Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biologia / Maçaranduba

Maçaranduba

PUBLICIDADE

 

Persea pyrifolia Nees et Mart. ex Nees

Família: Lauraceae
Nomes Populares:
Maçaranduba (MG, SC), canela-rosa, abacateiro-do-mato, pau-andrade (SC).
Sinonímia Botânica:
Laurus cordata Vell., Laurus javitensis Spreng.,Litsaea glaucescens Spreng.
Maçaranduba:
árvore nativa do Brasil, que fornece madeira de lei vermelha com tom de chocolate, de grande uso na marcenaria

Maçaranduba
Maçaranduba

Características Morfológicas

Altura de 10-20m, com tronco de 40-60cm de diâmetro.

Folhas esparsas, um pouco hirsutas ou glabras na página superior e hirsutas na inferior, de 12-15cm de comprimento por 6-8 cm de largura.

Ocorrência

Ocorre no Rio de Janeiro, Minas Gerais e São Paulo, principalmente nas formações de altitude. Existem pelo menos duas variedades morfológicas dessa espécie.

Informações ecológicas

Planta semidecídua, heliófita ou mesófita e seletiva xerófita, característica da floresta semidecídua de altitude.

Ocorre preferencialmente em topos de morros e alto de encostas bem drenadas.

É mais frequente nas florestas primárias, porém pode também ser encontrada em formações secundárias, indicando sua boa tolerância à luz direta.

Produz anualmente grande quantidade de sementes, amplamente disseminadas por pássaros.

Madeira

Moderadamente pesada (densidade 0,68 g/cm3), medianamente dura, fácil de trabalhar, de baixa resistência ao apodrecimento e ao ataque de cupins de madera seca; alburno distinto.

Fenologia

Floresce a partir do final do mês de outubro, prolongando-se até novembro. Os frutos amadurecem em janeiro-março.

Utilidade

A madeira é própria para marcenaria e construção civil, confecção de móveis, folhas faqueadas decorativas, revestimentos internos, etc. A árvore é exuberante e possui qualidades ornamentais, podendo ser empregada por vários espécies de pássaros, sendo por essa razão, muito indicada para plantios em áreas degradadas de preservação permanente.

Usos

Construção civil e naval, cais para embarcações, torneados, chapas, instrumentos musicais, assoalhos, carrocerias para caminhões e outros.

Móveis especiais, implementos agrícolas, instrumentos musicais, tacos para assoalhos, peças torneadas, dormentes, vigamentos, esteios, postes, cabos de ferramentas, estacas.

Fonte: www.clubedasemente.org.br

Maçaranduba

MAÇARANDUBA (Manilkara huberi)

Ocorrência: Região Amazônica, do Pará ao Amazonas.

Outros nomes: maçaranduba amarela, maçaranduba de leite, maçaranduba mansa, maçaranduba preta, maçaranduba verdadeira, paraju, maçaranduba de terra firme, bully tree.

Características

Árvore com cerca de 40 a 50 m de altura. É a verdaedeira maçaranduba.

Copa arredondada e aberta. Tronco erecto e cilíndrico com 1 a 3 m de diâmetro, com raízes tabulares (sapopemas) e casca profundamente fissurada.

Folhas simples, grandes, amarelas na face inferior, concentradas nas extremidades dos ramos, coriáceas, distintamente discolores, glabras na face superior e densa e minutamente pubérula com pelos pálido-amarelados formando uma película na face inferior, de 12 a 25 cm de comprimento por 5 a 9 cm de largura, sobre pecíolo glabro de 35 a 65 mm, com a nervura principal impressa na face superior e saliente na inferior, com 30 a 35 pares de nervuras secundárias.

Inflorescências em fascículos axilares com 10 a 15 flores, sobre pedicelos de 2 a 4 cm .

Fruto baga globosa, glabra, com polpa carnosa e adocicada, contendo de 1 a 4 sementes.

Um Kg de sementes contém aproximadamente 2.800 unidades.

Habitat: florestas de terra firme com até 700 m de altitude.

Propagação: sementes.

Madeira

É a espécie do gênero mais valorizada devido sua madeira, que é muito pesada, dura e resistente.

Utilidade

A madeira é usada principalmente na construção externa, dormentes, pisos industriais, moirões, cruzetas, pontes, caibros, vigas, assoalhos, tacos, etc. Seu látex é comestível e consumido como substituto do leite de vaca. O fruto é comestível e, às vezes, comercializado. É muito apreciado por aves.

Florescimento: abril a junho e outubro a novembro.

Frutificação: setembro a outubro e janeiro a fevereiro.

Ameaças

É muito interessante economicamente e conseqüentemente muito explorada.

Caso não haja um manejo adequado, daequi a 30 anos é provável que não haja estoque de árvores grandes de maçaranduba.

