Breaking News
Home / Biologia / Goiaba Serrana

Goiaba Serrana

PUBLICIDADE

A goiaba serrana também é conhecida por feijoa, goiaba do mato, goiaba do campo.

Ela é um arbusto densamente ramificado e de folhas perenes ou uma pequena árvore com uma coroa muito densa e arredondada.

Pode crescer 3 a 7,5 metros de altura. O bole curto e cilíndrico pode ser de 15 a 20 cm de diâmetro.

Frutos

A fruta comestível é muito apreciada dentro da gama nativa das plantas. A planta às vezes é cultivada em regiões temperadas a regiões tropicais quentes, tanto por sua fruta comestível quanto também como planta ornamental, onde é valorizada especialmente por suas flores muito atraentes.

Habitat

Campos e as áreas mais abertas em florestas de pinheiros e bordos de floresta, favorecendo solos úmidos e rochosos.

Terras altas tropicais e subtropicais abaixo de 1000 metros.

Detalhes de Cultivo

As plantas geralmente são de crescimento lento.

As plantas podem começar a frutificar quando há 3 ou mais anos de semente.

Existem algumas variedades nomeadas, desenvolvidas para a sua frutificação superior.

Algumas cultivares são autoférteis, enquanto outras exigem polinização cruzada.

Usos comestíveis

Frutas – cruas ou cozidas. Um delicioso sabor aromático. A fruta é melhor comido crua, mas também pode ser feito em tortas, bolos, pudins, geléias, etc.

As frutas podem sofrer danos causados ​​por geadas de outono, embora o sabor se desenvolva melhor a baixas temperaturas.

O fruto é de até 7,5 cm de comprimento

É uma rica fonte de iodo.

Outros usos

A madeira é moderadamente pesada, compacta, elástica, se divide facilmente, muito durável mesmo em condições adversas. Pode ser usado para pequenas obras, postagens, estadias etc.

A madeira é usada para combustível e para produzir carvão vegetal.

Goiaba Serrana

A goiabeira-serrana (Acca sellowiana (Berg.) Burret., família Myrtaceae, sinônimo Feijoa sellowiana Berg.), também conhecida como “feijoa” (denominação mais utilizada na literatura internacional) e “guayabo” (no Uruguai), é nativa do planalto meridional brasileiro e nordeste do Uruguai. No Sul do Brasil, a espécie mostra-se adaptada a condições de clima frio, ocorrendo com maior frequência em áreas com altitudes superiores a 800 m. A goiabeira-serrana apresenta crescimento arbustivo, perenifólio, com 2-6 m de altura, e tronco ramificado. O fruto, classificado como um pseudofruto do tipo pomo, é uma baga com formato oblongo, polpa cor gelo, casca lisa, semirrugosa ou rugosa, com diâmetro de 3-5 cm, comprimento de 4-10 cm, peso de 20-250 g e rendimento de polpa de 15-50 %.

O fruto da goiabeira-serrana é similar ao da goiabeira comum (Psidium guajava L.), mas apresenta casca verde e não comestível, com polpa de sabor singular doce-acidulado e aroma penetrante. Além do consumo in natura, os frutos podem ser processados e utilizados na produção de sucos, geleias, sorvetes e bebidas. Nas áreas de ocorrência natural, os frutos são muito apreciados e consumidos, sendo que a maturação ocorre de fevereiro até início de junho.

Além do aproveitamento dos frutos, as pétalas das flores podem ser destinadas para consumo humano (decoração de pratos, saladas, doces) em razão do seu agradável sabor. Adicionalmente, devido à beleza das flores e ao porte da planta, esta pode ser usada na ornamentação urbana ou residencial. O fruto apresenta atividade antibactericida, antioxidante e antialérgica, sendo que a presença de flavonoides auxilia na atividade imunológica, determinando respostas crônicas em processos inflamatórios.

Em estudos farmacológicos, foi demonstrado que os flavonoides presentes no fruto da goiabeiraserrana atuam seletivamente, causando apoptose em células tumorais mieloides, em casos de leucemia. Quanto as suas características de conservação pós-colheita, o fruto é climatérico, apresenta elevadas taxas respiratórias e de produção de etileno, e rápido amadurecimento, sendo necessário o estabelecimento de estratégias visando à preservação da sua qualidade. O tempo de conservação em câmara fria é limitado, correspondendo acerca de 20 dias a 4°C, seguido de dois dias de vida de prateleira a 20°C.

A armazenagem por longos períodos compromete a qualidade dos frutos, que apresentam redução no sabor, cujo declínio está associado a uma redução da acidez e da concentração de sólidos solúveis, bem como nos teores de vitamina C, e elevada incidência de escurecimento da polpa. A goiabeira-serrana, apesar de ser nativa do planalto meridional brasileiro, é cultivada quase que exclusivamente em outros países (principalmente Nova Zelândia e Colômbia), a partir de cultivares desenvolvidas com material genético coletado no Uruguai. O fruto ainda é pouco conhecido no mercado brasileiro.

No entanto, testes de degustação realizados em dois centros comerciais do Estado de Santa Catarina (Florianópolis e Blumenau) demonstraram que mais de 90% das pessoas consideraram o sabor e o aroma do fruto como bons ou ótimos. Isto demonstra o potencial de mercado que a goiabaserrana apresenta e que pode ser explorado no País, sendo necessário investimento em divulgação e propaganda, já que potenciais consumidores, em diversos centros urbanos, não conhecem a fruta e não sabem como consumi-la.

Fonte: tropical.theferns.info/www.scielo.br

Veja também

Algas Dinophytas

Algas Dinophytas

PUBLICIDADE O que são algas dinophytas? As algas dinófitas, pertencem ao Filo Dinophyta e a …

Endoderma

PUBLICIDADE Definição de endoderma Endoderma ou Endoderme é a mais interna das três camadas germinativas, …

Alelos Múltiplos

PUBLICIDADE O que são alelos múltiplos? Os alelos múltiplos ou polialelia são casos em que …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.