Breaking News
Home / Biologia / Embaúba-Prateada

Embaúba-Prateada

PUBLICIDADE

 

Embaúba-Prateada – Cecropia hololeuca

Embaúba-Prateada

Embaúba-Prateada

Embaúba-Prateada
Embaúba-Prateada

Ocorrência: do Sul da Bahia até São Paulo e Minas Gerais, principalmente na parte mais alta da encosta atlântica e na floresta de altitude da serra da Mantiqueira, podendo contudo ser encontrada até a Bacia do Rio Paraná.

Outros nomes: embaúba branca, embaúva preta.

Características

Espécie com 6 a 12 m de comprimento, com tronco de 20 a 30 cm de diâmetro.

Folhas peltadas de 50 a 60 cm de diâmetro, coriáceas com ambas as faces cobertas por densa camada de pêlos esbranquiçados.

Lobos com 20 a 35 cm de comprimento. Um Kg de sementes contém 900.000 unidades.

Habitat: floresta pluvial em altitudes superiores a 500 m.

Propagação: sementes.

Madeira: leva, macia, de baixa resistência mecânica e baixa durabilidade.

Utilidade

A madeira pode ser empregada na confecção de objetos leves como fósforos, caixotaria, lápis, brinquedos, aeromodelismo, tamancos, slato de calçados, etc.

A árvore é uma das mais bonitas de nossa flora, destacando-se pela tonalidade prateada da folhagem, o que porporciona sua utilização paisagística.

Seus frutos são apreciados pela fauna.

Florescimento: outubro a janeiro

Frutificação: julho a novembro

Fonte: www.vivaterra.org.br

Embaúba-Prateada

Nome Popular: Embaúva Prateada, embaúva preta, embaúba branca, embaúva branca.

Nome Científico: Cecropia hololeuca

Família: Urticaceae

Sinomínia Botânica: Cecropia candida Snethl.

Origem: Bahia, Espirito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo

Locais de Ocorrência: Nordeste, Sudeste

Onde Plantar: Praças, parques e jardins.

Porte da Árvore: De 5 a 10 metros, De 10 a 15 metros

Utilidades: Caixotaria, Frutíferas para Passáros , Uso Ornamental

Madeira: Leve (densidade 0,43 g/cm³), macia, de baixa resistência mecânica e baixa durabilidade.

Tronco: Tronco de 20-30 cm de diâmetro, revestido por casca fibrosa, fina, com ritidoma estriado e reticulado.

Folha: Folhas alternas espiraladas, simples peltadas, concentradas no ápice dos ramos, estipuladas na região apical, palmatipartidas, 6-10 profundo-lobadas, com indumento flocoso em ambas as faces porém mais visível na face abaxial e nas folhas novas, coriáceas, de 50-60 cm de diâmetro, com lobos de 20-35 cm de comprimento.

Flor: Flores não vistosas, perfumadas, dispostas em espigas.

Fruto: Fruto seco, marrom, de 1 mm de comprimento, agrupado em espigas e dotado de 1 semente.

Potencial Paisagístico: A árvore é uma das mais belas de nossa flora, emprestando aspecto característico à fisionomia das matas que a contém em virtude de sua folhagem prateada que sobressai no meio do verde. Esse mesmo aspecto pode ser conferido ao paisagismo, onde encontra ampla aplicação.

Fenologia: Floresce em mais de uma época, porém com maior intensidade em outubro-janeiro. Os frutos amadurecem em julho-novembro.

Longevidade e Armazenamento: Sementes com alta longevidade natural, fazendo parte do banco de sementes do solo.

Descrição

Embaúba é designação comum a várias espécies de árvores, principalmente do gênero Cecropia, que podem chegar a 15 m de altura.

Pertence ao estrato das plantas pioneiras da Mata Atlântica.

É também chamada de árvore da preguiça, pois seus frutos são o alimento preferido deste animal. As Embaúbas são árvores leves, pouco exigentes quanto a solo, e muito comuns em áreas desmatadas em recuperação.

Possuem frutos atrativos a várias espécies de aves, assim, tornam-se capazes de se dispersar rapidamente.

Como possuem caule e ramos ocos, vivem em simbiose com formigas especialmente as do gênero Azteca, que habitam no seu interior e que as protegem de animais herbívoros – daí seu nomes castelhanos de hormigo ou hormiguillo.

Características

Esta espécie tem tamanho médio (gira em torno de 6 a 12 metros de altura, com tronco de 20 a 30 centímetros de diâmetro). Suas folhas são peltadas (em forma de escudo).

Difícil não notar essa árvore nas matas. O tom prateado de suas folhas é o que mais se sobressai em meio ao verde. Por isso mesmo, tem forte aplicação no paisagismo, em função de sua beleza exótica.

Quanto à qualidade de sua madeira, é macia e de baixa resistência. Ou seja, pode ser usada na confecção de objetos leves, como fósforos, caixotaria, lápis, brinquedos, aeromodelismo, tamancos e saltos de calçados. Mas bom mesmo é a qualidade de seus frutos, alegria da fauna onde há sua ocorrência.

Quanto à sua área de projeção, ela é bem ampla, característica da costa leste do Brasil adentrando-se até Minas Gerais e Mato Grosso. Ocorre em áreas preservadas da floresta ombrófila densa em regiões montanhosas com altitude até 1.400m. Também produz anualmente grande quantidade de sementes, dispersadas na maioria das vezes por pássaros que consomem seus frutos e garantem a sua manutenção. Um quilograma de sementes contém aproximadamente 900 mil unidades.

Época de frutificação e florada

Ela floresce mais de uma vez ao ano, com destaque para os meses entre outubro e janeiro. Já seus frutos amadurecem de julho a novembro.

Cultivo

O desenvolvimento das mudas e também das plantas no campo é bastante rápido.

Aves mais atraídas pela planta

Sanhaços, sabiás, saíras, tuins, tucanos, araçaris, periquitos, jandaias, arapongas, saís, anambés, sebinhos, tiês, trinca-ferros, Cotinga-azul, pipiras, pica-paus, dançarinos-de-cabeças-vermelhas, surucuás, papagaios, tico-ticos, cambaçicas entre outros.

Ocorrência natural

Ocorre no Brasil, Sul da Bahia, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo.

Colheita

Colher os frutos diretamente da árvore quando estiverem maduros, o que é facilmente notado pela presença de danos provocados por pássaros. Em seguida, deixá-los amontoados em sacos de plástico por alguns dias para iniciar a decomposição e facilitar sua maceração em água. As sementes estão envoltas por um halo mucilaginoso que as recobre, o qual deve ser retirado por meio de lavagem e secagem ao sol. As sementes são separadas filtrando-se a suspensão de frutos e deixando-se o filtrado secar ao sol.

Quebra de Dormência

As sementes da imbaúba-prateada apresentam dormência tegumentar. Na natureza, as sementes da embaúba-prateada são ingeridas por aves, tendo seu poder germinativo aumentado graças à ação de seus sucos digestivos. Ainda não foram determinados tratamentos para superar a dormência das sementes.

Como Plantar

Colocar as sementes para germinar, logo que colhidas, em canteiros semi-sombreados contendo substrato argiloso. Como tratam-se de sementes pequenas, cobri-las apenas levemente com o substrato peneirado. A germinação é baixa. O desenvolvimento das plantas no campo é rápido.

Fonte: ibflorestas.org.br/www.wikiaves.com.br

 

Veja também

Água de Reuso

Água de Reuso

PUBLICIDADE O que é a água de reuso? É grande a preocupação com a disponibilidade …

Torniquete

PUBLICIDADE Definição Um torniquete pode ser definido como um dispositivo de constrição ou compressão usado …

cetose

Cetose

PUBLICIDADE Definição Cetose é um estado metabólico caracterizado por níveis aumentados de corpos cetônicos nos …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.