Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Jiu-Jitsu  Voltar

Jiu-Jitsu

O Jiu-Jitsu é a arte marcial que pode ser considerada a mãe de todas as outras. A partir dela, modalidades como o karatê e o judô nasceram, afim de atender um intuito mais de competição do que de luta propriamente dita. A arte suave, segundo a maioria das fontes, nasceu na Índia, sendo uma forma de auto-defesa utilizada por determinados grupos de Indivíduos afim de protegerem suas aldeias, famílias e clãs. Essas pessoas eram notadamente fracas e franzinas, tendo que desenvolver uma técnica bastante apurada. Foi, porém, no Japão que o Jiu-Jitsu de fato cresceu.

Jiu Jutsu

Os primeiros campeões de lá vieram e as técnicas de luta eram aplicadas pelos soldados e pelo povo na defesa da pátria. No final do século 19 e início do século 20 era considerado rime de lesa Pátria o ensino de Jiu-Jitsu a estrangeiros.

Em 1914, o mestre de Jiu-Jitsu Japonês chamado Mitsuo Maeda (conhecido como conde Koma) veio ao Brasil em missão diplomática, quando em Belém do Pará conheceu Gastão Gracie, iniciando-se assim uma grande amizade. Conde Koma, em razão da afinidade e dos favores prestados por Gastão, começou a ensinar o Jiu-Jitsu a Carlos Gracie. Carlos, após aprender a arte, continuou a ensiná-la a seus irmãos (mais notadamente a Hélio Gracie, o caçula). Eles passaram então a refinar e aprimorar as técnicas aprendidas com Mitsuo Maeda, tornando-as mais eficientes e acessíveis a qualquer pessoa, independente de força ou tamanho. Foi aí que nasceu a Gracie Jiu-Jitsu, a mais completa e eficiente forma de auto-defesa já existente no mundo.

Os resultados das constantes competições sem regras entre artes marciais, provam a supremacia absoluta do Gracie Jiu-Jitsu ou Brazilian Jiu-Jitsu. Dentre as inúmeras técnicas existentes no iu-Jitsu, As mais comuns são: Quedas, estrangulamentos, torções, imobilizações e alavancas.

A VERDADEIRA HISTÓRIA DO JIU JITSU"

Conheça um pouco da verdadeira historia do Jiu-Jitsu desta luta tão polêmica que vem despertando cada vez mais o interesse da imprensa mundial vem se tornando uma das lutas com o maior numero de praticantes em todo mundo. Para muitos, ou seja para aqueles mal informados que acompanham apenas o lado negativo do Jiu-Jitsu e as criticas feitas a uma pequena minoria de praticantes de artes marciais que saem por ai arrumando confusões e se dizendo lutadores de Jiu-Jitsu, esta é apenas uma luta agressiva e violenta. Mas a realidade é outra e portanto vamos conhecer a verdadeira historia do Jiu-Jitsu. O Jiu-Jitsu é a mais antiga e perfeita arte científica marcial de defesa pessoal. É superior a todos demais estilos por ser a mais eficiente e completa de todas os estilos por ser mais eficiente e completa de todos os estilos de lutas já existentes.

Jiu-Jitsu divide-se:

1) Quedas (Judo)
2) Traumatismo-Atemi (Karate-Jitsu)
3) Torções (Aiki-Jitsu)
4) Estrangulamento
5) Pressões
6) Imobilizações
7) Colocação (Posição de combate, momento de ataque e esquiva) é praticado e pé ou no chão e com qualquer tipo de vestuário.

"ORIGEM"

Apesar de contraditórias versões, a origem do Jiu-Jitsu é, inegavelmente atribuída à Índia, berço das religiões e de cultura inigualável. Monges Budistas de grande saber e de perfeito conhecimento do corpo humano, foram os criadores da mais perfeita e completa forma de defesa pessoal de todas as épocas, que é o Jiu-Jitsu, o pai de todas as lutas. Torna-se portanto, necessário o conhecimento da origens do budismo para que se possa compreender a criação da forma de luta, que séculos mais tarde, foi chamada pelos japoneses de "Arte Suave " ou seja, a técnica de defesa pessoal que com o mínimo de esforço, sem necessidade de uso da força bruta, permite ao mais fraco, defender-se e derrotar um adversário fisicamente mais forte.

"O BUDISMO"

Há cerca de 2500 anos passados, nascia ao norte da Índia, algumas milhas acima de Bemers, o príncipe Siddha Gautama, membro da tribo Sakya, que usava o dialeto Pali, ou o Sâncrito. Homem culto e de grande inteligência, lançou as bases da religião que traria o seu nome e logo se desenvolveria por toda a Índia. Uma das principais preocupações de Buda ( O iluminado ), foi dotar seus seguidores de grande cultura e conhecimento gerais, para melhorar propagarem a sua fé. Dentre seus seguidores, Monges de longínquos monastério, obrigados a percorrerem pelo interior da Índia, em longas caminhadas, tendo que defenderem-se contra assaltantes e bandidos, que infestavam a região, apareceram aqueles que seriam verdadeiramente os criadores da luta da luta, que permitiria a eles, a sua defesa, sem o uso de armas atentatórias a moral da sua religião. Assim nasceu o Jiu-Jitsu, com o espírito de defesa, que a sua essência.

Fonte: hooshinsull.vilabol.uol.com.br

Jiu Jutsu

Jiu-jitsu ou jujutsu (jujutsu Jiu Jitsu- arte versátil, suave) é uma arte marcial que utiliza golpes de articulação, como torções de braço, tornozelo e estrangulamentos, para imobilizar o oponente. Inclui também quedas, golpes traumáticos e defesas pessoais, como saídas de gravata, esquivas, contra-golpes etc.

Jiu-Jitsu

Basicamente usa-se o peso e a força do adversário contra ele mesmo. Essa característica da luta possibilita que um lutador, mesmo sendo menor que o oponente, consiga vencer. Outra característica marcante o diferencia de outras artes: suas avançadas técnicas de luta de chão, com a qual é possível finalizar um adversário por meio de uma queda e usando-se torções com ambos deitados.

História do Jiu-Jitsu

Apesar de se tornar mais popular no Japão, a história do jiu-jitsu começou na Índia (por isso a cognominação "o berço das artes marciais"), há mais de dois mil anos. Os monges indianos eram proibidos, pela religião, de se defenderem com armas. Mas em suas longas caminhadas, eram atacados por bandidos das tribos mongóis do norte da Ásia, nascendo então a necessidade de defesa corpo-a-corpo.

Conhecedores de pontos vitais do corpo, desenvolveram um tipo de defesa especial para o tipo físico do seu povo, franzino e de baixa estatura. Essa espécie de embrião do jiu-jitsu acabou atravessando as fronteiras da China, onde suas técnicas também foram desenvolvidas como um sistema de defesa, até alcançar o arquipélago japonês, lá desenvolvido e praticado apenas por nobres e samurais.

Antigamente havia vários estilos de jiu-jitsu e cada lutador tinha seu estilo próprio. Por isso o jiu-jitsu era conhecido por vários nomes, tais como: kumiuchi, aiki-ju-jitsu, koppo, tai-jutsu, gusoku, oshi-no-mawari, yawara, hade, jutai-jutsu, shubaku e outros.

No fim da era Tokugawa, existiam cerca de 700 estilos de jiu-jitsu, cada qual com características próprias. Alguns davam mais ênfase às projeções ao solo, torções e estrangulamentos, ao passo que outros enfatizavam golpes traumáticos como socos e chutes. A partir de então, cada estilo deu origem ao desenvolvimento de artes marciais conhecidas atualmente de acordo com suas características de luta, entre elas o judô, o caratê e o aikidô.

Por muito tempo, o jiu-jitsu foi a luta mais praticada no Japão, até o surgimento do judô, em 1882. O jiu-jitsu era tratado como uma das jóias mais preciosas do Oriente. Era tão importante na sociedade japonesa que chegou a ser _ por decreto imperial _ proibido de ser ensinado fora do Japão e/ou aos não japoneses, proibição que atravessou os séculos até a primeira metade do século 20. Era considerado crime de lesa-pátria ensiná-lo aos não japoneses. Quem o fizesse era considerado traidor do Japão, condenado à morte, sua família perdia todos os bens que tivesse e sua moradia era incendiada. Com a introdução da cultura ocidental no Japão, promovida pelo Imperador Meiji (1867-1912), as artes marciais cairam em relativo desuso em função do advento das armas de fogo, que ofereciam a possibilidade de eliminação rápida do adversário sem o esforço da luta corporal. As artes de luta só tornaram a serem valorizadas mais tarde, quando o ocidente também já apreciava esse tipo de luta.

No Brasil

Em 1917, Mitsuyo Maeda, também conhecido como conde Koma, foi enviado ao Brasil em missão diplomática com o objetivo de receber os imigrantes japoneses e fixá-los no país. Sensei da Academia Kodokan de judô, Maeda ensinou Carlos Gracie em virtude da afinidade com seu pai, Gastão Gracie. Carlos por sua vez ensinou a seus demais irmãos, em especial a Hélio Gracie. Neste ponto surgem duas teorias.

A primeira alega que Maeda ensinou somente o judô de Jigoro Kano a Carlos, e esse o repassou a Hélio, que era o mais franzino dos Gracie, adaptando-o com grande enfoque no Ne-Waza - técnicas de solo do judô, ponto central do jiu-jitsu desportivo brasileiro. Para compensar seu biotipo, a partir dos ensinamentos de Carlos, Hélio aprimorou a parte de solo pelo uso do dispositivo de alavanca, dando-lhe a força extra que o mesmo não dispunha.

A segunda teoria, apoiada pelos Gracies, fala que Maeda era, também, exímio praticante de jiu-jitsu antigo, como Jigoro Kano, e foi essa a arte que ensinou ao brasileiros. Mas o certo é que o jiu-jitsu tradicional de muito difere do praticado no Brasil atualmente, o praticado no Brasil atualmente é exatamente igual ao Judô antigo, inventado por Jigoro Kano, porém com mais quedas e imobilizações.

Em Portugal

Actualmente ainda se pratica o jujutsu associado aos samurais do antigo Japão. Note-se que no caso dessa arte tradicional as palavras ju (flexibilidade, gentil, suave) e jutsu (arte) são diferentes das jiu-jitsu mais utilizadas para classificar o chamado jiu-jitsu brasileiro, criado pelos irmãos Gracie. Crê-se que essa vertente tenha sido propagada na Europa por Minuro Mochizuki.

No caso do jujutsu tradicional são utilizadas armas como o tanto (faca), o tambo (bastão), o kubotan ou kashinobo (semelhante a uma caneta), a tonfa (utilizada pelas forças policiais), o bo (bastão comprido) e a katana, entre outros.

Tendo a vertente de defesa pessoal, militar ou policial compreende técnicas de batimento, projeção, imobilização, controle, estrangulamento e reanimação, além de poder ser combinado com as técnicas de massagem terapêutica (shiatsu ou seitai).

A maior diferença entre os estilos tradicional e brasileiro talvez seja o uso de diferentes armas (bukiwaza) e também uma menor utilização da luta no chão no jujutsu tradicional, sendo que esse utiliza também técnicas de controle como o hojojutsu. Nessa arte também as graduações são diferentes, além de um maior vínculo aos usos e tradições japonesas. A ligação ao mestre é muito forte e são utilizadas com muita freqüências expressões e nomes japoneses no tocante às técnicas.

História do Jiu-jitsu Brasileiro Em Portugal

O Jiu-jitsu chegou a Portugal em 1996 pelas mãos do professor Lauro Figueiroa, que foi com o objetivo de difundir o Jiu-Jitsu Gracie. Apesar de pouco ou quase nenhum recurso, conseguiu angariar bastantes alunos.

Em 1997 foi quando se realizou o primeiro capeonato da modalidade, realizado dentro da discoteca Bafureira Beach Club (antigo Scala), em S.Pedro do Estoril. Em 1998, o professor Lauro em conjunto com o Grupo SuperStar promoveu o primeiro confronto de Vale-tudo em Portugal, entre o o próprio professor, representando o Jiu-Jitsu e o Mestre Pichote, representando a Capoeira (Luta demonstração). Em 2000, houve a disputa do primeiro Cinturão português de Vale-tudo, entre o Lauro, contra o tricampeão Francês de Free-Fight, Eurico Soares. Luta vencida por Lauro por nocaute aos 30 segundos do primeiro round. Compareceram ao evento mais de 4.000.

Em 2001, em viagem ao Rio de Janeiro, o Lauro recebeu o convite do Grande Mestre Carlos Gracie Jr. para representar oficialmente a família Gracie em Portugal. Em 2002, devido ao grande crescimento do Jiu-jitsu em Portugal e à imigração de muitos professores de Jiu-jitsu, Lauro funda a Associação Luso-Brasileira de Jiu-Jitsu e realiza a 25 de abril deste ano o 1o Campeonato Nacional de Jiu-jitsu Brasileiro. Neste mesmo ano o Profº Lauro F. organiza e prepara a primeira seleção portuguesa de Jiu-jitsu, que viaja com ele para o Campeonato Mundial no Rio de Janeiro - Brasil, trazendo como resultado uma medalha de prata da atleta Carolina Prado e um quarto lugar. Em 2003, novamente o professor Lauro leva uma delegação portuguesa para o Campeonato Mundial no Rio de Janeiro - Brasil, trazendo mais uma medalha de prata da atleta Carolina Prado e no mesmo ano no Campeonato Master e Senior leva atletas onde conquintam uma medalha de ouro e outra de bronze.

Em 2004, a Associação Luso-Brasileira de Jiu-Jitsu dirigida pelo professor Lauro, em parceria com a Conderação Brasileira e a Federação Internacional de Jiu-jitsu, realiza o 1o Campeonato Europeu de Jiu-Jitsu da historia e com grande sucesso conseguem a participação de atletas de mais de dez paises oriundos não só da Europa, como também das Américas e da Ásia.

Neste mesmo ano, Lauro passa a representar a International Budo Union e recebe o cargo de delegado para todo Brasil a convite do Grande Mestre Pedro Dabauza, nono dan de Jiu-jitsu tradicional.

Atualmente o Jiu-jitsu está espalhado por Portugal por conta de muitos alunos formados para o ensino do Jiu-Jitsu Brasileiro, entre outros professores que imigraram.

Fonte: pt.wikipedia.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal