Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Barbados

Barbados

PUBLICIDADE

Barbados faz parte das Antilhas Menores e encontra-se situado a leste do Mar do Caribe.

O nome, Barbados, foi pensado pelos portugueses e significado barbudos.

Alguns pensam que a barba referidos são de fato as raízes longas das figueiras que são encontrados em abundância em toda a ilha, outros acreditam que tem mais a ver com as barbas das tribos caribes e os outros pensam a espuma deitado sobre o recife é o que dá este nome.

Barbados

Primeiros habitantes de Barbados

A primeira civilização a existir na região é dito ter vindo de ameríndios que se mudaram para a ilha da Venezuela.

Algumas evidências podem até sugerir que a ilha foi habitada desde tão cedo quanto 1600 aC. Houve também um período de habitação indígena em Barbados, durante o século IV aC.

Há uma diferença considerável em qualquer conhecimento sobre a história Barbados após os caribes desapareceu misteriosamente. É possível que eles foram dizimados pela fome ou capturado por traficantes de escravos. Ele permanece um mistério, no entanto.

A primeira vez que o pé ajustado britânica na ilha de Barbados, foi em 1625, durante o reinado do rei James I.

A ilha foi encontrado completamente desabitada, com a exceção de javalis. Estes foram introduzidos para a ilha após a descoberta primeiro pelo Português. 80 colonos foram trazidos para a ilha juntamente com 10 escravos em 1627.

Alguns anos mais tarde, em 1639, uma casa de montagem foi estabelecida. Produtos como tabaco e algodão foram produzidos na ilha e em um arranjo incomum, a força de trabalho era principalmente européia.

Desenvolvimento Econômico

A cara da história Barbados foi a mudar, quando, em 1640, a ilha foi transformada em uma plantação de cana-de-açúcar. Apesar de um pouco de rum foi produzido, este deu lugar à indústria de cana-de-açúcar, que logo se tornou o foco principal de Barbados.

Os agricultores foram empurrados para fora da ilha e da terra foi dividida em plantações de cana de açúcar várias.

Os escravos eram posteriormente importados para trabalhar nas plantações e logo foram superando os seus homólogos europeus por 3-1.

Havia também muitos católicos da Irlanda que vieram para Barbados para trabalhar nas plantações. Na época esses católicos eram perseguidos e do plantio ofereceu-lhes a melhor fuga. Outros ciganos e os trabalhadores também se juntou a este plantio, dando a ilha uma população muito diversificada.

Mudanças políticas em Barbados

Muitos líderes e mudanças políticas seguidas a partir disso, mas o mais importante deles veio em 1958, quando Barbados se tornar uma parte da Federação das Índias Ocidentais. Esta foi, infelizmente, um fracasso e resultou em Barbados se tornar uma colônia auto-governante do Império Britânico.

Barbados tornou-se gradualmente mais e mais autônoma até a independência foi finalmente concedido. Isso ocorreu em 1966 e Barbados tornou-se um Estado totalmente independente e parte da comunidade das nações. O primeiro-ministro primeiro foi Errol Barrow.

A história de Barbados tem sido muito diversificada e seu status político atual não indica a história extremamente diversificado que esta pequena parte do mundo tem a dizer.

Como uma ilha pequena que seja, tem havido uma linha incrível de acontecimentos que levaram à sua situação atual e há um grande nível de diversidade entre sua população.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br

Barbados

Com um sabor naturalmente inglês, a ilha de Barbados oferece ao visitante uma ampla gama de desfrutes visuais, gastronômicos e de divertimento.

Banhada pelas águas mais azuis do Oceano Atlântico e o Mar Caribe, a Ilha é um autêntico centro de diversão e tranquilidade, onde pode-se desfrutar também da mais rica cultura nativa.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte em vigor com uma validez mínima de 6 meses.Não precisa de visto para estadias que não passem dos 180 dias.

CLIMA

Clima troipical temperado com abundantes chuvas de caráter tropical (breves e intensas) de junho a novembro. Nesta época pode-se apresentar furacões.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se roupas de algodão e calçado cômodo, capa de chuva, óculos para o sol, chapéu, protetor solar e repelente contra insetos.

IDIOMA

O idioma oficial é o inglês, porém também fala-se o inglês-bajan, grego e hindu.

RELIGIÃO

Anglicanos em 46%, protestantes em 30% e outros 24 %.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 110 volts a 50 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Dólar de Barbados (BBD). Um BBD equivale a 100 centavos. Existem moedas de 1,5,10 e 25 centavos e de 1 dólar. Notas de 1, 2, 5, 10, 20 e 100 dólares. O dólar americano aceita-se na ilha toda, assim como, o canadense, mais é bom efetuar as compras com moeda local.

EMERGÊNCIA – SAÚDE – POLICIAMENTO

Não precisa vacina nenhuma e nem certificado médico para ingressar a Barbados, se não está chegando de zonas infectadas. Para emergências médicas ou policiais o mais recomendável é solicitar ajuda nas recepções dos hotéis.

CORREIOS E TELEFONIA

A companhia encarregada dos serviços telefônicos da ilha é Bartel Co Ltd por uma moderna central instalada em Bridgestown. Para ligar para Barbados tem que marcar 00-1-246 com o número do assinante.

FOTOGRAFIA

A revelação é mais cara e de pior qualidade.

HORÁRIO COMERCIAL

Bancos: abrem deas9.00 às 15.00 horas, de segunda a quinta-feira. Sextas-feiras abrem das 9.00 à 13.00 h. As lojas costumam abrir de segundas-feiras à sábados e fecham uma hora ao meio dia, porém os horários variam muito.

GORJETAS

O nomal é que nos hotéis coloquem 10% a mais pelo serviço e 5% como imposto sobre as vendas. De qualquer forma, a quantidade estipulada é 10%.

TAXAS E IMPOSTOS

Taxas de saida do aeroporto.

Situada ao leste do Caribe, Barbados tem uma superfície total de 430 quilômetros quadrados. A união de suas costas norte e leste oferecem um esplêndido espetáculo ao serem batidas pelas ondas do Atlântico. O cume mais alto é o Mount Hillaby de 335 m na parte norte, enquanto que a distância média entre os dois extremos da ilha é de 135 quilômetros. Igual ao resto das ilhas do Caribe a barreira de coral que rodeia toda a zona costeira faz dela um maravilhoso espetáculo visual. 180 quilômetros de areia fina e branca constituem as praias desta ilha, com tonalidades que vão do rosa coralino até a mais pura cor branca.

FLORA E FAUNA

As palmeiras e as praias são as verdadeiras protagonistas, acima de tudo, as da espécie Swieteria. Pinheiros australianos e todo tipo de plantas ornamentais culminam a decoração. Como é natural a fauna marinha, é rica em espécies. Conta com esponjas, anemonas do mar, 35 espécies de madrepérolas e afins, umas 400 espécies de peixes típicos de zonas coralinas e ao menos três espécies de tartarugas.

História

Em 1563 chegaram os portugueses à ilha. Enquanto isso, os primeiros habitantes de Barbados foram, segundo todos os indícios, os Arawak, pacíficos indígenas, expulsos mais adiante pelos índios caribes. Os portugueses utuilizaram a ilha como centro de fornecimento do Caribe no seu caminho para Brasil. Uma das explicações do nome da ilha é atribuida ao fato dos marinheiros verem as raizes aéreas das figueiras, com formas de barbas.

Em 1626 os ingleses chegaram a Barbados, entre eles, o capitão John Powell, que encontrou-a desabitada, reclamando –a para o rei Jaime I da Inglaterra.

Powell relatou suas impressões sobre a ilha, até o ponto que Grã -Bretanha mandou 80 pessoas à ilha, concretamente à Holetow para povoa-la. Nas duas décadas que seguiram-se a este fato a populaçao cresceu e desenvolveu-se de forma espetacular.

