Breaking News
Home / Turismo / Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros

PUBLICIDADE

Chapada dos Veadeiros é um dos destinos de ecoturismo mais interessantes do Brasil. Está localizada no Estado de Goiás, a cerca de 230 km de Brasília.

De natureza exuberante, a região possui inúmeras trilhas com cachoeiras, poços de águas cristalina, montanhas, cânions, minas de cristal, campos de flores do cerrado, mirantes, rica fauna e um imperdível pôr do sol.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi criado em 1961 e possui área de aproximadamente 60 mil hectares. O principal rio que drena o Parque é o Rio Preto, afluente do Rio Tocantins, e ao longo do seu percurso podemos encontrar várias cachoeiras e paredões de até 300 metros de altura.

Cristais de rocha surgem do solo entre a bela flora local e a variada vegetação do cerrado, enquanto a rica fauna da região abriga espécies ameaçadas de extinção, como o veado-campeiro, o cervo do Pantanal, a onça-pintada e o lobo-guará. Fora dos limites do Parque existem ainda diversas cachoeiras, pinturas rupestres e piscinas de águas quentes.

Com um solo rico em cristais de quartzo e localização bem no centro do país, a Chapada dos Veadeiros é considerada reduto de espiritualistas e esotéricos de todo Brasil. A explicação para a grande concentração de energia mística no local é de que a região está localizada no mesmo paralelo que atravessa a cidade de Machu Picchu, no Peru.

Confira as principais atrações:

Aldeia Engenho: é formada pelos Calungas, descendentes de escravos das minas de ouro do Brasil, que vivem a mais de duzentos anos isolados em regiões remotas e formando comunidades auto-suficientes. Está localizada a 25 km de Cavalcante, a cidade mais antiga da Chapada.

Cachoeira da Água Fria: possui 50 metros de queda, rodeada por campos floridos e pedrinhas de cristal. Localizada a 7km de Alto Paraíso. É possível praticar cascading de 45 metros (iniciantes) ou ainda 90 metros (experientes).

Cachoeira das Almécegas I e II: o córrego Almécegas percorre campos de flores e buritizais até chegar em belas quedas, de 45 metros de altura. Localizado na Fazenda São Bento, a 8 km de Alto do Paraíso.

Cachoeiras das Cariocas e Cânions: cânions com formações de piscinas naturais e quedas d`água, localizados dentro do Parque Nacional.

Cachoeira da Santa Bárbara: possui 30 metros de altura, formando um rio de água verde-esmeralda com grandes piscinas naturais. Este atrativo fica dentro da área de preservação Calunga.

Cachoeira São Bento: formada pelo Rio dos Couros, possui belíssima piscina natural, ideal para a prática de mergulho e natação, além de uma caverna semi-submersa em uma das margens. Está localizada a 7,5 km de Alto do Paraíso. 

Cavalcante: Fundada em 1740 com o descobrimento do ouro, a cidade é porta de entrada para a Chapada dos Guimarães e marco de todo o povoamento feito na região. Cerca de 70% da área do Parque Nacional que protege a Chapada está dentro do município. Existem mais de 100 cachoeiras próximas à cidade que fica circundada por cânions, local ideal para esportes de aventura. O turismo religioso também movimenta a região, principalmente na romaria das comunidades quilombolas em homenagem à Nossa Senhora da Abadia.

Cataratas dos Couros: a 51 km de Alto Paraíso, é um rio que se desdobra em várias quedas d’água, formando um imponente conjunto de cachoeiras.

Jardim de Maytrea: Um dos lugares mais fotografados da Chapada, rico em flores, veredas e buritizais. Está localizado a 20 km de Alto Paraíso, pela Estrada do Parque. É valorizado por espiritualistas que afirmam existir no local campos de força magnética. 

Morada do Sol: o local é formado por um conjunto de corredeiras pequenas, cachoeiras e piscinas no rio São Miguel, ao sul do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Localizadas a 6 Km de São Jorge, o local está rodeado por lajes de pedras polidas formando um local imperdível para visitação. 

A trilha da Morada do Sol leva a outro atrativo: o Vale das Andorinhas. 

Mirante do Aeroporto: um dos pontos mais bonitos da cidade de Alto Paraíso e lugar bastante disputado para apreciar o pôr-do-sol.

Morro da Baleia: é um local estimado pelos espiritualistas para realização de vigílias, celebrações e meditações. Em certa época do ano, existe a possibilidade de banho no alto do primeiro platô. Localizado a 18 km de Alto Paraíso.

Ponte de Pedras: acesso através de caminhada de 7 km, com grau de dificuldade médio-pesado. É um impressionante arco de pedras de 30 metros de altura, que passa pelo Rio São Domingos. Da parte de cima do arco, é possível avistar o final da Chapada, através das escarpas da Serra Santana e do Vão do Paranã.

Raizama: santuário de beleza selvagem, onde os rios São Miguel e Raizama se encontram, formando belas quedas e piscinas naturais. Localizado a 5 km de São Jorge.

Saltos do Rio Preto: Um dos principais atrativos da Chapada, com quedas d´agua deslumbrantes de 80m e 120m de altura, tendo a última se tornado o mais bonito cartão postal da região com visual  inesquecível. O Rio Preto é afluente do Rio Tocantins e o principal da região.

Terra Ronca: um dos mais belos e significativos conjuntos espeológicos do mundo, com mais de 200 cavernas de formações calcárias raras e preservadas. Fica a 300 km de Alto Paraíso.

Trilha do Sertão Zen: percurso de 16 km até a Cachoeira do Sertão Zen, com 200 metros de queda. Pedras e flores compõem o cenário deste místico ponto por onde passa o Paralelo 14, a mesma linha que corta Machu Pichu, no Peru.

Trilha dos Cristais: trilha que passa por um antigo garimpo de cristais. É possível observar as pedras durante o todo percurso.

Vale da Lua: o Rio São Miguel percorre formações rochosas que impressionam pelas cores e formas, desembocando em belas piscinas naturais. A referência à lua vem dos tons diferentes de cinza e o formato curioso das rochas, esculpidas pela força das águas. Está localizado a 5 km de São Jorge.

Vale do Rio Macaco: o rio Macaco apresenta um belíssimo complexo de cachoeiras e cânions. Na região existe uma comunidade rural, a Aldeia Arco-Íris, que oferece infra-estrutura de alojamento para visitantes e alimentação natural. Está localizado a 40 km de Alto Paraíso, com acesso feito em veículos 4 x 4.

Vale do Rio Macaquinho: afluente do Rio Macaco, pela margem direita. São 300 metros de desnível, onde se formam grandes cachoeiras e lindos cânions, com piscinas de águas coloridas e paredes de quartzito. A região oferece uma pequena estrutura para almoço e compra de bebidas. O acesso é feito em veículos 4 x 4.

Fonte: www.ciaeco.tur.br

Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, com 65 mil hectares, revela e protege toda a riqueza da flora e da fauna do cerrado.

Há duas trilhas principais para visitação do parque, cuja entrada localiza-se bem próxima da Vila de São Jorge:

Saltos 1 e 2 e Corredeiras

Os Saltos do Rio Preto são considerados um dos principais atrativos da Chapada dos Veadeiros devido à beleza de sua trilha e de suas quedas. Caminhada de 10 km no total, ida e volta, passando por antigos garimpos de cristais e vegetação típica do cerrado. A primeira queda tem 120 m de altura e pode ser admirada de um mirante e o visual é inesquecível. Continuando a caminhada chega-se a um salto de 80 m de altura que forma uma grande piscina para banho. De volta à trilha seguimos rumo às corredeiras onde podemos nos deliciar com as hidromassagens naturais que se formam nos poços.

Caminhada: 10 km.

Grau de dificuldade: médio.

Canyon II e Cachoeira das Carioquinhas

A caminhada de 12 km, ida e volta, também é muito bonita, com a possibilidade de observarção das plantas do cerrado que são de uma beleza única e dos locais dos antigos garimpos.

Ao final da trilha nos deparamos com grandes paredões de pedra que formam canyons magníficos e piscinas para banho. Caminhamos mais um pouco e chegamos à Cachoeira das Carioquinhas onde a água cai de uma altura de 30m sobre as pedras formando uma linda piscina para banho.

Caminhada:12 km total.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: a 36 km de Alto Paraíso no distrito de São Jorge, sendo 22 km de asfalto e 14 km de estrada de chão.

Importante: é necessário guia para ingressar no parque. E para a caminhada é aconselhável levar bastante água, filtro solar, boné e um kit lanche.

Loquinhas

Caminhada de 2 km, ida e volta, por uma passarela de madeira ao longo da qual encontram-se uma sequência de 7 poços de águas esverdeadas e transparentes que formam excelentes piscinas para banhos e hidromassagens. Fácil visitação para crianças e pessoas de terceira idade.

Caminhada: 2km total.

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: 4,5 km de Alto Paraiso.

Sertão Zen

Uma das melhores opções para quem gosta de longas caminhadas com um visual fantástico. São 18 km de caminhada, ida e volta, entre montanhas e planícies, ate chegar a uma cachoeira de 150m de altura. Apesar de longa a caminhada é muito agradável.

Trilha que tem seu inicio próximo à Alto Paraíso seguindo para o leste da Chapada, na serra geral do Paranã, com vista indescritível de toda a região. Pela trilha, nascentes, veredas, mata ciliar, campo limpo, campo rupestre e todas as belezas da região. Uma parada para se refrescar e depois continua pelo leito do rio até chegar a uma cachoeira com mais de 150 metros da altura e mirante com uma vista deslumbrante do Vale do Rio Macaco.

Caminhada: 16km total.

Grau de dificuldade: Difícil.

Localização: acesso pela estrada P/Morrão, a 4km de Alto Paraíso. Guia obrigatório.

Parque Solarion- Cachoeiras Anjos e Arcanjos

Situadas no Povoado do Moinho a 12 km de Alto Paraíso, as duas belas cachoeiras do Rio Pretinho, a dos Anjos (10m) e dos Arcanjos (7m), localizam-se no Parque Solarion. Tem ótimos poços para banho. A trilha que leva até as cachoeiras tem cerca de 4 km, ida e volta.

Caminhada: 4km total.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: 12 km. de Alto Paraiso, acesso pela estrada do Moinho

Cachoeira dos Cristais

A trilha tem 2km, ida e volta. O primeiro poço para banho fica a 100 m da entrada.

No percurso encontramos varias quedas de águas cristalinas e piscinas próprias para banho e hidromassagem natural, sendo que para se chegar na última cachoeira da trilha, Véu de Noiva, o grau de dificuldade é maior. O local é muito apreciado pelos turistas e moradores da região por ser de fácil acesso, próximo à cidade. Há lanchonete no local e não há necessidade de guia.

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: 7 km de Alto Paraíso, acesso pelo km 172 GO-118 sentido Cavalcante.

Cachoeira da Água Fria

Cachoeira com queda de 110m, com vista privilegiada para o Vale do Rio Bartolomeu, para o Vale do Moinho, para a Serra Geral do Paranã e para a Cachoeira dos Órfãos. A trilha de 1,5km passa por campos floridos e pedrinhas de cristal. O local é ideal para a pratica do rapel na primeira cachoeira, de 50m, e de canionismo. Pegando uma trilha lateral existem ótimos poços para banho.

Grau de dificuldade: Médio

Localização: 8 km de Alto Paraíso, acesso pelo km 174 GO-118 sentido Cavalcante (Fazenda Santa Rita de Cássia).

Poço Encantado

O poço formado por uma cachoeira de 25m é ideal para banho, com uma prainha onde bate sol quase o dia todo. A criançada adora. Tem lanchonete e restaurante no local.

Caminhada: 600 metros.

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: 55 km de Alto Paraíso, acesso pelo km 220 da GO-118 sentido Cavalcante.

Fazenda São Bento – Cachoeiras Almécegas I, II e São Bento.

Cachoeira Almécegas I

Cachoeira em forma de véu de noiva, com 45m de altura, onde para chegar é preciso percorrer uma trilha de 1 Km. Do mirante tem-se a vista de cima da cachoeira que é belíssima. O grande poço de águas verdes que se forma embaixo (acesso por mais 5 min de trilha a partir do mirante) é fundo e uma delícia para banho. Dá para fazer rapel no paredão da cachoeira, com agendamento prévio (Agência Travessia).

Caminhada: 3km.

Grau de dificuldade: Médio.

Cachoeira Almécegas ll

A trilha é mais curta e de fácil acesso.

Cachoeira com aproximadamente 8m de queda forma pequenas piscinas naturais rasas e de águas calmas, boas para ir com criança. Dá para chegar bem perto da queda d’água e sentar-se nas pedras para receber uma hidromassagem natural. Um poço maior para banho forma-se embaixo.

Caminhada: 1km total.

Grau de dificuldade: Fácil

Cachoeira São Bento

Cachoeira com aproximadamente 8m de altura. No local pode-se desfrutar de ótima piscina natural para banho e de uma caverna semi-submersa.

Caminhada: 1km total.

Grau de dificuldade: Fácil

Na fazenda São Bento há várias opções de esportes de aventura como: Tiroleza de 850mts de distância e 95mts de altura, considerada a 3ª maior do Brasil. Rapel na cachoeira da Almécegas I. Os valores podem ser consultados na agencia Travessia Ecoturismo.

Localização: 9km de Alto Paraíso em direção a São Jorge.

Portal da Chapada

O principal atrativo é a trilha suspensa de madeira de 2,8 km dentro da mata ciliar, com todas as árvores catalogadas. Oferecida no local a prática de arvorismo. Os valores podem ser consultados na Travessia Ecoturismo.

Caminhada: 2.5 km

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: 9 km de Alto Paraíso pela estrada para São Jorge.

Vale Dourado

Trilha curta e fácil leva a poços de águas cristalinas formados por pequenas quedas d’agua. Muito bom para banho. Oferece atividade de bóia cross por um rio que fica a 500m da sede.

Localização: a 30 km de Alto Paraíso, acesso pela estrada que vai de Alto Paraíso a São Jorge.

Vale da Lua

Um dos atrativos mais visitados na Chapada. Paisagem inesquecível formada por sulcos circulares nas rochas, que lembram as formas das crateras lunares, esculpidas ao longo de milhares de anos pelo Rio São Miguel. O rio corre entre os sulcos formando poços liberados para banho e outros com redemoinhos muito fortes que são inadequados para banho. As piscinas naturais e as minigrutas de desenhos tão peculiares compõem um cenário exótico e de rara beleza.

Caminhada: cerca de 1.200 m.

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: 38 km de Alto Paraíso na estrada que vai de Alto Paraíso a São Jorge, sendo um trecho final em terra.

Cachoeira do Segredo

Trilha de 16 km passando diversas vezes pelo Rio São Miguel,por mata ciliar densa, veredas e cerrado, até chegar à Cachoeira do Segredo que é muito linda, mas….

Uma dica: tentar chegar à mesma por volta do meio dia quando o sol bate na cachoeira! Ah, e de preferência usar calçado que pode molhar porque algumas vezes há travessia pelo rio.

Caminhada: 16 km total.

Grau de dificuldade: Difícil.

Distrito de São Jorge

Anteriormente conhecida como Baixa, o vilarejo foi criado na época do garimpo. São Jorge é considerado um referencial de ecoturismo, pois a Vila que antes vivia a base da extração do cristal de quartzo, hoje vive basicamente do turismo responsável, sendo porta de entrada para visitação ao Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Fica a 36 km de Alto Paraíso e neste percurso localizam-se a bela formação rochosa do Morro da Baleia e o Jardim de Maytrea, local com campos de flores, veredas e buritizais, frequentado para vigílias, meditações e celebrações.

Localização: a 36 km de Alto Paraíso, sendo 22 km de asfalto e 14 km de estrada de chão.

Mirante da Janela e Abismo

Atrativos formados por vários mirantes, sendo o mirante do salto do Rio Preto no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros o ponto principal do passeio.

Depois a trilha segue até a cachoeira do Abismo, que é em forma de cascata com pequenas piscinas para banho com uma vista belíssima. Caminhada total de cerca de 12 km.

Grau de dificuldade: Difícil. Essencial o acompanhamento de guia, pois há muitas bifurcações na trilha.

Localização: 3km de São Jorge.

Santuário Raizama

A partir da Fazenda Raizama são 20 min.de trilha numa caminhada por cânyon até um poço pra banhos. Um Santuário de beleza selvagem que leva a uma bela queda de 40 m. no encontro dos rios São Miguel e Raizama. O paredão que se forma oferece o desafio de descida com cordas.

Localização: 5km de São Jorge, estrada para Colinas do Sul.

Caminhada: 3km total.

Grau de dificuldade: Fácil

Cachoeira Morada do Sol

Formada pelo rio São Miguel, com pequenas cachoeiras e piscinas rodeadas por lajes de pedras polidas pelas águas, a Morada do Sol é um bom local para famílias com crianças. Sua trilha leva a outro atrativo que é o Vale das Andorinhas no mesmo rio que é o Rio São Miguel.

Caminhada: de cerca de 2km.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: 6km de São Jorge, estrada para Colinas do Sul.

Encontro das águas

A 20 km de São Jorge, em um dos pontos mais baixos da Chapada acontece o belíssimo encontro do Rio São Miguel com o Rio Tocantins.

A partir daí tem-se um rio único com corredeiras e cânions ao longo do percurso do rio. A entrada da trilha que leva até o encontro das águas é pela Fazenda Novo Horizonte, da dona Odésia, que serve refeição no local. A trilha de 2,5 km é suave e leva ate uma prainha boa para banho.

Caminhada: 4km total.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: a 20km de São Jorge, acesso pela estrada para Colinas do Sul.

Águas Quentes

Piscina artificial, rústica, construída sobre uma mina de água quente (26 a 32°C), dentro de uma mata. É um bom passeio para famílias com crianças no final da tarde após longa caminhada. Levar repelente pois no final da tarde os mosquitinhos podem aparecer. É um lugar bem simples, mas agradável.

Caminhada: 200 m.

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: a 16km de São Jorge, acesso pela estrada para Colinas do Sul.

