Breaking News
Home / Esportes / Arvorismo

Arvorismo

PUBLICIDADE

O arvorismo é um esporte recente no Brasil, baseia-se em uma montagem de trilhas, passarela, redes, tirolesa e diferentes atividades suspensas, através de cordas e cabos de aço alocados de maneira estratégica para proporcionar a cada participante uma boa dose de adrenalina e desafio, com muita segurança sob controle de instrutores especializados, o participante percorre cinco trechos aéreos, aonde a dificuldade vai aumentando progressivamente.

Arvorismo
Arvorismo

As primeiras práticas de Arvorismo foram registradas na Europa em meados dos anos 90, que inicialmente era feita por pesquisadores com a intenção de estudar espécies encontradas nas copas das árvores como pássaros, bromélias, entre outras. com isso, praticantes de esportes verticais foram aperfeiçoando as técnicas, fazendo com que o esporte hoje se tornasse uma modalidade ecológica bastante apreciada.

O Arvorismo atualmente faz sucesso no Mundo todo, essa modalidade consiste em atravessar percursos acrobáticos feitos através de pistas montadas próximas à copa das árvores com utilização de técnicas de rapel e tirolesa. O esportista precisa percorrer os diferentes circuitos suspensos que ficam a cerca de 7 m do chão, bem no alto das árvores, na medida em que se ultrapassa o percurso, a dificuldade vai aumentando em cada trajeto o que também permite uma adaptação gradual à altura e a prática.

Além de estimular o contato do homem com a natureza e a conscientização para sua preservação, o praticante melhora suas habilidades em termos de equilíbrio, coordenação, confiança e principalmente concentração. O Arvorismo pode ser feito por crianças a partir de doze anos e adultos de qualquer idade, sendo exigido somente altura mínima de 1,40m, que para a segurança os esportistas estão sempre amarrados a cabos de aço para que não haja nenhum risco.

Arvorismo
Arvorismo

Se você gosta de sentir friozinho na barriga, de se sentir um aventureiro e gosta da natureza, uma deliciosa atividade para se divertir nesse finzinho de férias é o arvorismo. Chamado também de arborismo ou verticália, o arvorismo é a passagem de uma copa de árvore à outra. A travessia é feita numa montagem de trilhas, passarelas, redes, tirolesas (é a maneira que alpinistas utilizam para transpor vales, canyons e obstáculos elevados e distantes entre si. A pessoa faz a travessia presa a cintos tipo cadeirinha, que desliza por um cabo de aço através de roldanas) e outras atividades suspensas, através de cordas e cabos de aço.

Instalado em parques, clubes, acampamentos e hotéis com bastante área verde, o objetivo do arvorismo é provocar aquela sensação gostosa de medo, mas com muita segurança e contato com a natureza.

O esporte pode ser feito em dois tipos de circuitos. O acrobático, voltado para o turismo de aventura, exige coordenação, equilíbrio e coragem. O praticante deve estar preso a um cabo de segurança para que escale redes e árvores, caminhe sobre cabos de aço, equilibre-se em estribos (iguais aos da cela de um cavalo), atravesse pontes e deslize por tirolesas, sem riscos.

Outro modelo de circuito é o contemplativo, no qual o praticante caminha suspenso entre as árvores usando passarelas, sempre protegido por redes. Esta prática tem sido usada também por biólogos e cientistas para estudar a fauna e flora existentes nas copas das árvores.

O arvorismo acrobático é bastante procurado por empresas e também por escolas, que usam essa forma de lazer em treinamentos ao ar livre. É que, além de divertido, o arvorismo dá oportunidade de trabalhadores e estudantes perderem o medo de altura, terem mais equilíbrio e se sentirem mais confiantes.

Sem limite de idade

Para praticar o arvorismo, não é necessário preparo físico e nem há limite de idade. Nos circuitos comuns, que servem tanto para adultos quanto para crianças, é preciso ter acima de 1,40 metro de altura para conseguir se segurar nos apoios ao longo do percurso. A duração da travessia varia conforme a extensão do circuito e da habilidade do “atleta”, que pode chegar ao outro lado em 40 minutos até uma hora e meia.