As razões foram as seguintes: a primeira foi a instabilidade política da Grã- Bretanha, que fez chegar à ilha um monte de britânicos; e a segunda, a introdução da cana de açúcar como o principal cultivo de Barbados, fato que provocou a chagada de escravos da África. Os ingleses tomaram cedo a ilha com os seus costumes, até o ponto de começar chama-la de Pequena Inglaterra.

O Parlamento instalado na ilha foi o terceiro mais antigo da Mancomunidade Britânica, depois da Câmara Britânica dos Comuns e a Casa de Assembléias de Bermudas. A ilha foi sitiada em várias ocasiões até capitular ante as forças de Cromwell em 1651. A raíz da emancipação dos escravos, Barbados começou uma época de renovação e formação de uma sociedade independente. Depois de 1951 e com a proposta em marcha de um sistema bi-partidário de governo, a ilha estava bem preparada para a Independência, que conquistou em 1966.

ARTE E CULTURA

A clara influência inglesa converte Barbados em um reduto núcleo da Inglaterra. Ali encontra-se o mais puro estilo inglês nos seus edifícios e igrejas, que parecem cópias exatas dos campos ingleses.

Durante os séculos XVII e XVIII, o tráfico de escravos significou a chegada de milhões de africanos às ilhas caribenhas, muitas das quais são hoje países negros ou mulatos que conservaram muitos elementos culturais originários do seu continente de procedência.

Quanto às manifestações artísticas, a maior parte das ilhas caribenhas tem conservado as técnicas do artesanato tradicional. Destacam a metalúrgica em chapa (com camburões velhos), a cestaria (fundamentalmente com folhas de coqueiro e bananeiras) e a elaboração de potes de barro pintados à mão. Também trabalhados o couro, o âmbar e a madeira.

LOCAIS TURÍSTICOS

Além das inconfundíveis praias de areia rosa e branca rodeadas de arrecifes de coral cravados em uma das zonas turísticas mais importantes, Costa de Platino. A capital, Bridgetown, oferece grande quantidade de atividades.

BRIDGETOWN

A capital de Barbados oferece interessantes lugares como são:

Careenage: Ponto onde atracam preciosos barcos de pesca e passageiros.

Trafalgar Square: Caracteriza-se pela majestosa estátua de Lord Nelson.

Museu de Barbados: De grande interesse. A visita ao museu pode-se combinar com passeios a pé pelos edifícios públicos da capital.

PARA OS QUE GOSTAM DO NATURAL

Todos aqueles que desfrutam com o contato com a natureza, a ilha de Barbados oferece um importante número de cavernas e grutas assim como, praias desertas e empinados rochedos. Os longos passeios por canos à sombra de centenas de árvores frutíferas, podem impedirr ao caminhante à fazer um alto no caminho e, desfrutar de um estupendo picnique.

WELCHMAN HALL GULY

Uma zona de arroios enfeitada com árvores cítricas e plantas exóticas.

O GULY

Uma das mais formosas atrações naturais da ilha consiste em um enorme maciço de pedra de mais de 100 m de diâmetro.

GRUTA DE HARRISON

Consiste em uma grande pedra subterrânea de pedra caliça. Conta com um complicado sistema de estalactitas e estalagmitas cristalinas, de arroios, lagos e uma cascata.

JARDINS DE ANDRÔMEDA

É um precioso jardim tropical rochoso colocado nas colinas de Bathsheba Hills. Conta com, uma surpreendente coleção de flores, plantas e árvores tropicais. Estes jardins foram criados por Iris Bannochie, uma horticultora auto didata merecedora de vários prêmios na Grã -Bretanha.

PARA OS APAIXONADOS PELA FAUNA

É interessante a organização de passeios com guia pelas reservas de macacos, aves e mini-zoológicos.

MERGULHO NOTURNO ATLANTIS

À partir das 6 da tarde Atlantis ilumina os corais e o jardim marinho, permitindo aos presentes, que mergulham desfrutando de todo o encanto do fundo do mar.

Fonte: www.rumbo.com.br

Barbados

Estado insular independente situado a leste de São Vicente, nas ilhas de Barlavento, dentro das Pequenas Antilhas.

O território é plano ao longo da costa e montanhoso no interior. O clima é tropical, com 26,1 ºC de temperatura média anual. Tem 97 km de costa e terreno relativamente plano. Barbados é a mais oriental das ilhas do Caribe e é uma das dez nações mais densamente povoadas do mundo, com mais de 600 habitantes por quilômetro quadrado.

A maior parte da população vive em zonas urbanas e a expectativa de vida é de cerca de 75 anos. Cerca de 90% da população é negra.

Composição étnica: afro-americanos 80%, eurafricanos 16%, europeus meridionais 4%.

A religião anglicana predomina no país e compreende aproximadamente 70% da população. É igualmente significativa a presença de cultos protestantes, como batistas e pentecostais. A Igreja Católica congrega uma pequena minoria (cerca de 4%). O judaísmo, o islamismo e o hinduísmo são escassamente representados no país.

O índice de alfabetização é de 97%. A educação tem sido uma das prioridades mais altas do orçamento do Governo. O país dispõe de uma rede oficial de ensino gratuito (nível fundamental), complementada por uma rede particular, geralmente de obediência a uma confissão religiosa.

O nível fundamental é concluído com o certificado de educação da Junta de Exames de Cambridge, o que garante ao diplomado o reconhecimento de seus estudos e o conseqüente acesso a universidades de língua inglesa em todo o mundo.

História

Barbados foi fundado por colonizadores ingleses em 1627 e mantém, até os dias de hoje, um forte laço com a Grã-Bretanha. A língua oficial é o inglês e as principais instituições do país, nas mais diversas áreas, são inspiradas no sistema britânico. Durante os dois séculos seguintes, a ilha foi importante centro comercial das colônias britânicas na região caribenha, tendo sido os barbadianos freqüentemente recrutados pelas autoridades coloniais para prestarem serviços em outras ilhas, como policiais ou como servidores públicos.

Apesar de ter estado, até a independência em 1966, sob ininterrupto controle britânico, Barbados sempre gozou de relativa autonomia. Isso explica o precoce estabelecimento de um sistema representativo, consubstanciado na criação, em 1639, do Parlamento ou “House of Assembly” (Casa da Assembléia), o terceiro mais antigo de todo o Hemisfério Ocidental.

Em 1640, inicia-se a cultura açucareira.

Da introdução de mudas e da exploração do produto resultaram dois elementos fundamentais na formação do país: a plantation – unidades agrícolas monocultoras voltadas para a exportação – e o regime escravocrata. Essa circunstância explica o fato de Barbados ser etnicamente uniforme e manter, até hoje, grau elevado de dependência dos mercados externos.

Em 1834, foi abolida a escravatura em Barbados. Tratou-se de decisão política da Coroa britânica e que não esteve diretamente vinculada às várias revoltas de escravos que marcaram a história barbadiana. Esse fato constituiu marco importante na evolução do conceito da “representatividade” política, que se confunde, na ilha, com o de justiça social. Da data da Abolição até a data da Independência, esses dois conceitos se fundiram e os dois Partidos políticos, que se alternam no poder, inseriram idéias social-democratas em suas plataformas políticas.

Até um século depois da Abolição, os proprietários das plantations e comerciantes descendentes dos ingleses dominaram a política local. Somente em 1930 os descendentes dos escravos emancipados iniciaram um movimento por direitos políticos. Um dos líderes desse movimento, Sir Grantley Adams, fundou, formalmente, em 1938, o Partido Trabalhista de Barbados (“Barbados Labour Party-BLP”), até então conhecido como “Liga Progressista de Barbados”.

Em 1951, foi introduzido o voto universal para adultos e, no mesmo ano, dissidentes do Partido Trabalhista de Barbados-PTB formaram o Partido Trabalhista Democrático (“Democratic Labour Party-DLP”). A esses passos no sentido do fortalecimento da “representatividade” seguiu-se, em 1961, a transformação de Barbados em Território Autônomo. Errol Barrow, do DLP, foi nomeado Premier .

