Breaking News
Home / Turismo / Garopaba

Garopaba

PUBLICIDADE

Garopaba foi colonizada por portugueses vindos da Ilha dos Açores, e ainda hoje mantém muitos traços da cultura açoriana.

Garopaba é uma cidade tranqüila, que ainda cultiva hábitos de uma vila de pescadores. Essa tranqüilidade e uma qualidade de vida invejável, aliada às belezas naturais, tem atraído muitas pessoas de todas as partes que buscam um lugar assim para morar e viver. Uma ótima legislação urbanística não permite a construção de prédios, o que torna Garopaba mais charmosa e encantadora.

A atividade econômica de Garopaba tem seu forte no turismo. Há um número considerável de pousadas e hotéis preparados para atender todo tipo de turista, desde aquele mais exigente ao que busca um simples camping para passar um fim de semana. Grande parte da infra-estrutura de lazer, hospedagem e gastronomia ainda funciona somente no período temporada. A expectativa é que após a finalização das obras de duplicação da BR-101, a região apresente um forte incremento do turismo, gerando inúmeras oportunidades nos setores empresarial e imobiliário.

Garopaba
Garopaba: Praia da Ferrugem

Garopaba
Garopaba: Praia da Silveira

Garopaba
Garopaba: Vigia

Um povo simples e hospitaleiro, assim são as pessoas nativas do lugar. Recebem de forma cordial não só os turistas mas também a todos que buscam Garopaba para morar. Na temporada são mais de 100 mil turistas vindos principalmente do sul do Brasil e países vizinhos.

Reduto das Baleias Francas, que nos meses de maio a novembro vem do sul da Argentina em busca de águas quentes para reprodução e amamentação, atrativos é que não faltam: surf, mergulho, pesca, sandboard, até as agitadas noites na Praia da Ferrugem.

Atrativos Turísticos – Praias de Garopaba

Gamboa

Garopaba

Localiza-se no extremo norte de Garopaba, de difícil acesso, mas compensa pelo visual logo na chegada do alto da serra. È uma colônia de pescadores artesanais, caracterizando a praia com um clima pacato e hospitaleiro.

Siriú

Garopaba

Incorporado ao Parque Nacional da Serra do Taboleiro (área de preservação ecológica), esta praia possui 5 km de dunas, onde se pratica o Sandbord ou surf de areia. Junto a praia há o Rio Sirú, que inicia-se na Lagoa do Macacu, desembocando ao norte da praia, formando um visual inesquecível.

Garopaba

Garopaba

A beira da cidade de Garopaba, possui uma completa infra-estrutura em relação as outras praias do município. Conserva seus hábitos açorianos por abrigar uma vila de pescadores.

Preguiça

Garopaba

Também conhecida como Prainha, é formada por uma pequena praia, com um mar calmo, é ideal para uma leve caminhada até o Costão, onde o turista pode seguir uma trilha e observar o mar indo de encontro às pedras.

Silveira

Garopaba

Com formações de ondas perfeitas para os surfistas, conserva sua vegetação quase nativa. Localiza-se ao sul de Garopaba.

Fonte: www.belasantacatarina.com.br

Garopaba

Um paraíso à beira-mar

Garopaba é um cenário perfeito para quem busca tranqüilidade

Águas límpidas e azuis, morros com bastante verde, lagoas e dunas. Assim é Garopaba, uma das mais belas cidades à beira-mar, do sul do país.

Localizada a 75 km de Florianópolis, a região é palco de festas típicas e religiosas que atraem os turistas durante todo o ano.

Com cinco praias maravilhosas e um clima agradável, que varia entre 20°C e 30°C, Garopaba apresenta uma forte relação com o mar, por meio da pesca artesanal e do surfe, que atrai surfistas de diversas partes do mundo.

Além das belezas naturais, a cidade tem como atrativos turísticos a igreja matriz, construída em cima de uma pedra, e a vila dos pescadores, que mantém as características do povo açoriano – que chegou em 1666, aproveitando a enseada natural para ancorar os barcos.

Garopaba
Garopaba – Silveira

História

A história de Garopaba teve início em 1666, com a chegada dos primeiros imigrantes açorianos, que se dedicaram principalmente à caça da baleia – que durou até 1800. Em 1846, Manoel Marques Guimarães funda a Freguesia de Garopaba e constrói a Igreja Matriz, a casa paroquial e o cemitério. Redescoberta em 1970 pelos hippies gaúchos e pelos amantes da natureza, a cidade mudou seu perfil tipicamente pesqueiro e agrícola e tornou-se um reduto de surfistas de todo o País.

Praias

Descanso ou agitação? Tanto faz. Garopaba possui praias para todos os tipos de turistas. Conheça algumas!

Praia do Silveira

Rica em vegetação e considerada como uma das mais belas praias de Santa Catarina, a Praia do Silveira é marcada por suas ondas forte, impróprias para o banho, mas ideal para os surfistas.

Praia da Preguiça

Como o próprio nome já diz, essa praia é indicada para quem busca tranqüilidade. Pequena e calma, a praia fica próxima a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes e do Costão, onde se pode caminhar por trilhas e observar o mar.

Praia do Siriú

Incorporada ao Parque Nacional da Serra do Taboleiro (área de preservação ecológica), a Praia do Siriú chama a atenção por suas dunas, onde é praticado o surfe de areia.

Fonte: www.nippobrasil.com.br

Garopaba

Os registros dos primeiros habitantes da região de Garopaba datam de 50 milhões de anos. Os indícios de sua presença encontram-se nos sítios arqueológicos, tais como o morro dos índios que fica entre as praias da Barra e Ferrugem. O homem-do-sambaqui tinha na pesca e coleta de moluscos as atividades básicas para sua subsistência.

Índios tupis-guaranis xavantes e tribos canibais ainda habitavam as cercanias quando aqui chegaram os primeiros imigrantes, os açorianos, em 1666.

Nos anos 1970, com a chegada dos primeiros hippies e surfistas inicia-se a transformação da pequena cidade pesqueira em atrativo ponto turístico.

No ano de 1795 foi fundada a Armação de São Joaquim de Garopaba, onde era caçada a Baleia Franca e estendeu-se até 1830, época em que foi descoberto o petróleo (querosene) e iniciou-se o uso do cimento. Os produtos mais importantes trazidos das baleias, eram o azeite e as barbatanas. O azeite era misturado com barro para a construção de casas e também para a iluminação de ruas e casas.

No ano de 1846 foi fundada a Freguesia de Garopaba, quando a Assembleia Provincial autorizou a instalação da Igreja Matriz, o Cemitério e a Casa Paroquial.

O local foi colonizado por imigrantes açorianos que se dedicavam à pesca. O nome GAROPABA, tem origem na língua guarani e significa “ Lugar seguro para ancoradouro de barcos”. A população indígena era constituida pelos índios carijós.

Entre suas oito praias pode-se destacar a Ferrugem, Siriú e a Gamboa, cercada pela Mata Atlântica, onde pode-se observar as baleias francas, e possui também o maior sambaqui do mundo.

As praias são ótimas para a prática do surf, trazendo surfistas do Brasil inteiro para desfrutarem de suas ondas.

No turismo religioso pode-se destacar a Gruta Nossa Senhora de Lourdes e a Igreja Matriz de São Joaquim, com característico estilo arquitetônico açoriano. No mês de junho sempre acontece a Quermesse de Garopaba promovida pela Igreja São Joaquim. A festa é realizada na praça central e resgata tradições da cidade além de shows regionais e nacionais.

Fonte: www.pousadaferrujao.com.br

Garopaba

Cultura Açoriana

Os primeiros açorianos vieram para Santa Catarina na metade do século XVIII. Os açorianos vieram para consolidar as fronteiras do sul do Brasil e ao mesmo tempo solucionar os problemas econômicos e demográficos do Arquipélago dos Açores.

O rei de Portugal na época D. João V, ofereceu ás pessoas que moravam nas Ilhas dos Açores várias vantagens para que viessem morar aqui no sul do Brasil.

Eles receberiam transporte até as terras brasileiras, terras para plantarem, instrumentos de plantio, sementes e farinha para o sustento.

Dos imigrantes que chegaram, uma parte se fixou nas freguesias de Nossa Senhora do Rosário, da Enseada de Brito e de Nossa Senhora da Conceição da Lagoa. Essas pessoas vieram dasseguintes Ilhas dos Açores, São Jorge, Terceira, Graciosa, Pico, São Miguel, Santa Maria e Faial.

O povoamento das regiões litorâneas do sul do Brasil, deve-se principalmente aos açorianos que quando aqui chegaram desenvolveram atividades como a pesca, o plantio de farinha de mandioca, café e algodão.

Ainda hoje podemos perceber em Santa Catarina os sinais da presença açoriana principalmente na arquitetura, usos, costumes e tradições, como as Festas do Divino Espírito Santo entre outras.

Atualmente vivem no Brasil mais de um milhão e duzentos mil portugueses, grande parte constituída por açorianos e seus descendentes.

Boi-de-mamão

O boi-de-mamão é uma expressiva manifestação folclórica que ocorre no estado de Santa Catarina, Brasil, sendo encenado principalmente na região litorânea.

Com origem nas brincadeiras com o boi feitas nos Açores, tem seu primeiro registro com este nome em Santa Catarina datado de 1840. Inicialmente era chamado boi-de-pano.

Trata-se de um auto em tom cômico, mas com um elemento central dramático: a morte e a ressurreição do boi. Apresenta elementos comuns com o bumba-meu-boi nordestino.

O boi-de-mamão inerentemente usa voluntários para protagonizarem o festejo, sendo que estes são postos sob as fantasias, que são feitas por uma armação de metal ou madeira e por pano.

Entre as figuras que aparecem no boi-de-mamão estão: o boi, o proprietário do boi, a bernuncia e seu filhote, a maricota, o doutor, a viúva, o cavalinho, os outros bois, os corvos, podendo faltar algumas delas.

Engenhos de Farinha

Conheça como é um Engenho de Farinha de Mandioca, os equipamentos curiosos que nossos antepassados usavam para fazer farinha, a roda de ralar, a prenssa,o coxo e os derivados de mandioca, como tapioca, ,farinha d’água,beiju e etc.

Festa do Divino

A Festa do Divino ocorre no mês de maio, junto a quermesse comunitária, no centro de Garopaba. A programação inclui gastronomia, apresentações folclóricas, religiosas e culturais. Há barracas de comida e de brincadeiras, e o desfile do Cortejo Imperial. A primeira missa do Tríduo Preparatório, seguida da abertura oficial da festa e de apresentações de Corais e ternos de reis.

A festa é tradicionalmente promovida pala Paróquia São Joaquim de Garopaba, que têm como função preparar o cortejo, formado por crianças da comunidade e dos projetos sociais da cidade.

O culto de louvor ao Divino Espírito Santo nasceu em 1296, na cidade de Alenquer, em Portugal, quando a então rainha Isabel de Aragão, chamada de Rainha Santa, prometeu instituir um dia de culto caso o Espírito Santo resolvesse desavenças familiares. Em Santa Catarina, a tradição vem desde a chegada dos primeiros açorianos, entre os anos de 1748 a 1756.

Quermesse Comunitária

É uma festa que celebra a cultura açoriana unida aos costumes religiosos. A festa beneficia exclusivamente entidades que prestam serviços à comunidade do município como Apae, Grupo de Jovens, Pastoral da Saúde entre outros, além da valorização e incentivo aos artistas da terra dando espaço para demonstrarem seu talento. O evento conta com muita música, shows nacionais, escolha da rainha do evento, diversidade de apresentações e deliciosos aperitivos e pratos típicos da região.

Festa dos Navegantes

Normalmente na segunda semana antes do Carnaval, ocorrem as festas de N. Sra. dos Navegantes. A festa de Navegantes é uma procissão de barcos enfeitados que levam a imagem da santa protetora dos pescadores. Com muito entusiasmo e reverência é uma comemoração que envolve toda a comunidade, com presença marcante da igreja local, a Paróquia São Joaquim.

Pau de Fita

É uma manifestação cultural recorrente em várias culturas, dentre elas a açoriana. Toda a coreografia se desenvolve ao som de cantorias, com casais segurando fitas coloridas presas a um mastro, que são trançadas caprichosamente, de diversas formas. A dança termina com uma coreografia que desfaz o trançamento.

Pesca

Considerado o paraíso dos frutos do mar, Garopaba é um lugar que oferece para a culinária, a tainha, e outros peixes, muito abundantes na região.

Os pescadores garopabenses podem-se dizerem abençoados com a imensidão desse oceano e tudo o que ele lhes oferece. A cidade sempre se destacou pela pesca da Tainha, da Anchova, da sardinha e do Cação. Antes da instalação da primeira empresa com base na pesca em Garopaba, os pescadores já exportavam o produto em forma “escalado”, a principio em caixas de madeira. O produto garopabense era vendido para São Paulo, Maringá entre outras.

A pesca artesanal vem sofrendo com passar dos anos com a degradação ambiental e a falta de uma política voltada para a continuidade da técnica. Garopaba teve muitas figuras importantes nesse setor como o Mestre Severo , um pescador que faleceu com 49 anos em alto mar. Por isso os pescadores julgam necessário conhecer o mar, respeitá-lo, pois você nunca sabe o que poderá acontecer.

Igreja Matriz de São Joaquim

A Paróquia foi criada em 1846, com seus líderes religiosos exercendo uma influência marcante na vida política do município. Construída sobre uma pedra em uma colina, localiza-se no centro histórico de Garopaba, um dos principais cartões postais da cidade.

Centro Histórico

O centro histórico do antigo povo, dedicado à caça das baleias é tipicamente açoriano e ainda hoje é o ponto de partida e chagada das embarcações de pesca. A pequena praça e a Igreja à beira-mar mantêm a singularidade e os valores da cultura local.

Artesanatos da Terra

Destacam-se os trabalhos em cipó, bordados em tela, crochê, entalhes em madeira, confecções em cordas, entre outros. Todos esses trabalhos são encontrados na Praça Municipal próximo à Prefeitura, nas feiras de artesanatos montadas em datas especiais e principalmente nas festas comunitárias.

Ratoeira

A cultura açoriana é rica em cantigas e cantorias. A Ratoeira era uma espécie de roda de homens e mulheres, onde cada um expunha os seus sentimentos em forma de versos cantados em quadrinhas que obedeciam a uma rima, dentro de um ritmo, andamento e melodia pré-definidos.

Terno de Reis

A tradição do Terno de Reis foi trazida para o Brasil pelos colonizadores luso-açorianos e é mantida principalmente no litoral do Brasil e no meio rural.

O Terno de Reis é inspirado na história bíblica dos Três Reis Magos. Seguindo uma estrela que surge no céu no dia de seu nascimento, 25 de dezembro, Gaspar, Melchior e Baltazar, saem à procura do Menino Jesus, levando presentes (ouro, mirra e incenso) e chegam a Belém no dia 6 de janeiro, Dia de Reis.

Adaptado aos folguedos lusitanos, o Terno de Reis canta a história durante o mês de dezembro até o dia 6 de janeiro. Os grupos formados por cantores e instrumentistas percorrem as casas do início da noite ao amanhecer.

A apresentação se divide em três partes. Na chegada, saúdam os donos da casa e pedem licença para entrar. No segundo ato, louvam o menino Jesus em frente ao presépio. A cantoria é interrompida quando o dono da casa, seguindo o exemplo dos Reis Magos, presenteia o grupo com bebidas e comidas. A apresentação se encerra com o agradecimento e despedida. Segundo a cultura popular quem recebe o Terno de Reis em sua casa é abençoado.

Fonte: www.garopabamidia.com.br

Garopaba

A natureza presenteou Garopaba com as mais belas praias do litoral catarinense. Descoberta pelos surfistas na década de 70, suas ondas espetaculares atraem turistas de todas as partes do país que lotam suas charmosas pousadas e bons hotéis. Emoldurando o cenário, lagoas, montanhas, rios e costões emergem por todos os lados. Também não faltam matas, trilhas ecológicas, cachoeiras e diversas alternativas de praticar o ecoturismo.

Quem visita Garopaba, a 80 quilômetros de Florianópolis, fica deslumbrado com tanta beleza. Ao todo são nove praias, a maioria delas ideal para a prática do surfe.

Partindo do norte ao sul, em seqüência, são elas:

Gamboa, Siriú, Garopaba, Preguiça, Silveira, Ferrugem, Barra, Ouvidor e Vermelha.

Destaque para Ferrugem e Silveira, que já foram palco de diversos campeonatos internacionais.

A praia de Garopaba, que fica bem no centro do município é a que oferece maior infra-estrutura, dispondo de vários restaurantes, pousadas, hotéis, lojas, postos, farmácias e supermercados. O lugar não é apropriado para o surfe, abrigando principalmente pescadores profissionais, que deixam suas canoas na beira da praia e adeptos de esportes náuticos.

Fonte: www.guiasantacatarina.com.br

Garopaba

O primeiro povoado só surgiu em 1666 formado de imigrantes açorianos. Foram os tupi-guaranis os primeiros habitantes deGaropaba; que deram o nome à cidade.

Este nome vem grafado – gahopapaba – na carta de Turim, em 1523, ou assim: upaua, upaba, guarupeba.

Que significa a enseada dos barcos, do descanso ou ainda o lugar abençoado.

A verdadeira definição está no guarani, a língua local: ygá, ygara, ygarata; significa arco, embarcação, canoa – mpaba paba é estância, paradeiro, lugar, enseada.

Acompanhando o desenvolvimento econômico, Garopaba continua seguindo o seu padrão cultural, oferecendo ao morador e visitantes suas belezas naturais, mostrando que desenvolvimento sustentável pode caminhar lado a lado com a cultura. A cidade preocupa-se em mostrar suas tradições, tornando-as um atrativo diferenciado.

As novas construções mudaram a aparência de Garopaba, tornando-se mais apresentável e voltada ao atendimento do turista tanto em alta como em baixa temporada.

Os tempos mudaram, porém a cordialidade do povo garopabense continua a mesma, baseada na sua cultura, religião e sua forte relação com o mar, seja através da pesca artesanal ou da relação com o surf e o turismo.

Na década de 70, foi refugio dos hippies. Nos meses de Junho e Julho das Baleias Franca, servindo como berçário.

Garopaba possui uma área de 111 Km de extensão.

Distante 79km da capital do estado que é, Florianópolis.

Garopaba é o ano inteiro o paraíso do Surf e do turismo.

O RELEVO:

O relevo de Garopaba apresenta mais planícies que planaltos. É de baixa altitude, tem clima sub tropical,e as estações do ano são bem definidas.

O seu ponto mais alto fica no Morro do Siriú com 400 metros de altura.

A HIDROGRAFIA

Os rios e lagos aqui existentes são: Rio do Costão, Rio da Gamboa, Rio Siriú, banhando o siriú e a lagoa do siriú que banha o macacú e a costa do macacu.

Rio Garopaba, Palhocinha que desemboca na lagoa de Garopaba.Canal do Cação que liga a Lagoa de Garopaba ao Oceano Atlântico.O Rio da Penha que é marco de divisão do município de Garopaba, com Paulo Lopes desembocando no Oceano Atlântico.O rio Cova Triste que também determina os limites com Paulo Lopes.

CULTURA

Com os traços culturais de influência totalmente açoriana tornou-se um Corredor Turístico Material.

Temos aqui o Boi de Mamão, Pau de Fita, Pesca de Tarrafa, Igrejas centenárias, cultivo do aipim, doce de goiaba e muito mais.

BOI DE MAMÃO

No Brasil de norte a sul encontramos a brincadeira do (boi fingido).

Conforme a região ele tem nomes distintos como o: Boi Bumbá, Boi Matraca e aqui o Boi de Mamão.

A festa do Boi de Mamão é a manifestação, mais profunda da cultura popular catarinense.

O elemento principal da festa é o BOI, é feito de madeira e bambu, coberta com papel e pano.

A brincadeira aborda a morte e ressurreição do Boi.

Os outros bichos são também figuras obrigatórias nesta festa popular. Cavalinho,cabrita,vaqueiro,mestre Mateus,doutor Bernuça,Maricota,cachorro ,urso branco,urso preto e macaco.A festa é encenada com manifestação auto dramática, com alegre coreografia e versos ao som de cantoria que as crianças e os adultos amam apreciar.

ENGENHOS DE FARINHA

Utiliza como fonte geradora de energia a tração animal atualmente recebem a contribuição da energia elétrica.

A água e o vento como fonte energética foi implantada pelos colonizadores europeus principalmente para beneficiar café, cana de açúcar, milho, mandioca e outros produtos.