Mas quem tem menos de 1,40 metro de altura, também pode praticar o arvorismo. Há alguns locais que, além do circuito para todas as idades, possuem o circuito infantil, que pode receber quem tem a partir dos 3 anos. O arvorismo dá à criança uma visão diferente do que ela está acostumada devido à altura em que se encontra e ao tipo de meio que utiliza para se locomover entre uma base e outra.

Sobe e desce da árvore

Há cerca de 5 milhões de anos, os primeiros seres humanos começaram a descer das árvores para viver nas savanas africanas. Há cerca de 20 anos, seus descendentes começaram a subir de volta. Foi quando pesquisadores passaram a usar sistemas parecidos com os circuitos atuais de arvorismo para estudar a fauna e a flora de florestas como as da Costa Rica (e, anos mais tarde, da Amazônia).

Outra explicação para o surgimento da prática é a de que, em 1997, ecologistas usaram o caminho suspenso para explorar uma floresta na Inglaterra sem desmatá-la. Ainda por volta de 1997, o arvorismo surgiria como esporte na França e, mais tarde, na Costa Rica e também na Nova Zelândia.

Mas os inventores das técnicas arvoristas (inspiradas em técnicas de escalada e montanhismo) foram os escoteiros. A diferença é que eles as usavam separadas, uma de cada vez, ao invés de um circuito, para atravessar rios e terrenos irregulares, além de observar a natureza. No Brasil, o Parque de Arvorismo da SagaTrek, em Analândia (SP), foi o pioneiro nesta atividade, iniciada em 1998. Atualmente, o arvorismo está espalhado por todo o País.

Arvorismo
Arvorismo

A aventura consiste em avançar por trilhas aéreas sustentadas por cabos de aço e ligados a plataformas nas copas das árvores.

A trilha agrada a iniciantes e esportistas mais radicais, partindo de 1 metro e chegando aos 15 metros de altura, atravessando por variados obstáculos.

Durante todo o percurso, o praticante está seguro por cabos de segurança, usando todo o equipamento necessário à sua total segurança e assistido por monitores treinados.

Arvorismo – Plataformas

São 3 séries de plataformas montadas entre árvores. Para começar a atividade, a pessoa sobe uma escada de madeira e cabos de aço até o alto da plataforma.

No final das duas primeiras séries, a descida da última plataforma é feita utilizando a técnica do rapel.

Na última série, a descida é numa tirolesa de 180 metros. Ou seja, depois de andar nas alturas, o praticante faz um verdadeiro vôo de volta ao solo. A plataforma da tirolesa inclui também uma mini parede de escalada.

Equipamentos Utilizados

O equipamento utilizado é o mesmo do rapel: cadeirinha, mosquetões, roldana, capacete e luvas.

A segurança é garantida pela chamada “solteira”: uma corda que liga a cadeirinha do praticante a uma roldana presa num cabo de aço.

Cabo de aço
Cadeirinha ( baudrier )
Mosquetão de rosca
Polias ou roldanas
Fita tubular
Luvas
Capacete

Arvorismo – Origem

Arvorismo
Arvorismo

O arvorismo surgiu nos anos 80 na Costa Rica como forma de pesquisa da fauna e flora por cientistas que necessitavam observar ou coletar animais silvestres, frutos, fungos, folhas, e outros organismos que se encontravam nas copas das árvores.

Para facilitar as pesquisas e ter maior praticidade, eles começaram a evitar subidas e descidas constantes e adotaram formas de permanecer e transpor as copas das arvores, através das Técnicas Verticais, usando equipamentos como cordas, cadeirinhas, mosquetões, polias, etc. Alguns cientistas chegavam inclusive a construir plataformas em madeira para pernoitarem e passarem dias encima das árvores observando espécies.

Mais tarde, a França e a Nova Zelândia adotaram a idéia de praticar o arvorismo como esporte ecológico de aventura. Com o passar dos anos, a prática foi se desenvolvendo e os percursos começaram a ficar mais elaborados. Cabos de aço, cordas e madeiras formavam escadas, túneis, redes, pontes suspensas, tirolesas.