Em 1958, Barbados foi mentor da Federação das Índias Ocidentais, que resultou do esforço para contornar o problema do relacionamento dos mini-estados com a comunidade internacional. Grantley Adams, do Partido Trabalhista de Barbados, foi o primeiro e único Primeiro-Ministro da Federação, que, em 1962, acabou sendo dissolvida.

Em 30 de dezembro de 1966, Barbados tornou-se país independente e Errol Barrow, do Partido Trabalhista Democrático e protagonista dos movimentos para a independência do país, assumiu a Chefia do Governo como Primeiro-Ministro.

Sistema Político

O Estado é dividido administrativamente em 11 paróquias.

Poder Executivo

A Rainha Elizabeth II é a chefe de Estado, representada pelo governador geral Sir Clifford Husbands, no cargo desde 1° de junho de 1996. O Primeiro-Ministro Owen Arthur (BLP) é o chefe de Governo desde setembro de 1994. Não há eleições. O monarca é hereditário e o Governador Geral é indicado pelo monarca.

Após as eleições legislativas, o líder do partido majoritário ou o líder da coalisão majoritária é geralmente indicado Primeiro-Ministro pelo Governador Geral, sendo o Vice-Primeiro-Ministro recomendado pelo Primeiro-Ministro.

Poder Legislativo

Congresso bicameral, composto pela Casa da Assembléia, com 30 membros eleitos por voto popular direto para mandato de 5 anos, e Senado, com 21 Senadores indicados pelo governador geral. As próximas eleições para a Casa da Assembléia estão previstas para maio de 2008.

Poder Judiciário

O sistema legal de Barbados deriva da Common Law e estatutos britânicos. As cortes administram as Leis de Barbados, que consistem basicamente de legislação local. A atividade judicante é exercida por Procurador-Geral, Juiz Supremo e demais magistrados. O Juiz Supremo e demais magistrados são nomeados pelo Governador-Geral, por indicação do Primeiro-Ministro. A apelação final das cortes de Barbados é apreciada pelo Conselho Privado (Reino Unido).

Economia

Indicadores econômicos:

PIB: US$ 2,7 bilhões (est. 2003)
PIB per capita: US$ 9.807 (2003)
Inflação: – 0,5% (est. 2003)
Desemprego: 10,7% (est. 2003)

Composição setorial do Produto Interno Bruto:

Agricultura: 6%
Indústria: 16%
Serviços: 78%

Exportação: US$ 227 milhões

Pauta de exportação: açúcar e melaços, rum, produtos alimentícios, produtos químicos e compenentes elétricos.

Destino: CARICOM 43,2%, EUA 15,3%, UK 13,2%, Canadá 2,0% (2000)

Importação: US$ 987 milhões

Pauta de importação: veículos automotores, aparelhos eletrodomésticos, maquinária, gêneros alimentícios, material de construção, produtos químicos, combustíveis, componentes elétricos.

Origem: EUA 40,8%, CARICOM 19,8%, UK 8,1%, Japão 5,2%, Canadá 4,2%

Principais parceiros comerciais: EUA, Reino Unido, Canadá, Trinidad e Tobago, Venezuela.

Política Externa

Pode-se identificar, no Caribe Oriental, significativa disposição associativa como meio de contornar o problema de relacionamento dos mini-estados da região com a comunidade internacional. Barbados, em decorrência de características próprias como estabilidade, prosperidade e desenvolvimento político, tem tido papel relevante na convergência de tendências regionais associativas e na sua implementação prática.

Barbados foi mentor e participou ativamente da Federação das Índias Ocidentais, de que foi Primeiro-Ministro Errol Barrow, herói da independência e Primeiro-Ministro do país após a liberação. Barbados foi, ainda, um dos proponentes e um dos membros fundadores, em 1968, da Associação Caribenha de Livre Comércio-CARIFTA, transformada, em 4 de julho de 1973, em Comunidade e Mercado Comum do Caribe – CARICOM. A CARICOM, que hoje reúne 15 membros, forma grupo coeso e de alta solidariedade, no qual a influência de Barbados tem sido crescente, em virtude, sobretudo, dos problemas internos na Guiana, na Jamaica e em Trinidad e Tobago, que têm limitado a capacidade de atuação externa dos países co-fundadores da CARICOM.

A fim de suprir as lacunas de rede diplomática reduzida e diante dos desafios colocados por interesses e agenda comerciais espessos, Barbados se juntou aos demais membros da CARICOM para criar, em 1.° de abril de 1997, a “Caribbean Regional Negotiating Machinery-RNM” (Mecanismo Regional Caribenho de Negociações), que tem por objetivo desenvolver e executar estratégias de negociação para diversas negociações comerciais em que a região está envolvida e coordenar posições em negociações. Além dos 15 membros da CARICOM, a RNM inclui Cuba e República Dominicana.

Os principais elementos não-convencionais que, na avaliação do governo barbadiano, hoje ameaçam predominantemente a segurança hemisférica, sob a forma de inimigos sem face, são os seguintes: narcotráfico, HIV/AIDS, privação de direitos econômicos, pobreza e exclusão social, crime organizado transnacional, armas de pequeno porte e armas leves, sustentabilidade ambiental, preparação para desastres e atenuação de seus efeitos, e terrorismo.

A condição de Barbados, país pequeno e de recursos humanos limitados, determina a manutenção de uma pequena rede de postos diplomáticos no exterior. Na atualidade, o país mantém representações diplomáticas em Bruxelas, com jurisdição sobre praticamente toda a Europa, especialmente União Européia e Bélgica; Genebra (Representação junto a organizações internacionais); Londres; Caracas, com jurisdição sobre países sul-americanos, incluindo o Brasil; Nova Iorque (Representação junto à ONU); Ottawa; Washington (Representação junto à OEA e Estados Unidos da América, México e países centro-americanos). Os contatos com os países da região se fazem no âmbito da CARICOM, bem como por meio de contatos diretos entre governos. Espera-se a criação, em breve, de Embaixada residente em Brasília.

Ainda graças à sua situação política interna favorável, ao que se aliam fatores como a facilidade de transporte, de comunicações e de serviços financeiros/bancários, Barbados é anfitrião freqüente de reuniões de caráter regional e internacional. É, além disso, sede de numerosos organismos regionais e de representações de serviços da OEA e de Agências Especializadas das Nações Unidas, com jurisdição, não raro, sobre a maioria dos países do Caribe Oriental.

Situação semelhante se dá em relação às Missões diplomáticas residentes no país, entre as quais a americana, que acumula a representação junto a 6 países caribenhos.

De modo geral, Barbados mantém estreitos vínculos políticos e comerciais com os países-membros da CARICOM, com os Estados Unidos da América, com o Reino Unido, com o Canadá, com a Venezuela, com a China e com a União Européia. À semelhança dos demais países caribenhos, opõe-se abertamente a todas as formas de sanção impostas pelo Governo norte-americano a Cuba e às tentativas de estender essas penalidades a terceiros países.

Nas relações de Barbados com seus vizinhos e parceiros na CARICOM, cabe especial menção às relações com Trinidad e Tobago, por densas e complexas.

Por outro lado, há alguns anos, Barbados e Trinidad e Tobago encontram-se em acerba disputa sobre direitos de pesca e delimitação da fronteira marítima entre os dois países, em área que se estima rica em petróleo.

Relações bilaterais

As relações formais entre os dois países tiveram início dez anos após a independência de Barbados, com a abertura, em 1976, de um Vice-Consulado em Bridgetown. Em 1977, acreditou-se um Embaixador, residente em Port-of-Spain, mantendo-se um Encarregado de Negócios em Bridgetown. Em novembro de 1985, instalou-se a atual Embaixada na capital barbadiana.

As relações do Brasil com Barbados têm-se caracterizado pela cordialidade e, mais recentemente, têm-se pautado pelo reconhecimento mútuo do potencial para seu estreitamento. País que desfruta de altos indicadores sociais e de qualidade de vida, Barbados conta com uma ativa e influente diplomacia regional, que tem por objetivo manter sua participação na liderança política do grupo de ilhas-estado que integram o Caribe anglófono, o que, por si só, o torna importante para a política externa brasileira. Tomados em conjunto, os países caribenhos representam um mercado bastante atraente, relativamente aberto e receptivo a produtos brasileiros.

Tais considerações vêm conduzindo a uma análise pelo Itamaraty dos meios para adensar as relações do Brasil com os países da região, buscando estabelecer uma pauta que adote um enfoque integrado para as atividades brasileiras na América Central e no Caribe. Dentro dessa orientação, o Brasil aderiu à Associação dos Estados Caribenhos (AEC), na qualidade de observador, e tem procurado intensificar o fluxo de visitas recíprocas.

Destaca-se a iniciativa de aproximação no campo político, marcada por visitas de autoridades brasileiras a Barbados. Em junho de 2002, o então Secretário-Geral das Relações Exteriores, Embaixador Osmar Chohfi, manteve conversações com sua homóloga barbadiana, Embaixadora Teresa Marshall. Foi assinado, na ocasião, o Memorando de Entendimento relativo a Consultas Políticas, foro privilegiado de planejamento político e importante passo para impulsionar o processo de fortalecimento da cooperação bilateral.

Em novembro de 2003, realizou-se visita ao Brasil da Secretária-Permanente da Chancelaria barbadiana, a primeira no âmbito do Memorandum de Entendimento de Consultas Políticas ao Brasil, passo significativo no estreitamento das relações entre os dois países. Em abril de 2004, o Governo brasileiro enviou duas missões especiais a países do Caribe, inclusive Barbados, para consultas sobre a crise no Haiti. Em outubro de 2004, a Chanceler de Barbados, Dame Billie Miller, realizou visita oficial ao Brasil, quando foi recebida pelo Senhor Presidente da República.

Em audiência privada com o Senhor Ministro de Estado, foram discutidas questões de interesse comum, com ênfase na busca da soluções para a crise no Haiti. Posteriormente, houve conversações com os Diretores das áreas temáticas do Itamaraty sobre a agenda bilateral e regional. Foi assinado, na ocasião, Acordo de Cooperação Educacional. Um dos resultados de maior interesse foi o anúncio, pela Ministra, de apoio à pretensão brasileira a um assento permanente no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Em termos de cooperação técnica, ainda em 2002, missão técnica da Agência Brasileira de Cooperação – ABC identificou com autoridades barbadianas competentes projetos passíveis de implementação nas áreas da saúde e dos esportes. Pouco depois esteve em Bridgetown o Diretor-Geral da ABC, Embaixador Marco César Nauslausky, que assinou o Protocolo de Cooperação na Área da Saúde.

A tendência no sentido de aproximação comercial entre os dois países é ascendente.

Apesar da pequena dimensão do mercado de Barbados, a Embaixada recebe, em média, vinte consultas por mês, o que reflete o interesse que despertam os produtos brasileiros tanto localmente quanto no âmbito da CARICOM.

Não tem sido menos intenso o esforço por parte do Brasil de identificar não só áreas, setores e produtos prioritários para a expansão das exportações brasileiras, mas também oportunidades de investimentos (sobretudo operações “offshore”). As exportações brasileiras para Barbados são diversificadas, compreendendo matérias-primas, produtos semi-manufaturados e manufaturados.

Os principais produtos são madeiras e produtos de madeira, papel, pasta de celulose e seus produtos, produtos de cerâmica, pedra e outros materiais de construção, seguidos de produtos de maior valor agregado como tratores agrícolas e ônibus (Marcopolo), autopeças, máquinas, equipamento elétrico e suas partes e produtos alimentícios.

Acordos Bilaterais em vigor

Acordo Entrada em Vigor
Memorando de Entendimento relativo a Consultas sobre Assuntos de Interesse Comum 03/06/2002
Protocolo de Intenções sobre Cooperação Técnica no Setor de Saúde 27/08/2002
Protocolo de Intenções no Setor de Saúde 27/08/2002
Acordo de Cooperação Educacional entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo de Barbados 05/10/2004

Fonte: www2.mre.gov.br

Barbados

Nome oficial: Barbados (Barbados).

Nacionalidade: barbadiana.

Data nacional: 30 de novembro (Independência).

Capital: Bridgetown.

Cidades principais: Bridgetown (6.070), Speightstown (3.500) (1990).

Idioma: Inglês (oficial).

Religião:cristianismo 67,2% (anglicanos 33%, outros protestantes 29,8%, católicos 4,4%), sem filiação 20,2%, outras 12,6% (1990)

GEOGRAFIA

Localização: América Central.
Hora local: -1h.
Área: 431 km2.
Clima: tropical.

POPULAÇÃO

Total: 270 mil (2000), sendo afro-americanos 80%, eurafricanos 16%, europeus meridionais 4% (1996). 
Densidade: 626,45 hab./km2.
População urbana: 49% (1998).
População rural: 51% (1998).
Crescimento demográfico: 0% ao ano (1998).
Fecundidade: 1,5 filho por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 74/79 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 12 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 2,6% (1995).
IDH (0-1): 0,858 (1998).

POLÍTICA

Forma de Governo: Monarquia parlamentarista.
Divisão administrativa: 11 paróquias.
Principais partidos: Trabalhista de Barbados (BLP), Trabalhista Democrático (DLP).
Legislativo: bicameral – Senado, com 21 membros indicados pelo governador-geral; Casa da Assembléia, com 28 membros eleitos por voto direto para mandato de 5 anos.
Constituição em vigor: 1966.

ECONOMIA

Moeda: dólar de Barbados.
PIB: US$ 2,3 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 7% (1996).
PIB indústria: 20% (1996).
PIB serviços: 73% (1996).
Crescimento do PIB: 4% ao ano (1998).
Renda per capita: US$ 6.610 (1995).
Força de trabalho: 140 mil (1998).
Agricultura: Principalmente batata-doce, cará, cenoura, outros legumes e verduras.
Pecuária: bovinos, suínos, ovinos, aves.
Pesca: 2,8 mil t (1997).
Mineração: gás natural, petróleo.
Indústria: química, petroquímica (plástico e borracha), alimentícia (açúcar), bebidas, tabaco.
Exportações: US$ 257 milhões (1998). 
Importações: 
US$ 1 bilhão (1998).
Principais parceiros comerciais: EUA, Reino Unido e Trinidad e Tobago.

DEFESA

Efetivo total: 600 (1998).
Gastos: US$ 11 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.net

Barbados

Capital: Bridgetown

População: 274.800 (2004 est)

Língua Oficial: Inglês

O grupo majoritário: Barbados crioulo (89,7%) ao banco de dados léxico Inglês

Grupos minoritários: Inglês (10,1%), garífunas, chinês, árabe

Sistema político: Monarquia Constitucional e Estado unitário dividido em 11 “paróquias” (Paróquias)

Barbados (Inglês: Barbados) é a ilha mais oriental do arquipélago do Caribe, entre o Mar do Caribe eo Oceano Atlântico.

Ele está localizado a leste de São Vicente e Granadinas nas Ilhas sob o Vento-, nas Pequenas Antilhas. O país como um vizinho do norte e sul da Martinica Granada.

A ilha tem um comprimento de 34 km e uma largura máxima de 23 km, com uma área total de 430 km ².

Barbados é um dos menores países do mundo com Andorra (468 km ²), Antígua e Barbuda (442 km ²), São Vicente e Granadinas (389 km ²), Granada (340 km ²) A ilha de Malta (316 km ²) e Maldivas (300 km ²). A capital de Barbados é Bridgetown (na paróquia de St. Michael) sudoeste (população menor que 8.000 habitantes).

O ponto de vista administrativo, Barbados é dividido em 11 “paróquias” (Paróquias): Christ Church, Saint Andrew, Saint George, Saint James, São João, São José, Santa Luzia, São Miguel, São Pedro, São Filipe e St. Thomas.

