Breaking News
Home / Turismo / Canavieiras

Canavieiras

PUBLICIDADE

Canavieiras é um espaço ecológico situado na Costa do Cacau, região Sul do litoral baiano, composta por sete ilhas marítimas. Publicações especializadas destacam Canavieiras como o maior pesqueiro natural de robalo – um peixe de carne nobre – do Brasil, o que atrai para o lugar esportistas adeptos da pesca.

Banhada pelo rio Pardo a cidade tem ruas largas e um sítio histórico do início do século, de arquitetura agradável e colorida.

A ilha da Atalaia, situada em frente à cidade, tem 14 km de praia continua, coqueirais e áreas de manguezal que abrigam garças, papagaios, periquitos e andorinhas, mantendo o ciclo da cadeia alimentar de diversas espécies marinhas e fluviais.

A natureza, sempre presente, propicia a atividade turística e ecológica, permitindo longos passeios de bicicleta por trilhas selvagens, praias virgens, e muitos banhos de rio e de mar.

Eventos

Torneio Royal Charlotte

Integra o Campeonato Baiano de Peixe de Bico, que escolhe o grande vencedor da pesca esportiva e oceânica do Estado. Composto por quatro etapas, sendo duas delas realizadas em Salvador e as demais em Canavieiras, o campeonato reforça a pesca ecologicamente correta, já que os participantes têm de liberar os marlins que estão abaixo do peso permitido. O torneio também tem uma importância social. De modo geral, o valor arrecadado com as inscrições é convertido em benefícios à comunidade. Durante o campeonato, os participantes enfrentam em alto-mar o majestoso e cobiçado marlin azul. Esse grande peixe de bico aparece nessa época do ano no Royal Charlotte Bank, uma plataforma submersa, localizada a 30 milhas da barra do rio Pardo. O torneio acontece nos meses de novembro e janeiro.

Festival Nacional do Caranguejo

Grande evento que mobiliza toda a cidade. Acontece anualmente, na primeira quinzena do mês de setembro.

Atrações

Pesca

A temporada de billfish, ou peixes de bico, vai de outubro ao começo de março. Três a cinco marlins azuis costumam ser avistados por dia até meados de fevereiro; no mês seguinte, os números são menores, porém o tamanho dos peixes aumenta. 80% dos marlins azuis costumam pesar entre 150 e 300 kg, porém não é raro peixes que ultrapassam 350 kg. As lutas com o marlin branco e com o sailfish (peixes que costumam ter mais de 45 kg) são bastante freqüentes.

Royal Charlotte Bank

Considerado um dos três melhores pesqueiros do mundo, o Royal Charlotte Bank é uma plataforma submersa que se alonga até 50 milhas da costa e provoca um extenso refluxo da corrente marítima na sua vertente Norte. Este fenômeno atrai concentrações enormes de isca e, conseqüentemente, as grandes espécies de peixe.

Praias

Praia da Costa

Com 6 km de extensão, é a primeira praia ao chegar à ilha da Atalaia. Tem casas para veraneio, coqueiral e vários apoios de praia onde são servidos deliciosos petiscos regionais. É a mais freqüentada.

Praia da Barra Velha

O acesso é pelo km 18 da BA-001 mais 6km de estrada de terra. De lá, toma-se uma balsa para cruzar um rio e mais 4 km de terra. Chega-se então a esta praia reta de ondas fracas, coqueiros e areia branca e solta. É boa para pesca.

Praia da Atalaia

Situada em frente ao povoado da Atalaia, possui algumas casas de veraneio e de pescadores. Boa para caminhar até à barra do Rio Pardo.

Praia do Patipe

Reta, com ondas fracas, boa para caiaque e windsurf. Tem coqueiros, sítios e casas de veraneio. É também propícia para a pesca.

Praia do Sul

Deserta, com acesso de barco a partir do Rio Pardo. É reta, com ondas fortes e areia batida. Tem coqueiros e mangues.

