Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Guarujá

Guarujá

Uma cidade com muitas opções

PUBLICIDADE

Guarujá localiza-se a 80 Km de São Paulo, o maior centro econômico do Brasil. Situada na Ilha de Santo Amaro, Guarujá tem uma vocação turística incontestável, não apenas pelas belíssimas praias, mas também pelos recursos culturais e arquitetônicos que possui em seu território.

Com a oferta de aproximadamente sete mil leitos em hotéis, pousadas, pensões e flats, além de mais de oitenta mil imóveis de segunda residência, Guarujá se insere entre as melhores cidades para se visitar em toda a região sudeste de São Paulo.

É por isso que todos os anos mais de dois milhões de turistas passam pela cidade, principalmente nos meses de novembro a fevereiro, período de alta temporada e de altas temperaturas. Na cidade de Guarujá estão as melhores opções gastronômicas da região. Restaurantes de nível internacional, especializados na culinária brasileira e internacional, oferecem uma diversidade gastronômica de significativa importância para o setor de turismo.

Isso sem falar das opções de culinária regional. Como Guarujá é uma cidade de alta miscigenação, com uma população fixa eminentemente migrante de outros estados do Brasil, aqui se encontra a cultura de todas as partes do país.

Seja no artesanato, na pintura ou nas danças, em nossa cidade pode-se assistir aos mais tradicionais movimentos culturais do Brasil. Do forró ao samba, passando pela Folia de Reis, a cidade tem opções para todos os gostos.

No Verão a população da cidade praticamente dobra, e as opções também. A orla das praias de Pitangueiras e Enseada transformam-se em excelentes palcos e vitrines para a exposição de produtos e a apresentação de Shows musicais em espetáculos de nível internacional.

Comércio

O comércio em todo o município, especialmente no centro da cidade atende normalmente nos fins de semana, feriados e na alta temporada quando o fluxo de visitantes é muito mais acentuado. O comércio varejista é extremamente diversificado e oferece produtos a preços realmente competitivos.

Muitos moradores dos municípios vizinhos visitam o comércio local, principalmente para adquirir produtos e serviços nos setores de alimentação, confecções – onde despontam luxuosas butiques e casas especializadas, artesanato, além de serviços profissionais diversos.

Também destacamos o atendimento bancário, e o serviço hoteleiro e gastronômico, como citado anteriormente, de uma efervescência incontestável. Nesta ilha as altas temperaturas são do clima e da receptividade. Com a melhor infra-estrutura para relaxar e se divertir em todo o litoral paulista, Guarujá possui uma orla que se transforma em excelente palco e vitrine para a exposição de produtos e apresentação de diversas atividades artísticas.

O ano inteiro tem programação de atividades na praia. O ”Clube da Orla” traz música da melhor qualidade nos finais de semana, na Praça das Bandeiras, em Pitangueiras. Além disso, todos os dias tem caminhadas na praia, monitoradas por profissionais de educação física, sessões de exercícios para pessoas da terceira idade, e muitas atividades, para todas as idades.

Turismo

O Turismo é uma conquista de Guarujá, de importância econômica e social, que lhe proporciona uma das vitais fontes de arrecadação e desenvolvimento, compondo um quadro altamente positivo na cidade.

A atividade turística está sendo tratada com seriedade pela administração municipal, que tem trabalhado em conjunto com a comunidade e a sociedade civil organizada para promover e organizar a cidade, receber, orientar e hospedar os turistas e visitantes respeitando o mais alto padrão de qualidade e investindo em atividades de lazer, recreação e cultura, bem como em eventos que possam contribuir para o crescimento econômico da cidade.

Com oportunidades de investimentos em todos os setores, estão previstos inúmeros empreendimentos que poderão contribuir para um crescimento mais acentuado de nossa economia. O Hotel Jequitimar, do Grupo Silvio Santos, é um grande exemplo disso.

Com recursos investidos na ordem de 150 milhões de reais, o Hotel Jequitimar, que será administrado pelo Grupo Accor e terá a bandeira Sofitel, tem inauguração prevista para dezembro de 2006.

Áreas como o Complexo Industrial Naval de Guarujá, a antiga Pedreira na Barreira do João Guarda, a área costeira do Forte e Farol do Itapema, o Terminal Turístico do Perequê, áreas públicas na orla das praias e toda a extensão da Rodovia Piaçagüera-Guarujá, se apresentam como um portfólio de possíveis investimentos, que nenhum outro município da região pode oferecer.

Vocação Turística e a História da Cidade

A vocação turística da cidade remonta a sua fundação, que se iniciou com a criação, em 2 de setembro de 1893, da Vila Balneária de Guarujá, instalada na Ilha de Santo Amaro, com a importação de uma cidade completa dos Estados Unidos para cá.

Construída em madeira (o melhor pinho da Geórgia-EUA), a cidade tinha um hotel com 50 quartos de luxo, cassino, salas de refeição, de leitura e bar, além de uma igreja e 46 casas de residências (chalés), tudo da mais alta qualidade e desmontável.

Para ligar a área de embarque dos passageiros (que ficava no que é hoje o Distrito de Vicente de Carvalho ou Itapema) que vinham de barco de Santos, foi construída uma linha de trem, cuja locomotiva está conservada até hoje em um pavilhão de exposições.

Dessa época para a atualidade muita coisa se passou, mas em todos os momentos Guarujá se projetou como uma cidade de belezas naturais inconfundíveis, cujo povo é de um espírito de hospitalidade insuperável e que só pensa em uma coisa: DEIXAR A CIDADE CADA DIA MAIS. FELIZ!

Dados Gerais

Guarujá esta localizado na Ilha de Santo Amaro, formada por uma planície sedimentar, onde predominam as areias e as argilas e assenta-se sobre embasamento cristalino, que apresentam altitude média em torno de 145 metros, sendo a Serra do Guararu o ponto de maior elevação com 334 metros de altitude.

Clima: Tropical Atlântico Úmido 
Temperaturas: Máxima 38º C; Mínima 10º C. 
Temperatura média anual: 24º C
Área: 142.589 km² 
População: aproximadamente 304 mil habitantes (IBGE 2008)
Densidade: 2.076,9 hab/km²

Economia

A economia da cidade do Guarujá esta baseada no turismo, no porto, na indústria, na pesca, no comércio e nos serviços. As empresas do setor portuário de Guarujá estão localizadas na margem esquerda do Porto de Santos, o maior da América Latina e o principal do país, e que movimenta aproximadamente 25% do comércio exterior brasileiro.

As principais cargas movimentadas na cidade são: contêineres, veículos, açúcar, suco de laranja, fertilizantes, soja, milho, farelos em geral e produtos químicos e chegam até os nossos terminais nos modais rodoviário, ferroviário e marítimo, estes terminais portuários estão localizados no Distrito de Vicente de Carvalho, onde também se pode conhecer a Avenida Thiago Ferreira, que detém o segundo maior comércio varejista da Região Metropolitana da Baixada Santista.

No setor pesqueiro, a cidade possui a maior comunidade de pesca artesanal do Estado de São Paulo. Na região do Perequê, além de avistar inúmeros barcos atracados à beira mar, é possível comer deliciosos frutos do mar nos restaurantes localizados na avenida da praia.

O segmento de alimentos e bebidas vem destacando a variedade da nossa culinária e buscado firmar-se como importante Pólo Gastronômico do Estado. A Hotelaria, com seus mais de 9000 leitos, oferece ao turista opções para todos os gostos e todas as idades.

O segmento náutico é referência em todo Estado e gera mais de 3000 mil empregos diretos e possui mais de 1000 vagas para embarcações até 120 pés. A busca da melhoria constante e a realização de importantes obras viárias e de infra estrutura faz de Guarujá um importante destino para investimentos nas diversas áreas econômicas.

Localização

Guarujá localiza-se na Ilha de Santo Amaro, no litoral do Estado de São Paulo, a 23°59’ de latitude sul e 46°15’ de longitude oeste. Separada do continente pelo Canal de Bertioga e da Ilha de São Vicente pelo Estuário de Santos, limita-se ao norte com área continental de Santos e com o município de Bertioga, a sul e a leste pelo Oceano Atlântico, a oeste com a Ilha de São Vicente (Município de Santos).

Praias

Nossa cidade possui 22 km e 310 metros praias de beleza inigualável, de incrível brancura e de excelente balneabilidade o ano todo, sendo elogiadas em todo país, e conhecida em todo o mundo como a Pérola do Atlântico.

GUAIÚBA

Extensão: 790 metros

A Palavra Guaiúba em tupi-Guarani significa: Local de água agitada ou tempestuosas ou ainda, GUA – enseada, lagoa; YU – amarela e BA – em = na enseada amarela. Interessante citar que suas areias têm um leve tom amarelado e realmente ela está de frente para o Sul.

Possui uma rica vegetação de Mata atlântica, Com a floresta preservada, a praia do Guaiúba possui quiosques que tem aspecto de restaurantes que servem deliciosos petiscos e pratos a base de frutos do mar.

O seu calçadão bem arborizado permite descansar sob a sombra de árvores que estão as décadas no local. Durante a maior parte do ano a praia do Guaiuba é calma e suas águas claras atraem o turista para um mergulho, principalmente ao redor da “Ilha do mato”.

Entretando o Guaiúba também tem ondas de ótima qualidade para a prática do surf que costumam ser mais freqüentes nos meses de Julho a setembro.

TOMBO

Extensão: 900 metros

Tem esse nome devido à sua formação geológica, com ondulações fortes, forma vários buracos que provocam “tombos” aos mais desatentos.

Existe uma lenda, que os escravos eram aprisionados em grutas existentes nas encostas do morro para depois serem atirados ao mar e com isso, o mar se revoltou. A praia é palco de campeonatos de surf de nível nacional e local preferido para treino de profissionais do esporte, por essa razão tem um palanque fixo para estes tipos de eventos.

À noite, bares e quiosques temperam ainda mais a azaração no local. A praia é boa para banhistas, mas atenção às sinalizações dos Bombeiros.

ASTÚRIAS

Extensão: 1100 metros

Originalmente esta praia tinha o nome de Guarujá. No entanto, dois ex-marinheiros do navio Príncipe das Astúrias, abriram um bar no local com o nome da embarcação, local este onde muitas pessoas marcavam encontros. Praia Badalada, bonita e boa para banho. Esta é a praia preferida dos surfistas de Long Board.

PITANGUEIRAS

Extensão: 1800 metros

O nome original era “praia das laranjeiras” devido à chácara da moradora, D. Maria Malta ser cultivada com Laranjeiras, mas por conta de uma praga que destruiu as laranjeiras a Proprietária passou a cultivar Pitangueiras no local. A praia passou então a ser conhecida como “praia das pitangueiras”. Pitangueiras é uma praia de águas claras, boa para banhistas e também para esportes como de vela e surf, inclusive com iluminação noturna no canto do Morro da Campina (Maluf).