Catarata dos Couros

As cinco cachoeiras do Rio dos Couros estão entre as mais belas da Chapada. Depois de um pouco mais de uma hora de estrada de terra, a partir do centro de Alto Paraíso, é só deixar o carro e seguir por uma trilha de 5,4 km margeando o rio até chegar à ultima e maior cachoeira. È um cenário inesquecível.

A série de quatro imponentes cachoeiras que ultrapassam os 100m de altura é formada pelo rio dos couros e incorpora também a cachoeira da Muralha (30m),que é a primeira delas após caminhada de 1km em trilha plana. Forma-se um piscinão, excelente para banho. A caminhada continua margeando o Rio dos Couros até chegar a uma série de imponentes cachoeiras que no final nos surpreendem com a visão de um belíssimo cânion.

Caminhada: 5km total.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: Acesso pelo km 148 da GO-118 para Brasília, a 20 km de Alto Paraíso. A partir daí estrada de terra 36km. É aconselhável contratar guia.

Cachoeiras do Vale do Rio Macaquinho

O Vale do Macaquinho fica à 45km de Alto Paraíso, e na estrada há uma parada obrigatória que é o mirante do Vão do Paranã local com um desnível de 800m de altura, o que proporciona uma belíssima vista do vale.

A trilha para as cachoeiras é muito bonita passando por canyons e piscinas naturais de águas transparentes esverdeadas até chegar às cachoeiras maiores. É possível fazer canyoning no local.

As três principais cachoeiras são: Cânion da Pedra Furada, cachoeira da Caverna e cachoeira dos Dois Saltos, local onde o rio Macaquinho encontra com o rio Fundão formando uma queda e um cânion com 40m de altura.

Caminhada: 4.5 Km total.

Grau de dificuldade: Médio.

Localização: acesso pelo km 148 da GO-118 para Brasília (Fazenda Santuário das Pedras), a 15 km de Alto Paraíso. A partir daí estrada de terra 30km. É aconselhável contratar guia.

ATRATIVOS TURÍSTICOS PRÓXIMOS À CAVALCANTE

Cachoeiras Santa Barbara e Capivara – comunidade Kalunga

Localizada no município de Cavalcante, a cachoeira de Santa Barbara é considerada uma das mais bonitas da região por formar uma grande piscina de água verde esmeralda. Este atrativo fica dentro da área de preservação da comunidade Kalunga, no povoado do Engenho.

Caminhada: 5 km

Grau de dificuldade: Médio.

Bem próximo à comunidade dos Kalunga, a cachoeira com o nome de Capivara 1 abre um vale de visual impressionante e simplesmente espetacular. Cachoeiras em uma sequencia de 70, 80 e 100 metros despencam em um vale de cânions, propicio para o canionismo. Trilha de acesso com menos de 1 km. O encontro das águas dos rios Capivara e Quebra-Coco nas respectivas cachoeiras oferece um ótimo local para banho.

Caminhada: 2km

Grau de dificuldade: Fácil.

Localização: a 55 km da cidade de Cavalcante em estrada de terra.

Ponte de Pedra

Localizada no município de Cavalcante, a ponte de pedra fica no limite norte do Parque Nacional. A caminhada é longa e com bastante subida mas compensa o esforço quando nos deparamos com um impressionante arco de pedra natural com 30m de altura, passando por cima do Rio São Domingos, o divisor natural do Parque Nacional. É possível subir no arco para apreciar a bela vista da Chapada pelas escarpas da Serra Santana e do Vale do Paranã.

Caminhada: 7km

Grau de dificuldade: Difícil

Rio Prata

Distante cerca de 60 km da cidade de Cavalcante. No caminho passamos pela Chapada da Piteira, que oferece um belo cenário formado por campinas repletas de buritis e águas cristalinas. O Rio Prata forma 4 cachoeiras seqüenciais com acesso fácil através de trilhas curtas e outras 3 cujo acesso é por uma trilha de 7,5km de extensão. A cor da água é verde esmeralda e no decorrer da trilha encontramos alem de piscinas varias duchas para hidromassagem natural.

Localização: a 60 km da cidade de Cavalcante em estrada de terra.

Grau de dificuldade: Médio

Caminhada: Total 7,5 km

Circuito de Aventuras

Tirolesa do Vôo do Gavião- Com 850 metros de extensão, é a terceira maior do Brasil e proporciona uma vista privilegiada de toda a paisagem ao redor e muita adrenalina. ( Agencia Travessia).

Cascading na Cachoeira Almecegas 1- Realizada na Fazenda São Bento. A assessoria de guias especializados e o uso de equipamentos certificados garante a segurança da operação na queda com 45metros de altura.

Circuito de arvorismo na propriedade Portal da Chapada- Circuito de 110 metros e o avistamento de aves são os grandes atrativos.

Catalogar pelo menos uma dezena de aves em poucos metros de caminhada. Recomendável para qualquer idade.

Canionismo nos Cânions da Raizama e Macaquinhos- Clássicos e bem mais técnicos, possuem quatro descidas em cachoeiras e mais 1 km de extensão rio abaixo. Também com guias especializados garante muita adrenalina.

Fonte: recantodagrandepaz.com.br

Chapada dos Veadeiros

Chapada dos Veadeiros
Chapada dos Veadeiros, em Goiás, foi declarada Patrimônio Mundial pela Unesco em 2001

Chapada dos Veadeiros
A Chapada dos Veadeiros reúne impressionante conjunto de rios, quedas-d’água, 
cânions, trilhas e formações geológicas em meio ao Cerrado

Localizada a 2 horas e meia ao norte de Brasília, a Chapada dos Veadeiros abriga rios cristalinos, cachoeiras de mais de 100 metros, trilhas e paredões de pedra rompendo pelo Cerrado de três localidades: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante e a vila de São Jorge, onde está a entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, declarado Patrimônio Mundial pela Unesco em 2001.

Para chegar às atrações, visitantes precisam estar dispostos a caminhar: as trilhas têm trechos íngremes e pedregosos (em algumas delas é necessária a presença de guia). Como recompensa pelo esforço, quase todos os percursos terminam em poços limpos, na base de quedas-d’água ou no meio de formações rochosas.

Em Alto do Paraíso, ecoturistas enchem a cidade sobretudo em julho, em busca das trilhas que levam a incontáveis cachoeiras.

Mas o lugar também atrai outro perfil de visitante: os interessados em assuntos místicos. A presença de minas de cristais nas redondezas e o fato de que a região está na mesma latitude de Machu Picchu (as duas são atravessadas pelo Paralelo 14) ajudam a convencer muita gente de que Alto Paraíso tem uma energia especial.

Distrito de Alto Paraíso, São Jorge é uma pequena vila de casas coloridas e ruas de terra.

O ponto positivo do local é a facilidade de acesso ao Parque Nacional: a entrada fica em São Jorge. Quem fica em Cavalcante, cidade que contém mais da metade da Chapada dos Veadeiros, se diverte com atrações escondidas em propriedades particulares das cercanias.

ONDE FICAR

Há hospedagens localizadas na zona rural, isoladas e próximas das atrações naturais. Em São Jorge, pousadinhas atraem casais e famílias pela localização – na entrada do parque nacional – e pela estrutura lojinhas de artesanato, bares e restaurantes no centrinho.

Em Alto Paraíso, a Pousada Maya tem decoração charmosa com luminárias coloridas, bandeirinhas de pano e outros objetos artesanais, acomodações amplas com enxoval de primeira.

Já a Pousada Fazenda São Bento organiza caminhadas e cavalgadas pela gigantesca área verde, cortada por trilhas que levam a três belas cachoeiras: de São Bento e Almécegas I e II.

A Pousada Casa das Flores, em São Jorge, tem quartos confortáveis, e reúne na área externa piscina, restaurante e um cantinho com vitrola e discos antigos. A cinco minutos de carro do Parque Nacional, a Bágua Pousada tem chalés espalhados por área verde, todos com camas king, lareira, frigobar, hidro na varanda e ótimas duchas.

Na Pousada Vale das Araras, em Cavalcante, a ideia é mesmo relaxar: chalés com camas enormes, boa ducha com aquecimento solar, varanda com rede e nenhuma TV. A Pousada Fazenda Veredas tem quartos rústicos, que dão vista para um paredão rochoso. Há sete cachoeiras espalhadas pelo terreno da pousada – as quedas variam de 20 a 80 metros.

ONDE COMER

Em algumas partes do país, a palavra “matula” é sinônimo de marmita.

Em Goiás, tem um significado mais interessante: trata-se de um tutu feito de feijão-branco ou mulatinho, engrossado com farinha de mandioca. Muito cremosa, a mistura ganha pimenta-verde e alho, além de pedaços de linguiça, carne de lata (curada em banha de porco) e carne de sol – e tudo é apresentado sobre uma folha de bananeira. Quem serve? O Rancho do Waldomiro, na estrada que leva São Jorge.

Em Alto Paraíso, o Cravo & Canela serve caldados, chapati (pão indiano) e lanches vegetarianos. A Cervejaria Aracê, em Cavalcante, serve petiscos chilenos e cerveja de fabricação própria.

COMO CHEGAR

O aeroporto mais próximo da Chapada dos Veadeiros é o de Brasília. Da capital federal, siga de carro ou ônibus para Alto do Paraíso, a 250 quilômetros, no acesso para a BR 020. Prossiga pela GO-118, rodovia que leva a Alto Paraíso e que passa por São Gabriel e São João D’Aliança.

COMO CIRCULAR

De Alto Paraíso de Goiás a Cavalcante são 82 quilômetros pelas asfaltadas GO-118 e GO-241 – mas para conhecer as cachoeiras e mirantes do entorno, ainda roda-se bastante por estradas de terra. De Alto Paraíso pra São Jorge são 22 quilômetros asfaltados e 14 quilômetros de terra pela GO-239.

QUANDO IR

O ano todo. No período de estiagem, de abril a setembro, o volume de água nas cachoeiras diminui. Maio é a época mais florida e julho, a mais movimentada.

Fonte: viajeaqui.abril.com.br

Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, com seus portões de entrada localizados na Vila de São Jorge, ganhou fama pela beleza de suas cachoeiras, canyons, e a biodiversidade do cerrado com sua riquíssima flora e fauna. Uma das mais antigas formações geológicas do mundo, com cerca de 1,6 bilhões de ano, ponto mais alto do Planalto Central, é anterior à floresta Amazônica e à Mata Atlântica. Seu cerrado surpreende pela variedade de flores, como canelas de ema, bromélias, orquídeas, sempre vivas e flores que resistem aos incêndios, florescendo logo após as queimadas.

Pode-se curtir a revoada de papagaios, araras e tucanos, ouvir o pica-pau e ver o gavião carcará que pega, mata e come pequenos animais silvestres. Nas caminhadas ainda se vê lobos guarás, raposas e, com sorte, veados campeiros que já foram numerosos na região. Antas, onças e tamanduás são vistos mais raramente.

O cristal de quartzo é a marca registrada da região e encanta a todos exercendo especial atração sobre os esotéricos. O que brilha no chão são lascas do Cristal Manhoso. Controlado pelo Ibama o Parque permite visitas acompanhadas por guias autorizados e treinados. Não é permitida a entrada de animais de estimação.

Passeios no Parque – Vila de São Jorge

Cachoeira do Rio Preto – Salto de 80 metros – caminhada de aproximadamente 50 minutos (6Km) pelo cerrado para nadar num lago localizado na base da cachoeira. Na volta, a subida exige um esforço maior. Cachoeira do Rio Preto – salto de 120 metros – pode ser contemplado a partir de um mirante.

Canyon 2 e Cariocas – Caminhada leve de aproximadamente 45 minutos, atravessando alguns riachos durante a qual chama a atenção a beleza das flores do cerrado. O Canyon 2 é um estreitamento do Rio Preto que forma uma cachoeira belíssima. Depois é dar uma esticada até a Cachoeira das Cariocas onde é possível nadar, curtir duchas variadas e hidromassagem naturais.

Canyon 1 – Trajeto partindo do Canyon 2 por dentro do rio que forma belíssimas piscinas nos meses de maio a outubro. Um espetáculo magnífico de cima do Canyon. Rio acima, belos paredões de pedra. Tempo previsto de ida: 1h30 fora as paradas para banho. Passeio inesquecível.

Cachoeira da Rodoviária – Riacho temporâneo pequeno. Acesso livre. Caminhada curta.

Mirante dos Dois Saltos – Roteiro difícil compensado pela magnífica visão das duas cachoeiras do Rio Preto.

Passeios fora do Parque – Vila de São Jorge

Roteiro a partir de Alto Paraíso até o município de Colinas.

Cachoeiras Almécegas – Bonitas, sendo a Almécegas 2 melhor para banho . Caminhada média. Fazenda São Bento.

Cachoeira São Bento – Lindo poço onde são realizados campeonatos de polo aquático.

Cachoeira do Mello – Local bonito e bom para banho. Possibilidade de visita a confirmar.

Jardins de Maitréia – Belíssimo visual de frondosos buritis, avistado do lado direito da estrada principal, sentido Alto Paraíso – São Jorge.

Serra da Baleia – Caminhada longa até o topo. Ponto de observação privilegiado (até de Ovnis, dizem os aficionados).

Bar do Valdomiro – Casa de sapê na beira da estrada. Boa comida caseira e tira gosto. Venda de produtos da região.

Vale da Lua – Acesso pela estrada principal (6 km) antes de chegar à Vila de São Jorge. Diferente dos demais passeios, possui formações rochosas inusitadas, cintilantes em noites de lua cheia. Rio bom para nadar e mergulhar. Caminhada de 20 minutos.

São Jorge – Riacho temporâneo que abastecia São Jorge nos tempos do Cristal. Fica logo depois da Pousada Águas de Março.

Abismo – Cachoeiras grandes e pequenas com picinas de hidromassagem. Linda caminhada de aproximadamente 40 min a partir do discoporto com vista panorâmica da Estrada de Colinas.

Raizama – Também chamado de Espaço Infinito. Caminhadas de 15 minutos, possui bonitas cachoeiras. Oferece também desafios para prática de rapel em seus paredões. Distante 3,5 km de São Jorge pela estrada principal.

Morada do Sol – Cerca de 4 km de São Jorge. Cachoeiras próprias para adultos e crianças. Acesso fácil; caminhada de 10 minutos.

Piquizeiro – Cachoeira de fundo de quintal, onde macacos bebem água. Acesso mediante taxa ou autorização dos proprietários.

Pedra Escrita – Riacho e inscrições pré-históricas ainda indecifradas nas pedras à 11Km de São Jorge.

Encontro das Águas – encontro do Rio São Miguel com o Rio Tocantizinho. Duas experiências de contato com a natureza. Legal é subir pelas margens e descer nadando apreciando as pedreiras.

Jardim do Éden – propriedade particular com banho de água morna.

Aguas Quentes – Dois poços de águas mornas. O lugar é bonito e pode ser visitado também à noite, embora não possua iluminação. Dista 16 Km de São Jorge.

Riacho de Colinas – Muito freqüentado pelos moradores do Município. Cachoeiras pequenas agradáveis. Fica a 33 km de São Jorge.

Serra da Mesa – lago bom para pesca. Em Colinas é possível alugar barcos que levam o turista para pescar.

Fonte: www.brasilcontact.com

Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi criado em 11 de janeiro de 1961, através do Decreto n° 49.857, assinado pelo Presidente Juscelino Kubtschek, inicialmente com o nome de Parque Nacional do Tocantins, com uma área de 625.000 hectares.

Em 1972 sua área é reduzida e ganha o nome de Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Após reduções e ampliações fica com uma área de 65.514 hectares.

É uma unidade de conservação e o principal ponto de visitação da Chapada dos Veadeiros.

Seu solo, levemente ondulado, é cortado por rios que correm límpidos em seu leito de quartzo, formando cachoeiras, cannyons e seguindo mansamente entre as matas de galerias ladeadas por campos úmidos repletos de flores.

O Parque Nacional dispõe de uma modesta estrutura que conta com uma sede, um Centro de Visitantes e alguns postos de vigilância. A visitação é permitida de Terça-feira a Domingo, das 8:00h às 17:00h, a pessoas e grupos, em trilhas autorizadas e sempre acompanhados de um guia local. A entrada do Parque fica no Povoado de São Jorge, a 36 km de Alto Paraíso, por estrada não pavimentada.

Dentro do Parque Nacional existem duas trilhas que conduzem aos seguintes atrativos: Saltos do Rio Preto, Pedreiras, Cachoeira das Cariocas, Cannyon I e Cannyon II. Ao Cannyon I só é permitida a visitação no período da seca, que vai de maio a outubro.

Possuindo o mais antigo patrimônio geológico do continente, a placa Araí, formada há 1 bilhão e 800 milhões de anos, a Chapada dos Veadeiros é o ponto de maior luminosidade visto da órbita da Terra, segundo a NASA.

Área de beleza inigualável, apresenta suas peculiaridades tanto no período de seca, como no de chuvas, atraindo as pessoas pelo misticismo e ecoturismo, pois é famosa pela energia espantosa que envolve a região, além das diversas cachoeiras, trilhas e paisagens inesquecíveis, a preservação do meio ambiente e a natureza ainda não tocada e degradada pelo homem, graças ao esforço do IBAMA, entidades ambientalistas, população local e da administração pública local.

A Chapada dos Veadeiros, nas palavras do pesquisador, escritor e terapeuta holístico Ergom Abraham, “é um local predestinado a ser uma espécie de berço do novo homem, ou berço de uma nova raça”, estruturar, proporcionando uma maior geração de empregos e de renda à população.

Fonte: www.gaiaexpedicoes.com

Chapada dos Veadeiros

No meio do cerrado goiano há um lugar de muita energia à Chapada dos Veadeiros — localizada em Goiás, no município de Alto Paraíso de Goiás, a cerca de 220 Km ao norte de Brasília e 400 Km de Goiânia. A Chapada dos Veadeiros nas palavras do pesquisador, escritor e terapeuta holístico Ergom Abraham, “é um local predestinado a ser uma espécie de berço do novo homem, ou berço de uma nova raça”.