Praia do Norte

Deserta, ao lado de fazendas. É reta, extensa (11 km) com ondas fortes, coqueiral e mata atlântica. É conhecida também por praia de “oiticica

Fonte: www.guiabrasilturismo.com.br

Canavieiras

Canavieiras: Cana, Mangue e Praia

Praias, coqueirais, mangues, ilhas marítimas e fluviais, casarões coloniais… farta gastronomia em frutos do mar, do rio e do mangue – não é à toa que na entrada de Canavieiras (BA), ou “Cannes” como é conhecida, tenha um caranguejo gigante.

Apesar de ter ficado famosa depois de servir de palco para gravações de uma novela da Rede Globo, “Porto dos Milagres” (adaptação livre do romance “Mar Morto”, de Jorge Amado, escritor ícone de Bahia), Canavieiras não é uma cidade frequentada pelo turismo de massa, sendo boa opção pra quem quer curtir a natureza. Sua vizinha, a Ilha de Atalaia já é mais agitada. Lá, em trechos da Praia da Costa é possível utilizar as areias monazíticas, que dizem, são boas para a saúde. A ilha é ligada a Canavieiras por uma ponte.

Pra quem busca tranquilidade e quer praticar a pesca esportiva, a costa local é considerada uma das melhores do mundo para pesca de Robalo e Marlim-Azul, só que haja grana, um passeio desses custa mais de US$ 500! Além disso praias boas para wind-surf e caiaque, como a Praia do Patipe fazem parte da região que conta com praias semi-desertas como a do Sul. Das urbanas, destaque para a da Costa e Barra do Albino. Algumas pequenas agências locais (encontradas no centro) oferecem passeios guiados por trilhas ecológicas de bike ou a pé.

Apesar do nome, em Canavieiras é que foi plantado o primeiro pé de cacau, trazido da Amazônia, asseguram guias locais. Nos tempos colonias a cana-de-açúcar era quem movimentava a economia local, hoje, o coco e a piaçava é que o fazem e garantem belas vistas de fazendas pelo caminho para se chegar à cidade.

Claudia Severo

Fonte: www2.uol.com.br

Canavieiras

Canavieiras, Bahia

Banhada por diversos rios, sendo o principal o Pardo, a cidade tem ruas largas e arborizadas. As atividades de turismo e lazer natureza, que oferece um cenário romântico para andar de bicicleta, cavalgar numa trilha selvagem, explorar praias virgens e tornar banho de mar ou de rio.

A principal fonte de renda do município é a lavoura cacaueira, roas se destacam o côco, a piaçava, a madeira, a pecuária, o dendê, além do seu enorme e inesgotável potencial turístico.

A publicação “Bíblia do Pescador”, em sua última edição, destaca Canavieiras como o maior pesqueiro natural de Robalo do Brasil, fato que deve atrair para o lugar, uma significativa parcela de esportistas adeptos da pesca. E também a pesca do Marlin Azul em alto mar.

Canavieiras
Sitio Historico

Canavieiras
Praia da Costa – Ilha de Atalaia

Os principais pontos turísticos do lugar são: a Ponte do Loyd, a Fazenda Cubículo (onde, em 1749, foi plantado o primeiro cacaueiro da Bahia, nascendo assim a chamada “civilização do cacau”), a sede da prefeitura, a sede da biblioteca municipal a Barra da Atalaia, a Barra do Albino, a Barra Velha, Puxim de Dentro, Burundanga, Cais do Porto, Igreja de São Boaventura e Igreja de Santo Antônio de Atalaia.

A Costa do Cacau

No litoral sul da Bahia, entre os municípios de Ilhéus e Canavieiras, preserva verdadeiros santuários ecológicos tropicais: dezenas de quilômetros de praias, algumas quase desertas, com densos coqueirais se aliam as variedades da vegetação, desde a Mata Atlântica nativa a grandes áreas de manguezal e belíssimas fazendas de cacau que, inclusive, já serviram de cenário para filmes e novelas de televisão. Urna cavalgada à beira-mar, um asseio de barco pelo delta de Ilhéus ou na barra do Rio Pardo, urna estação de águas na Estância Hidromineral de Olivença, uma visita ao Projeto Mico Leão Baiano ou uma energização nas areias monazíticas de Canavieiras fazem parte dos muitos roteiros turísticos da região.

O turismo na Costa do Cacau desenvolve-se a passos largos, com investimentos de empresários nacionais e estrangeiros – especialmente suíços e franceses – e incentivos fiscais oferecidos pelas prefeituras municipais para quem investir no setor. Nos últimos anos, a oferta de serviços e infra estrutura de qualidade cresceu na proporção da demanda da alta estação turística – entre novembro e fevereiro – e hoje a região dispõe de aproximadamente sete mil leitos, tendo corno carro-chefe o Hotel Transamérica Ilha de Comandatuba, o maior resort da América do Sul.

Durante a baixa estação, o turista de Canavieiras tem, além de belíssimas praias ensolaradas, a vantagem de poder desfrutar das delícias da terra da Gabriela a preços reduzidos em até 50% – no caso das diárias em pousadas.

<>As vias de acesso rodoviário estão entre as melhores do Estado, Ilhéus, o principal pólo de turismo receptivo da região fica a 462 quilômetros de Salvador pela BR-101 . A partir de Ilhéus, chega-se a Canavieiras, a 111 quilômetros na direção sul, através da BA-001, que é nada menos que um dos trechos da Linha Verde, a estrada litorânea que muito em breve ligará todo o litoral da Bahia.

História

O ano de 1700 é considerado o marco inicial para a povoação do município de CANES. A área que hoje corresponde ao município integrava a capitania de São Jorge dos Ilhéus. Mesmo quando o donatário JORGE FIGUEIREDO CORREIA, fidalgo português, deslanchou o processo de colonização das terras situadas na foz do rio Patipe, hoje Rio Pardo, essas terras ainda permaneceram por muito tempo despovoadas de brancos.

Com o desenvolvimento da Capitania nos começos do século XVII, foi determinada a criação de novos núcleos populacionais em áreas ainda não exploradas, com vista à colonização e a expulsão dos indígenas que ali habitavam. por outro lado, evidenciava-se a ambição em relação à descoberta de metais preciosos, além do combate aos índios. É dentro deste conturbado contexto que os historiadores supõem ter sido iniciada a colonização do território onde se situa o município de Canavieiras, no final do século XVII e início do século XVII.

Início do Povoado

Conta-se que um grupo de aventureiros brasileiros e portugueses fugindo dos índios e em busca de melhores terras para suas lavouras chegou a um sítio próximo à costa, conhecido por POXIM (termo que na língua Tupi significa “coisa feia e ruim”). Aí se fixaram e depois construíram uma capela sob a invocação de São Boaventura, cuja imagem fora encontrada na praia. Em torno da capela começou a se formar a nova povoação, de forma organizada.

Em 1718, o pequeno povoado já havia se tornado “Freguesia de São Boaventura do Puxim” e a cada dia seu desenvolvimento era mais crescente, tanto que no reinado de D. João VI, por decreto de 13 de dezembro, o povoado passou a categoria de “Imperial Vila de Canavieiras”

Com o fim da monarquia a vila adquiriu o Foro de cidade, a 25 de maio de 1881, os primeiros dez anos após esta data foram de extremo desenvolvimento, chegando a ser uma das mais importantes cidades do Sul da Bahia, o que lhe valeu o cognome de “Princesa do Sul”.

O núcleo original mostrou sinais de crescimento, se não intenso, pelo menos contínuo. Outros núcleos foram surgindo pelas adjacências, estendendo-se até as proximidades do rio Patipe, e do rio Pardo. Mais tarde ficou constatado que próximo à foz do referido rio o local se apresentava em melhores condições de sobrevivência. Daí terem se deslocado para lá muitos moradores de núcleos já estabelecidos. Esse local veio a ser a sede do Município.