Hoje, existem três tipos de arvorismo.

O Arvorismo Técnico é feito por pessoas experientes em Técnicas Verticais, que têm seus próprios equipamentos e cujo objetivo é subir ou transpor as copas das arvores. Esse estilo é muito utilizado por pesquisadores.

Existe o Arvorismo Acrobático, que é uma extensão do Técnico, criado para o entretenimento, onde os obstáculos a serem transpostos contam com certo grau de dificuldade.

Existe ainda o “Arvorismo Contemplativo”, criado recentemente, em que o objetivo é observar a natureza em percursos de baixa dificuldade, construídos com passarelas firmes, proteções laterais de redes e amplas plataformas de parada. Essa modalidade geralmente não requer equipamentos de segurança e o guia da atividade costuma ser um biólogo que ajuda o praticante a ter um contato direto com a natureza, apreciando a paisagem.

O Arvorismo chegou longe, e sua aplicação hoje vai desde dinâmicas empresariais de recursos humanos até corridas de aventura. Essa versatilidade é amparada na proposta do esporte, que proporciona aventura aos participantes ao mesmo tempo em que promove uma forte integração com o meio natural, ajudando no desenvolvimento de uma consciência de preservação ambiental.

A segurança é uma preocupação constante no Arvorismo, e é realizada por meio de equipamentos como capacete, corda, cadeirinha, mosquetões e polias. Para operar e construir o arvorismo, é muito importante a atuação de profissionais capacitados, que saibam adequar segurança e preservação, para haver o mínimo impacto ambiental.

No Brasil o primeiro circuito de arvorismo surgiu em Brotas (SP) em 2001, em cima de postes de eucaliptos. Brasília e entorno aderiram recentemente à atividade. O Arvorismo por aqui começou na “Pousada dos Angicos”, em outubro de 2003, e hoje já são diversas opções para quem quer aderir à prática.

Algumas delas, você confere a seguir:

Fazenda Stracta: A 50 km de Brasília, com 60 mt de circuito e 5 percursos.
Pousada dos Angicos:
A 40 km de Brasília, com 75 mt de circuito e 5 percursos.
Chapada Imperial:
A 50 km de Brasília, com 190 mt de circuito e 7 percursos.
Rancho Canabrava:
Um dos maiores do Brasil, a 25 km de Brasília, com 370 mt de circuito e 23 percursos.
Vagafogo:
Em Pirenópolis, 160 Km de Brasília e 6 km de Pirenópolis, com 120 mt de circuito e 6 percursos.
Portal da Chapada:
Na Chapada dos veadeiros, 225 km de Brasília e 8 km de Alto Paraíso, com 140 mt de circuito e 8 percursos.

Arvorismo – O que é

Arvorismo
Arvorismo

Arvorismo é a travessia entre plataformas montadas no alto das copas das árvores, onde os praticantes percorrem um percurso suspenso, ultrapassando diferentes tipos de obstáculos como escadas, pontes suspensas, tirolesas e outras atividades que podem ser criadas. Além de árvores, postes também podem servir de base para a prática do esporte.

Chegou ao Brasil em 2001 e Forianópolis tem hoje o maior circuito de arvorismo do país. Porém, como as árvores são baixas, as cordas são colocadas em postes espalhados no meio da mata. São 378 metros de percurso, ou seja, quase duas horas sobre as copas das árvores a doze metros do chão.

Para praticar o arvorismo, não é necessário ser atleta, precisa apenas muita disposição e coragem para superar os desafios. Com a supervisão de monitores treinados e o kit arvorismo (cadeirinha, cabo de segurança, mosquetão, polia e capacete), os aventureiros estimulam a capacidade individual, exercitando o corpo e a mente, desenvolvendo o equilíbrio interior e aliviando o stress diário através da adrenalina.

