Breaking News
Home / Esportes / Pentatlo Moderno

Pentatlo Moderno

PUBLICIDADE

Pentatlo Moderno
Pentatlo Moderno

História

O pentatlo moderno foi inventado por Pierre de Coubertin, barão criador dos Jogos Olímpicos. A modalidade entrou para o calendário olímpico em 1912, durante a disputa da edição de Estocolmo.

O esporte é dividido em cinco categorias diferentes: hipismo, esgrima, natação, tiro e corrida.

O atleta precisa mostrar habilidade em todas as provas e ter resultados expressivos, já que o desempenho na categoria anterior influencia a posição de largada da próxima.

Cada modalidade disputada dentro do pentatlo moderno segue suas regras próprias, como acontece na prova individual.

A primeira aparição do esporte foi ainda na Antiguidade, por volta do ano 708 a.C., sob a influência dos soldados da cidade grega de Esparta – que o praticavam como forma de treinamento.

Considerado a parte mais importante das Olimpíadas da era antiga, o pentatlo tinha quatro provas eliminatórias: corrida, salto em distância, arremesso do disco e salto em altura. Ao final, apenas dois competidores decidiam o título numa prova de luta. O vencedor era aclamado no território grego e cultuado como um semideus.

Pentatlo Moderno
Sequência do Pentatlo Moderno

Porém, existe a lenda do jovem oficial francês da cavalaria do exército de Napoleão Bonaparte, que foi encarregado de entregar uma mensagem. Para cumprir seu objetivo, partiu a cavalo. Percorreu terrenos acidentados e atravessou linhas inimigas até seu animal ser morto numa batalha. Enfrentou seus adversários com uma arma de fogo e uma espada. Para completar a missão, atravessou um rio de forte correnteza e correu até entregar a mensagem ao destino.

Imaginando uma competição que conseguisse premiar o atleta mais completo, como se fazia no pentatlo dos Jogos Antigos – disputados há 2700 anos -, o barão Pierre de Coubertain decidiu incluir uma modalidade parecida nos Jogos da Era Moderna.

Aprovado no Congresso do Comitê Olímpico Internacional, realizado em Budapeste, Hungria, um ano antes, o pentatlo estreou nas Olimpíadas de Estocolmo-1912, com a disputa das seguintes modalidades: tiro, esgrima, natação, hipismo e corrida.

Durante várias décadas, o esporte também foi utilizado como parte dos exames finais em numerosas academias militares da Europa. O pentatlo foi administrado diretamente pelo Comitê Olímpico Internacional até 1948, ano em que foi criada a União Internacional do Pentatlo Moderno (UIPM), fundada pelo sueco Gustaf Dyrssen, campeão olímpico da modalidade em 1920.

Em seu início, a Suécia reinou soberana na modalidade. Das oito primeiras edições, sete foram vencidas por representantes do país, com direito a um pódio totalmente formado por suecos em Estocolmo-1912, Antuérpia-1920 e Paris-1924. O único “forasteiro” a ser ouro olímpico no período foi o alemão Gotthard Handrick, em Berlim-1936.

Porém, a partir de Roma-1960, o cenário mudou, os suecos só triunfaram em 1968 (com Bjorn Ferm) com húngaros e russos dominando o cenário. A Hungria faturou quatro ouros e cinco pratas, enquanto os russos foram os campeões das últimas duas edições no masculino.

As mulheres fizeram parte do programa olímpico em Amsterdã-1928, mas só voltaram a ter uma competição em Sydney-2000. Hungria, Suécia e Grã-Bretanha têm uma medalha de ouro cada.

Regras do Pentatlo

Como diz o nome através do prefixo penta (tradução latina para cinco), o pentatlo moderno é composto de cinco modalidades: tiro, esgrima, natação, hipismo e corrida.

Todas as provas são disputadas em um único dia e o campeão é aquele que somar mais pontos. Há provas masculinas e femininas. A modalidade é praticado por categorias, de acordo com a idade dos atletas. Como é um esporte que exige um excelente preparo físico e técnico, as competições das são realizadas para os mais jovens em forma de biatlo moderno, englobando corrida e natação. Conforme o atleta vai crescendo, assim como sua forma física, técnica e sua experiência, o número de modalidades vai aumentando até chegar ao pentatlo moderno.