Como um membro da Commonwealth, Barbados reconhece a rainha Elizabeth II como chefe de Estado, sendo este último representado por um governador-geral, que preside o conselho privado.

História

Os primeiros habitantes de Barbados foram os Arawaks da Venezuela cerca de 1500 aC. Várias centenas de anos mais tarde, por volta de 1200 dC, os Arawaks foram expulsos pelos ameríndios do Caribe foi mais agressivo do que os Arawaks. Eles eram temidos porque eram bons arqueiros e guerreiros cruéis comiam seus prisioneiros

. Diz-se, por exemplo, teria comido uma equipe francesa em 1596. O Português parou na ilha quando eles descobriram o Brasil. Este é o explorador Português Pedro Campos que nomeou a ilha de Los Barbados chamado (“o barbudo”), presumivelmente porque os homens acreditavam que a pele áspera encontrados em árvores como figos barba de um homem.

Então, em 1492, os espanhóis estabeleceram-se na ilha e escravidão imposta no Caribe que, em contato com os europeus, as doenças que desenvolveu grandemente dizimada. Os espanhóis eventualmente perder o interesse em Barbados para o ponto onde ele poderia ser resolvido por outros.

Colonização: Os britânicos

O primeiro navio britânico tocou na ilha 14 de maio, 1625. O capitão John Powell afirmou que a posse da ilha para o rei James I.. Em fevereiro de 1627, o Capitão Henry Powell estabeleceu na ilha com 80 colonos ingleses e cerca de 10 escravos.

Pequenas colônias de Jamestown foi logo apelidado de “Little England” pelas colônias vizinhas, e Inglês se tornou a língua oficial de fato de Barbados. Os primeiros colonos cultivavam o tabaco primeira e algodão, que se revelaram inúteis, foram abandonadas em 1637 para cana-de-açúcar.

Devido à sua posição geográfica especial, isto é, mais oriental do Caribe da ilha , Barbados foi logo reconhecido como uma importância estratégica naval e militar. A colônia prosperou e fundou uma casa do conjunto (Assembleia), que foi uma das primeira democracia parlamentar no mundo. Mas a exploração da cana-de-açúcar mostrou fortemente dependente de um trabalho intensivo.

Em um primeiro momento, trouxe novos colonos, plantadores, então servos e criminosos. Os descendentes desses primeiros “escravos brancos” foram chamados Pernas vermelho (“pé vermelho”) por causa da cor de seus pés doloridos pelo trabalho que começou a se especializar na agricultura de subsistência e pesca para finalmente se tornar grupo entrincheirado sociedade, que tinha pouca esperança de melhorar a sua sorte.

Mas a transição da produção de tabaco e algodão, para açúcar exigiu mais trabalho e capital. Os colonos ingleses tinha tentado fazer os últimos escravos do Caribe, mas, dada a dificuldade de tal compromisso, eles resolveram, em vez de usá-los como a pesca (até que desapareçam).

De 1644, não foi massivamente importar escravos da África. Estes são os comerciantes holandeses que forneceram o trabalho Barbados necessário. Escravos veio de Serra Leoa, Guiné, Gana, Costa do Marfim, Nigéria e Camarões.

No total, cerca de 80.000 negros vieram da África, mas estima-se que pelo menos 30.000 mais deixou sua terra natal para morrer antes de chegar a seu destino. É, portanto, no século XVII, como a população negra cresceu de Barbados crioulo que conhecemos hoje.

A relação entre o escravo e Inglês crioulo favoreceu os nomes anglicized, mesmo de que não falam inglês colonos europeus (Flamengo, Espanhol, Português, etc) .. Religião em Barbados também foi bastante influenciado pelo Inglês, já que os primeiros colonos praticados anglicanismo que rapidamente garantiu a posição dominante.

Em 1834, a Lei de Emancipação permitido escravos para ser livre, mas não foi até 1838 que testemunhou a abolição total da escravidão, que põem em causa o sistema criado pelos britânicos.

Para a maioria dos negros de Barbados (Afro-barbadianos), mesmo após a abolição da escravatura, condições de trabalho manteve-se muito difícil. Uma parte significativa da força de trabalho foi forçado a continuar a trabalhar nas plantações de salários. Ainda hoje, podemos dizer que a ilha tenha herdado uma sociedade altamente estratificada, onde a classe social desempenham um papel.

Em 1896, a crise econômica e instabilidade social forçado a Grã-Bretanha a criação de uma comissão real de inquérito. Os motins de 1937 levou Grã-Bretanha a nomear outro que recomendou legalizar tais uniões. Em 1950, o movimento de descolonização a afirmar-se cada vez mais, o sufrágio universal foi introduzido. O governo local é composto de ministros foi criado em 1954.

De 1958 a 1961, Barbados juntou-se ao West Indies Federation, que também incluía as ilhas de Trinidad e Tobago. A dissolução da federação, em 1961, acelerou o movimento para a independência das colónias individuais. Em 1961, Errol Barrow, conhecido como o “pai da independência”, chegou ao poder e preparou a independência da ilha, que foi proclamada em novembro de 1966 como parte da Commonwealth.

Independência

Os anos após a independência foram marcados por um aumento constante do nível de vida, várias eleições e mudanças de cópias de governo, a instituição de ensino primário e secundário gratuito universal, obrigatório e gratuito o nível superior, e, finalmente, pela diversificação das fontes de renda estão agora incluindo a indústria do turismo, luz e TI.

A ilha se juntaram às Nações Unidas e da Organização dos Estados Americanos. Então, em 1973, Barbados foi a origem da fundação do Mercado Comum do Caribe (CARICOM: Mercado Comum do Caribe), cujo objetivo era incentivar a cooperação política e social e integração econômica de seus membros.

Na política interna, a alternância primeiro de poder entre os dois maiores partidos (o Partido Trabalhista de Barbados e do Partido Trabalhista de Barbados, BLP, e do Partido Democrático Trabalhista ou o Partido Democrata, DLP) ocorreu de forma pacífica em 1976. Em 1986, o DLP chegou ao poder e Walton Errol Barrow se tornou primeiro-ministro.

Barrow morte, em junho de 1987, Erskine Sandiford sucedeu. As eleições de 1994 viu a vitória do novo líder do BLP Owen Arthur. Graças à receita do turismo, cana-de-açúcar e as atividades financeiras, a economia da ilha sofreu nos 90 anos de um bom nível de crescimento.

Por iniciativa de Owen Arthur, o processo de integração com outras ilhas da região, no âmbito da Organização dos Estados do Caribe Oriental (OECS), foi lançado em 1998. Em janeiro de 1999, o mandato foi renovado Owen Arthur.

Fonte: www.tlfq.ulaval.ca

Barbados

Turismo

Barbados: surfando no Caribe

A primeira aventura de quem chega em Barbados é enfrentar a imigração e a alfândega do aeroporto.

Apesar da multidão de policiais e funcionários, poucos atendem aos turistas, dedicando-se mais ao principal esporte da ilha: bater papo!

Os turistas? Ah! Estes que esperem horas na fila quilométrica.

Barbados
Barbados

Muitos europeus fugindo do frio em seus países tornam o aeroporto da capital Bridgetown um dos mais movimentados do Caribe.

Barbados
Barbados

Mas depois de superar a grosseria dos inspetores da imigração, o que está à espera são dias de muito sol, mar transparente, quente, e praias e ondas para carioca nenhum botar defeito.

Barbados é dividida em duas partes: uma desenvolvida, em torno da capital Bridgetown, cheias de hotéis enormes e turistas branquelos, e outra rural, no resto da ilha, e esta sim, vale a pena conhecer. O turismo é a indústria número um da ilha, seguida pela plantação de cana de açúcar.

Barbados 
Barbados

Na ilha vivem 260 mil pessoas, em sua imensa maioria negros. Devido a influência jamaicana alguns homens podem ser agressivos e usam os cabelos em estilo rasta. A criminalidade está em aumento.

Barbados
Barbados

A língua oficial é o inglês, mas se você pensa que só porque sabe o idioma vai se dar bem, está errado, porque o dialeto dos negros de Barbados é praticamente incompreensível.

Quem estiver afim das ondas deve logo pegar um ônibus ou táxi (coletivo) para Bathsheba, onde concentra-se a população surfística, jamais numerosa.

Barbados
Barbados

As ondas quebram o ano todo e raramente passam dos dois metros, mas cuidado com os ouriços que podem entrar no seu pé e estragar a viagem. A água é quente a maior parte do ano e a roupa de neoprene quase desnecessária.

Os surfistas locais são acolhedores e o ambiente tipicamente de cidades que vivem do surf: há pequenas pousadas por toda a cidade e até de frente para o pico principal.

A própria cidade de Bathsheba reconhece a importância dos surfistas num imenso painel no Centro Comunitário, onde ao lado dos heróis da pátria estão alguns surfistas retratados em posições radicais dropando nas ondas.

Nas florestas da ilha há uma grande quantidade de mogno, madeira muito usada na mobília e construção local, sempre simples por causa dos modestos orçamentos da população local. O peixe voador é o símbolo nacional e incluído em muitos pratos. A planta “Espada de São Jorge” aqui é muito popular e chamada de “Money Plant”, pois todo mundo tem.

Muita gente trabalha nas fábricas de rum, que oferecem visitas com direito à experimentar seus produtos. Pegue leve!

Quem chegar no final de julho ou início de agosto vai poder ver o Crop Over, uma festa popular muito parecida com o carnaval, que comemora a libertação dos escravos com muito rum, calipso e dança nas ruas. Até as passagens de avião entre as ilhas próximas acabam devido ao fluxo de turistas. Na região de Bathsheba a animação é insuperável.

Geografia

Barbados é uma enorme formação de coral e a ilha mais a leste do Caribe, aberta às ondulações que vem do Atlântico. Do lado oceânico estão as ondas e do lado oeste, o Mar do Caribe, com praias sem nenhuma onda, águas cristalinas e areia branquíssima.

Com apenas 22 km de largura e 33km de comprimento pode-se dar a volta completa na ilha em poucas horas de carro. Particulares podem levar você para conhecer a ilha em seus carros por em média 30 dólares americanos por dia. Sem grandes montanhas, o morro mais alto da ilha tem menos de 400 metros, mas os veículos em péssimo estado de manutenção podem trazer emoções inesperadas.

O clima é tropical e ameno o ano todo, entre 23o e 30º.

História

Descoberta pelos portugueses em 1536 Barbados foi colonizada pelos ingleses que só largaram a rapadura em 1966, deixando profundas marcas na cultura dos negros trazidos para o trabalho na indústria da cana, que parece cobrir metade do país.

Dicas

A moeda local é o dólar, mas não o americano, e vale a metade.

Quando você for perguntado pelos oficiais quantos dias vai ficar, diga sempre uns a mais, pois eles carimbam seu passaporte exatamente com o que você pediu, e se depois você quiser ficar mais uns dias, será um suplício para conseguir autorização.

Um hotel para duas pessoas custa em torno de US$ 50 por dia mas há diversas pensões com preços mais em conta.

Cuidado com umas frutas com aspecto de maçã, conhecidas como “manchineel”, muito comuns nas praias. Seu veneno causa bolhas em contato com a pele e se chover e você estiver embaixo dela, até as gotas causam queimaduras.

Dicas Oficiais do Departamento de Turismo de Barbados:

– Não caminhe ou freqüente áreas desertas ou sozinho;

– Não exiba dinheiro ou jóias em público;

– Não pegue carona;

– Não deixe bagagem visível no carro;

– Não deixe bagagem no banco de trás do buggy enquanto estiver dirigindo;

– Use ruas bem iluminadas e bem viajadas;

– Se quiser direções, peça ao guarda ou a uma casa ou loja;

– Evite praias desertas;

– Não leve valores para a praia;

– Se for na água peça para alguém tomar conta das suas coisas;

(Nota do autor: estas sugestões estão num folheto distribuído no aeroporto e me parecem exageradamente paranóicas, mas na dúvida…)

Fonte: 360graus.terra.com.br

Barbados

Barbados é uma ilha a cerca de 34 quilômetros de norte a sul por 23 km a oeste está situado no arquipélago das Caraíbas. O Bridgetown capital está localizado na costa sudoeste da ilha de frente para o mar do Caribe, calmo e aconchegante. Norte e leste ilha é banhada pelo Oceano Atlântico, o que o torna um lado muito mais selvagem.

A língua oficial é o Inglês falado. O nome da ilha nesta língua é Barbados. A segunda coexiste língua – a Bajan – que é um local colorido crioulo Inglês. Este termo também se refere à cultura e pessoas.

O nome vem de Barbados o explorador Português Pedro A.Campos que nomeou a ilha Os barbudo em 1536 (“O Barbudo”). Ele deu o nome e ver as longas raízes aéreas de algumas ficus que o fez pensar em “barbas”.

O ex-colônia Columbia, a evidência arqueológica sugere que a ilha era habitada pelos índios Arawak, antes da chegada dos primeiros colonos ingleses em 1625 Holetown.

Barbados
As farpas de Barbados

Barbadianos são muito orgulhosos de sua independência em 1966.

Barbados bandeira consiste em três faixas verticais: preto tridente representa a herança de África e do tridente simboliza o Deus do Mar Amarelo figura Netuno as praias das ilhas, que se encontra no centro das duas bandas azul para o céu eo mar.

Moeda do país é “Fièreté e Indústria”.

A atividade econômica

Barbados é a ilha do Caribe, o mais desenvolvido. Localizado no dia 31 do mundo (ranking de 2005 da Organização das Nações Unidas) países desenvolvidos (Índice de Desenvolvimento Humano) e PIB maior 39.

O PIB estimado para 2007 foi de 3,346 trilhões (em comparação com a França: 2,244 trillion dólares USD estimado).

Há uma pequena quantidade de óleo, o turismo em quantidades industriais de rum por hectolitro e uma especialidade da medicina fertilidade …

As principais exportações são:

– açúcar e melaço;
– rum;
– produtos químicos;
– alguns alimentos e bebidas (por exemplo, suco de frutas);
– componentes eletrônicos;

As principais importações são:

– as necessidades;
– comida;
– máquinas;
– materiais de construção;
– produtos químicos;
– combustível;
– de componentes eletrônicos;

Historicamente, a economia de Barbados foi dependente do cultivo de cana-de-açúcar. No entanto, as atividades se diversificaram nos últimos anos voltou-se para acender indústria, turismo e serviços. A construção de moradias tem desenvolvido em paralelo com o desenvolvimento do turismo.

O governo continuou a concentrar os esforços na redução de educação, o desemprego eo desenvolvimento do investimento estrangeiro.

Barbados e Canadá assinaram vários acordos bilaterais e canadenses representam cerca de 75% da comunidade financeira em Barbados. Na verdade, as relações económicas entre os dois países são muito importantes.

Um pouco de história

Os primeiros habitantes da ilha que temos evidências arqueológicas são os índios Arawak, que habitavam no Caribe.

Era um povo bastante pacíficos, vivendo da pesca e coleta. Eles quase desapareceram completamente, impulsionado por Karibes índios, do norte da Venezuela e disse canibais.

Uma colônia de Columbia

Em 1625, a chegada dos primeiros colonos ingleses, há, aparentemente, nenhum traço dos índios Arawak. O primeiro grupo desenvolveu o cultivo de tabaco e algodão, em menor extensão. No entanto, os lucros são muito baixos, os colonos rapidamente voltar-se para a produção de cana-de-açúcar.

A partir de 1640, as pequenas propriedades são substituídos por propriedades maiores; mesmo tempo, a população branca da Europa diminui e é substituída por um trabalho fora: escravos da África. Eles obtêm a sua emancipação em 1838.

Moderna Barbados

No meio do século 19, os efeitos combinados do aumento da concorrência e os preços do açúcar em queda criou uma situação económica difícil.

Foi somente em 1937 que a situação é realmente levado em conta pela Comissão e pelo Moyne britânico ilha ajuda recevrera. Esta situação irá continuar até a entrada da Grã-Bretanha na União Europeia.

Liga Democrática do Charles Duncan O’Neal apareceu em 1920 como o primeiro político significativo. Ele será seguido pela criação do Partido Trabalhista de Barbados em 1937, então, após a separação do grupo, com a criação em 1955 do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Sob a liderança de Errol Walton Barrow, membro do PTD, Barbados tornou-se independente da Grã-Bretanha em 30 de novembro de 1966. Sr. Barrow deviendra o primeiro-ministro.

Governo

Barbados é uma democracia parlamentar, ligado à Commonwealth.

Os diversos órgãos são:

– sua Majestade a Rainha da Inglaterra, representada pelo Governador Geral
– um primeiro-ministro, chefe de Governo.
– um Senado
– uma Assembléia Nacional.

Noções de geografia

Barbados é uma ilha a cerca de 34 quilômetros de norte a sul por 23 km a oeste está localizado no Caribe, no extremo sudeste do arquipélago. A ilha é 416 km ² e 97 km de litoral.

A maior área da ilha é composto de depósito coral – calcário – com o Nordeste de argilas de golfe poucos e arenitos que também são encontrados nas formações sedimentares da Escócia.

O ponto mais alto é o Monte Monte Hillaby na freguesia de Santo André, na altitude 336m.

Ela é dividida em 12 paróquias: São José, São João, Santo André, São Jorge, Igreja de Cristo, São Miguel, São Tomé, São Filipe, São Pedro, Santa Luzia, São Tiago.

Os recursos naturais são de petróleo, gás natural e de pesca.

O que fazer em Barbados

A economia baseia-se principalmente no turismo, é possível fazer tudo o que um turista poderia querer fazer em uma ilha paradisíaca no Caribe.

Esportes

Watersports: é claro que o mar eo vento – uma brisa NE-> SW constante durante todo o período de dezembro a final de abril – pode praticar esportes aquáticos. Muitos clubes e escolas podem aprender ou simplesmente alugar o equipamento.

Surf: um paraíso para surfistas de ondas do mal. A rodada do campeonato do mundo é realizada a cada ano, de fato Bate-Seba Soup Bowl, a leste da ilha (em dezembro). Para os menos experientes, as escolas de surf oferta de muitos cursos, principalmente na costa sul.

Kitesurf: só na costa sul, especialmente Ponto de surfista e Silver Sands. As únicas praias onde o vento é orientado. Contato Clubmistral (aberto na temporada de novembro a abril), Zed ou Redeye.

Windsurf: todos os lugares, todas as praias do sul e do oeste. Muito técnico, na costa leste.

Catamarãs de cruzeiro sobre o desporto, grande pequeno. A vela é a honra, em Barbados. As crianças mais jovens podem aprender a navegar em monocascos escola “laser” tipo vela. Na costa, centros de desportos aquáticos contratar a tempo catamarãs.

Mergulho Há muitos centros de mergulho na ilha.

Pesca no barco grande ou linha sobre o mar, a pesca é um desporto e um passatempo.

Jetski: onde você estiver na praia, Bajans (barbadianos) vai oferecer para alugar sua hora jetski. Não há necessidade de pesquisa, eles vêm para você!

e, claro, praia! Na costa ocidental e a costa sul, inúmeras praias convidam a relaxar (para os fãs: o naturismo é ilegal em Barbados). Note-se que todas as praias são públicas e de livre acesso, mesmo que os hotéis são às vezes um pouco esmagadora, com suas fileiras de cadeiras.

Eu aconselho que você:

Royal Pavilion praia (Lonestar hotel) se você quiser ver as tartarugas e um sol lindo;

Mullins praia, um pouco turísticas menos do que as outras praias;

Miami Beach, South Beach por sua grande e árvores sob as quais estamos na sombra.

Há muitos outros, mas eu não vou dar-lhe todos os meus segredos pequenos!

Outros esportes

Polo, bem, todo mundo não joga pólo, mas se você gosta de um cavalo pequeno, você pode ir assistir aos jogos durante todo o campeonato temporada. Há quatro campos da ilha.

Corridas de cavalos: As corridas geralmente começam em torno de 13:30.

Hipismo: Há vários centros equestres na ilha. Alguns têm belas instalações e organizar competições.

Cricket esporte nacional. Há muitas em toda a ilha e jogos internacionais são seguidos por fãs fervorosos. 
Na época, você pode ver jogos no bonito estádio Kensington Oval, construído em 2007 para a Copa do Mundo de críquete.

Golfe: top cinco campos de golfe, incluindo dois internacionais

Barbados Golf Club 
Royal Westmoreland 
Sandy Lane Golf Club (onde Tiger Woods se casou) 
Rockley campo de golfe 
Almond Beach Village

Faça um cruzeiro no Caribe: Bridgetown é realmente uma partida ou escala famoso por cruzeiros a bordo, incluindo o Queen Mary II.

Sair

Desfrute de vários eventos culturais ao longo do ano: Holetown Festival em fevereiro, Festival do Peixe Oistin março, surf competição em abril, Celtic festival maio, Festival de Jazz, o Carnaval de corte Durante o mês de julho até a primeira semana fim de semana de agosto, etc …

Cavalo de corrida: Barbados é o lar de muitos apostadores.

Clubing

São península Lawrence Gap, que inclui bares, restaurantes e clubes mais quentes em Barbados

O Estaleiro : um clube de praia animada, onde você pode se divertir, comer e beber até o fim da noite …

Harbour Lights música ao vivo ou DJ. Famoso

Restauração:, muitos restaurantes em níveis de preços e de qualidade diferente. O nível de preços é calibrado de 1 (menor – US $ 8 estável em US $ 12) a 4 (mais caro – US $ 50 plana $ 100 – Dólares de Barbados).

Eu dar-lhe aqui a minha seleção:

Surfside, Holetown um bar / restaurante de praia aberto até tarde da noite. Os amantes de futebol ou críquete vai ver jogos transmitidos ao vivo na tela grande.

A panela de peixe: uma do “restaurante de peixe” o melhor da ilha. Cozinha do mundo com produtos locais. Os pratos são bem apresentados e serviço agradável. Nice seleção de vinhos de todas as origens.

Mango é pelo mar em pratos Speightstown para todos os gostos, uma bela vista do cais. A pouco mais: uma galeria de arte que exibe os trabalhos de Michael Adams.

Irritada Annie na Holetown especialidade “carne de porco costelas do”. O quarto é muito colorido. O chefe de um britânico típico.

Champers em Skeetes Hill, perto de Rockley Beach. Meu restaurante favorito. Tudo é bom: a comida (eu recomendo o barracuda), local: dois quartos, terraços com magníficas vistas sobre a costa, serviço de: Sorriso e disponibilidade. (Nível de preço 4)

Daphne é, Paynes Bay. Para compartilhar o meu coração com Champers desde que descobri-lo. O quadro é um pouco mais intimista, cozinhar e refinado como boa ea equipe amigável e útil. Bom vinho. como 246/432 2731. (Nível de preço 4)

Visitar

Parques e reservas de animais e plantas

Folkstone Marine Reserve, ideal para mergulho mergulho. Os peixes são curiosos e você cercar acenando coral no atual, anêmonas do mar flor diante de seus olhos. Às vezes, apenas uma tartaruga para alimentar – embora se vê maioria das outras partes da ilha. Se você não tem o equipamento, você pode alugar no local (horário de funcionamento da loja).

Zoológicos: Welchman Hall Gully ou no Barbados Wildlife Reserve, onde você pode ver macacos em liberdade, tartarugas, iguanas, crocodilos.

Passeios: Floresta Salão Grenade & estação de sinalização: uma boa caminhada na floresta e descobrir as estações de alerta antigos usados para evitar invasões. 
Infelizmente, Graeme Hall Nature Sanctuary foi fechada recentemente. Isso é uma pena, porque poderíamos passear lá com os pássaros.

Museus

Descobrir a casa que George Washington viveu como um homem jovem, durante a sua estadia no Caribe, um pedaço da história pessoal do primeiro presidente dos Estados Unidos da América.

Para entender a cultura Bajan Barbados Museum and Historical Society , sua história, suas ligações com a África, a sua fauna e flora.

Visite um dos últimos Concordes . E sim! um dos Concordes que pertenciam à British Airway estacionado no aeroporto de Bridgetown (Grantley Adams International Airport) desde 2003. E você ainda pode voar!

A Casa Sunbury Plantation , um lar para mais de 300 anos, você vai aprender tudo sobre a vida de uma plantação de cana-de-açúcar.

Você também pode visitar as casas mais bonitas da ilha durante a Operação Aberto que acontece a cada ano, entre janeiro e abril, em colaboração com o National Barbados Trust.

Mercados

Cheapside – em Bridgetown: o maior mercado de frutas, legumes e especiarias da ilha. Vantagem: o mercado é coberto. Preferem ir neste fim de semana como jardineiros são mais susceptíveis de quinta-feira.

Oistin: o mercado de peixe mais típico, localizado na costa sul. Ele revela a Daulphin (não, não é um golfinho), marlin – ou mahi-mahi, peixe-rei, barracuda e, especialmente, o peixe-voador – a especialidade de Barbados.

Oistin também é um lugar para ir à noite para comer peixe-bolo, um jardim da cerveja e ouvir música.

Brighton, na manhã de sábado apenas precoce (a partir de 6:30) para tomar o seu pequeno-almoço com personalidades que conta em Barbados! Mercado de pequenos agricultores nas instalações da fazenda. Café e biscoitos para a venda manhã. Carro necessário para chegar lá.

Destilarias de rum e plantações de cana-de-açúcar. O mais conhecido (Mount Gay Rum) ao menos conhecido (Plantation, Doorly XO …)

Fonte: www.ilebarbade.com

Barbados

Barbados tem sido descrita como a ilha que proporciona a perfeita introdução às Caraíbas.

Famosa pelas suas praias de areia branca e fofa, pela diversidade das linhas costeiras e pelo ambiente cosmopolita e tranquilo.

Barbados
Barbados

Em Barbados pode deliciar-se não só com as praias de água calma e azul-turquesa mas também de uma grande variedade de desportos, desde o mergulho ao golf.

A tudo isto, adicione bons hotéis, um clima fabuloso durante todo o ano, grande variedade de restaurantes e bares e um povo que é considerado o mais afável das Caraíbas.

Entre nas Caraíbas pela porta grande…Barbados é certamente um destino perfeito para as suas férias!

Fonte: www.abreu.pt

Barbados

Barbados é um estado micro-ilha localizada na fronteira do Mar do Caribe eo Oceano Atlântico.

Por mais de três séculos de Barbados esteve sob domínio britânico e do soberano do Reino Unido ainda é o chefe de Estado, mas tem sido independente desde 30 de novembro de 1966, como um reino da Commonwealth.

Localizado a cerca de 13 graus ao norte do equador e 59 ° Oeste de Greenwich , Barbados é considerada parte da Antilhas.

A ilhas são o mais próximo da ilha de São Vicente e Granadinas e Santa Lúcia para o oeste. Sul está Trinidad e Tobago – com o qual Barbados agora compartilha uma fronteira marítima fixa oficial – e da costa da América do Sul.

A área total de Barbados é de 430 quilômetros quadrados, e sua altitude é bastante baixa, sendo os picos mais altos dentro do país.

O ponto mais alto em Barbados é Hillaby Monte , na cidade de Santo André.

A estrutura geológica de Barbados não é de origem vulcânica. Isto é principalmente uma pedra calccolidir com a placa do Caribe.

A ilha tem um clima tropical , com ventos do Oceano Atlântico agora temperaturas amenas. Menos desenvolvidos partes do país tão grande como Marie-Galante lar de florestas tropicais e manguezais.

Outras partes do país experimentando implementação da produção agrícola dedicada à cana-de-açúcar.

Em 2006 , o Índice de Desenvolvimento Humano de Barbados foi o maior 37 no mundo (0,889).

Barbados é o mais oriental país das Caraíbas ou do Caribe, situado no Oceano Atlântico, a leste de de Santa Lúcia e de São Vicente e Granadinas, na área conhecida como Índias Ocidentais.

Capital: Bridgetown.

História

Barbados desempenhou o papel de uma evolução caldeira políticas, econômicas e sociais no Caribe, onde ela se concentra em uma pequena área, 80% da população branca da década de 1640 até o fim de que o sucesso de algumas grandes plantações de açúcar criou as fortunas primeira rápidas da história.

Aristocratas refúgio durante o governo de Cromwell, em década de 1650, a ilha tornou-se a restauração da monarquia em 1660 o ponto de partida de um spin-off da economia de plantação em todo o Novo Mundo: Suriname, Santa Lúcia, Montserrat, Jamaica, Carolina, New Jersey Virgínia e Maryland.

Descoberta pelos Espanhóis em 1519, ocupada pelos portugueses como (Ilha “Os Barbados”) de 1536 até 1662.

Reclamada pelos Britânicos como “ilha Rei Jabobo I”, de 1627 a 1628, a ilha de Barbados foi conquistada pelos britânicos em 1662 e declarada colónia britânica de 1652 até 1966, ano de sua independência política.

Membro da Comunidade Britânica, o país é governado por um primeiro-ministro apoiado pelo Senado e pela Assembleia.

Economia

O país tem uma economia baseada no turismo, nas finanças (paraíso fiscal) e na exportação de açúcar e seus derivados (rum).

Com excepção da cana-de-açúcar, os produtos cultivados são para consumo local.

O petróleo e o gás natural são produzidos em pequenas quantidades.

O Governo incentivou o investimento na produção de medicamentos, de vestuário, de cerâmica, de vidro e de compostos eletrônicos.

Os outros produtos existentes são o açúcar, o melaço, os cigarros, o papel e os têxteis.

Os principais parceiros comerciais são os EUA, o Reino Unido, a Jamaica, Venezuela e Trindade e Tobago. A moeda de Barbados é o dólar barbadiano.

Geografia

Barbados é uma ilha relativamente plana, subindo suavemente no planalto central, o ponto mais alto é o Monte Hillaby a 336 m.

A ilha está situada em uma posição ligeiramente excêntrica no Oceano Atlântico em comparação com outras ilhas do Caribe. O clima é tropical , com uma estação chuvosa de junho a outubro . A capital é Bridgetown . Outras cidades estão relatando Holetown e Speightstown.

Demografia

A população é de 276 607 habitantes, o que corresponde a uma densidade de 644,8 hab./km², uma das mais elevadas do mundo. As taxas de natalidade e de mortalidade são, em 2003, respectivamente, de 13,15%o e 9,02%o. A esperança média de vida atinge 71,84 anos.

O valor do Índice do Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0,888 e o valor do Índice de Desenvolvimento ajustado ao Género (IDG) é de 0,885 (2001).

Estima-se que em 2025 a população seja de 327 000 habitantes. Os negros compõem 90% da população, seguindo-se-lhes os asiáticos e os mestiços (6%), e os brancos (4%). A religião maioritária é a protestante (67%).

A língua oficial é o inglês.

Religião

A maioria dos barbadianos de Africano e Europeu são cristãos (95%), principalmente anglicanos (40%). Há também a Igreja Católica Romana, a Testemunhas de Jeová, a Igreja Adventista do Sétimo Dia e batistas Espirituais.

A Igreja Anglicana era a religião do Estado, antes de ser apoiada pelo Parlamento de Barbados independência seguinte.

Entre as minorias religiosas: o hinduísmo, o islamismo, o Baha’i, e Judaísmo.

Fonte: escolavesper.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+