ENSEADA

Extensão: 5600 metros

A maior praia de Guarujá tem águas claras e muitas ondas. O meio e o canto direito são mais procurados para a prática de surf, o lado esquerdo é mais calmo, ideal para a prática de esportes náuticos e possui rampas de acesso do calçadão a areia, específicas para lanchas e Jet skis.

Foi muito utilizada antigamente para o desembarque de escravos. Possui aproximadamente cem quiosques distribuídos em toda sua orla para atendimento ao turista, no local há a maior concentração de hotéis e pousadas da cidade e importantes eventos esportivos são realizados no agito do verão.

PERNAMBUCO

Extensão: 1650 metros

A palavra Pernambuco tem origem tupi-guarani: Parna-mbuca, que quer dizer o furo ou entrada, buraco ou passagem natural do recife. Em nhegatu, dialeto indígena, significa jorro do mar. Com fundo de areia e boas ondas, que em determinadas condições tornam o dia de surf inesquecível.

Além de bonita a praia também é muito badalada. Pernambuco conta com uma vista privilegiada para a Ilha dos Arvoredos, escolhida por Fernando Eduardo Lee, (um Visionário Engenheiro Americano, naturalizado brasileiro) como paraíso para suas pesquisas onde foi utilizada pela primeira vez no Brasil a energia solar, foi palco de experiências na piscicultura, genética vegetal, energia eólica tornando a Ilha auto-sustentável. As visitas à ilha são rigorosamente controladas.

MAR CASADO

Extensão: 500 metros

Recebeu este nome devido sua geografia. Quando a maré enche, suas águas se encontram com as da Praia de Pernambuco causando um bonito efeito natural. A Ilha do mar casado é a responsável por esse fenômeno, localizada entre as duas praias. É um ótimo local para banhistas devido suas águas calmas e claras a maior parte do ano.

PEREQUÊ

Extensão: 2400 metros

O significado deste nome seria Pira-Ike=entrada de peixe para alimentação ou desova em tupi, que se refere a um pequeno rio que deságua na praia, “o rio do peixe”, quando a maré enche, algumas espécies de peixes e siris adentram no rio e na vazante alguns saem junto com a correnteza, é o caso dos siris que podem ser facilmente capturados, pois eles vêm rolando na forte correnteza.

Nesse rio também pode ser encontrado lontras, capivaras e uma grande variedade de pássaros. A praia de Perequê está localizada a leste da ilha, após a praia do Pernambuco. Perequê é a maior colônia de pesca de Guarujá e também reduto de caiçaras. No lado esquerdo da praia tem uma pequena cachoeira.

SANTA CRUZ DOS NAVEGANTES

Extensão: 750 metros

Fica numa vila de pescadores e caiçaras. Quando Américo Vespucio descobriu a Ilha de Santo Amaro em janeiro de 1502, ancorou seu navio justamente nesta praia, por ser geograficamente segura dos ventos e das ondas de sul predominantes na região, por isso a praia foi homenageada com o nome “Santa Cruz dos Navegantes”.

GOÉS

Extensão: 250 metros

A praia do Góes é habitada por uma colônia de pescadores, e Caiçaras. Praia de águas mansas que conta com serviços de alimentos e bebidas de boa qualidade. O acesso é feito por uma trilha a partir da Praia de Santa Cruz dos Navegantes em Guarujá ou por embarcação através da Ponte dos Práticos na cidade de Santos. O Pôr do Sol é um dos mais lindos da região.

FORTALEZA DA BARRA GRANDE

Extensão: 30 metros

Localizada junto à guarita do lado sudoeste da Fortaleza. Praia pouco conhecida, freqüentada pelos moradores da praia de Góes e de Santa Cruz dos Navegantes e por alguns turistas aventureiros que procuram praias escondidas, boas para banho por não possuir ondas.

MONDUBA

Extensão: 400 metros

Anteriormente era um sítio, praia de areias finas, brancas e águas em permanente tom de esmeralda. Local onde o engenheiro João Monteiro de Barros, projetou o Forte dos Andradas. Seu acesso é restrito, controlado pela Bateria Comando da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea do Exército Brasileiro (Forte dos Andradas).

CHEIRA LIMÃO

Extensão: 20 metros

Pequena praia com águas calmas situada logo após a Ponta dos Limões. Um bom local para mergulho livre e pesca com molinete.

SANGAVA

Extensão: 170 metros

Em tupi-guarani significa: Alagado, empraiado. Conhecida também como congava; pequena praia localizada no extremo oeste da ilha de Santo Amaro, local agradável de águas calmas e claras, parada obrigatória pra um mergulho livre e caça-submarina.

Acesso por trilhas ou por barco, na maior parte do ano pouco freqüentada devido à dificuldade de acesso e mais freqüentada por turistas em diversas embarcações durante os dias ensolarados de verão.

SACO DO MAJOR

Extensão: 400 metros

É uma das praias mais isoladas de Guarujá. Suas águas calmas e transparentes convidam o visitante para um banho de mar inesquecível. Frente a uma antiga propriedade particular. Cercada de morros com vegetação de Mata Atlântica, seu aceso é por trilha desde que autorizada por seus proprietários. O principal acesso é por Mar.

FORA OU MOISÉS

Extensão: 50 metros

Pequena praia de águas calmas, por localizar-se em área militar pertencente ao exercito e seu acesso não é permitido.

BUENO

Extensão: 400 metros

Está situada em área militar (Forte dos Andradas), logo seu acesso é restrito.

EDÉN

Extensão: 50 metros

Fica no morro do Sorocotuba entre a Praia da Enseada e a Praia do Pernambuco. O local tem acesso para automóvel e motocicleta, mas para chegar à praia é necessário descer uma pequena trilha na encosta do morro. A Praia tem águas calmas e claras, é indicada para banhistas, mergulho livre e pesca de molinete em sua costeira.

SOROCOTUBA

Extensão: 100 metros

Do tupi, Soroc, quer dizer buraco ou fenda no solo e Tuba, o Criador. Fica no morro de Sorocotuba, dentro de um condomínio fechado onde o acesso não é permitido. O melhor acesso é por mar.

SÃO PEDRO

Extensão: 1400 metros

Praia com ondas fortes e transparentes localizada dentro de um condomínio, o acesso se faz a pé ou de barco. Distante 4 km da Estrada Guarujá – Bertioga, no Parque Serra do Guararu, possui muita vegetação de Mata Atlântica. As ondas são ótimas para o surf.

CONCHAS OU PC

Extensão: 150 metros

Praia com águas cristalinas e calmas. Está localizada dentro do condomínio Iporanga, esta aproximadamente a 4 km da Estrada do Parque da Serra do Guararú. Um bom local para mergulho.

IPORANGA

Extensão: 800 metros

Do tupi-guarani: Poranga significa bonito e Y, rio; Rio Bonito. Está aproximadamente a 25 km do centro da cidade. Cercada pelas matas, fica uma linda cachoeira que forma uma piscina natural. Sua praia tem águas claras e calmas sendo indicada para banhistas e mergulho.

PINHEIRO OU ITAGUAÍBA

Extensão: 700 metros

Cercada por uma bela mata fica localizada logo após a praia do Iporanga, também dentro de um condomínio é uma praia curta com fundo de areia e com ondas agradáveis. Seu acesso é pela própria praia do Iporanga ou por mar.

CAMBURÍ

Extensão: 300 metros

A praia é uma das mais isoladas de Guarujá, com águas claras e um pequeno rio formado por uma nascente no alto da floresta que deságua no mar. À primeira vista, o lago dá a impressão de água escura, mas é apenas o resultado dos minerais depositados em seu fundo. O acesso é feito por trilha ou por mar. Camburí tem origem do Brasílico e significa árvore grande.

PRETA

Extensão: 200 metros

Pequena praia com acesso através de trilha ou pela costeira rochosa feita a partir da praia Branca, cercada pela Mata Atlântica, é mais uma das praias isoladas da ilha de Santo Amaro.

É uma ótima praia para banhistas e mergulho observatório, devido suas águas calmas e transparentes a maior parte do ano. Esse nome se dá devido as rochas de cor escura responsáveis pelo incrível contraste entre a praia e sua vizinha um pouco mais famosa, a Prainha Branca.

BRANCA

Extensão: 1350 metros

Esta praia situa-se no extremo leste da Ilha de Santo Amaro, extensa, com ondas fortes no seu lado esquerdo e mar calmo do seu lado direito. A praia abriga a antiga colônia de pescadores caiçaras que mantém até hoje festa tradicionais como o reizado trazido do nordeste. Seu acesso é feito por trilha ou pelo mar.

ARMAÇÃO DAS BALEIAS

Extensão: 50 metros

Esta praia situa-se no extremo leste da ilha de Santo Amaro. Com suas areias voltadas para o canal de Bertioga não possui ondas e é um ótimo local para pesca com molinete. Seu acesso é feito por trilha ou através de barco.

Ecoturismo

TRILHAS

As belezas naturais do Guarujá não se resumem somente as belas praias. As riquezas ecológicas da Mata Atlântica ainda estão intocadas em muitos recantos da cidade.

Uma das melhores formas de entrar em contato direto com a fauna e flora local é através das trilhas concentradas ou no extremo sul ou no extremo norte na Ilha de Santo Amaro. Porém é recomendado que todas as trilhas sejam feitas sob a orientação de um Guia Regional de Turismo.

TRILHA DA PRAINHA BRANCA

Início: Pelo portal da Sociedade dos Amigos da Prainha Branca, próximo à travessia de balsas Guarujá-Bertioga, no final da Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana-SP61 (Rodovia Guarujá-Bertioga).

Duração Aproximada: 20 minutos

Descrição: Um ótimo passeio feito por trilha suave com calçamento de pedras, que oferece às pessoas, facilidade de acesso e uma boa interação com a natureza, podendo ser observado pelo caminho, várias espécies de plantas e animais existentes na Mata Atlântica. Do ponto mais alto da trilha é possível admirar a bela vista da ilha junto à praia (cartão postal do passeio).

TRILHA DAS RUÍNAS

Início: Pelo portal da Sociedade dos Amigos da Prainha Branca, próximo à travessia de balsas Guarujá-Bertioga, no final da Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana-SP61 (Rodovia Guarujá-Bertioga).

Duração Aproximada: 40 minutos

Descrição: No percurso é possível observar as ruínas da Armação das Baleias, a Ermida do Santo Antonio do Guaibê, além da exuberante beleza da mata atlântica, com sua infinidade de espécies da fauna e flora. Na margem oposta do canal, a orla marinha do município de Bertioga e o forte São João também podem ser admirados.

TRILHA DA PRAIA PRETA E CAMBURÍ

Início: Pelo portal da Sociedade dos Amigos da Prainha Branca, próximo à travessia de balsas Guarujá-Bertioga, no final da Rodovia Ariovaldo de Almeida Viana-SP61.

Duração Aproximada: 120 minutos

Descrição: Trilha que exige um pouco mais de esforço por parte dos aventureiros, todavia proporciona experiências inesquecíveis, já que em toda sua extensão a natureza é praticamente intocada.

A Praia Preta com sua beleza singular, e a praia do Camburí, banhada de um lado pelo mar e do outro pelas águas do rio da Serra do Guararu oferecem aos visitantes a verdadeira visão do paraíso.

TRILHA DA FORTALEZA DA BARRA GRANDE

Início: O acesso é feito pela estrada do bairro Santa Cruz dos Navegantes.

Duração Aproximada: 40 minutos

Descrição: Entrada pelo Clube Saldanha da Gama, passando por trilha suave até chegar a Fortaleza da Barra Grande, construída pelos espanhóis em 1584, para evitar o ataque de piratas. Situada em frente ao estuário de Santos, é garantia de um passeio muito agradável, repleto de história e belezas naturais.

TRILHA DO SANGAVA OU CONGAVA

Início: O acesso é feito pela estrada do bairro Santa Cruz dos Navegantes.

Duração Aproximada: 80 minutos

Descrição: Trilha iniciada na Praia do Góes, seguindo em direção ao Morro dos Limões, sendo necessário subir o aclive acentuado, chegando ao cume do morro onde é possível ter uma vista panorâmica da entrada de embarcações no estuário do porto de Santos.

No percurso é possível a prática de descida com corda (apboximadamdnte 10 metros) ou por trilha mais suave até a chegada na praia do Sangava (ou Congava), possui águas calmas e fundas, e uma visão maravilhosa da ilha das Palmas.

TRILHA DE PONTA GROSSA

Início: Na praia da Santa Cruz dos Navegantes

Duração Aproximada: 120 minutos

Descrição: A extensão da trilha se dá da base do morro ao seu cume, sendo uma longa caminhada a céu aberto e também em mata fechada, no percurso poderá ser observado uma infinidade de árvores centenárias e animais silvestres originários da mata atlântica.

TRILHA DO SACO DO MAJOR

Início: No final da Trilha da Ponta Grossa

Duração Aproximada: 120 minutos

Descrição: Trilha de difícil acesso por mata fechada é a maior da Ilha de Santo Amaro.

TRILHA DA PRAIA DO ÉDEN

Início: O acesso se dá pela estrada do Pernambuco, através do portal do Condomínio Sorocutuba

Duração Aproximada: 30 minutos

Descrição: É possível ir caminhando ou de carro até o topo do morro, sendo necessário a partir daí, descer uma escadaria de pedras em meio à vegetação, até a praia quase deserta. Praia esta que devido à sua grande beleza leva o nome do verdadeiro paraíso.

Mirantes

Admirar as belezas naturais das praias e a imensidão do mar em um local tranqüilo é garantia de uma experiência inesquecível. Na cidade existem mirantes ao longo da orla onde é possível aproveitar momentos de contemplação ou, para os mais experientes, a prática de esportes radicais.

Mirante do Gávea – Situa-se na praia das Pitangueiras, ao lado do morro da Campina, seu acesso dá-se pela Alameda Floriano Peixoto. Ótimo local para pesca e apreciação das ondas que quebram próximo ao local.

Mirante do Morro da Campina (Maluf) – Marco zero da cidade de Guarujá, ponto geográfico que divide as praias de Pitangueiras e Enseada. Local ideal para fotos panorâmicas e prática de esportes radicais como vôo livre, rapel e escalada.

Mirante do Sorocotuba – Também conhecida como mirante Santa Fé, próximo às praias do Éden e Sorocotuba, faz parte da estação ecológica de Sorocotuba. Possui alguns bares-restaurantes, construídos sobre as rochas da costeira ao longo das praias. Seu acesso se dá através da estrada do Pernambuco na entrada do condomínio Sorocotuba.

Mirante do Costão das Tartarugas – Mirante com visão para praia da Enseada e Costão das Tartarugas, no local existe um restaurante, com terraço coberto e ao ar livre. Acesso fácil por estrada asfaltada ao final da Avenida Miguel Stefano e Avenida das Tartarugas.

Mirante das Galhetas – Mirante famoso pela vista paradisíaca da Praia das Astúrias, seu acesso é feito pela Rua das Galhetas próximo ao mercado de peixe no bairro das Astúrias. Ótimo local para pesca esportiva.

Mirante da Caixa D’Água – Acesso pela Rua Alexandre Migues Rodrigues, atrás do mercado de peixes no bairro das Astúrias. Existe um reservatório público de água desativado no lugar. Local bom para prática de vôo livre. Excelente vista das Praias Astúrias e Tombo.

História

A cidade de Guarujá, situada na Ilha de Santo Amaro, foi visitada pela primeira vez no dia 22 de Janeiro de 1502 pelos exploradores portugueses André Gonçalves, Américo Vespúcio e suas armadas. Mais precisamente, essa visita ocorreu na parte ocidental da ilha, conhecida atualmente como Praia Santa Cruz dos Navegantes.

Contudo, devido à topografia, hostilidade indígena e áreas pantanosas a cidade ficou por mais de 300 anos abandonada. Tendo apenas a extração de óleo de baleia, pesca e poucos engenhos de açúcar como atividade econômica.

Com o passar do tempo as pessoas que viviam dessa economia foram formando um pequeno povoado, sendo assim, por um decreto imperial de 1832, Guarujá passou a condição de Vila.

Em 1893, Guarujá foi promovida a Vila Balneária de Guarujá. Para isso foram encomendados dos Estados Unidos um hotel, uma igreja, um cassino e 46 chalés residenciais desmontáveis. Além de receber serviços de água, esgoto e luz elétrica.

Em 30 de Junho de 1934 a cidade recebeu o título de Estância Balneária e em 1947 passou a ser considerada município devido ao seu crescimento contínuo.

Com uma natureza exuberante espalhada por 27 praias com belezas totalmente diferentes que atraiam os turistas para a região, Guarujá foi reconhecido internacionalmente, na década de 70, com o título de “Pérola do Atlântico”.

Atualmente a cidade continua a ser referência nacional na qualidade de suas praias, o desenvolvimento econômico das últimas décadas trouxe grandes investimentos ao setor portuário, náutico, hoteleiro, empresarial, imobiliário e do comércio. Hoje Guarujá é o destino ideal para quem quer desfrutar das belezas naturais e garantir e um passeio com muita diversão e cultura.

Sambaqui

Guarujá abriga um dos sambaquis (aglomerados de conchas) mais antigos do país, segundo arqueólogos da USP – Universidade de São Paulo, estas estruturas foram construídas por civilizações pré-históricas há mais de 8 mil anos com intuito de ser um local sagrado e de rituais fúnebres. Foi batizado pelos estudiosos como Sambaqui Monte Cabrão e também já foi registrado no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) como parte de um sítio arqueológico na cidade.

Ermida do Guaibê

 A Capela do século XVI é encontrada na região próxima à armação das Baleias feita de pedra e óleo de baleia, atualmente em ruínas, é tida como capela quinhentista de Santo Antônio, construída por José Adorno, freqüentada pelo Padre Anchieta que nela haveria rezado missas e catequizado índios. O cruzeiro de pedra do século XVI pertencente à Ermida, encontra-se no Museu Paulista (Museu do Ipiranga) na cidade de São Paulo.

Armação das Baleias

Localizada na margem do canal de Bertioga, a Armação das Baleias foi um importante marco econômico colonial nos séculos XVIII e XIX. Local que tinha como sua atividade a extração do óleo de baleia, destinado à iluminação pública e ao aproveitamento de seus derivados.

Foi a primeira indústria extrativista que funcionou na Ilha de Santo Amaro. A indústria dos produtos de baleia foi uma das permitidas neste período, aqui no Brasil pelos portugueses. Havia uma sucursal da Armação das Baleias na Praia do Góes, hoje inexistente.

Fortes e Fortalezas

FORTE SÃO LUIZ

 Localiza-se na Ponta da Baleia, no Guarujá, em uma encosta íngreme na ponta do canal, cuja disposição natural das rochas impediam o desembarque e a tomada do forte pelos inimigos. Substituiu o extinto Forte São Felipe no papel de defesa da entrada do canal de Bertioga, juntamente com o Forte São João em Bertioga.

Sua obra foi realizada por Morgado de Matheus, na segunda metade do Século XVIII. Passou por uma reforma geral em 1798. Hoje restam apenas as muralhas tombadas pelo IPHAN desde 1965. Hans Staden

Localização: Estrada Guarujá – Bertioga, junto à balsa (ao fim da estrada entrar à direita, no acesso à Prainha Branca, através de trilha na mata).

Como Chegar: O acesso a este forte se faz através de uma hora de caminhada aproximadamente, por trilha em mata fechada.

Visitação: Atualmente disponível para contemplação

FORTALEZA SANTO AMARO DA BARRA GRANDE

A fortaleza da Barra grande está localizada entre a praia do Góes e santa cruz dos navegantes. Foi erguida durante a unificação das coroas portuguesa e espanhola (1580-1640), mais precisamente em 1584.  Está edificada sobre um esporão de rochoso em frente ao estuário de Santos. Tem suas paredes e muralhas espessas construídas com grandes blocos de pedra, óleo de baleia e cal de sambaqui.

Foi desativada em 1911, tendo seus equipamentos e baterias transferidos para a Fortaleza de Itaipu. Passou vários anos abandonada, sujeita à deteriorização pelo tempo, falta de manutenção e principalmente pela invasão de vândalos que retiravam madeiras e telhas pertencentes à fortaleza.

Foi integrada novamente ao circulo militar em 1960, atualmente está tombada pelo IPHAN, IPHAN em 1964. que em parceria com a Universidade Católica de Santos- Unisantos, restauraram a fortaleza.

A Fortaleza também faz parte do roteiro turístico e histórico “Caminhos de Anchieta”, por ter recebido visitas do Padre José de Anchieta e por hoje abrigar uma imagem do beato. Assinalando a entrada do Porto de Santos, na rota de barcos e navios, a Fortaleza da Barra é mirante de privilegiada beleza.

Restaurada e adaptada, teve a casa de pólvora transformada em capela, que conta atualmente com um painel de 20 m² chamado “Vento Vermelho”, a última obra de autoria do artista plástico Manabu Mabe.

