Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  preposição, preposições  Voltar

Preposição



Preposição é a palavra que estabelece uma relação entre dois ou mais termos da oração. Essa relação é do tipo subordinativa, ou seja, entre os elementos ligados pela preposição não há sentido dissociado, separado, individualizado; ao contrário, o sentido da expressão é dependente da união de todos os elementos que a preposição vincula.

Exemplos

Os amigos de João estranharam o seu modo de vestir.

[amigos de João / modo de vestir: elementos ligados por preposição]

[de: preposição]

Ela esperou com entusiasmo aquele breve passeio. [esperou com entusiasmo: elementos ligados por preposição]

[com: preposição]

Esse tipo de relação é considerada uma conexão, em que os conectivos cumprem a função de ligar elementos. A preposição é um desses conectivos e se presta a ligar palavras entre si num processo de subordinação denominado regência.

Diz-se regência devido ao fato de que, na relação estabelecida pelas preposições, o primeiro elemento – chamado antecedente - é o termo que rege, que impõe um regime; o segundo elemento, por sua vez – chamado conseqüente – é o temo regido, aquele que cumpre o regime estabelecido pelo antecedente.

Exemplos

A hora das refeições é sagrada.

[hora das refeições: elementos ligados por preposição]

[de + as = das: preposição]

[hora: termo antecedente = rege a construção "das refeições"]

[refeições: termo conseqüente = é regido pela construção "hora da"]

Alguém passou por aqui.

[passou por aqui: elementos ligados por preposição]

[por: preposição]

[passou: termo antecedente = rege a construção "por aqui"]

[aqui: termo conseqüente = é regido pela construção "passou por"]

As preposições são palavras invariáveis, pois não sofrem flexão de gênero, número ou variação em grau como os nomes, nem de pessoa, número, tempo, modo, aspecto e voz como os verbos. No entanto em diversas situações as preposições se combinam a outras palavras da língua (fenômeno da contração) e, assim, estabelecem uma relação de concordância em gênero e número com essas palavras às quais se liga. Mesmo assim, não se trata de uma variação própria da preposição, mas sim da palavra com a qual ela se funde (ex.: de + o = do; por + a = pela; em + um = num, etc.).

Uso da Preposição

Algumas particularidades no uso das preposições:

1. O sujeito das orações reduzidas de infinitivo não deve vir contraído com uma preposição.
Exemplos

A maneira dele estudar não é correta. [Inadequado]

A maneira de ele estudar não é correta. [Adequado]

A maneira de nós estudarmos não é correta. [Adequado]

2. A preposição "a" não deve ser utilizada após a preposição "perante".
Exemplos

Quando o resultado das provas foi divulgado, ela chorou perante a todos. [Inadequado]

Quando o resultado das provas foi divulgado, ela chorou perante todos. [Adequado]

3. Do mesmo modo, não podemos utilizar a preposição "a" depois da preposição "após".
Exemplos

Todos nos reunimos após à reunião. [Inadequado] Todos nos reunimos após a reunião. [Adequado]

O retorno dos alunos após ao intervalo é sempre tumultuado. [Inadequado] O retorno dos alunos após o intervalo é sempre tumultuado. [Adequado]

4. A preposição "desde" não admite em sua seqüência a preposição "de".
Exemplos

Estamos esperando aqui desde das 12 h. [Inadequado]

Estamos esperando aqui desde as 12 h. [Adequado]

5. Em vez de utilizar a preposição "após" antes de verbos no particípio, prefira a locução "depois de".
Exemplos

O aluno partiu após difundida a notícia. [Inadequado]

O aluno partiu depois de difundida a notícia. [Adequado]

Omissão das preposições

Antes de alguns advérbios de tempo, modo e lugar, a preposição pode ou não ser omitida.

Exemplos

Chegarão domingo. [Adequado]

Chegarão no domingo. [Adequado]

O filho, cabeça baixa, ouvia a reprimenda. [Adequado]

O filho, de cabeça baixa, ouvia a reprimenda. [Adequado]

A crase e as preposições

A crase não deve ser empregada junto a algumas preposições.

Dois casos, no entanto, devem ser observados quanto ao emprego da crase. Trata-se das preposições "a" e "até" empregadas antes de palavra feminina. Essas únicas exceções se devem ao fato de ambas indicarem, além de outras, a noção de movimento. Por isso, com relação à preposição "a" torna-se obrigatório o emprego da crase, já que haverá a fusão entre a preposição "a" e o artigo "a" (ou a simples possibilidade de emprego desse artigo). Já a preposição "até" admitirá a crase somente se a idéia expressa apontar para movimento.

Exemplos

A entrada será permitida mediante à entrega da passagem. [Inadequado] A entrada será permitida mediante a entrega da passagem. [Adequado]

Desde à assembléia os operários clamavam por greve. [Inadequado] Desde a assembléia os operários clamavam por greve. [Adequado]

Os médicos eram chamados a sala de cirurgia. [Inadequado] Os médicos eram chamados à sala de cirurgia. [Adequado]

[termo regente: chamar a / "a" = preposição indicativa de movimento]

[termo regido: (a) sala / "a" = artigo]

[sala: palavra feminina]

Os escravos eram levados vagarosamente até a senzala. Os escravos eram levados vagarosamente até à senzala.

[termo regente: levar a / "a" = preposição indicativa de movimento]

[termo regido: (a) senzala / "a" = artigo]

[senzala: palavra feminina]

Observe que não foi apontado no exemplo (4) o uso inadequado e adequado das ocorrências de crase. Isso se dá porque atualmente no Brasil o emprego da crase diante da preposição "até" é facultativo.

Uso das locuções prepositivas

Certas construções da língua portuguesa constituem casos em que determinados termos se combinam de tal forma que não é permitida a variação seja qual for o contexto em que estão inseridas. Normalmente, trata-se de locuções (conjunto de palavras que formam uma unidade expressiva).

As locuções prepositivas são elementos que não variam em gênero (feminino ou masculino) e número (singular ou plural). São, por isso, expressões fixas na língua portuguesa. A forma fixa dessas locuções, porém, não se resume à variação de gênero e número. No decorrer da história da língua portuguesa, determinadas formas se consagraram. Muitos gramáticos postulam a adequação de uma forma e não outra para a língua escrita. Por isso, o emprego inadequado dessas construções configura-se um problema de linguagem.

Vejamos alguns exemplos freqüentes de uso inadequado de locuções prepositivas:
Exemplos

A nível de experiência, tudo é válido. [Inadequado] Em nível de experiência, tudo é válido. [Adequado]

Eles estavam em vias de cometer uma loucura. [Inadequado] Eles estavam em via de cometer uma loucura. [Adequado]

A seguir, alguns exemplos de locuções em uso inadequado:
EMPREGO INADEQUADO EMPREGO ADEQUADO
a nível de em nível de
à medida em que na medida em que
ao mesmo tempo que    ao mesmo tempo em que
apesar que  apesar de que
de modo    de modo que
a longo prazo em longo prazo
em vias de em via de
ao ponto de  a ponto de
de vez que uma vez que / portanto

Note que o uso corrente das inadequações promove substituição ou supressão das preposições que compõem a expressão.

Além disso, é importante ressaltar que, embora estejamos nos referindo apenas às locuções prepositivas, o mesmo princípio pode ser aplicado às locuções conjuncionais ou locuções adverbiais. Vejamos, por exemplo, um caso em que a inadequação recai sobre uma locução adverbial:

Os amigos, na surdina, combinavam sobre tua festa. [Inadequado] Os amigos, à surdina, combinavam sobre tua festa. [Adequado]

Fonte: www.nilc.icmc.usp.br

Preposição

Preposição é uma palavra invariável que liga dois elementos da oração, subordinando-os. Isso significa que a preposição é o termo que liga substantivo a substantivo, verbo a substantivo, substantivo a verbo, adjetivo a substantivo, advérbio a substantivo, etc.

Por exemplo, na frase Os alunos do colégio assistiram ao filme de Walter Salles comovidos, teremos como elementos da oração os alunos, o colégio, o verbo assistir, o filme, Walter Salles e a qualidade dos alunos comovidos. O restante é preposição. Observe: de liga alunos a colégio, a liga assistir a filme, de liga filme a Walter Salles. Portanto são preposições. O termo que antecede a preposição é denominado regente, e o termo que a sucede, regido.

Portanto em "Os alunos do colégio..." teremos:

os alunos = elemento regente

o colégio = elemento regido.

TIPOS DE PREPOSIÇÕES

Essenciais

As essenciais são as que só desempenham a função de preposição.

Acidentais

As acidentais são palavras de outras classes gramaticais que eventualmente são empregadas como preposições. São, também, invariáveis.

Locução Prepositiva

São duas ou mais palavras, exercendo a função de uma preposição:

As locuções prepositivas têm sempre como último componente uma preposição.

Combinação

Junção de algumas preposições com outras palavras, quando não há alteração fonética.

Exemplos

Contração

Junção de algumas preposições com outras palavras, quando a preposição sofre redução.

Exemplos

Observação

Não se deve contrair a preposição de com o artigo que inicia o sujeito de um verbo, nem com o pronome ele(s), ela(s), quando estes funcionarem como sujeito de um verbo.

Por exemplo a frase "Isso não depende do professor querer" está errada, pois professor funciona como sujeito do verbo querer.

Portanto a frase deve ser "Isso não depende de o professor querer" ou "Isso não depende de ele querer".

Circunstâncias: As preposições podem indicar diversas circunstâncias:

Lugar = Estivemos em São Paulo. Origem = Essas maçãs vieram da Argentina. Causa = Ele morreu, por cair de um andaime. Assunto = Conversamos bastante sobre você. Meio = Passeei de bicicleta ontem. Posse = Recebeu a herança do avô. Matéria = Comprei roupas de lã.

Fonte: www.gramaticaonline.com.br

Preposição

Palavras invariáveis que exprimem relações entre duas partes de uma oração que dependem uma da outra.

a ante após até

com conforme contra consoante de desde durante em excepto entre mediante para perante por salvo sem segundo sob sobre trás

Fonte: www.priberam.pt

PREPOSIÇÃO

Classe invariável que liga termos, às vezes, liga orações.

Exemplos

Exemplos das preposições mais comuns:

DICAS

O que caracteriza uma palavra como pertencente a uma classe não é a sua forma e sim a função que desempenha dentro da oração.

Os exemplos citados servem como roteiro, mas não devem limitar sua visão do assunto. Analise cada caso, você descobrirá palavras funcionando como preposição que não estão nesta lista.

Fonte: www.portugues.com.br

Preposição

Há palavras que, na frase, são usadas como elementos de ligação: uma delas é a preposição.

Preposição é a palavra invariável que liga dois termos.

Nessa ligação entre os dois termos, cria-se uma relação de subordinação em que o segundo termo se subordina ao primeiro.

Locução Prepositiva

É o conjunto de duas ou mais palavras com valor de uma preposição.

Exemplos

Fonte: www.geocities.com

PREPOSIÇÃO

Palavra invariável que liga dois termos entre si, estabelecendo relação de subordinação (regente - regido). Antepõem-se a termos dependentes (OI, CN, adjuntos etc. e orações subordinadas).

Divide-se em:

Essenciais (maioria das vezes são preposições)

Acidentais (palavras de outras classes que podem exercer função de preposição)

As preposições essenciais regem pronomes oblíquos tônicos; enquanto preposições acidentais regem as formas retas dos pronomes pessoais. (Falei sobre ti/Todos, exceto eu, vieram)

As locuções prepositivas, em geral, são formadas de adv (ou locução adverbial) + preposição - abaixo de, acerca de, a fim de, além de, defronte a, ao lado de, apesar de, através de, de acordo com, em vez de, junto de, perto de, até a, a par de, devido a etc.

Observação

A última palavra da loc. prepositiva é sempre uma preposição, enquanto a última palavra de uma loc. adverbial nunca é preposição

Emprego

combinação - preposição + outra palavra sem perda fonética (ao/aos)

contração - preposição + outra palavra com perda fonética (na/àquela)

não se deve contrair de se o termo seguinte for sujeito (Está na hora de ele falar)

a preposição após, acidentalmente, pode funcionar como advérbio (=atrás) (Terminada a festa, saíram logo após.)

trás, modernamente, só se usa em locuções adverbiais e prepositivas (por trás, para trás por trás de)

Pronome pessoal oblíquo X preposição X artigo

Preposição - liga dois termos, sendo invariável

Pronome oblíquo - substitui um substantivo

Artigo - antecede o substantivo, determinando-o

Relações estabelecidas pelas preposições

Isoladamente, as preposições são palavras vazias de sentido, se bem que algumas contenham uma vaga noção de tempo e lugar.

Nas frases, exprimem diversas relações:

autoria - música de Caetano

lugar - cair sobre o telhado / estar sob a mesa

tempo - nascer a 15 de outubro / viajar em uma hora / viajei durante as férias

modo ou conformidade - chegar aos gritos / votar em branco

causa - tremer de frio / preso por vadiagem

assunto - falar sobre política

fim ou finalidade - vir em socorro / vir para ficar

instrumento - escrever a lápis / ferir- se com a faca

companhia - sair com amigos

meio - voltar a cavalo / viajar de ônibus

matéria - anel de prata / pão com farinha

posse - carro de João

oposição - Flamengo contra Fluminense

conteúdo - copo de (com) vinho

preço - vender a (por) R$ 300, 00

origem - descender de família humilde

especialidade - formou-se em Medicina

destino ou direção - ir a Roma / olhe para frente

Fonte: www.graudez.com.br

Preposição

Classe invariável que liga termos, às vezes, liga orações.

Exemplos

O professor gosta de trabalhos noturnos. (liga termos de uma oração) O professor gosta de trabalhar à noite. (liga orações)

Exemplos das preposições mais comuns

O que caracteriza uma palavra como pertencente a uma classe não é a sua forma e sim a função que desempenha dentro da oração. Os exemplos citados servem como roteiro, mas não devem limitar sua visão do assunto. Analise cada caso, você descobrirá palavras funcionando como preposição que não estão nesta lista.

Fonte: www.coladaweb.com

 

voltar 1234avançar

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal