Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Biologia / Quaresmeira

Quaresmeira

PUBLICIDADE

 

Quaresmeira – Tibouchina granulosa

Ocorrência – Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais.

Outros nomes – quaresmeira, flor-de-quaresma, quaresmeira-roxa, quaresma.

Características – espécie semidecídua com 8 a 12 m de altura, tronco de 30 a 40 cm de diâmetro, com casca lisa e de coloração esbranquiçada.

Copa densa, encorpada, globosa e baixa com vários ramos que quando mais jovens são levemente tetragonais.

As folhas são simples e opostas geralmente descolores (com duas cores), de textura subcoriácea e coberta de pêlos em ambas as faces, com 15 a 20 cm de comprimento por 5 a 7 cm de largura.

Quaresmeira
Quaresmeira

Uma característica marcante nesta planta e de outras que pertencem à mesma família, é a presença de três nervuras paralelas em suas folhas.

As flores possuem coloração róseo-arroxeada e na época de floração tomam toda a copa.

O fruto é uma cápsula deiscente com muitas e minúsculas sementes. Um Kg de sementes contém aproximadamente 3.300.000 unidades.

Habitat – Mata Atlântica

Propagação – sementes

Madeira – moderadamente pesada, dura, de baixa durabilidade quando exposta à intempéries.

Utilidade – a madeira pode ser empregada para uso interno, confecção de objetos leves, brinquedos, caixotaria, etc. A árvore é muito ornamental, principalmente quando em floração. Pela beleza e pelo porte, não pode faltar em qualquer projeto de paisagismo.

É ótima também para arborização de ruas estreitas sob redes elétricas, o que já vem sendo feito em muitras cidades do sudeste brasileiro. É uma planta pioneira de rápido crescimento sendo indicada para reflorestamento em áreas degradadas.

Florescimento – julho a agosto; dezembro a março

Frutificação – junho a agosto; abril a maio

Fonte: www.vivaterra.org.br

Quaresmeira

QUARESMEIRA OU QUARESMA

A quaresmeira recebeu este nome por florescer na época da Quaresma e apresentar tonalidades (roxo, rosa) que remetem à Paixão de Cristo e às vestimentas da Igreja Católica nesse período.

Nome comum a muitos arbustos e árvores ornamentais de vários tamanhos, também chamada flor-de-quaresma.

Nascem em geral nas serras, mas algumas são típicas das baixadas úmidas e quentes dos estados do Espírito Santo e Rio de Janeiro.

Essas plantas da família das melastomatáceas receberam tal nome porque florescem principalmente na época da Quaresma.

A floração, em panículas (semelhantes a cachos), é abundante e prolongada e se repete em várias estações do ano, predominando as cores roxa (a cor da Quaresma) e violeta, que mais tarde se tornam quase brancas.

Em uma espécie muito cultivada ocorreu uma mutação que tem flores róseas. As folhas são denteadas, com nervuras, e em algumas espécies são aveludadas.

A folhagem da quaresmeira é permanente, sendo que as folhas velhas, antes de caírem, tomam a cor amarela e depois vermelha, o que contribui para o colorido diversificado das matas, parques e jardins onde vivem. Multiplicam-se por sementes e por estacas.

Existem dois gêneros (Tibouchina e Rhyncanthera), várias espécies e algumas variedades, entre as quais a quaresmeira-de-jardim.

Características gerais

As espécies mais conhecidas desta família são árvores de até 12 m de altura e arbustos de cerca de 2 m. Ocorrem com freqüencia nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Santa Catarina e Pará.

Distinguem-se pela aparência das folhas, que podem ser pilosas, ovais ou ovais-lanceoladas e nervuras salientes. Suas flores podem ser, dependendo da espécie, roxas, lilases ou rosas.

A Tibouchina fothergillae é uma espécie arbustiva e se diferencia de outras espécies de Melastomataceae por apresentar flores com coloração vinho intenso.