A área possui uma beleza inigualável, apresenta suas peculiaridades tanto no período de seca, como no de chuvas, atraindo as pessoas pelo misticismo e ecoturismo, pois é famosa pela energia espantosa que envolve a região, além das diversas cachoeiras, trilhas e paisagens inesquecíveis.

A preservação do meio ambiente e a natureza ainda não tocada e degradada pelo homem, é feita graças ao esforço do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), entidades ambientalistas, população local e da administração local.

Água é o que não falta na Chapada dos Veadeiros, inúmeras trilhas levam à cachoeiras e poços de águas cristalinas e de cor castanha, devido à alta concentração de óxido de ferro, entre cânions rochosos. Não só as cachoeiras encantam quem passa pela chapada. Campos de flores, mirantes, mamíferos em extinção e até o curioso vale rochoso com piscinas naturais e minigrutas e o vale da lua, incrementam a paisagem característica do cerrado.

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros está localizado no norte do estado de Goiás. Criado em 1961 por Juscelino Kubitschek, tem uma área de 236.570 hectares e é administrado pelo Ibama

Conhecido por suas cachoeiras, canyons. cavernas, flora e fauna riquíssimas. O parque Nacional da Chapada dos Veadeiros apresenta ao visitante uma beleza exuberante e intrigante. Além de toda a natureza, é a área com maior luminosidade vista da orbita da terra, segundo pesquisa da Nasa. Isso ocorre devido à quantidade de cristais de quartzo que afloram do solo, além de inúmeros outros metais e minérios. Por isso, muitos místicos também costumam buscar energia neste local.

História

Os índios goiazes, primeiros habitantes da região, tiveram sua feliz e pacífica relação encerrada pelos bandeirantes. Atacados e vencidos, acabaram dizimados como aconteceu com quase todos os índios brasileiros.

Durante o século XVII, nasceram as primeiras trilhas, lugares em que os bandeirantes caminhavam em busca do ouro e pedras preciosas, descobertas na região. Caçadores do veado-campeiro, animal ainda muito comum na região, os veadeiros da fazenda de café e gado, formada em 1750, deram o nome à chapada.

A descoberta de uma nova riqueza, em 1912, transformou a região numa zona de atração e convergência. Quartzo e cristais de rocha brotavam da terra instigando a ambição de aventureiros que lá chegavam na esperança do enriquecimento fácil.

Em 1944, ainda viviam na região cerca de dois mil garimpeiros, entre a glória e a tragédia, dependentes da imprevisível oscilação do preço do cristal no mercado exterior. Até que, a produção dos substitutos sintéticos de cristal fez enfraquecer a principal fonte de riqueza.

Pretendendo proteger as belezas naturais e a derradeira reserva de quartzo da região, foi criado, em 1961 o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.

Localizado na Go-118, na Chapada dos Veadeiros, Alto Paraíso de Goiás é o santuário goiano da ecologia, do misticismo, das terapias naturais, do espiritualismo e da paz.

O município é um dos mais apreciados cartões-postais de Goiás. A exuberante natureza esconde cenas quase mágicas, como o pôr do sol, as montanhas, os canyons, as cachoeiras, as minas de cristal, as flores do cerrado e a energia que envolve o solo.

Ainda hoje encontramos dentro do parque, animais em processo de extinção, como o veado-campeiro, o lobo-guará, a capivara, as ágeis emas e os tucanos-de-bico-amarelo.

Seja na natureza ou em uma das terapias e vivências existentes em Alto Paraíso de Goiás, um dos municípios ao qual a Chapada dos Veadeiros pertence, é impossível não encontrar emoção e mergulhar no clima zen da exótica chapada dos Veadeiros.

Turismo

Salto do Rio Raizama

Cachoeira formada no encontro dos rios São Miguel e Raizama. O local é procurado para canyoning, rapel e camping. Existem também algumas piscinas naturais. Está localizado dentro da fazenda Raizama e tem acesso por trilha de 20 minutos.

Cachoeira Almécegas

Está próxima a São Bento, é uma bonita cachoeira, com uma queda de 45 metros em formato de véu. A água é gelada, assim como em todos os banhos pela região. Alguns banhistas utilizam uma pedra do paredão em volta do poço como trampolim. A entrada é pela Fazenda São Bento. Para chegar, é preciso fazer uma caminhada de aproximadamente 2,5 Km, a entrada é paga. Existe também a Almécegas II, um poço com queda de oito metros.

Vale da Lua

O vale da Lua é um conjunto de rochas acinzentadas esculpidas pelas águas. São formações rochosas curiosas com piscinas naturais e minigrutas. Uma das principais atrações da Chapada. Fica à 38 Km de Alto Paraíso de Goiás.

Cachoeira Cristal

Um rio na verdade, onde sucedem-se várias pequenas cachoeiras. De lá, tem-se uma visão privilegiada da Serra da Baliza e do Vale do Moinho. Está a 7Km de Alto Paraíso, na direção do Pouso Alto — o ponto mais alto do estado de Goiás, com 1.676 metros.

Canyon 2 e Carioca

O acesso é feito através de uma caminhada leve de, aproximadamente, 45 minutos, atravessando alguns riachos. No caminho, é possível observar a beleza das flores do cerrado. O Canyon 2 é um estreitamente do Rio Preto que forma uma cachoeira belíssima. Um pouco mais à frente, encontra-se a cachoeira das Cariocas, onde é possível nadar, aproveitar duchas variadas e hidromassagens naturais.

Cachoeira do Rio Preto

Com uma altura de 80 m, seu acesso é feito através de uma caminhada de aproximadamente 50 minutos (6 Km), partindo da Vila de São Jorge pelo cerrado. Há um lago bom para nado na base da cachoeira. Na volta, a subida exige um esforço maior.

Fonte: www.revelacaoonline.uniube.br

Chapada dos Veadeiros

Não deixe de conhecer:

Cataratas dos Couros

O lugar tem remansos, piscinas naturais no começo da trilha e termina, num “grand finale” numa cachoeira imensa, e inesperada, porque a gente vai seeguindo por um lado que não é possível visualizá-la e só no final vc se depara, extasiado, com a cachoeira.

Chapada dos Veadeiros
Cascata dos Couros

Chapada dos Veadeiros
Couros

A Cachoeira do Vale do rio Macaquinho

Chapada dos Veadeiros
Macaquinhos

Um lugar diferente, com água verde, e se vc tiver a felicidade de pegar os guias como os nossos, eles te levam até o final, onde se encontram dois rios, formando uma cachoeira, e depois, a gente salta numa piscina (eu fiz isso de colete, óbvio, quase morri, mas a segurança que os dois- Deni e Joyce me passaram, me possibilitaram fazer isso).

Comidinhas

Imprescindível, não?

Quando você vai chegando na região de Alto Paraíso, as plaquinhas já avisam: temos gergeliko. O que é gergeliko? É um salgadinho, estilo porcaritos, mas feito de gergelim, numa fábrica local de Alto Paraíso. É diferente e uma coisa que você só vai achar aqui.

Em Alto Paraíso, duas coisas: O sorvete de forno da sorveteria da avenida principal da cidade. Não consigo lembrar o nome agora, mas é a maiorzinha, bem no final da avenida já.

Maravilhoso e você pode escolher as opções de sabor das frutas regionais.

Também em Alto Paraíso: O Jatô, que tem um bufê de saladas muito bom, funciona em sistema de quilo e self service e fica aberto até mais tarde, uma boa pedida pra que vem esfomeado das caminhadas.

Fonte: www.webventure.com.br

Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (PNCV) é uma unidade de conservação do cerrado de altitude localizado na Chapada dos Veadeiros, Patrimônio Mundial Natural da Humanidade (UNESCO) considerado reserva da Biosfera, região Nordeste do Estado de Goiás, no Centro-Oeste do Brasil.

Foi criado, em 1961, pelo então Presidente da República, Juscelino Kubitschek, com o nome de Parque Nacional do Tocantins, por serem as nascentes mais altas do rio que desce a bacia Amazônica, com uma área 650.000 ha, sendo reduzida varias vezes até 65.514 ha nos dias atuais, na divisa dos municípios goianos de Alto Paraíso e Cavalcante, o uso público só e permitido em 3% deste total, o restante do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é reservado para fins de pesquisa e preservação.

Chapada dos Veadeiros
Cachoeiras do rio Preto

O acesso ao Parque Nacional localiza-se junto ao Povoado de São Jorge à 36 km da cidade de Alto Paraíso de Goiás em estrada parcialmente asfaltada, Nas geocoordenadas 13º51′ a 14°10′ de latitude Sul e 47°25′ a 47°42′ de longitude Oeste.

As caminhadas para os atrativos do parque têm em média 4,5 Km de ida + 4,5 Km de volta dando acesso à cachoeira de 80 m e o Salto de 120 m conhecidos como cachoeiras do garimpão, as Carioquinhas o Cânion II e o Cânion I este somente visitado no período de seca. Todas essas cachoeiras e cânions são no Rio Preto, divisa entre os municípios de Cavalcante e Alto Paraíso.

O PNCV Foi reconhecido como Patrimônio Natural Mundial da Humanidade pela UNESCO em Dezembro de 2001.

Entre as espécies da fauna que habitam o parque, cerca de cinqüenta são classificadas como raras, endêmicas ou sob risco de extinção na área. No tocante à flora, já foram identificadas 1.476 espécies de plantas no parque, das 6.429 que existem no bioma Cerrado. Com relação às aves, das 312 espécies destacam-se a ema, o urubu-rei, e o gavião.

A Chapada dos Veadeiros é uma região de cerrado no nordeste do estado de Goiás abrangendo cinco municipios: Alto Paraíso, Cavalcante, Colinas do Sul, São João D’aliança e Teresina com área total de 15.267 km2 e uma população de 32.731 habitantes, ou seja, com uma densidade demográfica de 2,14 hab./km2.

Abriga o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, reconhecido como Patrimônio Natural Mundial pela UNESCO, e a Área de Proteção Ambiental de Pouso Alto onde se localiza o ponto mais alto do planalto central com 1676 metros de altitude e as nascentes mais altas da bacia do Rio Tocantins.

Por ser uma das áreas de maior biodiversidade existentes no país a região também recebeu o título de Reserva da Biosfera Goyaz.

Chapada dos Veadeiros
Jardim de Maytrea – Alto Paraíso de Goiás – GO

A área cortada pelo paralelo 14 é conhecida por sua beleza natural e riqueza da fauna e flora que compõem sua biodiversidade. Nas trilhas entre serras e veredas são inúmeros os atrativos turísticos como rios, canyons, cachoeiras, águas termais, etc.

Em sua história teve a passagem das Bandeiras no ciclo do Ouro, os remanescentes de quilombos chamados Kalungas, que vivem hoje em povoados como o Engenho e Vão do Moleque, da Comissão Cruz e da Coluna Prestes bem como o ciclo do cristal que resultou na criação do povoado de São Jorge.

A Chapada dos Veadeiros é um dos pontos do planeta que reflete a luz do sol com maior intensidade visto do espaço por suas formações de quartzo que compõem a geologia da região, a mais antiga do continente é uma das mais antigas da terra.

Nas ultimas décadas a região vem passando por grandes mudanças impulsionadas pelo desenvolvimento do turismo sustentávelque atrai pessoas de todo o mundo e investimentos em pousadascamping’srestaurantes e serviços como o de condutores de visitantes (guia).

Cachoeiras

Chapada dos Veadeiros
Cachoeira do Prata – Cavalcante chapada dos veadeiros

Aconselhamos a todos que pretendem viajar para a Chapada dos Veadeiros, que sempre consultem os Centros de Apoio ao Turista (CAT) pois muitos dos passeios aqui indicados só poderão ser realizados com o acompanhamento de um condutor de visitantes (guia) credenciado, além do que, os Centros e os condutores (guias) têm informações mais precisas e atualizadas com relação à condição de cada passeios e suas necessidades. Também informamos que muitas atrações ficam dentro de propriedades particulares, que cobram taxas para o acesso à atração.

Loquinhas

Chapada dos Veadeiros

Acesso pela Rua do Segredo, a 3 km do centro da cidade, um complexo de sete poços de beleza única, caracterizados por suas águas cor de esmeralda. Fácil visitação para crianças e pessoas da terceira idade. Muro de pedra feito por escravos, trilha ecológica, ponte pênsil, 780m de passarela de madeira ladeando o córrego Passatempo facilitando os banhos e preservando o meio ambiente. A Fazenda Loquinhas também oferece hospedagem na Druid’s Pousada Xamânica do Cerrado.

Cachoeiras Almécegas I e II

Chapada dos Veadeiros

De Alto Paraíso a 9 km de asfalto na estrada para São Jorge, até Fazenda São Bento e mais aproximadamente 3 km de estrada de terra, mais ou menos uma trilha de mais ou menos 1 km, no rio dos Couros mais uma maravilha da chapada Almecegas I. Seguindo pela estrada de terra temos Almecegas II, que está a poucos metros de caminhada. Na Almecegas I nível de dificuldade Médio pela subida e descida, na II fácil.

Cachoeira São Bento

Chapada dos Veadeiros

A 9 km de Alto Paraíso na Fazenda São Bento, e menos de 200 m de trilha, ou dar a volta margeando o rio dos Couros por uma trilha suspensa de madeira em um percurso de mais de 2 km. A cachoeira com o mesmo nome da propriedade com uma linda piscina natural, onde são realizados até campeonatos de pólo aquático. Nivel dificuldade fácil.

Cachoeira da Água Fria

Chapada dos Veadeiros

Na Fazenda Água Fria na trilha para a mina de cristal.

Cachoeira do Rio Cristal

Chapada dos Veadeiros

A 5 km de Alto Paraíso pela GO 118 estrada asfaltada no sentido para Teresina de Goiás, e mais 1 km de estrada de terra o rio dos Cristais com diversas cachoeiras e piscinas naturais. baixo a Médio.

Cachoeira do Vale do Rio Macaco

Chapada dos Veadeiros

Complexo de cachoeiras e cânions. Trajeto de aproximadamente 50 km e com veículo com tração nas 4 rodas, e depois uma grande caminhada (trekking) em terreno íngrime. Também indicado para quem quer praticar canyoning. Aconselhamos o acompanhamento de um guia credenciado e bom preparo físico.

Cataratas dos Couros

Chapada dos Veadeiros

Na Fazenda Boa Esperança, seqüência de 4 quedas no Rio Couros, também aconselhamos uso de veículo com tração nas 4 rodas, e guia credenciado, pois o acesso é difícil.

Parque Solarion

Chapada dos Veadeiros

Na estrada para o Moinho, no parque encontram-se as cachoeiras dos Anjos e a dos Arcanjos, que formam piscinas naturais. O acesso para as cachoeiras é feito em terreno rústico e acidentado, exigindo preparo físico.

HISTÓRIA

Seus primeiros habitantes foram os índios Avá Canoeiros, Crixás e Goyazes. Em 1592 os bandeirantes abriram as primeiras trilhas. O nome da chapada faz referência aos caçadores de veado-campeiro. Por volta de 1730, começam a chegar os primeiros bandeirantes, tendo como missão mais significativa a Bandeira do Anhanguera. Vinham faiscando o ouro dos riachos e criando as primeiras vilas e arraiais. Traziam consigo escravos negros, que logo fugiam para os vãos entre as montanhas, onde constituíam comunidades que até hoje vivem isoladas (kalungas), ao norte do município de Cavalcante, cidade que foi eixo e matriz da ocupação de toda a Chapada.

O marco decisivo para o povoamento da região de Alto Paraíso foi, em 1750, a implantação da propriedade do Sr. Francisco de Almeida: a Fazenda Veadeiros, que passa a ser um pequeno núcleo de colonização, no qual foram se agrupando lavradores que se dedicaram à pecuária, ao cultivo de trigo e café. Da decadência do ouro (1780) até o fim do século XIX, nada ocorreu nestas paisagens que perturbasse o bucolismo dos quintais e do pastoreio.

Em 1892 um fato anunciava radicais transformações no âmbito geográfico, político e social de toda a região do Brasil Central. Era a chegada da comissão exploradora do Planalto Central, comandada por Luíz Crulz e constituída de diversos pesquisadores que tinham a finalidade de delimitar a área da futura capital do Brasil.

Em setembro de 1926 a célebre Coluna Prestes atravessa a Chapada.

Em 1931, a serviço do correio aéreo nacional, o brigadeiro Lisias Rodrigues passa por Veadeiros, vindo de São Paulo em direção a Belém. Esta visita resulta na magnífica obra literária “O roteiro do Tocantins“.

Em 1912 foi descoberta a primeira grande jazida de cristal-de-rocha da Chapada e o povoamento de São Jorge ocorreu em função da tentativa de exploração desse mineral, pois vários acampamentos de garimpeiros acabaram se transformando em povoados e cidades. Na década de 70 começaram a chegar novos tipos de habitantes às cidades da região.

Eram pessoas que deixaram a rotina estressante dos grandes centros urbanos em busca de uma vida melhor no campo: os alternativos.

Com a inauguração de Brasília (1960) toda a região do entorno começa a refletir as profundas transformações desencadeadas a partir deste evento.

Em 1980 dois fatos específicos, de origens diversas, porém complementares, tornam-se um marco decisivo para a realidade atual: eram os projetos Alto Paraíso e Rumo ao Sol.

O primeiro projeto, de cunho governamental buscava instalar diversos equipamentos urbanos, tais como: hotel, aeroporto, asfalto, etc, visando criar, a partir do turismo e da produção de frutas nobres, um pólo regional de desenvolvimento do nordeste goiano. Já o “Rumo ao Sol” tinha como objetivo a instalação e desenvolvimento na área de comunidades alternativas, baseando-se em conceitos do naturalismo e do misticismo. O projeto, que era como um movimento hippye, atraiu a primeira grande leva de migrantes para a região. A partir daí, e com a implementação do Ecoturismo, a Chapada dos Veadeiros e as comunidades com ela relacionadas vem experimentando diversas transformações políticas, sociais e econômicas.

Geografia

Chapada dos Veadeiros é um importante divisor e berço de águas. É drenada por afluentes dos Rios Maranhão e Paranã, formadores do Rio Tocantins que, por sua vez, busca ao norte, a Bacia do Rio Amazonas. Constitui-se de superfícies aplainadas (planalto), com assoalhos levemente inclinados, entalhados por veredas e morros.

Um enorme platô com área de 4.492km quadrados, e altitude média de 1.200m, está situado no ponto mais alto do Planalto Central do Brasil. Na altura do Paralelo 14, a 1676 metros, encontra-se o pico do Pouso Alto, o ponto de maior altitude. Suas nascentes são os principais formadores da bacia do Rio Tocantins, um dos últimos mananciais de águas não poluídas do planeta. Saindo da Chapada os rios passam por canyons, cachoeiras e piscinas de rara beleza ao descer pelas serras do Paranã, a leste, e de Santana a noroeste, ambas formando paredões de até 700 metros de altura.

Geologia

Os principais sítios geológicos e geomorfológicos preservados no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros e adjacências são aqui apresentados. Entre os sítios de interesse geológico destacamse os aspectos litológicos, sedimentológicos e estruturais enquanto as feições geomorfológicas mais importantes estão relacionadas aos planaltos, serras e cachoeiras de grande beleza natural. A divulgação destes dados é importante, uma vez que a região apresenta grande potencial para o turismo e a preservação dos sítios está associada ao conhecimento de sua importância, fragilidade ou raridade.

Em geral os turistas não têm informação sobre a gênese, importância, ou particularidades dos locais e estruturas visitadas, o que traz riscos a preservação dos sítios naturais da região.

História de São Jorge

Andar pelo cerrado é um dos maiores e mais completos prazeres do homem em sua relação com o meio ambiente.

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros é uma reserva ecológica com belíssimas cachoeiras, canyons, minas de cristal, riquíssima flora e fauna.

Para desfrutar dos encantos deste lugar mágico, que fica a 240 Km de Brasília, o bom mesmo é hospedar-se na Vila de São Jorge, terra de gente simples, antigos homens do campo, garimpeiros do cristal. Eles sabem como receber os turistas que se maravilham com as belezas do Parque e o encanto da Região que atrai até ET’s dizem os aficionados.

Chapada dos Veadeiros
Foto aérea de São Jorge

A Vila de São Jorge, Chapada dos Veadeiros oferece aos visitantes um clima de RoçaZen, de preservação das origens, da natureza e dos laços humanos para o 3º Milênio.

Como disse o Maestro Jobim: É promessa de vida no teu coração.

É um espaço privilegiado, com seus passeios ao Vale da Lua, Águas Quentes, Morada do Sol, Raizama, Encontro das Águas, Janela do Parque Nacional, entre outros, e as conversas ribeiras com os antigos garimpeiros e inumeros turistas do Brasil e de outras partes do mundo, que descobrem a Vila como entrada para o Parque Nacional da Chapada dos Veaddeiros.

Vila mais próxima dos passeios ecológicos

Localizada na entrada do Parque Nacional surpreende os visitantes por sua magia de Vila interiorana com cultura de garimpo anterior à década de ’50. As construções são simples, contrastando com a exuberante beleza natural do parque que pode ser visitado a pé. A ausência de neons e poluição torna o céu de estrelas e a Lua de São Jorge ao alcance da mão e da poesia.

Os turistas mal conseguem imaginar que a Vila, hoje com cerca de 250 habitantes, já abrigou mais de 3.000 almas vindas do nordeste e Goiás sonhando com tempos melhores no garimpo do cristal. A marca dos tempos áureos deixou seu registro. Um dos pontos visitados pelo turista é a Cachoeira da Rodoviária que tem este nome porque de lá saiam os ônibus levando e trazendo os garimpeiros. Os moradores recebem bem os turistas e gostam de contar suas estórias do garimpo.

São conversas ribeiras principalmente na Pousada Águas de Março. Para alguns turistas entusiastas, a Vila é a Old Búzios do Cerrado porque nela circulam artistas, hippies, intelectuais, buscadores do caminho, novos pobres, emergentes, lindos, feios, mais ou menos famosos ou ainda não famosos, mas sobretudo gente interessante.

Uma das surpresas que São Jorge oferece são os desenhos primitivos do artista nativo Moacir, que segundo os entendidos podem ser considerados expressões do inconsciente e do surrealismo.

Uma outra atração é poder comprar dos próprios garimpeiros cristais brutos, a preços acessíveis. A vila próxima ao Distrito Federal (220 Km), possui posto de saúde, duas igrejas, Centro Comunitário, quadra polivalente, escola de 1º grau, diversos bares típicos do interior, campings, pousadas, dormitórios, pizzarias, restaurantes de comida caseira e Tapiocaria Águas de Março.

Alto Paraíso

Cidade mais próxima da Vila de São Jorge (33 km – estrada de terra antes de São Jorge) é também a sede do município, situado no paralelo 14: rota dos peregrinos da Era de Aquários onde fica o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Lugar onde primeiro se estabeleceram algumas seitas e entidades voltadas para o misticismo e filosofia da Nova Era. Possui uma infra-estrutura suficiente para uma hospedagem agradável. Algumas fazendas na região possuem cachoeiras lindas e de fácil acesso. É o caso do Vilarejo do Moinho localizado a 10 Km da cidade, e da Cachoeira dos Arcanjos.

Festas Tradicionais

Festas Religiosas, Tradicionais , Regionais, Eventos e Feriados Nacionais

JANEIRO

01 – Confraternização Universal
06 –
 Dia de Reis (Religiosa e Regional)
20 –
 Dia de São Sebastião (Religiosa e Regional ( Distrito de Capela em Cavalcante e em São João d’Aliança(Fazenda Jatobá há remate de folia)))

MARÇO

07 – Carnaval
Carnaforró no Distrito de São Jorge

ABRIL

21 – Tiradentes e Semana Santa 
22 –
 Dia de São Jorge – Festa Religiosa no Distrito de São Jorge/APG

MAIO

01 – Dia do Trabalho

JUNHO 

01 – Aniversário de Teresina de Goiás (Festa Tradicional)
10 –
 Festa do Divino Espírito Santo (Festa Religiosa em APG com Folia, Cavalgada Ecológica)
16 –
 Festa Junina em Cavalcante
22 –
 Feriado de Corpus Christi
Evento –
 Festa Rave – Trancendence – Fazenda São Bento
Evento –
 São Jorge Saúda São João – Festa junina no Distrito de São Jorge.
23 – 
Festa Religiosa e Regional em São João D’Aliança
29 –
 Festa Junina promovida pela Promoção Social – Festa Religiosa São Pedro e São Paulo

JULHO

08 – Caçada da Rainha – Festa Religiosa e Regional em Colinas do Sul
09 –
 Caçada da Rainha – Festa Religiosa no Distrito de Fortes – SJA
12 – 
Nossa Senhora do Rosário – Festa Tradicional, Religiosa em Flores de Goiás
15 –
 Evento – Moonstock – 9º Festival de Inverno de Alto Paraíso
Evento – 
VIII Rally dos Sertões – passagem por Alto Paraíso (confirmar data)
26- Nossa Senhora Santana –
 Festa Religiosa e Regional em Cavalcante

AGOSTO

08 a 16 – Nossa Senhora da Abadia – Festa Religiosa, Regional e Tradicional – Romaria para o Muquém em Niquelândia
20 –
 Festa Coração de Maria – Festa Religiosa e Regional – Distrito de Córrego Maria/Nova Roma

SETEMBRO

07 – Dia da Independência do Brasil
Evento 
 (à confirmar) Festival de Blues
Evento –
 Campeonato de Pólo Aquático em Águas Correntes(este ano transferido para o feriado de 12 de outubro)
Evento – 
Festa do Caju – Festa Regional em Teresina de Goiás

OUTUBRO

12 – Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil

NOVEMBRO

02 – Finados
11 – 
Aniversário da Cidade de Cavalcante
15 –
 Proclamação da República 
27 –
 Nossa Senhora das Graças – Feriado Municipal – Padroeira de Alto Paraíso

DEZEMBRO

08 – Nossa Senhora da Conceição – Festa Religiosa Regional
12 –
 Aniversário de Emancipação de Alto Paraíso – Festa Tradicional Local
25 –
 Natal
31 –
 Reveillon

Dicas

Antes de viajar para a Chapada, é fundamental vacinar-se contra a febre amarela com pelo menos 10 dias de antecedência

Contrate um Condutor de Visitante (guia) credenciado por uma das associações.

Leve sempre lanches para trilha, e traga todo o seu lixo de volta.

Calçado adequado para as trilhas, amaciado

Mochila para as caminhadas

É bom trazer o repelente de seu uso

Bancos em Alto ParaísoBB Itaú, lotérica (caixa) e corrêio (bradesco)

Banco em CavalcanteBB, lotérica (caixa) e corrêio (bradesco);

Banco em São João d’AliançaItaú, lotérica (caixa) e corrêio (bradesco)

Não há agências bancárias em Colinas do Sul e Teresina, somente lotérica (caixa) e corrêio (bradesco)

Em São  Jorge não há bancos.