FORTALEZA DO ITAPEMA

A fortaleza do Itapema é uma das mais antigas edificações do Brasil, foi construída no século XVI com a finalidade de proteger o porto de Santos dos invasores. A fortaleza foi erguida em uma única rocha do lado esquerdo do estuário, mais precisamente no antigo bairro do Itapema, hoje, distrito de Vicente de Carvalho, foi levantada com grandes blocos de pedra, óleo de baleia e cal de sambaquis.  Em 1638 foi reconstruída por ordem do comandante Torquato Teixeira de Carvalho, com o reforço de 8  peças de artilharia.

Era terceira muralha fortificada construída na região, sendo possível avistar toda a vila de Santos, a fortaleza passou por várias épocas de abandono, reconstrução e reformas. Entre 1735 e 1738 foi novamente reconstruída, sendo emparelhada com artilharia de grosso calibre, os últimos canhões avistados sobre a muralha datam de 1850, em 1883 a fortaleza sofreu um violento incêndio que a deixou totalmente em ruínas. Atualmente está 
sob responsabilidade da Alfândega de Santos.

FORTE DOS ANDRADAS

 O Forte dos Andradas, inicialmente chamado de Forte do Monduba (expressão indígena que significa ruído barulhento, provocado pelo choque estrondoso das ondas nos penhascos), foi projetado em 1934, teve sua construção iniciada em 1938 e foi inaugurado em 1942.

Sua denominação faz homenagem aos defensores da Independência, os irmãos Andradas: José Bonifácio, Antônio Carlos e Martin Francisco.

Preparado para resistir aos intensos ataques aéreos, foi totalmente cravado na rocha, a aproximadamente 300m do nível do mar. Compõe-se de um complexo sistema de túneis de concreto, câmaras e elevadores que permitem a movimentação dos soldados e da munição. Considerado o último forte construído no Brasil, constitui-se numa exuberante atração turística, mantida pela 1ª Brigada da Artilharia Antiaerea.

ILHA DO ARVOREDO

A ilha do arvoredo está localizada em frente à praia de Pernambuco, a 1,6 km da costa. Com uma área de 36 mil metros quadrados, a ilha serve de palco para pesquisas ecológicas e científicas.

Foi cedida em 1950 pelo Serviço de Patrimônio da União ao engenheiro mecânico Fernando Eduardo Lee para fins científicos. Após a morte do seu idealizador em 1994, a ilha passou a ser administrada pela Universidade de Ribeirão Preto que atualmente está à frente da direção da Fundação que leva o nome do engenheiro.

A ilha é auto sustentável, com sistemas de captação de água potável, energia solar e eólica, o acesso à ilha é feito pelo mar e pela phoenix de concreto que está a mais de trinta metros de altura e serve como trava para o guindaste que iça os visitantes através de uma cesta. A visitação ao local é controlada pela fundação.

PAVILHÃO DA MARIA FUMAÇA

Para facilitar o acesso dos turistas à Estância Balneária de Guarujá, em 1892 foi iniciada a construção do Tramway do Guarujá. Sendo esta inaugurada em 2 de setembro de 1893. Os turistas que se destinavam ao Guarujá naquela época tomavam um pequeno vapor no porto de Santos, chamado Cidade de São Paulo, que atravessava o estuário até o Itapema. Lá havia uma estação onde os turistas pegavam a Maria Fumaça, trem a vapor que seguia até a frente do Grande Hotel, na praia das Pitangueiras.

O trem do Guarujá incluía também um pequeno ramal entre o Guarujá e o atual bairro de Santa Rosa, em frente ao bairro da Ponta da Praia em Santos, com extensão aproximada de três quilômetros. No final da década de 1910 esse ramal foi desativado, sendo construída uma estrada de rodagem. Em 19 de Janeiro de 1918 é implantado um serviço de balsas entre a Ponta da Praia e Santa Rosa, viabilizando o tráfego direto de automóveis entre Santos e o Guarujá.

Quase quarenta anos depois, é desativado o Tramway do Guarujá. O serviço de transporte sobre acabou em 13 de julho de 1956.

A visitação é gratuita e o pavilhão está exposto no cruzamento da Avenida Puglise com a Avenida Leomil no centro da cidade.

PAVILHÃO DO CARRO FÚNEBRE DE SANTOS DUMONT

O carro fúnebre que transportou o corpo de Alberto Santos Dumont (o pai da aviação), falecido em 1932 na cidade de Guarujá, esta localizado na Avenida Puglisi em frente ao Pavilhão da Maria Fumaça.

Um Chevrolet Ramona, fabricado em 1929, construído quase totalmente em madeira, sendo uma raridade que mantém todas as características originais, inclusive o motor seis cilindros.

No dia do funeral, o carro passou pela Av. Puglisi seguindo até travessia de balsa Santos –Guarujá, em direção à cidade de São Paulo. A visitação é gratuita e o pavilhão está exposto no cruzamento da Av. Puglise com a Av. Leomil.

Esportes

As praias de Guarujá são cenários de grandes competições nacionais e internacionais de esportes de praia, principalmente vôlei e futebol de areia. Também merecem destaques os esportes de vela, travessia a nado, jet ski e principalmente o surf.

Tradicionalmente conhecida como palco do surf paulista, as praias de Guarujá oferecem formações de ondas ideais para prática deste esporte, desde amadores até profissionais, seja de bodyboard ou longboard. Ao longo das principais praias da cidade também é possível encontrar escolas de surf e um espaço histórico que é referência no Estado de São Paulo. As Praias do Tombo, Pitangueiras, Pernambuco e Branca são as ideais para prática de surf.

O Recanto do Tortuga, localizado no final da praia da Enseada, é um ótimo lugar para a pratica de esportes de vela e passeios de jet ski. Veículos com reboques descem ao nível da areia da praia, através de rampas exclusivas para colocarem as embarcações na água. A praia das Pitangueiras também oferece ótimos ventos bem no centro da cidade.

A Ilha de Santo Amaro possui uma imensa costeira rochosa com pequenas baías para aqueles que gostam do mergulho simples; com snorkel. Bons locais, com mar constantemente tranqüilo, são encontrados na praia do Guaiúba, na Ponta das Galhetas (praia das Astúrias), na praia do Éden, na praia do Mar Casado e na praia do Pernambuco.

Para quem é fã de escalada e rapel o Morro da Campina é o local ideal.

Fonte: www.sitiobrasil.com.br

Guarujá

Roteiro dos Mirantes de Guarujá

Guarujá é uma cidade com inúmeros atrativos. Até mesmo sua localização já a faz uma cidade diferente. Localizada na Ilha de Santo Amaro, com 138 Km², a Pérola do Atlântico tem encantos dos mais diversos tipos.

E boa parte de sua beleza não está dentro da Ilha, mas pode ser vislumbrada de vários mirantes naturais, em morros e elevações, o que coloca o turista em uma rota diferente daquela que se imagina da Guarujá tradicional do Sol e Praia, dos eventos e da badalação que fazem desta cidade uma das mais charmosas de todo o litoral brasileiro.

Ponta das Galhetas e “Morro da Caixa D’Água”- Começamos nosso passeio da Ponta das Galhetas entre vários edifícios de alto padrão, de onde se avista o oceano em sua grandiosidade, com a Ilha da Moela (pertencente à Marinha do Brasil) ao fundo.

Nessa ilha localiza-se o Farol da Moela, que indica a entrada da barra do porto de Santos, limitado pelas Ilhas de São Vicente (onde estão localizadas Santos e São Vicente) e a de Santo Amaro.

Morro da Campina ou “do Maluf”- O segundo mirante que destacamos é o alto do Morro da Campina, ideal para quem gosta de vôo livre. Dele ocorrem inúmeros pousos e decolagens de pára-glider, além de oferecer encostas tentadoras para os praticantes de rapel e outras escaladas.

A vista é deslumbrante, toda a orla da Praia da Enseada e do mar aberto da maior praia em extensão da Ilha, além de ser a Praia de areias mais limpas do Brasil.

Costão das Tartarugas – Após isso, pode-se seguir rumo ao Mirante do Costão das Tartarugas, após o residencial da Península, local também muito procurado para decolagem de pára-glider. Um local bem agradável para assistir ao pôr-do-sol, tomando uma água de coco gelada ou simplesmente para ver o tempo passar.

Sorocotuba – Terminando este pequeno roteiro, vamos em direção ao Sorocotuba, um Parque Ambiental localizado no Morro de mesmo nome. Ali, em um dos acessos, temos a vista da Praia do Éden, quase deserta, de muitas histórias e curiosidades.

Para chegar à orla de quase 600 metros, é necessário descer uma trilha em meio à vegetação de Mata Atlântica, um pouquinho que ainda resta da natureza que presenteou esta ilha com a magnitude desta vegetação, mas que vale a pena pela paisagem. Quase particular. Quase desconhecida. Quase intocada.

Esta é a Ilha de Santo Amaro, a Ilha dos mirantes e paisagens como você sempre sonhou ser possível conhecer, perto de tudo o que você precisa.

Ecoturismo e Turismo Náutico

A Ilha de Santo Amaro é um verdadeiro paraíso natural. Praias, florestas, manguezais, montanhas em um paraíso tropical, cercado de infra-estrutura por todos os lados.

Com fauna e flora colorida e diversificada, Guarujá possui redutos ecológicos que abrigam espécies preservadas de extinção.

Se o turista tem interesse por atividades combinadas, este é o lugar certo para se conhecer.

Passeios de barco, caminhadas em trilhas em meio à Mata Atlântica, vôo livre, bicicross, rafting, rapel, técnicas verticais, canoagem podem ser a pitada de emoção que falta para que colocar um pouco mais de aventura na sua vida.

E isso Guarujá tem de sobra para lhe oferecer, aventura na medida certa: adrenalina ou paz de espírito, é só escolher!

Trilha da Prainha Branca – Na região do extremo leste da Ilha, área mais conhecida como “Rabo do Dragão” (o formato da Ilha lembra um grande Dragão Alado), existe uma grande reserva ecológica, em meio à Serra do Guararú, que é tombada pelo CONDEPHAAT.

Ali está a Vila de Pescadores da Prainha Branca que, por abrigar elementos representativos das comunidades caiçaras, também é tombada pelo mesmo órgão. Para chegar à Prainha Branca, deve-se caminhar cerca de 20 minutos por uma trilha que “vence” a serra, a uma altitude média de 250 metros, através de uma das porções mais preservadas da Mata Atlântica em toda a região. Na praia há muitos campings, pequenos restaurantes caseiros e um mar dos mais propícios à prática do surf.

A ilha das Marinas e do Porto do Brasil – Talvez a maioria das pessoas não saiba, mas em Guarujá ocorre grande parte das operações portuárias que fazem do Porto de Santos, o Porto de maior importância na América Latina.

