Breaking News
Home / Biologia / Embuia

Embuia

PUBLICIDADE

 

Família: Lauraceae
Nome popular:
Imbuia, imbuia, canela-imbuia, imbuia-clara, imbuia-parda, dentre outros.
Nome científico:
“Ocotea porosa “
Origem:
Paraná, Santa Catarina

Imbuia
Imbuia

Características Gerais

Altura de 15-20 m , com tronco de 50-150 cm de diâmetro, tendo com ocorrência os Estados do PR, SC e RS.

Árvore de 15-20 m de altura, com tronco tortuoso, irregular, com excrescências globosas típicas, “os papos-de-imbuia”, de 50-150 cm de diâmetro.

A casca acinzentada apresenta fissuras, mais profundas nas árvores velhas, desprendendo-se em placas irregulares.

Suas folhas são simples, alternas, finamente coriáceas, glabras, oblongo-lanceoladas, de 6-10 cm de comprimento e 1,5-2,0 cm de largura; apresentam 2 ou 3 domáceas alongadas em forma de bolsa, na face inferior, na inserção das nervuras secundárias basais.

Usos

Árvore ornamental, indicada para o paisagismo de grandes áreas. Seus frutos são avidamente procurados pela avifauna e suas flores são muito melíferas.

Sua madeira de grande beleza foi muito usada para a confecção de móveis de luxo, tacos, lambris, laminados, esquadrias, para obras de entalhe, instrumentos musicais e coronhas de armas de fogo entre outros. Por destilação se extrai um fixador para perfumaria, considerado superior ao próprio sândalo.

Fenologia

Floresce nos meses de Out-Nov a maturação dos frutos em Jan-Mar.

Obtenção de sementes

Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda expontânea ou recolhê-los no chão após a queda, tirar a polpa em água corrente e secar as sementes à sombra, podendo semear os frutos quando for plantio imediato, sendo que 1 quilograma contém 780 unidades.

Aspectos de Cultivo

As sementes têm baixa viabilidade em armazenamento, não ultrapassando três meses.

A germinação inicia-se entre 20 a 105 dias após a semeadura, prosseguindo de forma bastante irregular por até 18 meses.

Apresenta poder germinativo variável, em média de 70%.

As mudas podem ser plantadas no campo após cerca de 9 meses e seu desenvolvimento geralmente é lento.

Fonte: www.polmil.sp.gov.br/www.chaua.org.br

Imbuia

Nome cientifico: Ocotea porosa
Família:
Lauraceae
Nomes populares – imbuia, embuia, canela-imbuia, imbuia-clara, imbuia-parda, imbuia-preta, imbuia-amarela, imbuia-rajada, imbuia-lisa, imbuia-brasina, imbuia-revessa, umbuia, imbuia-zebrina.
Características morfológicas – Altura de 15-20 m, com tronco de 50-150 cm de diâmetro. Folhas finamente coriáceas, glabras, de 6-10 cm de comprimento por 1,5-2,0 cm de largura.
Ocorrência
– Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, nas submatas dos pinhais e nas partes mais elevadas da encosta Atlântica. A cidade de Imbuia (SC) teve seu nome emprestado dessa planta.

Madeira

Moderadamente pesada (densidade 0,65 g/cm3), dura, de cor muito variada, superfície irregularmente lustrosa e lisa, medianamente resistente, de grande durabilidade mesmo em obras expostas.

Utilidade

A madeira é uma das mais procuradas para confecção de mobiliário de luxo, principalmente pela sua beleza; muito utilizada também para construção civil como tacos, esquadrias, lambris, para obras expostas como dormentes pontes e moirões, para marcenaria de luxo, contraplacados, laminados e carpintaria.

A árvore é bastante ornamental e pode ser usada com sucesso no paisagismo em geral. Seus frutos são avidamente procurados por várias espécies de pássaros.

Informações ecológicas

Planta semidecídua e heliófita, característica dos pinhais do planalto meridional e de submatas mais desenvolvidas.

É particularmente freqüente na região sul do Paraná e norte de Santa Catarina. Apresenta comportamento de planta pioneira, infiltrando-se nas matas mais abertas e capoeirões.

Fenologia

Floresce durante os meses de outubro-novembro. Os frutos amadurecem em janeiro-março.

Obtenção de sementes

Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea, ou recolhê-los no chão após a queda. Em seguida despolpá-los em água corrente e secar as sementes à sombra caso se deseja armazená-las ou remetê-las para outra região.

No caso de plantio imediato, semear os frutos inteiros como se fossem sementes.

Um kg de sementes contém cerca de 780 unidades.