Telefonia celular em Alto Paraíso e São Jorge conta com todas as operadoras do Centro Oeste, em CavalcanteColinas do Sul e São João d’Aliança somente cobertura da Vivo, em Teresina não há sinal de celular

O período de Seca é de maio a setembro quando os rios estão menos cheios e o ar é muito seco. Nesse período não há risco de tromba d’agua, mas o calor é intenso proteja-se com roupas leves de preferência de cor clara, chapéus, e protetor solar. Beba muita água pois o nível de umidade considerado igual a de um deserto;

O período de chuvas e de novembro a abril a paisagem está mais verde e os rios ficam mais volumosos. traga capa de chuva e um bom chapéu. Algumas cachoeiras como a do abismo próxima à São Jorge e muitas outras só aparecem nessa época;

Cartões de crédito e débito, são pouco aceitos com excessão de alguns estabelecimentos. O melhor é ter dinheiro vivo;

Existem piscinas de águas termais na região, com temperatura abaixo da corporal.  É maneiro ir nesses lugares a noite, ou se estiver chovendo;

Durante os meses de maio/junho e setembro/outubro, é quando a vegetação explode em flores impressionantes, as famosas ‘flores do cerrado’. Pra quem fotografa é um prato cheio;

Se for para São Jorge de Carro abasteça antes, última opção Alto Paraíso pela GO-118l;

A estrada que liga Alto Paraíso a São Jorge tem 36 Km sendo 23 asfaltados e 13 de terra, é larga e com muitos trechos retos, quando está arrumada e sem buracos grandes não é bom exagerar na velocidade pois o cascalho solto causa muitos acidentes;

Na região o pequi, um fruto do cerrado, é muito utilizado na comida típica. Se você for experimentar não morda o caroço, ou vai ficar com a língua cheia de espinhos. Mas vale a pena experimentar o seu sabor exótico, é só pedir orientação para comê-lo;

Todos que forem à São Jorge devem parar no Seu Valdomiro. É uma figuraça que mora aos pés do Morro da Baleia, na estrada entre Alto Paraíso e São Jorge. Além de contar vários causos da Chapada, ele vende geléias, bebidas como pinga e licores com frutos e plantas da região e outros quitutes típicos. Tudo caseiro e preparado lá mesmo. É uma figura folclórica do lugar;

Alguns atrativos como o Parque Nacional exigem que o visitantes estejam acompanhados de um Condutor de Visitantes (Guia)  – 1 Guia por grupo de até 10 pessoas;

Mesmo para os atrativos que não exigem Condutor de Visitantes (Guia) é sempre bom contratar.

Fonte: www.chapadadosveadeiros.com

Chapada dos Veadeiros

É o ponto de maior luminosidade visto da órbita da Terra, segundo a NASA, possuindo o mais antigo patrimônio geológico do continente, a placa Araí, formada há 1 bilhão e 800 milhões de anos.

Área de beleza inigualável, apresenta suas peculiaridades tanto no período de seca, como no de chuvas, atraindo as pessoas  pelo misticismo e ecoturismo, pois é famosa pela energia espantosa que envolve a região, além das diversas cachoeiras, trilhas   e paisagens inesquecíveis, a preservação do meio ambiente e a natureza ainda não tocada e degradada pelo homem, graças ao esforço do IBAMA, entidades ambientalistas, população local e da administração pública local.

Enfim, a Chapada dos Veadeiros, nos antigos ditos esotéricos, predestina-se a ser um berço do novo homem, ou berço de uma nova raça.

Clima

A Chapada possui clima semitropical de suave brisa, com temperatura média entre 21º e 22º C. A melhor época do ano para ir é entre maio e outubro, pois chove menos e a vegetação fica mais exuberante. O verão (outubro a abril) é um período de chuvas torrenciais.

Vegetação

A vegetação predominante é o cerrado de altitude – mais antigo que a Floresta Amazônica e a Mata Atlântica – com matas ciliares, veredas com buritis e campos floridos de sempre-vivas, canelas de ema, caliandras, mimosas e outros que, principalmente a partir de janeiro, florescem atingindo seu apogeu em maio.

Relevo

A Chapada dos Veadeiros é um importante divisor e berço de águas. É drenada por afluentes dos Rios Maranhão e Paranã, formadores do Rio Tocantins que, por sua vez, busca ao norte, a Bacia do Rio Amazonas. Constitui-se de superfícies aplainadas (planalto), com assoalhos levemente inclinados, entalhados por veredas e morros.

História e Cultura

Seus primeiros habitantes foram os índios Goyazes. Em 1592 os bandeirantes abriram as primeiras trilhas na região os dizimaram. O nome da chapada faz referência aos caçadores de veado-campeiro. A primeira fazenda instalada em 1750 teve o nome de Veadeiros. Os habitantes contribuem para o clima místico da região. Muitos vieram de outras regiões do Brasil para Alto Paraíso e exercem atividades consideradas alternativas por muitas pessoas, tais como tarologos, astrólogos, terapeutas, além dos guias, que trabalham conduzindo os visitantes pelas trilhas e pelo Parque Nacional.

Localização

Municípios deste destino: Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Colinas do Sul, São João d’Aliança, Teresina de Goiás

Como chegar

De Carro:

De São Paulo se pega a Anhangüera (SP-330) até a cidade de Uberaba. De lá se segue pela BR-050 até Brasília. Em Brasília vá pela BR-020 no sentido de Sobradinho e Planaltina de Goiás. A partir daí siga a Go-118 até Alto Paraíso de Goiás.

Do Rio de janeiro segue-se pela Br-040 até Brasília. A partir desse ponto, o caminho é o mesmo de quem vem de São Paulo.

Atrações Turísticas

Cachoeira do Rio Preto

Com uma altura de 80 m, seu acesso é feito através de uma caminhada de aproximadamente 50 minutos (6 km) partindo da Vila de São Jorge pelo cerrado. Há um lago bom para nado na base da cachoeira. Na volta, a subida exige um esforço maior.

Canyon 2 e Cariocas

O acesso é feito através de uma caminhada leve de, aproximadamente, 45 minutos, atravessando alguns riachos. No caminho, é possível observar a beleza das flores do cerrado. O Canyon 2 é um estreitamento do Rio Preto que forma uma cachoeira belíssima. Um pouco mais à frente, encontra-se a Cachoeira das Cariocas onde é possível nadar, aproveitar duchas variadas e hidromassagens naturais.

Canyon 1

Partindo do Canyon 2, chega-se ao Canyon 1 por dentro do rio que forma belíssimas piscinas nos meses de maio a outubro. Rio acima encontram-se belos paredões de pedra.

Cachoeira Almécegas

A partir da entrada de São Bento, são 4 km de carro até Serra Almécegas. A trilha pelas escarpas e o campo úmido até o campo de Almécegas 1 tem 700 m.

Para descer à base da cachoeira, com 60 m de altura e 30 m de largura, caminha-se 700 m em declive. A Almécegas 2, que tem 15 m de altura, pode ser alcançada de carro.

Cachoeira São Bento

A Cachoeira São Bento ponto certo de visita para quem vem a Alto Paraíso. Com águas cristalinas extremamente convidativo ao mergulho. O acesso é fácil e prazeroso, principalmente se for utilizada a Trilha Ecológica, com uma estrutura toda em madeira que adentra pela mata, proporcionando um passeio tranquiilo e inesquecível. Mas também há um caminho mais curto para quem já conhece ou quer chegar ainda mais rápido.

Vale da Lua

A caminhada de 6 km começa em trecho de mata ciliar até São Miguel. Depois a trilha alcança a margem do rio São Miguel. O Vale da Lua é um conjunto de rochas acinzentadas esculpidas pelas águas. As crateras formadas ali parecem lunares e o rio cria poços de água cristalina.

Parque Solarium

A caminhada, no povoado de Moinho, leva à cachoeira dos Arcanjos (10 m) e dos Anjos (7 m), formadas pelo rio Pretinho. O trajeto apresenta declives em alguns trechos, mas a trilha é bem demarcada.

Poço Encantado

Praia de areia com piscina natural de 25 m de extensão e área de lazer.O acesso se dá pela rodovia estadual GO-118.

Cachoeira da Água Fria

Além de uma visão de todo Vale dos Orfãos, nesse local também se encontra uma antiga mina de extração de cristal. A prática do rapel é uma ótima pedida tanto para iniciantes quanto para mais experientes.

Dicas Gerais

O que levar

Agasalhos, bota de trekking já amaciada ou par de tênis confortável, calças compridas, capa de chuva (principalmente se você for entre outubro e março), chapéu ou boné, filtro solar, lanterna, mochila, roupas leves para as caminhadas, sacos plásticos para depositar lixo durante as caminhadas.

Dicas Especiais

Venha com dinheiro ou talões de cheque suficientes para seus gastos, pois só há caixa eletrônico do Banco do Brasil, em Alto Paraíso, e caixa eletrônico do Banco Itaú, em São João D’Aliança.

Preservação do Meio Ambiente

Preservar o meio ambiente é fundamental para a existência do ecoturismo. Veja abaixo algumas dicas para você fazer a sua parte.

Fonte: www.portaldobeijaflor.com

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.