Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biologia / Sapucaia

Sapucaia

PUBLICIDADE

 

Sapucaia – Lecythis pisonis

Ocorrência – do Ceará ao Rio de Janeiro, com predominância nos estados do Espírito Santo e Bahia.

Outros nomes – castanha sapucaia, cumbuca de macaco, sapucaia vermelha (ES), marmita de macaco, caçamba do mato

Características

Planta semidecídua com altura de 20 a 30 m com copa densa e ampla, tronco reto, casca espessa, dura e pardo-escura, com fissuras, com 50 a 90 cm de diâmetro.

Folhas membranáceas, ovado-oblongas, margem serreada, nervação bem nítida na face superior glabras, parcialmente renovadas na seca.

As folhas novas de cor rosa-avermelhada, juntamente com as flores de cor lilás, conferindo à sua copa beleza indescritível.

Este espetáculo dura algumas semanas, atingindo o seu auge no final de outubro e passando lentamente para a cor verde normal. Somente árvores adultas (com mais de 8 anos) exibem esta característica.

Flores grandes e de coloração branco-arroxeadas, bastante atraentes devido a uma estrutura cobrindo os órgãos reprodutivos.

Uma das principais curiosidades desta árvore é a forma de seu fruto, denominada botanicamente “pixídio” e popularmente conhecida como “cumbuca”.

Sapucaia
Sapucaia

Trata-se de uma cápsula lenhosa de forma globosa de 2 a 4 kg e até 25 cm de diâmetro, dotada de uma tampa na extremidade oposta ao cabinho de fixação que se descola e cai quando o fruto está maduro para permitir a liberação das sementes.

As sementes ou “castanhas” são comestíveis e muito deliciosas. Seu sabor rivaliza com a “castanha-do-pará”, contudo não é comercial porque a produção é muito baixa e muito perseguida pelos macacos e outros animais selvagens. Geralmente uma cumbuca média contém 6 a 12 castanhas elípticas, oleaginósas, com 6 cm de comprimento, as quais contém, afixadas em sua base, um arilo branco-amarelado de sabor adocicado e muito procurado pelos morcegos.

Estes recolhem as castanhas com o arilo e as levam para árvores de copa densa para saborearem, deixando cair as castanhas após a remoção do arilo, constituindo-se assim nos disseminadores naturais desta espécie. Portanto, o melhor lugar para procurar as castanhas desta árvore não é sob a sua copa, mas sob as árvores próximas de copa densa e escura.

O maior consumidor de suas castanhas, contudo, não é o homem, mas sim o macaco-sauá, que faz verdadeiras loucuras para consegui-las. Quando ainda fechadas, os macacos torcem as cumbucas como se fossem arrancá-las para acelerar a maturação.

Quando parcialmente abertas, chegam a bater um fruto contra o outro na tentativa de forçar a liberação das castanhas e, segundo a lenda, dificilmente enfiam a mão dentro da cumbuca (pelo menos os mais experientes), porque isto pode prender sua mão ao contraí-la para apanhar as castanhas. Daí a expressão “macaco velho não põe a mão em cumbuca”.

Geralmente ficam afixadas na árvore mesmo após a queda das castanhas por vários meses. Um kg de sementes contém aproximadamente 180 unidades.

Habitat – mata atlântica

Propagação – sementes

Madeira – moderadamente pesada, dura, resistente, de grande durabilidade quando não enterrada.

Utilidade – a madeira era usada principalmente para vigamentos de construções rurais em geral, esteios, postes, estacas, tábuas para assoalhos, pontes, etc. As cumbucas são usadas na zona rural como utensílio para fins diversos, principalmente para vasos de plantas ou como adorno doméstico. As castanhas são comestíveis e muito apreciadas pela fauna.

Florescimento – setembro a outubro

Frutificação – agosto a setembro

Ameaças – sua freqüência natural na floresta nunca foi muito alta e, hoje, já pode ser considerada rara no habitat. Isto se deve a pequena produção de sementes e a intensa perseguição dos macacos que consomem avidamente suas castanhas.

Fonte: www.vivaterra.org.br

Sapucaia

Sapucaia ou cumbuca de macaco

Na tradução do Tupi para o Português, sapucaia quer dizer, sa = olho, puca = que se abre e ia = cabaça, ou seja a cabaça que abre o olho. De fato ao abrir o opérculo do fruto (pixídio), temos a impressão de que ele tem um olho.

Numa outra tradução para a palavra de origem tupi, sapucaia quer dizer, galinha ou galo, porque os primeiros portugueses que aqui chegaram, trocavam as deliciosas castanhas contidas no interior do fruto, por galos e galinhas, animais que os índios pouco conheciam, mas apreciavam.

As sapucaias são belas árvores que podem atingir 30 metros de altura e 1 m de diâmetro na mata nativa, mas que normalmente são encontrados com 5 a 15 metros de altura e 30 cm de diâmetro.

Pertencem à família das Lecitidáceas (a mesma do jequitibá), e a espécie mais conhecida é a Lecythis pisonis, que margeia os dois lados da entrada da Quinta da Boavista.

Na época da floração que se dá em outubro, a árvore fica inteiramente tomada de um rosa intenso, como que por brácteas feitas de suas folhas. Essa é uma forma de atrair os agentes polinizadores que fecundarão as flores. Os frutos durarão mais de dez meses para atingir a maturidade e liberar as castanhas,em agosto/setembro do ano próximo.

Estes são procurados por diversos animais de médio e grande porte, como antas, catetos, queixadas, macacos, roedores diversos, papagaios, araras e morcegos.

Estes últimos são os maiores dispersadores de suas sementes na natureza, que chega a levá-las a uma distância de cem metros da árvore.

Cada semente leva uma recompensa para o morcego em forma de alimento na extremidade. Este trabalho é muito importante para a reprodução da espécie, pois junto à arvore dificilmente restaria alguma chance para que as sementes germinassem, já que são muito disputadas pela fauna.

Um ditado popular diz que macaco velho não mete a mão em cumbuca, no caso a cumbuca de macaco é o fruto da sapucaia, onde o macaco mete a mão para agarrar as castanhas, ao assustar-se, esquece de abri-la ficando com ela presa ao fruto. Segundo o ditado, somente os mais inexperientes acabam vítimas da sua afobação e são penalizados por isso.

A sapucainha, embora em Tupi o significado mirim seja o mesmo que pequeno, não representa a mesma espécie que a anterior, esta é da família das Esterculiáceas e seu nome científico é Carpotroche brasiliensis, também chamada de canudo de pito.

É uma árvore das nossas matas, de caule fino e proporcionalmente alto em relação a seu caule, e seu fruto é do tamanho de uma laranja cor verde zinabre, com frisos longitudinais e muito ornamental, é comestível com polpa de sabor semelhante em cor e paladar ao do mamão, porém com muitos caroços.

Suas sementes ricas em óleo, servem para a fabricação de uma pomada medicinal utilizada para combater piolhos e doenças da pele, entre elas as de origem herpética (Pio Corrêa).

Aliás a sapucaia é uma árvore que merece maior utilização por nós, tanto na arborização de ruas, como em reflorestamentos para diversos fins, principalmente em culturas visando a produção de castanhas para o consumo humano, além de produto de exportação pois é conhecida no exterior.

Através da sapucaia, a natureza nos dá exemplo entre outras coisas, que podemos ter a carapaça dura como a do seu fruto, mas sem perder a essência rica do nosso interior.

Sapucaia
Sapucaia

Fonte: www.terrabrasil.org.br

Sapucaia

Classificação

Reino Plantae
Divisão Magnoliophyta
Classe Magnoliopsida
Ordem Ericales
Familia Lecythidaceae
Gênero Lecythis
Espécie L. pisonis

Sinonimia botânica: Couroupita crenulata Miers, Couroupita lentula Miers, Lecythis amapaensis Ledoux, Lecythis amazonum Mart. entre outros.

Sinominos: Cumbuca-de-Macaco, Castanha-de-Sapucaia, Cabeça-de-Macaco, Sapucaia-Vermelha

Caracteristicas:

Planta de grande porte entre 20 a 30 metros de altura, com copa frondosa de coloração rosada na primavera devido as folhas novas. Nativa da Floresta Pluvial Atlântica e região amazônica próximo a várzeas e no interior da mata primária.

Seu tronco é reto e cilíndrico podendo chegar a 1m de diâmetro, possui casca fissurada no sentido longitudinal e coloração castanho-claro.

Parente da Castanha-do-Pará e do Jequitibá, suas folhas são simples e subcoriáceas, alternas e lanceoladas, de margem pouco serreada, possui um peciolo curto.

Com característica caducifólia, as folhas são verdes quando maduras e rosadas quando novas dando a grande beleza da sapucaia, juntamente com suas flores.

As flores são arroxeadas, tornando-se esbranquiçadas quando velhas, possuem um aroma sutil, distribuem-se de maneira racemosa, contendo de 2 a 25 flores por inflorescência. O período de florescimento geralmente vai de setembro a outubro podendo se estender dependendo da região. A floração coincide com a nova folhagem tomando a Sapucaia de uma grande beleza e renovação.

Os frutos da Sapucaia são pixídeos lenhosos e deiscentes com cerca de 10 meses de maturação geralmente coincidindo a abertura dos frutos velhos com a nova florada. Abrindo o opérculo mais conhecido como tampa, revelam-se de 4 a 12 sementes presas por um arilo carnoso branco.

Os frutos são utilizados no artesanato para a confecção de peças, potes e etc, pois possuem alta durabilidade. As sementes chamadas de castanhas são comestíveis e muito apreciadas podendo ser consumidas cruas, cozidas ou assadas tal qual as demais castanhas conhecidas.

Sapucaia
Sapucaia

Árvore Ornamental, com raízes profundas e de grande porte, recomendada para a arborização de parques e canteiros extensos. Possui características de árvore do dossel florestal ou emergente. Preferem boa luminosidade porém não gostam de sol muito intenso e seu crecimento é moderado.

Sua madeira é pesada e castanho-amarelada com alta resistência mecânica e ao apodrecimento, empregada em construções externas como postes, mourões, estacas etc, como também na construção civíl como ripas, tacos, tábuas, portas e janelas, em móveis e também em navios.

As sementes devem ser recolhidas após a abertura dos opérculos. Colocá-las para germinação logo que colhidas em substrato organo-argiloso. A emergência dos brotos ocorre entre 5 e 7 semanas com taxa de germinação em média de 50%, e podem ser transplantads após 7 meses.

Referências

LORENZI, H; Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol 2, 4 ed. Nova Odessa, SP. Instituto Plantarum. 2002
ROZZINI, C,T; MORS, W,B; Botânica econômica brasileira, 2 ed, revisada e atualizada. Rio de Janeiro: Âmbito Cultural.1995

Fonte: naturezadivina.org

Sapucaia

NOME CIENTÍFICO: Lecythis pisonis Cambess. subsp. usitata (Miers) Mori & Prance = Lecythis paraensis Huber ex.Ducke
FAMÍLIA:
Lecythidaceae
NOMES COMERCIAIS: BRASIL :
castanha-sapucaia, sapucaia-vermelha.

ORIGEM

Ocorre nas várzeas, e mais raramente na terra firme em toda a região amazônica, principalmente nos Estado do Amazonas e Pará.

CARACTERÍSTICA GERAIS

Cerne vermelho-amarelado, distinto do alburno amarelo com manchas escuras.Anéis de crescimento pouco distintos, grã revessa, textura média, brilho ausente e cheiro imperceptível.

Árvore de 15 a 25 m de altura, com copa densa e ampla. Tronco reto, casca espessa, dura e pardo-escura, com fissuras. Folhas membranáceas, ovado-oblongas, margem serreada, nervação bem nítida na face superior glabras, parcialmente renovadas na seca, sendo que quando novas, no outono apresentam coloração rósea muito atraente, junto com as flores.

Flores grandes e de coloração branco-arroxeadas, bastante atraentes devido a uma estrutura cobrindo os órgãos reprodutivos. Fruto tipo pixídio esférico, chegando a 25 cm de diâmetro, lenhoso, com até 20 sementes elípticas, oleaginósas, em torno de 6 cm de comprimento.

A Sapucaia

Árvore com uma altura média de 20 a 30 metros, suas folhas são simples, lisas, com 15 cm, quando novas têm coloração rosa.

Suas flores são roxas e brancas, tamanho médio. Seus frutos são grandes (20 cm) com casca muito dura, e uma tampa que se solta quando maduro, liberando as sementes. Muito utilizado antigamente como recipiente.

Suas sementes são comestíveis e muito saborosas, de tamanho em torno de 6 cm, e de um marrom claro.

A Sapucaia é uma árvore de porte grande, muito comum na mata Atlântica de nossa região. Durante a maior parte do ano, ela aparece não muito diferente das outras, mas na primavera, após a queda das folhas, fica coberta de novas folhas da cor rosa.

Seu fruto é uma castanha grande, que se abre na parte inferior para deixar cair as sementes, que são saborosas. Esta castanha é decorativa, e era utilizada no interior como utensílio doméstico.

O tronco é bem característico. Existem árvores deste tipo muito velhas e altas, com até 30 metros de altura, destacando-se das outras.

SECAGEM

Rápida em estufa, com tendência a rachaduras fortes e moderada tendência a torcimento forte.

TRABALHABILIDADE

Plaina : regular de trabalhar, acabamento ruim;
Lixa:
regular de trabalhar, acabamento bom;
Torno:
fácil de trabalhar, acabamento regular;
Broca :
regular de trabalhar, acabamento bom.

DURABILIDADE: Altamente resistente ao ataque de organismos xilófagos.

PRESERVAÇÃO: O alburno é difícil de preservar com CCA-A e o cerne não é tratável com creosoto e nem com CCA-A, mesmo em tratamentos sob pressão.

USOS

Construção civil e naval, móveis, artigos domésticos decorativos, brinquedos, instrumentos musicais e outros.

Fonte: www.madguimaraes.com.br

Sapucaia

A Sapucaia é uma árvore que está em extinção. Nos dias atuais, a maioria é cultivada em viveiros.

Ela passa por fases em que muda de forma e cor durante o ano. Depois de ficar despetalada, revigora-se tomando uma cor verde que, aos poucos, vai se transformando nesta cor Vermelha-vinho, para, em seguida, tornar-se uma árvore com as folhas meio que douradas.

Nome popular: castanha-sapucaia; cumbuca-de-macaco
Nome científico:
Lecythis pisonis Camb.
Família botânica:
Lecythydaceae
Origem:
Brasil Floresta Pluvial Atlântica

Sapucaia
Sapucaia

Sapucaia
Sapucaia

Características da planta

Árvore de até 30 m de altura e tronco que pode atingir I m de diâmetro, copa densa. Folhas caracteristicamente róseas quando jovens, verdes posteriormente Flores grandes de coloração lilás arroxeada. Florescem em abundância no meses de setembro a outubro.

Fruto: Arredondado, casca rígida e espessa de coloração castanha. Quando 222 maduros abrem-se na porção inferior, através de uma característica tampa, liberando as sementes (castanhas) comestíveis e saborosas. Frutifica nos meses de agosto a setembro.
Cultivo:
Propaga-se por sementes. Caso o fruto seja colhido antes da maturação, deixá-lo ao sol para que se abra e libere as sementes. Necessita de solo argiloso, rico em matéria orgânica e sombreamento.

Pelo nome de sapucaia é conhecido, no Brasil, um grande número de árvores que pertencem à família botânica das Lecitidáceas, a mesma à qual pertence a imponente castanheira-do-brasil ou castanheira-do-pará.

Em sua maioria, as sapucaias caracterizam-se pela peculiaridade de seus frutos. Na forma de urnas, de casca dura e de aparência lenhosa, estes encerram uma boa quantidade de amêndoas comestíveis e muito apreciadas, que se espalham pelo mato quando, um a um, os frutos amadurecem e, espontaneamente, seus opérculos se desprendem.

As sapucaias e seus frutos, nativos da terra, já eram bastante conhecidos e aproveitados pelas populações que habitavam o Brasil na época da chegada dos primeiros europeus, no século XVI. Estes, por sua vez, sentiram-se atraidos pelas qualidades da planta útil, exótica e ornamental e impressionaram-se com suas peculiaridades, tendo fornecido interessantes descrições e detalhamentos de sua conformação.

De acordo com Eurico Teixeira, o viajante Pêro de Magalhães Gândavo descreveu os frutos das sapucaias como grandes cocos muito duros, repletos de castanhas doces e extremamente saborosas. Para ele, esses frutos não parecem criados pela natureza, e sim por algum artifício de indústria humana uma vez que suas bocas, voltadas para baixo e cobertas por capadoiras que caem sozinhas, permitem que também as castanhas, tranqüilamente, possam cair e se dissipar.

As amêndoas aromáticas e oleaginosas da sapucaia podem ser consumidas cruas, cozidas ou assadas, constituindo-se em excelente alimento. Podem substituir, em igualdade de condições, as nozes, amêndoas ou castanhas comuns européias, prestando-se como ingrediente para doces, confeitos e pratos salgados.

A sapucaia é árvore característica da floresta pluvial atlântica, ocorrendo desde o Ceará até o Rio de Janeiro, particularmente freqüente no sul da Bahia e no norte do Espírito Santo. Pode ser também encontrada, em estado nativo, na região amazônica. Em alguns casos, na alta floresta, a árvore apresenta a magnitude da natureza que a gerou, alcançando mais de 30 metros de altura.

Quando chega a época da floração, verdadeira festa para as abelhas, a sapucaia se transforma: todo o verde da árvore fica encoberto por uma capa cor-de-rosa, um belo espetáculo propiciado pela conjunção das flores arroxeadas e cheias de aroma perfumado, que tomam a copa da árvore com as folhas novas, que também nascem coloridas de rosa ou lilás.

Aos poucos, as folhas vão ficando esverdeadas e os frutos vão tomando a sua forma característica.

Vazios, os receptáculos das amêndoas são transformados pelo homem em objetos de uso e de ornamento: cumbucas, caçambas, vasos, potes, pratos, marmitas e o que mais for preciso.

As amêndoas são muito apreciadas.

Fonte: www.plantasonya.com.br

Sapucaia

Outros nomes populares: castanha-sapucaia, cumbuca-de-macaco,sapucaia-vermelho (ES), marmita-de-macaco, caçamba-do-mato

Características gerais

É uma árvore média a alta da mata atlântica úmida, com ocorrência desde o Rio de Janeiro até o Ceará, com predominância nos estados do Espírito Santo e Bahia. Sua freqüência natural na floresta nunca foi muito alta e, hoje, já pode ser considerada rara no habitat. Isto se deve a pequena produção de sementes e a intensa perseguição dos macacos que consomem avidamente suas castanhas.

Ocorre quase que exclusivamente nas várzeas e início de encostas em solos de boa fertilidade e bem supridos de matéria orgânica e umidade , porém não ocorre em solos permanentemente encharcados.

Apesar de sua altura máxima não ultrapassar 40 m, seu tronco pode atingir 9 m de circunferência. Quando cultivada fora da mata, seu porte não ultrapassa 25 m e sua copa é mais globosa, quando comparada com exemplares da floresta.

É considerada uma planta decídua, ou seja, que perde suas folhas no inverno, quer pela menor disponibilidade de água no solo, quer pela menor temperatura nesta época do ano.

Na primavera surgem as folhas novas de cor rosa-avermelhada, juntamente com as flores de cor lilás, conferindo à sua copa beleza indescritível. Este espetáculo dura algumas semanas, atingindo o seu auge no final de outubro e passando lentamente para a cor verde normal.

Somente árvores adultas (com mais de 8 anos) exibem esta característica. Existem mais 3 espécies de sapucaia, porém nenhuma com esta característica, apesar de se assemelharem morfologicamente. A sapucaia, contudo, não é a única espécie de árvore a exibir folhas novas coloridas.

Ocorrência: Originalmente sua distribuição natural se estendia desde o Ceará até o Rio de Janeiro na mata atlântica de várzea, sendo mais freqüente, contudo do sul da Bahia até o norte do Rio de Janeiro.

Sua ocorrência e importância foi mais acentuada no ES e RJ, tendo inclusive emprestado o seu nome para designar várias localidades, como a cidade de Sapucaia no RJ.

Frutos

Uma das principais curiosidades desta árvore é a forma de seu fruto, denominada botanicamente “pixídio” e popularmente conhecida como “cumbuca”.

Trata-se de uma cápsula lenhosa de forma globosa de 2-4 kg e até 25 cm de diâmetro, dotada de uma tampa na extremidade oposta ao cabinho de fixação que se descola e cai quando o fruto está maduro para permitir a liberação das sementes. Isto ocorre nos meses de agosto-setembro. As sementes ou “castanhas” são comestíveis e muito deliciosas.

Seu sabor rivaliza com a “castanha-do-pará”, contudo não é comercial porque a produção é muito baixa e muito perseguida pelos macacos e outros animais selvagens. Geralmente uma cumbuca média contém 6-12 castanhas, as quais contém, afixadas em sua base, um arilo branco-amarelado de sabor adocicado e muito procurado pelos morcegos. Estes recolhem as castanhas com o arilo e as levam para árvores de copa densa para saborearem, deixando cair as castanhas após a remoção do arilo, constituindo-se assim nos disseminadores naturais desta espécie.

Portanto, o melhor lugar para procurar as castanhas desta árvore não é sob a sua copa, mas sob as árvores próximas de copa densa e escura. O maior consumidor de suas castanhas, contudo, não é o homem, mas sim o macaco-sauá, que faz verdadeiras loucuras para consegui-las. Quando ainda fechadas, os macacos torcem as cumbucas como se fossem arrancá-las para acelerar a maturação.

Quando parcialmente abertas, chegam a bater um fruto contra o outro na tentativa de forçar a liberação das castanhas e, segundo a lenda, dificilmente enfiam a mão dentro da cumbuca (pelo menos os mais experientes), porque isto pode prender sua mão ao contraí-la para apanhar as castanhas. Daí a expressão “macaco velho não põe a mão em cumbuca”.

As cumbucas são usadas na zona rural como utensílio para fins diversos, principalmente para vasos de plantas ou como adorno doméstico. Geralmente ficam afixadas na árvore mesmo após a queda das castanhas por vários meses.

Madeira

Não é considerada de excelente qualidade. De densidade média (0,88 g/cm3), dura, resistente, grã direita, de textura média, era usada principalmente para vigamentos de construções rurais em geral, esteios, postes, estacas, tábuas para assoalhos, pontes, etc. Sua durabilidade quando exposta ao tempo não é das maiores.

Sapucaia
Sapucaia – Madeira

Produção de mudas

Suas sementes (castanhas) germinam com certa facilidade em 40-70 dias se deixadas para germinar em solo organo-argiloso logo que caídas das árvores. Um kg de sementes contém aproximadamente 180 unidades. Semeá-las logo que colhidas porque sua viabilidade germinativa não ultrapassa três meses.

A semeadura deve ser feita sem nenhum tratamento diretamente em saquinhos individuais (duas sementes por embalagem) contendo substrato organo-argiloso e mantidos em local sombreado. Cobrir as sementes com uma camada de 1 cm do substrato peneirado e irrigar duas vezes ao dia.

A emergência das sementes ocorre em 40-70 dias e a taxa de germinação é apenas moderada. O desenvolvimento das mudas no viveiro e posteriormente no local de plantio definitivo não é muito rápido, podendo ser considerado “lento”. As árvores jovens iniciam a produção aos 8-10 anos de idade.

Fonte: www.achetudoeregiao.com.br

Sapucaia

Nome científico: Lecythis pisonis
Família:
Lecitidáceas
Nome comum:
sapucaia, cumbuca-de-macaco, castanha-sapucaia, sapucaia-vermelha
Origem:
Brasil
Ocorrência Natural:
Rio de Janeiro ao Ceará, na mata pluvial

Origem

Sapucaia é nome indígena, de origem tupi, relacionado ao fruto: sa =olho, puca = que se abre, e ia = cabaça.

O “olho da cabaça se abre” quando o pixídio (fruto) está maduro e seu opérculo (tampa) cai, revelando as castanhas (sementes) em seu interior, em número de seis a 12.

As castanhas-sementes oleaginosas e aromáticas da sapucaia são comestíveis, de sabor semelhante ao das castanhas do Brasil e caju.

Só são pouco comercializadas porque a produtividade é baixa.

Os frutos pesam de 2 a 4 quilos e possuem, em média, 25 centímetros de diâmetro. A maturação da parte comestível da fruta acontece com o fim do inverno e início da primavera, entre agosto e setembro, completando um ciclo de quase um ano, entre a flor e o fruto maduro.

Fora a taça ou cumbuca e as castanhas, a sapucaia ainda oferece abrigo.

A madeira, não é de lei e não resiste muito, mas é bastante usada na construção de casas, nas vigas estruturais.

Descrição e característica da planta

Árvore perene de grande porte, pode atingir 20 a 30 metros de altura e o seu tronco, 0,50 a 0,90 metro de diâmetro.

As folhas são inteiras, com 8 a 16 centímetros de comprimento por 4 a 7 centímetros de largura. As folhas novas são rosadas ou lilases e assim toda a copa fica lilás por vários dias e depois muda gradativamente para o verde. O florescimento ocorre na fase de formação das folhas, e as flores arroxeadas e bem perfumadas, misturam-se com a bela cor da copa das árvores.

Os frutos são grandes, bem duros (lenhosos), possuem uma tampa na sua ponta (opérculo) que se solta quando os frutos estão maduros e liberam as sementes (castanhas).

A planta se desenvolve bem em regiões de temperatura amena a quente e em solos com boa fertilidade e com boa capacidade de drenagem. A propagação é feita através de sementes, porque não é plantada comercialmente.

Produção e produtividade

As plantas frutificam após vários anos, algumas com mais de 10 anos de idade. As plantas adultas produzem grande quantidade de frutos por ano e normalmente podem-se observar muitos restos de frutos vazios presos nos ramos. Uma observação com atenção e com auxílio de um binóculo permite tirar essa dúvida, pois frutos sem a tampa não contêm amêndoas.

Utilidade

As amêndoas são comestíveis, saborosas e muito apreciadas pelos animais silvestres, especialmente macacos que retiram as amêndoas dos frutos ainda nas plantas, daí a denominação cumbuca-de-macaco.

As amêndoas podem ser consumidas ao natural: cruas, cozidas ou torradas e usadas no preparo de doces, confeitos e pratos salgados.

Os frutos vazios são usados nos artesanatos e como utensílios domésticos. A sua madeira é pesada, dura e usada para mourões, estacas, esteios, postes, pontes, mastros, nas serrarias e nas marcenarias. A planta é indicada para arborização de grandes parques e jardins, pelo belo visual de suas folhas novas no início da primavera, e para recompor matas em áreas degradadas.

Fonte: globoruraltv.globo.com

Sapucaia

Lecythis pisonis / sapucaia-vermelha

Fruto lenhoso de grandes dimensões, pesando até 2,5 kg, que contém mais de 20 castanhas e cujo sabor muito assemelha-se ao da castanha-do-pará (Bertholletia excelsa).

É, porém, considerado ainda mais refinado. A árvore alcança grandes dimensões (mais de 20 m), contudo algumas formas ficam consideravelmente menores.

Durante a floração a árvore recobre-se em sua copa superior de uma belíssima folhagem róseo-avermelhada.

Sapucaia
Sapucaia

Usos

Os frutos são saborosíssimos, e têm a mesma aplicação que a castanha-do-pará ou castanha-do-brasil. A árvore causa grande impacto visual em projetos paisagísticos, como por exemplo, na Quinta da Boa Vista (RJ), de autoria de Auguste Glaziou.

Cultivo

Planta de grande rusticidade em climas tropicais e subtropicais, cultivada a sol pleno e em terrenos férteis. Apesar de vegetar em solos bem drenados na Natureza, adapta-se muito bem a solos úmidos ou com leve encharcamento. Beneficia-se amplamente de uma boa adubação, desenvolvendo-se relativamente rápido.

Origem

Rio de Janeiro ao Ceará, na Floresta Atlântica de Baixada.

Família: Lecythidaceae.

Observações: As mudas que oferecemos são oriundas de uma sapucaieira precoce, por sua vez descendente dos exemplares plantados por Glaziou na Quinta da Boa Vista.

Fonte: www.e-jardim.com

 

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Terra Primitiva

Terra Primitiva

PUBLICIDADE O que é terra primitiva? A história da Terra diz respeito ao desenvolvimento do …

Respiração Branquial

Respiração Branquial

PUBLICIDADE O que é respiração branquial? As brânquias ou guelras são órgãos da respiração, são …

Mecanismos de Feedback

Mecanismos de Feedback

PUBLICIDADE O que são mecanismos de feedback? Um mecanismo de feedback é um processo que usa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+