Usos

As quaresmeiras destacam-se pelo uso como ornamentais. A espécie Tibouchina granulosa, muito utilizada na arborização urbana. É considerada uma espécie pioneira, e forma populações nos habitats naturais bastante visíveis nas épocas de floração. Pode ser utilizada para reflorestamento e recuperação de áreas degradadas e ainda, tratamentos de bordas de unidades de conservação.

A Quaresmeira

De dezembro a abril há quaresmeiras em flor, ora roxas ou rosas, ora lilases ou com detalhes brancos nas pétalas, com a aparência de enormes buquês em harmonioso contraste com o verde da mata.

É no entanto na época da Quaresma que a floração se torna mais generalizada e abundante.

Quaresmeira ou quaresma é uma planta do gênero Tibouchina, da família das melastomatáceas.

Freqüente nos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, ocorre também em outros, como Bahia, Santa Catarina e Pará.

As espécies mais conhecidas são árvores de até 12m e arbustos de cerca de dois metros, que tanto surgem na vegetação espontânea quanto em jardins e parques.

Distinguem-se facilmente pela aparência das folhas, pilosas, ovais ou ovais-lanceoladas, cujas nervuras — em geral de cinco a sete — ficam bem salientes contra o verde-escuro do fundo.

Entre as árvores, destacam-se a quaresmeira-roxa (Tibouchina granulosa), a quaresmeira-rosa (T. stenocarpa) e o chamado manacá-da-serra ou manacá-paulista (T. mutabilis).

Entre os arbustos, estão a quaresmeira-de-jardim (T. grandifolia), a quaresmeira-do-brejo (T. multiceps), a quaresmeira-do-campo (T. frigidula) e a quaresmeira-mirim (T. martialis).

As plantas de ambos os grupos se propagam por sementes, por estacas semilenhosas ou por alporquia.

No primeiro caso, as flores nem sempre conservam a coloração da planta-mãe.

Na propagação pelos outros dois métodos, as plantas reproduzem fielmente as características daquela que lhes deu origem.

Arbusto ou árvore, a quaresmeira se dá melhor em solos úmidos e ricos em matérias orgânicas.

Curiosidades

Pode ser usada como essência floral, a qual fornece força e vitalidade para o restabelecimento do propósito, do livre-arbítrio. Libera energia que atinge o cerne da alma, promovendo a transmutação para que os desejos se concretizem.

A quaresmeira, conhecida como Olmo no hemisfério Norte, é uma árvore frondosa que possui poder místico que protege contra raios. Na Inglaterra, era associada aos duendes. Os santeros, da Santería, a utilizavam no lançamento de encantamentos mágicos e, segundo a mitologia teutônica, a primeira mulher sobre a terra foi criada de um olmo pelos deuses.

Na medicina popular é usada para tratar de inchaços, tosses, doenças de pele e infecções venéreas.

Significados: a cor roxa, de algumas espécies de quaresmeira, simboliza a Paixão de Cristo e para alguns, é motivo de superstição. Símbolo da beleza e da abnegação, a quaresmeira é a árvore do amor incondicional.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Flor da quaresmeira, planta que nasce nas serras e baixadas úmidas e floresce na Quaresma

Fonte: www.klickeducacao.com.br/www.biomania.com.br

Quaresmeira

Quaresmeira – Tibouchina granulosa

Nomes populares: quaresmeira, flor-de-quaresma, quaresmeira-roxa, quaresma

Características morfológicas: Altura de 8-12 m, com tronco de 30-40 cm de diâmetro; ramos quadrangulares e alados nas arestas. Folhas rijas, pubescentes nas duas faces, de 15-20 cm de comprimento por 5-7 cm de largura.

Ocorrência

Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, principalmente na floresta pluvial da encosta atlântica. Existe uma variedade dessa espécie que produz flores róseas; a foto acima é uma montagem mostrando os dois tipos de flores.

Madeira

Moderadamente pesada, dura, de baixa durabilidade quando exposta à intempéries.

Utilidade

A madeira pode ser empregada para uso interno, confecção de objetos leves, brinquedos, caixotaria, etc. A árvore é muito ornamental, principalmente quando em floração. Pela beleza e pelo porte, não pode faltar em qualquer projeto de paisagismo; é ótima também para arborização de ruas estreitas e sob redes elétricas, o que já vem sendo feito em muitras cidades do sudeste brasileiro.

Informações ecológicas

Planta perenifólia ou semidecídua, heliófita, característica da floresta pluvial atlântica. Ocorre predominantemente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Fenologia

Floresce geralmente duas vezes ao ano, em junho-agosto e dezembro-março, sendo entretanto nessa última época mais abundante. Os frutos iniciam o amadurecimento no final de julho, prolongando-se até agosto e, abril-maio.

Obtenção de sementes

Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a queda espontânea e liberação das sementes. Isto é facilmente notado balançando-se um ramo com frutos sobre a palma da mão e observando se há queda de suas minúsculas sementes semelhantes à areia fina. Cortar todo o ramo contendo frutos e levar tudo ao sol, separando-se as sementes. Um quilograma contém aproximadamente 3.300.000 unidades.

Produção de mudas

Colocar as sementes para germinação, logo que colhidas, em canteiros sombreados contendo substrato orgânico: preparas um leito de semeadura contendo substrato peneirado ou com pó de xaxim, cobrindo-se muito levemente as sementes com o mesmo material. Para evitar o arranquio das sementes durante a irrigação cobrir o canteiro com saco de estopa, removendo-o logo que iniciar a emergência. A emergência ocorre em poucas semanas e, a taxa de germinação geralmente é baixa.

Transplantar as mudas para embalagens individuais quando atingirem 3-4 cm, as quais ficarão prontas para plantio no local definitivo em 7-8 meses. O desenvolvimento das plantas no campo é moderado.

Fonte: eupreservo.org

Quaresmeira

Lenda da Menina Quaresmeira

Há muitos anos atrás existia , num vilarejo, uma menina chamada Quitéria .

Aos cinco anos de idade , quando foi pela primeira vez na missa da Quaresma , esta garota recebeu a marca das tradicionais cinzas na testa .

Ao chegar em casa , Quitéria não quis lavar a marca e passou os quarenta dias da Quaresma rezando e realizando curas . Ela só lavou a testa no domingo de Páscoa .

A partir daquele dia , todo o período da Quaresma a menina fazia o mesmo ritual e só limpava a testa na Páscoa . Por isto , esta criança recebeu o apelido de Quaresmeira.

Quaresmeira
Quaresmeira

Aos doze anos , Quitéria teve meningite e faleceu .

Um ano depois , nasceu uma árvore ao lado do seu túmulo . Era uma árvore desconhecida com flores roxas .

O povo notou que estas flores só apareciam no período da Quaresma , por causa deste fato e pela planta ter nascido ao lado do túmulo de Quitéria , esta árvore recebeu o nome de Quaresmeira .

Diz a lenda que o fantasma de Quitéria sempre sai de dentro de uma Quaresmeira , na época da Quaresma , e este espírito sempre anda com marcas de cinza na testa .

Por isto , sempre quem faz um pedido para uma Quaresmeira na época da Quaresma tem o seu sonho realizado .

Fonte: www.sobrenatural.org

Quaresmeira

É tempo de quaresmeira!

Se, com a proximidade das férias e a bateria de provas de fim de ano na escola, você não lembrou de admirar as flores na Primavera, não deixe de observar a quaresmeira ou flor-de-quaresma, como são conhecidas as árvores do gênero Tibouchina.

Elas têm esse nome porque geralmente florescem próximo ao período religioso da Quaresma, que vai da Quarta-feira de Cinzas ao Domingo de Páscoa, embora também possam florescer em outras épocas do ano.

Por causa da intensidade de suas floradas e a boa adaptação ao ambiente urbano, as quaresmeiras, com porte entre 7 e 12 metros, têm sido cada vez mais utilizadas na arborização de cidades, especialmente do Sudeste do Brasil. Devido à sua importância ecológica na reconstrução de áreas verdes, foi até eleita a árvore-símbolo de Belo Horizonte.