Tipos de Arvorismo

Contemplativo: Nascido na Costa Rica nos anos 80, esse percurso tem como principal objetivo a observação da natureza. O praticante caminha por passarelas protegidas por redes, que estão suspensas entre as árvores.
Acrobático:
Neste tipo de percurso os praticantes precisam de um pouco mais de equilíbrio, coordenação e ousadia. Sempre presos a um cabo de segurança e utilizando equipamentos adequados, os praticantes caminham sobre cabos, se penduram em redes e deslizam em tirolesas. Essa atividade nasceu na França no fim dos anos 90.

Arvorismo – Brasil

O Arvorismo foi criado na Europa, como um instrumento para pesquisadores realizarem estudos de fauna e flora, sobre espécies que são encontrados somente nas copas das árvores, como bromélias, pássaros, primatas, entre outros. A partir de então, praticantes de técnicas verticais foram adaptando o conceito de Arvorismo até tornar-se uma modalidade de esporte ecológico.

Pioneira em Arvorismo no Brasil, há 4 anos a SagaTrek vem desenvolvendo variadas atividades neste segmento. Tudo começou pela implementação do Projeto “Trilhas Suspensas” , que objetiva tirar a pessoa do nível do solo e levá-la a um referencial a que ela não está acostumada. “Começamos a usar a tirolesa entre vales e rios e tivemos a idéia de usar as árvores como ancoragem”.

A SagaTrek surgiu em 1989 como escola de escalada e hoje aplica toda sua experiência e conhecimento técnico no desenvolvimento de atividades de treinamento para executivos – Geotraining -, circuitos de aventura para grupos – Geogame -, educação ambiental para escolas – Geoambiental -, além de montagens técnicas em eventos e hotéis fazenda.

Hoje a proposta do Arvorismo já alcançou outra fronteiras como o desenvolvimento de Recursos Humanos, a inserção em corridas de aventura, a implantação em parques públicos ou em áreas naturais particulares, tendo como objetivo, não somente proporcionar aventura aos participantes e uma forte integração com o meio natural, mas atuar como forma de desenvolvimento humano junto à natureza e fomentar a consciência de preservação ambiental.

Vôo entre copas

Em Analândia – São Paulo -, foi criado o primeiro circuito de Arvorismo, onde as pessoas realizam ” vôos ” de mais de 100 metros entre copas de eucaliptos a 25 metros do solo, por meio de uma Tirolesa, atividade onde o participante desliza com polias em um sistema duplo de cordas.

Além da Tirolesa, existem outras montagens que fazem parte do circuito de Arvorismo como Falsas Baianas, Teias de Corda e Pontes Suspensas, estruturas dinâmicas de corda e madeira fixadas cuidadosamente em árvores, que permitem a movimentação em altura com total segurança. Essas montagens podem ser feitas no interior de matas e florestas para que os praticantes tenham condições de apreciar a flora e fauna nativa.

O trabalho em altura com técnicas verticais, somado ao conceito de segurança de back-up e redundância das ancoragens e conexões, garantem aos praticantes de Arvorismo toda a segurança necessária na exposição aos riscos do esporte de aventura na natureza.

E o Arvorismo não para aí. A criatividade dá margem à criação de diversas atividades nas copas das árvores.

A prática do Arvorismo trouxe para nós uma visão bem mais abrangente da importância de preservar as árvores. Já que por onde temos passado ou trabalhado nestes 4 anos, sabemos precisamente quais são as árvores, onde elas estão e tão logo implantamos algum circuito, sabemos que aquelas árvores jamais serão derrubadas por qualquer outro motivo comercial já que o Arvorismo elevou-as à categoria de grandes estrelas do espetáculo.

Fonte: www.cosmo.com.br/www.itakama.com.br/www.abea.org.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Arremesso de Peso

Arremesso de Peso

PUBLICIDADE O arremesso de peso é uma prova de atletismo moderno. A pessoa impulsiona uma …

História das Olimpíadas

História das Olimpíadas

Os Jogos Olímpicos começaram em 776 a.C. em Olímpia, na Grécia antiga, e duraram por mais de mil anos.

Rivellino

Rivellino

Rivellino, Roberto, Jogador, Futebol, Clubes, Títulos, Seleção Brasileira, Gols, Faltas, Cobrador de Faltas, Corinthians, Vida, Carreira, Rivellino

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.