Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu – Paraná – PR

PUBLICIDADE

História

A 15 de julho de 1888, chegava ao oeste paranaense a comissão encarregada pelo Governo brasileiro de tomar posse definitiva da região lindeira entre as Sete Quedas e a foz do Iguaçu. Era a região, à época, habitada principalmente por grupos de índios caigangues e guaranis, constando já residirem ali desde 1881, dois civilizados que faziam comércio com os silvícolas, o brasileiro Pedro Marques da Silva e o espanhol Manuel Gonzales.

O ponto de partida para o povoamento foi a instalação, a 23 de novembro de 1889, na margem do rio Paraná, a seis quilômetros do Foz do Iguaçu, de uma colônia militar dirigida pelo engenheiro militar José Joaquim Firmino, ao qual se deveu a abertura, quando na chefia de uma unidade do Exército, de uma picada de 60 léguas através da selva. Antes de findar o ano de 1889 já se encontrava no local 188 paraguaios, 93 brasileiros, 33 argentinos, 5 franceses, 2 uruguaios, 2 espanhois e 1 inglês, no total de 324 pessoas.

Região encravada em plena mata, foi lenta a sua evolução econômica e demográfica, em virtude, sobretudo, do longo trajeto a percorrer para atingir Guarapuava e outros centros mais adiantados. Somente quando se intensificou a colonização européia no Estado do Paraná para ali afluíram novos moradores, em maioria colonos italianos e alemães que se dedicaram a extração de madeiras e cultivo de erva-mate.

Nas colônias de Santa Helena e Sol de Maio surgidas a essa altura, encontravam-se inúmeros descendentes de estrangeiros originários do Rio Grande do Sul. Em outra. Localidade, a colônia inglesa, registrava-se a presença de ingleses, italianos, alemães, e seus descendentes.

Em 1905, chegava a Iguaçu a linha telegráfica, como remate de um trabalho iniciado anos antes. Emancipada a colônia Militar, em 1912, passou a localidade à administração das autoridades de Guarapuava, situação que se manteve até 1914, quando foi elevada à categoria de vila, com território desmembrado daquele município. Em 1917, verificou-se a elevação da vila a cidade.

Iguaçu é topônimo indígena, podendo ser decomposto, na forma, original, em ig (água) e açu (grande), donde, por acréscimo de uma vogal, a atual denominação. Seus habitantes são designados usualmente pelo gentílico iguaçuenses.

Localizado na conjunção dos rios Paraná e Iguaçu, nos limites com duas repúblicas irmãs- Paraguai e Argentina – desempenha Foz do Iguaçu papel de relevo na interligação comercial com aqueles países e na política de boa vizinhança continental.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Iguassu, pela lei estadual lei estadual nº 971, de 09-04-1910, subordinado ao município de guarapuava.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Iguassu figura no município de Guarapuava.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Iguassu, pela lei estadual nº 1383, de 14-03-1914, desmembrado de Guarapuava. Sede da antiga colônia de foz de Iguassu. Constituído do distrito sede. Instalado em 10-06-1914.

Elevado à condição de cidade, com a denominação de Foz do Iguaçu, pela lei estadual nº 1658, de 03-03-1917.

Nos quadros de apuração do recenseamento geral de I-IX-1920, o município é constituído de 3 distritos. Foz do Iguassu, Artaza e Guaíra.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído do distrito sede.

Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído de 2 distritos: Foz do Iguaçu e Guaíra.

Pelo decreto-lei estadual nº 7573, de 20-10-1938, o distrito de Guaíra foi extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de foz do Iguaçu.

Sob a mesma lei é criado o distrito de Cascavel.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Foz do Iguaçu e Cascavel.

Pelo ato das disposições Constitucionais Transitórias Promulgada a 18-09-1946 (art. 8º), foi extinto o território do Iguaçu, sendo que pelo decreto-lei estadual do Paraná nº 533, de 21-11-1946, foram restabelecidos o município e comarca de Foz do Iguaçu nêsse Estado, com organização administrativa e judiciária ao tempo de sua incorporação ao extinto território do Iguaçu.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 2 distritos: Foz do Iguaçu e Cascavel.

Pela lei estadual nº 790, de 14-11-1951, desmembra do município Foz do Iguaçu o distrito de Cascavel. Elevado à categoria de município.

Pela lei municipal nº 99, de 31-07-1953, foram criados os distritos de Gaúcha (ex-povoado de São Miguel do Iguaçu) e Matelândia, ambos anexados ao município de Foz do Iguaçu.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 3 distritos: Foz do Iguaçu, Gaúcha e Matelândia.

Pela lei estadual nº 355, de 06-09-1958, é criado o distrito de Medianeira e anexado ao município de Foz do Iguaçu.

Pela lei municipal nº 230, de 29-10-1959, foram criados os distritos de Céu Azul e Santa Terezinha e anexados ao município de Foz do Iguaçu.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 6 distritos: Foz do Iguaçu, Céu Azul, Gaúcha, Matelândia, Medianeira e Santa Terezinha.

Pela lei estadual nº 4245, de 25-07-1960, desmembra do município de Foz do Iguaçu, os distritos de Matelândia e Medianeira, elevando-os à categoria de município, pela mesma lei acima ciatada desmembra o distrito de Céu Azul, para constituir o novo município de Medianeira.

Pela lei estadual nº 4338, de 25-01-1961, desmembra do município de Foz do Iguaçu, o distrito de São Miguel do Iguaçu (ex-Gaúcha). Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 31-12-1963, o município é constituído de 3distritos: Foz do Iguaçu, Céu e Santa Terezinha.

Pela lei municipal nº 431, de 01-01-1965, é criado o distrito de Alvorada do Iguaçu e anexado ao município de Foz de Iguaçu.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído de 3 distritos: Foz de Iguaçu, Alvorada de Iguaçu e Santa Terezinha.

Pela lei estadual nº 7572, de 03-05-1982, desmembra do município de Foz de Iguaçu o distrito de Santa Terezinha. Elevado à categoria do município.

Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído de 2 distritos: Foz de Iguaçu e Alvorada de Iguaçu.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal

Iguaçu para Foz do Iguaçu, alterado pela lei estadual nº 1658, de 03-03-1917.

Fonte: biblioteca.ibge.gov.br

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu é um dos destinos mais procurados por turistas de todas as partes por um simples motivo: possui riquezas naturais únicas e deslumbrantes.

Com toda sua diversidade e as impressionantes Cataratas do Iguaçu, eleita como uma das 7 Maravilhas da Natureza, representa um dos mais belos destinos turísticos do planeta, tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade.

Muitos atrativos completam o destino, como o Marco das Três Frontreiras, divisa do Brasil, Argentina e Paraguai, e o Complexo Turístico Itaipu. Além disso, roteiros de ecoturismo e ecoaventura, gastronomia, cultura e história tornam o destino atrativo para todos os gostos e idades.

Cataratas Brasileiras

As Cataratas do Iguaçu estão localizadas dentro do Parque Nacional do Iguaçu, possuindo 275 quedas isoladas que formam uma frente única em tempo de cheia. A palavra Iguaçu significa “água grande”, na etimologia tupi-guarani. A melhor visão das quedas está no lado brasileiro.

A disposição dos saltos – a maior parte deles voltados para o Brasil – permite ver todos a um só tempo apenas do lado brasileiro. Após uma ampla curva e uma corredeira, a parte principal das cataratas precipitase lateralmente na profunda fenda de erosão, formando a Garganta do Diabo. Com quase 85 metros de altura, este é o salto mais apreciado pelos visitantes. Seu formato lembra uma ferradura.

Cataratas Argentinas

As Cataratas, vistas do lado argentino, proporcionam ao visitante um contato mais direto com a natureza. As passarelas e trilhas oferecem uma visão diferente e uma proximidade maior com as quedas d’água do que do lado brasileiro.

Um diferencial no Parque Argentino é o passeio de trem do Centro de Visitantes até a Garganta do Diabo. Oferece imperdíveis aventuras aquáticas e reúne uma grande variedade de fauna.

Macuco safári passeio de barco: Emoção e aventura nas Cataratas aliado ao que há de mais belo na natureza. É isso que você encontra nessa aventura náutica com as mais belas paisagens do mundo. A descida é realizada em botes infláveis impulsionados por remos.

Este passeio guarda momentos inesquecíveis de intensa emoção para os amantes de aventuras, onde somos levados a poucos metros das quedas d’água, debaixo das cachoeiras. Imperdível!

Foz do Iguaçu

Usina Hidrelétrica de Itaipu

A Usina Hidrelétrica de Itaipu foi construída pelos governos brasileiro e paraguaio, e é responsável por 25% de toda a energia consumida no Brasil e 95% da energia consumida no Paraguai. Seu reservatório tem o maior índice de produção de energia com a menor área inundada do planeta. Suas vinte turbinas produzem quatorze milhões de quilowatts, fazendo de Itaipu Binacional a maior produtora mundial de energia elétrica.

Tour de Compras

Em uma região onde a natureza e a tecnologia convivem tão bem, ser consumista, e ao mesmo tempo naturalista, não é de se estranhar. Ciudad del Este é o paraíso das compras, cujos clientes na maioria são brasileiros atraídos pelos baixos preços dos produtos vendidos na cidade. Lá existe todo tipo de mercadoria.

Parque da Aves

O Parque das Aves de Foz do Iguaçu é o maior parque de aves da América Latina e está localizado bem perto das Cataratas. Lá existem, além de aves nativas brasileiras, aves de várias partes do mundo também. A visita a este parque é como ir a uma grande mostra de arte, onde no lugar dos quadros de natureza morta estão presentes “obras” de variados estilos, cores e dimensões.

A trilha que os turistas percorrem para ver as aves tem 1.300 metros e, logo na entrada, os visitantes são recepcionados por araras e papagaios que brincam soltos dentro do Parque. Em cada viveiro há placas com o nome científico e as regiões do planeta em que são encontradas as aves ali presentes. As espécies em extinção também são indicadas, bem como as que estão com filhotes.

Por dentro dessas trilhas temos a oportunidade de ficar frente a frente com aves, fazendo fotos e filmagens diretamente, sem a interferência de grades. Todos os animais expostos no Parque das Aves são oriundos de zoológicos, criadores autorizados pelo Ibama ou centros de reabilitação.

E além das aves, os visitantes também veem ali jacarés, jiboias, saguis e borboletas, todos em áreas que imitam seus ecossistemas naturais, sem telas ou vidro. As 25 espécies de borboletas, por exemplo, ficam em um ambiente conhecido como jardim de flores, junto a beija-flores.

Marco das Três Fronteiras

Para marcar geograficamente a fronteira de Foz do Iguaçu (Brasil) com as cidades vizinhas de Puerto Iguazu (Argentina) e Puerto Franco (Paraguai), foi construído em cada uma das cidades um obelisco denominado “marco”, que representa uma vértice de um triângulo equilátero, símbolo da igualdade, complementariedade e respeito entre as três nações.

Vê-los separados pelo Rio Paraná, onde está localizada a maior hidrelétrica do mundo em produção de energia, e na foz do Rio Iguaçu, que forma o maior conjunto de águas do planeta, pode parecer fantasia, mas é a pura realidade na Tríplice Fronteira, em um lugar marcado pela natureza e pelo homem. A visita a este parque é como ir a uma grande mostra de arte, onde no lugar de quadros de natureza morta estão presentes “obras” de variados estilos, cores e dimensões.

Voo de Helicóptero

Voos panorâmicos sobre as Cataratas, pelo Marco das Três Fronteiras e pela Itaipu Binacional. Sobre as Cataratas os passeios duram em torno de 10 minutos e são uma ótima opção para fotografar os belíssimos cenários que o Parque Nacional do Iguaçu oferece.

Fonte: www.flytourviagens.com.br

Foz do Iguaçu

A cidade

Foz do Iguaçu é a cidade com maior população de fronteira do Brasil, com 256.088 habitantes, de acordo com o Censo do IBGE de 2010. Seu PIB é de R$ 6,7 bilhões e o PIB per capita, de R$ 20.613,46. Seu coeficiente de Gini, que mede a desigualdade na distribuição de renda, é de 0,45, resultado melhor que a média nacional (0,56) e do Estado do Paraná (0,49).

Situa-se em uma localização privilegiada, na tríplice fronteira do Brasil com Argentina e Paraguai, no centro geográfico do Mercosul. Pela posição estratégica que ocupa, lidera uma nova metrópole regional.

Em um raio de 170 quilômetros a partir de Foz do Iguaçu, incluindo os três países, vivem hoje aproximadamente 2 milhões de habitantes. Desses, 1 milhão e 200 mil vivendo na região Oeste do Paraná. Dessa forma, consolida-se como importante destino emissor de turistas nacionais e internacionais.

Reconhecida como um destino turístico internacional, por abrigar uma das novas sete maravilhas da natureza, as Cataratas do Iguaçu, e a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia, a Itaipu Binacional, a cidade se destaca como o segundo destino na preferência dos turistas estrangeiros que visitam o Brasil, segundo pesquisa da Embratur.

Também é considerada uma das cinco cidades brasileiras que mais recebem turismo de eventos nacionais e internacionais, conforme a Associação Internacional de Congressos e Convenções — ICCA.

Foz do Iguaçu figura, ainda, em primeiro lugar entre as cidades não capitais no Estudo de Competitividade dos 65 Destinos Indutores do Desenvolvimento Turístico Regional, feito pela Fundação Getúlio Vargas para o Ministério do Turismo — MTur.

A cidade conta com um dos seis maiores parques hoteleiros do Brasil, com mais de 23 mil leitos. E possui, ainda, uma das melhores infraestruturas do país para a realização de eventos. Seus centros de convenções são capazes de receber, juntos, 40 mil pessoas, simultaneamente.

Estima-se que o Destino Iguaçu, como é conhecido nacional e internacionalmente, recebe, por ano, mais de 5 milhões de turistas, somados os que visitam as Cataratas do Iguaçu, pelo Brasil e Argentina, os que visitam a Itaipu Binacional e participam de eventos nacionais e internacionais, e os que se dirigem à região para fazer compras em Ciudad del Este, no Paraguai.

As Cataratas do Iguaçu recebem 2,5 milhões de turistas por ano, pelos lados brasileiro e argentino do Parque Nacional do Iguaçu. Já a Itaipu Binacional recebe mais de 500 mil visitantes/ano. E os eventos atraem outros 300 mil visitantes.

Com muita mídia espontânea e um calendário fixo de eventos que projetam uma imagem positiva da cidade, Foz do Iguaçu vem se transformando nos últimos anos em um destino turístico de qualidade para lazer, eventos e ecoaventura. No embalo dessa nova imagem, surge um novo turismo de compras em Ciudad del Este, no Paraguai, focado na classe média brasileira e não mais nos populares “sacoleiros”.

Cidade cosmopolita, que abriga 72 etnias, Foz do Iguaçu vem se firmando também como polo de conhecimento e de novas tecnologias. E assiste a uma retomada dos investimentos públicos e privados. A criação do Parque Tecnológico Itaipu (PTI) e da Universidade Federal da Integração Latino-Americana (UNILA), em Foz do Iguaçu, com projeto arquitetônico assinado por Oscar Niemeyer e com previsão de atender a 10 mil alunos brasileiros e latino-americanos, vai transformar a região em um polo de conhecimento e de atividades acadêmicas.

Por outro lado, a construção do Linhão de 500 kV, ligando Itaipu a Assunção, vai permitir a instalação de grandes empresas eletrointensivas, brasileiras e estrangeiras, promovendo desenvolvimento industrial da região do Alto Paraná até Assunção, em território paraguaio.

Com mais de 24 voos diários/regulares, o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu vem se destacando nos últimos anos como um dos aeroportos que mais crescem no Brasil. Recebeu 1.690.310 embarques e desembarques de passageiros em 2011, o maior crescimento do país.

E agora quer desenvolver a sua vocação internacional, constituindo-se na porta de entrada e saída do Brasil pela Costa Oeste, formando o que se poderia chamar de Hub do Mercosul e dos países Andinos. Com isso, o aeroporto permitiria rápida ligação aos Estados Unidos, América Central, China, Índia, Coreia do Sul, Austrália e Japão.

Essa consolidação é essencial para que a cidade continue desenvolvendo a indústria do turismo e se consolide como polo de conhecimento, prestação de serviços e de novas tecnologias.

Fonte: www.fozdoiguacudestinodomundo.com.br

Foz do Iguaçu

História

Foz do Iguaçu

Localização

Localizada no extremo oeste do Estado do Paraná, na fronteira com Paraguai e Argentina, a cidade de Foz do Iguaçu ocupa uma área de 433,3 km², tem uma população de 260 mil habitantes e suas principais fontes de renda são o turismo e o comércio.

Geografia

Clima: Clima subtropical úmido, com verões quentes, geadas poucos freqüentes e chuvas em todos os meses do ano. A temperatura média anual varia entre 9,5° (mínima) e 37.1° (máxima).

Vegetação: Na região do Parque Nacional do Iguaçu predomina a mata subtropical, enquanto que nas margens dos rios Paraná e Iguaçu se encontram florestas tropicais de várzea.

Relevo: Seu relevo apresenta encostas levemente onduladas com altitude média de 192 metros acima do nível do mar, com solos de textura argilosa, de origem eruptiva, profundos e ricos em matéria orgânica.

Alimentação: Em Foz do Iguaçu existem restaurantes típicos e internacionais.

Hospedagem: Foz do Iguaçu é um dos maiores parques hoteleiros da América Latina.

Dicas Gerais: Contratar guias especializados, de preferência os que sejam habilitados para visitar parques e recantos florestais.

O que levar: Boné, água, protetor solar, roupa de cama e banho para hospedagem. Não se esqueça de levar uma mochila para guardar seus pertences.

Como chegar:

De São Paulo-SP até Foz do Iguaçu-PR (Via Londrina):

Iniciando em São Paulo-SP siga em direção ao sudoeste pela BR-116. Após 7 Km vire à direita seguindo pela Marg. Pinheiros. Após 10 Km vire à esquerda seguindo pela SP-280 – Rod. Pres. Castelo Branco. Após 308 Km vire à esquerda seguindo pela SP-327 – Rod. Eng. João Baptista Cabral Renó. Após 20 Km vire à direita seguindo pela SP-327. Após 7 Km vire à direita seguindo pela SP-327 – Rod. Orlando Quagliato Após 29 Km vire à esquerda seguindo pela Rod. Raposo Tavares. Após 1 Km siga em frente seguindo pela SP-270 – Rod. Raposo Tavares. Após 8 Km vire à direita seguindo pela BR-369. Após 123 Km vire à direita seguindo pela BR-369 – Rod. Eng. Ângelo Lopes – “do Cerne”. Após 6 Km siga em frente seguindo pela BR-369. Após 56 Km vire à direita seguindo pela PR-444. Após 30 Km vire à direita seguindo pela BR-376. Após 39 Km vire à esquerda seguindo pela PR-317. Após 85 Km vire à direita seguindo pela BR-369. Após 162 Km siga em frente seguindo pela BR-277. Continue por 145 Km na BR-277 até chegar a Foz do Iguaçu-PR. Existem 15 pedágios na ida e 12 pedágios na volta.

De São Paulo-SP até Foz do Iguaçu-PR (Via Curitiba):

Iniciando em São Paulo-SP siga em direção ao sudoeste pela BR-116. Após 7 Km vire à direita seguindo pela BR-116 – Rod. Régis Bittencourt Após 408 Km vire à esquerda seguindo pela BR-116 Após 9 Km vire à direita seguindo pela BR-116 – Rod. Dep. Leopoldo Jacomel. Após 1 Km siga em frente seguindo pela BR-116. Após 2 Km siga em frente seguindo pela BR-116 – Rod. dos Minérios Continue por 2 Km na BR-116 – Rod. dos Minérios até chegar a Curitiba-PR.

Em seguida pegar a BR 277 em direção a Foz do Iguaçu-PR. Após 650 Km você estará chegando á Terra das Cataratas.

Distâncias das capitais:

São Paulo (SP): 1047 km
Rio de Janeiro (RJ): 1472 km
Belo Horizonte (MG): 1508 km
Brasília (DF): 1573 km
Salvador (BA): 2885 km
Porto Alegre (RS): 986 km.

Foz do Iguaçu
Cataratas do Iguaçu – Foz do Iguaçu

Fonte: www.loumarturismo.com.br

Foz do Iguaçu

Cidade com cerca de 300 mil habitantes, Foz do Iguaçu é caracterizada pelo turismo e sua diversidade cultural. São 80 nacionalidades, sendo que as mais representativas são oriundas do Líbano, China, Paraguai e Argentina.

Integrada à região trinacional, Foz do Iguaçu faz divisa com a cidade argentina de Puerto Iguazú e com a cidade paraguaia de Ciudad del Este.

A base da economia da cidade está no turismo, com destaque para o comércio e serviços.

De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Turismo (EMBRATUR) e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE), em 2006, 2007 e 2008 Foz do Iguaçu foi considerado no segmento “Lazer” o 2º destino mais visitado por turistas estrangeiros, atrás apenas do Rio de Janeiro.

Em 2010, ganhou do Ministério do Turismo 10 prêmios no Melhores Práticas e do Índice de Competitividade do Ministério do Turismo. O Destino Foz do Iguaçu ainda foi chancelado por vários veículos de comunicação internacional e nacional, como o Guia Quatro Rodas como o melhor atrativo do Brasil; Melhor destino estrangeiro para o Reino Unido (Journal The Guardian/Inglaterra); Um dos 14 destinos mais românticos do Mundo (Rede CNN EUA); TourFilm Brazil Art&Tur, em Barcelos/Portugal entre outros, e tudo isso somente nos últimos dois anos.

A revista Rolling Stones classificou a cidade como: “Foz do Iguaçu parece uma cidade imaginária.

Mas se, para os turistas, ela se resume a cataratas e compras, para os mais observadores, é a nossa babel, com uma diversidade étnica digna das grandes metrópoles mundiais”.

Além das conhecidas atrações turísticas, Foz do Iguaçu conta com uma infinidade de opções de passeios, de lazer, gastronomia e uma vida noturna bastante agitada.

Cataratas do Iguaçu

A palavra Iguaçu significa “água grande”, na etimologia tupi-guarani. As Cataratas são formadas pelas quedas do rio Iguaçu. Dezoito quilômetros antes de juntar-se ao rio Paraná, o Iguaçu vence um desnível do terreno e se precipita em quedas de até 80 metros de altura, alcançando uma largura de 2780 metros.

Sua formação geológica data de aproximadamente 150 milhões de anos, porém a formação do acidente geográfico das cataratas se iniciou a aproximadamente 200 mil anos.

O rio Iguaçu mede 1200 metros de largura acima das cataratas. Abaixo, estreita-se num canal de até 65m. A largura total das Cataratas no território brasileiro é de aproximadamente 800m e no lado argentino de 1900m. A altura das quedas varia de 40 a 80 metros.Dependendo da vazão do rio, o número de saltos varia, atingindo um numero superior a 100 nos períodos de média vazão.

A vazão média do rio fica em torno de 1.500 m3 por segundo, variando de 500 m3/s nas ocasiões de seca a8.500 m3/s nas cheias.O volume maior de água ocorre entre os meses de outubro a março.

Os principais saltos são 19, cinco deles do lado brasileiro (Floriano, Deodoro e Benjamin Constant, Santa Maria e União) e os demais no lado argentino. A disposição dos saltos, com a maior parte deles no lado argentino e voltados para o Brasil, proporciona a melhor vista para quem observa o cenário a partir do Brasil.

Fonte: www.cataratasdoiguacu.com.br

Foz do Iguaçu

Privilegiada pela diversidade de atrativos, a cidade de Foz do Iguaçu representa um dos mais belos destinos turísticos do planeta e possui riquezas naturais incomparáveis, como o Parque Nacional do Iguaçu, tombado como patrimônio natural da humanidade, onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu, recentemente eleitas uma das 7 novas maravilhas da natureza.

A maior geradora de energia limpa e renovável do planeta também encontra-se em Foz: a usina hidrelétrica Itaipu Binacional, considerada uma das 7 maravilhas da engenharia moderna. Além disso, há ótimas opções para ecoturismo, compras no Brasil, Paraguai e Argentina, e passeios culturais, tendo em vista a variedade de mais de 72 etnias que constituem o perfil multicultural da cidade.

Principais atrações

Parque Nacional do Iguaçu

São 600 mil hectares de áreas protegidas e outros 400 mil em florestas ainda primitivas, unidos pelo Rio Iguaçu ao Parque Nacional Iguazú, na Argentina. O Parque Nacional do Iguaçu é um patrimônio natural da humanidade e protege uma riquíssima biodiversidade na qual habitam espécies representativas da fauna e da flora brasileira, algumas ameaçadas de extinção como a onça-pintada, puma, jacaré-de-papo-amarelo, papagaio-de-peito-rocho, gavião-real, e outras muitas espécies de relevante valor e de interesse científico.

Cataratas do Iguaçu: Visita às Cataratas do Iguaçu, um conjunto de 275 quedas de água no Rio Iguaçu, localizada na divisa entre o Brasil e a Argentina. Recentemente foram eleitas como uma das sete novas maravilhas da natureza pela Fundação New 7 Wonders. Este atrativo pode ser contemplado através de elevadores panorâmicos, trilhas, passarelas e mirantes.

Ecoaventura

Macuco Safari: Uma atração imperdível para quem quer ter um contato inigualável com a natureza contemplando as Cataratas de um ângulo diferente. Esse passeio é uma aventura em carretas rústicas, seguido por uma caminhada na selva e emocionante passeio a bordo de barcos infláveis bimotores que levam os turistas a menos cinco metros das quedas das Cataratas do Iguaçu.

Trilha do Poço Preto: Uma trilha ecológica de 9 km pelo interior do Parque Nacional. O passeio começa em uma passarela suspensa, seguida da trilha que pode ser feita a pé ou de bicicleta. O passeio segue por uma ponte pênsil que leva a uma trilha de 500 metros, chegando a uma casamata de 10 metros de altura, com visão panorâmica da floresta. Na sequência, o turista navega em um barco bimotor pelo alto do rio Iguaçu, podendo em seguida passear pelo rio em caiaques infláveis.

Trilha das Bananeiras: Trilha ecológica com 1,6 km de extensão, localizada no interior do Parque Nacional do Iguaçu. Pode ser percorrida a pé ou em carreta puxada a jipe, com acompanhamento de guias especializados. Durante o passeio é possível observar várias espécies nativas da fauna e flora do parque. Os visitantes podem passear por pequenas lagoas onde existem pássaros de hábitos aquáticos.

Cânion Iguaçu: Localizado no Parque Nacional do Iguaçu, o Campo de Desafios Cânion Iguaçu oferece arvorismo com tirolesa, rafting nas corredeiras do Rio Iguaçu, rapel de 55 metros de altura e escalada nos paredões de rocha com vista panorâmica das Cataratas. Todas as atividades são acompanhadas por profissionais capacitados e os equipamentos utilizados possuem certificação profissional.

Itaipu Binacional

O Complexo Turístico Itaipu tem um roteiro específico para cada visitante. Para conhecer a maior usina hidrelétrica do mundo em geração de energia, o turista tem opções como a Visita Panorâmica, o Circuito Especial e a Iluminação da Barragem. O complexo ainda conta com atrações como o Ecomuseu, o Refúgio Biológico e o Polo Astronômico.

Parque das Aves

Um atrativo singular das Américas onde o visitante pode ter contato direto com mais de 1.000 aves de 130 espécies oriundas de todos os continentes, entrar no borboletário e observar a área de répteis.

O Parque das Aves possui uma trilha pavimentada de aproximadamente 1400 metros por meio da mata nativa. Durante o passeio, os visitantes podem entrar em grandes viveiros e observar as aves e borboletas bem de perto. Nestes recintos encontram-se araras, tucanos, jandaias e papagaios.

Vôos Panorâmicos

Voôs de helicóptero de 10 minutos sobre as Cataratas do Iguaçu e do Parque das Aves ou de 35 minutos sobre o Parque Nacional do Iguaçu, Usina Hidrelétrica de Itaipu e Marco das Três Fronteiras.

Fonte: www.turismoitaipu.com.br

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu é um dos destinos brasileiros mais conhecidos internacionalmente e está entre os cinco mais procurados do Brasil. A fama surgiu pelas belezas naturais, com destaque para as gigantescas Cataratas do Iguaçu.

Ela consegue agradar àqueles que curtem natureza selvagem, mas sem precisar se aventurar por caminhos tortuosos. Ao longo dos anos, novos atrativos foram descobertos, como o ecoturismo, a culinária da região com o robusto peixe dourado e a variedade de programas que podem ser feitos nas cidades dos países vizinhos.

A vizinhança se dá com a Argentina e o Paraguai, na região da Tríplice Fronteira. Isso significa que, com passaporte ou carteira de identidade na mão, é possível passar de um país para outro dia e noite. As distâncias são curtas (entre 10 e 25 km) entre as atrações e fica muito fácil visitar parques pela manhã no Brasil, fazer compras à tarde no Paraguai e esticar a noite na Argentina, no cassino ou em deliciosos e charmosos restaurantes.

Fotos Foz do Iguaçu

Foz do IguaçuFoz do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Fonte: www.mundi.com.br

Foz do Iguaçu

História da Cidade

Pesquisas arqueológicas realizadas pela Universidade Federal do Paraná no espaço brasileiro do reservatório de Itaipu, antes de sua formação, situaram em 6.000 a.C. os vestígios da mais remota presença humana na região; vários grupos humanos sucederam-se ao longo dos séculos.

Os últimos que precederam os europeus (espanhóis e portugueses), foram os índios. Em 1542, o espanhol Álvar Nuñes Cabeza de Vaca, chegou ao rio Iguaçu e por ele seguiu guiado por índios Caiaganges, atingindo as Cataratas, batizando o Paraguai, ficando o registro de que foi o “descobridor” das Cataratas.

Foz do Iguaçu

Em 1881, Foz do Iguaçu recebeu seus dois primeiros habitantes, o brasileiro Pedro Martins da Silva e o espanhol Manuel Gonzáles. Pouco depois chegaram os irmãos Goycochéa, que começaram a explorar a erva-mate. Oito anos após, foi fundada a colônia Militar na fronteira – marco do início da ocupação efetiva do lugar por brasileiros e do que viria a ser o município de Foz do Iguaçu.

A expedição do Engenheiro e Tenente José Joaquim Firmino chegou a Foz do Iguaçu em julho de 1889. Foi feito um levantamento da população e foram identificadas 324 pessoas, em sua maioria paraguaios e argentinos. Mas havia também espanhóis e ingleses, já presentes na região e dedicados à extração da erva-mate e da madeira, exportadas via rio Paraná.

Em 22 de novembro do mesmo ano, o Tenente Antonio Batista da Costa Júnior e o Sargento José Maria de Brito fundaram a Colônia Militar, que tinha competência para distribuir terrenos a colonos interessados.

No ano de 1897 foi criada a Agência Fiscal, chefiada pelo Capitão Lindolfo Siqueira Bastos. Ele Registrou a existência de apenas 13 casas e alguns ranchos de palha. Nos primeiros anos do século XX a população de Foz do Iguaçu chegou a aproximadamente 2.000 pessoas e o vilarejo dispunha de uma hospedaria, quatro mercearias, um rústico quartel militar, mesa de rendas e estação telegráfica, engenhos de açúcar e cahcahça e uma agricultura de subsistência.

Em 1910 a Colônia Militar passou à condição de “Vila Iguassu”, distrito do Município de Guarapuava. Dois anos depois, o Ministro da Guerra emancipou a Colônia tornando-a um povoamento civil entregue aos cuidados do governo do Paraná, que criou então a Coletoria Estadual da Vila.

Em 14 de março de 1914, pela Lei 1383, foi criado o Município de Vila Iguaçu, instalado efetivamente no dia 10 de junho do mesmo ano, com a posse do primeiro prefeito, Jorge Schimmelpfeng, e da primeira Câmara de Vereadores. O município passou a denominar-se “Foz do Iguaçu”, em 1918.

A estrada que liga Foz do Iguaçu a Curitiba tomou sua primeira forma em 1920; era uma estrada precária, cheia de obstáculos. Na segunda metade da década de 50, iniciou-se o asfaltamento da estrada que cortaria o Paraná de leste a oeste, ligando Foz do Iguaçu a Paranaguá, sendo inaugurada em 1969.

A história do Parque Nacional começa no ano de 1916, com a passagem por Foz do Iguaçu de Alberto Santos Dumont, o “Pai da Aviação”, – o legítimo “fundador”.

Aquela área pertencia ao uruguaio Jesus Val. Santos Dumont intercedeu junto ao Presidente do Estado do Paraná, Sr Affonso Alves de Camargo, para que fosse desapropriada e tornada patrimônio público. No dia 28 de julho, através do decreto nº 63, foi declarada de utilidade pública com 1008 hectares e somente em 1939, por decreto do Presidente Getúlio Vargas, a área passou a ter 156.235,77 hectares.

Em 1994 os decretos nº 6506 de 17 de maio e de nº 6587 de 14 de junho consolidam e ampliam a área do Parque Nacional dando-lhes os limites propostos pelo chefe da seção de Parques Nacionais; hoje os limites atuais são 185.000 hectares.

Com a inauguração da Ponte Internacional da Amizade (Brasil – Paraguai) em 1965 e inauguração da BR-277, ligando Foz do Iguaçu a Curitiba e ao litoral, em 1969, Foz do Iguaçu teve seu desenvolvimento acelerado, intensificando seu comércio, principalmente com a cidade paraguaia de Puerto Presidente Strossner (atual Ciudad del Este).

A construção da Hidroelétrica de Itaipu (Brasil – Paraguai), iniciada na década de 70, causou fortes impactos em toda a região, aumentando consideravelmente o contingente populacional de Foz do Iguaçu. Em 1960, o município contava com 28.080 habitantes, em 1970 com 33.970 e passou a ter, em 1980, 136.320 habitantes, registrando um crescimento de 385%, estimando-se hoje uma população de 279.620 habitantes.

CAMINHOS DO PARAÍSO

Foz do Iguaçu, com toda a sua diversidade de atrativos, representa um dos mais belos destinos turísticos do mundo. Possui riquezas naturais incomparáveis, como o Parque Nacional do Iguaçu, tombado como Patrimônio Natural da Humanidade e onde estão localizadas as Cataratas do Iguaçu.

Outro ícone impulsiona o turismo local: Itaipu, a maior hidrelétrica do mundo em produção de energia. E, dentro do Complexo Turístico de Itaipu, o turista pode visitar o Ecomuseu, o Refúgio Biológico Bela Vista e também assistir à Iluminação da Barragem.

Além das Cataratas, o Parque Nacional do Iguaçu dispõe de trilhas interpretativas e atividades de ecoaventura: rafting, rapel, escalada em rocha, arvorismo e passeios de barco em meio às quedas. É possível também sobrevoar as Cataratas de helicóptero.

Próximo ao Parque Nacional, encontra-se o Parque das Aves, onde o visitante se depara com as mais diferentes espécies de aves em seus habitats naturais.

Outro passeio imperdível é ao Marco das Três Fronteiras, divisa do Brasil com o Paraguai e a Argentina, podendo-se apreciar os três marcos simultaneamente, além do encontro dos rios Iguaçu e Paraná.

A cidade dispõe ainda de atrativos culturais, com ênfase para a arquitetura religiosa, como a Igreja Matriz, o Templo Budista e a Mesquita Muçulmana. No aspecto arquitetônico, destacam-se ainda as Pontes Internacionais da Amizade, na divisa com o Paraguai e Tancredo Neves, divisa com a Argentina.

Há ainda inúmeras opções de lazer no Lago de Itaipu, como o passeio no barco Kattamaram.

Além de todas essas alternativas, a cidade possui um amplo parque hoteleiro, sistema de transportes, gastronomia, serviços de apoio e locais para realização dos mais variados eventos.

Opções não faltam para fazer com que seus momentos em Foz do Iguaçu sejam inesquecíveis. Venha desfrutar deste paraíso!

INFORMAÇÕES ÚTEIS

COTAS DE COMPRAS NAS ADUANAS

Para o turista que realizar compras no Paraguai ou na Argentina e retornar pelas pontes internacionais (via terrestre), a cota é de US$ 300.00. Retornando de avião de Assunção ou Buenos Aires e desembarcando no aeroporto internacional de Foz do Iguaçu, a cota é de US$ 500.00.

Estes valores podem ser utilizados uma vez a cada 30 (trinta) dias, sendo a cota pessoal e intransferível. Se ocorrerem compras em período menor, o imposto será calculado sobre o valor total dos produtos adquiridos no período e não sobre o que exceder. Em caso de aquisição de produtos que tenham valor superior à cota, será necessário providenciar o pagamento do imposto que é de 50% (cinqüenta por cento) calculado sobre o valor que exceder o limite de isenção.

Após as compras e ao retornar ao Brasil, o turista deverá preencher na aduana o formulário de Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), mesmo que as mercadorias não ultrapassem os US$ 300,00, especificando dados pessoais e assinando o documento.

O formulário de DBA encontra-se disponível no site da Receita Federal www.receita.fazenda.gov.br/Aduana/Viajantes/DBA.htm

A partir de 01 de outubro de 2010 entram em vigor novas especificações da Receita Federal referentes à alteração de procedimentos de controle aduaneiro e o tratamento tributário aplicáveis aos bens de viajantes, conforme Instrução Normativa nº 1.059/2010, e disposições de que turistas poderão trazer do exterior bens de uso pessoal sem pagar impostos, conforme Portaria nº 440/2010.

HORÁRIOS: Há uma diferença de 1 hora de atraso no fuso horário do Paraguai em relação ao Brasil. O fuso horário da Argentina em relação ao Brasil é o mesmo; entretanto, durante o nosso horário de verão, também a Argentina fica com 1 hora a menos. Desta forma, deve-se ficar atento para os horários comerciais dos três países.

LIGAÇÕES TELEFÔNICAS:

Em ligações de Foz do Iguaçu para Cuidad del Este (Paraguai), discar: 561+ o número desejado.
Em ligações de Foz do Iguaçu para Puerto Iguazú (Argentina), discar: 557+ o número desejado.

Códigos Internacionais:

Brasil (55)
Argentina (54)
Paraguai (595)

CLIMA: O clima predominante em Foz do Iguaçu é subtropical úmido, podendo atingir no verão temperatura superior a 40ºC e no inverno chegar a uma temperatura abaixo dos 5ºC.

VOLTAGEM: A tensão elétrica é de 110 V em Foz do Iguaçu, embora seja comum encontrar estabelecimentos com dupla voltagem.

CUIDADOS DENTRO DO PARQUE NACIONAL DO IGUAÇU: É importante que se tome alguns cuidados dentro do Parque, tais como:manter-se nas trilhas pré determinadas, não usar atalhos, observar os animais a distância e não alimentá-los, pois os mesmos podem agir agressivamente. Nada se leva de um parque – animais, plantas, rochas, frutos e sementes encontrados no local fazem parte do ambiente e ali devem permanecer.

DOCUMENTAÇÃO:

Viajantes Brasileiros

Serão aceitos única e exclusivamente para trânsito fronteiriço na região do Mercosul os seguintes documentos:

Passaporte; ou
Cédula de Identidade Civil (RG).

Não serão aceitos como documentos válidos para a passagem de áreas de fronteiras quaisquer outros tipos de documentos expedidos no Brasil, mesmo se aceitos como documentos de identidade em nosso país.

Veja os seguintes exemplos de documentos não aceitos:

Certidão de Nascimento (não substitui os documentos de Cédula de Identidade Civil ou Passaporte mesmo para recém nascidos ou para menores de idade);
Carteiras de Identificação Profissionais (OAB, CRM, outros);
Carteira de Habilitação de Motorista (exceto para entrada em Puerto Iguazú-Argentina);
CPF;
Outros.

Outras situações:

Crianças também devem portar os documentos necessários, uma vez que em nenhuma circunstância se exclui a apresentação de Cédula de Identidade Civil ou Passaporte, mesmo quando a criança for de colo, ainda que se tenha em mãos a Certidão de Nascimento.

Além do documento de viagem, menores (brasileiros) desacompanhados dos pais devem portar uma autorização judicial, com “prazo de validade” e destino da viagem. Menores acompanhados de um dos pais devem portar autorização de viagem assinada pelo outro genitor, com firma reconhecida em cartório, também com previsão da data do embarque, destino e retorno.

No caso de viagem para o Mercosul, os menores deverão apresentar este documento à autoridade de controle imigratório de seu país de origem, para carimbo de controle migratório, sendo somente aceito no país de destino após todos esses procedimentos.

Viajantes de outras nacionalidades

Será solicitada junto aos turistas estrangeiros a apresentação dos seguintes documentos:

Passaporte; ou
Passaporte acompanhado de Visto Consular (quando requisitado pela autoridade nacional em questão).

Os estrangeiros com residência regular em algum Estado Parte ou Associado do Mercosul poderão transitar com os respectivos documentos de “permanência” emitidos pelo país de residência, desde que, em virtude de sua nacionalidade, o visto consular seja dispensado pelo país de recepção. Caso contrário deverá apresentar, necessariamente, passaporte de seu país e o visto correspondente.

Fonte: pmfi.pr.gov.br

Foz do Iguaçu

Informações ao Turista

Você está a um passo de Foz do Iguaçu. E nós preparamos uma série de informações sobre a realidade da região e que são de interesse geral dos nossos visitantes.

Número de visitantes

Foz do Iguaçu com seus 311.000 habitantes, recebe anualmente mais de 1.000.000 de visitantes, o que de forma estatística daria uma média de 2.739 pessoas por dia, ou 114 pessoas por hora. Embora o número seja grande e esteja crescendo a cada ano, a região recebe calorosamente a cada um dos turistas.

Calor, frio, e o nosso clima

As calorosas recepções não são somente por parte da população, dos colaboradores e empresas, mas também do nosso clima. Anualmente as mudanças de temperatura são muito grandes. E muitas vezes repentinas.

No verão registra-se 37ºC nos relatórios oficiais, porém com pontos da cidade mostrando 47ºC nos termômetros. Já no inverno as temperaturas chegam a -2ºC pela manhã. Porém isso não é regra. Durante todo o ano existem mudanças de temperatura que acontecem em poucas horas e são sentidas rapidamente, por isso não custa se prevenir na hora de arrumar as malas.

Segurança na cidade

Embora Foz do Iguaçu tenha uma imagem negativa em relação à segurança, não receie de visitar nossa cidade. A cidade está preparada para atendê-lo em qualquer eventualidade, com uma preocupação especial em relação ao seu bem estar enquanto estiver aqui.

Pequenas dicas, porém importantes, sobre a sua segurança são aquelas que valem em toda cidade grande:

Vista-se de forma simples e confortável.
Evite andar sozinho a noite.
Estando de carro, não deixe objetos de valor visíveis.
Não leve todos seu dinheiro consigo, prefira guardá-lo no cofre do hotel.
Fora dos pontos turísticos, evite utilizar câmeras fotográficas e filmadoras em locais públicos.
Evite ir em estabelecimentos suspeitos.
Converse com a recepção do seu hotel para informações da região do hotel.
Não aceite carona de estranhos.
Mantenha seus pertences consigo.
Leve consigo os telefones de emergência da cidade.

E quando for às compras em Ciudad Del Este:

Além das dicas acima, aconselhamos:

Não use de qualquer tipo de jóias e bolsas.
Prefira ir em companhia de algum conhecido da cidade ou através de alguma empresa de turismo.
Compre somente em lojas de confiança e aconselhadas por conhecidos ou pela empresa de turismo.
Caso esteja passando à pé, evite passar mercadorias de grande valor estando sozinho.
Prefira levar suas mercadorias em mãos, ao invés de recebe-las no hotel.
Registre suas compras na Receita Federal.
Respeite os habitantes, funcionários e outros compradores, mesmo que as vezes não seja respeitado.
Confira suas compras ainda no balcão, junto com o vendedor.
Não dê atenção à provocações.

Trânsito e transporte

A região central da cidade de Foz do Iguaçu não é relativamente grande, podendo a caminhada ser uma boa forma de transporte no centro. Mas para dirigir-se aos pontos turísticos será necessária a utilização de algum meio de transporte por estarem deslocados da região central.

A cidade conta com uma série de linhas de transporte urbano em formato de ônibus coletivos que poderão lhe ajudar a se locomover, porém é necessário informar-se antes sobre as linhas, destinos e horários. As linhas poderão ser urbanas ou internacionais, podendo inclusive ser utilizadas para a locomoção até Ciudad Del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina).

Caso venha de carro, certifique-se de trazer consigo todos os documentos do veículo. Dentro da cidade de Foz do Iguaçu será muito difícil perder-se. E a nossa dica é de que ao visitar Ciudad Del Este, prefira passar a ponte da amizade à pé, deixando o automóvel no hotel ou em algum dos estacionamentos da região da ponte da amizade.

Também existe um grande número de táxis pagos e ou ainda contrate uma empresa de turismo que realize transfers diários para os principais pontos turísticos.

Fonte: visitefoz.com.br

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu é uma cidade onde as principais atrações turísticas andam “de mãos dadas” com o mais exuberante cenário da natureza. Na terra das Cataratas é possível ver todo o esplendor da floresta, rios e lagos no Parque Nacional do Iguaçu, considerado um paraíso ecológico, tombado como Patrimônio Natural da Humanidade. Atraídos pelas cataratas do rio Iguaçu, um conjunto de 275 quedas d´água que chegam a 90 metros, os turistas encantam-se não somente com o visual, mas com as diversas maneiras de apreciá-lo. Além disso, a cidade oferece de trilhas e muitas atividades de ecoaventura para os mais aventureiros. O Marco das Três Fronteiras – Brasil, Paraguai e Argentina – é ponto imperdível para os visitantes.

Foz do Iguaçu é caracterizada por sua diversidade cultural, são 80 nacionalidades, sendo que as mais representativas do Líbano, China, Paraguai e Argentina.

Foz do Iguaçu faz divisa com a cidade argentina de Puerto Iguazú e com a cidade paraguaia de Ciudad del Este e conta com uma infinidade de opções de passeios, de lazer, gastronomia e uma vida noturna bastante agitada.

Arte e Cultura

Além das belíssimas cataratas, Foz do Iguaçu também conta com diversas atrações culturais. Visite o Ecomuseu de Itaipu, com os primeiros desbravadores que chegaram ao Oeste do Paraná e o Marco das Três Fronteiras onde avista-se o Brasil, a Argentina e o Paraguai de uma só vez. Conheça também o Templo Budista, com esculturas que retratam os ensinamentos Budistas.

Onde Comer

O prato principal da região são frutos do mar. A maioria dos restaurantes de Foz fica no Centro da cidade e muitos estão dentro de hotéis. Nos cardápios internacionais, pratos com sabores orientais, latinos e europeus. Destaque para os restaurantes a Cozinha do Céu, Búfalo Branco, Empório da Gula, Tempero da Bahia, Trapiche e Zaragoza. Não volte para casa sem provar o prato típico de Foz, o Pirá de Foz, à base de dourado e surubim, e preparado com mandioca, espinafre, arroz, cenoura, pimentão vermelho, gengibre e temperos diversos.

Natureza e Esportes

Os amantes de esportes radicais e ecológicas encontram diversas atividades em Foz do Iguaçu, principalmente nos arredores do Parque Nacional. As opções são arvorismo, rafting, escalada e trilha do Poço Preto com descidas de rio a bordo de ducks.

Vida Noturna

A diversão noturna da cidade concentra-se nos restaurantes, bares e boates, a maioria fica no interior dos hotéis. O mais concorrido é o argentino Iguazú Grand Hotel, oferece shows de tango e um dos melhores cassinos da região, o Casino Iguazú.

Compras

Cruze a Ponte da Amizade até a paraguaia Ciudad del Este lá você encontrará perfumes, bebidas e artigos eletrônicos em conta. Os estabelecimentos aceitam real, peso argentino e guarani paraguaio. Lá você também pode encontrar artesanato local, produzido por índios e artesãos como tapetes, bolsas, colares, roupas, chapéus, redes e instrumentos de caça e pesca.

Clima

A melhor época para ver as cataratas é durante o verão, quando o volume de água é maior. Nos meses de setembro e outubro chove bastante.

Transporte

O ideal é alugar um carro, é fácil dirigir em Foz do Iguaçu, a cidade é bem sinalizada. Evite apenas, ir de automóvel fazer compras em Ciudad del Este, pois, pode ser um pouco perigoso.

Atrações Turísticas

Atrações turísticas são o que não faltam em Foz do Iguaçu. É essencial visitar as Cataratas Brasileiras, as Cataratas Argentinas e a Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Os que gostam de passeios ecológicos vão adorar o Parque dos Pássaros e Macuco Safári. Não deixe de fazer também, o passeio de Compras no Paraguai e ao Show Folclórico.

Fonte: www.blumar.com.br

Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu, no Paraná, oferece espetáculo natural e aventura

Brasil e Argentina compartilham uma paisagem de beleza intensa no oeste do Paraná, em Foz do Iguaçu. Ali a natureza exagerou, em volumes e medidas.

As cataratas do rio Iguaçu formam o maior conjunto de quedas d’água da Terra: são cerca de 270 nas duas fronteiras, com alturas entre 40 m e 90 m. Elas estão lá, se exibindo, despudoradas, há milhares de anos, mas somente nas últimas décadas a recepção aos turistas se aperfeiçoou com passarelas e mirantes ousados, que permitem tocar e ser tocado pelo aguaceiro. Ouvir o estrondo das corredeiras a poucos centímetros, com segurança. As cenas que a memória registra em Iguaçu não sairão mais com água e sabão.

O Parque Nacional do Iguaçu comemorou 70 anos em 2009 com recorde de público. Foram 1.154.000 visitantes no ano anterior, ou cerca de 3.160 pessoas por dia – o parque abre de segunda a domingo. Grande parte dos turistas, brasileiros e estrangeiros, se concentra na atração principal que é a visão dos borbotões de espuma branca a partir de trilhas e passarelas.

E quem deseja mais adrenalina também a encontra em esportes radicais como tirolesa, rapel e rafting no rio Iguaçu, ou nos botes velozes que oferecem um batismo e tanto no mundo da aventura: banho de catarata.

Lançado nas festividades do aniversário, o livro ‘Meu Vizinho, o Parque Nacional do Iguaçu’, de Marcos Sá Corrêa e Lorenzo Aldé, conta a história desta reserva privilegiada de Mata Atlântica por meio de fotografias que cobrem o século 20. Estão lá os moradores de Foz do Iguaçu em trajes de banho da década de 20, que mais pareciam pijamas; as primeiras imagens do Hotel das Cataratas, inaugurado em 1958; e o pioneiro em turismo de emoções fortes, o barman austríaco Franz Kohlenberger, alcunhado ‘Tarzan das Cataratas’ nos anos 1960.

Quem vê Franz arriscando-se a despencar nos precipícios para se aproximar das corredeiras passa a agradecer pelo conforto dos trajetos suspensos, que permitem aos visitantes ver o conjunto de vários ângulos, nos parques brasileiro e argentino.

Os vizinhos argentinos criaram o Parque Nacional Iguazu antes dos brasileiros, em 1934. Na cidade de Puerto Iguazu, ele merece um dia inteiro de visita pela diversidade dos trajetos no meio da mata. As imagens mais assustadoras surgem ao final das passarelas para o Salto Bosseti e para a Garganta do Diabo.

No parque argentino, uma placa homenageia Álvar Núñez Cabeza de Vaca, o espanhol que desbravou as cataratas em 1541 quando buscava um caminho para o rio da Prata. Três séculos e meio depois, o Brasil começou a descobrir a riqueza do patrimônio de Iguaçu com o empenho de gente ilustre como o engenheiro André Rebouças e o aviador Santos Dumont, visionários no projeto de preservar a área e torná-la de domínio público.

Localizada na Tríplice Fronteira de Brasil, Argentina e Paraguai, a cidade de Foz do Iguaçu tem parque hoteleiro importante e profissionais do turismo que falam dois ou três idiomas. Com passaporte ou carteira de identidade na mão, é possível cruzar as fronteiras dia e noite sem percalços, em automóveis particulares, ônibus ou nos transfers oferecidos por hotéis e agências de receptivo. Considerando que as distâncias oscilam de 10 km a 25 km entre as atrações, há tempo para visitar parques pela manhã no Brasil, fazer compras à tarde no Paraguai e esticar a noite na Argentina, no cassino ou naqueles restaurantes de empanadas e carnes saborosas, regadas a carta de vinhos de Mendoza, Salta, Patagônia…

Pelo menos duas das atrações de Foz merecem visita sem pressa: o Parque das Aves e Itaipu Binacional. A 200 m da entrada do Parque Nacional de Iguaçu, a reserva criada em 1994 por alemães amantes da natureza contrapõe ao show das águas o show das cores de flamingos, guarás, papagaios, araras, tucanos, vulturinas, pavões, gralhas-picaças, mutum-de-penacho, saracuras. Existem aves ameaçadas de extinção, como o cuiú-cuiú, o mutum-cavalo e o macuco. Outras vieram de longe, da África e da Ásia. E algumas foram aleijadas para sempre por traficantes. Uma placa avisa que uma arara-azul – uma arara-azul! – encolhida no tronco teve as asas amputadas antes de ser resgatada pela polícia florestal.

O Parque das Aves, a propósito, recepciona os visitantes com uma tese radical, exposta numa antiga lenda nórdica, a Árvore da Vida: a natureza, para sobreviver, pode dispensar a presença de seres humanos.

Foz do Iguaçu viu sua população se multiplicar a partir dos anos 70, com a construção da Hidrelétrica de Itaipu, obra monumental administrada por brasileiros e paraguaios. Em 2009, completam-se 25 anos desde que a primeira unidade passou a gerar energia. Segundo os administradores, Itaipu recebe cerca de 800.000 visitantes por ano, entre turistas, estudantes e técnicos, nos dois países.

As opções de passeio ganharam diversidade de cenários: circuito panorâmico, visita ao interior da usina, trilhas na reserva biológica, museu, passeio da catamarã no Lago de Itaipu, show de luzes e música diante da barragem nas noites de sexta e sábado. Itaipu iluminada é de estarrecer.

Decidiu ir a Foz? Então prepare-se para decisões de maior envergadura, já que os orçamentos de férias são limitados e alguns custos ficam elevados.

Ou isto ou aquilo: dá para comprar roupas e chocolates de novo, ou se dar o presente que é partir de bote rumo às cataratas, receber a enxurrada no rosto e ainda sair de lá vivo e feliz. Dá para adquirir mais bebidas e equipamentos eletrônicos, ou experimentar o luxo de um circuito de helicóptero, com a família reunida. E depois de ver e ouvir o estrondo das águas de Iguaçu desde baixo e desde cima, recomenda-se um curso rápido para aprender a uivar, porque a linguagem verbal depôs as armas e não dá mais conta do recado.

Fonte: viagem.uol.com.br

Foz do Iguaçu

Por que ir

Com uma das molduras naturais mais bonitas do mundo, Foz do Iguaçu é praticamente uma Torre de Babel. Além dos brasileiros, argentinos e paraguaios que dividem a região da Tríplice Fronteira, a cidade é visitada por gente dos mais diversos cantos do planeta. Atraídos pelas cataratas do rio Iguaçu, um conjunto de 275 quedas d´água que chegam a 90 metros, os turistas encantam-se não somente com o visual, mas com as diversas maneiras de apreciá-lo. Dentro do Parque Nacional, tombado como Patrimônio da Humanidade, as opções são os mirantes e as passarelas. Nos arredores, há passeios de barco e helicóptero, caminhadas e rafting, sempre com as cataratas como pano de fundo. Parte da reserva pertence à Argentina e vale a pena cruzar a fronteira para descobrir os encantos do lado dos hermanos – é lá que fica a Garganta do Diabo, um dos saltos mais impressionantes.

O país vizinho abriga também o cassino mais badalado da área, o Casino Iguazú, com roletas, caça-níqueis, poker… caso a sorte esteja a favor, guarde uns trocados para gastar em compras na paraguaia Ciudad del Este, logo após a Ponte da Amizade. Artigos como perfumes e bebidas saem a preços em conta e podem ser adquiridos em dólar ou real.

De volta à Foz, o passeio só fica completo com uma visita à Usina Hidrelétrica de Itaipu, com tour técnico que leva às turbinas. Com tanta água nos arredores, a cozinha típica da região só poderia ser à base de peixes. Não volte sem experimentar o Pirá de Foz, preparado com os saborosos dourado e surubim, abundantes no rio Paraná.

O que ver e fazer em Foz do Iguaçu

Tombadas pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, as cataratas do rio Iguaçu são os cenários da grande maioria dos passeios e atividades em Foz e arredores. Apreciadas de mirantes e passarelas ou ainda a bordo de ônibus, trem, barco ou helicóptero, as quedas ficam ainda mais bonitas no verão. Imperdível também é a Usina Hidrelétrica de Itaipu, a maior do mundo em atividade e que pode ser explorada em detalhes. O tour pela região reserva ainda compras de produtos importados em Ciudad del Este, no Paraguai e visita a suntuosos cassinos argentinos onde o jogo é liberado. Boa sorte!

Parque Nacional do Iguaçu

Foz do Iguaçu

Principal cartão-postal de Foz, as 275 quedas do Rio Iguaçu são consideradas uma das maiores belezas naturais do planeta. Tombado pelo Patrimônio da Humanidade, o Parque Nacional e seus atrativos ficam ainda mais impressionante nos meses de dezembro e janeiro, quando o volume de água é maior. Para apreciar as paisagens que se espalham por uma área de 186 mil hectares há mirantes e passarelas panorâmicas.

Por terra firme, o tour é feito em ônibus até à passarela panorâmica de 1.200 metros de extensão e paisagens de tirar o fôlego. Por ali ficam os mirantes – no primeiro, quatis e borboletas dividem a atenção com o Salto Floriano, ponto onde as águas atingem grande vazão e chegam a causar vertigens. No segundo, as quedas são descortinadas por ângulos bastante abrangentes. Além das cataratas, o parque abriga ainda diversas espécies de plantas e aves. São figueiras, ipês, pinheiros, bromélias e orquídeas, além de tucanos, araras e papagaios que conferem ainda mais cores à paisagem.

Os limites do parque estendem-se até a Argentina, onde ficam outros 67 mil hectares. Lá, o meio de transporte é o trem que leva a dois circuitos – o Inferior, com 1.700 metros e passarelas que seguem junto às quedas até o nível d´água; e o Superior, com 650 metros e pontes suspensas que revelam uma visão completa do conjunto das cataratas.

Os dois roteiros terminam à beira da maior e mais emocionante das quedas: a Garganta do Diabo. Com 90 metros de altura, é um dos cartões-postais da região abençoada.

Macuco Safari

O passeio feito em botes permite apreciar as cataratas de um ângulo especial – do nível do rio. A aventura começa em um jipe que percorre três quilômetros no meio da mata até a trilha que leva às embarcações. Dali são 600 metros de caminhada leve em meio a pássaros e plantas da região, além de uma cachoeira, o Salto do Macuco. Os botes partem do deque e, 25 minutos depois, chegam ao Salto Três Mosqueteiros. Prepare-se para ficar molhado – se for verão, vá de roupa de banho; caso contrário, leve capa de chuva. Na volta, os aventureiros podem optar por um emocionante rafting.

Foz do Iguaçu

Passeio de helicóptero

O tempo é curto – apenas dez minutos -, mas os cenários avistados a bordo de um helicóptero sobre as cascatas são impressionantes. Do alto, a grandiosidade das quedas fica ainda mais evidente. Há ainda a opção de vôos mais longos, com 35 minutos de duração, sobrevoando também a Usina de Itaipu, o Centro de Foz e o Monumento das Três Fronteiras.

Foz do Iguaçu

Parque das Aves

O Parque das Aves tem cerca de 900 animais. São 160 espécies dos cinco continentes, divididas em cinco viveiros integrados à floresta. Vôos rasantes de canários e sabiás sobre as pessoas são comuns, uma vez que é permitido entrar em alguns ambientes. Habitats naturais, como os do Pantanal e da Floresta Amazônica, foram recriados e abrigam papagaios, araras, emas, tucanos e garças, além de jacarés, serpentes e tartarugas. Em um borboletário estão abrigadas 15 espécies de borboletas. O parque fica a 500 metros do Parque Nacional do Iguaçu.

Foz do Iguaçu

Refúgio Biológico Bela Vista

O espaço, que funciona próximo à barragem dá Hidrelétrica de Itaipu, foi criado em junho de 1984 com o objetivo de diminuir o impacto ambiental causado pela construção da usina. Com 1.920 hectares, visa preservar a fauna e flora local, além de possuir um centro de reprodução de animais e um criadouro de animais silvestres. Os animais – mais de 300, de 81 espécies – são a grande atração do espaço. Entre eles estão aves, mamíferos e répteis, alguns em risco de extinção.

Destacam-se o cervo-do-pantanal, a anta, a jaguatirica e, claro, a onça pintada que é chamada de Juma, lembrando a personagem de Cristiana Oliveira na novela Pantanal, que se transformava em uma onça. O centro já reproduziu aproximadamente 800 animais de 42 espécies.

Foz do Iguaçu

Passeio de catamarã no Lago de Itaipu

O passeio acontece de terça a domingo durante o pôr-do-sol, com saídas às 19h – nas noites de lua cheia o horário é 20h. São cerca de duas horas de navegação em um barco de dois andares equipado com open bar, cozinha e ar-condicionado na parte inferior. A capacidade é de 200 pessoas. Nos noites de sexta-feira e sábado há ainda a possibilidade de acompanhar o espetáculo de luz realizado na barragem da Usina de Itaipu.

Foz do Iguaçu

Usina Hidrelétrica de Itaipu

Um dos principais atrativos turísticos de Foz de Iguaçu, a Hidrelétrica de Itaipu é a maior em operação no mundo, exibindo uma barragem de oito quilômetros de comprimento por 167 metros de altura.

Há três maneiras de conhecer a usina – Visita Panorâmica, que inclui vídeo explicativo e passeio de ônibus sobre a barragem, com parada no mirante; Circuito Especial, mais longo e detalhado, com visita ao interior da usina; e Visita Noturna (somente às sextas e sábados), quando toda a estrutura da barragem é iluminada em um projetado assinado por Peter Gasper e acompanhado por música.

Foz do IguaçuFoz do Iguaçu

Foz do IguaçuFoz do Iguaçu

Luau das Cataratas

O passeio, que só acontece nas noites de lua cheia, leva ao lado argentino das cataratas. Lá, os turistas embarcam em um trem até a estação Garganta do Diabo, famosa pela força e o som das quedas d’água. Durante uma hora os casais apreciam o espetáculo iluminado apenas pela luz da lua. O programa inclui ainda um jantar.

Foz do Iguaçu
Luau das Cataratas – Foz do Iguaçu

Aventura Náutica

A atividade – similar ao Macuco Safari – é realizada no lado argentino das cataratas. O passeio tem manobras mais radicais e as lanchas chegam bem pertinho de duas quedas. Para dar um plus no programa, opte pelo roteiro Gran Aventura, com direito a tour de jipe pela mata da entrada do parque até o ponto de embarque das lanchas.

Compras em Ciudad del Este

Os preços em conta praticados no comércio da cidade paraguaia de Ciudad del Este, principalmente de produtos como perfumes, bebidas e artigos eletrônicos, fazem da região o paraíso dos turistas. Em todas as lojas o real é aceito e as compras de até US$ 300 por pessoa são livres de impostos. Tomar alguns cuidados é fundamental para evitar aborrecimentos – prefira as lojas tradicionais, onde a procedência dos produtos é garantida; cruze a Ponte da Amizade de táxi ou ônibus para não correr o risco dos constantes assaltos a pedestres; e evite fazer as compras às quartas e aos sábados, dias dos “sacoleiros”.

Cassinos

Arriscar a sorte nos cassinos da região é um dos melhores programas noturnos de Foz. Entre os mais badalados e tradicionais está o Casino Iguazú, na cidade argentina de Puerto Iguazú, com decoração suntuosa e jogos como Roleta, Black Jack, Poker e Dados. Centenas de máquinas caça-níqueis atraem os menos íntimos dos crupiês.

Vida Noturna

A diversão noturna divide-se entre Foz, Ciudad del Este (Paraguai) e Puerto Iguazú (Argentina), concentrando-se nos restaurantes, bares e boates (os de Peurto Iguazú são os mais bacanas e movimentados). Boa parte dos estabelecimentos funciona no interior dos hotéis. Um dos mais concorridos é o argentino Iguazú Grand Hotel, de arquitetura e decoração suntuosas, que oferece ainda shows de tango e um dos melhores cassinos da região, o Casino Iguazú, com mesas de Roletas, Black Jack, Poker e Dados, além de caça-níqueis.

Esportes e Ecoturismo em Foz do Iguaçu

Os adeptos dos esportes radicais encontram atividades diversas nos arredores do Parque Nacional. No Campo de Desafios, as modalidades oferecidas vão de rafting à escalada, enquanto a trilha do Poço Preto inclui descidas de rio a bordo de ducks. Os mais corajosos podem apreciar as beleza da cidade do alto, sobrevoando os pontos turísticos em trikes, uma espécie de ultraleve.

Esportes de aventura

Com atividades radicais para todos os gostos, o Campo de Desafios é indicado para os adeptos dos esportes de aventura. As opções vão do arvorismo ao rafting, passando pelo rapel em plataformas de 55 metros com vista para as cataratas; e escalada em paredões de até trinta metros de altura.

Foz do Iguaçu

Vôo de trike

Os vôos de trike – uma espécie de ultraleve que decola da terra ou da água – pode durar dez minutos (sobrevoando o Canal da Piracema e o lago de Itaipu) ou meia hora, incluindo também a Hidrelétrica de Itaipu, o Templo Budista e a Ponte da Amizade. Prefira ir de manhã ou no final do dia, horários com menos vento.

Trilha do Poço Preto

Com nove quilômetros de extensão, a trilha do Poço Preto pode ser desbravada a pé ou de bicicleta, sempre com o acompanhamento de guias. O caminho desemboca na beira do rio Iguaçu, de onde partem barcos para passeios ao redor de pequenas ilhas. A aventura continua com as descidas de rio a bordo de ducks, uma espécie de caiaque inflável que atinge boa velocidade.

Atrativos Culturais em Foz do Iguaçu

Noções de física, geografia e religião também fazem parte do pacote para Foz do Iguaçu. Na Hidrelétrica de Itaipu, por exemplo, pode-se conhecer todo o proecesso de funcionamento da usina. Já no Marco das Três Fronteiras avista-se o Brasil, a Argentina e o Paraguai de uma só vez. E tem ainda o Templo Budista, com centenas de esculturas que retratam os ensinamentos de Buda.

Usina Hidrelétrica de Itaipu

Um dos principais atrativos turísticos de Foz de Iguaçu, a Hidrelétrica de Itaipu é a maior em operação no mundo, exibindo uma barragem de oito quilômetros de comprimento por 167 metros de altura.

Há três maneiras de conhecer a usina – Visita Panorâmica, que inclui vídeo explicativo e passeio de ônibus sobre a barragem, com parada no mirante; Circuito Especial, mais longo e detalhado, com visita ao interior da usina; e Visita Noturna (somente às sextas e sábados), quando toda a estrutura da barragem é iluminada em um projetado assinado por Peter Gasper e acompanhado por música.

Marco das Três Fronteiras

Foz do Iguaçu
Marco das Três Fronteiras

Um obelisco de pedra demarca o ponto onde Brasil, Argentina e Paraguai se encontram. A seis quilômetros do Centro de Foz, o espaço conta com mirante com vista para os três países e o encontro dos rios Paraná e Iguaçu, além de bar e loja de souvenir.

Templo Budista

A suntuosidade do espaço ocupado pelo Templo Budista atrai adeptos de religiões diversas. São 2,5 mil metros quadrados de área repleta de jardins decorados com dezenas de estátuas de divindades. A de Buda é a maior delas, com sete metros de altura. No interior do templo, as almofadas vermelhas convidam à meditação. Já a sacada funciona como um mirante, descortinando o rio Paraná, a Ponte da Amizade, o centro de Ciudad del Este e parte de Foz do Iguaçu.

Onde Comer em Foz do Iguaçu

Localizada no coração da Bacia do Prata, que engloba os rios Paraná, Paraguai e Uruguai, Foz do Iguaçu só poderia ter os peixes como as estrelas da gastronomia regional. O prato típico é o Pirá de Foz, à base de dourado e surubim, e preparado com mandioca, espinafre, arroz, cenoura, pimentão vermelho, gengibre e temperos diversos.

A maioria dos restaurantes de Foz fica no Centro da cidade e muitos estão dentro de hotéis. Nos cardápios internacionais, pratos com sabores orientais, latinos e europeus.

Cuisine du Ciel: O restaurante do Mercure Gran Hotel Internacional tem vista panorâmica da cidade e cardápio repleto de receitas clássicas.

Bufalo Branco

Chef Lopes: Amplo e modernoso, o restaurante oferece buffet no almoço e serviço à la carte no jantar. A seção de carnes é o ponto forte e o destaque fica por conta do bife de chorizo (contrafilé) ao molho chimichurri. Também há receitas exóticas, à base de jacaré e faisão.

Compras em Foz do Iguaçu

Na hora das compras, cruzar a Ponte da Amizade até a paraguaia Ciudad del Este é certeza de perfumes, bebidas e artigos eletrônicos em conta. Alguns detalhes, entretanto, devem ser observados para maior garantia, segurança e conforto. Opte pelas lojas tradicionais – apesar do preço um pouco mais alto, os produtos são originais.

O limite de compras isento de impostos é de US$ 300 e, apesar dos valores estarem na moeda americana, todos os estabelecimentos aceitam real, peso argentino e guarani paraguaio. Para chegar ou sair da cidade, prefira os ônibus ou táxis, uma vez que assalto a pedestres são comuns na Ponte da Amizade. Evite programar o passeio para as quartas e sábados, quando o movimento de sacoleiros é maior.

Mas nem só de produtos importados é feito o comércio da Tríplice Fronteira. O artesanato local, produzido por índios e artesãos dos três países, apresenta tapetes, bolsas, colares, roupas, chapéus, redes e instrumentos de caça e pesca. Os destaques são os vasos, apresentados nas mais diversas formas e cores. Os produtos podem ser encontrados em casas especializadas, feiras de rua e na Cooperativa de Artesanato da Região Oeste e Sudoeste do Paraná (Coart), com mais de 80 associados.

Cooperativa de Artesanato da Região Oeste e Sudoeste do Paraná (Coart)

A associação reúne mais de 80 artesãos que oferecem produtos típicos como acessórios e objetos de decoração.

A cerâmica é o principal produto comercializado, sendo encontrada sob as mais variadas técnicas: vitrificados, decorados com durepox, pintados a frio, envelhecidos naturalmente…

Quando ir a Foz do Iguaçu

A melhor época para ver as cataratas é durante o verão, quando o volume de água é maior, as chuvas são mais rápidas e as árvores ainda estão floridas. Nos meses de setembro e outubro chove bastante. Em qualquer época do ano, capas de chuva são imprescindíveis para quem não quer molhar a roupa durante os passeios pelo Parque do Iguaçu.

Como Chegar a Foz do Iguaçu

De avião: Há vôos diários partindo das principais capitais do país

De carro: Vindo do Norte ou do Sul, acesso pela BR-116 até Curitiba e BR-277

Circulando

É fácil dirigir em Foz do Iguaçu – a cidade é bem sinalizada e não há dificuldades para chegar aos atrativos turísticos. Evite ir de automóvel fazer compras em Ciudad del Este. Prefira os táxis ou ônibus – a pé, o risco de assalto é grande ao longo dos dois quilômetros da Ponte da Amizade.

Atenção

Para visitar as cataratas argentinas é imprescindível apresentar documento de identidade original ou passaporte válido, inclusive para crianças de qualquer idade

As moedas brasileira, argentina e paraguaia são aceitas em praticamente todos os estabelecimentos dos três países

Fonte: feriasbrasil.com

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+