Breaking News
Home / Biologia / Guaçatonga

Guaçatonga

PUBLICIDADE

A guaçatonga (Casearia sylvestris Sw. )é uma árvore pequena com ramos longos e delgados e uma coroa muito densa e globosa. Geralmente é de 4 a 6 metros de altura, mas às vezes pode crescer até 20 metros.

Também conhecida como café-do-mato, erva-de-bugre entre outros.

O bole curto, reto e cilíndrico pode ser de 20 a 30 cm de diâmetro.

A planta é recolhida da natureza para uso local, principalmente por suas virtudes medicinais. Pode ser usado em esquemas de reflorestamento.

Usos

Uso Medicinal

A casca e as folhas são analgésicas, anti-inflamatórias, anti-reumáticas, afrodisíacas, depurativas, tônicas e vulneráveis.

Eles são usados ​​internamente no tratamento de inflamação, febre, úlceras gástricas e diarreia.

Externamente, as folhas são usadas no tratamento de feridas.

A casca e a folha dizem proteger contra veneno de cobra.

As raízes maceradas, ou uma decocção delas, são utilizadas no tratamento de feridas e lepra.

O óleo da semente é utilizado no tratamento da hanseníase.

Eles têm ação antitumoral, inibem a replicação do HIV e são antibióticos.

Uso Agroflorestal

Uma espécie pioneira natural de rápido crescimento que fornece alimentos para várias espécies de aves, pode ser usada em projetos de reflorestamento para restaurar bosques nativos.

Guaçatonga

Nomes Populares: Guaçatonga, Apia-acanoçu, bugre-branco, café-bravo, café-defrade, cafezeiro-do-mato, cafezinho-do-mato, cambroé, chá-de-bugre, erva-debugre, erva-lagarto, erva-pontada, fruta-de-saíra, guaçatunga, guaçatunga-preta, língua-de-teju, língua-de-tiú, paratudo, pau-de-lagarto, pelomba, varre-forno, vassitonga

Família Botânica: Salicaceae

Parte Utilizada: Folhas

Descrição: Árvore de 4-6m de altura, dotada de copa densa e arredondada, com tronco de 20- 30cm de diâmetro, nativa de quase todo o Brasil, principalmente no Planalto Meridional. Folhas persistentes, um tanto assimétricas na base, com glândulas, de 6-12cm de comprimento. Flores pequenas, de cor esbranquiçada, reunidas em glomérulos axilares. Existem no Brasil outras espécies de Casearia conhecidas pelos mesmos nomes populares e com características similares.

Época de colheita: A colheita das folhas da Casearia sylvestris SW é em agosto ou início da primavera, quando começa a floração.

Constituintes Químicos Principais: Terpenos, flavonoides, cariofileno, flavonas, óleos essenciais, saponinas, taninos, resinas e antocianosídeos.

Indicação e Usos: As folhas desta planta são de longa data amplamente utilizadas na medicina tradicional brasileira, principalmente para o tratamento de queimaduras, ferimentos, herpes e pequenas injúrias cutâneas. Suas folhas e casca são consideradas tônicas, depurativas, anti-reumáticas e anti-inflamatórias.

É usada também contra mordidas de cobra, como analgésico e hemostático em mucosas e lesões cutâneas. Em Minas Gerais é utilizada para o tratamento de doenças de pele e como depurativo do sangue.

É recomendada contra gastrite, úlceras internas e mau hálito (halitose) na forma de chá, preparado adicionando-se água fervente em 1 xícara (chá) contendo 1 colher (sobremesa) de folhas frescas picadas, administrado na dose de 1 xícara (chá) 10 minutos antes das principais refeições.

Recomenda-se também em uso externo contra herpes labial e genital, gengivites, estomatite, aftas e feridas da boca. Em muitos países da América do Sul esta planta entra na composição de produtos dentários e antissépticos.

Os resultados de sua análise fitoquímica indicam a presença em suas folhas de terpenos e flavonoides. Estudos clínicos já confirmaram algumas das propriedades preconizadas pela medicina popular. Suas propriedades cicatrizantes de ferimentos, bem como sua atividade antiúlceras gástricas foram cientificamente validadas em estudos conduzidos no Brasil.

Num estudo com diterpenos isolados desta planta demonstrou-se uma ação inibitória de tumores. Estudos farmacológicos com ratos utilizando o extrato de sua casca mostraram atividade anti-inflamatória, protegendo-os contra o veneno da cobra jararaca (Bothrops jararaca).

Contraindicações: É contraindicada em gestantes e lactantes.

Fonte: tropical.theferns.info/naturell.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Ecologia Vegetal

Ecologia Vegetal

Definição de ecologia vegetal PUBLICIDADE A ecologia vegetal é a ciência das relações entre os organismos e seus …

Translocação cromossômica

Translocação cromossômica

PUBLICIDADE Definição O termo translocação é usado quando a localização de um material cromossômico específico muda. A translocação é …

Fosfatidiletanolamina

Fosfatidiletanolamina

Definição de fosfatidiletanolamina PUBLICIDADE A fosfatidiletanolamina é qualquer um de um grupo de fosfolipídios que ocorrem especialmente no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.