Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Quaresmeira  Voltar

Quaresmeira

 

Quaresmeira - Tibouchina granulosa

Ocorrência - Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Outros nomes - quaresmeira, flor-de-quaresma, quaresmeira-roxa, quaresma.

Características - espécie semidecídua com 8 a 12 m de altura, tronco de 30 a 40 cm de diâmetro, com casca lisa e de coloração esbranquiçada.

Copa densa, encorpada, globosa e baixa com vários ramos que quando mais jovens são levemente tetragonais.

As folhas são simples e opostas geralmente descolores (com duas cores), de textura subcoriácea e coberta de pêlos em ambas as faces, com 15 a 20 cm de comprimento por 5 a 7 cm de largura.

Quaresmeira
Quaresmeira

Uma característica marcante nesta planta e de outras que pertencem à mesma família, é a presença de três nervuras paralelas em suas folhas.

As flores possuem coloração róseo-arroxeada e na época de floração tomam toda a copa.

O fruto é uma cápsula deiscente com muitas e minúsculas sementes. Um Kg de sementes contém aproximadamente 3.300.000 unidades.

Habitat - Mata Atlântica

Propagação - sementes

Madeira - moderadamente pesada, dura, de baixa durabilidade quando exposta à intempéries.

Utilidade - a madeira pode ser empregada para uso interno, confecção de objetos leves, brinquedos, caixotaria, etc. A árvore é muito ornamental, principalmente quando em floração. Pela beleza e pelo porte, não pode faltar em qualquer projeto de paisagismo.

É ótima também para arborização de ruas estreitas sob redes elétricas, o que já vem sendo feito em muitras cidades do sudeste brasileiro. É uma planta pioneira de rápido crescimento sendo indicada para reflorestamento em áreas degradadas.

Florescimento - julho a agosto; dezembro a março

Frutificação - junho a agosto; abril a maio

Fonte: www.vivaterra.org.br

Quaresmeira

QUARESMEIRA OU QUARESMA

A quaresmeira recebeu este nome por florescer na época da Quaresma e apresentar tonalidades (roxo, rosa) que remetem à Paixão de Cristo e às vestimentas da Igreja Católica nesse período.

Nome comum a muitos arbustos e árvores ornamentais de vários tamanhos, também chamada flor-de-quaresma.

Nascem em geral nas serras, mas algumas são típicas das baixadas úmidas e quentes dos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Essas plantas da família das melastomatáceas receberam tal nome porque florescem principalmente na época da Quaresma.

A floração, em panículas (semelhantes a cachos), é abundante e prolongada e se repete em várias estações do ano, predominando as cores roxa (a cor da Quaresma) e violeta, que mais tarde se tornam quase brancas.

Em uma espécie muito cultivada ocorreu uma mutação que tem flores róseas. As folhas são denteadas, com nervuras, e em algumas espécies são aveludadas.

A folhagem da quaresmeira é permanente, sendo que as folhas velhas, antes de caírem, tomam a cor amarela e depois vermelha, o que contribui para o colorido diversificado das matas, parques e jardins onde vivem. Multiplicam-se por sementes e por estacas.

Existem dois gêneros (Tibouchina e Rhyncanthera), várias espécies e algumas variedades, entre as quais a quaresmeira-de-jardim.

Características gerais

As espécies mais conhecidas desta família são árvores de até 12 m de altura e arbustos de cerca de 2 m. Ocorrem com freqüencia nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina e Pará.

Distinguem-se pela aparência das folhas, que podem ser pilosas, ovais ou ovais-lanceoladas e nervuras salientes. Suas flores podem ser, dependendo da espécie, roxas, lilases ou rosas.

A Tibouchina fothergillae é uma espécie arbustiva e se diferencia de outras espécies de Melastomataceae por apresentar flores com coloração vinho intenso.

Usos

As quaresmeiras destacam-se pelo uso como ornamentais. A espécie Tibouchina granulosa, muito utilizada na arborização urbana. É considerada uma espécie pioneira, e forma populações nos habitats naturais bastante visíveis nas épocas de floração. Pode ser utilizada para reflorestamento e recuperação de áreas degradadas e ainda, tratamentos de bordas de unidades de conservação.

A Quaresmeira

De dezembro a abril há quaresmeiras em flor, ora roxas ou rosas, ora lilases ou com detalhes brancos nas pétalas, com a aparência de enormes buquês em harmonioso contraste com o verde da mata.

É no entanto na época da Quaresma que a floração se torna mais generalizada e abundante.

Quaresmeira ou quaresma é uma planta do gênero Tibouchina, da família das melastomatáceas.

Freqüente nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, ocorre também em outros, como Bahia, Santa Catarina e Pará.

As espécies mais conhecidas são árvores de até 12m e arbustos de cerca de dois metros, que tanto surgem na vegetação espontânea quanto em jardins e parques.

Distinguem-se facilmente pela aparência das folhas, pilosas, ovais ou ovais-lanceoladas, cujas nervuras -- em geral de cinco a sete -- ficam bem salientes contra o verde-escuro do fundo.

Entre as árvores, destacam-se a quaresmeira-roxa (Tibouchina granulosa), a quaresmeira-rosa (T. stenocarpa) e o chamado manacá-da-serra ou manacá-paulista (T. mutabilis).

Entre os arbustos, estão a quaresmeira-de-jardim (T. grandifolia), a quaresmeira-do-brejo (T. multiceps), a quaresmeira-do-campo (T. frigidula) e a quaresmeira-mirim (T. martialis).

As plantas de ambos os grupos se propagam por sementes, por estacas semilenhosas ou por alporquia.

No primeiro caso, as flores nem sempre conservam a coloração da planta-mãe.

Na propagação pelos outros dois métodos, as plantas reproduzem fielmente as características daquela que lhes deu origem.

Arbusto ou árvore, a quaresmeira se dá melhor em solos úmidos e ricos em matérias orgânicas.

Curiosidades

Pode ser usada como essência floral, a qual fornece força e vitalidade para o restabelecimento do propósito, do livre-arbítrio. Libera energia que atinge o cerne da alma, promovendo a transmutação para que os desejos se concretizem.

A quaresmeira, conhecida como Olmo no hemisfério Norte, é uma árvore frondosa que possui poder místico que protege contra raios. Na Inglaterra, era associada aos duendes. Os santeros, da Santería, a utilizavam no lançamento de encantamentos mágicos e, segundo a mitologia teutônica, a primeira mulher sobre a terra foi criada de um olmo pelos deuses.

Na medicina popular é usada para tratar de inchaços, tosses, doenças de pele e infecções venéreas.

Significados: a cor roxa, de algumas espécies de quaresmeira, simboliza a Paixão de Cristo e para alguns, é motivo de superstição. Símbolo da beleza e da abnegação, a quaresmeira é a árvore do amor incondicional.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Flor da quaresmeira, planta que nasce nas serras e baixadas úmidas e floresce na Quaresma

Fonte: www.klickeducacao.com.br/www.biomania.com.br

Quaresmeira

Quaresmeira - Tibouchina granulosa

Nomes populares: quaresmeira, flor-de-quaresma, quaresmeira-roxa, quaresma

Características morfológicas: Altura de 8-12 m, com tronco de 30-40 cm de diâmetro; ramos quadrangulares e alados nas arestas. Folhas rijas, pubescentes nas duas faces, de 15-20 cm de comprimento por 5-7 cm de largura.

Ocorrência

Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, principalmente na floresta pluvial da encosta atlântica. Existe uma variedade dessa espécie que produz flores róseas; a foto acima é uma montagem mostrando os dois tipos de flores.

Madeira

Moderadamente pesada, dura, de baixa durabilidade quando exposta à intempéries.

Utilidade

A madeira pode ser empregada para uso interno, confecção de objetos leves, brinquedos, caixotaria, etc. A árvore é muito ornamental, principalmente quando em floração. Pela beleza e pelo porte, não pode faltar em qualquer projeto de paisagismo; é ótima também para arborização de ruas estreitas e sob redes elétricas, o que já vem sendo feito em muitras cidades do sudeste brasileiro.

Informações ecológicas

Planta perenifólia ou semidecídua, heliófita, característica da floresta pluvial atlântica. Ocorre predominantemente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Fenologia

Floresce geralmente duas vezes ao ano, em junho-agosto e dezembro-março, sendo entretanto nessa última época mais abundante. Os frutos iniciam o amadurecimento no final de julho, prolongando-se até agosto e, abril-maio.

Obtenção de sementes

Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea e liberação das sementes. Isto é facilmente notado balançando-se um ramo com frutos sobre a palma da mão e observando se há queda de suas minúsculas sementes semelhantes à areia fina. Cortar todo o ramo contendo frutos e levar tudo ao sol, separando-se as sementes. Um quilograma contém aproximadamente 3.300.000 unidades.

Produção de mudas

Colocar as sementes para germinação, logo que colhidas, em canteiros sombreados contendo substrato orgânico: preparas um leito de semeadura contendo substrato peneirado ou com pó de xaxim, cobrindo-se muito levemente as sementes com o mesmo material. Para evitar o arranquio das sementes durante a irrigação cobrir o canteiro com saco de estopa, removendo-o logo que iniciar a emergência. A emergência ocorre em poucas semanas e, a taxa de germinação geralmente é baixa.

Transplantar as mudas para embalagens individuais quando atingirem 3-4 cm, as quais ficarão prontas para plantio no local definitivo em 7-8 meses. O desenvolvimento das plantas no campo é moderado.

Fonte: eupreservo.org

Quaresmeira

Lenda da Menina Quaresmeira

Há muitos anos atrás existia , num vilarejo, uma menina chamada Quitéria .

Aos cinco anos de idade , quando foi pela primeira vez na missa da Quaresma , esta garota recebeu a marca das tradicionais cinzas na testa .

Ao chegar em casa , Quitéria não quis lavar a marca e passou os quarenta dias da Quaresma rezando e realizando curas . Ela só lavou a testa no domingo de Páscoa .

A partir daquele dia , todo o período da Quaresma a menina fazia o mesmo ritual e só limpava a testa na Páscoa . Por isto , esta criança recebeu o apelido de Quaresmeira.

Quaresmeira
Quaresmeira

Aos doze anos , Quitéria teve meningite e faleceu .

Um ano depois , nasceu uma árvore ao lado do seu túmulo . Era uma árvore desconhecida com flores roxas .

O povo notou que estas flores só apareciam no período da Quaresma , por causa deste fato e pela planta ter nascido ao lado do túmulo de Quitéria , esta árvore recebeu o nome de Quaresmeira .

Diz a lenda que o fantasma de Quitéria sempre sai de dentro de uma Quaresmeira , na época da Quaresma , e este espírito sempre anda com marcas de cinza na testa .

Por isto , sempre quem faz um pedido para uma Quaresmeira na época da Quaresma tem o seu sonho realizado .

Fonte: www.sobrenatural.org

Quaresmeira

É tempo de quaresmeira!

Se, com a proximidade das férias e a bateria de provas de fim de ano na escola, você não lembrou de admirar as flores na Primavera, não deixe de observar a quaresmeira ou flor-de-quaresma, como são conhecidas as árvores do gênero Tibouchina.

Elas têm esse nome porque geralmente florescem próximo ao período religioso da Quaresma, que vai da Quarta-feira de Cinzas ao Domingo de Páscoa, embora também possam florescer em outras épocas do ano.

Por causa da intensidade de suas floradas e a boa adaptação ao ambiente urbano, as quaresmeiras, com porte entre 7 e 12 metros, têm sido cada vez mais utilizadas na arborização de cidades, especialmente do Sudeste do Brasil. Devido à sua importância ecológica na reconstrução de áreas verdes, foi até eleita a árvore-símbolo de Belo Horizonte. 

Originária da mata atlântica, esta espécie aprecia o clima tropical e subtropical, tolerando bem o frio moderado. Multiplica-se por sementes, com baixa taxa de germinação, e por estaquia de ramos semi-lenhosos.

Algumas espécies 

O gênero Tibouchina (Família Melastomataceae) está distribuído principalmente em regiões tropicais e subtropicais da América e inclui aproximadamente 350 espécies, sendo 129 nativas do Brasil.

A mais comum nas cidades brasileiras é a Tibouchina granulosa. Tem entre 8 e 12 metros de altura e é muito vistosa pela abundância de suas flores, que podem ser roxas ou rosas. Por isso, é muito usada em projetos de paisagismo.

 Suas flores geralmente desabrocham duas vezes ao ano, entre junho e agosto, e de dezembro a março, nesse último período com mais intensidade. Ocorre naturalmente na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, sobretudo na floresta pluvial da encosta atlântica. 

Quaresmeira
Quaresmeira

Já a Tibouchina mutabilis é uma espécie muito interessante, porque suas flores mudam de cor, do branco para o roxo, à medida que envelhecem. Possui entre 7 e 12 metros de altura e floresce durante os meses de novembro e fevereiro.

Por ser encontrada na floresta pluvial da encosta atlântica, do Rio de Janeiro até Santa Catarina, a T. mutabilis também é conhecida como manacá-da-serra. Outros nomes populares são jacatirão, flor-de-maio, flor-de-quaresma e pau-de-flor. 

Nas áreas de restinga da Mata Atlântica, é encontrada a Tibouchina pulchra que tem características bem semelhantes a T. mutabilis. 

Referências 

Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.
Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 02, 2 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.

Fonte: www.invivo.fiocruz.br

Quaresmeira

A quaresmeira (Tibouchina granulosa) é uma árvore brasileira pioneira, da Mata Atlântica, principalmente da floresta ombrófila densa da encosta atlântica e, no estado de São Paulo, do sudeste.

Seu nome popular é devido à cor das flores e época de floração: entre os meses de janeiro e abril, e também em junho-agosto. Além da variedade com flores roxas há a de flores rosadas (variedade Kathleen).

Uma árvore de pequeno a médio porte, de grande beleza quando apresenta suas flores roxas, e por isso muito utilizada em paisagismo urbano. A variação Tibouchina mutabilis tem flores rosas misturadas com as roxas.

Normalmente inicia a floração entre Fevereiro e Março, e algumas árvores mantêm a floração até o mês de Maio.

Quaresmeira
Quaresmeira

Tibouchina granulosa

Classificação científica Reino: Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Myrtales
Família:
Melastomataceae
Género:
Tibouchina
Espécie:
T. granulosa
Nome binomial:
Tibouchina granulosa
Sinónimos:
Melastoma granulosa Desr. Pleroma granulosa Don Lasiandra fontanesiana DC. Melastoma fontanesii Spreng

Ocorrência

No sudeste do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia) e no sul da Flórida, Estados Unidos, principalmente em matas secundárias.

Quaresmeira
Quaresmeira

Características

Árvore de 8 a 12 m de altura, com tronco de 30-40 cm de diâmetro.

É perenifólia, ou seja, apresenta folhas o ano inteiro, ou semidecídua. As folhas rijas são pubescentes nas duas faces, com nervuras nítidas.

Seu fruto, deiscente, incomestível, é marrom e arredondado e mede menos de 12 mm. Amadurece de junho a agosto, e em abril-maio.

A semente é minúscula: 1 kg contém mais de 3 milhões de unidades. A dispersão é anemocórica, e a taxa de germinação é baixa.

Grande parte das tibouchinas são bastante requisitadas pelo paisagismo, por sua beleza. Seu porte baixo permite que seja plantada em calçadas estreitas, e sob a rede elétrica. Por ser planta rústica suporta clima seco e quente, e solos pobres. Pelo mesmo motivo é usada na revegetação de áreas degradadas. É considerada por especialistas a Tibouchina mais fácil de ser cultivada.

Quaresmeira
Quaresmeira

Fonte: www.cazapaisagismo.com.br

Quaresmeira

Nome Científico: Tibouchina granulosa
Família:
Melastomaceae
Características Morfológicas:
A altura desta árvore vai de 8 a 12 metros, com um tronco em torno de 30 a 40 centímetros de diâmetro. As suas folhas são rijas e pubescentes (indumento das plantas formado de pêlos finos e curtos) nas duas faces.
Origem:
Brasil.
Ocorrência Natural:
Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, principalmente na floresta pluvial da encosta atlântica. Fora do Brasil, ocorre no Sul da Flórida, nos Estados Unidos, mas em matas secundárias.

Quaresmeira
Quaresmeira

Para começar, o nome popular, quaresmeira, deriva justamente do período em que ela floresce (entre janeiro e abril), época em que normalmente ocorre a Quaresma (os 40 dias que vão da quarta-feira de cinzas até domingo de Páscoa, destinados, pelos católicos e ortodoxos, à penitência).

Árvore brasileira pioneira, sobretudo da Mata Atlântica, ela também é conhecida pela profusão de flores que vão do cor-de-rosa ao lilás (às vezes roxo). Muito aplicada em canteiros e praças públicas, a quaresmeira tem um forte apelo paisagístico, até em função de sua beleza durante a floração.

Quaresmeira
Quaresmeira

É também usada na recomposição de áreas degradadas, em função de produzir anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Conhecida ainda pelos nomes de flor-da-quaresma e quaresmeira-roxa, sua madeira também pode ser aplicada na confecção de objetos leves como brinquedos e caixas.

Fonte: eptv.globo.com

Quaresmeira

A quaresmeira ou tibouchina

Árvore que floresce geralmente duas vezes ao ano, em julho-agosto e dezembro-março, altura de 8 a 12 metros.

Nome Técnico: Tibouchina granulosa) (Desr.)Cogn.

Nomes Populares: quaresmeira, tibouchina

Família: Família Melastomataceae

Origem: Originária do Brasil, com ocorrência nos estados da Bahia, São Paulo, Minas Gerais, mas cultivada em quase todo o país.

Descrição: Árvore de pequeno porte, até 12,0 m, ramos quadrangulares e forma de sombrinha.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quando nova tem aparência de um arbusto.

As folhas perenes são verde-escuras rijas e pubescentes em ambas as páginas.

Flores vistosas em rosa ou púrpura arroxeada, em grandes inflorescências terminais.

Florescimento no final do inverno e também no outono, sendo esta a que produz mais flores.

Modo de cultivo: Necessita de local ensolarado, solo de fertilidade média e bem drenado.

Propagação facilmente por sementes produzidas em abundância.

A semeadura pode ser feita em tubetes ou caixotes, aguardando até atingirem de 10-15 cm para transplante em sacos ou vasos.

Paisagismo: É uma árvore que ocorre espontânea nos seus lugares de origem, em floresta pluvial atlântica e também em capões de crescimento secundário.

Seu plantio em paisagismo tem alguns senões, pois como planta de rua seus galhos frágeis quebram com o vento, colocando transeuntes em risco.

Em parque e jardins seu florescimento surpreende a todos pelo colorido vistoso e pode ser usada em pequenos jardins com belo efeito ornamental.

A cor de suas flores em púrpura arroxeada combina bem com plantas de flores brancas, lavanda e rosa.

Como cuidar da sua Quaresmeira/ Tibouchina granulosa?

Planta perenifólia ou semidecídua, heliófita, caracaterística da floresta pluvial atlântica.

Ocorre predominantemente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Quaresmeira

Fonte: www.fazfacil.com.br/www.uemurafloreseplantas.com.br

Quaresmeira

Quaresmeira Roxa

Sementes de Quaresmeira, de nome científico Tibouchina granulosa uma árvore de beleza notável, que encanta por sua exuberante floração.

Seu porte geralmente é pequeno a médio, podendo atingir de 8 a 12 metros de altura. A floração ocorre duas vezes por ano, no outono e na primavera, despontando abundantes flores roxas.

Mesmo quando não está em flor, a quaresmeira é ornamental. Sua copa é de cor verde escura, com formato arredondado, e sua folhagem pode ser perene ou semi-decídua, dependendo do clima em que se encontra.

Quaresmeira
Quaresmeira Roxa

Por suas qualidades, ela é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil, podendo ornamentar calçadas, avenidas, praças, parques e jardins em geral.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, profundo, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano após o plantio ou transplante. Apesar de preferir esses cuidados, a quaresmeira é uma árvore pioneira, rústica e simples de cultivar, vegetando mesmo em solos pobres. Esta espécie aprecia o clima tropical e subtropical, tolerando bem o frio moderado.

Sementes destinadas unicamente ao cultivo. A quaresmeira apresenta naturalmente baixo índice de germinação, em torno de 15%, pois a grande maioria de suas sementes não possui embrião. Apesar disso, suas sementes são muito pequenas e numerosas. Esta espécie depende de luz para sua germinação. A emergência ocorre entre 7 a 30 dias após a semeadura.

Plantar em saquinhos com terra ou areia, irrigando diariamente e transplantar para o local definitivo após 6 a 7 meses do plantio.

No local definitivo, devem ser abertas covas com 40 x 40 x 40 cm, com espaçamento entre plantas de no mínimo 3 x 3 metros. Fertilizar as covas com 10 a 15 litros de esterco bem curtido e mais 100g de NPK 04-14-08.

Após, fertilizar anualmente com 10 litros de esterco e 100 gramas de NPK 10.10.10.

Utilize cobertura morta (resto de capina, folhas mortas, casca de pinus ou serragem ao redor da planta) que aumenta a disponibilidade de água e ajuda no seu desenvolvimento.

Fonte: www.tocadoverde.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal