Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  hífen  Voltar

hífen



Só se ligam por hífen os elementos das palavras compostas em que se mantém a noção da composição, isto é, os elementos das palavras compostas que mantêm a sua independência fonética, conservando cada um a sua própria acentuação, porém formando o conjunto perfeita unidade de sentido.

Dentro dêsse princípio, deve-se empregar o hífen nos seguintes casos:

1.º - Nas palavras compostas em que os elementos, com a sua acentuação própria, não conservam, considerados isoladamente, a sua significação, mas o conjunto constitui uma unidade semântica: água-marinha, arco-íris, galinha-d’água, couve-flor, guarda-pó, péde- meia (mealheiro; pecúlio), pára-choque, porta-chapéus, etc.

OBSERVAÇÃO 1.ª – Incluem-se nesta norma os compostos em que figuram elementos fonèticamente reduzidos: bel-prazer, és-sueste, mal-pecado, su-sueste, etc.

OBSERVAÇÃO 2.ª – O antigo artigo el, sem embargo de haver perdido o seu primitivo sentido e não ter vida à parte na língua, une-se por hífen ao substantivo rei, por ter este elemento evidência semântica.

OBSERVAÇÃO 3.ª – Quando se perde a noção do composto, quase sempre em razão de um dos elementos não ter vida própria na língua, não se escreve com hífen, mas aglutinadamente: abrolhos, bancarrota, fidalgo, vinagre, etc.

OBSERVAÇÃO 4.ª – Como as locuções não têm unidade de sentido, os seus elementos não devem ser unidos por hífen, seja qual for a categoria gramatical a que elas pertençam. Assim, escreve-se, v.g., vós outros (locução pronominal), a desoras (locução adverbial), a fim de (locução prepositiva), contanto que (locução conjuntiva), porque essas combinações vocabulares não são verdadeiros compostos, não formam perfeitas unidades semânticas. Quando porém as locuções se tornam unidades fonéticas, devem ser escritas numa só palavra: acerca (adv.), afinal, apesar, debaixo, decerto, defronte, depressa, devagar, deveras, resvés, etc.

OBSERVAÇÃO 5.ª – As formas verbais com pronomes enclíticos ou mesoclíticos e os vocábulos compostos cujos elementos são ligados por hífen conservam seus acentos gráficos: amá-lo-á, amárreis-me, amásseis-vos, devê-lo-ía, fá-la-emos, pô-las-íamos, possuí-las, provêm-lhes, retêm-nas; água-de-colônia, pão-de-ló, pára-sóis, pesa-papéis, etc.

2.º - Nas formas verbais com pronomes enclíticos ou mesoclíticos: amá-lo (amas e lo), amá-lo (amar e lo), dê-se-lhe, fálo- á, oferecê-la-ia, repô-lo-eis, serenou-se-te, traz-me, vedou-te, etc.

3.º - Nos vocábulos formados pelos prefixos que representam formas adjetivas, com anglo, greco, histórico, ínfero, latino, lusitano, luso, póstero, súpero, etc.: anglo-brasileiro, greco-romano, históricogeográfico, ínfero-anterior, latino-americano, lusitano-castelhano, luso-brasileiro, póstero-palatal, súpero-posterior, etc.

OBSERVAÇÃO – Ainda que esses elementos prefixais sejam reduções de adjetivos, não perdem a sua individualidade morfológica, e, por isso, devem unir-se por hífen, como sucede com austro (=austríaco), dólico (=dolicocéfalo), euro (=europeu), telégrafo (=telégrafico), etc.: austro-húngaro, dólico-louro, euro-africano, telégrafo-postal, etc.

4.º - Nos vocábulos formados por sufixos que representam formas adjetivas como açu, guaçu e mirim, quando o exige a pronúncia e quando o primeiro elemento acaba em vogal acentuada gràficamente: andá-açu, amoré-guaçu, anajá-mirim, capim-açú, etc.

5.º - Nos vocábulos formados pelos prefixos:

a) auto, contra, extra, infra, intra, neo, proto, pseudo, semi e ultra, quando se lhes seguem palavras começadas por vogal, h, r ous: auto-educação, contra-almirante, extra-oficial, infrahepático, intra-ocular, neo-republicano, proto-revolucionário, pseudo-revelação, semi-selvagem, ultra-sensível, etc.

OBSERVAÇÃO – A única exceção a esta regra é a palavra extraordinário, que já está consagrada pelo uso.

b) ante, anti, arqui e sôbre, quando seguidos de palavras iniciadas porh, r ou s: ante-histórico, anti-higiênico, arqui-rabino, sobre-saia, etc.

c) supra, quando se lhe segue palavra encetada por vogal, r ous: supra-auxiliar, supra-renal, supra-sensível, etc.

d) super, quando seguido de palavra principiada por h ou r: super-homem, super-requintado, etc.

e) ab, ad, ob, sob e sub, quando seguidos de elementos iniciados porr: ab-rogar, ad-renal, ob-reptício, sob-roda, sub-reino, etc.

f) pan e mal, quando se lhes segue palavra começada por vogal ouh: pan-asiático, pan-helenismo, mal-educado, mal-humorado, etc.

g) bem, quando a palavra que lhe segue tem vida autônoma na língua ou quando a pronúncia o requer: bem-ditoso, bem-aventurança, etc.

h) sem, sota, soto, vice, vizo, ex (com o sentido de cessamento ou estado anterior), etc.: sem-cerimônia, sota-pilôto, sota-ministro, vice-reitor, vizo-rei, ex-diretor, etc.

i) pós, pré, e pró, que têm acento próprio, por causa da evidência dos seus significados e da sua pronunciação, ao contrário dos seus homógrafos inacentuados, que, por diversificados foneticamente, se aglutinam com o segundo elemento: pós-meridiano, pré-escolar, pró-britânico; mas pospor, preanunciar, procônsul, etc.

Fonte:www.academia.org.br

hífen

As regras de emprego do hífen são numerosíssimas e das mais complicadas da Língua Portuguesa. E com várias exceções, incoerências e omissões. Indispensável, por isso, o recurso constante a um dicionário, a um manual de redação ou a um guia ortográfico. Observe:

Co-proprietário com hífen mas coabitar sem hífen
Pré-vestibular com hífen mas preestabelecimento sem hífen
Pós-escrito com hífen mas poscéfalo sem hífen
Pró-aliado com hífen mas procônsul sem hífen
Bem-me-quer com hífen mas benquisto sem hífen
Extra-oficial com hífen mas extraordinário sem hífen
Sobre-saia com hífen mas sobresselente sem hífen

Hifens e Prefixos

Particularmente útil é a sistematização que os manuais de cultura idiomática fazem a respeito do emprego do hífen com prefixos, apresentando três situações distintas:

1. Prefixos e elementos prefixados sempre seguidos de hífen.

Prefixos Exemplos
Além- além-túmulo; além-fronteiras; além-mundo
Aquém- aquém-fronteiras; aquém-mar
Bem- bem-aventurado; bem-querer;bem-apresentado
Co(m)- co-autor; co-educação; co-produção
Ex- ex-aluno; ex-prefeito; ex-diretor
Grã- grã-cruz; grã-fino; grã-ducado
Grão- grão-mestre; grão-duque; grão-rabino
Pós- pós-datar; pós-escrito; pós-guerra
Pré- pré-alfabetizado; pré-datado; pré-história
Pró- pró-reitor; pró-americano;pró-britânico
Recém- recém-chegado; recém-nascido; recém-fabricado
Sem- sem-vergonha; sem-fim; sem-amor
Vice- vice-diretor; vice-reitor; vice-prefeito

Observações

O prefixo "bem" exige hífen quando o vocábulo que segue é morfologicamente individualizado, isto é, quando tem vida autônoma na língua.

Formas com hífen: Formas sem hífen:
Bem-estar Benfazejo
Bem-me-quer Benquisto
Bem-vindo Benquerença

Os prefixos "pós", "pré" e "pró" escrevem-se com hífen em palavras tônicas (acentuadas graficamente). Quando estas são átonas (não acentuadas graficamente - "pos", "pre" e "pro"), ligam-se diretamente aos elementos seguinte:

Tônicos (com hífen): Átonos (sem hífen):
Pós-natal Poscéfalo
Pós-escrito Posfácio
Pós-datar Pospor
Pré-nupcial Predeterminar
Pré-colonial Predizer
Pré-vestibular Prefixo
Pró-aliado Procônsul
Pró-governo Procriar
Pró-britânico Promagistrado

A grafia correta de várias formas que empregam esses prefixos oferece dúvidas, uma vez que se desconhece freqüentemente sua tonicidade. Por isso, muitas vezes é melhor consultar um dicionário.

Segundo alguns autores, o prefixo "co" exige hífen quando significa "a par", "juntamente". A regra, no entanto, não se aplica facilmente e de forma coerente, razão por que, em caso de dúvida, é sempre melhor consultar um dicionário.

Com hífen: Sem hífen:
Co-administrador Coabitar
Co-avalista Coirmão
Co-fiador Coocupante
Co-redator Coadjutor
Co-estrelado Colateral

 

Prefixos seguidos de hífen antes de...

Prefixos Antes de Exemplos com hífen Exemplos sem hífen
  Vogal H R S B    
AB-     X     ab-rogar abjurar
AD-     X     ad-renal advérbio; adjunto
ANTE-   X X X   ante-histórico; ante-solar antecâmera; antediluviano
ANTI-   X X X   anti-herói; anti-social antiaéreo; anticristo
ARQUI-   X X X   arqui-rival arquiinimigo
AUTO- X X X X   auto-estima; auto-retrato autobiografia; autocontrole
CIRCUM- X X       circum-adjacente circunscrever
CONTRA- X X X X   contra-ataque; contra-senso contracheque
ENTRE-   X       entre-hostil entrelinhas
EXTRA- X X X X   extra-oficial; extra-regimental extraconjugal
HIPER-   X X     hiper-humano; hiper-raivoso hipermercado
INFRA- X X X X   infra-estrutura infracitado
INTER-   X X     inter-humano; inter-regional intercolegial
INTRA- X X X X   intra-ocular; intra-regional intramuscular
MAL- X X       mal-educado; mal-humorado malcheiroso
NEO- X X X X   neo-humanista; neo-republicano neoclássico
OB-     X     ob-rogar obdentado 
PAN- X X       pan-americano pandemônio
PROTO- X X X X   proto-história protoplasma
PSEUDO- X X X X   pseudo-herói; pseudo-sábio pseudopoeta
SEMI- X X X X   semi-selvagem semifinal
SOB-     X     sob-roda sobpor
SOBRE-   X X X   sobre-humano; sobre-saia sobrecapa
SUB-     X   X sub-ramo; sub-bibliotecário subchefe
SUPER-   X X     super-homem; super-requintado supermercado
SUPRA- X X X X   supra-hepático supracitado
ULTRA- X X X X   ultra-humano; ultra-som ultranatural

Observações

Com o prefixo "extra", a única exceção é "extraordinário", que se escreve sem hífen.

Com o prefixo "sobre", escrevem-se sem hífen: sobressair, sobressaltar, sobressalto, sobressalente.

Na tabela anterior, existem prefixos que apresentam a seguinte regularidade: escrevem-se com hífen antes de H, Vogal, R e S (H.O.R.A.S.).

Veja a tabela:

Prefixos Vogal H R S Exemplos
AUTO X X X X auto-educação
CONTRA X X X X contra-indicação
EXTRA X X X X extra-regimental
INFRA X X X X infra-estrutura
INTRA X X X X intra-ocular
NEO X X X X neo-republicano
PROTO X X X X proto-história
PSEUDO X X X X pseudo-herói
SEMI X X X X semi-selvagem
SUPRA X X X X supra-sensível
ULTRA X X X X ultra-rápido

Prefixos nunca seguidos de hífen:

Prefixos Exemplos
Aero- Aerotransporte
Agro- Agroindústria
Ambi- Ambidestro
Anfi- Anfiteatro
Arterio- Artérioesclerose
Astro- Astrofísica
Audio- Audiovisual
Auri- Auricular
Bi(s)- Bicentenário
Bio- Biossocial
Bronco- Broncodilatador
Cardio- Cardiovascular
Cata- Catabiótico
Centro- Centroavante
Cis- Cisandino
De(s)- Desfazer
Di(s)- Distrofia
Ego- Egolatria
Eletro- Eletrocardiograma
Endo- Endovenoso
Estereo- Estereótipo
Filo- Filogenético
Fisio- Fisioterapia
Foto- Fotogravura
Gastro- Gastropulmonar
Geo- Geopolítico
Hemi- Hemiciclo
Hepta- Heptacampeão
Hetero- Heterossexual
Hexa- Hexacampeão
Hidro- Hidroginástica
Hipo- Hipoderme
Homo- Homossexual
Idio- Idioadaptação
Ido- Idolatria
In- Infeliz
Intro- Introjeção
Iso- Isométrico
Justa- Justapor
Labio- Labiodental
Linguo- Linguodental
Macro- Macroeconomia
Mega- Megassismo
Micro- Microcomputador
Mono- Monocultura
Morfo- Morfossintático
Moto- Motocasa
Multi- Multiangular
Neuro- Neurocirurgião
Octo- Octocampeão
Oni- Onipresente
Orto- Ortocentro
Para- Parapsicologia
Penta- Pentacampeão
Per- Perpassar
Peri- Pericentral
Pluri- Plurianual
Pneu- Pneumococo
Poli- Poliácido
Pos- (átono) Posfácio
Pre- (átono) Predeterminar
Pro (átono)- Proclítico
Psico- Psicomotor
Quadri- Quadrigêmeos
Quilo- Quilograma
Rádio- Radioterapia
Re- Refazer
Retro- Retrovisor
Rino- Rinoceronte
Sacro- Sacrossanto
Sesqui- Sesquicentenário
Socio- Sociolingüístico
Tele- Telecomando
Termo- Termodinâmico
Tetra- Tetracampeão
Trans- Transcontinental
Traqueo- Traqueotomia
Trans- Transamazônico
Tres- Tresavô
Tri- Tridimensional
Turbo- Turbomotor
Uni- Unicelular
Vaso- Vasodilatador
Xanto- Xantocéfalo
Xilo- Xilogravura
Zoo- Zootecnia

Saiba Mais

1. Travessão e hífen

Não confundir travessão com hífen: o travessão é um sinal de pontuação mais longo do que o hífen.

2. Hífen e translineação

Havendo coincidência de fim de linha com o hífen, este não se repete no início da linha seguinte: exemplo guarda-/chuva. De todo modo, evite translinear, para evitar erros.

3. "Não" como prefixo

O uso de "não" como elemento de composição de vocábulos é recente e extremamente útil e produtivo, já que podemos criar numerosíssimas oposições:

optante X não-optante

fumante X não-fumante

alfabetizado X não-alfabetizado

marxista X não-marxista

Usa-se o hífen nesse caso, pois "não" é, como dissemos, elemento de composição de vocábulo e não advérbio.

4. Hífen e "extra"

"Extra" é uma redução da forma adjetiva "extraordinário". Por essa razão, não admite hífen. Escreva-se, pois, • horas extras •edição extra

5. Hífen e "mirim"

"Mirim" é palavra de origem tupi, e significa "pequeno". É, pois, um adjetivo e, como tal, não admite hífen. Exemplos:

• eleitor mirim • prefeito mirim • governo mirim

6. Hífen e "geral"

Emprega-se hífen quando o adjetivo "geral" entra na formação de uma palavra composta que designa cargo, função, lugar de trabalho ou órgão correspondente. Exemplos:

• Diretoria-geral • Secretário-geral • Secretaria-geral • Procurador-geral • Procuradoria-geral

7. Hífen e "abaixo-assinado"

"Abaixo-assinado" é substantivo composto; significa petição ou requerimento coletivo.

"Abaixo assinado" (sem hífen) é adjetivo; indica cada pessoa que assina um abaixo-assinado. Exemplos: O abaixo-assinado foi encaminhado à Pró-Reitoria de Ensino de Graduação.

Os alunos abaixo assinados requerem a Vossa Senhoria...

8. À toa/ à-toa

• "À toa" (sem hífen) é advérbio, isto é, modifica um verbo; significa "a esmo", "ao acaso", "sem fazer nada", "inútil", "sem rumo". Andar à toa: andar sem rumo.

• "À-toa" (com hífen) é adjetivo, isto é, modifica um substantivo; significa "inútil", "desprezível", "insignificante". Sujeitinho à- toa: sujeitinho desprezível.

9. Dia a dia/ dia-a-dia

• "Dia a dia" (sem hífen) é advérbio, isto é, modifica um verbo; significa "diariamente": Ele melhora dia a dia.

• "Dia-a-dia" (com hífen) é substantivo; significa "cotidiano": O meu dia-a-dia é muito estressante.

Fonte: www.pucrs.br

HÍFEN

RELAÇÃO DOS PREFIXOS MAIS USADOS

AUTO, CONTRA, EXTRA, INFRA, INTRA, NEO, PROTO, PSEUDO, SEMI, SUPRA, ULTRA.

Estes prefixos exigem hífen quando se juntam a palavras iniciadas por vogal, h, r e s.

Exemplos: auto-análise, auto-escola, auto-estima, auto-retrato, auto-suficiente, contra-almirante, contra-ataque, contra-reforma, contra-regra, contra-senso, extra-humano, extra-oficial, extra-regimental, extra-secular, infra-estrutura, infra-renal, infra-social, intra-ocular, intra-uterino, intra-regional, intra-setorial, neo-humanista, neo-republicano, proto-história, proto-revolucionário, pseudo-herói, pseudo-revolucionário, pseudo-sábio, semi-analfabeto, semi-reta, semi-selvagem, supra-hepático, supra-renal, supra-sumo, ultra-especial, ultra-humano, ultra-realismo, ultra-romântico, ultra-sensível, ultra-som...

Exceção: "extraordinário" não leva hífen.

ANTI, ANTE, ARQUI, SOBRE

Estes prefixos devem ser ligados por hífen a palavras iniciadas por h, r ou s.

Exemplos: anti-herói, anti-higiênico, anti-rábico, anti-séptico, anti-social, ante-histórico, ante-república, ante-sala, arqui-rabino, arqui-rival, arqui-sacerdote, sobre-humano, sobre-saia, sobre-ser, sobre-sinal...

INTER, HIPER, SUPER

Estes prefixos só exigem hífen quando se juntam a palavras que começam por h e r.

Exemplos: inter-humano, inter-regional, hiper-raivoso, hiper-hidrose, super-homem, super-rápido, super-requintado...

SUB

Este prefixo só exige hífen quando se associa a palavra que começa por b ou r.

Exemplos: sub-base, sub-bibliotecário, sub-região, sub-ramo, sub-reino.

ATENÇÃO PARA: bi, tri, tetra, penta, hexa...

Palavras com estes elementos não devem levar hifen.

Exemplos: bicampeão, bimensal, bimestral, bienal, tridimensional, trimestral, triênio, tetracampeão, tetraplégico, pentacampeão, pentágono...

Também não se deve usar o hífen após os elementos "hidro, socio, micro, macro, multi, mini, mega e tele". Estes elementos sempre se juntam sem hífen à palavra agregada. Se esta começar com "r" ou com "s", teremos "rr" ou "ss".

Exemplos: hidrossanitária, sociopolítico, microempresa, minissérie, minissaia, macrorregião, megaempresa, megashow, multimídia, multirracial, multissecular, telespectador, teleducação, telecomunicação, telessala, telessexo, telessena...

Em relação ao prefixo "hidro", em alguns casos, há duas formas possíveis: "Hidroavião" e "hidravião"; "hidroenergia" e "hidrenergia"; por exemplo, são formas registradas pelo "Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa", da ABL.

Quando se junta o elemento "mini" a palavras que começam por "h", o "Formulário Ortográfico" não disciplina com clareza esse caso. Com exceção do "Houaiss", os demais dicionários também não tocam no assunto. O "Houaiss" registra: "Nos casos (...) em que o segundo elemento se iniciar por h, sugere-se o uso de hífen." É o que ocorre com "mini-hospital", "mini-hotel", etc.

No caso do elemento "socio", só usamos hífen quando ele é substantivo (= de associado). Exemplo: sócio-gerente.

Lista das principais palavras compostas que se ligam por hífen:

PRINCIPAIS PALAVRAS COMPOSTAS QUE NÃO LEVAM HÍFEN

NOTA: a expressão "à toa" pode ser escrita com ou sem hífen, dependendo do seu significado:

1. à toa = "a esmo, ao acaso, sem fazer nada, em vão" (locução adverbial de modo, referindo-se ao verbo): "Passou a vida à toa"; "Anda à toa pelas ruas";

2. à-toa = "inútil, desprezível, desocupado, insignificante" (adjetivo que acompanha um substantivo): "Era uma mulher à-toa"; "Não passava de um sujeitinho à-toa".

Fonte: intervox.nce.ufrj.br

voltar 12avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal