Breaking News
Home / Biologia / Oliveira

Oliveira

PUBLICIDADE

Oliveira – O que é

Oliveira é uma árvore perene que atinge de 6 a 10 metros de altura, com abundantes ramificações.

As folhas são pequenas. As folhas verdes prateadas têm forma oblonga, medindo 4-10 centímetros (cm) de comprimento e 1-3 cm de largura. O tronco é tipicamente nodoso e retorcido.

azeitona tem flores que são brancas de cor esverdeada e florescem em grupo. As pequenas flores brancas, com cálice de quatro fendas e corola, dois estames e estigma bífido, carregam-se geralmente na madeira do ano anterior, em racemos que saltam das axilas das folhas.

Por outro lado, as azeitonas são verdes quando cru e ficam pretas quando maduras

Indo pelo registro, azeitona foi talvez o primeiro que cresceu em Creta, em aproximadamente 3500 AC, significativamente, as oliveiras e várias de suas partes têm conotações simbólicas.

Enquanto o ramo da oliveira representa a paz, os vencedores dos Jogos Olímpicos antigos usavam coroas feitas com folhas de oliveira – que significam vitória e honra. Além disso, desde tempos imemoriais, herbalistas têm vindo a utilizar as folhas de oliveira para limpar bem como curar abertas feridas.

O óleo extraído da oliveira também é usado como um talismã em algumas cerimônias religiosas.

Planta da família das Oleaceae.

Também conhecida como azeitona, oliveira. Seu fruto, a azeitona, contém 3% de proteínas, 39% de hidrados de carbono e 8% de fibra bruta além de potássio, sódio, cálcio, magnésio e ferro.

O fruto (azeitona) é uma drupa cujo formato varia de globoso a elipsóide, tem 6 mm de diâmetro e 15 a 25 mm de comprimento. A drupa é carnuda, glauca a um brilho opaco quando madura e púrpura negra.

As azeitonas são colhidas na fase verde ou deixadas para amadurecer até uma rica cor roxa (azeitona preta). Azeitonas pretas enlatadas podem conter produtos químicos que as tornam pretas artificialmente.

A árvore geralmente flores na primavera. A madeira é muito valorizada e durável e é usada para móveis finos e torneados.

Partes Utilizadas: Toda a planta

Oliveira – Origem e variedades

Anteriormente considerada como uma árvore sagrada e um símbolo de paz, a oliveira parece ser um nativo da Palestina. Conhecido no Egito desde o século XVII aC, foi introduzida na Europa no período muito remoto.

É cultivada em toda a bacia do Mediterrâneo.

As principais variedades de oliveiras são a árvore selvagem de oliva, que dá frutos pequenos, e oliveira interna, cujo azeitonas são carnudas e grandes.

Outras variedades importantes são a azeitona Arbequín, azeitonas Gordal, azeites e camomila Lechín.

Oliveira – Propriedades

Os antigos egípcios foram os primeiros a descobrir suas propriedades de cura e tônico na pele e começou a usá-lo em cosmetologia.

Folhas de oliveira têm um forte interesse na medicina herbal de possuir um notável virtudes. Eles têm propriedades diuréticas que lhes uma escolha interessante no tratamento da hipertensão, tais como dores de cabeça, tonturas fazem, zumbido nos ouvidos, etc. e palpitações cardíacas. Útil na prevenção da aterosclerose e doença cardíaca coronária, também possuem ação hipoglicemiante e antipirético.

Infusão, deixe repousar 10 minutos antes da tomada de grama.

Oliveira – Uso

As folhas de oliveira tem múltiplas utilizações e são utilizadas para tratar vários distúrbios. Enquanto as folhas de oliveira são conhecidas para reduzir a pressão sanguínea, e também ajudar a melhorar a atividade do sangue do sistema circulatório. As folhas também possuem propriedades diuréticas moderadas e, consequentemente, são úteis no aumento da urina de escoamento.

Além disso, eles também podem ser usados para curar doenças como cistite ou inflamação da bexiga.

Herbalistas também recomendam as folhas de oliveira para diabetes, como são conhecidas por possuir propriedades de diminuir a intensidade de sangue de açúcar no sistema.

O óleo extraído da árvore de oliva é rico em nutrientes e também ajuda a desenvolver o equilíbrio das gorduras no corpo. Convencionalmente, muitos médicos têm vindo a utilizar uma dose de uma colher de chá de azeite de oliva misturado com suco de limão para curar cálculos biliares ou pedras e detritos na vesícula biliar.

O óleo também é conhecido por ter propriedades de defesa no sistema digestivo. É igualmente benéfico para a pele.

Oliveira – Habitat e Cultivo

Oliveiras são nativas da região do Mediterrâneo e crescem em abundância na natureza lá. Além disso, as oliveiras são cultivadas em um número de países na região do Mediterrâneo, bem como na região que tem paralelas condições climáticas, tanto no Américas. A oliveira é uma árvore perene, suas folhas podem ser coletadas ao longo do ano, enquanto as frutas são colhidas no final de setembro a meados de novembro. As folhas coletadas a partir das oliveiras crescem em estado selvagem são ditas para incluir maior intensidade dos elementos ativos da planta.

Ao longo dos anos, os troncos das árvores atingem uma largura considerável e as árvores até uma altura de 10 a 15 metros. A madeira das oliveiras que são firmes, bem como perto de grão também são de grande valor para os carpinteiros.

O normal amarelo pálido ou madeira marrom-esverdeada das oliveiras estão em camadas com uma cor mais escura para fazer parecer mais brilhante. As oliveiras podem ser cultivadas em diferentes formas. No entanto, a forma mais comum e preferida é através de cortes ou camadas que são plantadas no solo.

A melhor maneira de propagar oliveiras é cortar ramos de largura diferentes e picar em cerca de um metro de comprimento, plantar profundamente no solo misturado com esterco.

Pequenos gravetos darão raízes e brotos. Alternativamente, pequenos pedaços de ramos são colocados horizontalmente em sulcos baixo e, em seguida, coberto com um pouco de solo.

Independentemente do fato de que é árido ou pobre, qualquer tipo de solo, contendo traços de carbonato de cálcio parece ser o mais adequado para o crescimento saudável das oliveiras.

Verificou-se que as oliveiras crescerá quase na maioria dos tipos de solo, incluindo o solo de argila, se houver um sistema de drenagem adequado. Por outro lado, as oliveiras que crescem em tais solos são mais suscetíveis a doenças e do óleo produzido por estas árvores é inferior em qualidade em relação ao que é produzido por árvores que crescem em terra não tão bom ou rochoso.

Normalmente, tem sido visto que as condições climáticas onde a temperatura é inferior a -10 ° C causa danos nas árvores maduras. No entanto, bloqueando as árvores jovens, uma temperatura de aproximadamente -9 ° C é considerada favorável para o crescimento saudável das oliveiras.

Oliveira – Azeite

Oliveira é caracterizada por tamanho pequeno, formato atarracado, folhas opostas oblongas, flores brancas e frutos ovóides.

O nome azeitona também se refere ao fruto comestível desta árvore, uma pequena drupa de grande importância agrícola na região do Mediterrâneo como fonte de azeite e como alimento.

É cultivada há milhares de anos na região do Mediterrâneo, que continua a ser a principal área de produção de azeitonas, mas a árvore foi introduzida em outros climas subtropicais e temperados quentes.

Oliveira é também o nome comum de toda a família Oleaceae, que inclui lilás, jasmim, forsítia e freixo.

azeite de oliva é comumente usado na culinária, cosméticos, produtos farmacêuticos e sabonetes e como combustível para lamparinas tradicionais.

O azeite é considerado um óleo saudável devido ao seu alto teor de gordura monoinsaturada (principalmente ácido oleico) e polifenóis. Outras partes da oliveira de valor são o próprio fruto, que é consumido como alimento; a madeira fina amarela ou marrom-esverdeada clara, que é dura e de veia fechada e apreciada pelos marceneiros; e as folhas, que são utilizadas em chás medicinais.

As azeitonas são uma das culturas fruteiras mais amplamente cultivadas no mundo. Eles são cultivados em muitas regiões do mundo com climas mediterrâneos, como África do Sul, Chile, Peru, Austrália, Califórnia e em áreas de climas temperados como a Nova Zelândia e sob irrigação na região de Cuyo na Argentina, que tem um clima desértico.

Sendo a Itália o maior importador/exportador e a Espanha o maior produtor, a bacia do Mediterrâneo é considerada o centro da produção de azeite e negócios relacionados.

O fruto da oliveira, também denominado azeitona, é de grande importância agrícola como fonte de azeite. O óleo é produzido pela prensagem de azeitonas inteiras e é comumente usado na culinária, cosméticos, produtos farmacêuticos, sabões e como combustível para lamparinas tradicionais. O azeite de oliva é usado em todo o mundo e frequentemente associado a países mediterrâneos.

Existem dois tipos de produção de azeite:

Azeites refinados (azeite puro)

Apenas cerca de 30 por cento de toda a produção de azeite termina na extração do azeite das azeitonas. O refino envolveu o uso de solventes e alta temperatura para neutralizar os sabores do óleo.

Isso permite que os produtores usem azeitonas que não estão nas melhores condições e misturem óleos de uma ampla variedade de fontes (até mesmo países) porque os sabores ruins resultantes de azeitonas oxidadas e do processo de produção em massa são removidos quimicamente.

Azeites não refinados (azeite extra virgem extra)

Os azeites não refinados não passam por refino químico. Nos azeites não refinados, como os azeites “extra virgem” e “virgem”, o processo não vai além da extração e do engarrafamento.

Os produtores de azeites de oliva não refinados precisam usar frutas em boas condições e administrar cuidadosamente vários fatores, porque o azeite não será tratado para esconder quimicamente os sabores desagradáveis que resultariam de azeitonas oxidadas ou de alguma outra contaminação.

oliveira é freqüentemente chamada de ” árvore da vida ” devido aos benefícios de seu azeite para a saúde.

Algumas árvores são bastante antigas. Plínio, o Velho, falou sobre uma sagrada oliveira grega que tinha 1.600 anos. Várias árvores no Jardim do Getsêmani (das palavras hebraicas “gat shemanim” ou prensa de óleo) em Jerusalém são reivindicadas como datando da época de Jesus. Acredita-se que algumas oliveiras italianas datam da época dos romanos, embora seja difícil identificar árvores progenitoras em fontes antigas.

No entanto, a idade de uma oliveira em Creta, supostamente com mais de 2.000 anos, foi determinada com base na análise dos anéis das árvores. Outra oliveira bem conhecida na ilha de Brijuni (Brioni), Ístria, na Croácia, tem cerca de 1.600 anos. Ainda dá frutos (cerca de 30 kg por ano), que são transformados em azeite de primeira qualidade.

Oliveira – Classificação

Nome Científico: Olea europaea
Nomes Populares: Oliveira, Oliva, Azeitona,
Família: Oleaceae
Categoria: Arbustos, Árvores, Árvores Frutíferas, Árvores Ornamentais, Bonsai, Plantas Esculturais
Clima: Continental, Mediterrâneo, Oceânico, Semi-árido, Subtropical, Temperado, Tropical
Origem: África, Cáucaso, Espanha, Europa, Itália, Mediterrâneo, Oriente Médio, Portugal, Síria, Tunísia, Turquia
Altura: 6.0 a 9.0 metros
Luminosidade: Sol Pleno
Ciclo de Vida: Perene

Oliveira – História

oliveira é uma das plantas mais citadas na literatura existente. Na Odisséia de Homero, Odisseu rasteja sob dois brotos de oliveira que crescem de um único estoque.

O poeta romano Horácio menciona isso em referência à sua própria dieta, que ele descreve como muito simples: “Quanto a mim, azeitonas, endívias e malvas lisas fornecem o sustento” (Horácio 30 A.C.E.). Lord Monboddo comenta sobre a azeitona em 1779 como um dos alimentos preferidos pelos antigos e como um dos alimentos mais perfeitos.

Não se sabe exatamente quando a azeitona selvagem se tornou uma cultura domesticada. Uma folha de uma oliveira é mencionada no capítulo 8 de Gênesis quando Noé encontra uma no bico da pomba.

No mundo homérico, conforme retratado na Ilíada, o azeite de oliva é conhecido apenas como um luxo dos ricos – um produto exótico, valorizado principalmente por seu valor na preparação.

Os guerreiros se ungiam após o banho, e o corpo de Pátroclo é descrito como sendo untado dessa maneira. Mas nenhuma menção do cultivo da planta é feita, enquanto um vinhedo é mencionado na descrição do escudo de Aquiles. Mas, embora nenhuma referência ao cultivo da oliveira ocorra na Ilíada, a presença da árvore no jardim de Alcinous e outras alusões mostram que ela era conhecida quando a Odisséia foi escrita.

Uma das primeiras evidências arqueológicas da domesticação de azeitonas vem do local do período calcolítico de Teleilat Ghassul, onde hoje é a moderna Jordânia.

Não se sabe onde a oliveira foi cultivada pela primeira vez, mas ela remonta muito cedo à Ásia Menor e se espalhou pelo Mediterrâneo.

A tradição aponta para as colinas de calcário da Ática como a sede de seu primeiro cultivo na península helênica.

A árvore aparece nos mitos da fundação de Atenas: Diz-se que uma oliveira brotou da rocha estéril a pedido de Atena, o patrono da cidade-estado, quando ela lutou com Poseidon. Isso sugere alguma relação com o primeiro plantio da azeitona na Grécia.

Há também a notável história contada por Heródoto dos Epidaurianos, que, quando suas safras fracassaram, foram instruídos pelo oráculo da Sibila Délfica a erguer estátuas para Damia e Auxésia (símbolos de fertilidade) esculpidas na madeira da verdadeira oliveira do jardim, então possuída apenas pelos atenienses. Eles o fizeram quando atenderam ao pedido de uma árvore pelos atenienses (com a condição de fazer um sacrifício anual a Atenas) e suas terras tornaram-se férteis novamente. A árvore sagrada da deusa ficou por muito tempo na Acrópole e, embora destruída na invasão persa, brotou novamente da raiz.

Na época do estadista ateniense Sólon (c. 638 a.C. – 558 a.C.), a oliveira havia se espalhado tanto que ele achou necessário promulgar leis para regular o cultivo da árvore na Ática. A partir daqui, gradualmente se espalhou para todos os aliados atenienses e estados tributários. Os navios fenícios podem ter levado mudas de oliveira para a costa jônica, onde abundavam na época de Tales; as azeitonas das Esporadas, Rodes e Creta talvez tenham uma origem semelhante. Samos, se podemos julgar pelo epíteto de Ésquilo, deve ter tido a planta muito antes das Guerras Persas.

O azeite de oliva foi mais do que um mero alimento para os povos do Mediterrâneo: ele foi medicinal, mágico, uma fonte infinita de fascínio e maravilha, e a fonte de grande riqueza e poder.

Os ramos frondosos da oliveira, como símbolo de abundância, glória e paz, foram usados para coroar os vencedores de jogos amistosos e guerra sangrenta, e o óleo de seu fruto ungiu as cabeças mais nobres ao longo da história. Como emblemas de bênção e purificação, eles também eram oferecidos ritualmente a divindades e figuras poderosas.

Alguns até foram encontrados na tumba de Tutancâmon.

Oliveira – Fotos


Oliveira


Oliveira


Oliveira


Oliveira

Oliveira

Fonte: www.herbs2000.com/www.oficinadeervas.com.br/www.plantasquecuram.com.br/www.intechopen.com/www.newworldencyclopedia.org

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Fator Rh

PUBLICIDADE Fator Rh – O que é O fator Rhesus, também conhecido como fator Rh, é um …

Flavonoides

PUBLICIDADE Os flavonoides ou bioflavonoides, são compostos naturais de plantas que constituem os pigmentos responsáveis …

Aldosterona

PUBLICIDADE Aldosterona – Hormônio A maioria das pessoas nunca ouviu falar desse hormônio em particular, mas ele …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.