FESTA DO DIVINO

É o maior evento religioso de grande apego popular em Garopaba.

Um mix de festa religiosa e festa profana estabelecida pela princesa Isabel no Século XIV.

Aqui a festa é realizada desde a chegada dos açorianos. São usados como acessórios a coroa, o cetro em prata, o ciclo do Divino Espírito Santo apresentam etapas, bem definidas. Novenas, peditório, cantorias, festeiros, empregados de vela, de caldeira, de vara cortejo, coroação, imperador, festeiro que é sorteado a cada ano entre os convidados a financiar e organizar a próxima festa.

Uma procissão leva os fiéis até a Igreja Matriz onde o Imperador é coroado e a festa tem seu ponto alto com grande refeição para todos.

É sempre realizada de acordo com a data de Pentecostes. (de maio a junho ).

PESCA

A pesca artesanal é uma tradição milenar, até os dias de hoje em Garopaba. É seguida ainda por muitos no litoral.Atividade realizada exclusivamente com trabalho manual do pescador,mesmo com todas as variantes atuais.

Baseada em conhecimentos transmitidos por seus ancestrais, pelos mais velhos da comunidade. Essa prática é sempre realizada em embarcações pequenas.(barcos e canoas) a remo ,a vela ou motorizados sem qualquer instrumento de apoio a navegação.Garopaba sempre se destacou pela pesca da Tainha,da Anchova ,da sardinha e do cação.

Antes da primeira empresa com base na pesca Garopaba exportava o produto em caixas de madeira para São Paulo e Maringá.

RATOEIRA

Dança-se a ratoeira formando-se um circulo de moças e rapazes de mãos dadas no meio da roda fica uma moça ou um rapaz que canta uma quadrinha enquanto os da roda dançam e repetem.

É a ocasião propicia para as declarações de amor ou desafios entre rivais.

ECOLOGIA

Se você esta a procura de contato coma natureza o lugar certo é aqui. Praias com ondas de até 3 metros de altura.

Garopaba esconde uma beleza inigualável por todos os lados.

Várias opções de lazer. Turismo direcionado, natureza, fauna, flora com atrativos fantásticos.

FAUNA

Pássaros litorâneos, peixes saborosos, animais exóticos da mata atlântica, baleias e muito mais.

FLORA

Orquídeas, bromélias, plantas da mata atlântica, turismo de observação.

Praias

Atrativo natural mais procurado da cidade.

VALES

QUE unem montanhas, lagoas e povoados com pintura realista.

Cachoeiras

Corredeiras que formam lindas trilhas de pedras e água que vão até o mar.

DUNAS

Montanhas de areia vindas do mar que se acumulam em quantidade e altura aonde o pessoal vem praticar o sandboard que atrai gente de todas as idades.

LAGOS

Criadouros naturais de peixes e crustáceos local de esporte a vela.

Quando você estiver por aqui se lembre de: Não jogar papel cigarros, latas, sacos plásticos, seja na cidade ou na praia. Afinal o paraíso é aqui e por ser um ambiente de todos tem que ser mantido sempre limpo.

GASTRONOMIA

Nossa gastronomia oferece todo tipo de culinária a base de peixes, camarões, lagostas, siris, lulas e polvo. Também risotos e fritadas.

Não importa qual é o prato Garopaba atende a todos os gostos. Tem ainda a Cozinha internacional com sabores diferentes e especiais.

Praia da Ferrugem

Distante 89 quilômetros do Sul de Florianópolis e 5 de Garopaba, é uma das praias mais lindas e movimentadas do litoral catarinense. Considerada o paraíso dos surfistas e recanto de belas mulheres, em suas areias circulam, todo o verão, turistas de toda a parte do país que encontram várias opções de lazer tanto para o dia como para a noite. No verão, a vida noturna da Ferrugem é tão agitada que há bares que só abrem a partir das 23 horas e fecham após o sol raiar. Com boa infra-estrutura de bares, restaurantes e muitas pousadas, a Ferrugem tem um canal que a separa da Praia da Barra. Foi este canal que deu nome à praia, pois em certos dias, em que seu fundo está cheio de areia, as águas ficam mais amareladas, com cor semelhante a ferrugem.

Praia da Barra

Ao contrário da Ferrugem, a Praia da Barra – separada da Ferrugem por um pequeno morro, que é um sambaqui e pelo desemboco da Lagoa de Garopaba (ou da Encantada), possui pouco movimento e é ideal para quem quer descansar. Trata-se de um dos lugares mais reservados de Garopaba, muito bom para pescar. De lá há uma trilha onde, caminhando por 2 quilômetros, chega-se à Praia do Ouvidor.

Praia do Ouvidor

Antes mesmo de se chegar à Praia do Ouvidor já é possível perceber suas belezas. A estrada de acesso é deserta e cercada de coqueiros e mata virgem Sem infra-estrutura e distante 12 quiulômetros do Sul de Garopaba, o Ouvidor ainda preserva um aspecto selvagem de natureza intocada, com dunas, muito verde e pedras no canto enfeitando a paisagem. Do alto das dunas dá para avistar toda a praia e o Costão da Caranha. Tranqüila e solitária, a praia é ideal para pescar, praticar canoagem e esquiar.

Praia Vermelha

A praia Vermelha, dominada pela família Johannpeter, do Grupo Gerdau, possui acesso privativo feito por trilha. É deserta e não possui infra-estrutura. Até pouco tempo atrás, a praia pertencia somente ao município de Garopaba. No entanto, uma nova delimitação dos municípios anexou o canto sul da Vermelha a Imbituba.

Praia da Gamboa

A Gamboa é a praia mais afastada de Garopaba – cerca de 15 minutos do centro – porém, suas características começam no acesso. Partindo do centro, uma estrada de chão revela cenários que incluem vales, dunas, rios e um mar muito azul. Tranqüila, a praia possui uma colônia de pescadores artesanais e o mar é aberto.

Praia do Siriú

Integrada ao Parque Nacional da Serra do Tabuleiro, região delimitada da Praia do Siriú até o Morro dos Cavalos, é considerada área de preservação permanente. Localizada a 9 quilômetros ao norte de Garopaba, possui enormes dunas que chegam a alcançar 5 quilômetros de lado. Deslizar nas areias das dunas do Siriú é um programa inesquecível. No lado norte da praia desemboca a bela Lagoa do Siriú, onde procriam-se camarões e diversos tipos de peixes.

Praia da Preguiça

Localizada ao final de Garopaba, Preguiça – também conhecida como Prainha – é uma pequena praia com águas calmas e claras. Fica no Vigia, um bairro residencial, formado por lindas mansões que contrastam com as belezas naturais do ambiente. Próximo a ela está a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. Um pouco adiante começa o costão, onde é possível caminhar por trilhas e observar o lindo visual.

Praia do Silveira

Selvagem e com uma beleza exuberante, a praia do Silveira é considerada a melhor praia para a prática do surfe no Brasil e a quinta do mundo.

Com 1,5 quilômetro de extensão, apresenta no seu canto esquerdo ondas perfeitas, com um detalhe inusitado: o fundo de pedras no canto Sul propicia a formação de verdadeiras pistas de água em movimento, que levam ao delírio surfistas de todo o mundo. A praia é cercada por uma montanha onde o verde da vegetação típica da Mata Atlântica ainda predomina e é também controlada em nível ambiental pelos seus moradores. Estuário de desova da tainha, a Silveira atrai também pescadores, que tentam a captura de peixes nobres como o robalo, badejo, garoupa, sargo, entre outros.

Garopaba

A praia de Garopaba, que fica bem no centro do município é a mais urbanizada e que oferece maior infra-estrutura. Possui hotéis, pousadas, campings, farmácias, bares e restaurantes para todos os gostos. Com cerca de 2 quilômetros de extensão, tem como principal característica a formação em enseada, garantindo segurança e conforto ao banhista. O lugar não é apropriado para o surfe, abrigando principalmente pescadores profissionais, que deixam suas canoas na beira da praia e adeptos de esportes náuticos. Ao norte, é delimitada pelo costão do Siriú.

Ecoturismo

Quem gosta de se aventurar por trilhas ecológicas, não pode deixar de percorrer o caminho que fica ao lado da Igreja Matriz, construída em cima de uma pedra (antiga armação das baleias), onde é possível avistar lugares exuberantes. A Preguiça, por exemplo, localizada ao final de Garopaba, é uma pequena praia com águas calmas e claras. Fica no Vigia, bairro residencial, formado por lindas mansões que contrastam com as belezas naturais do ambiente. Lá também está situada a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes. Outra opção é seguir o caminho em direção ao canto esquerdo, que leva à praia do Siriú. Tranqüilo, o local ainda hoje preserva suas características naturais e é rodeado por dunas com mais de 40 metros de altura. Ao norte da praia desemboca o Rio Siriú, continuidade da Lagoa do Macacú, onde procriam-se camarões e peixes diversos. A vizinha Gamboa é perfeita para quem procura paz e tranqüilidade. Neste lugar onde a natureza fez questão de dar uma caprichada, caminhar pela praia é essencial para se conhecer os arredores. Os adeptos de trilhas encontram também algumas opções bem interessantes.

No canto direito há um morro onde é possível chegar à praia do Siriú. Já quem prefere caminhadas sem muitas subidas é só seguir à esquerda pela beira mar, que, após duas horas, chega-se à Guarda do Embaú. Localizada a cerca de 2 quilômetros do centro de Garopaba, a Praia do Silveira é outro espetáculo. Cercada por uma montanha onde o verde da vegetação típica da Mata Atlântica ainda predomina, possui as maiores ondas do país, sendo classificada como a melhor do Brasil e a quinta do mundo. Por isso, antes de querer se aventurar por lá, é bom saber que o mar da Silveira não é recomendado para surfistas com pouca prática. Enquanto a Silveira continua selvagem, o mesmo não se pode dizer da praia do Ferrugem.

Considerado o paraíso dos surfistas e point da juventude sarada, cresceu vertiginosamente nos últimos anos, tanto em número de visitantes como na oferta de serviços. As opções variam desde o popular albergue até sofisticadas pousadas com áreas de lazer e piscina. Além disso, trata-se de uma praia de extremos, com opções tanto para quem quer curtir o dia como para aqueles que gostam da noite. Há inúmeros barzinhos espalhados pela praia, alguns chegam a tocar música eletrônica até o sol raiar. Com ondas perfeitas para banho e surfe, a Ferrugem possui um canal que a separa da Praia da Barra. O pôr do sol na lagoa é um espetáculo imperdível que deve ser apreciado. Com águas calmas e claras, atrai famílias que levam crianças para brincar. Cenas pitorescas de pescadores tarrafeando nas águas também é comum por ali. O sambaqui que existe na beira da praia, localizado à esquerda do canal, também é um local interessante. Trata-se de um morro que foi cemitério dos índios da tribo Carijós, na época da colonização do litoral. Subindo o costão, tem-se uma bela vista da praia do Ferrugem, da lagoa de Garopaba e da Praia da Barra, que fica do outro lado do costão.

Ilha do Coral

Trata-se de uma bela ilha que fica a cerca de 45 minutos de barco da praia de Garopaba. O passeio até lá reserva várias surpresas como conhecer o antigo farol e o paredão com inscrições rupestres com mais de 2.000 anos. Durante a temporada há serviços de transporte que levam até a ilha. As saídas são feitas a partir da enseada de Garopaba.

Cachoeiras

Localizadas no próprio município de Garopaba, a cerca de dez quilômetros do centro e das principais praias, são nascentes que formam pequenas cascatas que também formam poços e piscinas naturais. Destaque para as cascatas da Encantada, do Macacú e do Siriú, com águas puras e cristalinas. que podem ser visitadas com ou sem o acompanhamento de guias. O acesso é fácil e são muito procuradas por famílias e crianças.

Na cachoeira do Macacu, a infra-estrutura é de primeiro mundo, com decks suspensos, trilhas, esportes radicais (tirolesa com queda na água, parede de escalada), áreas de jogos, churrasqueiras, piscinas e hidromassagens naturais, animais exóticos, instrutores capacitados para ensinar tirolesa, escalada, cavalos, temos também estacionamento, café colonial, lanchonete, banheiros. Entre outros mais que fazer do Centro de Lazer Cachoeira do Macacu um dos principais pontos turísticos da cidade de Garopaba.

Dunas

As dunas das praias do Siriú e do Ouvidor são um convite à pratica de sundboard. As dunas do Siriú ficam na estrada que liga Garopaba a Paulo Lopes. De fácil acesso, possuem uma ampla área e inclinação e contam com toda a infra-estrutura necessária no local.

Observar as Baleias Francas

Uma das espécies mais ameaçadas de extinção (restam apenas 4 mil mamíferos no mundo) podem ser vistas e apreciadas em Garopaba entre maio e novembro, período em que ocorre o acasalamento, nascimento e amamentação dos filhotes. O projeto, sediado na Praia do Rosa, município de Imbituba, realiza o turismo de observação desses cetáceos. Os passeios são organizados pelas pousadas e oferecem uma visão clássica das baleias. Há um passeio com embarcação inflável que dura cerca de três horas e permite avistar as baleias francas em seu ambiente natural, além de oferecer informações sobre biologia, comportamento, importância histórica e conservação da espécie. Durante o trajeto as baleias fazem suas acrobacias, saltando, acenando sua cauda e esguichando sua água. O ponto de partida varia de acordo com a localização das baleias.

Trilhas

Para quem gosta de caminhadas e conhecer lugares inusitados, Garopaba oferece várias alternativas desde morros até caminhadas por praias e costões de pedras. Uma sugestão é seguir a trilha que fica entre a Praia do Ferrugem e a Praia do Ouvidor. Inicia-se com uma visita a um sítio arqueológico em um morro que divide as praias do Ferrugem e da Barra. Lá é possível encontrar machados de pedra, pontas de flechas e até restos humanos. Também é neste local que está o maior número de amoladores (pedras onde os povos primitivos afiavam suas ferramentas de caça e trabalho) de todo o Estado. Prosseguindo o caminho pela praia da Barra, a trilha continua por um costão de pedras coberto com gramíneas e pinheiros. O interessante é que no meio dos costões é possível conhecer algumas pinturas rupestres. O percurso dura cerca de 3 horas, porém, o visual é deslumbrante. Vale a pena o sacrifício!

Caminho do Rei

Diz a lenda que diversos tesouros foram escondidos na trilha que o Rei D. João VI percorreu quando esteve de passagem pela região. A antiga trilha leva a vários recantos, ainda hoje preservados. Situado na Praia do Rosa, o Caminho do Rei possui cerca de 6 quilômetros e segue até a Praia do Luz. O passeio é extremamente agradável. Durante o caminho há piscinas naturais, entre pedras, cachoeiras e vertentes de água. Também é possível perceber a exuberância da flora, com destaque para as bromélias. No alto do morro pode-se visualizar a Lagoa de Ibiraquera, na direção da serra do mar.

Pedra Branca

Situada na região do Encantada, a trilha que leva à Pedra Branca corta um pedaço preservado de Mata Atlântica, revelando um visual paradisíaco das praias. A caminhada inicia com uma visita à belíssima e histórica serraria, movida por uma roda d’ água. Depois de cerca de 45 minutos de caminhada, é possível alcançar o topo e observar toda a beleza da região, composta de praias, vegetação, animais silvestres e lagoas. Além de caminhar pela trilha, o rapel na Pedra Branca é, sem dúvida, um passeio inesquecível.

Fonte: www.santacatarinaroteiros.com.br

Garopaba

O paraíso do surf é em Garopaba

Do Guarani YGÁ, YGARA, YGARATÁ e MPABA, PABA, Garopaba significa “Lugar de Barco”.

De acordo com o IBGE, possui 13 mil habitantes, que na alta temporada se transformam em quase 100 mil. Os turistas vêm em busca do agito das baladas e das ondas freqüentes em suas praias. O município fica a 100 Km ao sul de Florianópolis e é um dos mais badalados da região.

Praias – Garopaba

Garopaba

Garopaba

Com 1.800 metros de extensão, a praia de Garopaba é a que oferece melhor infra-estrutura da cidade. É, também, a mais urbanizada. Possui boas condições para o Kite surf, Ski e outros esportes aquáticos. Os passeios de banana boat também garantem a diversão dos visitantes.

Silveira

Considerada a 5ª praia com melhores condições de surf do mundo, a praia do Silveira é muito procurada pelos praticantes desse esporte. A Silveira é considerada, também, uma das mais lindas do Brasil e atrai turistas de vários lugares do Brasil e do exterior. A pesca também é praticada no local.

Ferrugem

A praia do Ferrugem recebeu esse nome devido a um canal que a separa da Praia da Barra. Em seu fundo de areia, as águas ficam mais amareladas, cor de ferrugem. Bastante procurada no Carnaval, a Ferrugem oferece uma grande gama de restaurantes com o famoso “Prato Feito”, que pode ser comprado a R$ 6 por pessoa. A hospedagem principal é o aluguel de casas. O surf é o principal esporte praticado na praia.

Surf – Garopaba

Garopaba

As praias mais procuradas para o surf em Garopaba são as praias do Ferrugem e a do Silveira. A Silveira segura ondulações de sul e sudoeste. É de direita com drop difícil e tem sessão rápida e extensa.

A Ferrugem tem ondas fortes e consistentes. A direção do swell é de sul e leste. O melhor vento é sul ou nordeste. A direção é de direita ou esquerda.

Dunas – Garopaba

Garopaba

Uma das atrações para quem visita Garopaba é deslizar nas dunas da Praia do Siriú. Localizada a 9 quilômetros ao norte do centro de Garopaba, seus montes de areia chegam a medir 5 quilômetros de lado e 40 metros de altura. Ao lado da Joaquina, as dunas do Siriú são umas das melhores e mais procuradas para a prática do Sandboard.

Como chegar – Garopaba

O acesso deve ser através da BR 101. A BR dá acesso às rodovias SC-434, ao Sul, que liga Imbituba a Garopaba, e a rodovia GRP 010, que liga Garopaba a Paulo Lopes. O melhor acesso é o Sul, na localidade de Araçatuba, km 273 da BR 101. Neste ponto o condutor deve deixar a BR 101 e ingressar na rodovia SC 434. Este acesso é asfaltado em todo o seu percurso de 15 Km e bem sinalizado.

Aeroporto

O aeroporto mais próximo é o Aeroporto Internacional de Florianópolis, distante 100 km do centro de Garopaba.

Fonte: guiadolitoral.uol.com.br

Garopaba

Garopaba está localizada a 94 Km ao Sul de Florianópolis, capital de Santa Catarina. Com nome indígena em Tupi Guarani, Garopaba significa Lugar de barcos onde ygara = embarcação e paba = lugar.

O município fundado em 1793 , sua colonização é de origem açoriana. As maiores atrações são suas belíssimas praias, muitas lagoas e dunas, um paraíso onde a natureza e a tranquilidade são sua marca registrada. Com ondas fortes e grandes, Garopaba é frequentada por surfistas e amantes da natureza.

Sua infra-estrutura turística é boa, contando com muitas pousadas, centenas de casas para alugar e bons restaurantes com comida boa e barata. No centro de Garopaba pode-se encontrar diversos serviços, lojas, pousadas, lavanderias, imobiliárias, bancos e ótimos restaurantes.

À noite ou de dia, a praia da Ferrugem é o maior agito de Garopaba, com bares e casas noturnas ao longo da rua principal. A lagoa no caminho que leva até a Ferrugem é perfeita para o Windsurf. Nas dunas do Siriú e da praia da Barra, pode-se praticar o sandboard (surf nas areias).

PRAIAS

BARRA

Garopaba

Localizada entre a praia da Ferrugem e a praia do Ouvidor, a Praia da Barra é mais tranquila e reservada, uma ótima opção para curtir uma praia sem muito agito.

No canto Sul há um costão de pedras e grandes dunas com uma bela vista das praias da Barra e Ferrugem. É neste canto também que começa a trilha que leva até a vizinha praia do Ouvidor.

A praia possui pouca infra-estrutura turística, que se resume a algumas pousadas e imóveis para alugar nas imobiliárias locais.

FERRUGEM

Garopaba

A mais badalada das praias de Garopaba, a Ferrugem “ferve” dia e noite. Possui boas opções de hospedagem e vários bares e boates.

A Ferrugem apresenta boas ondas para o surf e uma moçada bonita na areia.

GAMBOA

Localizada 15 Km ao norte do centro, a praia da Gamboa oferece boa estrutura turística, com pousadas, casas para alugar, restaurantes e comércio em geral.

Também é boa para surfar e mergulhar.

OUVIDOR

Garopaba

Localizada entre a Praia Vermelha e a Barra da Ferrugem, a Praia do Ouvidor é um recanto de beleza sem igual. Com águas verdes e areia dura, essa praia é o local ideal para relaxar e ficar longe do agito da região. Freqüentada mais por moradores e pessoas que conhecem o local, essa praia não possui infra-estrutura turistica, somente algumas casas particulares.

O Acesso é feito pela estrada que leva à Praia do Rosa em um caminho de chão batido levando ao canto direito (canto Sul) da praia. Pode-se também acessar a praia por trilha que parte da Barra da Ferrugem e passa por belas dunas e sítios arqueológicos.

A praia tem aproximadamente 750 metros de extensão e em dias de mar agitado possui boas ondas para a prática do surf. No cantos da praia desembocam dois pequenos córrego que completam a beleza rústica do local.

PRAIA DA SILVEIRA

A praia da Silveira é uma das mais belas praias de Garopaba, com um visual primitivo e fantástico, a 2 Km de Garopaba. Não possui nenhuma infra-estrutura turística, contando apenas com um telefone público.

Com vento e ondulação de Sul, Silveira tem as melhores ondas da região e uma das maiores do Brasil.

PRAIA DE GAROPABA

A Praia de Garopaba fica no centro do município,com diversas opções de hospedagem, restaurantes , comércio e é um ótimo local para o fundeio de embarcações.

Praia de ondas fracas boa para esportes aquáticos. No canto Sul fica a Igreja Matriz, um patrimônio de Garopaba.

PRAIA DO SIRIÚ

Garopaba

A Praia do Siriú está localizada 9 Km ao norte do centro e parece um pequeno deserto com enormes dunas.

Suas dunas são famosas por serem boas para o sandboard.

VERMELHA

Garopaba

Localizada entre as praias do Ouvidor e do Rosa, a Vermelha tem aproximadamente 480m de extensão e está dentro de uma área particular com acesso de veículos restringido, porém o acesso de pedestres é liberado.

A praia é muito bonita e rústica, a família Gerdau, dona da área que circunda a praia, construiu algumas residências, mas preservou parte da paisagem e fez um caminho por onde se vai pé até a praia.

Com boas ondas quando a entra a ondulação correta, essa praia é bastante frequentada por surfistas e amantes da natureza. É um passeio interessante para quem curte uma praia mais deserta e reservada. Lembre-se que o local não possui infra-estrutura turística e deve-se respeitar as regras de uso e também não largar lixo no local.

O acesso pode ser feito por trilha que começa no canto esquerdo da Praia do Rosa (Rosa Norte) costeando o morro, ou também por um trilha que parte é cimentada e começa próximo a entrada da praia do Ouvidor.

Fonte: www.guiadepraias.com.br

Garopaba

Praias de Garopaba

Garopaba é uma praia turística privilegiada por sua geografia, que combina a beleza de algumas das praias mais deslumbrantes do Brasil e do mundo – com a exuberância de florescimento da Mata Atlântica. Essa mistura, oferece diferentes cenários encantadores, cativando a todos que chegam na cidade.

Na década de 1970, Garopaba foi “descoberta” pelos hippies de Porto Alegre, atraídos para a área pela atmosfera pacífica e belas praias.

As praias são excelentes e localizadas a uma curta distância ao redor da aldeia.

Há 18 praias na região ao redor de Garopaba, incluindo ao norte Prainha e Guarda do Embaú, Gamboa, Siriú, Garopaba, Preguiça, Silveira, Ferrugem, Barra, Ouvidor, Vermelha e ao sul Rosa, Luz, Ibiraquera, Ribanceira, Dágua, Porto e Vila.

Gamboa

Na fronteira norte da cidade, com um mar suave e forte Gamboa deslumbra a alma por causa de sua beleza natural.

Garopaba

É a praia central da cidade, que é também o mais popular devido à sua localização na baixa e para as suas condições de mar, que são geralmente muito calmo e perfeito para nadar e crianças pequenas.

Siriu

Entre Gamboa e Garopaba é a maior praia da região, Siriu, que é formada por uma faixa de 4 km de areia, totalmente preservada pela duna, terminando em uma pequena barra ligando o rio Siriu até o Oceano Atlântico.

Silveira

Silveira é uma praia de fama internacional, pois passa a ser um dos melhores fundos de pedra (point breaks) do Brasil, tem ondas perfeitas de forma consistente ao longo do ano. Durante a temporada de observação, ela também oferece shows magníficos ao observar as baleias do continente. Palco do WCT anos atrás é a maior onda do Brasil a figurar em um campeonato do circuito de surfe profissional brasileiro em 1988 até os dias de hoje não foi batida n este quesito.

Ferrugem

Perfeitas para o surf, ou vida noturna excelente. Ferrugem é a praia mais popular para a população mais jovem por causa de seus bares e praia lotada. É altamente concentrada, com um grande número de albergues e pequenas pousadas, repletas de atividades, movimento e gente bonita. Para os surfistas é considerada uma das ondas mais constantes do Brasil.

Vigia

É a menor praia. Este é o local escolhido para famílias que procuram um mar calmo e para aqueles que gostam de caminhar ao longo do costão surreal.

Barra

Um ponto bastante residencial, esta praia é separada pela Lagoa Encantada , que quando fechada, cria uma piscina de água morna. Mesmo que o mar possa ser muito forte aqui, ainda pode ser um lugar muito tranqüilo e romântico.

Ouvidor

Com acesso através do Campo D’Una, Ouvidor impressiona turistas por causa de sua preservação. Esta praia é a escolhida por aqueles que procuram um dia em contato com a natureza e o povo local.

Vermelha

Esta praia tem um acesso muito difícil e muito misterioso. Vermelha é um verdadeiro segredo entre o céu, o mar e os limites da sua imaginação.

Rosa

Parte da jurisdição Imbituba, A Praia do Rosa é a mais cosmopolita da região e uma das mais bonitas da região. A Praia do Rosa é o local perfeito para surfar e é escolhida devido à sua natureza encantadora. Com muitas pousadas, pequenos hotéis e restaurantes também oferecem uma vida noturna intensa.

Luz

Separada de Ibiraquera por uma barra de Lagoa, Praia da Luz é um lugar muito calmo, bom para esportes náuticos como windsurf e kitesurf.

Guarda do Embau

Mais ao norte de Gamboa, esta praia também é conhecida como o local dos artistas. Também considerada uma das mais bonitas praias do país e tem boas opções para pequenas pousadas ou albergues. Para os surfistas a boca do Rio da Madre proporciona uma das mais longas e tubulares ondas do Brasil.

Ibiraquera

Da barra com o mesmo nome, até a Praia da Ribanceira é longa e aberta o que é ideal para esportes náuticos. Por possuir dois morros que afunilam o vento nordeste fazendo o famoso efeito Venturi tornando-se conhecida mundialmente por praticantes de Kitesurf e Windsurf inclusive o campeão mundial da modalidade que vive na região quando não esta competindo mundo afora.

Fonte: www.belavistagaropaba.com

Garopaba

Garopaba é conhecida nacionalmente pela beleza de suas praias e por ser rota das baleias-francas que vêm dar à luz e amamentar os filhotes em suas águas, as mais amenas do litoral catarinense. Com uma população estimada 13.000 moradores fixos e recebe mais de 100.000 habitantes durante o verão. O setor do turismo é a primeira maior fonte de renda da cidade. A alta temporada de Garopaba é constituída por turistas que prestigiam a cidade em busca de sossego, tranqüilidade, festas e muita aventura. Além de contar cerca de 160 pousadas e hoteis todas com ótimas infra-estrutura hoteleira que proporcionam variedade no preço e ótimos serviços, além de muito conforto.

Garopaba é uma enseada que se estende da ponta do Faísca ou Gamboa até a Ponta do Ouvidor, banhada a leste pelo Oceano Atlântico, a oeste e norte fazendo limites com o município de Paulo Lopes e ao sul com o de Imbituba. Possui uma área de 111 Km2 de extensão. Situada na região sul do estado de Santa Catarina e distante 79 Km da capital do estado, Florianópolis.

Possui clima mesotérmico úmido, sem estação seca e verão quente, com média anual de 18,3 ºC, mas chegando a atingir temperatura perto dos 40 ºC. No inverno a temperatura pode baixar bastante com media de 10 ºC.

Existem vários rios e lagos em Garopaba são: Rio do Costão da Gamboa, que banha o bairro Gamboa; Rio Siriú, banhando a localidade de Siriú e a Lagoa do Siriú que banha o bairro e a Costa do Macacú; Rio Garopaba, Rio Palhocinha, que desemboca na Lagoa de Garopaba; Rio da Ponte Grande, que banha Encantada e desemboca na Lagoa de Garopaba; Canal do Capão que liga a Lagoa de Garopaba ao Oceano Atlântico. O Rio da Penha que é marco da divisão do município de Garopaba com Paulo Lopes, desembocando no Oceano Atlântico e o Rio Cova Triste que também delimita o território entre Garopaba e Paulo Lopes.

Como Chegar

A cidade de Garopaba está localizada a Sul do Estado, aproximadamente 75km de Florianópolis. O acesso rodoviário é feito pela BR-101 até Imbituba, seguindo pela SC-434 por mais 15km. O aeroporto mais próximo fica em Florianópolis.

História e Cultura

A história de Garopaba teve início em 1666, com a chegada dos primeiros imigrantes açorianos, que se dedicaram principalmente à caça da baleia – que durou até 1800. Em 1846, Manoel Marques Guimarães funda a Freguesia de Garopaba e constrói a Igreja Matriz, a casa paroquial e o cemitério. Redescoberta em 1970 pelos hippies gaúchos e pelos amantes da natureza, a cidade mudou seu perfil tipicamente pesqueiro e agrícola e tornou-se um reduto de surfistas de todo o País.

Atrações Turísticas

Garopaba é um pequeno cabo, onde a Serra do Mar adentra o Oceano Atlântico. Rico em belezas naturais, o município é um dos principais pólos turísticos do sul do Estado, conhecido pela tranqüilidade, pela beleza de suas praias e pelas ondas, ótimas para o surf. Conheça as Lagoas do Siriú e a Encantada. Visite também a Gruta Nossa Senhora de Lourdes e a Igreja Matriz de São Joaquim, construída sobre uma pedra, em uma colina, há mais de 150 anos.

A natureza engalanou Garopaba com as mais belas praias do litoral catarinense. Descoberta pelos praticantes de surf, as suas ondas espectaculares atraem turistas de todas as partes do País que enchem as suas charmosas estalagens e os bons hotéis principalmente no verão.

Enfeitando o cenário, lagoas, montanhas, rios e costões emergem por todos os lados. De Julho a Novembro, o litoral de Garopaba recebe a visita das baleias Francas (Eubalena australis). Estes imensos mamíferos chegam à procura de águas mais rasas e quentes para amamentar os seus filhotes.

Garopaba possui praias com areias claras e limpas que vão de mar manso à praias reconhecidas internacionalmente para a prática do Surf. Garopaba tem boa infra-estrutura hoteleira, gastronômica e turística, especialmente nas praias da Barra, de Gamboa e do Silveira.

PRAIAS

Praia de Garopaba

Excelente para todo tipo de esportes aquáticos, com barracões de pesca e barcos coloridos, verdadeiro cartão-postal da cidade. A Igreja Matriz, construída em cima de uma pedra e a vila dos pescadores, resistem ao tempo preservando a história da região.

Praia do Siriú

Vizinha ao sul da praia da Gamboa, foi há alguns anos incorporada ao Parque Nacional da Serra do Tabuleiro, região delimitada da praia do Siriú até o Morro dos Cavalos, considerada área de preservação permanente. Tal motivo, garante as características naturais da praia, com formação em triângulo de enormes e lindas dunas em torno de 5 km de lado. Ao norte da praia desemboca o Rio Siriú, continuidade da Lagoa do Macacú, onde procriam-se camarões e peixes diversos.

Praia da Gamboa

Fica no extremo norte, com difícil acesso. Distante a 15 km do centro, está atrás de morros e montanhas. A estrada pela serra é belíssima possibilitando avistar toda a praia e a vegetação nativa. Abriga uma comunidade caiçara bem hospitaleira que se dedica a pesca. Atraiem cada vez mais pessoas que buscam desfrutar de sossego em um local calmo e tranqüilo.

Praia da Preguiça

É um recanto pequeno e calmo, localizado ao final da praia de Garopaba. A Vigia, é um bairro estritamente residencial, formado por casas de arquitetura moderna, que contrastam com as deslumbrantes paisagem oferecidas pela beleza local . Lá também, encontramos a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes, refugio indispensável de se conhecer ao visitar Garopaba.

Praia do Silveira

Distante 2km do centro, possui um costão ideal para pesca e mergulho, além de inúmeras piscinas naturais que se formam nas rochas com água do mar, em dias de vento sul, tem as melhores ondas da região e as maiores da costa brasileira. É classificada como uma das mais bonitas e limpas do País

Praia do Ferrugem

Considerado o paraíso dos surfistas e recanto de belas mulheres, a Ferrugem explodiu em crescimento nos últimos anos, é a segunda em crescimento no município. Localizada a 5 km do centro de Garopaba, possui belas paisagens, que contrastam com as modernas casas dos turistas e as rústicas moradias dos nativos. A Ferrugem é uma praia de descanso de dia, e badalação a noite. Com ondas perfeitas e águas de cor esverdeada clara, a Ferrugem tem ainda um canal que a separa da praia da Barra.

Em dias em que o fundo está mais cheio de areia, as águas do canal ficam mais amareladas, com uma cor ferruginosa, daí o nome, Praia da Ferrugem. O por do sol na lagoa é um espetáculo imperdível que deve ser apreciado.

No local existe um sambaqui na beira da praia, localizado à esquerda do canal, também é um local interessante. Trata-se de um morro que foi cemitério dos índios da tribo Carijós, na época da colonização do litoral.

Praia da Barra

Fica entre Ferrugem e Ouvidor. Separada da Ferrugem por um pequeno morro e pelo desemboco da Lagoa da Encantada ou Lagoa de Garopaba. Mar aberto, com forte correnteza e formação de ondas de médio porte, própria para o surf. Possui uma extensão de aproximadamente 800 metros.

Praia do Ouvidor

Situada a 12 km ao sul do centro de Garopaba, com suas areias claras, dunas e costões que formam sua paisagem. São apenas 800m de praia, cercada por pinheiros, dunas e muito verde. É de cenário rústico e rara beleza, acesso se dá por uma estrada de chão batido, entre coqueiros e mata virgem. Do alto das dunas dá para avista-se toda a extensão da praia.

Ecoturismo e Natureza

Área de Proteção Ambiental da Baleia-Franca

Em Garopaba está localizada à Área de Proteção Ambiental da Baleia-Franca, onde a geografia da costa e a transparência da água transformam o litoral do Estado, especialmente Garopaba, num dos melhores lugares no mundo para a observação desses gigantes marinhos que visitam nosso litoral para se reproduzirem. Todos os anos elas vêm do Pólo Sul para parir e amamentar seus filhotes nas águas mais amenas do litoral catarinense.

Parque Estadual da Serra do Tabuleiro

É a maior unidade de conservação no estado de Santa Catarina, com uma extensão de 87.405 hectares e abrange áreas de nove municípios entre eles Garopaba. A maior parte do Parque está coberta pela Floresta Atlântica possuindo áreas de restinga.

Fonte: www.brasilturismo.com

Garopaba

Município de colonização açoriana que recebe turistas vindos de todo o Brasil e do exterior, um paraíso a beira mar com belíssimas praias de águas cristalinas e areias brancas com grandes dunas e belas lagoas. Agitadas noites na praia da Ferrugem e na vizinha Praia do Rosa, dão um ar de descontração às férias dos visitantes.

Reconhecido internacionalmente como a capital do surfe, Garopaba é um lugar de gente bonita que oferece opções de mergulho, pesca e vários esportes como o sandboard.

Com excelente infra-estrutura de hospedagem e comércio diversificado, vem se transformando em um dos principais pólos turísticos do estado e do país, ano a ano o município vem crescendo, mas sem perder suas características e belezas naturais. As praias do Siriú que são de fácil acesso, e do Ouvidor, são cercadas por muitas dunas onde a prática de esportes na areia é favorecida. Na praia da ferrugem as ondas são perfeitas e as águas têm cor esverdeada, em suas areias circulam no verão belas garotas e muita gente jovem, é a praia mais badalada de Garopaba com boas opções de hospedagem, vários bares e boates.

Na Praia do Rosa a infra-estrutura hoteleira e gastronômica é invejável, uma baía que de tão linda virou até selo dos correios; nessa praia é possível desfrutar momentos de lazer inesquecíveis. A qualidade das ondas no Rosa atrai muitos surfistas nacionais e estrangeiros, com isso também aumentaram a quantidade de barzinhos, pousadas e lojas; é uma das melhores praias do Brasil.

Garopaba recebe anualmente a visita das famosas Baleias Francas, sempre no período que vai de julho a novembro, algumas com até 15 metros de comprimento e 40 toneladas. Elas vêm para o litoral catarinense em busca de águas quentes para procriarem e amamentar seus filhotes. Na região sul do litoral catarinense foi criada a Área de Proteção Ambiental da Baleia Franca (APA), que tem como objetivo, proteger essas baleias.

O município de Garopaba continua crescendo em infra-estrutura, bom atendimento, cultura, lazer, turismo e variedades. Oferece muita natureza, lindas paisagens, boas praias, aventura e baladas. Só quem visita pessoalmente pode conferir e sentir o aconchego de um povo atencioso e hospitaleiro que ainda conserva os traços de seus antepassados vindos dos Açores.

História

Conta-se que em 1525 uma expedição naval espanhola, comandada por Dom Henrico de Acuña, que se dirigia às Molucas, passando pelo estreito de Fernão de Magalhães, foi obrigada a se refugiar na Baía de Garopaba, fugindo de um temporal. Os expedicionários encontraram ali a tribo Carijó, que vivia da pesca, da caça e de produção de verduras e raízes. Todavia somente em 1666 começaram a instalar-se em Garopaba os primeiros imigrantes açorianos. Foi no século XVII que se intensificou a imigração.

Em 1793 foi criada a Armação de São Joaquim de Garopaba, que durou até 1846, quando a localidade foi elevada à categoria de Freguesia. Na época, o produto grandemente procurado era o óleo das baleias que eram pescadas na região. Esse óleo servia para a iluminação pública, e era misturado à argamassa, fazendo o papel de cimento, que ainda não existia.

Em 1864 assumiu a paróquia o padre italiano Rafael Faraco, homem dinâmico e atuante que, com seu trabalho, deu um impulso à vila dos pescadores, obtendo, graças a seu esforço, a condição de município para Garopaba, fato ocorrido no dia 6 de março de 1890. Garopaba continuou a ser uma vila de pescadores até recentemente, quando foi descoberta, primeiro por campistas, que no verão armavam suas barracas à beira do mar, e depois pelos surfistas, em razão de suas praias, excelentes para o surf.

Nos últimos anos Garopaba vem sendo descoberta por turistas, entre eles os estrangeiros, entretanto, a maior parte dos veranistas ainda é de gaúchos, que fizeram de Garopaba a opção para suas férias.

O nome “Garopaba” é indígena. Significa, em Guarani, língua local YGÁ, YGARA, YGARATÁ, ou seja, barco, embarcação, canoa. E MPABA, PABA significam estância, paradeiro, lugar, enseada. Assim Garopaba significa Enseada das Canoas, ou Enseada dos Barcos. O nome se relaciona com a origem de Garopaba, onde a enseada era um seguro ancoradouro para embarcações.

As novas construções mudaram a aparência de Garopaba, tornando-a mais apresentável e voltada ao atendimento do turista tanto em alta como em baixa temporada. Os tempos mudaram, porém a cordialidade do povo garopabense continua a mesma, baseada na sua cultura, religião e sua forte relação com o mar, seja através da pesca artesanal ou da relação com o surf e o turismo.

Fonte: www.litoraldesantacatarina.com

Garopaba

Emoldurando o cenário,  belas praias,  lagoas, cachoeiras,  montanhas, matas, rios e costões emergem por todos os lados.

O município apresenta grande variedade de sítios arqueológicos na faixa litorânea, entre os quais: sambaquis, oficinas líticas e inscrições rupestres, riquezas culturais e históricas.

Garopaba significa, enseada de barcos, do descanso ou ainda o lugar abençoado. Nos anos 1970, com a chegada dos primeiros hippies e surfistas inicia-se a transformação da pequena cidade pesqueira em atrativo ponto turístico.

A pesca artesanal é praticada ainda hoje pelos pescadores da região, quem tem a oportunidade de observar e participar dessa pratica milenar, volta para casa com muitas histórias de pescadores.

A temporada da pesca da tainha inicia-se dia 15 de Maio e estende-se até 15 de Julho, confira.

Os esportes praticados são, kitesurf, windsurf, vôo livre, mergulho, surf e caminhadas.

Garopaba
Garopaba – 1970

Passeios Ecológicos

Trilha Vigía Silveira

Partindo da Praia da Preguiça (através das pedras do costão em Garopaba) depois de uma caminhada puxada de quase uma hora encontram-se as piscinas naturais formadas, na rochas, pelas ondas do mar. São ideais para mergulho com snorkel.A volta pode ser pela Praia da Silveira (+ 1,5 horas).

Trilha da Pedra Branca

Na primeira entrada para o morro, logo após a Ponte da Encantada, chega-se a uma das últimas serrarias construídas totalmente em madeira, movidas a água. Venha e visite este cantinho da história do Município. Neste local tem-se acesso à trilha da Pedra Branca (subida de 2 horas com final puxado, não recomendável para crianças), onde se poderá praticar rapel. A vista do alto do morro é fantástica, podendo-se enxergar quase todas as praias da orla marítima. Imperdível!!!

Piscina Natural da Encantada

No km 7 da Rod. SC 434 (entrando para o morro) existe um local bonito e sossegado para ficar em contato com a natureza e uma enorme diversidade de plantas e flores nativas. Na cachoeira nasce o Rio Linhares que desemboca na Lagoa de Garopaba.

Cachoeira do Siriú

A 9 km do centro de Garopaba, via Siriú, em meio de uma exuberante mata nativa encontra-se a cachoeira do Siriú. No local pode-se mergulhar e tomar banho. Um bar e restaurante que oferece frutos do mar, funciona na temporada de verão.

Cachoeira do Macacú

Costa do Macacú: visite um dos pontos mais preservados da região. A vista da lagoa é maravilhosa. Não perca a oportunidade e visite a antiga Igreja de Macacú e a de Pedra. Ideal para tomar banho na cachoeira, pescar na lagoa e curtir o dia inteiro. (7 km ao norte de Garopaba, via Siriú)

Dunas do Siriú

A 2 km dos Morrinhos (norte de Garopaba) viva o agito do Sand Board (Surf de Areia). As dunas chegam a medir até 30 metros de altura. Não esqueça de levar a sua máquina fotográfica.

CULTURA

Mares de Garopaba

A magia que flui por aqui está presente em todos os mares de Garopaba.

Muitos já descobriram isto há mais de quarenta anos e cansando de sempre voltar começaram a cada vez mais a ficar. Para somar vidas aos seus dias. Sou um destes felizardos.

Mais gente veio para começar ou refazer sua vida profissional por aqui. Muitos nativos, fazendo o que sabiam, com espírito empreendedor imaginaram o futuro a frente são agora fortes empresários. Hoje dão vida econômica à região.

Os mares são mais de dez por aqui. Gamboa, Siriú, Central, Preguiça, Silveira, Ferrugem, Barra, Ouvidor. Vermelha, Luz, Rosa, Ibiraquera já estão em Imbituba mas fazem parte da “Grande Garopaba”.

Cada um destes mares tem características próprias e cada um tem como “plus” o “canto norte” ou o “canto sul”. Você escolhe. Tem mar para todos os gostos e prazeres. Com sol para os veranistas, tem ventos formando ondas de tamanhos e humores variados para os surfistas e mar qual grandes piscinas para as crianças e tranqüilidade dos pais. Muitos destes mares têm água doce logo ali ao lado e de tempos em tempos barras se abrem liberando as lagoas internas cheias que se esvaziam no grande mar.

Por onde se olhe os morros estão logo ali contornando as baías e proporcionando locais fantásticos para as casas e pousadas que surgem. Cada local, cada situação é diferente da outra. Difícil comparar e até injusto fazê-lo. Também os pescadores artesanais são presença constante fornecendo imagens inusitadas aos olhares sensíveis. Gaivotas e albatrozes são presença constantes, dando vida aos céus.

Até as baleias descobriram que são totalmente bem vindas depois de séculos de matança. Hoje aqui voltam para parir, novamente acasalar e cuidar de seus filhotes. Sua visão diretamente das praias é privilégio de quem aqui mora ou quem pra cá vem no fim do inverno e começo da primavera.

Garopaba tem seres humanos por aqui há mais de quatrocentos anos. Hoje apesar da rapidez com que se desenvolve, orgulhosamente tem inúmeros locais, matas, dunas e praias totalmente preservadas e protegidas. Junto com isto o orgulho de descendentes de uma cultura além mar que está sendo cultivada e preservada. Festas Populares e Religiosas feitas pelo povo e para o povo são motivo de satisfação e prazer também para os que como eu amam e adotaram a cidade até no nome.

A magia desta região está presente em todos locais e hoje já quase no fim da primeira década do século vinte e um Garopaba está revelando mistérios que zelosamente escondia. Talvez sabiamente esperando quem soubesse valorizar o que mais ainda tem a revelar.

Garopaba, um pedacinho do paraíso

Conheci Garopaba em 1967, a serviço do governo do Estado de Santa Catarina, para fotografar as obras públicas.

Tinha 40 anos, era 1º sargento de comunicações do Exército em Porto Alegre, e havia regressado do Canal de Suez, onde integrei o Batalhão de Suez das Tropas de Paz da ONU na Faixa de Gaza (Palestina). Como estava em férias, aceitei o convite. Na época o acesso pela SC-434 não existia – era uma estrada de chão batido – e a viagem pela BR-101, a partir de Torres, era feita através de estradas secundárias, o que demandava muitas horas no volante. Cheguei aqui para fotografar a sede da Colônia de Pescadores. E, ao ver a beleza do mar e a garotada jogando bola na beira da praia ao entardecer, me apaixonei… Foi amor à primeira vista.

Desde então, eu e minha família passamos as férias seguintes aqui, até que me reformei do exército e eu e a Théca viemos morar definitivamente, há mais de vinte anos. As horas exaustivas de viagem pela BR 101 eram compensadas pela expectativa de ver as belezas intocadas de Garopaba e o bem receber de sua gente simples e amiga.

Naquela época, o carro era abastecido na bomba de gasolina manual de Iris Lobo, dono do único hotel da cidade que devia ter uns 9 mil habitantes em todo o município. Tudo era muito simples, e poucas casas tinham luz elétrica e água encanada. A praia era uma beleza e muito segura para os nossos quatro filhos que adoravam passar as férias aqui. A água era espetacular e caminhar nas dunas e pescar no Macacu era muito divertido. Os nativos nos olhavam com curiosidade.

Garopaba vivia praticamente em torno do Centro Histórico. O Armazém do Cunha tinha de tudo, era muito típico e também havia o Bar do Lucas, o único a vender sorvetes. A pescaria era abundante, mas havia pouco dinheiro circulando na cidade, e a troca era uma prática comum. Trocava-se peixe por farinha, leite, bananas… Na zona rural, as plantações de mandioca, feijão e criação de gado.As casas eram simples, os telhados feitos de barro, sem forro, e as cortinas substituíam as portas internas. Quase não havia aparelhos de TV, alguns tinham rádio, e o fogão era à lenha. Fiz muitas fotos que foram publicadas no Correio do Povo e Folha da Tarde, ilustrando os textos do jornalista Ribeiro Pires. Especialmente os gaúchos e leopoldenses vieram para cá por conta das reportagens publicadas na imprensa gaúcha. Os hippies só chegaram depois.

Apesar da simplicidade, os nativos não viviam em desconforto: pela manhã, tarrafeavam o peixe que alimentava a família e assim iam levando a vida neste paraíso intocado dos anos 60.

Pesca Artesanal

A pesca é considerada a atividade tradicional do litoral catarinense, praticada tanto pelos índios carijós como pela comunidade açoriana. A extração do pescado, após a época de caça à Baleia Franca, ganhou maior importância até o inicio dos anos 70 em que Garopaba começou vagarosamente a evoluir como a potência turística que é hoje.

PRAIAS

Praia da Gamboa

A Gamboa é a praia mais distante de Garopaba, situada à 16 km ao norte do centro da cidade. Suas condições permitem a prática de surf, pesca, mergulho e trekking. Para chegar na praia da Gamboa deve-se subir ao pico mais alto da região (500 metros), podendo ser observada lá de cima a Ilha de Santa Catarina. Passeio ideal para tirar fotografias.

Praia do Siriú

A praia do Siriú está localizada à 9 km ao norte de Garopaba. Solitária e virgem, rodeada por dunas de até 40 metros de altura, permitindo assim a prática de Surf de areia.

A praia do Siriú oferece várias opções de lazer, como cachoeiras, engenhos de farinha, alambique, etc.

Praia de Garopaba

Praia sede do Município, ideal para família, e excelente para prática de esportes aquáticos. Igreja Matriz, Centro Comercial, restaurantes, bares, casas para alugar, hotéis, central telefônica e Posto de Saúde.

Praia do Silveira

Sinônimo de belas paisagens, preservação ecológica e gente bonita, a Praia do Silveira, com seu leito de pedra, é considerado o “point” mais procurado pelos amantes do surf e da natureza.

Praia da Ferrugem

Bares lotados, restaurantes repletos, gente nas ruas, discotecas reunindo a gente jovem, música e alegria.

Assim é a noite da Ferrugem, contrastando com as aprazíveis e belas paisagens que a natureza oferece por lá, durante as horas em que o sol reina, e a praia ferve com a presença de surfistas e gente bonita.

Praia da Barra

A praia da Barra está localizada a 10 km ao sul de Garopaba sendo possível banhos de mar e lagoa distando uma da outra poucos metros.

É separada da praia da Ferrugem pelo Sambaqui do Capão onde podem-se encontrar vestígios da vida dos indios que ali habitavam.

Praia do Ouvidor

A Praia do Ouvidor está localizada a 14 km ao sul de Garopaba. Para chegar até lá, tome a Rod. SC 434 até Campo D’Una, entrando pela mesma estrada que chega até a Praia do Rosa.

Uma pequena e encantadora igreja, rodeada de dunas, o aguarda no meio do caminho, antecipando as belezas que você encon trará na praia. Mede cerca de 1000 metros e está margeada por pinheiros e costões.

Praia do Rosa

Alguns dizem que aqui se chama Praia do Rosa pelo colorido característico do nosso entardecer… Na realidade o batismo se deve à figura do seu Dorvino Manoel da Rosa pescador nativo que abrigou, de maneira carinhosa e hospitaleira, os surfistas que descobriram esta praia nos anos 70. Numa época em que se chegava a pé, não havia estrada, as casas eram iluminadas à lamparina e ninguém imaginava ainda que este lugar se transformaria no que é hoje. Uma praia única e fascinante, encantadora em suas belezas naturais, povo acolhedor, pousadas charmosas e gastronomia requintada. Um lugar que guarda ainda suas raízes nativas e, ao mesmo tempo, recebe com conforto turistas do mundo inteiro.

A Praia do Rosa é a única baia brasileira a figurar no seleto Club Les Plus Belles Baies du Monde, ONG francesa que conta com a chancela da UNESCO.

Fundado há mais de dez anos, o Clube (www.world-bays.com) tem como finalidade contribuir para o desenvolvimento turístico, econômico e social sustentável através da troca de experiências entre seus participantes.

Fonte: www.guiagaropaba.com.br

Garopaba

Um dos destinos mais concorridos do litoral catarinense quando o verão chega para valer, Garopaba oferece de tudo um pouco, reunindo os variados estilos de turistas. Por lá, as famílias encontram infraestrutura e serviços essenciais que garantem conforto e comodidade, enquanto os surfistas deliram com as excelentes ondas da selvagem praia do Silveira. Já a turma jovem marca presença na praia da Ferrugem – bonita e badalada, reúne dunas, mar cristalino, bares e quiosques que lotam dia e noite. Nem mesmo o acesso precário por ruas de terra desanima a galera.

“Praia da Ferrugem tem dunas, mar cristalino, jovens e muito agito”

A antiga vila de pescadores, descoberta pelos hippies e surfistas nos anos 70, deixou boa parte do bucolismo para trás, mas preserva ainda algumas ruas de chão batido, a pitoresca igrejinha branca na orla da praia central – sempre tomada por coloridos barquinhos – e o ambiente rústico da praia do Ouvidor.

Também intactas estão as gigantescas dunas de Siriú – um deleite para os adeptos do sandboard -, e as trilhas que conduzem a mirantes naturais emoldurados por cenários intocados. Um dos caminhos, com seis horas de duração, leva à charmosa Praia do Rosa, escolhida pelas baleias-francas para procriar e amamentar seus filhotes entre os meses de junho e novembro.

Garopaba
À Beira-Mar: Casario colonial confere charme ao cenário

O estilo do mundo do surf predomina no comércio de Garopaba. Palco de campeonatos nacionais e internacionais, a cidade conta com diversas casas especializadas em sucos, produtos naturais, pranchas e acessórios, além de uma imensa loja da grife Mormaii, referência quando o assunto é o esporte das pranchas. Quem não faz parte da tribo, encanta-se com os tapetes artesanais produzidos na região ou, ainda, com os objetos de decoração importados da Indonésia.

NAS REDONDEZAS DE GAROPABA/FERRUGEM

Partindo de Garopaba em direção à Florianópolis, belos cenários marcam a paisagem. A primeira parada – Praia do Rosa – exige um delicioso desvio de 23 quilômetros e merece uma esticada, afinal, não dá para curtir o charme e a boa gastronomia da região em apenas um dia. Chegando à capital, dá-lhe agito 24 horas na beira das praias e da lagoa, sem contar os atrativos culturais.

AS PRAIAS DE GAROPABA/FERRUGEM

Os cenários são todos encantadores, mas cada praia guarda um trunfo para atrair os visitantes. Ferrugem é destino certo para quem quer paquerar e badalar, enquanto Silveira oferece as melhores ondas do Sul do país; e Siriú reúne dunas perfeitas para a prática de sandboard. Já quem viaja com os pequenos encontra infraestrutura e águas calmas na praia de Garopaba. Caso o intuito seja apenas relaxar e apreciar a paisagem, siga para as praias do Vigia ou do Ouvidor.

PRAIA DA FERRUGEM

Com mar cristalino, dunas, ondas fortes de um lado e piscinas naturais de outro, a praia da Ferrugem é uma das mais bonitas e badaladas de Garopaba.

O agito maior fica no canto esquerdo, com bares e ponto de encontro da turma jovem e do surf. Na alta temporada, é concorrida também à noite, com movimento intenso nos estabelecimentos que se espalham pelas ruas de terra. Fica a oito quilômetros do Centro.

PRAIA DO OUVIDOR

Garopaba

Acessível por trilha, a selvagem praia do Ouvidor é apreciada antes mesmo de se chegar à areia – de um mirante natural é possível observar as águas azuis e as areias claras emolduradas por mata nativa, coqueirais, pedras e dunas. Sem infra-estrutura e de mar calmo, é procurada para descanso e prática de canoagem. Fica a 17 quilômetros do Centro.

PRAIA DO SILVEIRA

Garopaba

Considerada uma das melhores praias do país para a prática do surf, Silveira é palco constante de campeonatos nacionais e internacionais. O público é formado exclusivamente por surfistas, que lá encontram um belíssimo e selvagem cenário formado por ondas muito fortes, vegetação rasteira e enormes costões de pedra.

Fica a três quilômetros do Centro.

PRAIA DO SIRIÚ

Garopaba

As dunas que chegam a 40 metros fazem da bonita praia de Siriú a preferida dos adeptos do sandboard. Nos arredores, uma lagoa de água doce proporciona deliciosos banhos depois do surf na areia. Fica a dez quilômetros do Centro.

GAROPABA

Garopaba

Urbana, a praia de Garopaba tem mar calmo e boa infraestrutura, sendo procurada por famílias e adeptos da caminhada, que encontram areia batida e ideal para a atividade. Na alta temporada, é cenário de passeios a pé e de bicicleta no final do dia.

GAMBOA

Garopaba

Sossegada e com boas ondas, a praia da Gamboa é frequentada por surfistas e pescadores que vivem em uma comunidade ali instalada. Indicada para quem quer descansar, é acessível por estrada de terra. Fica a 16 quilômetros do Centro.

PRAIA DA BARRA

Garopaba

Separada da Ferrugem por um canal, a praia da Barra é isolada e calma, perfeita para quem quer descansar. Fica a nove quilômetros do Centro.

VIGIA

Garopaba

Pequena e com formato de ferradura, a bonita praia do Vigia fica em área residencial. É uma das mais tranquilas da cidade, a um quilômetros do Centro.

Fonte: www.feriasbrasil.com.br

Garopaba

A História de Garopaba inicia-se no descobrimento do Brasil. Pois no ano de 1525 a “Baia de Garopaba” serviu como abrigo à expedição naval da Cidade de Corunã, que a utilizou para fugir de um temporal.

Aqui vivia o índio Carijó, da tribo Guaranis. Homem simples e de caráter pacífico. Alimentava-se da caça, da pesca e dos produtos naturais da terra, como a farinha de mandioca, utilizada até os dias de hoje.

O primeiro povoado só surgiu em 1666, formado de imigrantes açorianos.

Foram os tupi-guaranis os primeiros habitantes de Garopaba; que deram o nome à cidade.

Este nome vem grafado “gahopapaba” na carta Turin, em 1523, ou assim: ygá, upaba, guarupeba. Que significa a enseada de barcos , do descanso ou ainda o lugar abençoado.

A verdadeira definição está no Guarani, a língua local: ygá, ygara, ygarata; significa arco, embarcação, canoa mpaba, paba é estância, lugar, enseada.

Os açorianos desembarcaram em Garopaba enviados pelo Império Português, procedentes a maioria da 3ª Ilha dos Açores. Em 1793, foi criada a Armação de São Joaquim de Garopaba. No ano de 1830 é levada à Freguesia. A Paróquia foi criada por decreto do Governo Imperial, porém sua instalação oficial ocorreu no ano de 1846. Em 1890, com trabalho de mobilização da Freguesia, Garopaba é elevada a Vila, com decreto do Governador Lauro Severino Muller. No dia 08 de Abril do mesmo ano, o Governador nomeia os membros do Conselho da Intendência que dirigira o Município. A instalação só ocorreu no dia 07 de Junho de 1890. A guarda Municipal é criada em 1896.

Em Outubro de 1906 passa a fazer parte da Comarca de Palhoça. Em 1923, perde a condição de Município, passando a integrar o Município de Imbituba, pertencendo à Comarca de Laguna. Em 1930 Garopaba passa à Distrito de Palhoça. No ano de 1961, volta a condição de Município, sendo fundada em 19 de Dezembro de 1961, através da Lei nº 798/61.

No ano de 1846 a freguesia de Garopaba foi criada por Manoel Marques Guimarães. Na época, a Assembléia da Província permitiu que fosse construída uma Igreja Matriz juntamente com um Cemitério, e uma Casa Paroquial, tudo para dar início à uma comunidade.

Com uma área de 70 quilômetros quadrados, esta localidade recebeu o nome indígena de Garopaba, que significa “grande quantidade de água, peixes e morros”.

Colonizada por açorianos, os novos aventureiros descobriram Garopaba na década de 70 e aos poucos, ela foi tornando-se um centro turístico.

Hoje, Garopaba possui a maior indústria de roupas de neoprene, próprias para o surfe e o mergulho; a Mormaii. Apesar da decadência da pesca artesanal, a cidade que fica a 84 quilômetros do sul de Florianópolis é muito movimentada no período do natal ao carnaval, além de ser ideal para quem busca um pouco da natureza em meio à vida agitada das grandes cidades.

As principais atividades econômicas do Município são respectivamente: o turismo – a cidade recebe aproximadamente 140 mil turistas na temporada (Dezembro-Fevereiro), a construção civil, a pesca artesanal (principalmente, a pesca da tainha e da anchova), os serviços públicos (aqui representados pela própria prefeitura) e a agricultura de subsistência. Evidencia-se, também, a pecuária e o comércio, além de indústrias de confecções, sendo a mais importante a Mormaii, indústria de renome internacional que gera muitos empregos na cidade.

O desemprego acentua-se na baixa temporada e nas entressafras da pesca da tainha e da anchova.Segundo alguns estudos, somente 23% da população de Garopaba possuem vínculo empregatício, enquanto que 77% exercem sua profissão autonomamente ou está desempregado.

Fonte: www.educantur.com.br

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.