Maçaranduba
Maçaranduba

Fonte: www.vivaterra.org.br

Maçaranduba

Maçaranduba Manilkara huberi

Características gerais da madeira de Manilkara huberi

Nome científico: Manilkara salzmanni.
Nome comum:
Maçaranduba, Caxeta, cambiira.
Sinonímea:
massaranduba, maçaranduba do pará, canela.rosa, abacateiro.do.mato, pau.andrade
Família:
Sapotaceae
Nome Comercial: BRASIL: aparaiú, maparajuba-da-várzea, maçaranduba-de-leite, maçarandubinha ( AM ), maparajuba, paraju, parajuba.
Altura:
até 20 metros.
Tonalidade:
vermelha
Origem: Pará, Amazonas, acre, Roraíma e Maranhão.

Maçaranduba
Maçaranduba

Maçaranduba
Maçaranduba

Altura de 4 a 26m, com tronco ereto e cilíndrico, de 30-60cm de diâmetro.

Madeira muito pesada, cerne vermelho-escuro, grã direita, textura fina, cheiro indistinto, brilho moderado.

Empregada em construções em geral , obras externas, mourões, postes, etc. Os frutos e o látex são comestíveis.

A árvore é recomendada para reflorestamentos.

Maçaranduba – Manilkara huberi

Manilkara huberi é uma árvore com cerca de 40-50 m de altura. Ocorre geralmente nas regiões de terra firme da Amazônia de até 700 m de altitude.

Dentre as espécies do gênero, Manilkara huberi é a mais conhecida e com a maior distribuição na Amazônia. Apesar de ser facilmente reconhecida devido suas folhas grandes e amarelas na face abaxial, é freqüentemente confundida com outras espécies do gênero devido à similaridade dos seus troncos.

Manilkara huberi é a verdedeira maçaranduba.

Outras variações do seu nome são: maçaranduba-amarela, maçaranduba-de-leite, maçaranduba-mansa, maçaranduba-preta, maçaranduba-verdadeira e paraju.

O uso do nome maparajuba ou balata é mais indicado para as subespécies de Manilkara bidentata.

Devido a esta confusão, os nomes recomendados para as espécies de Manilkara da Amazônia brasileira são as seguintes:

M. huberi (Ducke) A. Chev. maçaranduba (ou maçaranduba-verdadeira)
M. bidentata (A.DC.) A. Chev.

ssp. bidentata

ssp. surinamensis (Miq.) Penn.

balatamaparajuba (ou maparajuba-verdadeira)
M. paraensis (Huber) Standley maçarandubinha
M. cavalcantei Pires & Rodr. ex Penn. maparajuba-douradinha
M. inundata (Ducke) Ducke maparajuba-da-várzea
M. excelsa (Ducke) Standley maparajuba-do-rio-Tapajós

Em inglês, a madeira de espécies de Manilkara é conhecida como beefwood, ou mais comumente bulletwood, e a árvore é chamada de bully-tree. Em países com influência francesa o nome é sapotille ou sapotilla. Outro nome freqüente nos países do Noroeste da América do Sul é níspero.

Manilkara huberi é a espécie do gênero mais valorizada devido sua madeira, que é muito pesada, dura e resistente. É usada principalmente na construção externa, dormentes, pisos industriais, etc.

Além do uso da madeira, seu látex é comestível e consumido como substituto do leite de vaca. Comercialmente, o látex é muito inferior ao das outras espécies. O látex de M. bidentata é a melhor fonte de balata (conhecida em inglês como gutta-percha ), usado para modelagem, para calafetar canoas e na fabricação da goma do chiclete. M. zapota, que ocorre na América Central produz uma goma melhor para chiclete. A maior fonte de balata natural está na Ásia (o gênero parente Palaquium), mas atualmente o comércio usa principalmente substitutos artificiais.

O fruto é comestível e, às vezes, comercializado, mas é menos conhecido que o fruto de M. zapota (introduzido no Brasil e vendido como sapotilha).

Os madeireiros geralmente agrupam sob o nome comercial maçaranduba várias espécies parecidas (M. huberi, M. paraensis, M. cavalcantei, M. bidentata spp. surinamensis), e as cortam da mesma forma. No entanto, cada uma tem a sua dinâmica de população (DAP máximo, relação crescimento/taxa de mortalidade específica, etc.), que tem papel crucial na reconstituição futura dos estoques exploráveis. Dentre estas espécies, M. huberi atinge o maior DAP, e por isso é a espécie mais interessante economicamente e conseqüentemente a mais explorada. Caso não haja a distinção clara entre as espécies nos inventários comerciais, depois de 30 anos é provável que não haja estoque de árvores grandes de maçaranduba, sendo que as remanescentes serão, em grande parte, M. bidentata ssp. surinamensis e M. paraensis, as quais atingem DAPs sempre menores que de M. huberi.

Fonte: dendro.cnptia.embrapa.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Terra Primitiva

Terra Primitiva

PUBLICIDADE O que é terra primitiva? A história da Terra diz respeito ao desenvolvimento do …

Respiração Branquial

Respiração Branquial

PUBLICIDADE O que é respiração branquial? As brânquias ou guelras são órgãos da respiração, são …

Mecanismos de Feedback

Mecanismos de Feedback

PUBLICIDADE O que são mecanismos de feedback? Um mecanismo de feedback é um processo que usa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+