Ele é dividido por etapas:

A primeira etapa é o tiro e nela, cada competidor tem direito a 20 disparos com uma arma de ar comprimido ou CO2 tendo que acertar alvos situados a 10 metros. A pistola deve ter um calibre de 4,5 mm (.177), pesar no máximo 1500 gramas e ter um gatilho com peso de 500 gramas. Durante a prova, os atletas atiram na posição de pé com apenas uma das mãos, sem qualquer auxílio ou apoio. Uma pontuação de 172 de um total de 200 nos alvos corresponde a 1000 pontos de pentatlo moderno. Cada ponto a mais ou a menos corresponde a mais ou menos 12 pontos na pontuação de pentatlo moderno. Se um competidor fizer 173 pontos no tiro terá 1012 pontos no pentatlo.

A segunda parte é a esgrima, que é disputada com todos os competidores se enfrentando. Cada combate dura um minuto ou o tempo necessário para que o adversário seja atingido. A vitória em um combate se dá quando ocorre um contato em qualquer parte do corpo do adversário. Se durante um minuto não se dá nenhum contato, ambos os atletas assumem a derrota.

O competidor que vencer 70% dos combates recebe 1000 pontos no pentatlo. Cada vitória a mais ou a menos corresponde a uma pontuação que depende do número de competidores. Se competirem 32 pentatletas, 22 vitórias correspondem a 1000 pontos e cada vitória a mais ou a menos vale 28 pontos.

Depois do esgrima vem a prova de natação, disputada no estilo 200m livre em piscinas de 50m. Quando os homens completam a prova em 2min30 e as mulheres em 2min40, 1000 pontos são adicionados à sua pontuação geral no pentatlo. Cada 0,33 seg mais rápido ou mais lento corresponde a mais ou menos quatro pontos no total. Um tempo de 2min29s para os homens equivale a 1.012 pontos no pentatlo moderno.

Passada essa etapa, vem a competição de hipismo. Ela é composta por doze obstáculos de, no máximo, 1,20 m de altura, em um percurso de 350m a 450m. O tempo para o trajeto é estabelecido de acordo com a distância. Os cavalos são sorteados no início da competição. Antes da prova, os cavaleiros têm 20 minutos para conhecer o percurso e o animal.

Todos os competidores entram em pista com 1200 pontos. Cada segundo além do tempo ideal subtrai quatro pontos do total. Cada obstáculo derrubado equivale a uma penalidade de 28 pontos e uma queda vale 40 pontos a menos. Uma segunda queda leva à interrupção do percurso.

Finalmente vem a última e decisiva etapa: a corrida. A diferença de pontos acumulados nas outras provas entre os atletas é convertida em segundos. Cada dois pontos de diferença entre os atletas equivale a meio segundo. O percurso é de 3000 metros em qualquer tipo de superfície e com um desnível máximo de 50 metros. O grande campeão é aquele que cruzar primeiro a linha de chegada. Há ainda uma pontuação final. Para ganhar 1000 pontos os homens devem completar o trajeto em 10 minutos e as mulheres em 11min20. Cada meio segundo a mais ou a menos corresponde a um acréscimo ou perda de dois pontos do pentatlo.

Pentatlo no Brasil

O pentatlo moderno é disputado no Brasil desde 1922.

Filiada à Confederação Brasileira de Desportos Terrestres, a modalidade teve a participação de brasileiros em cinco edições de Olimpíadas: Berlim-1936, Helsinque-1952, Melbourne-1956, Roma-1960 e Tóquio-1964. Durante muitos anos, a atividade ficou restrita ao âmbito das forças armadas.

Foi apenas em 2001 que o esporte ganhou sua própria entidade com a fundação da Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno (CBPM).

Atualmente, apenas cinco federações estão filiadas: Federação Gaúcha de Pentatlo Moderno (FGPM), Federação de Pentatlo Moderno do Estado do Rio de Janeiro (FPMERJ), Federação de Pentatlo Moderno do Distrito Federal (FPMDF), Federação Pernambucana de Pentatlo Moderno (FPEPM) e Federação Paulista de Pentatlo Moderno (FPPM).

Em Helsinque-1952, o Brasil foi representado por Eduardo Leal de Medeiros, Aloysio Alves Borges e Eric Tinoco Marques, todos com a patente de capitão do exército. Medeiros terminou na décima posição, Borges ficou em 21º e Marques em 29º. Em Melbourne-1956, a mesma equipe ficou fora das finais da competição.

Nas Olimpíadas de Roma-1960, Wenceslau Malta, que um ano antes ganhou a medalha de ouro no Pan-Americano de Chicago (Estados Unidos), ficou na 32ª colocação. O primeiro-tenente José Wilson Pereira e o segundo-tenente Justo Botelho Santiago terminaram na 50ª e 27ª colocações, respectivamente. Na competição por equipes, o Brasil terminou em 13º. Em Tóquio-1964, o único representante brasileiro, o capitão José Wilson Pereira, não se classificou para as finais da competição.

O país não levou representantes para a disputa do pentatlo nas Olimpíadas de Sydney-2000, mas o país voltou a ser representado em Atenas-2004 com Samanta Harvey, em 25º lugar, e Daniel Santos, que terminou na 29ª posição. Agora, porém, a modalidade sonha mais alto com Yane Marques, ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro e única representante nacional em Pequim.

O pentatlo moderno

O pentatlo moderno existe desde a Grécia Antiga. Era a modalidade mais nobre dos Jogos Olímpicos antigos, que premiava o atleta mais completo. Naquela época, as provas iniciais eram corrida, salto em distância, arremesso de disco e salto em altura. Então, os dois melhores colocados se enfrentavam em uma luta, e o vencedor ganhava não apenas o título, mas, também, prestígio na sociedade, passando a ser aclamado quase como um semideus.

Inspirado nessas disputas, o barão Pierre de Coubertin, um dos maiores incentivadores das Olimpíadas modernas, resolveu adaptar a disputa aos novos Jogos, também premiando o atleta mais completo. Porém, os esportes praticados dessa vez seriam outros. Em vez das modalidades do atletismo e da luta, os competidores passariam a disputar provas de tiro, esgrima, natação, hipismo e corrida.

Assim, a estréia do pentatlo moderno aconteceu nos Jogos de 1912, em Estocolmo, na Suécia, após aprovação do Conselho do Comitê Olímpico Internacional (COI) em 1911, na Hungria. Por se tratar de um esporte muito voltado à disputa das Olimpíadas, o pentatlo foi organizado pelo próprio COI até 1948. Nesse ano, porém, foi fundada a União Internacional do Pentatlo Moderno, que regula o esporte até os dias atuais.

Regras

Toda a disputa do pentatlo moderno acontece em um único dia. Os atletas recebem pontos pelo seu desempenho em cada uma das modalidades, e, ao fim da última prova, aquele que obtiver o maior número de pontos será aclamado vencedor.

A prova decisiva sempre é a da corrida. Assim, os pontos acumulados em todas as modalidades anteriores são transformados em tempo, e o ganhador da corrida será consagrado o grande campeão.

A primeira prova do pentatlo moderno é a de tiro. Os atletas precisam disparar 20 vezes em alvos estáticos situados a 10 m. O máximo de pontos possível na prova é de 200 – caso todos os disparos sejam perfeitos. Para conquistar 1000 pontos, porém, o atleta precisa anotar apenas 172 pontos no tiro. Cada ponto a mais é transformado em 12 pontos de pentatlo. Assim, aquele que fizer 173 no tiro terá 1012 na tabela do pentatlo.

Na competição seguinte, a de esgrima, todos os atletas se enfrentam. Disputadas com espadas, as lutas (assaltos) duram apenas um toque. Aquele que o fizer primeiro vence o confronto. Se houver empate (quando nenhum dos dois adversários consegue tocar o outro no tempo limite de 1 minuto), ambos são considerados perdedores.

O atleta que ganhar 70% das lutas consegue 1000 pontos no pentatlo. O peso de uma vitória a mais ou a menos varia de acordo com o número de competidores. Se competirem 32 atletas, serão 31 assaltos – 70% equivale a 22 vitórias. Ou seja, 22 vitórias corresponderiam a 1000 pontos no pentatlo.

Na natação, os atletas devem percorrer 200 m contra o relógio, ou seja, não interessa quem chega primeiro, e sim quem faz o menor tempo. A marca de 2min30 s para os homens e 2min40 s para mulheres significa 1000 pontos no pentatlo. Cada 0,33s a mais ou a menos representa 4 pontos na pontuação do pentatlo.

A quarta prova é o hipismo. Nela, o atleta deve montar um cavalo desconhecido e cavalgar um trajeto que vai de 350 m a 450 m, com 12 obstáculos de, no máximo, 1,20 m, sendo um duplo e um triplo (15 no total). A escolha do cavalo acontece antes da prova. O atleta melhor colocado nas provas anteriores tem prioridade de escolha, e assim sucessivamente.