Terminais de containeres, graneleiros, de veículos automotores, de sucos e fertilizantes estão instalados na margem portuária localizada em nossa ilha. E também muitas marinas, que abrigam uma das maiores frotas náuticas do país. E isso serve como base para importantes segmentos da atividade turística como o turismo náutico, a pesca e o mergulho.

Conhecer Guarujá é fácil: cada um viaja a sua viagem!

Opção é o que não falta e todos os caminhos levam a um só lugar: Guarujá, a cidade verdadeiramente feliz!

FORTES E FORTALEZAS DE GUARUJÁ

FORTALEZA DE SANTO AMARO DA BARRA GRANDE

Essa fortificação, também conhecida como Fortaleza da Barra, Fortaleza da Barra Grande, Fortaleza de São Miguel e Fortaleza de Santo Amaro e Santos, localiza-se entre as praias do Góes e Santa Cruz dos Navegantes, na Ilha de Santo Amaro, no município de Guarujá.

Foi erguida durante a unificação dos governos português e espanhol (1580-1640), mais precisamente em 1584, mediante projeto de Giovanni Battista (Juan Bautista) Antonelli, arquiteto militar que acompanhava a esquadra espanhola do almirante Diogo Flores Valdez.

Sua posição estratégica foi ocupada um ano antes, em 1583, após ação militar vitoriosa do vedor e contador da armada Andrés Eguino (Higino), contra os navios do corsário inglês Edward Fenton. Seu primeiro comandante, o Capitão Luiz da Costa de Siqueira, só foi nomeado em 1702, 118 anos após sua fundação.

Ocupando um esporão rochoso, a Fortaleza está projetada sobre o canal de acesso ao estuário do maior porto da América Latina. Suas paredes e muralhas espessas, construídas com grandes blocos de pedras, chamam a atenção. Sua potência também era sentida através de seus canhões, cujo estampido ecoava até o município de Cananéia, no litoral sul paulista, a aproximadamente 140 quilômetros de distância.

Em 1911, a Fortaleza da Barra Grande foi desativada e seus equipamentos e baterias foram transferidos para a Fortaleza de Itaipu. Abandonada, deteriorou-se rapidamente, com a ação do tempo e com a retirada por invasores de madeiras, telhas e tijolos.

No ano de 1960, depois de 45 anos de abandono, voltou para o Círculo Militar. A marca de contemporaneidade da Fortaleza da Barra foi introduzida com a restauração e adaptação das salas para múltiplo uso, executadas pelo IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – e tendo como parceira a UNISANTOS – Universidade Católica de Santos.

A Casa da Pólvora foi transformada em capela. Atualmente apresenta um painel de 20 metros quadrados de mosaico de vidro, última obra do mestre e artista plástico Manabu Mabe, chamado “Vento Vermelho”, que utiliza o direito da arte de hoje de se integrar com aquelas produzidas no passado.

A Fortaleza também faz parte do roteiro turístico e histórico ”Caminhos de Anchieta”, por ter recebido visitas do Padre José de Anchieta e por hoje abrigar uma imagem do beato.

Assinalando a entrada do Porto de Santos, na rota de barcos e navios, a Fortaleza da Barra é guardiã, mirante privilegiado de beleza incontestável para se apreciar de perto a passagem obrigatória de navios que entram e saem do porto de Santos.

FORTE DOS ANDRADAS

Esse complexo bélico está situado em Guarujá (Ilha de Santo Amaro), no Morro do Monduba, na costa voltada para o mar, na Praia do Guaiúba, em extensa área de preservação ambiental da Mata Atlântica. Projetado, em 1934, pelo Tenente-Cel de Engenharia João Luiz Monteiro de Barros, foi o último a ser construído no Brasil, sendo concluído em 1942, na época da Segunda Guerra Mundial.

Ocupa uma área de 2,1 milhões de m² e foi edificado escavando-se e encravando-se túneis com diversas galerias nas rochas do morro, com o objetivo de ocultar as instalações dos canhões de tiro curvo (obuses).

O local onde está edificado foi chamado originalmente pelos índios e caiçaras de Monduba, cujo significado é uma corruptela de Mônduba, ruído barulhento provocado pelo choque estrondoso das ondas nos penhascos.

O Forte dos Andradas recebeu esse nome em homenagem aos defensores da Independência – irmãos Andradas: José Bonifácio, Antônio Carlos e Martim Francisco.

O conjunto das construções possui um “Quartel de paz”, situado na bela Praia do Monduba, onde abriga o quartel general da 1ª Brigada de Artilharia Anti-Aérea, a Bateria do Comando e um “Quartel de guerra”, situado no interior do morro, atualmente desativado.

Fazia parte de um sistema defensivo, cruzando fogo com a Fortaleza do Itaipu, em Praia Grande, para proteger, principalmente, o acesso ao Porto de Santos.

Desativado, como integrante do Sistema de Defesa da Costa Brasileira, abriga o quartel general do sistema atual de defesa anti-aérea e de costa das regiões Sul e Sudeste do Exército Brasileiro. Esta fortaleza subterrânea é vista como um grande monumento da arquitetura e da engenharia militar brasileira.

FORTALEZA DE ITAPEMA

É o único monumento histórico-militar situado no município de Guarujá, constituindo-se numa das mais antigas edificações do Brasil. Construída, no século XVI, com a finalidade de defender o porto da Vila de Santos, está localizada a poucos metros da estação das barcas do Distrito de Vicente de Carvalho.

Praticamente inexistem registros sobre a data de sua construção. Supõe-se que já existisse na metade do século XVI e, em 1638, o Comandante Torquato Teixeira de Carvalho mandou reconstruí-la. Foi armada com oito peças de artilharia.

Era a terceira muralha fortificada construída na região. O historiador José da Costa e Silva Sobrinho informa que o nome original era Fortim do Pinhão de Vera Cruz.

A Fortaleza foi edificada sobre a única rocha do lado esquerdo do estuário, dentro de extensa área de várzea que integra o Distrito de Vicente de Carvalho. Foi levantada em cima das rochas, com blocos grandes de pedras unidas por mistura de óleo de baleia e cal de sambaqui, “à flor d’agua, com o intuito de defender a margem oriental do estuário; de sua muralha avista-se toda a Vila de Santos, protegendo-a dos invasores”, é o que destaca documento do século XVII, incluindo a Fortaleza como “importante praça militar” no mapa da Capitania de São Vicente. Como todos os fortins e fortalezas do Brasil, a Fortaleza do Itapema também passou por sucessivas épocas de abandono, reconstruções e reformas.

Em 1670, seu capitão era o paulista ilustre Pedro Taques de Almeida, que executou sua primeira ampliação. Entre 1735 e 1738, a Fortaleza foi novamente reconstruída e aparelhada com artilharia de grosso calibre. Em 1836, o marechal Daniel Pedro Müller relata que a Fortaleza tinha uma guarnição e um oficial. Os últimos canhões que se viram sobre a muralha em defesa do estuário datam de 1850.

Em 1883, a Fortaleza sofreu violento incêndio, que a deixou totalmente arruinada. Ainda no século passado, a Intendência Geral da Guerra entregou-a aos cuidados da Alfândega de Santos, que, em 1908, mandou construir um posto de fiscalização, com uma torre dotada de holofotes, para melhor iluminação do estuário e combate ao contrabando. Essas instalações foram totalmente destruídas por um incêndio em 1976. Hoje estão no local depósitos, laboratórios e garagem de barcos da Receita Federal.

FORTE SÃO LUIZ

Localizado na Ponta da Baleia, no município do Guarujá, no extremo norte da ilha de Santo Amaro, denominado Rabo do Dragão, onde primitivamente existia uma paliçada para defesa contra os ataques indígenas, o Forte pode ser visto seguindo a estrada Guarujá-Bertioga, a 27 Km do centro da cidade de Guarujá.

Foi reconstruído pelo Morgado de Matheus, na segunda metade do século XVIII. Tinha o objetivo de defender o Canal de Bertioga, em conjunto com a artilharia do Forte São João.

Pode-se descrevê-lo como um “baluarte de pedra”, uma casa fortificada para abrigar material pirobalístico (pólvora e munição), voltada para o Canal, na ponta norte da Ilha de Santo Amaro (Guaíbe-Guarujá), defronte à Bertioga, próximo ao local onde o Capitão Jorge Ferreira mandou construir, em 1557, o Forte de São Felipe.

No ano de 1745, instituiu-se nas proximidades uma das mais importantes fábricas de óleo de baleia do Brasil, a qual tinha uma filial na Praia do Góes, do outro lado da Ilha de Santo Amaro. O óleo era utilizado como impermeabilizante nas edificações da época, além de servir para a fabricação de velas, iluminação pública e calafetação de navios.

Apesar de construída para fins militares, a bateria de canhões nunca chegou a ser instalada. Em 1798, passou por uma reforma geral. Hoje restam apenas as muralhas, tombadas pelo IPHAN desde 1965.

Curiosidades: o primeiro artilheiro do Forte São Felipe, o famoso alemão Hans Staden, viveu parte de sua vida aventurosa neste local e ficou prisioneiro dos Tupinambás durante nove meses, sendo quase devorado. Conseguiu livrar-se afinal, voltando à sua terra, na qual escreveu o livro “Duas viagens ao Brasil, publicado em 1557, onde narra suas aventuras.

Fonte: www.pressclub.com.br

Guarujá

Pontos Turísticos

Aquário Acqua Mundo

É o maior da América do Sul, mantido na praia da Enseada. Em alta temporada, funciona diariamente das 10h às 22h. Para visitação, são cobrados R$ 20 de adultos e R$ 10 de crianças de 2 a 12 anos, aposentados, estudantes e maiores de 60 anos. Há preços promocionais para famílias e grupos com mais de 10 pessoas.

Fortaleza de Itapema

Construída no século XVI para defender o porto da Vila de Santos, está localizada a poucos metros da estação das barcas do distrito de Vicente de Carvalho.

Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

A fortificação se localiza entre as praias do Góes e de Santa Cruz dos Navegantes. Foi erguida em 1584, durante a unificação dos governos português e espanhol. Recentemente, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e a Universidade Católica de Santos (Unisantos) firmaram parceria que restaurou o local.

Forte dos Andradas

O complexo bélico está situado no morro do Monduba, na costa voltada para o mar, na praia do Guaiúba, em extensa área de preservação ambiental da Mata Atlântica. Projetado em 1934, foi o último do tipo a ser construído no Brasil.

Maria Fumaça

Trata-se do Pavilhão da Casa do Trem, situado na esquina entre as avenidas Leomil e Puglise. No local, próximo ao monumento que guarda o carro funerário de Santos Dumont, está o trem que operou durante anos em Guarujá.

Praia da Enseada

Separada de Pitangueiras pelo Morro do Maluf, é a mais extensa das praias do município, com 5.650 metros. Sua costa não possui grandes edifícios, devido à lei de zoneamento da cidade. Mas é nela em que se promovem eventos esportivos patrocinados por empresas, já que reúne muitos hotéis e restaurantes.

Praia das Pitangueiras

Com 1.800 m de extensão, é a praia central do Guarujá e a mais disputada pelos banhistas em alta temporada. Nela ocorreu o desenvolvimento inicial da ilha de Santo Amaro. No calçadão, encontram-se restaurantes, bares, feiras de artesanato e o shopping La Plage.

Praia do Góes

Trata-se de uma pequena ilha com águas mansas e piso coberto por conchas. Por ser de difícil acesso, é mais preservada. Por trilha, é possível chegar de lá a praias desertas, como a do Congava ou Sangava.

Praia do Perequê

É conhecida pelos restaurantes com cardápios com grande variedade de pratos à base de frutos do mar. É um reduto de pescadores.

Praia do Pernambuco

Outra praia bastante freqüentada, com características distintas. Do lado maior, ondas fortes; do outro, águas calmas.

Praia do Tombo

Com 860 m de extensão, mar forte, fundo e perigoso, destaca-se por ser o berço do surfe paulista. Segundo lendas da região, as águas se revoltaram porque escravos eram aprisionados em grutas existentes nas encostas dos morros.

Fonte: vidaeestilo.terra.com.br

Guarujá

A cidade, um dos mais elegantes balneários do Estado de São Paulo, atrai visitantes de todos os lugares, conseguindo reunir a estrutura de um grande e sofisticado centro turístico com recantos de natureza selvagem.

Muito lazer e esportes se encontram lá: praias com águas calmas para banhos, ou com ondas altas, indicadas para surfistas, praias e lagoas propícias à pesca, locais cobertos por mata nativa com rios e cachoeiras – tudo isso pode ser explorado, tendo ao fundo belos cenários.

Para muitos, é considerada uma das cidades mais bonitas doPaís, tendo sido apelidada de“Pérola do Atlântico”.

Vale conhecer a paisagem exuberante do Morro da Península, entre a Praia da Enseada e o Costão das Tartarugas, e o Forte dos Andradas, onde estão antigos canhões e túneis.

Também são atrações o Parque de Diversões da Praia das Pitangueiras, as feiras de artesanato espalhadas pelo município e o Pavilhão da Maria Fumaça, onde está exposta uma antiga locomotiva.

Um grande destaque do Guarujá é sua vida noturna. Em qualquer época do ano, a cidade é o lugar certo para badalar, paquerar e se divertir sob aluz do sol ou da lua.

O comércio é sofisticado e os fãs da boa mesa vão se deliciar nos bons restaurantes e bares, cujas especialidades vão desde pratos caseiros à base de frutos do mar, churrascos, até os destaques da cozinha

Fonte: www.banstur.com.br

Guarujá

Principais Pontos Turísticos

Forte dos Andradas

Guarujá
Forte dos Andradas

Forte dos Andradas localiza-se na ponta de Munduba, ao sul da ilha de Santo Amaro, no atual município do Guarujá. Atualmente abriga a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, constituindo-se num dos mais belos pontos turísticos do Guarujá de onde podem ser descortinadas as praias do Guarujá e a baía de Santos.

Aberto ao público desde janeiro de 1994, as visitas podem ser feitas nos finais de semana e feriados não-chuvosos, das 10:00 às 17:00 h, com condução e guia cedidos pelo próprio forte, mediante ingresso.

Praia das Astúrias

Guarujá
Praia das Astúrias

A Praia das Astúrias, é uma praia da cidade de Guarujá, estado de São Paulo. Possui um charmoso calçadão, uma pequena plataforma de pesca, e uma orla com varios prédios de classe média alta. A praia tem a areia branca, mar verde azulado, e frequentemente aparecem grandes tartarugas marinhas. Conta com serviços de quiosques, restaurantes, hoteis, limpeza de praia, posto policial e salva vidas.

Praia Pernambuco

Guarujá
Praia Pernambuco

A Praia Pernambuco (também conhecido como Jardim Pernambuco) é um bairro da cidade de Guarujá, no litoral de São Paulo. A região da Praia Pernambuco é tida como uma das mais belas do Guarujá. Conhecida principalmente por ser a preferida de vários artistas famosos e por casas com estilos arquitetônicos sofisticados, é uma área residencial dedicada principalmente ao turismo, sendo que a atividade comercial é praticamente restrita.

Praia da Enseada

Guarujá

Praia da Enseada é a mais extensa praia do Guarujá, tem 6 km de faixa de areia. Com ondas médias, é ótima tanto para a prática de esportes náuticos quanto para banhistas. A Enseada é, ainda, um dos principais pontos de lazer noturno da cidade.

Sua urbanização foi planejada de modo a não permitir edifícios ao longo da praia, o que a diferencia das demais praias. Lindas casas e hotéis finos dão à sua orla um ar mais suntuoso.

Praia de Pitangueiras

Guarujá

praia de Pitangueiras é a primeira praia a ser vista, quer se chegue por balsa ou pela estrada pois localiza-se na área central da cidade. É boa para banho, urbanizada e tem longos edifícios por toda sua faixa costeira. É uma das praias com maior concentração de turistas, tem uma área preferida para a prática do surfe.

Fonte: www.trilhacultural.com.br

Guarujá

Praia das Astúrias

Com 1km de extenSão, situa-se a Oeste da ilha, sendo sua principal característica os barcos de pescadores e barracas de venda de pescados.

Praia de Congava

Pequena praia localizada no extremo Oeste da Ilha de Santo Amaro, com 300 m de extensão. Local de águas calmas e claras, parada obrigatória para um mergulho. Acesso por trilha através da Praia do Góes ou por barco.

Praia da Enseada

Ao lado Leste de Pitangueiras, é a mais extensa da cidade com 7 km de areia. Logo no seu início destaca-se o Morro da Campina, mais conhecido como Morro do Maluf, de onde se tem uma viSão privilegiada.

É muito frequentada por banhistas e adeptos de esportes (pode-se alugar jet-ski). À noite é procurada por turistas devido aos restaurantes e bares agitados. No verão, torna-se especial devido ao visual proporcionado pelos praticantes de surf.

Praia de Guaiúba

Com 250 m de extenSão, possui uma rica Vegetação. Durante muito tempo foi o paraíso dos turistas de finais de semana por ter sido uma das últimas praias a ter sua bela natureza alterada. Possui águas calmas, boas para pesca e mergulho.

Praia do Iporanga

Fica a 25 km do centro da cidade. Circundada por matas, possui a mais bela cachoeira da região que conserva muito do seu primitivismo, formando uma piscina natural de água doce. Seu acesso é restrito por estar localizada em um condomínio fechado.

Praia do Mar Casado

Com 500 m de extenSão, recebeu este nome devido à junção suas águas com as da Praia de Pernambuco, fenômeno que ocorre quando a maré sobe. Possui encostas rochosas onde se pode praticar a pesca com molinete. O acesso é feito a pé tanto na maré baixa como na alta sem nenhum perigo.

Praia de Monduba ou Artilheiro

Praia de areias finas e brancas e águas em permanente tom de esmeralda, tem 400 m de extenSão. Onde anteriormente era um sítio, o engenheiro João Monteiro de Barros projetou o Forte dos Andradas. Somente é permitida a visitação de turistas para a realização de passeio ecológico ( necessário prévio agendamento).

Praia do Perequê

Conhecida como reduto pesqueiro, tem os mais variados restaurantes especializados em peixes e frutos do mar. Nessa praia o turista pode ver a puxada de rede e logo após saborear um delicioso camarão e todos os tipos de frutos do mar, pescados na hora. Acolhedora e muito popular, abriga o caiçara autêntico de nosso litoral.

Praia de Pernambuco

Possui 1.500 m e localiza-se após a Praia da Enseada. É a mais bonita e bem frequentada de Guarujá. Possui duas praias e quando a maré enche, acontece a junção das águas, formando a baía conhecida como Mar Casado. Além da beleza natural, aqui foi achado o primeiro sambaqui. Seus restos arqueológicos São datados de 2500 a.C.

Praia de Pitangueiras

Com 1.800 m de extenSão, é a praia central de Guarujá. Abriga luxuosos apartamentos e conta com a maior concentração de turistas em razão de seu Comércio. Ganhou este nome devido ao grande número de pés de pitangas que ali existiam.

É em Pitangueiras que podemos encontrar o único documento vivo da nossa História: a Maria Fumaça, que no início do século fazia o trajeto Guarujá – Vicente de Carvalho, trazendo os turistas vindos de São Paulo.

Praia da Armação das Baleias

Pequeno trecho de areia situado no extremo Leste da Ilha de Santo Amaro (rabo do dragão). Com 50 m de extenSão, suas areias São voltadas para o Canal de Bertioga e circundadas pela Vegetação de Mata Atlântica. Tem acesso por uma trilha de baixo grau de dificuldade, a partir da ligação de balsas Guarujá – Bertioga ou através de barco.

Praia da Fortaleza da Barra Grande

Praia pouco conhecida, frequentada pelos moradores da Praia do Góes e de Santa Cruz dos Navegantes, tem apenas 30 m de extenSão.

Praia das Conchas ou do PC Pequena

Praia com 150 m de extenSão, fica dentro do loteamento Iporanga. Situa-se 4 km distante da Estrada Guarujá – Bertioga.

Praia de Fora

Pequena e de águas calmas, seus 50 m de extenSão São acessados somente por barco.

Praia do Bueno

Tem 400 m de extenSão. Situa-se dentro do Forte dos Andradas. Portanto, seu acesso é restrito.

Praia do Éden ou Sorocotuba

Possui 100 m de extenSão. Ainda sem grande afluência de banhistas, fica após o Morro de Sorocotuba, entre Enseada e Pernambuco. O acesso ao morro pode ser feito de carro, mas é necessário descer uma trilha para chegar à praia.

Praia do Camburí

Bastante isolada, rústica e com muita Vegetação nativa de Mata Atlântica, tem 400 m de extenSão e seu acesso é por mar ou trilha, partindo da Praia Preta.

Praia do Cheira Limão

Com 20 m de extenSão, tem águas calmas e fica logo após a Ponta dos Limões, no sudoeste da Ilha de Santo Amaro, o acesso é realizado por trilha que inicia-se ao lado da Fortaleza da Barra Grande.

Praia do Góes

Com 250 m de extenSão, é formada por uma colônia de pescadores. Trata-se de uma pequena praia de águas calmas. O acesso é feito por embarcação que sai da Ponte dos Práticos (Santos) ou por trilha a partir da Praia de Santa Cruz dos Navegantes.

Praia do Pinheiro

Praia curta de areia batida e de ondas moderadas. Tem 700 m de extenSão e seu acesso é pela Praia do Iporanga.

Praia do Saco do Major

Deserta, de ondas fortes e cercada de morros com Vegetação de Mata Atlântica, seu acesso se dá por uma trilha que se inicia no bairro Santa Cruz dos Navegantes. Seus 400 m de extenSão São uns dos mais distantes da cidade.

Praia Preta

Pequena praia com 200 m de extenSão, acesso difícil pela costeira rochosa feita a partir da Praia Branca e cercada de morros com densa Vegetação de Mata Atlântica. É uma das mais desertas da ilha.

Prainha Branca

Localizada ao lado da travessia de Ferry Boat para o município de Bertioga, seu acesso é feito por meio de uma trilha. Seus 1.350 m de extenSão mostram ondas fortes no lado esquerdo e mar calmo no lado direito proporcionado por uma ilha muito próxima que pode ser alcançada a pé.

Praia Santa Cruz dos Navegantes

Até pouco tempo era desconhecida até mesmo dos moradores da cidade. Com a abertura da estrada, o turista acabou conhecendo um lado bem rústico de Guarujá. A vila é de População carente, mas o segredo está no baluarte da Costa da Mata Atlântica, que é a Fortaleza da Barra Grande (1584), construída pelos espanhóis para evitar ataques de piratas. Tem 750 m e seu acesso é feito por barcos que partem da Ponte dos Práticos (Santos) ou pela Estrada de Santa Cruz dos Navegantes.

Praia de São Pedro

Extensa e com muitas ondas, fica a 4 km da Estrada Guarujá – Bertioga, com muita Vegetação da Mata Atlântica e 1.400 m de extenSão. Seu acesso é difícil por ser localizada dentro de condomínio fechado.

Praia do Tombo

Com 856 m de extenSão, possui mar bastante agitado, o que provoca tombos inesperados. Também é internacionalmente conhecida por sediar os mais importantes campeonatos de surf. Segundo alguns moradores, o mar se revoltou porque os escravos eram aprisionados nas grutas existentes nas encostas do morro e depois eram lançados ao mar.

Acqua Mundo

Aclamado como o maior aquário da América do Sul, expõe em seus 35 tanques e terrários mais de 5.000 animais aquáticos de 200 espécies diferentes. São mais de 1,2 milhão de litros de água dentro de um complexo de lazer que conta com praça de alimentação, loja temática e auditórios para eventos relacionados com o meio ambiente.

Armação das Baleias

Teve grande importância econômica no século XVII. Sua construção data de 1699 / 1700. Durante quase um século com a matança de baleias para extração de óleo, iluminou toda a Costa da Mata Atlântica e São Paulo.

Ermida Santo Antônio de Guaibê

Fica a caminho da Fortaleza de São Felipe. Lá o padre José de Anchieta catequizava os índios e teria escrito o seu famoso poema “Milagre dos Anjos”. Sua data de construção é de 1563 / 65 e sua importância deu-se principalmente em meados do século XVII.

Feiras de Artesanato

Mostras de artesanatos e bijuterias, podem ser encontradas em três pontos: no Centro Comercial Pitangueiras (Av. Puglisi, 40 – Pitangueiras), Praia das Astúrias, junto à Colônia de Férias do Banespa, e na nova instalação da Feirinha, na Av. Mal. Deodoro da Fonseca, s/n, ao lado da Praça dos Expedicionários.

Fortaleza de São Felipe ou São Luiz

Datada do século XVI, abrigou o famoso artilheiro alemão Hans Staden durante 9 meses. Foi nesta fortaleza que ele quase foi devorado pelos índios Tupinambás, que o aprisionaram. Voltando à sua terra, escreveu o livro “Meu cativeiro com os selvagens do Brasil”.

Fortaleza de Santo Amaro da Barra Grande

Está localizada na região sudoeste da Ilha de Santo Amaro entre as Praias do Góes e Santa Cruz dos Navegantes, às margens do estuário santista. É um monumento histórico-militar edificado no século XVI durante o domínio espanhol com o objetivo de defender a Vila de Santos de ataques corsários de piratas.

Foi tombada em 1969 pela Secretaria do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional e em 1981 pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Arqueológico, Artístico e Turístico (CONDEPHAAT).

Forte dos Andradas

Inaugurado em 1942, foi a principal defesa da entrada da baía de Santos ao Sul da Ilha de Santo Amaro. Dotado de quatro obuseiros de 240 m e um complexo e eficiente sistema de tiros, tem uma altitude de 300m acima do nível do mar e sua via de acesso é uma estrada pavimentada perfeitamente conservada. As visitas São permitidas nos finais de semana.

Forte Santa Cruz do Itapema

Localizado em Vicente de Carvalho foi construído pelos portugueses para proteção do porto, em 1537.

Heureka

Parque Temático de Ciência e Tecnologia com réplicas dos inventos dos grandes cientistas da humanidade, fósseis, brinquedos demonstrativos de fenômenos de Física, entre outras atrações. Possui também lanchonete, sorveteria e loja.

Mirante do Gávea

Situa-se no final da Praia das Pitangueiras, no Morro da Campina. Seu acesso é pela Alameda Floriano Peixoto.

Mirante do Morro da Campina (Maluf)

Marco zero da cidade de Guarujá, ponto geográfico que divide as Praias de Pitangueiras e Enseada. Local ideal para fotos panorâmicas.

Mirante do Sorocotuba

Também conhecido como Mirante Santa Fé, local de rara beleza com costeira rochosa e praias (Éden e Sorocotuba). É a estação ecológica de Sorocotuba, reserva de Mata Atlântica. Alguns bares/restaurantes foram construídos sobre as rochas da costeira. Máquina fotográfica é indispensável.

Morro do Costão das Tartarugas

Mirante de fácil acesso, conta com terraços cobertos e ao ar livre.

Pavilhão da Maria Fumaça

Av. Leomil, esquina com Av. Puglisi. Exposição da antiga locomotiva datada do início do século (1905), que ligava Guarujá à Vicente de Carvalho. Foi desativada em 1956.

Pavilhão do Carro Fúnebre de Santos Dumont

Relíquia do ano de 1924, fica em frente ao pavilhão da Maria Fumaça.

Fonte: www.explorevale.com.br

Guarujá

O número expressivo de belas praias no Guarujá sempre despertou um enorme potencial de turismo balneário, dos moradores da região da Baixada Santista, da Capital do Estado, que é bastante próxima à região, de outras cidades do estado e do país, bem como, de estrangeiros que possuem residência no Município, ou nele desfrutam lazer.

Durante a temporada de verão, a cidade, que tem uma população fixa de pouco mais de 305 mil habitantes, recebe mais de 1,2 milhão de turistas, que buscam lazer, diversão e descanso ao longo das praias do Município, que totalizam 18.400 metros de extensão.

Devido à facilidade de locomoção e de ligação com o Planalto, o Guarujá não é um local que se caracteriza pela força do turismo, apenas e tão somente, na chamada “temporada de verão”, mas sim, ao longo de todo o ano, com ênfase particular nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro. A título de exemplo, para a temporada de verão 2008/2009 (de dezembro até o Carnaval de 2009), a estimativa da Secretaria de Turismo de Guarujá foi de 3.000.000 (três milhões) de turistas.

Fonte: www.estadao.com.br

Guarujá

Praia da Enseada

É a mais extensa da cidade possuindo 7km. Logo no seu início destaca-se o Morro da Campina, mais conhecido como Morro do Maluf. A praia é muito frequentada por banhistas e adeptos de esportes. À noite é o ponto mais procurado turistas devido a restaurantes e bares agitados.

Praia de Pitangueiras

Com 1.800m de extensão é a praia central de Guarujá, onde deu-se o desenvolvimento inicial da ilha. É o local de maior concentração de turistas, em razão do seu comércio.

Praia das Astúrias

Guarujá

Com 1.000m de extensão, tem como principal característitica os barcos de pescadores e barracas de venda de pescados. Excelente para banho, possibilita ainda admirar as praias de Pitangueiras e Enseada.

Praia do Iporanga

Guarujá

Iporanga é uma praia de 800m, que leva o nome do condomínio fechado ao qual pertence, o mais sofisticado condomínio de casas do litoral paulista, e o caminho mais curto entre a rodovia Guarujá-Bertioga e a praia. Porém, não é permitida a entrada de veículos e turistas, sendo somente possível chegar à praia por barco ou passeio de escuna.

Perequê

Guarujá

Possui 2.200m de extensão. Acolhedora e muito popular é considerada o reduto dos pescadores. É lá que podemos encontrar o autêntico caiçara de nosso litoral.

Praia de Pernambuco

Guarujá

Localiza-se após a Praia da Enseada. É bonita e possui uma área de 1.500m de extensão. A praia é muito conhecida pela frequência de artistas e ponto de parada das embarcações de passeio.

Praia do Mar Casado

Guarujá

Recebeu este nome porque quando a maré enche acontece a junção da praia, originando o que chamamos de mar casado.

Praia do Éden ou Sorocotuba

Guarujá

Possui 100m de extensão. Ainda sem grande afluência de banhistas, fica depois do Morro do Sorocotuba, entre a Enseada e Pernambuco.

Praia Branca

Guarujá

Localizada ao lado do Ferry Boat que faz a travessia para Bertioga, no extremo leste da Ilha de Santo Amaro, seu acesso dá-se por barco ou por uma longa trilha a partir do final da estrada Guarujá-Bertioga. Circundada por morros com rica vegetação de Mata Atlântica, é uma praia extensa, com mais de 1.350m, de areia clara, ondas fortes e correntes traiçoeiras do lado esquerdo.

Praia Preta

Guarujá

Uma pequena enseada de 200m de extensão de beleza selvagem e cercada de morros com densa vegetação da Mata Atlântica, a Praia Preta possui areia dura e escura e mar perigoso, cheio de pedras, com ondas fortes, boas para surfe.

Praia do Tombo

Guarujá

Com 856m de extensão seu nome deriva de sua conformação geológica. Possui mar bravo e provoca tombos inesperados. É ótima para a prática de surf.

Praia do Guaiúba

Guarujá

Com 250 metros de extensão, durante muito tempo foi o paraíso dos turistas de finais de semana. É considerada uma das mais belas praias do Guarujá, com destaque para a sua rica vegetação.

Fonte: www.gcvb.com.br

Guarujá

Estância balneária

Guarujá é um dos quinze municípios paulistas considerados estâncias balneárias pelo estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. Também, o município adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de estância balneária, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais.

História

A ilha de Santo Amaro surge em sua atual forma no final da Era Glacial, entre 20 e 10 mil anos, quando o Canal de Bertioga e o estuário de Santos são abertos com a contínua elevação do nível do Oceano Atlântico e criam a atual ilha, a separando do continente.

Os primeiros habitantes são os homens dos sambaquis, grupo humano semi-nômade que habitou o litoral sul/sudeste brasileiro apó o final da Era Glacial. Este povo vivia da coleta de moluscos, conchas, mexilhões e demais alimentos marinhos, bem alguns alimentos vegetais e caça de pequenos animais e peixes.

Não conheciam a agricultura e seu único registro conhecido são os montes de restos de conchas espalhados pelo litoral, chamados de sambaquis. Em Guarujá, foram localizados sambaquís na praia do Mar Casado e Pernambuco.

Após a era dos sambaquis, a ilha passa a ser visitada por grupos tupi, que deram o primeiro nome a ilha: Guaibê (lugar de carangejos) e também Guaru-ya (passagem estreita). Os tupis não habitaram a ilha, permanecendo no entorno da Serra do Mar e no Planalto Paulista, mas utilizavam a ilha para a colheita de sal e pesca.

Em 22 de Janeiro 1502 o primeiro europeu pisa na ilha. André Gonçalves e Américo Vespúcio aportam na praia de Santa Cruz dos Navegantes, depois seguindo viagem a ilha de São Vicente.

A ilha, pantanosa e acidentada, não atrai a atenção dos colonizadores portugueses, que preferem-se centrar esforços na vizinha ilha de São Vicente, esta mais ampla e salubre e contando com um acesso privilegiado ao Planalto Paulistano, através de trilhas indígenas.

Apesar do desinteresse, alguns colonos portugueses acabam se instalando na costa ocidental de Santo Amaro, sobrevivendo de agricultura de subsistência, pesca e reparos de navegações utilizadas no estuário de Santos.

Em 1543, quando da primeira divisão territorial brasileira, toda a região entre a ilha de Santo Amaro e a barra do rio Juqueririê (futuros municípios de Guarujá, Bertioga e parte de São Sebastião) é concedida a Pero Lopes de Sousa por seu irmão Martim Afonso de Sousa sob o nome de capitania de Santo Amaro.

A capitania, sem recursos naturais de importância e sem ligações com o Planalto, não se desenvolve. As únicas ações visando a ocupar o território são a construção dos Fortes de São João e São Filipe, destinados a proteção do porto do Santos, uma beneficiadora de óleo de baleia no extremo norte da ilha, na desembocadura do Canal de Beritoga e a ação de alguns grupos de jesuítas para a cataquese de índios.

Durante toda a fase Colonial e Imperial a ilha não atrai atenção, sendo povoada apenas por colonos pontuais e por pequenos sítios destinados a esconder escravos contrabandeados da África.

No final do século XIX, com o surgimento do turismo, o desenvolvimento da economia paulista e a existência de um acesso ferroviário rápido e fácil entre o litoral e o Planalto Paulistano provocam um novo interesse pela ilha de Santo Amaro.

Em 1890 um dos posseiros de áreas na ilha, Valêncio Augusto Teixeira Leomil, possuidor de extensa área localizada entre a praia do Perequê e o Canal de Bertioga solicita a câmara de Santos direitos de uso sobre largas áreas da ilha e concessão por uma ligação ferrea a ser construída entre o estuário de Santos e sua propriedade.

Dois anos depois, em 1892, Valêncio Leomil vende seus direitos aos empresários paulistanos Elias Chaves e Elias Pacheco, que fundam a Companhia Balneária da Ilha de Santo Amaro.

A Companha tem como fim a criação de uma vila balneária na praia de Pitangueiras e a exploração do turismo na ilha. Para a vila, são encomendados 46 casas de madeira nos Estados Unidos e um hotel de luxo, contando inclusive com um cassino.

Além da vila, a Companhia construiu uma linha férrea ligando o estuário de Santos a praia de Pitangeiras, o batizando de Tramway do Guarujá, bem como o primeiro serviço estável de navegação entre Santos e Guarujá.

O hotel cassino, batizado de La Plage, é inaugurado em 1893 e torna-se reduto da classe alta paulistana durante o verão. O sucesso do hotel e a reputação do Guarujá como destino de verão da classe alta paulistana levam a um contínuo desenvolvimento da vila durante a primeira metade do século XX.

Em 1923 a vila é transformada em Distrito de Paz, e em 30 de junho de 1926 o distrito torna-se Prefeitura Sanítária, separando-se de Santos. Em 1931, a Prefeitura Sanítária é extinta, com a reintegração da ilha ao território de Santos e Guarujá volta a ter autonomia apenas em 30 de junho de 1934, no antigo status de “prefeitura sanitária”. Em 1947 as prefeituras sanitárias são extintas e Guarujá torna-se município de pleno direito.

O fim dos jogos de azar no governo de Eurico Gaspar Dutra e a construção da via Anchieta, ligando a Baixada Santista a São Paulo modificam a ocupação da ilha. A antiga vila balneária se adensa com a chegada de maiores quantidades de turistas e novos moradores.

Edificios começam a surgir na orla de Pitangueiras e Astúrias e praias até então desertas, como Enseada, Pernambuco e a própria Perequê começam a ser visitadas. Paralelamente, migrantes nordestinos migram para a ilha a procura de emprego, se fixando na região do velho forte de Itapema, dando origem ao distrito de Vicente de Carvalho.

Entre as décadas de 1970 e 1980 Guarujá cresce descontroladamente. Toda a orla da cidade entre a praia do Tombo e Pernambuco é ocupada por diversos loteamentos e edificios, sem a necessária contra-parte de infra-estrutura.

O Milagre Econômico dos anos 70, a construção da Rodovia Piaçagüera-Guarujá, ligando a ilha diretamente a Via Anchieta e em menor grau as novas rodovias Rio-Santos e Moji-Bertioga (possibilitando o acesso ao Vale do Paraíba e Litoral Norte) provocam a explosão do turismo e da migração para a ilha.

A qualidade ambiental vai caindo, com a poluição das águas, a ocupação de áreas sensíveis como morros e mangues e o número cada vez maior de turistas, moradores e migrantes sobrecarregam o Guarujá.

A situação se torna crítica no final da década de 80 e início de 90, quando milhões de turistas visitam a ilha todos os verões, provocando o colapso da infra-estrutura do Guarujá, com cortes de eletricidade, falta de água e poluição das praias.

Extensas áreas do município são ocupadas por favelas, habitadas pelos migrantes em buscas de novas oportunidades e a criminalidade toma corpo. O cenário caótico leva a uma profunda crise no turismo e na economia do Guarujá, que perde turistas e investimentos para o Litoral Norte e até mesmo para outras cidades da Baixada Santista.

A segunda metade da década de 1990 vê uma recuperação progressiva do balneário, com investimentos em saneamento, habitação, infra-estrutura e até mesmo efeitos benéficos da divisão do total de turistas com outras regiões, causando menor sobrecarregamento na cidade. Paulatinamente a cidade começa a receber novos investimentos e começa a desenvolver o turismo de negócios e a prestação de serviços, visando a expandir sua base econômica e se tornar menos dependente do turismo sazonal.

Atrações turísticas

Sua construção teve início em 1934 pelo tenente-coronel de Engenharia João Luís Monteiro de Barros e inaugurado em 10 de novembro de 1942, constituindo-se a principal defesa da entrada da Baía de Santos ao sul da Ilha de Santo Amaro. Recebeu esse nome em homenagem aos irmãos Andradas (José Bonifácio, Antônio Carlos e Martim Francisco) que tiveram muita importância durante o período imperial.

Dotado de um complexo e eficiente sistema de tiro, o Forte dos Andradas encontra-se a uma altitude de aproximadamente 300 metros acima do nível do mar, tendo como via de acesso uma estrada pavimentada, bem conservada.

Após percorrer-se uma distância em torno de dois quilômetros em cujas margens, depara-se com um túnel cavado na rocha, com cerca de 400m de extensão, no qual encontra-se as antigas câmaras de tiro e os elevadores destinados a transporte da munição para os obuseiros e para observadores que guarneciam o Posto de Observação.

Atualmente, as instalações do forte são conservadas pela 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, e formam um exuberante ponto turístico que foi aberto à visitação pública em janeiro de 1994. Nos diversos Mirantes do Forte, o turista vai deparar com as vistas marítima mais bonitas de todo litoral paulista. Possui também uma praia denominada Praia do Monduba ou Artilheiro,com 400m de extensão, a qual só é permitido o acesso mediante autorização prévia do comando do exército, ali instalado.

Guarujá
Praia das Pitangueiras, a mais visitada entre os turistas

Guarujá
Vista da Praia das Astúrias, podendo ser observado o Edifício Sobre as Ondas e a Casa da Pedra (obra de Gregory Warchavick)

Transporte

Situado na Ilha de Santo Amaro, ao largo de Santos e da Bertioga, o município dispõe de um conjunto de 27 praias, sejam isoladas e acessíveis apenas por trilha ou barco, e outras em áreas urbanizadas. Sua economia esta apoiada na atividade turística, e também possui atividade marítima de lazer, indústria, e uma intensa atividade portuária, conta também com movimento comercial em Vicente de Carvalho, que é o segundo maior da Região Metropolitana.

Um acesso ao Guarujá (Ilha de Santo Amaro) pode ser feito por balsas da Travessia Santos-Guarujá, que partem da Ponta da Praia em Santos. Na travessia são utilizadas 6 balsas que tem capacidade para 12 e 40 carros, a capacidade da travessia é atualmente de 1500 carros por hora.

A travessia entre Santos e Guarujá tem um dos maiores volumes de tráfego do mundo, são 28 mil veículos por dia, ida e volta, nos meses de novembro a março, o movimento chega a 35 mil veículos por dia.

Outro acesso é pela Rodovia Cônego Domênico Rangoni que percorre a área continental do município de Santos, chegando a ilha através da Ponte do Monte Cabrão no Canal de Bertioga. Após o Canal de Bertioga, temos quatro entradas para a cidade.

Uma é o Trevo da Vila Áurea. A outra é a rua Professor Idalino Pinez, mais conhecida como rua do Adubo, largamente utilizadas pelos caminhões que chegam e buscam o cais do Porto de Santos. A Terceira é o Viaduto que atravessa a rodovia e os bairros de Morrinhos e Vila Zilda, fazendo a ligação com o Túnel em direção as praias da Enseada e outras. A quarta e mais importante entrada fica no fim do trecho sob jurisdição da Ecovias e da acesso direto à sede do município.

Pedestres podem aceder à ilha por via marítima, as barcas partem do centro de Santos com destino a Vicente de Carvalho, há barcas também na Ponta da Praia em Santos com destino ao outro lado do estuário.

Fonte: www.guiadoturista.net

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+