas de touros, na Espanha. Ele alavanca o desenvolvimento e a distribuição dos produtos através da embalagem six-pack, das geladeiras horizontais e outras inovações que tornam a Coca-Cola ainda mais fácil de ser apreciada. Quando fica explícita a preferência das donas de casa pelas embalagens six-pack, a empresa envia mulheres de porta em porta para instalar gratuitamente um abridor de parede com a marca Coca-Cola. Esse é exatamente o tipo de pensamento que norteia a liderança de Woodruff. E o que faz da Coca-Cola não só um grande sucesso mas parte da vida das pessoas.

1941 – 1959

Em 1941, os Estados Unidos entram na Segunda Guerra Mundial, enviando milhares de homens e mulheres para as frentes de combate.

A Coca-Cola acompanha esses combatentes pois Woodruff determina que a Coca-Cola seja vendida a US$ 0,05 para todo combatente norte-americano onde quer que esteja – em qualquer parte do mundo! -, não importando o quanto isso custe à empresa. Durante a guerra os europeus experimentam a bebida. Quando a paz volta a reinar, a Coca-Cola já tem muitos negócios fora de seu território. A visão de Woodruff, de que uma Coca-Cola deve estar sempre ao alcance das pessoas, vai se tornando uma realidade. De meados da década de 40 até 1960, praticamente dobra o número de países com operação de envasamento. O período pós-guerra nos Estados Unidos é marcado pelo otimismo e a prosperidade. A Coca-Cola é parte de um estilo de vida alegre, despojado. E as imagens de suas propagandas – casais felizes, mães despreocupadas dirigindo carros conversíveis – são um bom exemplo do espírito da época.

1960 – 1981

Depois de 75 anos de sucesso absoluto com a marca Coca-Cola, a empresa decide expandir seus negócios, lançando novos produtos: Sprite (1961), TAB (1963) e Fresca (1966). A presença da companhia no mundo cresce rapidamente. A propaganda, que sempre foi uma parte muito importante do negócio, torna-se a alma do negócio nos anos 70, refletindo perfeita sintonia da marca com a alegria de viver e a liberdade. O apelo internacional da Coca-Cola é concretizado em um comercial de 1971 no qual um grupo de jovens, de todas as partes do mundo, se junta no pico de uma montanha na Itália para cantar “Id Like to Buy the World a Coke” ( em tradução livre, significa “Eu Gostaria de Comprar uma Coca-Cola para o Mundo” ). Em 1978, a Coca-Cola Company é a única empresa a ter permissão de vender refrigerantes na República da China.

1982 – 1989

Os anos 80 – época em que se inicia o chamado “culto ao corpo”- foram anos de mudanças e transformações na Coca-Cola Company. Em 1981, o cubano Roberto C. Goizueta, que deixara seu país em 1961 após a revolução, torna-se CEO da companhia. Ele faz uma revisão da estratégia da empresa, adotando o que chama de “assumir riscos de forma inteligente”. E ainda organiza as inúmeras fábricas engarrafadoras dos Estados Unidos em uma única empresa – Coca-Cola Enterprises Inc. Ele também lança a Diet Coke que, em 2 anos, torna-se a bebida de baixa caloria mais conhecida do mundo e a segunda de maior sucesso depois da Coca-Cola. Outra iniciativa de Goizueta é a mudança do sabor da Coca-Cola, em 1985, a primeira alteração na fórmula em 99 anos. Na fase de testes, as pessoas demonstram gostar muito do novo sabor. No mundo real isso não acontece, pois há uma relação emocional muito forte com a fórmula original.

Os consumidores pedem o retorno da antiga fórmula. Não faltam críticas dizendo que foi o maior erro de marketing da história. Mas Goizueta tem o poder de transformar “limão em limonada”. A fórmula original retorna ao mercado como Coca-Cola Classic e o produto começa a aumentar a liderança em relação à concorrência – mantendo essa liderança até os dias de hoje.

1990 – 1999

Os anos 90 foram uma década de crescimento contínuo para a Coca-Cola Company. A longa associação da Empresa com os esportes fica ainda mais fortalecida com o apoio a alguns dos principais eventos esportivos mundiais, como os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo de Futebol.

Em 1993, é lançada a campanha “Always Coca-Cola” e, em seguida, surge pela primeira vez na propaganda do produto o simpático urso polar. Novos mercados se abrem quando a Coca-Cola passa a ser vendida na Alemanha Oriental, em 1990, e retorna à Índia, em 1993. A empresa também passa a atuar em outros segmentos do mercado de bebidas e intensifica a aquisição de importantes marcas presentes em vários países. Com uma linha de produtos em franca expansão e um consumo diário crescente, a Coca-Cola é uma empresa que não se acomoda e enxerga em cada esquina uma nova oportunidade de crescimento.

2000 até hoje

Em 1886, a Coca-Cola surgia como um sabor refrescante único em uma pequena farmácia de Atlanta. Em seu segundo século de existência, associada a momentos mágicos e especiais, a Coca-Cola tem agora a missão de levar sua magia para todo o planeta. Com aproximadamente 400 marcas presentes em mais de 200 países, a Coca-Cola tem consumidores nos mais remotos cantos do planeta. Em qualquer parte do mundo, você será capaz de achar uma Coca-Cola.

A Coca-Cola é uma empresa de atuação global comprometida com os mercados locais. Uma empresa que respeita a diversidade e está sempre atenta ao que pessoas de diferentes culturas e experiências querem beber – e onde e a forma como elas querem apreciar sua bebida. Em parceria com seus fabricantes locais, a Coca-Cola é uma empresa comprometida com o desenvolvimento das comunidades em que está inserida. Em mais de um século de existência, a Coca-Cola tornou-se parte de vida de bilhões de pessoas em todo o planeta. Toda vez que um desses consumidores escolhe uma de nossas marcas, desejamos que este seja um momento único, excitante e de plena satisfação.

O Sistema Coca-Cola Brasil

Com atuação de destaque no País desde 1942, a Divisão Brasil é uma das quatro maiores operações da The Coca-Cola Company.

O Sistema Coca-Cola Brasil é composto pela Coca-Cola Brasil e 16 grupos empresariais independentes, chamados de Fabricantes autorizados, além da Leão Junior e Del Valle, que elaboram o produto final em suas 46 unidades industriais e os distribuem aos pontos de venda. Esta estrutura absorve cerca de 53 mil colaboradores diretos e gera mais de 500 mil empregos indiretos.

Os Fabricantes têm um contrato através do qual se comprometem a produzir, engarrafar e distribuir todos os produtos da Coca-Cola Brasil, observando um rigoroso padrão de qualidade mundial, que é marca registrada da Empresa.

As fábricas que fazem parte do Sistema Coca-Cola Brasil encontram-se estrategicamente localizadas em todas as regiões do País, garantindo o abastecimento de cerca de um milhão de pontos de venda, para hidratar e nutrir os consumidores brasileiros com uma ampla linha de bebidas não-alcoólicas que engloba águas, sucos, refrigerantes, chás, achocolatado, energéticos e isotônicos.

Fonte: www.cocacolabrasil.com.br

História da Coca-Cola

Em maio de 1886, a Coca-Cola foi inventada pelo Dr. John Pemberton um farmacêutico de Atlanta, Georgia.

John Pemberton inventou a fórmula da Coca-Cola.

A origem da Coca-Cola

A Coca-Cola foi inicialmente um medicamento que tratava dores de cabeça, o mau estar geral e também algumas maleitas do sistema nervoso.

A história deste refrigerante é muito animada: está repleta de conflitos com os governos e intrigas entre famílias ricas.

Na década de 1880, nos Estados Unidos, após a liberalização dos produtos farmacêuticos, John Pemberton um eminente profissional de Atlanta propôs-se criar uma fórmula mágica para aliviar os seus clientes das ressacas e dores de cabeça.

Para isso preparou uma fórmula que incluía nos seus ingredientes álcool, ópio, morfina, haxixe e ainda mais dois ingredientes pouco habituais na altura, por serem considerados muito prejudiciais à saúde: a cafeína e a cocaína. Mas este elixir tinha um gosto amargo e pouco convidativo, então o dito farmacêutico acrescentou-lhe uma boa dose do que vulgarmente chamamos “açúcar queimado” ou caramelo o que tornou o tónico não só eficaz mas também muito agradável às papilas gustativas.

O Sr. John Pemberton que, para além de farmacêutico, era um óptimo comerciante; depressa transformou o seu tónico borbulhante num refrigerante muito apreciado por todos, principalmente por aqueles que sofriam diariamente de uma doença universalmente conhecida, vulgarmente apelidada de ressaca, e chamou-lhe Coca-Cola.

Mas Pemberton, morfinómano e com a saúde já muito debilitada aceitou vender por $2.300, a fórmula da Coca-Cola a Asa Candler, dono de uma cadeia de drogarias em Atlanta que, imediatamente, começa a produzir o tónico em grandes quantidades para abastecer todas as farmácias e drogarias das redondezas.


Asa Griggs Candler

A popularidade de Coca-Cola continuou a crescer e a fórmula original de John Pemberton foi alterada, uma vez que o tónico foi transformado em refresco e ao que parece, cada copo da fórmula original continha 9 miligramas de cocaína, dosagem pouco aceitável para um produto comercializado livremente e para a saúde dos consumidores.

Em 1906, o Congresso aprovou uma lei na qual obrigava os fabricantes de produtos alimentares e farmacêuticos a colocar nas embalagens o rótulo com os produtos de fabrico. Mais uma vez, Asa Candler alterou a fórmula da Coca-Cola. Reduziu a percentagem de álcool e eliminou a cocaína mas recusou-se a alterar a dosagem de cafeína, produto que considerava essencial para a eficácia do xarope. Deste modo a Coca-Cola foi considerada uma bebida perigosa para a saúde.


Evolução das garrafas da Coca-Cola

Começa aqui a primeira batalha legal da Coca-Cola, encabeçada pelo Dr. Harvey Wiley que acusava a Coca-Cola Company de produzir um produto altamente prejudicial à saúde dos consumidores. Mas em 13 de Março de 1911, no Tribunal de Chattanooga, perante o Juiz Sanford, os advogados da Companhia conseguiram demonstrar que uma chávena de Coca-Cola, continha menos cafeína que uma chávena de café ou chá e ganhou a acão.

Ernest Woodruff propõe a Candler a aquisição da Coca-Cola e em 1919 iniciam as negociações. Finalmente a Coca-Cola Company é vendida por $25 milhões, um valor exorbitante para a época. A título de curiosidade, se os $25 milhões de 1919 forem convertidos para os dias de hoje, obtém-se uma fortuna comparável do Bill Gates.

Há ainda a registar que se os Candlers e os Woodruffs fizeram milhões de dólares com a Coca-Cola mas também tentaram distribuir alguma dessa verba para o benefício da comunidade. Ajudaram a construir hospitais, escolas, igrejas, faculdades, museus, e centros culturais, atividades que a Companhia preza manter até hoje.

Fonte: lucboy2009.blogspot.com

História da Coca-Cola

A Invenção da Coca-Cola


John Pemberton

Em 1886, a Coca-Cola foi inventada por um farmacêutico chamado John Pemberton, também conhecido como “Doc”. Ele lutou na Guerra Civil, e no final da guerra, ele decidiu que queria inventar algo que lhe traria sucesso comercial.

Geralmente, tudo o que ele fez não em farmácias. Ele inventou muitas drogas, mas nenhum deles jamais fez qualquer dinheiro. Então, depois de um movimento para Atlanta, Pemberton decidiu tentar a sua mão no mercado de bebidas.

Em seu tempo, a fonte de soda foi crescendo em popularidade como um ponto de encontro social. Temperance estava mantendo os clientes fora de bares, então, fazer uma bebida da soda-fonte só fazia sentido.

E isso foi quando a Coca-Cola nasceu.

No entanto, Pemberton tinha idéia de como anunciar. Este é o lugar onde Frank Robinson entrou. Ele registrou fórmula da Coca-Cola com o escritório de patentes, e ele desenhou o logotipo. Ele também escreveu o slogan, “A pausa que refresca”.

Coke não fazem tão bem em seu primeiro ano. E para piorar a situação, Doc Pemberton morreu em agosto de 1888, o que significa que ele nunca iria ver o sucesso comercial que vinha procurando.

Asa Griggs Candler

Após a morte de Pemberton, um homem chamado Asa Griggs Candler resgatou o negócio. Em 1891, tornou-se o único proprietário da Coca-Cola.

Foi quando Candler assumiu que uma das técnicas de marketing mais inovadoras foi inventado. Ele contratou vendedores ambulantes para passar para fora cupons para a Coca-Cola grátis. Seu objetivo era para as pessoas a experimentar a bebida, como ele, e comprá-lo mais tarde.

Além dos cupons, Candler também decidiu espalhar a palavra de Coca-Cola por reboco logos em calendários, cartazes, cadernos e fichas para atingir os clientes em um grande palco. Foi um passo para fazer Coca-Cola uma marca nacional, em vez de apenas uma marca regional.

A medida polêmica por parte de Candler era vender Coca-Cola xarope como um remédio patenteado, alegando que iria se livrar do cansaço e dores de cabeça.

Em 1898, no entanto, o Congresso aprovou um imposto na sequência da guerra hispano-americana. O imposto foi sobre todos os medicamentos, por isso Coca-Cola queria ser vendido apenas como uma bebida. Depois de uma batalha judicial, a Coca-Cola já não era vendido como uma droga.

Fonte: cwww.georgiaencyclopedia.org

Veja também

Labirinto

Labirinto

PUBLICIDADE Definição Um Labirinto complicada rede irregular de passagens ou caminhos nos quais é difícil encontrar o …

Necromancia

PUBLICIDADE Definição Necromancia é o ato de se comunicar com os mortos para descobrir o …

Cistoscópio

Cistoscópio

PUBLICIDADE Definição O Cistoscópio é um instrumento tubular de metal oco, equipado com uma luz, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.