Cada um tem 20 minutos para conhecer melhor e se adaptar ao animal. O tempo limite para conclusão do trajeto varia de acordo com a distância percorrida. No menor possível, é de 1 min, enquanto o mais longo deve durar, no máximo, 1 min17 s. Cada atleta começa a prova com 1200 pontos. Cada segundo a mais ou a menos no tempo vale quatro pontos. O toque em um obstáculo significa perda de 28 pontos, enquanto uma queda equivale a 40.

Na quinta e última prova, os atletas devem percorrer 3000 metros em qualquer superfície. Nesse momento, a pontuação de pentatlo dos atletas até então é convertida em tempo. Cada quatro pontos correspondem a um segundo. Assim, uma diferença de 200 pontos entre o primeiro e o segundo colocados significa um intervalo de 50 segundos na largada. Quem cruzar primeiro a linha de chegada vence a competição.

Local, táticas e equipamentos

Local

Os locais de prova são os mesmos onde cada modalidade específica é disputada. Entretanto, as competições devem ser realizadas umas próximas das outras, já que todo o circuito do pentatlo moderno precisa ocorrer em um mesmo dia.

A prova de corrida, por sua vez, pode acontecer em qualquer tipo de terreno. Normalmente, é disputada na raia olímpica onde acontecem as provas de atletismo, mas esse não é um procedimento obrigatório.

Táticas

Como prega a filosofia do esporte, o atleta mais preparado é o que vence a competição. Por isso, não adianta o competidor ser especialista em uma das modalidades e não ir bem nas demais, já que contagem dos pontos é feita em todas as provas.

Dessa forma, a preparação do atleta no esporte ocorre gradualmente. Um atleta só disputa as cinco provas do pentatlo quando atinge os 19 anos. Antes disso, ele concorre apenas a algumas delas. Até os 12 anos, uma pessoa disputa apenas o biatlo moderno, que consiste em provas de corrida e natação. Com 13 e 14, o triatlo moderno, com corrida, natação e tiro. Entre 15 e 18, as competições são de tetratlo moderno, com provas de corrida, natação, tiro e esgrima. Esta divisão ocorre em função do pentatlo moderno ser um esporte que exige um excelente preparo físico, técnico e mental, visto que é disputado em um único dia.

Equipamentos

Os uniformes e equipamentos básicos de cada prova são idênticos aos utilizados em cada um dos respectivos esportes que compõe o pentatlo moderno.

Tiro: a arma usada é uma pistola de ar comprimido ou dióxido de carbono de 4,5 mm de calibre, pesando, no máximo, 1500 g.
Esgrima:
utiliza-se a espada, que mede 110 cm e pesa 770 g.
Natação:
os atletas usam apenas uma sunga (homens) e maiôs (mulheres), sendo opcional também a touca e o óculos.
Hipismo:
o cavaleiro usa um uniforme apropriado que consiste em seis partes diferentes: cartola (ou quepe), casaca, plastrom, luvas, culote e botas. O cavalo, por sua vez, deve usar uma rédea, sela e ferraduras.
Corrida:
os atletas usam tênis específico para a modalidade, shorts e camisetas.

Os equipamentos utilizados na natação, hipismo e corrida são exatamente os mesmos empregados nas competições tradicionais de cada esporte.

Brasil

No país, o pentatlo moderno é uma conseqüência da evolução das modalidades que integram esse esporte. A prática conjunta, porém, nunca chegou a ser muito divulgada, e até hoje o pentatlo é praticado mais em quartéis militares, onde o atleta costuma ter todos os equipamentos necessários à sua disposição.

A Confederação Brasileira de Pentatlo Moderno, que regula o esporte no país, só conseguiu se desvencilhar da Confederação Brasileira de Desportos Terrestres em 2001, sendo uma das entidades mais jovens a reger um esporte olímpico no Brasil.

Em função disso, os resultados dos atletas nacionais nunca foram muito expressivos. As melhores marcas foram todas obtidas em edições de Jogos Pan-Americanos, quando os brasileiros não enfrentam os europeus, grandes potências das competições.

Fonte: canalolimpico.com.br/esporte.hsw.uol.com.br

Veja também

Nilton Santos

Nilton Santos, Jogador, Futebol, Vida, Clubes, Títulos, Nascimento, Seleção Brasileira, Titular, Carreira, Nilton Santos

Gilmar

Gilmar, Futebol, Jogador, Títulos, Goleiro, História, Clubes, Gols, Seleção Brasileira, Atuação, Mundial, Jogos, Carreira, Gilmar

Leônidas

Leônidas, Jogador, Futebol, Clubes, Títulos, Biografia, Capitão, Ídolo, Diamante Negro, Treinador, Vida, Carreira, Leônidas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.