A Origem do Nome

Uma das primeiras famílias a se deslocarem de Poxim para a foz do rio Pardo foi a família VIEIRA.

E como muitos outros se dedicaram à cultura de cana-de-açúcar. Daí, segundo a tradição, a localidade ficar conhecida pelo nome de CANAVIEIRAS (cana dos VIEIRAS, ou em razão da cultura Canavieira).

Fonte: www.pousadafaroldailha.com.br

Canavieiras

Uma paisagem ainda primitiva, santuário ecológico cercado de ilhas por todos os lados, praias paradisíacas e rios, envolta por Mata Atlântica, vastos coqueirais e áreas de manguezal formam o cenário deslumbrante de Canavieiras.

Abrigo de uma diversificada fauna silvestre, Canes, como é conhecida a cidade, é também o maior pesqueiro natural de robalo do Brasil, e o maior viveiro de Marlin Azul do mundo. Às margens do rio Pardo e de frente para o mar, seus 17km de praias reservam águas rasas e tranqüilas, ondas radicais para a prática do surf e pontos ideais para pesca.

Opulente à época do auge do cultivo e exportação do cacau, foi na Fazenda Cubículo, em Canavieiras, que foi plantado o primeiro pé da semente em toda a região, no século XVIII. Ainda hoje, as inúmeras fazendas dominam a paisagem ao longo dos rios. O Centro Histórico remonta aos anos do chamado “ouro negro”, com seus belos casarões dos séc. XVIII e XIX.

A cidade dispõe de uma infra-estrutura completa para receber bem o visitante: hotéis e pousadas, que prezam pelo contato com a natureza, restaurantes, bares e barracas de praia com o melhor da culinária local, farta em caranguejo e frutos do mar. Para acompanhar, nada melhor que uma água de coco e os drinks à base de frutas tropicais, brindados ao sol da Bahia.

Canavieiras
Canavieiras

Praias – Canavieiras

Praia de Atalaia

Local em que as águas do Rio Pardo se encontram com as águas do mar, formando uma praia fluvial de águas mornas e calmas, com areias semidesertas.

Durante a baixa das marés, grandes bancos de areia surgem, permitindo que os visitantes cheguem próximos à Praia do Japonês, na outra margem do rio. Na face sul, o encontro é com o Rio Jequitinhonha, na divisa com Belmonte. Esta área do litoral ainda não conta com maior infra-estrutura turística.

Praia da Barra do Albino

Localizada em uma área de confluência de rios, é marcada por ser o point do surf na região, atraindo notoriamente um público jovem. Barra do Albino é também uma excelente opção para banhos de água doce e uma boa pescaria. Possui uma razoável infra-estrutura turística.

Praia de Barra Velha

Suas paisagens mesclam mangues, rios, lagoas e coqueiros, formando um cenário bastante bucólico. A grande particularidade de Barra Velha, no entanto, é a presença de lamas medicinais, que atraíram nomes mundialmente famosos, como o heptacampeão de F1, Michael Shummacker, e o ator Harisson Ford.

Segundo moradores da região, a lama ainda tem um efeito revitalizante e afrodisíaco. Boa praia para banho e esportes náuticos, já que possui águas bem tranqüilas.

Praia da Costa

É uma das mais bonitas e procuradas praias do município. Seu mar de águas mornas e calmas é propício para banho, principalmente durante a maré baixa. Com a entrada de alguns ventos, a mar muda de forma e surgem boas ondas para o surf. As areias da praia são finas e alvas, abrigando barracas bem equipadas para o preparo de deliciosos petiscos, a exemplo dos enormes caranguejos da região.

Praia de Patipe

Marcada por um extenso coqueiral, a praia mistura o mar, com a água doce dos rios que deságuam no local. Apresenta boas condições para a pesca, passeios de caiaque e windsurf.

Barra de Canavieiras

Possui várias cabanas de praia especializadas nos pratos típicos da região. As areias são planas e extensas, favorecendo as boas caminhadas, recompensadas, é claro, com um delicioso banho nas águas tranqüilas de seu mar.

Praias do Sul e Norte

Situadas em direções opostas, estas duas praias apresentam características bem semelhantes. São boas para pesca e, em suas paisagens, mesclam a vegetação de mangue com a Mata Atlântica remanescente da Costa do Cacau.

ILHAS DE CANAVIEIRAS: Canavieiras

Os 17 km de praias, coqueirais, reservas de Mata Atlântica e manguezais ao longo de Canavieiras são cercados pelas ilhas fluviais do Rio Pardo e por sete ilhas marítimas, dentre as quais se destaca a Ilha das Garças e a Ilha do Atalaia.

Santuário ecológico, reduto das garças brancas que recortam o céu azul ao pôr do sol – daí seu nome – a ilha atrai grande número de visitantes em busca da famosa lama negra medicinal, de propriedades terapêuticas.

Paraíso do surfe e da pesca, a ilha do Atalaia conta com uma infra-estrutura completa de hotéis, pousadas, bares e restaurantes. Está ligada ao município pela ponte Antônio Carlos Magalhães

WINDSURF EM CANAVIEIRAS: Canavieiras

A Costa do Cacau também oferece boas condições para os adeptos do esporte. Em Canavieiras, dona de um dos mares mais belos da Bahia, a Ponte do Loyd é o grande “pico”. Além de fornecer ao visitante o mais belo por do sol da região, é nas imediações da ponte, sobre as águas do Rio Pardo, que os windsurfistas encontram as melhores condições.

CARNAVAL EM CANAVIEIRAS: Canavieiras

Contrariando o seu clima pacato e a harmonia de suas paisagens, a bela Canavieiras, nos meses de fevereiro, transforma-se no maior “point” de festas e agitos da Costa do Cacau.

A folia já começa no dia 02, data em que os pescadores locais homenageiam Yemanjá, “A Rainha das Águas”. A orla da cidade fica lotada de nativos e visitantes curiosos, que ao final das homenagens a Orixá, esbaldam-se na parte profana da festa.

No final do mês a vez é do carnaval, que ao longo dos anos, tornou-se uma boa e concorrida alternativa, para aqueles que primam por uma maior tranqüilidade.

Os agitos acontecem na orla da cidade, com muita música, barracas e alegria. O folião aqui pode dançar e pular como na capital, sem, no entanto, abandonar a comodidade e os encantos deste pedacinho do paraíso.

Artesanato

O artesanato local é constituído principalmente por peças em casca de coco, madeira, argila, búzios, metal,crochê, tricô e material reciclado.

Gastronomia

Os principais pratos típicos da região são preparados à base de frutos do mar, a exemplo de peixe e lagosta.

Como chegar

Está a 571km de Salvador.

Sair de Salvador, pegar a BR-324 e seguir direto até a BR-101, com destino a Ilhéus. A partir daí, desviar para a BA-001 que leva a Canavieiras, distante 110 km.

Fonte: guiadolitoral.uol.com.br

Canavieiras

Com paisagem agreste, é cercada de ilhas por todos os lados, além de encantadoras praias e rios. 

Características gerais da cidade:

Canavieiras possui cerca de 40.000 habitantes.

O clima é tropical quente e úmido.

Médias de temperatura:

As temperaturas variam de 18°C a 29°C durante o ano.

Meses mais quentes: média de 26°C de dezembro a março.

Meses mais frios: média de 22°C de maio a agosto.

Como chegar:

Distante cerca de 570 km de Salvador. Para se chegar a Canavieiras a partir da capital do estado, partir pela BR-324 até a BR-101 em direção a Ilhéus. Daí, segue-se pela BA-001 por mais 110 km.

O que fazer:

Canes, como é conhecida, é o maior centro pesqueiro de robalo do país, além de ser o maior viveiro marlin azul do mundo. Possui 17 km de praias, com águas calmas e rasas, pontos para a prática do surf e da pesca. A cidade apresenta um belo centro histórico, com casarões e fazendas dos séculos XVIII e XIX, que remontam aos áureos tempos do auge do cacau.

A cidade oferece ótima infra-estrutura para o turismo, com restaurantes, pousadas, hotéis, bares e barracas de praia.

Praias de Canavieiras

Barra de Canavieiras

Com uma larga faixa de areia, é ótima para caminhadas à beira-mar. Suas águas são tranqüilas e oferecem um banho muito gostoso. Ainda existem diversos quiosques especializados em pratos típicos.

Praia de Patipe

Praia onde as águas do mar misturam-se com as águas dos rios. Rodeada por coqueiros, é boa para pesca, windsurf e passeios de caiaque.

Praia da Costa

Canavieiras
Praia da Costa

Uma das mais movimentadas do município, também das mais belas. Suas águas são propícias para banho, por serem calmas e de temperaturas elevadas, durante a maré baixa.  Em alguns dias, com a chegada dos ventos, a praia torna-se boa para a prática do surf. Com barracas de praia, servindo saboroso petiscos.

Praia de Barra Velha

De característica pitoresca, por combinar mangues, rios, mar, lagoas e coqueiros, oferece ainda banhos de lama medicinal. Suas águas calmas são ideais para um gostoso banho de mar, além da prática de esportes náuticos.

Praia da Barra do Albino

É o point do surf, por isso, muito freqüentada por jovens. Com boa infra-estrutura, é boa também para pesca e banhos de rio.

Praia de Atalaia

As águas do Rio Pardo se misturam com as águas do mar, deixando a praia com características de praia fluvial. Suas águas são tranqüilas e mornas, sendo que na maré baixa, dá para alcançar a outra margem do rio. A praia não é movimentada, com pouca infra-estrutura.

Praia do Sul e Praia do Norte

Apesar de situarem-se em lados opostos, são bastante parecidas. Praias boas para a pesca.

Fonte: www.praiasecia.com.br

Canavieiras

Canavieiras oferece passeios variados em contato direto com a natureza.

Localizada às margens do Rio Pardo, Canavieiras oferece passeios variados em contato direto com a natureza. A bordo de um barco, aproveite para navegar pelas águas calmas do rio, apreciando a bela paisagem recortada por manguezais e ilhas, como a das Garças e a do Peixe-Boi. O embarque é no Cais de Porto Grande, localizado no Sítio Histórico. Os 17 km de praias reservam atrações variadas, de banhos relaxantes a picos de altas ondas, ideais para a prática do surfe. Destaque para a Vila e a Ilha de Atalaia, uma aldeia de pescadores, reduto de praias urbanas de norte a sul – as mais famosas são a da Costa e de Atalaia. Ao longo da vasta extensão de areias alvas e margeadas por coqueirais, as barracas oferecem o melhor da cozinha regional.

Em Barundanga, a 50 km de Ilhéus, é possível tomar banho de rio, conhecer manguezais e saborear o delicioso caju da região. Para quem gosta de pescar, a Barra do Poxim é a pedida ideal. Na praia do Norte, em Oiticica, o visitante pode testar suas habilidades com a isca e o anzol. O acesso é por estrada de terra, por dentro da Fazenda Cotovelo, até o Rio Salgado, de onde se atravessa por balsa para alcançar a Barra.

Deserta e entocada, a Barra Velha, região habitada por pescadores e preservada com praias virgens e uma exuberante paisagem, abriga um empreendimento que estimula o turismo natural, incluindo o nudismo. É preciso atravessar o manguezal para se ter acesso a esse pedaço de paraíso, ideal para casais enamorados e famílias. E os adeptos do naturismo ainda encontram eco na Fazenda Vida, local esotérico, ideal para meditação, consultas espirituais, reposição de energia e leitura de cristais. A fazenda também oferece refeições à base de carne branca. É necessária a reserva antecipada para visitação. 

Fonte: bahia.com.br

Canavieiras

Capital baiana do caranguejo, a pacata Canavieiras, a 120 quilômetros de Ilhéus, guarda muitas surpresas. Além dos crustáceos, servidos em larga escala nas barracas de praia graças aos mangues que cortam a região, a cidade ostenta também o título de point da pesca oceânica. A atividade é praticada durante o verão em um banco de corais a 24 milhas da costa. O local é considerado um dos melhores do mundo para fisgar o marlim-azul e outros peixões que chegam a pesar uma tonelada.

“Centrinho colonial abriga restaurantes especializados em caranguejo”

Caso a pesca não se encaixe no seu hobby ou no seu orçamento, aproveite os bucólicos passeios de barco pelos manguezais e comunidades ribeirinhas da região, como Barra Velha e Belmonte. Ou então, atravesse a ponte rumo à ilha de Atalaia, onde está a única praia badalada da região – a praia da Costa, repleta de bares, coqueiros, areia fina e rios de água doce.

Canavieiras
Praia da Costa: É a mais concorrida e fica na Ilha de Atalaia

No continente, o principal atrativo é o Sítio Histórico, um preservado conjunto arquitetônico com casario dos séculos 19 e 20 que remete aos tempos áureos do Ciclo do Cacau. Restaurados para as gravações da novela global Porto dos Milagres, os sobrados abrigam espaços culturais e restaurantes que servem moquecas caprichadas nas mesinhas espalhadas pela calçada. Para começar os trabalhos, peça um caranguejo!

O QUE VER E FAZER EM CANAVIEIRAS

As atrações de Canavieiras espalham-se do continente ao alto-mar. No Centro, o preservado casario dos séculos 19 e 20 remetem aos tempos do Ciclo do Cacau. Já na orla, os atrativos ficam por conta dos caranguejos, servidos nas barracas de praia. Os adeptos da pesca oceânica têm encontro marcado no Royal Charlotte, um banco de areia a 24 milhas da costa e considerado um dos melhores pontos do mundo para fisgar o marlim-azul.

Comer caranguejo

Canavieiras
Crustáceo tem até monumento!

O carro-chefe da gastronomia local é o caranguejo, servido nas barracas de praia em forma de casquinha ou em diversas versões de patinhas. Famoso na região em função da preservação dos mangues, o crustáceo ganhou um festival exclusivo, atraindo turistas na primeira quinzena de setembro.

CASARIO

Canavieiras
Sítio Histórico abriga sobrados dos séculos 19 e 20

Um trecho da orla do rio Pardo remete aos tempos áureos do Ciclo do Cacau. Nos arredores da praça da Bandeira fica o Sítio Histórico, com dezenas de sobrados do final do século 19 e início do século 20. Restaurados, abrigam a Prefeitura (1899), a Biblioteca Pública (1900) e restaurantes que espalham as mesinhas na calçada na hora do jantar – ao anoitecer, o espaço ganha bonita iluminação.

PASSEIO DE BARCO PELO RIO PARDO

Canavieiras
Uma travessia imperdível

Roteiros variados levam aos manguezais e comunidades ribeirinhas da região. Entre os passeios mais procurados estão os que conduzem às vilas de Barra Velha – destaque para o banho de lama medicinal – e à Belmonte, na foz do Rio Jequitinhonha. Barcos e lanchas partem do cais do porto de Canavieiras.

PRAIAS E ILHAS

Canavieiras
Por do sol é apreciado de vários pontos

Canavieiras tem mais de 40 quilômetros de orla recortada por rios, manguezais e reservas de mata Atlântica, além de diversas ilhas salpicadas de coqueiros. O sossego é constante nas praias da região, com exceção da praia da Costa, na ilha de Atalaia – no verão, as barracas que servem caranguejos fresquinhos ficam lotadas.

Fonte: www.feriasbrasil.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.