Originária da mata atlântica, esta espécie aprecia o clima tropical e subtropical, tolerando bem o frio moderado. Multiplica-se por sementes, com baixa taxa de germinação, e por estaquia de ramos semi-lenhosos.

Algumas espécies

O gênero Tibouchina (Família Melastomataceae) está distribuído principalmente em regiões tropicais e subtropicais da América e inclui aproximadamente 350 espécies, sendo 129 nativas do Brasil.

A mais comum nas cidades brasileiras é a Tibouchina granulosa. Tem entre 8 e 12 metros de altura e é muito vistosa pela abundância de suas flores, que podem ser roxas ou rosas. Por isso, é muito usada em projetos de paisagismo.

Suas flores geralmente desabrocham duas vezes ao ano, entre junho e agosto, e de dezembro a março, nesse último período com mais intensidade. Ocorre naturalmente na Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, sobretudo na floresta pluvial da encosta atlântica.

Quaresmeira
Quaresmeira

Já a Tibouchina mutabilis é uma espécie muito interessante, porque suas flores mudam de cor, do branco para o roxo, à medida que envelhecem. Possui entre 7 e 12 metros de altura e floresce durante os meses de novembro e fevereiro.

Por ser encontrada na floresta pluvial da encosta atlântica, do Rio de Janeiro até Santa Catarina, a T. mutabilis também é conhecida como manacá-da-serra. Outros nomes populares são jacatirão, flor-de-maio, flor-de-quaresma e pau-de-flor.

Nas áreas de restinga da Mata Atlântica, é encontrada a Tibouchina pulchra que tem características bem semelhantes a T. mutabilis.

Referências 

Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 01, 4 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.
Lorenzi, Harri. Árvores Brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas do Brasil, vol. 02, 2 ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 2002.

Fonte: www.invivo.fiocruz.br

Quaresmeira

A quaresmeira (Tibouchina granulosa) é uma árvore brasileira pioneira, da Mata Atlântica, principalmente da floresta ombrófila densa da encosta atlântica e, no estado de São Paulo, do sudeste.

Seu nome popular é devido à cor das flores e época de floração: entre os meses de janeiro e abril, e também em junho-agosto. Além da variedade com flores roxas há a de flores rosadas (variedade Kathleen).

Uma árvore de pequeno a médio porte, de grande beleza quando apresenta suas flores roxas, e por isso muito utilizada em paisagismo urbano. A variação Tibouchina mutabilis tem flores rosas misturadas com as roxas.

Normalmente inicia a floração entre Fevereiro e Março, e algumas árvores mantêm a floração até o mês de Maio.

Quaresmeira
Quaresmeira

Tibouchina granulosa

Classificação científica Reino: Plantae
Divisão:
Magnoliophyta
Classe:
Magnoliopsida
Ordem:
Myrtales
Família:
Melastomataceae
Género:
Tibouchina
Espécie:
T. granulosa
Nome binomial:
Tibouchina granulosa
Sinónimos:
Melastoma granulosa Desr. Pleroma granulosa Don Lasiandra fontanesiana DC. Melastoma fontanesii Spreng

Ocorrência

No sudeste do Brasil (São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Bahia) e no sul da Flórida, Estados Unidos, principalmente em matas secundárias.

Quaresmeira
Quaresmeira

Características

Árvore de 8 a 12 m de altura, com tronco de 30-40 cm de diâmetro.

É perenifólia, ou seja, apresenta folhas o ano inteiro, ou semidecídua. As folhas rijas são pubescentes nas duas faces, com nervuras nítidas.

Seu fruto, deiscente, incomestível, é marrom e arredondado e mede menos de 12 mm. Amadurece de junho a agosto, e em abril-maio.

A semente é minúscula: 1 kg contém mais de 3 milhões de unidades. A dispersão é anemocórica, e a taxa de germinação é baixa.

Grande parte das tibouchinas são bastante requisitadas pelo paisagismo, por sua beleza. Seu porte baixo permite que seja plantada em calçadas estreitas, e sob a rede elétrica. Por ser planta rústica suporta clima seco e quente, e solos pobres. Pelo mesmo motivo é usada na revegetação de áreas degradadas. É considerada por especialistas a Tibouchina mais fácil de ser cultivada.

Quaresmeira
Quaresmeira

Fonte: www.cazapaisagismo.com.br

Quaresmeira

Nome Científico: Tibouchina granulosa
Família:
Melastomaceae
Características Morfológicas:
A altura desta árvore vai de 8 a 12 metros, com um tronco em torno de 30 a 40 centímetros de diâmetro. As suas folhas são rijas e pubescentes (indumento das plantas formado de pêlos finos e curtos) nas duas faces.
Origem:
Brasil.
Ocorrência Natural:
Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, principalmente na floresta pluvial da encosta atlântica. Fora do Brasil, ocorre no Sul da Flórida, nos Estados Unidos, mas em matas secundárias.

Quaresmeira
Quaresmeira

Para começar, o nome popular, quaresmeira, deriva justamente do período em que ela floresce (entre janeiro e abril), época em que normalmente ocorre a Quaresma (os 40 dias que vão da quarta-feira de cinzas até domingo de Páscoa, destinados, pelos católicos e ortodoxos, à penitência).

Árvore brasileira pioneira, sobretudo da Mata Atlântica, ela também é conhecida pela profusão de flores que vão do cor-de-rosa ao lilás (às vezes roxo). Muito aplicada em canteiros e praças públicas, a quaresmeira tem um forte apelo paisagístico, até em função de sua beleza durante a floração.

Quaresmeira
Quaresmeira

É também usada na recomposição de áreas degradadas, em função de produzir anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Conhecida ainda pelos nomes de flor-da-quaresma e quaresmeira-roxa, sua madeira também pode ser aplicada na confecção de objetos leves como brinquedos e caixas.

Fonte: eptv.globo.com

Quaresmeira

A quaresmeira ou tibouchina

Árvore que floresce geralmente duas vezes ao ano, em julho-agosto e dezembro-março, altura de 8 a 12 metros.

Nome Técnico: Tibouchina granulosa) (Desr.)Cogn.

Nomes Populares: quaresmeira, tibouchina

Família: Família Melastomataceae

Origem: Originária do Brasil, com ocorrência nos estados da Bahia, São Paulo, Minas Gerais, mas cultivada em quase todo o país.

Descrição: Árvore de pequeno porte, até 12,0 m, ramos quadrangulares e forma de sombrinha.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quando nova tem aparência de um arbusto.

As folhas perenes são verde-escuras rijas e pubescentes em ambas as páginas.

Flores vistosas em rosa ou púrpura arroxeada, em grandes inflorescências terminais.

Florescimento no final do inverno e também no outono, sendo esta a que produz mais flores.

Modo de cultivo: Necessita de local ensolarado, solo de fertilidade média e bem drenado.

Propagação facilmente por sementes produzidas em abundância.

A semeadura pode ser feita em tubetes ou caixotes, aguardando até atingirem de 10-15 cm para transplante em sacos ou vasos.

Paisagismo: É uma árvore que ocorre espontânea nos seus lugares de origem, em floresta pluvial atlântica e também em capões de crescimento secundário.

Seu plantio em paisagismo tem alguns senões, pois como planta de rua seus galhos frágeis quebram com o vento, colocando transeuntes em risco.

Em parque e jardins seu florescimento surpreende a todos pelo colorido vistoso e pode ser usada em pequenos jardins com belo efeito ornamental.

A cor de suas flores em púrpura arroxeada combina bem com plantas de flores brancas, lavanda e rosa.

Como cuidar da sua Quaresmeira/ Tibouchina granulosa?

Planta perenifólia ou semidecídua, heliófita, caracaterística da floresta pluvial atlântica.

Ocorre predominantemente nas formações secundárias como capoeiras e capoeirões. Produz anualmente grande quantidade de sementes viáveis.

Quaresmeira
Quaresmeira

Quaresmeira
Quaresmeira

Fonte: www.fazfacil.com.br/www.uemurafloreseplantas.com.br

Quaresmeira

Quaresmeira Roxa

Sementes de Quaresmeira, de nome científico Tibouchina granulosa uma árvore de beleza notável, que encanta por sua exuberante floração.

Seu porte geralmente é pequeno a médio, podendo atingir de 8 a 12 metros de altura. A floração ocorre duas vezes por ano, no outono e na primavera, despontando abundantes flores roxas.

Mesmo quando não está em flor, a quaresmeira é ornamental. Sua copa é de cor verde escura, com formato arredondado, e sua folhagem pode ser perene ou semi-decídua, dependendo do clima em que se encontra.

Quaresmeira
Quaresmeira Roxa

Por suas qualidades, ela é uma das principais árvores utilizadas na arborização urbana no Brasil, podendo ornamentar calçadas, avenidas, praças, parques e jardins em geral.

Deve ser cultivada sob sol pleno, em solo fértil, profundo, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente no primeiro ano após o plantio ou transplante. Apesar de preferir esses cuidados, a quaresmeira é uma árvore pioneira, rústica e simples de cultivar, vegetando mesmo em solos pobres. Esta espécie aprecia o clima tropical e subtropical, tolerando bem o frio moderado.

Sementes destinadas unicamente ao cultivo. A quaresmeira apresenta naturalmente baixo índice de germinação, em torno de 15%, pois a grande maioria de suas sementes não possui embrião. Apesar disso, suas sementes são muito pequenas e numerosas. Esta espécie depende de luz para sua germinação. A emergência ocorre entre 7 a 30 dias após a semeadura.

Plantar em saquinhos com terra ou areia, irrigando diariamente e transplantar para o local definitivo após 6 a 7 meses do plantio.

No local definitivo, devem ser abertas covas com 40 x 40 x 40 cm, com espaçamento entre plantas de no mínimo 3 x 3 metros. Fertilizar as covas com 10 a 15 litros de esterco bem curtido e mais 100g de NPK 04-14-08.

Após, fertilizar anualmente com 10 litros de esterco e 100 gramas de NPK 10.10.10.

Utilize cobertura morta (resto de capina, folhas mortas, casca de pinus ou serragem ao redor da planta) que aumenta a disponibilidade de água e ajuda no seu desenvolvimento.

Fonte: www.tocadoverde.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Água dos Alimentos

PUBLICIDADE Não é preciso dizer que a água tem uma grande importância na nossa saúde. …

Cromatina Sexual

PUBLICIDADE O que é cromatina sexual? Existe uma diferença entre os núcleos interfásicos, período que …

Comunidades Marinhas

Comunidades Marinhas

PUBLICIDADE O que são comunidades marinhas? Certamente você já se deparou com fotos como essa, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

QUESTION 1 You are managing a SharePoint farm in an Active Directory Domain Services (AD DS) domain. You need to configure a service account to use domain credentials. What should you do first? A. Configure the service account to use a domain user account. B. Register the domain credentials in the Farm Administrators group. C. Configure the service account to use a local user account. D. Register the domain credentials as a SharePoint managed account. Correct Answer: D Explanation QUESTION 2 A company named Contoso, Ltd. has a SharePoint farm. The farm has one Search service application configured. The Search service application contains five crawl databases, all of which contain content. Contoso plans to crawl knowledge base content from its partner company Litware, Inc. The knowledge base content must be stored in a dedicated crawl database. You need to configure crawling. What should you do? A. Add a crawl database that contains the Litware knowledge base to the existing Search service application. B. Provision a new Search service application. Configure the service application to crawl the Litware knowledge base content. C. Set the MaxCrawlDatabase parameter to 6. D. Create a dedicated Microsoft SQL Server instance for the Litware crawl database. Correct Answer: B Explanation Explanation/Reference: The maximum number of crawl databases is 5 per Search service application so we need another Search service application. This maximum limit is increased to 15 with an Office 2013 update but the question doesn't mention that this update is installed so we have to assume the question was written before the update was released. QUESTION 3 A company uses SharePoint 2013 Server as its intranet portal. The Marketing department publishes many news articles, press releases, and corporate communications to the intranet home page. You need to ensure that the Marketing department pages do not impact intranet performance. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. In Central Administration, set up a User Policy for the Super User and Super Reader accounts. B. Configure IIS to use the Super User and Super Reader accounts for caching. C. Use the Farm Configuration Wizard to configure the Super User and Super Reader accounts. D. Use Windows PowerShell to add the Super User and Super Reader accounts. Correct Answer: AD Explanation Explanation/Reference: A: The way to correct this problem is to first create two normal user accounts in AD. These are not service accounts. You could call them domain\superuser and domain\superreader, but of course that's up to you. The domain\superuser account needs to have a User Policy set for that gives it Full Control to the entire web application. D: If you are using any type of claims based authentication you will need to use Windows PowerShell. And Windows PowerShell is the hipper more modern and sustainable option anyway. If you are using classic mode authentication run the following cmdlets on one of your SharePoint servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "domain\superreader" $w.Update() If you are using claims based authentication run these cmdlets on one of your SharePoint servers: $w = Get-SPWebApplication "http:///" $w.Properties["portalsuperuseraccount"] = "i:0#.w|domain\superuser" $w.Properties["portalsuperreaderaccount"] = "i:0#.w|domain\superreader" $w.Update() Note: * If you have a SharePoint Publishing site and you check the event viewer every once in a while you might see the https://www.pass4itsure.com/70-331.html following warning in there: Object Cache: The super user account utilized by the cache is not configured. This can increase the number of cache misses, which causes the page requests to consume unneccesary system resources. To configure the account use the following command 'stsadm -o setproperty -propertynameportalsuperuseraccount -propertyvalue account -urlwebappurl'. The account should be any account that has Full Control access to the SharePoint databases but is not an application pool account. Additional Data: Current default super user account: SHAREPOINT\system This means that the cache accounts for your web application aren't properly set and that there will be a lot of cache misses. If a cache miss occurs the page the user requested will have to be build up from scratch again. Files and information will be retrieved from the database and the file system and the page will be rendered. This means an extra hit on your SharePoint and database servers and a slower page load for your end user. Reference: Resolving "The super user account utilized by the cache is not configured." QUESTION 4 You are managing a SharePoint farm. Diagnostic logs are rapidly consuming disk space. You need to minimize the amount of log data written to the disk. Which two actions should you perform? (Each correct answer presents part of the solution. Choose two.) A. Set the log event level to Information. B. Set the log event level to Verbose. C. Set the log trace level to Medium. D. Set the log trace level to Verbose. E. Set the log event level to Warning. F. Set the log trace level to Monitorable. Correct Answer: EF Explanation Explanation/Reference: E: Event Levels Warning, Level ID 50 Information, Level ID: 80 Verbose, Level ID: 100 F: Trace levels: Monitorable: 15 Medium: 50 Verbose: 100 Note: When using the Unified Logging System (ULS) APIs to define events or trace logs, one of the values you must supply is the ULS level. Levels are settings that indicate the severity of an event or trace and are also used for throttling, to prevent repetitive information from flooding the log files. Reference: Trace and Event Log Severity Levels QUESTION 5 A company's SharePoint environment contains three web applications. The root site collections of the web applications host the company intranet site, My Sites, and a Document Center. SharePoint is configured to restrict the default file types, which prevents users from uploading Microsoft Outlook Personal Folder (.pst) files. The company plans to require employees to maintain copies of their .pst files in their My Site libraries. You need to ensure that employees can upload .pst files to My Site libraries. In which location should you remove .pst files https://www.pass4itsure.com/70-342.html from the blocked file types? A. The File Types area of the Search service application section of Central Administration B. The General Security page in the site settings for the site collection C. The Blocked File Types page in the site settings for the site collection D. The General Security section of the Security page of Central Administration Correct Answer: D Explanation