Produção de mudas

Colocar as sementes ou frutos para germinação, logo que colhidos, em canteiros ou embalagens individuais mantido à meia sombra, contendo substrato organo-argiloso. A emergência inicia-se no 15o-20o dias, prolongado-se por até 4 meses

Características Ecológicas

Secundária tardia ou clímax. Semidecídua, heliófila e relativamente indiferente à fertilidade do solo, ainda que prefira solos férteis e bem drenados. Apresenta comportamento de planta secundária, infiltrando-se em capoeirões e regenerando em clareiras de florestas mais desenvolvidas. É, possivelmente, a espécie mais longeva da Floresta com Araucária, podendo ultrapassar os 500 anos de idade, por este motivo é comum nas florestas clímax. Consta nas listas nacional e estadual de espécies ameaçadas de extinção.

Ocorrência Natural

De Minas Gerais ao Rio Grande do Sul, concentrando-se sobretudo nos três estados sulinos. Ocorre apenas na Floresta Ombrófila Mista.

Flores e Frutos

As flores são branco-amareladas e pequenas, com o cálice densamente revestido de pelos dourados, dispostas em cachos terminais. Os frutos são drupas globosas lisas e lustrosas, de coloração roxo-escura a vermelho-arroxeada, e cúpula carnosa em forma de disco, reduzida e de bordos recortados. A floração ocorre de outubro a novembro e os frutos amadurecem de janeiro a março.

Usos

Árvore ornamental, indicada para o paisagismo de grandes áreas. Seus frutos são avidamente procurados pela avifauna e suas flores são muito melíferas. Sua madeira de grande beleza foi muito usada para a confecção de móveis de luxo, tacos, lambris, laminados, esquadrias, para obras de entalhe, instrumentos musicais e coronhas de armas de fogo entre outros. Por destilação se extrai um fixador para perfumaria, considerado superior ao próprio sândalo.

Aspectos de Cultivo

As sementes têm baixa viabilidade em armazenamento, não ultrapassando três meses. A germinação inicia-se entre 20 a 105 dias após a semeadura, prosseguindo de forma bastante irregular por até 18 meses. Apresenta poder germinativo variável, em média de 70%. As mudas podem ser plantadas no campo após cerca de 9 meses e seu desenvolvimento geralmente é lento.

Bibliografia de apoio

“Projeto Madeira do Paranᔠ(TAKAO, RODERJAN & KUNIYOSHI, 1984); “Árvores Brasileiras, Vol.1” (LORENZI, 1992); “Espécies Arbóreas Brasileiras, Vol.1” (CARVALHO, 2003); “Arvores do Sul” (BACKES & IRGANG, 2002).

Fonte: www.achetudoeregiao.com.br

Imbuia

Nome comum: Imbuia, Embuya, e variantes de grafia; Imbuía
Nome científico: Ocotea porosa (syn Phoebe porosa.)
Distribuição: Sul do Brasil
Árvore Tamanho:
100-130 ft (30-40 m) de altura, 5-6 pés (1,5-1,8 m) diâmetro do tronco

A Ocotea porosa (Nees et Martius ex Nees) Angely (Lauraceae), conhecida popularmente como imbuia, é a espécie arbórea símbolo do estado de Santa Catarina, (Lei Estadual n.4.984/1983).

É uma árvore que comumente atinge 15 a 20 metros de altura com diâmetro a altura do peito (DAP) entre 50 a 150 cm.

Ocorre em áreas de tipologia florestal típica da Floresta Ombrófila Mista (FOM).

Pela sua durabilidade e pela beleza de sua madeira foi uma das espécies mais procuradas pela indústria, principalmente para a fabricação de móveis finos.

Devido a essa intensa procura e à drástica redução da área da FOM, a imbuia passou a constar da Lista Oficial de Espécies da Flora Brasileira Ameaçadas de Extinção (Resolução 37/IBAMA/1993), na categoria Vulnerável.

Imbuia
Arvore Imbuia madeira de lei em extinção

Imbuia
Imbuia (lixada)

Cor / Aparência: Cor do cerne pode variar substancialmente; tipicamente meio ao marrom escuro, por vezes com uma tonalidade avermelhada, dourado, ou elenco verde-oliva. Luz sapwood amarelo acinzentado geralmente é diferenciado do cerne. Burls e placas descontroladamente figuraram são comumente vistos.

Grãos / Textura: Grain é reto, embora muitas placas podem apresentar padrões selvagem ou burl-like. Média a fina textura uniforme com bom brilho natural.

Madeira: Difuso porosa; solitárias e múltiplos radiais; poros dilatados, em nenhum acordo específico, moderadamente freqüentes; tiloses comum; parênquima vasicêntrico; raias estreitas, espaçamento normal.

Resistência: Classificado como durável; também moderadamente resistente a ataques de insetos. Boas características intemperismo.

Trabalhabilidade: Produz bons resultados com ambas as mãos e máquinas-ferramentas. No entanto, peças com grão selvagem ou irregular podem apresentar desafios em operações de pavimentação e outros de usinagem. Acontece, colas, e termina bem.

A Imbuia tem um aroma picante característico ao ser trabalhado.

Alergias / Toxicidade: Embora as reações graves são muito raras, Imbuia foi relatado para causar nariz, garganta e irritação da pele. Veja os artigos de madeira alergias e toxicidade e Pós de madeira de segurança para obter mais informações.

Preços / Disponibilidade: Normalmente disponível como madeira serrada em bons tamanhos, bem como virar ou espaços em branco do instrumento. Plain, madeira serrada Unfigured deve ser um preço razoável para uma madeira importada, embora pedaços figurado pode ser consideravelmente mais caro.

Sustentabilidade: Esta espécie de madeira não está listado no dos anexos da CITES, mas está na Lista Vermelha da IUCN. Ele é listado como vulnerável devido a uma redução da população de mais de 20% nos últimos três gerações, causada por uma diminuição em sua escala natural, e da exploração.

Usos comuns: Móveis, armários, pisos, folheado, construção naval, gunstocks e virou objetos.

Fonte: www.wood-database.com

Imbuia

IMBUIA – UMA ESPÉCIE DURÁVEL

A imbuia é uma espécie nativa que pertence á família Lauraceae.

Também é conhecida como embuia , canela – imbuia , Imbuia, entre outras variações.

Sua ocorrência natural é no sul do país, Santa Catarina , Paraná , rio grande do sul e até em São Paulo , em pouca escala.

A maior concentração dessa árvore incide em vastas áreas no norte do estado de Santa Catarina, onde foi a espécie mais importante depois do pinheiro-do-paraná, caracterizando a paisagem e se tornando um dos símbolos do estado.

A curiosidade da imbuia é sua associação com a araucária, sendo raro seu cultivo onde há ausência de pinheiros. De acordo com pesquisadores. Ele é, possivelmente, a espécie arbórea com mais longevidade entre as florestas de araucária, podendo ultrapassar os 500 anos. Em Santa Catarina foi encontrada uma árvore com mais de 2,7 mil anos.

A casca é grossa, com espessura de até 35 mm (milímetros) e varia de acordo com a idade. Nas árvores novas, apresenta coloração acinzentada e fissuras leves.

Já nas adultas, as fissuras são profundas, ocasionando mascas côncavas.

VANTAGENS

Pesquisas comprovaram que a imbuia não necessita de solos muito férteis para se desenvolver. Na verdade, ela ocorre naturalmente em solos de baixa fertilidade, com níveis de fertilidade química entre média e elevada e solos com altos teores de alumínio.

A madeira é considerada boa, moderadamente pesada, dura, com coloração de cerne variável e textura média. Sua resistência mecânica também é média, com retratabilidade volumétrica baixa e boa maleabilidade. A trabalhabilidade da madeira e uma de suas vantagens, sendo facilmente serrada e com boa aceitação para o manuseio de máquinas. Além de proporcionas acabamento de qualidade e receber bem pintura e verniz.

A durabilidade natural também é boa e apresenta resistência ao ataque de organismos xilófagos. No entanto, quando submetida a tratamentos sob pressão, a madeira de imbuia demostra ser impermeável a soluções preservantes.

APLICAÇÃO

A madeira da imbuia é bastante apreciada no mercado, sendo muito procurada para a fabricação de móveis de luxo. Pode ser aplicada também na produção de folhas faqueadas decorativas, peças torneadas, painéis compensados e divisórias. Artesãos e escultores procuram esse tipo de madeira graças à sua trabalhabilidade.

Na construção civil os usos são variáveis, como vigas, caibros, ripas, portas, janelas, molduras, lambris, estruturas, caixilhos, porros, entre outros. O carvão também poder ser um produto resultante dessa espécie.

Sem contar o uso da madeira, a imbuia apresenta várias formas de usos. Sua casca, por exemplo, pode ser utilizada para a extração de uma substância utilizada na fixação de perfume, considerada superior ao sândolo. A árvore como um todo também é bastante aplicada na composição de paisagismo.

MERCADO E COMERCIALIZAÇÃO

A espécie desempenhou um papel fundamental no desenvolvimento econômico  e cultural das regiões nas quais tem ocorrência. Contudo, como a madeira da imbuia tem ótimas qualidades físicas e estéticas e é universalmente apreciado, o início de seu uso foi desenfreado. Por isso, desde 1995 está presente na lista vermelha de plantas ameaçadas de extinção no estado do Paraná, e também faz parte da lista brasileira de espécies vulneráveis em função do desmatamento.

Apesar de hoje escassa, nos momentos de abundância a madeira de reflorestamento tem alto valor comercial, principalmente para o setor moveleiro.

Fonte: www.integracaomadeiras.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Esporo bacteriano

PUBLICIDADE Os esporos bacterianos são uma forma de “sobrevivência” de certos gêneros bacterianos que mostram …

Neurobiologia

Neurobiologia

PUBLICIDADE Definição Neurobiologia é o estudo de células do sistema nervoso e a organização dessas …

Esporos

PUBLICIDADE Definição Os esporos são a unidade reprodutiva unicelular de plantas não-florescentes, bactérias, fungos e …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.