Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  principais regras de redação  Voltar

Principais Regras de Redação



 

Denotação e Conotação

Uma lição

A denotação é o primeiro sentido de um signo, de um termo. Exemplo: "banana" denota uma fruta. A conotação consiste nos múltiplos sentidos posteriores do signo. Exemplo: "João é um banana". Aqui "banana" significa frouxo, destituído de vontade e de personalidade. Outro exemplo: "Azul" denota uma cor; "Anderson azulou", cujo significado é sumiu, saiu, fugiu. Portanto, a "gíria" é sempre conotativa.

Uso de Aspas

As aspas ("...") são usadas em três casos:

quando de citação literal, isto é, a reprodução de uma frase de outra pessoa da maneira pela qual ela foi formulada. Exemplo: o rei Luís XVI disse: "o Estado sou eu";

quando do uso de palavras estrangeiras. Exemplo: o "establishment" (sistema dominante e institucionalizado) é conservador. Outro exemplo: a publicidade, muitas vezes, utiliza o "outdoor". Atenção: não se usam aspas em palavras latinas, pois o Latim é a base do português. Exemplo: é preciso defender o status quo (o que existe atualmente). Outro exemplo: os conservadores desejariam retornar ao status quo ante (situação anterior, passada);

quando do uso de termos no plano conotativo. Exemplo: esta aula foi "animal". Animal denota fera; no nível conotativo da gíria significa "fantástico", "excepcional". Outro exemplo: ela é uma "gata". Gato denota um tipo de felino; no plano conotativo quer dizer "bonita", "atraente".

Algumas Figuras de Linguagem

As figuras de linguagem são recursos expressivos de uma língua. São maneiras de redigir e falar que fogem do discurso literal denotativo, visando informar de maneira conotativa e criativa. Elas ajudam a evitar os "clichês", isto é, frases feitas de uso corrente e pouco imaginativas. A cada aula ensinaremos duas figuras de linguagem para você entender e usar.

A METÁFORA

Consiste numa comparação implícita, ou seja, uma comparação na qual não se usa o termo como. Exemplo: o Mauricio é forte como um leão. Nesta frase não há metáfora, trata-se de uma mera comparação. Agora: Mauricio é um leão. Repare que na segunda proposição (frase) não aparece o termo como. O leitor deduz que a força do Mauricio é leonina. Como já dissemos, nesse caso, a comparação está implícita. Outro exemplo: Joana é burra como uma porta (comparação); Joana é uma porta (metáfora).

A CATACRESE

Consiste no deslocamento do sentido original, denotativo, do termo. Exemplo: "enterrei o prego no pé". Ora, "enterrar" significa enfiar algo na terra e não no pé, o que implica um afastamento do primeiro sentido do termo. Outro exemplo: "embarquei no avião". Embarcar é entrar no barco, portanto "embarcar no avião" é uma catacrese. Mais um exemplo: "pé da mesa". Você bem sabe que mesa não tem "pé"; o uso de "pé da mesa" é uma analogia, pois a estrutura de sustentação da mesa lembra um pé. Ainda mais: "bico do bule", o mesmo caso de "pé da mesa"; "comprei azulejos amarelos". "Azulejo" significa uma peça de decoração de cor azul. Portanto, azulejos amarelos deslocam o sentido original da palavra "azulejo".

O EUFEMISMO

É o uso de um termo ou expressão no lugar de outro termo ou expressão considerado chocante ou desagradável. Exemplo: "Maria foi desta para melhor" em lugar de "falecer". Outro exemplo: "Joana deu à luz" ao invés de "pariu"

A HIPÉRBOLE

É a figura que consiste em enunciar um conceito com exagero. Exemplo: "Eu já falei isso um milhão de vezes". Outro exemplo: "Seu discurso era tão caudaloso quanto o rio Amazonas".

Uso do Pleonasmo

Pleonasmo é a repetição do mesmo conceito. Ele pode ser "vicioso" quando aplicado de forma redundante. Exemplos: "entrar para dentro"; "subir para cima", etc. O pleonasmo também pode ser uma figura de estilo se usado como "ênfase". Exemplo: "vi com meus próprios olhos"; "pisei com meus próprios pés".

Cores compostas

Em cores compostas formadas por adjetivo + adjetivo, só o segundo elemento varia.

Escreva

Roupas azul-claras, cadeiras verde-amareladas Exceções: azul-celeste e azul-marinho são invariáveis

Não escreva

Roupas azul-marinho, cadeiras azul-celeste

À medida X Na medida

À medida que significa à proporção que, ao mesmo tempo que, conforme. Na medida em que corresponde a tendo em vista que.

Escreva

À medida que o tempo passava, sentia-se melhor. Na medida em que não havia provas, saímos da escola.

Não escreva

À medida que o trabalho terminou, ele foi passear. Na medida em que chovia, as ruas iam se alagando. Jamais escreva À medida em que (esta locução não existe)

Ao contrário

A locução ao contrário só deve ser usada quando a situação indicar oposição, no mesmo sentido de ao invés de. Quando a situação for de substituição ou alternativa, use diferentemente, de modo diferente ou em vez de.

Escreva

Ela esqueceu as regras gramaticais. Ele esqueceu-se das regras gramaticais. Ela lembrou o compromisso. Ele lembrou-se de comprar o leite.

Não escreva

Ela esqueceu de virar à direita no sinal. Ele lembrou de comprar o leite.

Regência

Não use a mesma preposição para verbos que têm regências diferentes.

Escreva

Ela viu o desfile e gostou dele. Muitos eleitores analisaram o candidato e votaram nele. Foi ele quem planejou o evento e cuidou da realização dele.

Não escreva

Ela viu e gostou do desfile de ontem. Muitos eleitores analisaram e votaram no candidato. Foi ele quem planejou e cuidou da realização do evento.

Debaixo de X De baixo

Debaixo é sempre seguido da preposição de e significa sob, contrário de acima. De baixo, separado, só pode ser usado em oposição a cima.

Escreva

Escondeu-se debaixo da mesa. Enfiou-se debaixo das cobertas. É um rapaz que veio de baixo. A parte de baixo da estante começava a se desfazer.

Não escreva

Começou a reforma debaixo para cima. O garoto saiu debaixo da cadeira.

De que algo é feito

Não se usa a preposição em para indicar o material de que alguma coisa é feita. A preposição a ser usada é de.

Escreva

Relógio de ouro, blusa de seda, tapete de lã; calça de algodão; camisa de cetim, calça de gorgorão, minissaia de helanca

Em função de

Não confunda em função de com em razão de, por causa de. Em função de só deve ser usada com a idéia de finalidade ou de dependência.

Escreva

Vivia em função da família. Preparei o relatório em função das características do mercado. As inundações ocorreram por causa do entupimento do bueiro.

Não escreva

As inundações ocorreram em função do entupimento do bueiro. Em função das chuvas de ontem, o trânsito ficou caótico.

E nem

E nem pode ser usado em dois casos: 1) Se antes da expressão houver uma afirmação. 2) Se antes da expressão houver uma negação e e nem não trouxer sentido de adição.

Escreva

É o que sempre promete e nem (mas nem) sempre realiza; Ele não foi, e nem por isso cancelaram o espetáculo.

E sim

E sim significa mas. Por isso o advérbio sim não pode estar entre vírgulas. A única vírgula possível é antes do e.

Escreva

Maria não foi à feira, e sim ao supermercado.

Qualquer

É impróprio o uso de qualquer em frases negativas no lugar de nenhum.

Escreva

O time não tem nenhuma possibilidade de vitória. O time não tem possibilidade alguma de vitória.

Não escreva

O time não tinha qualquer possibilidade de vitória.

Hífen

Usa-se hífen em expressões ou orações transformadas em substantivo.

Escreva

O entra-e-sai da sala estava me deixando nervosa. Foi um salve-se-quem-puder. Despediu-se com um seco boa-noite.

Não escreva

Boa-noite, meu filho.

Ao invés de X Em vez de

Ao invés de significa ao contrário de, só é usado para eventos ou situações opostas. Em vez de significa em lugar de, é usado para indicar substituição.

Escreva

Ao invés de virar à direita, ele enveredou pela esquerda. Em vez de seguir a carreira do pai, preferiu estudar astrologia.

Não escreva

Ao invés de terminar a pesquisa, ela foi dormir.

Junto a

Use a locução junto a apenas quando equivaler a perto de ou a adido a

Escreva

Minha mãe sentou-se junto ao irmão e chorou. O programa atualiza os arquivos no servidor.

Não escreva

O programa atualiza os arquivos junto ao servidor. Ele fez uma pesquisa junto aos representantes sindicais.

Mais bem X Melhor

Antes de verbo no particípio, o correto é empregar mais bem em vez de melhor.

Escreva

Esta cena foi mais bem encenada do que a outra.

Não escreva

Esta cena foi melhor encenada.

Mais bem X Melhor

Antes de verbo no particípio, o correto é empregar mais bem em vez de melhor.

Escreva

Esta cena foi mais bem encenada do que a outra.

Não escreva

Esta cena foi melhor encenada.

O mesmo

É incorreto o uso de mesmo e suas flexões como substituto de pronome ou substantivo

Escreva

Vi seus irmãos. Eles me pediram um conselho. Fomos ao teatro no sábado. Ele estava lotado.

Não escreva

Vi seus irmãos Os mesmos me pediram um conselho. Fomos ao teatro no sábado. O mesmo estava lotado.

A partir de

A partir de significa a começar de, a datar de e marca o início de algo no tempo e no espaço. Além disso, a locução carrega uma noção de continuidade. Não use a partir de com o sentido de com base em ou para introduzir eventos pontuais.

Escreva

A partir daquela experiência, ela nunca mais foi a mesma. A seleção dos alunos aconteceu com base na notas. A amizade entre eles nasceu de uma visita à viúva. Vargas implanta, com um golpe de Estado, o Estado Novo.

Não escreva

A seleção dos alunos foi feita a partir da indicação de professores. A amizade entre eles nasceu a partir de uma visita à viúva. Vargas implanta, a partir de um golpe de Estado, o Estado Novo.

Por conta de

Não use por conta de como sinônimo de por causa de, em razão de, mas no sentido de a cargo de, sob responsabilidade de.

Escreva

A elaboração da planta ficou por conta do doutor Ruy. Por causa do novo trabalho, o pai não poderá tirar férias.

Não escreva

Por conta do novo trabalho, o pai não poderá tirar férias.

Próximo X Seguinte

Use o adjetivo próximo e suas flexões apenas para designar aquilo que seja seguinte ao momento atual, o futuro do presente. Use o adjetivo seguinte para designar o que (se) segue; o que vem ou ocorre depois; o subseqüente. Nesse caso o ponto de referência não é o presente.

Escreva

As próximas vezes serão iguais. As vezes seguintes foram iguais. O assassino de Laura só será mostrado no próximo capítulo.

Não escreva

As próximas vezes foram iguais.

Próximo a, próximo de

Não varia se for adjunto adverbial (se estiver modificando o verbo). Varia se for adjetivo - e será adjetivo em duas situações: o quando houver verbo de ligação e próximo, portanto, for predicativo. o quando próximo estiver modificando um nome, for adjunto adnominal.

Escreva

Não conseguiu chegar próximo à área adversária. A nave aterrissou próximo à minha casa. Aurora estava próxima da rua onde nasceu. Os moradores permaneceram próximos ao rádio. As ruas próximas ao mercado estavam inundadas.

Gerúndio e vírgulas

Não use vírgula antes do gerúndio que descreve o modo como algo foi feito ou antes de gerúndio que introduz uma ação simultânea à do verbo anterior.

Escreva

Costuma resolver os problemas profissionais mudando de emprego. Gostava de dirigir ouvindo música. Sempre falou mexendo os braços. Ponha vírgula antes do gerúndio que introduz uma ação que é conseqüência da ação expressa pelo verbo anterior ou uma idéia de continuidade.

Escreva

As nuvens se formaram aos poucos, cobrindo toda a cidade. A ginástica reforça a musculatura das pernas, aumentando seu diâmetro. Não gostava de viajar, perdendo com isso diversas oportunidades de emprego.

Senão X Se não

Escreve-se se não, em duas palavras, quando a expressão equivaler a: caso não, quando não. Escreve-se senão, numa única palavra, quando a expressão significar ao contrário, de outro modo.

Escreva

Se não estiver ouvindo, falarei mais alto. Muitos dos setores, se não todos, já começaram os trabalhos. Batalhe, senão você não passará no vestibular.

Seu, sua

O artigo definido (o/a) é usado no lugar do possessivo (seu/sua) antes do nome de partes do corpo, peças de roupa, faculdades do espírito e relações de parentesco.

Escreva

Esqueceu completamente a avó. Laís mexeu a cabeça e sorriu. Não escreva Laís mexeu a sua cabeça. Passou o braço no ombro do seu pai e choraram juntos.

Super

Use hífen sempre que super ligar-se a um nome próprio ou sigla.

Escreva

Super-Mário, super-Natal, super-Londres

Fonte: www.vestibular1.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal