Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Formosa

Formosa

Formosa, GO

PUBLICIDADE

Formosa: Um belo conjunto formado por altíssimas quedas d’água, grutas, lagoas, buracos e abismos compõem a maior atração de Formosa.

Há, também, o Vale do Paranã, que é um convite à aventura e ao prazer junto à natureza.

Cidade histórica de grande importância, Formosa tem a sua herança cultural encravada nos casarões coloniais e nas construções religiosas como a Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Características

Cidade Histórica e Cultural

Ecoturismo e Parques Nacionais

Atividades praticadas no local

Rapel

Trekking

Vôo Livre

Ficha Técnica

Altitude (aprox.): 916 m

Clima: Tropical

DDD: 61

Como chegar

Distância de Brasília: 79km

Distância de Goiás: 272km

História da cidade de Formosa – GO

Formosa surgiu em meados do século XVIII, quando Goiás pertencia à capitania de São Paulo. A cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã, que fugiram de seu povoado depois que uma forte epidemia de malária assolou a região. Com medo da doença, tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

Passeios de Formosa – GO

Buraco das Araras

Tipo: Passeios Ecológicos

Descrição: Formado por uma imensa depressão, de aproximadamente 150 metros de largura por 120 metros de profundidade. No interior do buraco, há um mundo à parte, vegetação diferenciada, árvores centenárias, rochas com características vulcânicas, animais de variadas espécies, além das araras, que dão nome ao buraco.

Cachoeira do Túnel

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Cascata de Lourdes

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição

Tipo: Igrejas

Grotão

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Gruta das Andorinhas

Tipo: Grutas

Endereço: a 32 Km da cidade

Descrição: O local é um complexo de grutas e buracos, tem 250 m de profundidade e, em seu interior, corre um rio de água fresca e cristalina, uma tentação para os amantes da espeleologia.

Lagoa Feia

Tipo: Lagos, Represas e Rios

Endereço: A 3 Km da cidade

Descrição: Com 8 km de extensão e 60 m de profundidade, é a maior lagoa da região Centro-Oeste e tem, ao seu lado, uma reserva ecológica de 24.500 alqueires de mata.

Nascentes de água Mineral

Tipo: Fontes de água mineral

Descrição: São 36 nascentes de água mineral na região do Vale do Paranã.

Poço da Tranqüilidade

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Poço Grande

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Salto da Felicidade

Tipo: Outros

Endereço: No Vale do Paranã

Salto do Itiquira

Tipo: Outros

Endereço: A 34 km da cidade no Vale do Paranã.

Descrição: Com 172 m de queda d’água e completa infra-estrutura para receber o turista.

Vale do Paranã

Tipo: Passeios Ecológicos

Descrição: O local é um convite à aventura e ao prazer junto à natureza.

Fonte: feriadao.com

Formosa

Formosa surgiu em meados do século XVIII, quando Goiás pertencia à capitania de São Paulo. A cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã, que fugiram de seu povoado depois que uma forte epidemia de malária assolou a região. Com medo da doença, tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

O povoado foi batizado de Arraial dos Couros em homenagem aos viajantes que acampavam no local em barracas de couro que eles traziam para comercializar.

A criação do município de Formosa deu-se em 1 de agosto de 1843.

Cidade de importante riqueza natural, com grande número de cachoeiras, dentre elas destaca-se a Cachoeira do Itiquira. A cachoeira localiza-se a 34 quilômetros do centro da cidade e se destaca por ser umas das mais altas da América Latina com 168 metros de altura. Outro ponto muito conhecido é a Lagoa Feia, com seis quilômetros de comprimento e meio de largura e com profundidade entre 4 e 10 metros.

Ainda tem o Lajedo que forma grandes piscinas naturais, a Gruta das Andorinhas com aproximadamente 250 metros de profundidade, Buraco das Araras com aproximadamente 100 metros de profundidade e o Rio Bandeirinha o qual forma várias cachoeiras.

Fonte: ecoviagem.uol.com.br

Formosa

Localizada a pouco mais de 70km de Brasília, a cidade de Formosa merece o nome que tem. O céu quase sempre azul, as belas chapadas avermelhadas e as águas que cortam a cidade compõem ambientes inigualáveis para a prática de esportes de aventura.

Formosa é o ponto de encontro dos amantes de vôo livre, vôo a vela, asa-delta, pára-quedismo e rapel. Também é sede do Aeroclube do Planalto Central, onde são organizados cursos e grandes campeonatos de planadores. Quem não se anima a pilotar pode fazer um vôo panorâmico sobre a região em aeronaves Ximango, pilotadas pelos profissionais do Clube.

A distância do Aeroporto Internacional de Brasília permite que os vôos em Formosa sejam feitos com tranqüilidade, por tempo prolongado. Formosa é referência também na produção moveleira, agrícola e agropecuária. No centro da cidade, as atrações ficam por conta de antigos casarões e das praças, usadas por quem não dispensa um bom papo no fim do dia com os amigos.

A cultura também está presente na cidade com todas as cores da Festa do Divino Espírito Santo, dos famosos Pousos de Folia da Roça e das rodas de catiras. Para temperar a visita à Formosa, arroz com pequi, frango com guariroba, empadão goiano e galinhada são as sugestões.

Eventos

Etapa Centro – Oeste do Campeonato Brasileiro de Planadores

Evento que reúne os amantes do vôo e dos esportes de aventura, o campeonato reúne pilotos e curiosos de diversas partes do Brasil no mês de setembro.

Festa do Divino Espírito Santo

Tradicional em Formosa, a Festa do Divino acontece em maio, reunindo a população com cantos e orações nas ruas da cidade e, também, nas áreas rurais.

Atrações

Salto de Itiquira

Os 168 metros de queda encantam quem visita o lugar, que possui também um poço para banho. Para chegar até lá, é necessário percorrer uma trilha fácil, porém íngreme. Caminhando por mais duas horas, chega-se ao mirante. A cachoeira faz parte do Parque Municipal do Itiquira, localizado a 33km de Formosa.

Buraco das Araras

Procurados pelos amantes de esportes radicais e por ecoturistas, o Buraco das Araras é um refúgio no cerrado. O trajeto é difícil, mas a beleza é incomparável. Paredões de pedras, ideais para rapel, guardam uma gruta com águas cristalinas.

Cachoeira do Indaiá

Localizada na microbacia do Itiquira, a Cachoeira do Indaiá é formada por três quedas, sendo que a maior atinge 15 metros de altura. As águas formam um belo poço para banho.

Lagoa Feia

Localizada a apenas 4km do centro da cidade, a Lagoa Feia é utilizada para a prática de esportes aquáticos. Ao todo são 15 mil metros quadrados, com trechos que chegam a 10 metros de profundidade. Na orla há restaurantes, bares e uma área para aluguel de barcos.

Lajeado

Cercado de vegetação típica do cerrado, o Lajeado é um lugar tranqüilo, formado por um poço de águas transparentes que convida para um dia de descanso

Fonte: guiabrasilturismo.com.br

Formosa

Formosa faz parte do estado de Goiás.

Situa-se a 75 quilômetros de Brasília, e a 282 Km Goiânia. A população do município de Formosa é de 97.903 habitantes , de acordo com o censo do IBGE de 2010.

Formosa surgiu em meados do século XVIII, quando Goiás pertencia à capitania de São Paulo. A cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã, que fugiram de seu povoado depois que uma forte epidemia de malária assolou a região. Com medo da doença, tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

História da cidade de Formosa Goiás

Os primeiros históricos de Formosa remontam da terceira década do século XVIII, quando Goiás ainda pertencia à Capitania de São Paulo, conforme inscrições encontradas nas grutas da Fazenda Araras, que falam da chegada dos primeiros colonizadores.

Nas proximidades da Lagoa Feia, os boiadeiros e garimpeiros que faziam o trajeto entre a Bahia e Minas Gerais, rumo ás minas dos Guaiazes, escolheram o local de suas paradas para descanso.

Ali levantaram as primeiras choupanas cobertas e cercadas com couro de boi, dando origem ao primeiro nome da localidade: Arraial dos Couros.

Nessa época, para evitar prejuízos na extração do ouro e no comércio aos bovinos, foram instalados dois registros para cobrança de tributos, um na parte setentrional da Lagoa Feia e outro a 90 quilômetros do Arraial, local conhecido como Arrependidos.

Assim, ficou estabelecida a comunicação de sertão com os canais da Bahia e Minas Gerais, registrando-se, ainda, a passagem pela região dos bandeirantes Urbano do Couto e Antônio Bueno de Azevedo.

A salubridade do clima e a oportunidade de bons negócios atraíram garimpeiros e fazendeiros de outras regiões, que passaram a se dedicar à formação de fazendas e ao comércio de couros. Em 1823, o arraial foi elevado a julgado e já se firmava com centro comercial.

Em 1838, foi elevado à categoria de freguesia e, posteriormente, em 1843, diante das suas belezas naturais e buscando homenagear a imperatriz D. Teresa Cristina, foi elevado à categoria de Vila, recebendo o nome de Vila Formosa da Imperatriz. Em 1877, passou à categoria de cidade, com o nome de Formosa. O dia 1º de agosto de 1843 ficou sendo data oficial do município.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Vila Formosa da Imperatriz, pela lei provincial nº 4, de 22-08-1838.

Em 1839 o Julgado de Couros pertencia ao Município de Santa Luzia, Comarca de Santa Cruz.

Elevado à categoria de vila com a denominação de Vila Formosa da Imperatriz pela lei provincial nº 1, de 01-08-1843, desmembrado do município de Santa Luzia.

Sede na antiga povoação de Vila Formosa da Imperatriz. Constituído de 2 distritos: Vila Formosa da Imperatriz e Santa Rosa, ambos desmembrados de Santa Luzia. Instalado em 22-02-1844.

Em 1851 passou a Comarca de Paranaíba, com sede em Catalão.

Em 1857, pela Lei nº 12, de 24-11-1855, passou a fazer parte, com São Domingos e Flores, da Comarca do Rio Paranã.

Pela Resolução nº 341, de 18-12-1875, foi Formosa elevada a comarca, tenso sido instalada em 17 de Setembro do mesmo ano, pelo Decreto de 09 de Julho de 1881, declarada primeira entrância.

Elevado à condição de cidade com a denominação de Formosa da Imperatriz, pela lei provincial nº 574, de 21-07-1877, sendo instalada em 16 de setembro do mesmo ano.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 2 distritos: Formosa ex-Vila Formosa da Imperatriz e Santa Rosa.

Pela lei municipal nº 70, de 23-01-1912, é extinto o distrito de Santa Rosa, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Formosa.

Pela lei nº 10, de 22-05-1924, é recriado o distrito de Santa Rosa e anexado ao município de Formosa.

Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 2 distritos: Formosa e Santa Rosa.

Nas divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937 e, bem assim, no quadro anexo ao Decreto-Lei estadual nº 557, de 30 de março de 1938, Formosa, juntamente com os termos de Planaltina e São João D’ALiança, constitui a Comarca de São João D’Aliança.

Pelo decreto-lei estadual nº 1233, de 31-10-1938, o distrito de Santa Rosa é extinto, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Formosa. Sob o mesmo decreto o município adquiriu o território do extinto município de São João da Aliança, com simples distrito.

No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 2 distritos: Formosa e São João D’Aliança.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.

Pela lei municipal nº 44, de 29-12-1952, é criado o distrito de Cabeceiras ex-povoado anexado ao município de Formosa.

Pela lei municipal nº 47, de 30-12-1952, é criado novamente o distrito de Santa Rosa anexado ao município de Formosa.

Pela lei estadual nº 954, de 13-11-1953, complementada pela lei estadual nº 1274, de 14-12-1953, desmembra do município de Formosa o distrito de São João D’Aliança. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 3 distritos: Formosa, Cabeceiras e Santa Rosa.

Pela lei municipal nº 233, de 01-01-1958, é criado o distrito de Crixalândia e anexado ao município de Formosa.

Pela lei estadual nº 2102, de 14-11-1958, desmembra do município de Formosa o distrito de Cabeceiras. Elevado à categoria de município.

Pela lei municipal nº 259/32, de 25-09-1961, é complementada pela lei nº 46 de 0702-1969, é extinto o distrito de Crixalândia, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Formosa.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 2 distritos: Formosa e Santa Rosa.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1983.

Pela lei estadual nº 10440, de 10-01-1988, é criado o distrito de Vila Boa e anexado ao município de Formosa.

Pela lei estadual nº 11707, de 29-04-1992, desmembra do município de Formosa o distrito de Vila Boa. Elevado à categoria de município.

Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído de 2 distritos: Formosa e Santa Rosa.

O Município conta com 3 povoados: Bezerra,Crixalandia, e JK.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Alteração toponímica municipal

Vila Formosa da Imperatriz para simplesmente Formosa alterado, pela lei provincial nº 574, de 21-07-1877.

Fonte: biblioteca.ibge.gov.br

Formosa

História da Cidade

Formosa surgiu em meados do século XVIII, quando Goiás pertencia à capitania de São Paulo. A cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã, que fugiram de seu povoado depois que uma forte epidemia de malária assolou a região. Com medo da doença, tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

O povoado foi batizado de Arraial do Couro em homenagem aos viajantes que acampavam no local em barracas de couro que eles traziam para comercializar. A criação do Município de Formosa se deu em 1º de agosto de 1843.

Arraial dos Couros foi o primeiro nome de Formosa, criada na segunda metade do século XVIII, com o desbobramento do município de Luziânia, que nessa época, também era um arraial (Santa Luzia e mais tarde, Santo Antônio da Boa Vista) fundado em 13 de dezembro de 1746 e elevado à condição de julgado, por ato oficial de 30 de outubro de 1749.

Problemas estritamente ligados a área de saúde motivaram a transferência do antigo arraial que deu origem a Formosa, conhecido pela designação de Santo Antônio. Historicamente foi fundado e construído por negros, localizado nas margens do ribeirão Itiquira com o rio Paranã. Na época uma mortífera febre assolava o lugar, proveniente do próprio rio, causando uma espécie de malária degenerativa.

Uma data, contudo, parece se adaptar a fundação de Formosa: “em quatro de outubro de 1767 o Padre Antônio Francisco de Melo celebrou a 1ª missa na casa de Oração de Couros”. Mas a data, infelizmente não define com exatidão o dia certo da mudança. Em fevereiro de 1736 instalou-se a Estação Fiscal Registro Lagoa Feia, com um corpo de policiamento militar. Em 1º de agosto de 1843, o arraial foi elevado à categoria Vila, recebendo a denominação de Vila Formosa da Imperatriz.

Em 1833, no dia 1º de abril, Formosa foi considerada julgado de Couros, por ato do Conselho Geral do Governo da Província de Goiás e continuava a ser parte integrante do município de Luziânia, na época, Santa Luzia.

O município de Formosa só foi instalado no dia 22 de fevereiro de 1844. Seu primeiro prefeito foi Lázaro de Melo Alvares, que presidia por acumulação, a primeira Câmara Municipal de Vereadores. Desta forma o cordão umbilical que ligava Formosa a Luziânia foi cortado definitivamente. O novo município ganhava a tão sonhada autonomia política.

Na parte religiosa a autonomia ocorreu através da lei provincial de Goiás, número 4 de agosto de 1838, elevando a antiga Casa de Oração de Couros, sob a inspiração de Nossa Senhora da Imaculada Conceição de Couros, que a passou ser sua padroeira, quando se desmembrou a paróquia de Santa Luzia.

Pelo temor de contrair a doença, a mudança do sítio ocorreu de forma apressada, motivo pelo qual, até hoje se desconhece quem liderou a mudança e a data em que o fato se deu. Os historiados registram a existência de uma povoação, denominada “Couros”.

Deduz-se também, que o nome Arraial dos Couros se deu porque era formado por habitações improvisadas, cobertas com os couros das cargas dos comerciantes que permutavam mercadorias com os paranistas. As primeiras barracas foram erguidas na antiga rua dos Crioulos que transformou-se na atual Rua Alves de Castro.

O Registro, próximo à Lagoa Feia, foi instalado por ordem do rei de Portugal, na época do Brasil-Colônia com o propósito de evitar que o ouro da região fosse evadido e que os tributos deixassem de ser recolhidos.

A autonomia judiciária de Formosa ocorreu através da resolução provincial de Goiás, nº 551 datada do dia 7 de agosto de 1875, quando foi criada a Comarca de Formosa, ocorrendo o desdobramento territorial da Comarca de Imperatriz, com sede na cidade de Luziânia.

Por meio do decreto Provincial de Goiás, de 09 de julho de 1881, a comarca foi declarada de primeira entrância. A instalação ocorreu de forma festiva. Era mais uma vitória para a cidade. E no dia 17 de setembro de 1881 o Doutor João Antunes Correia Lins Wanderley assumiu a comarca como seu primeiro Juiz de Direito.

Presentes ao ato, o promotor público, Pedro Ludovico de Almeida e o presidente da Câmara Municipal, vereador João Moreira Ribeiro. A instalação solene da cidade de Formosa se deu no mesmo ano, no dia 16 de setembro, sob a presidência de José Paulino de Souza Lôbo.

Dados Gerais

Distâncias

Formosa está a 276 quilômetros de Goiânia.
Trajeto: Partindo-se de Goiânia, pega-se a BR-153 no sentido Anápolis. No trevo de Anápolis, toma-se a BR-060, passando por Abadiânia, Alexânia e Brasília. Daí toma-se a BR-020, passando por Planaltina do DF. Daí até Formosa são aproximadamente 40 quilômetros.
Brasília: 75 Km
São Paulo: 1.204 Km
Belo Horizonte: 796 Km
Rio de Janeiro: 1.218 Km

Limites

Norte: São João D’ Aliança – GO; Vila Boa – GO; Flores De Goiás – GO
Sul: Distrito Federal – DF, Unaí- MG
Leste: Cabeceira – GO ; Buritis – MG
Oeste: Planaltina – GO; São João Da Aliança – GO

Clima / Temperatura

O clima predominante no município é o tropical de altitude com chuva no verão e inverno seco. Na parte sul é temperado e ameno. No norte e no Vale do Paranã é quente. sua temperatura média é de 25º C.,

Relevo

Município de Formosa esta localizada no Planalto Central do Brasil. O relevo do município é composto de extensos chapadões e terras vermelhas apresentando variações, lugares baixos, lugares planos e outros com elevações.

As formas elevadas do relevo recebem o nome de chapadas ou chapadões.

As principais serras e morros do município:

Serra Geral do Paraná
Boa Vista
Correira Comprida
Corcunda
Morros
O Morro da Molhadinha

Hidrografia

Formosa esta situada em privilegiada posição geográfica, no começo das três bacias brasileiras. A do Amazonas representada pelo Ribeirão Bandeirinha, a do Prata pelo Ribeirão Pipiripau e a do São Francisco pelo Ribeirão Santa Rita, tendo sido em virtude disto, chamada pelo poeta goiano Leo Lince – “Berço das Águas do Brasil”.

Os principais rios do município são:

O Rio Paranã – que é o de maior importância com 500 Km de extensão. Surge de serie de córregos e ribeirões, no vale leste da Serra Geral do Paraná, a 4 Km da sede do município. Corre pelo interior do município na direção norte e recebe mais de 30 afluentes. Separa os municípios de Formosa e São João D’Aliança. Recebe na extremidade norte o Paraim na divisa de Flores de Goiás, e Vila Boa para onde segue o seu curso.

O Rio Preto – nasce na Lagoa Feia, nos limites com o Distrito Federal sendo marco divisório entre ambos. Recebe vários afluentes destacando se o Ribeirão Bezerra, limite natural de Formosa com Cabeceiras

Rio Urucuia – com a nascente situada a leste, a 26 Km de Formosa. O seu percurso é pequeno, no município de Formosa

Principais lagoas de Formosa:

Lagoa Feia
Lagoa da Espora
Lagoa da Vargem
Lagoa dos Veados
Lagoa do Corcunda
lagoa do Paraim
Lagoa Grande

Cachoeiras – as quedas d’água mais apreciadas dos municípios:

Cachoeira do Timóteo
Cachoeira da Ursula
Cachoeira do Capetinga
Cachoeira do Paraim
Cachoeira do Itiquira
Cachoeira do Bisnau

Vegetação

Entre varias formas vegetais distinguem se, pela sua extensão os cerrados que marcam a vegetação regional de Formosa. Alem dos cerrados há uma pequena mata no Vale do Paranã. Há também campos e pequenos bosques espalhados em todo o município, possuindo diversos tipos de madeiras como peroba, o jacarandá, o angico, a aroeira, jatobá e outras em pequena escala.

Atrações Turísticas

Cachoeira do Indaiá

Formosa
Cachoeira do Indaiá

Localizada na microbacia do Itiquira, a Cachoeira do Indaiá tem realmente uma paisagem maravilhosa, é formada por tres quedas d’agua, sendo que a maior atinge 15 metros de altura, num desnível total de 50 metros, ainda oferecendo um poço excelente para banho.

Seu acesso se dá a 28 kms de Formosa, seguindo 20 kms pela rodovia Formosa-Planaltina GO, entrando a direita e percorrendo 8 kms de estrada de chão.

Cachoeiras da Capitinga

Formosa
Cachoeiras da Capitinga

A 43 quilômetros de Formosa. São 100 metros de cachoeira, desnível de 130 metros, com seis pequenas quedas d’água.

Cachoeiras do Bandeirinha

Formosa
Cachoeiras do Bandeirinha

A cinco quilômetros de Formosa. São quatro quedas d’água que se formam no Rio Bandeirinha.

Gruta das Andorinhas

Formosa
Gruta das Andorinhas

À 34 km do centro da cidade, acesso BR 020. Uma cratera sobre a serra do mesmo nome, com aproximadamente 250 metros de profundidade.

Lagoa Feia

Formosa
Lagoa Feia

A Lagoa Feia, além de ser considerada a mais bonita do Planalto Central, é o principal lençol d’água de Formosa. Tem 6 quilômetros de comprimento e meio quilômetro de largura. Em toda sua extensão é margeada de matos altos, que lhe dão aspecto de rio, correndo do Norte para o Sul.

As suas extremidades, Norte e Sul, são cobertas por um tirirical espesso e impenetrável, mas a sua parte central é toda descoberta e nela podem singrar facilmente pequenos barcos, visto a variar de 4 a 10 metros a sua profundidade.

Há, na sua extremidade Norte, o local mais profundo que nela se encontra: nunca foi sondado e é denominado Poço do Registro.

As águas da Lagoa Feia se escoam por um canal disposto entre os matos e o tirirical da sua margem esquerda até alcançar o ribeirão Santa Rita com o qual formam o Rio Preto.

Mata da Bica

Formosa
Mata da Bica

Parque ambiental no centro da cidade.

Pedreira Toca da Onça

Formosa
Pedreira Toca da Onça

A dois quilômetros de Formosa. É uma série de grutas na base de um paredão de pedra. Com 50 metros de altura, o paredão possui inscrições rupestres e estalactites.

Rio Bandeirinha

Formosa
Rio Bandeirinha

À 3 Km do centro com várias cachoeiras, uma delas com 50 metros de altura, o rio Bandeirinha corre livre pelo impulso da própria natureza, transformando-se no que há de mais bonito. Acesso pela estrada do Itiquira.

Salto do Itiquira

Formosa
Salto do Itiquira

A 34km da cidade, com 176 metros de queda livre, a mais alta da América Latina. Possui um parque de preservação ambiental. A Cachoeira do Itiquira, juntamente com seu conjunto de vales e montanhas, forma uma paisagem maravilhosa. Ainda nessa exótica paisagem está a Cachoeira do Túnel, Poço Grande, Cascata de Loudes, Grotão, Salto da Felicidade e Poço da Tranquilidade, com 36 nascentes de águas minerais.

O local é dotado de completa infra-estrutura e pode ser alcançado através de estrada pavimentada.

Sítio Arqueológico

Formosa
Sítio Arqueológico

Distante 50 quilômetros de Formosa. São inscrições gravadas em uma grande pedra, parecendo descrever mapas e roteiros da região.

Lagedo

Formosa
Lagedo

À 38 Km de Formosa, 4Km da BR 020. Situa-se no centro de uma mata virgem possuindo cerca de 500 metros quadrados de lagêdo como se fosse construído pelo próprio homem uma corrente de água cristalina formam grandes piscinas naturais.

É realmente um local lindo, parece que foi feito pelo ser humano.

Buraco das Araras

Formosa
Buraco das Araras

O Buraco das Araras fica distante de Formosa 41 kms, seguindo direção norte da rodovia BR-020 até 04 kms após o Distrito do Bezerra, dali vira se à esquerda e segue-se 09 kms por estrada sem pavimentação.

No meio de uma paisagem campestre, local plano e de cerrado fino, surge de forma surpreendente uma grande cratera, com vegeração densa, formada de uma mata florestal e com um rio subterraneo que deixa um lago profundo na entrada de uma imensa caverna com formações de estalactite e estalagmite. Essa é a descrição da chegada ao Buraco das Araras, cuja a denominação foi inspirada nas aves que habitam o local.

Turismo Local

Formosa possui um potencial turístico invejável.

São gingantescas quedas d’água, grutas, lagos, buracos e abismos, além do Vale do Paranã. Destacam-se ainda: Salto de Itiquira, com seus 172m de queda d’água. Cachoeira do Túnel, Poço Grande, Cascata de Lurdes, Grotão, Salto da Felicidade e Poço da Tranquilidade, com 36 nascentes de água mineral.

A Lagoa Feia com 8km de comprimento por 600 metros de largura é a maior do Centro-Oeste. Gruta das Andorinhas (complexo de grutas e buracos. Possui 250m de profundidade e em seu interior passa um rio). Buraco das Araras (150m de largura por 100 a 120m de profundidade). Rio Bandeirinha (a 3km da cidade dá um verdadeiro show em cachoeiras e piscinas naturais.

O potencial turístico do Município é invejável. Formosa dispõe de belíssimas paisagens naturais, como quedas d’água, grutas, lagoas e o belo visual do Vale do Paranã. O turismo ecológico é praticado e incentivado.

Hino

HINO A FORMOSA

Música: Miguel Salomão Affiune
Letra: Ilmosa Saad Fayad

Tu te elevas, Formosa gentil,
ao fulgente clarão do cruzeiro.
Sob o pálio do imenso brasil
tremulando, auriverde, altaneiro.
Coro
Como cresces em veros primores,
em progressos, conquistas e brilhos!
Serás grande formando pendores,
serás forte, também, por teus filhos!

Uma vida tranquila tão boa,
toda gente daqui desfrutou,
com a graça da tua lagoa
e outros bens com que Deus te dotou.

No trabalho fecundo tu vences!
pelo arrojo o renome terás!
Pelo orgulho dos bons formosenses,
a esperança também cantarás!

Berço insigne, na terra implantado,
a embalar tão vivaz geração,
terás sempre o calor devotado
deste povo, em leal tradução.

De mãos dadas, unidos, felizes,
nossa mente, fiel, dadivosa,
sobe aos céus de tão vivos matizes
exaltando o teu nome, Formosa.

Fonte: citybrazil.com.br

Formosa

A cidade

Formosa é uma cidade localizada no nordeste do estado de Goiás. Situa-se a 70 km de Brasília, e a 272 km de Goiânia.

Formosa possui um grande potencial turístico que ainda é pouco explorado, possui diversas cachoeiras, grutas, lagoas, rios, sítios arqueológicos, dentre outras atrações.

É uma cidade agropecuária, tradicional na pecuária de corte e leite é grande produtora de soja, milho, feijão e arroz. Outras culturas, como café e algodão também estão tendo destaque na produção agrícola do município.

A maior festa é a Exposição Agropecuária, realizada no final de julho e começo de agosto para coincidir com o aniverário da cidade. Também é popular a Festa da Moagem, que procura resgatar a tradição e a história de nossa cidade, que é realizada no mês de junho.

Em se tratando de religiosidade, a maior festa, que movimenta toda a cidade é a Folia do Divino Espírito Santo, sempre realizada no domingo de Pentecostes. A padroeira da cidade é Nossa Senhora da Imaculada Conceição.

Formosa
Formosa

A História

Formosa surgiu em meados do século XVIII, quando Goiás pertencia à capitania de São Paulo. A cidade foi formada por antigos moradores do Arraial de Santo Antônio, no vale do Paranã, que fugiram de seu povoado depois que uma forte epidemia de malária assolou a região. Com medo da doença, tropeiros e comerciantes que vinham da Bahia e Minas Gerais acampavam na região onde hoje está localizada Formosa.

O povoado foi batizado de Arraial dos Couros em homenagem aos viajantes que acampavam no local em barracas de couro. A criação do município de Formosa deu-se em 1 de agosto de 1843.

O título de Berço das Águas

Formosa

Formosa esta localizadas em uma privilegiada posição geográfica, sobre três bacias hidrográficas brasileiras.

A Bacia do Amazonas representada pelo Rio Bandeirinha. A Bacia do Prata, representada pelo Rio Pipiripau. E a Bacia do do São Francisco representada pelo Rio Santa Rita

Em virtude disso, Formosa recebeu do grande poeta goiano, Leo Lince, o título de “Berço das Águas”.

As águas também são importantes atrativos turísticos da região. As cachoeiras, cascatas, cânions, lagos, rios e riachos conjugam-se à paisagem do cerrado, criando atrações para visitantes de vários cantos do Brasil e do mundo. São cenários de beleza incomparável para os que buscam lazer, esportes ou o contato profundo com a natureza.

“Visite essa terra Formosa. Encante-se com seu povo simples e acolhedor, sua rica cultura e sua natureza de belezas ímpares!”

Pontos Turísticos

Antiga Usina

Formosa

Registros dessa usina são encontrados em um livreto com o título “Formosa, dados históricos e informações”, datado de 1958, organizado pela secretaria da prefeitura municipal.

Formosa

No livreto, consta a construção e instalação da usina hidro-elétrica com o nome de “Deputado João de Abreu”, de 300 HP de potência, iniciada na administração anterior, além da reforma da rede urbana de distribuição de luz e força e sua extensão aos bairros de Formosinha, Abreu e outros pontos da cidade.

Não se sabe ao certo em que ano a usina parou de operar, mas pelas condições atuais das instalações, percebe-se que isso ocorreu há vários anos. As construções estão em péssimas condições, algumas lajes ruiram, além dos equipamentos que sobraram nas casas de máquinas estarem em um estado avançado de deterioração por ação da ferrugem.

Nos canais que conduziam a água para o encamento, que a levava até as turbinas, já cresceram árvores, e o que resta neles são folhas secas e as raizes dessas árvores que tentam penetrar suas paredes de concreto.

Formosa

O que sobrou foram lembraças de um tempo de progresso, que já se foi, mas deixou sua marca na história de Formosa. A usina, ora denominada Usina Deputado João de Abreu, agora é conhecida pelo pseudônimo “Antiga Usina”.

Mas, embora a usina esteja em ruínas, o rio na qual está instalada permanece intacto. Trata-se do Rio Bandeirinha, o mesmo que fornece água para a população formosense. Aliás, a Usina está instalada a poucos quilômetros abaixo do ponto de captação de água para a cidade.

Entre a barragem da usina, mostrada na foto abaixo, e a casa de máquinas, primeira foto, o rio dá um show!!!

São várias corredeiras, uma cachoeira de aproximadamente 15 metros, há lugares onde o rio desaparece entre as pedras e logo depois ressurge com toda sua força por entre as rochas. Tudo em meio de uma vegetação exuberante do cerrado e os resquícios da Antiga Usina.

Onde a água deixava o canal e entrava na tubulação há uma base de concreto que serve de mirante, de onde é possível avistar todas as intalações da usina, além do belo vale que há em volta do rio, com suas inúmeras palmeiras.

É mais belo ainda quando os ipês e as barrigudas estão floridos. Provalmente era muito mais bonito quando a usina funcionava. De lá, pode-se imaginar como era antigamente, com tudo aquilo funcionando, o ritmo frenético das máquinas, que geravam energia e iluminavam a cidade. Com certeza, foi um grande progresso para a região.

Formosa

Também é um lugar que vale muito a pena ser visitado. Além da beleza natural do lugar, das antigas instalações, da barragem que rompe o rio, dos encamentos que cortam o cerrado, podemos ver uma parte da história do nosso município.

A Antiga Usina está em propriedade particular, portato é necessária autorização para visitar.

Está localizada nas proximidades da rodovia que liga Formosa a Planaltina-GO, a cerca de 11 Km de Formosa.

Buraco das Araras

Formosa
Buraco das Araras

Localizado a cerca de 16 Km do Distrito Bezerra, Formosa – GO, (segue-se pela BR-020, sentido Barreiras-BA, entra a esquerda após 5 Km, por estrada de chão, onde se segue por mais 11 Km) é uma das maiores dolinas quartizítica do Brasil e a maior do Centro-Oeste com 105 metros de profundidade e 295 metros de largura, tendo em seu meio uma densa floresta úmida com samambaias gigantes típicas da idade primitiva.

Acredita-se que o buraco tenha se formado com o desmorronamento do teto de uma caverna. Essa é a principal tese para o surgimento do buraco, pois em dois lados existem cavernas e o meio do buraco seria o teto que teria desabado a milhares de anos.

Formosa

A descida pode ser feita através de rapel ou escalando através do paredão de pedras que formam a lateral do buraco, porém nesta, é necessário muito cuidado, uma vez que o paredão é muito íngreme e existem muitas pedras soltas, o que torna-se um perigo, pois as mesmas podem cair sobre que está descendo mais abaixo.

Além disso, na época das chuvas as pedras se tornam muito escorregadias, fazendo com que o cuidado deve ser redobrado. Embora essa trilha seja perigosa, sendo tomados alguns cuidados é possível fazê-la com segurança.

Formosa

Quando se desce no Buraco das Araras é que temos realmente a noção de quanto ele é grande. Dentro do mesmo existem várias trilhas que ligam uma caverna a outra, passamos debaixo de seus paredões, com centenas de metros de altura e rodeados por uma densa floresta, totalmente diferente do cerrado seco e árido que encontramos do lado de fora.

Formosa

Nas cavernas é possível encontrar algumas estalactites, estalagmites, mas o que realmente impressiona é o lago subterrêo que existe no fundo da maior das cavernas. A água é tão parada e cristalina que é praticamente impossível perceber somente com o olhar onde terminam as pedras e começa a água.

Formosa

É um ponto turístico digno de visitação, onde a natureza mostra toda sua força e o homem percebe sua própria fragilidade.

Apesar das dificuldades de acesso, a visita vale a pena, com certeza.

Um observação que não pode deixar de ser feita, é a de não deixar lixo, não somente no Buraco das Araras, mas em todos os locais que frequentamos. Tudo o que produzirmos de lixo deve ser levado embora.

Cachoeira da Gameleira

Formosa
Cachoeira da Gameleira

Esta cachoeira recebeu este nome, porque em seu topo existe um antigo e frondoso pé de gameleira.

Está localizada em um vale de acesso dificílimo, com mata de galeira muito densa, sendo preciso passar por vales e serras, além de ser preciso atravessar o rio inúmeras vezes.

Na verdade, primeiramente encontrei esta cachoeira olhando as imagens de satélite do Google Earth. Depois com meus companheiros de aventura, Nadir e Junior, fomos ao encontro da tal cachoeira. Depois de muito caminhar, chegando na cachoeira e a primeira coisa que fizemos foi batizá-la, com o nome da árvore que encontramos próxima a mesma, Gameleira.

A segunda feita que fizemos, ou melhor, tentamos fazer, foi descobrir com se descia na cachoeira, andamos muito entre as enormes rochas da serra e nada de encontrar um bom lugar para descer.

Formosa

Resolvemos arriscar descer num lugar muito íngrime, mas que dava a impressão que poderíamos chegar no final da queda. Conseguimos, mas foi preciso escalar a rocha e fazer rapel por cipós e raízes.

Formosa

Descemos no final da queda, mas precisávamos voltar, pois a queda maior ficava um pouco acima. Foi necessária outra escalada, por entre pedras lisas e contra a forte correnteza do rio, mas ao chegarmos, todo o nosso esforço foi recompensado com o indescritível visual da Cachoeira da Gameleira.

A cachoeira está dividida em duas quedas, uma ao lado da outra. No final da cachoeira não existe poço fundo. O rio continua seu curso por pelo menos mais meia dúzia de quedas menores, porém não menos belas.

Ficamos lá por um tempo, e depois precisávamos voltar. Na volta passamos pelo outro lado da cachoeira, a subida foi mais light, toda feita escalando cipós e raízes até chegarmos ao cume da cachoeira.

Cachoeira da Santana

Formosa
Cachoeira da Santana

A cachoeira da Santana é uma das maiores e mais belas quedas do município de Formosa. Por estar em um lugar de difícil acesso e dentro de uma propriedade particular, é muito pouco conhecida e isso garantiu que o local fosse preservado. Próxima a cachoeira encontra-se uma densa mata virgem e poucos vestígio de visitação humana.

A cachoeira é formada pelo Rio Paraim, e possui este nome por estar em terras petencentes a antiga “Sanata Mineração”.

Formosa

A cachoeira possui duas quedas, a primeira tem cerca de 20 metros de altura e forma um pequeno poço no final da queda. A segunda queda é a maior, possui aproximadamente 80 metros de altura e ao final existe um grande poço, com águas agitadas, onde pode-se nadar, tomando alguns cuidados para não chegar muito próximo do local onde a água da cachoeira cai. Também é possível praticar a pesca esportiva.

Nem sempre os proprietários autorizam a entrada e o acesso é muito difícil, mas, recompensado pela beleza e tranqüilidade do local. A Cachoeira da Santana está a cerca de 16 Km do Distrito Bezerra, Formosa – GO.

Cachoeira do Bisnau

Formosa
Cachoeira do Bisnau

Um lugar onde a natureza densa do cerrado fecha-se sobre um vale rico em águas formando à cachoeira do Bisnau.

Também é conhecida como Cachoeirão ou Cachoeira da Capetinga por estar localizada na fazenda com o mesmo nome. É uma bela queda do município de Formosa, suas águas ao cairem tornam-se brancas devido ao oxigênio que adquirem, dando à cachoeira a aparência de um véu de noiva. A cachoeira é formada pelo Rio Bisnau.

O acesso a cachoeira se dá por cima, onde temos ótimos poços próprios pra o banho, com profundidades variáveis.

Quando chegamos próximos a queda principal, temos uma visão privilegiada, através do mirante natural proporcionado pela cachoeira.

Ao total são 130 metros de desnível, num total de seis pequenas quedas d’água ao longo do percurso e ao final temos a grande Cachoeira do Bisnau com 100 metros de queda.

Formosa

É possível descer até a metade da cachoeira, escalando o paredão ao lado da mesma ou através da prática de rapel.

Para descer até o final da cachoeira, pode-se utilizar uma trilha íngrime no meio da mata virgem. A descida não é fácil, uma vez que a trilha é muito inclinada, longa e escorregadia devido a neblina da cachoeira, mas a descida vale a pena pela paisagem e pela aventura, desde que tomadas todas as medidas de segurança.

Está localizada às margens da Rodovia BR-020, numa propriedade particular, distante 16 Km do Distrito Bezerra, seguindo mais 03 Km de estrada de terra.

Cachoeira do Brejão

Formosa
Cachoeira do Brejão

Localizada entre o Distrito Bezerra e o Bisnau, no município de Formosa-GO, a cachoeira ganhou este nome, porque está numa localidade conhecida como Brejão.

O Brejão é uma área de grande extensão, que na época das chuvas transforma-se em brejo. Antigamente, os fazendeiros da região utilizavam esse local para o cultivo de arroz durante a temporada de chuvas e durante o tempo seco, plantavam feijão irrigado. A irrigação era feita por meio de canais que levavam a água do rio até a “roça”.

Hoje não se cultiva mais o arroz e o feijão na região, as plantações das antigas “roças” foram substituídas pela criação de gado de corte e plantios de soja e milho em lavouras mecanizadas.

Formosa

A Cachoeira do Brejão formada pelo rio que leva o mesmo nome. Ela possui cerca de sete metros de altura e termina num poço profundo. A coloração da água no poço é esverdeada.

A cachoeira está cercada por mata nativa bem preservada. Logo abaixo da cachoeira, seguindo o curso do rio, existe uma infinidade de samambaias nativas, que formam um belo jardim.

Formosa

Seguindo-se rio abaixo, depois de caminhar por uns 2 Km, chega-se a Cachoeira da Gameleira. Portanto, quando se vai na Cachoeira do Brejão é interessante ir também à da Gameleira, uma vez que estão próximas uma da outra.

Cachoeira do Bonito

Formosa
Cachoeira do Bonito

O Rio Bonito, no município de Formosa percorre vários kilômetros, passando por dezenas de fazendas. Em certo ponto, o rio dá um grande salto, formando a espetacular Cachoeira do Bonito, onde o rio mostra sua imponência através da força da água.

Antes da queda principal há várias quedas menores, muito perigosas, pois se alguém escorregar e cair no rio, inevitavelmente cairá na grande cachoeira, que termina sua queda sobre enormes pedras.

Formosa

Existe uma crença entre os antigos moradores da região, que no poço formado pela cachoeira existe um monstro. Essa crença, provalmente surgiu devido ao tamanho do poço e o constante movimento da água devido à queda.

Também quando se mergulha no poço não é possível avistar o fundo, há paredões de rocha abaixo d’água que somem de vista devido a profundidade, realmente assustador, principalmente depois de ouvir as histórias dos mais velhos.

Formosa

Realmente a queda é muito linda e ao mesmo tempo imponente! Parece que existe um certo mistério que a envolve, algo que só pode ser explicado por quem vê a cachoeira. A força da natureza neste local é realmente impressionante, esse é um dos lugares onde vemos o quanto somos pequenos diante da mão do Criador.

A Cachoeira do Bonito está localicada aproximadamente a 30 Km do Distrito Bezerra, em Formosa – GO, dentro de uma propriedade particular. Quem quiser visitá-la deve pedir autorização ao proprietário. O percurso dentro da fazenda é de cerca de 5 Km por estradas ruins e pouco transitadas, sendo desaconselhada a ida de carro de passeio. A melhor forma de chegar é de bicicleta, moto ou a pé.

Cachoeira da Indaiá

Formosa
Cachoeira da Indaiá

Na realidade existem diversas cachoeiras ao longo do Rio Itiquira. A maior e mais conhecida é que leva o nome de Cachoeira do Indaiá, ela tem 30 metros de altura. Foi dado esse nome devido à ocorrência da palmeira indaiá (babaçu) em toda a área, que deu nome também à fazenda onde se situa a cachoeira.

É um ótimo lugar pra se visitar. A cachoeira é muito procurada para a prática do rapel. Essa cachoeira tem um platô que divide a descida em duas partes. Alguns se aproveitam do poço profundo que existe no final da queda d’água, e dispensam a corda na segunda parte da descida, pulando de aproximadamente dez metros.

Outro atrativo do lugar é fazer a Trilha Indaiá-Itiquira, de aproximadamente uma hora, que leva ao topo da Cachoeira do Itiquira, de onde se pode avistar toda a queda além de ser um mirante natural para o belo Vão do Paranã. No caminho exitem diversas cachoeiras menores, mas de igual beleza. Na época das chuvas o rio enche bastante, portanto, deve-se escolher bem a data da aventura para torná-la mais segura.

Para chegar na Cachoeira do Indaiá siga de Formosa para Planaltina de Goiás e siga as placas de sinalização. O trajeto é de aproximadamente 25 Km. É necessário o pagamento de uma pequena taxa cobrada pelo proprietário para manutenção do local.

Formosa

Cachoeira do Itiquira

Formosa
Cachoeira do Itiquira

A mais famosa e visitada atração turística de Formosa. Também pudera, são 168 metros de queda livre, a maior acessível do Brasil e uma das maiores da América do Sul.

A cachoeira está dentro de uma área protegida: O Parque Municipal do Itiquira. Para entrar no parque é necessário o pagamento de uma taxa por pessoa.

Na queda da cachoeira existe um grande poço, porém não é possível nadar, devido a força com que a água cai. As pedras próximas à queda são muito escorregadias, portanto, é preciso tomar cuidado para não escorregar e se machucar.

A queda oferece um espetáculo único e que vale a pena ser visto. Logo abaixo da cachoeira, o rio forma outros poços com pequenas cachoeiras e corredeiras, próprio para nadar e refrescar-se. O rio é coberto por uma mata densa e intocada.

No meio dessa mata existe uma trilha, que permite chegar ao topo da cachoeira, porém, a subida é íngrime e pouco indicada para crianças, idosos e quem tem pouco preparo físico.

Formosa

É possível chegar à Cachoeira do Itiquira por cima, através de uma trilha que tem início da Cachoeira do Indaiá, passando pelo vale do Rio Itiquira. Só é possivel fazer essa trilha à pé, mas é uma experiência que vale a pena!

Também é possível descer os 168 metro da cachoeira através de rapel. O rappel na Cachoeira do Itiquira só é permitido através da Prefeitura de Formosa, que permite o rappel para grupos portando um termo de responsabilidade.

Para se chegar ao Itiquira, deve-se seguir as placas de indicação. A cachoeira fica a aproximadamente 35 Km do centro da cidade.

Escorregador

O Escorregador é uma pedra lisa no leito do Rio Urucuia, onde é possível sentar sobre a mesma e descer escorregando rio abaixo, cerca de dez metros, daí o nome de Escorregador.

Formosa
Escorregador

No final da pedra há um pequeno poço com menos de um metro de profundidade, o que torna a brincadeira menos perigosa para pessoas de todas as idades, que sabem e não sabem nadar.

É impossível você ir a este local e não escorregar nesta pedra por diversas vezes, até os adultos voltam a ser crianças novamente, tamanha é a diversão que o local proporciona.

Formosa

Mas não é só isso que existe no Escorregador, um pouco acima, existem um série de cachoeiras, que variam de 1 até 3 metros de altura, nas maiores, é possível ficar escondido atrás da queda d’agua, é uma sensação muito boa.

Além das cachoeiras, existe um poço um pouco mais acima das mesmas, para nadar. O poço tem aproximadamente 4 metros de profundidade, onde é possível saltar do barranco do rio, porém é necessário certificar-se de que não há nada, como galhos ou pedras dentro do poço antes de saltar para evitar acidentes.

Também é importante saltar em pé, uma vez, que saltando de ponta é perigoso bater a cabeça em pontas de pedras ou galhos evitando assim um mal maior.

Para se chegar ao escorregador deve-se seguir do Distrito Bezerra, em Formosa – GO, em direção ao Rio Urucuia. Segue-se aproximadamente 15 Km nesta estrada de terra. É necessário ir com alguém que conheça o lugar uma vez que não há placas indicando sua localização.

Gruta das Andorinhas

Formosa
Gruta das Andorinhas

Também conhecida como Buraco das Andorinhas. Tem esse nome devido o grande número de andorinhas que vivem e procriam em seu interior.

A Gruta das Andorinhas é uma caverna com entrada de formato circular, com aproximadamente 60 metros de largura e 250 metros de profundidade. Ao final, contemplaremos uma linda lagoa subterrânea de água cristalina, que mesmo com pouca luz dá para ver o fundo. O local é próprio para um delicioso banho e para a prática de flutuação com colete salva-vidas, mascara de mergulho e snorkel.

A Gruta das Andorinhas é muito parecida com o Buraco das Araras,provavelmente tenha surgido da mesma forma que o buraco das araras, ou seja, com o desmorronamento do teto de um gruta há milhares de anos.

Formosa

Para entrar na Fazenda onde fica a Gruta das Andorinhas é necessário o pagamento de uma pequena taxa por pessoa. Caminha-se uns 10 minutos em meio ao cerrado até chegar a Gruta. É necessário informar-se com o caseiro ou proprietário sobre a trilha que deve ser seguida para chegar à gruta para não se perder no cerrado um vez que a área de preservação existente é grande e também devido a existência de diversas serras que costumam desorientar os aventureiros menos experientes!

O caminho para a Gruta das Andorinhas é o seguinte: Siga de Formosa – GO, até o Distrito Bezerra. Seguindo mais um pouco, cerca de 5 Km, você avistará uma placa de entrada para o Povoado Barreiro, Buraco das Araras e Gruta das Andorinhas, siga as placas que você não irá se perder. São aproximadamente 12 Km de estrada de terra.

Gruta da Jabuticabeira

Formosa
Gruta da Jabuticabeira

Sem dúvida alguma, é um dos pontos turísticos mais belos do nosso município (pode-se perceber pela imagem ao lado).

Quando chega-se ao local, a impressão que se tem é que estamos vendo uma tela, pintada por um grande artista, tamanha e rara é a beleza do lugar.

Ali a natureza mostra todo seu explendor!!! A cor verde da água constrastando com as rochas, as samambaias e os musgos, as estalactites nas mais variadas formas, os periquitos barulhentos que moram na gruta, os morcegos que fazem sobrevoos na água, o barulho da queda é tudo tão impressionante e perfeito que temos a impressão de estarmos em outra dimensão.

Para mim é o lugar mais bonito do município de Formosa.

Mas agora vamos falar como é essa gruta.

Ela possui aproximadamente 2 Km de extensão. Por dentro da gruta passa um rio de águas cristalinas e muito frias. Nos primeiros 500 metros da gruta a profundidade do rio é menor que um metro, mas quando nos deparamos com a primeira cachoeira dentro da gruta a profundidade aumenta, não é possível encontrar o fundo do rio, é necessário nadar. Depois sai-se desse poço e caminha-se mais um pouco e logo se depara com outro poço. É assim até o final da travessia, ora caminhando, ora nadando.

Formosa

A travessia é muito difícil. A escuridão no interior da Gruta é impressionante, porém com boas lanternas é possível apreciar as estalactites e estalagmites existentes na gruta. Em alguns pontos a distância entre o teto e o piso é maior que 20 metros, portanto, em outros, se limita a alguns centímetros, por isso é preciso tomar muito cuidado.

É aconselhado o uso de lanternas presas ao capacete, pois quando é preciso nadar, as lanternas devem ser colocadas na boca e com isso é muito fácil se afogar. Em certos locais, a distâcia entre a pedra da gruta e a água é tão pequena que precisamos mergulhar, e com a lanterna na boca, é afogamento na certa.

Outro problema da travessia é que em certo ponto, todos os pedaços de madeira, folhas e materiais que descem com as águas do rio se acumulam e não descem com o rio, formando um enorme cordão de isolamento, com um cheiro muito ruim e aspecto assustador. A maioria das pessoas, quando chegam a esse ponto da travessia resolvem voltar para trás, caminhando e nadando contra a correnteza.

Formosa

Quem não quiser se aventurar por dentro da gruta, pode passar por fora, por meio de trilhas de gado que cortam as pastagens e são rodeadas por serras de vegetação intocada.

Formosa

Após a travessia da caverna existe uma cachoeira de cerca de 8 metros de altura e um poço de águas translúcidas e rara beleza. Quem atravessa a gruta, inevitavelmente terá que pular esses 8 metros da cachoeira para dentro do poço, uma vez que não tem como descer a cachoeira escalando.

A Gruta da Jaboticabeira está localizada a cerca de 12 Km do Distrito Bezerra, Formosa – GO, seguindo pela GO-468. Está localizada em uma propriedade particular, é necessária a autorização do proprietário para visitar a gruta. É um local digno de visitação.

Gruta da Paineira

Essa gruta tem esse nome, porque em sua entrada existe um imponente pé de paineira.

Quando se chega na entrada da gruta, não é possível imaginar o que existe dentro dela. A entrada parece apenas um buraco no chão, pois é apertada e não parece ser profunda, mas depois de passar por ela, um novo mundo se mostra.

As estalactites são incontávies, parecem flechas penduradas no teto, que a qualquer momento vão cair sobre quem visita a gruta.

Formosa

As estalactites do primeiro salão estão bem depredadas, sinal da falta de consciência dos visitantes. Várias estão com as pontas quebradas, ou foram arrancadas por completo e estão lá, jogadas no chão. É uma pena existirem pessoas que ainda fazem isso.

Mas felizmente, os estalactites e estalagmites que estão mais para dentro da gruta são bem preservados.

Na caverna existem muitos, muito morcegos, são os moradores daquele local. Em certos pontos da gruta existem poças de fezes desse mamíferos, tamanha quantidade vivem ali.

A gruta está dividida em três enormes salões, sendo que o último tem as maiores e mais belas formações, como podemos observar na foto ao lado.

Existem estalagmites com mais de 4 metros de altura, estalactites nos mais impressionantes formatos, formações que quando o facho da lanterna passa, elas brilham como o ouro, é só vendo para crer, realmente é impressionante a beleza daquele lugar.

Formosa

Formosa

Está localizada em cima da Gruta da Jabuticabeira, na mesma propriedade, aproximadamente a uns 12 Km do Distrito Bezerra, Formosa-GO. Para visitá-la é necessária autorização do proprietário da fazenda. É um lugar que, sem dúvida, merece ser visitado.

Lagoa Feia

Formosa
Lagoa Feia

Situa-se a cerca de 5 Km do centro do município de Formosa-GO. Dispõe de alguma infra-estrutura de serviços como barzinhos, lanchonetes, restaurantes e clubes. Sofre o impacto do adensamento populacional de Formosa.

É uma das nascentes do Rio Preto que desagua na bacia do Rio São Francisco, que recebe este nome já Minas Gerais e depois de atravessar o Nordeste vai desaguar no oceano Atlântico.

Faz parte do conjunto de lagoas naturais registrado pela primeira vez pelo historiador Urbano do Couto, no século XVIII, como ponto de referência dos primeiros bandeirantes que conquistaram o território antes pertencentes a tribos indígenas.

Como existem a lagoa Formosa e a Bonita, esta terceira recebeu o nome de Feia pelo fato de estar encravada em meio a uma mata que já foi fechada, o que lhe dava o aspecto escuro que se oporia à imagem clara e azulada das outras, mais abertas.

Formosa

O local apresenta-se aconchegante e convidativo, com um belo projeto de paisagismo realizado pela Prefeitura Municipal de Formosa. É possível alugar barcos, jetskys ou pedalinhos para navegar na lagoa. A lagoa é cercada por uma dezena de bons restaurantes, pousadas e clubes. É um dos principais points da cidade, muito frequentado aos domingos a tarde pelos moradores e turistas.

Com seus 15.000 metros quadrados, toda cercada de mata ciliar bem preservada, com locais de profundidade até 10 metros, a lagoa é bastante concorrida para a prática de esportes aquáticos. Em noites de lua cheia, a paisagem é indescritível.

Lajedo

Formosa
Lajedo

A primeira vista, o lajedo parece uma obra humana, diante da perfeição do acabamento das rochas que cobrem uma grande área no leito do Rio Bisnau.

O rio possui uma cachoeira com cerca de 2 metros de altura e forma lindas cascatas e corredeiras com um desnível de 10 metros, terminando em um poço de águas cristalinas com 03 metros de profundidade.

Está localizado a cerca de 20 Km do Distrito Bezerra, sendo de fácil acesso, por estradas sem asfalto.

Formosa

Para chegar ao Lajedo, é necessário pagar uma pequena taxa na sede da fazenda, onde fica localizado.

Da sede da fazenda até o Lajedo se percorre por uma trilha em meio uma mata fechada por cerca de 5 minutos. Próximo ao lajedo existem algumas cercas feitas de pedra, muito antigas, que podem ser visitadas. É incrível a perfeição com que essas pedras são encaixadas para formar a cerca.

O passeio ao Lajedo pode ser incluido na visita ao Buraco das Araras ou Gruta das Andorinhas, pois os três ficam bastante próximos.

Lajes

Formosa
Lajes

Trata-se de uma cachoeira com cerca de 5 metros de altura e um pequeno poço, com profundidade aproximadada de 4 metros.

As lajes estão localizadas logo abaixo da nascente do Rio Crichá, próximas ao Distrito Bezerra, em Formosa – GO.

Estão situadas em uma propriedade particular, portanto é necessária autorização para a visitação.

Formosa

Para se chegar as lajes, pode-se fazer a trilha a pé ou de bicicleta, aproximadamente 4 Km, passando por estradas, tilhas de gado e um riacho em meio a vegetação do cerrado.

O local é apropriado para se vistar com a família, uma vez que oferece todos os tipos de profundidade, tanto para os que sabem nadar, quanto para os que não sabem.

É possível saltar de cima da cachoeira, porque o poço formado é profundo. É um bom local para ser visitado. Vale a pena!

Mata da Bica

Na verdade Mata da Bica é a denominação original do Parque Ecológico de Formosa. Ele está localizado no centro da cidade. Possui 25,5 hectares de mata nativa. Constitui-se de uma importante reserva da biodiversidade do ecossistema cerrado.

Formosa
Mata da Bica

No seu interior existe uma grande diversidade de aves e macacos que a população da cidade costuma alimentar. Também existem algumas nascentes da Bacia do São Francisco. Essas nascentes formam o Lago da Mata da Bica, que despeja suas águas no Córrego Zefa Gomes, e formam a Lagoa Feia.

A mata da bica é toda cercada, para impedir a entrada de pessoas, e assim ajudar a preservar o meio-ambiente daquele local, que é bastante frágil e importante para preservar a qualidade do ar da cidade de Formosa.

Poço Azul

Formosa
Poço Azul

O Poço Azul é outro local que impressiona, tamanha é sua beleza; é um lugar surpeendente. Quando você mostra fotos dele para alguém, eles duvidam que existe um lugar como esse em Formosa, e o melhor é que o acesso a ele é muito fácil. Pode-se chegar de carro a cerca de 300 metros do poço.

Na primeira foto, podemos ver a sombra das árvores no fundo do poço, olhando assim, parece que ele não é fundo, mas chega a 8 metros de profundidade. A água é muito cristalina e tem uma cor azulada, devido o fundo calcáreo do poço.

O lugar é próprio para para um delicioso banho. Com uso de máscara de mergulho e snorkel é possível ver várias espécies de peixes e plantas sub-aquáticas.

Quem não sabe nadar pode usar um colete salva-vidas para flutuação, uma vez que não existe lugar raso para nadar. Todo o poço é bastante fundo, que não sabe nadar deve tomar bastante cuidado.

Formosa

A água está sempre limpa e constantemente sendo renovanda, uma vez que o poço é a nascente do Rio Salobinho. Pode-se ver onde a água nasce, uma fenda escura na rocha do fundo do poço.

Logo abaixo do poço, corre a água que nasce dentro do mesmo, exitem algumas pequenas cachoeiras, mas é difícil de chegar a elas, porque a vegetação é muito densa.

O Poço Azul surge no meio do cerrado, quem passa pela estrada não consegue imaginar que ali existe esse lugar explêndido.

Para chegar ao Poço Azul, deve-se chegar ao Distrito Bezerra, em Formosa – GO, e seguir por 35 Km pela estrada de terra que leva ao Rio Urucuia. É necessário ir com alguém que conheça o local, pois não existem placas de indicação. Como o poço fica dentro de uma propriedade particular, é necessária autorização para vistá-lo

Rio Urucuia

Formosa
Rio Urucuia

É um dos três grandes rios do município de Formosa. O Urucuia é bastante conhecido por ser bom para pescaria, mas atualmente, os peixes estão sumindo, muitos usam redes, tarrafas e fazem arrastões, além de não respeitar o tamanho mínimo dos peixes para a pesca. Embora haja fiscalização, a mesma é insuficiente, pois o rio é longo e os fiscais são poucos.

Em alguns locais o rio está sendo assoriado, porque as matas ciliares estão sendo substituídas por pastagens para o gado, ou pela agricultura. Nas grandes enchentes do rio, a terra solta nas laterais do seu leito devido a exploração agropecuária indiscriminada acaba caindo no seu leito, fazendo com que os poços mais profundos sejam cobertos de terra, alterando completamente a vida do rio.

O Rio Urucuia nasce próximo ao Distrito Bezerra, em Formosa-GO, desagua no Rio Preto que mais adiante passa a fazer parte da Bacia do São Francisco.

Selva de Pedras

Formosa
Selva de Pedras

Está localizada em uma propriedade particular, distante aproximadamente 10 Km do Distrito Bezerra, Formosa-GO.

Encontra em bom estado de conservação, uma vez que é impossível a utilização do local para a exploração agrícola ou pecuária, devido ao relevo acentuado do terreno.

O nome “Selva de Pedras” é devido ao formato das rochas do local. São pedras calcáreas, que ao longo dos milhares de anos foram gastas pelos ventos e pela chuva, ganhando os mais inusitados formatos.

Algumas se elevam do chão com alguns metros de altura como colunas de uma construção, porém, são todas retorcidas e possuem divesas saliências em suas paredes.

A coloração vai do cinza escuro ao branco, contrastando com o verde da vegetação do cerrado.

Sítio Arqueológico do Bisnau

Formosa
Sítio Arqueológico do Bisnau

É um dos mais conhecidos e visitados sítios arqueológicos do município de Formosa, mas mesmo assim, infelizente, não existe nenhum tipo de proteção para preservar esse patrimônio histórico.

Formosa

Neste sítio, as imagens rupestres são grafadas em baixo relevo e possuem um tom monocromático. Existe uma diversidade muito grande de imagens, alguns estudiosos dizem que elas representam as constelações, antigas habitações, animais, mapas ou roteiros da região, mas isso são apenas hipóteses.

Formosa

Outra coisa que também intriga é como esses desenhos foram feitos na rocha dura em um tempo que não existiam ferramentas sofisticadas.

O sítio está em uma pedra levemente inclinada, em meio a vegetação do cerrado, de cor escura, por onde na época das chuva mina um pequeno risco de água. Quando nos aproximamos da rocha é possível ver os inúmeros desenhos grafados na rocha.

Existem várias formas de desenhos, muitos se repetem, mas grande parte é grafada uma única vez. Olhando os desenhos, não nos é possível interpretar o que os desenhos querem dizer ou representar, pois possuem formas abstratas e irregulares.

Formosa

Esse é outro local interessante do município de Formosa, digno de visitação. Está localizado em uma propriedade particular, portanto é necessária autorização para visitá-lo. Para chegar ao Sítio Arqueológico do Bisnau, siga a BR-020, passado pelo Distrito Bezerra e seguindo até o Bisnau. Entre à direita nas primeiras pamonharias e siga as placas de sinalização.

Sítio Arqueológico Toca da Onça

Formosa
Sítio Arqueológico Toca da Onça

Também conhecida como Pedreira Toca da Onça, localiza-se a 8 Km de Formosa, sendo 1 Km de asfalto e o restantes de estrada de terra.

São diversas grutas calcáreas, que podem ser exploradas através de uma trilha. Nestas grutas, podem ser apreciados vários estalactites e estalagmites, além de várias pinturas rupestres de coloração vermelha, amarela e preta.

Não se deve confundir esse Sitio Arqueológico Toca da Onça com a Toca da Onça que existe na Fazenda Capetinga, são locais distintos.

Toca da Onça

Formosa
Toca da Onça

Em meio a uma vegetação fechada de mata, surge uma grande pedreira calcárea onde existe um tunel natural que permite a passagem de um lado para o outro.

O nome Toca da Onça sugiu dos antigos proprietários de fazendas próxima ao local, pois afirmavam que ali era a moradia de onças que costumavam atacar o gado. Era comum a prática de emboscadas com armas de fogo e cães para caçar as onças na caverna pois davam prejuízo ao atacar o gado.

Formosa

Hoje podemos visitar a Toca da Onça sem medo das onças, que já não existem mais no local. O que existem são várias estalactites e estalagmites que formam se formando ao longo dos séculos.

A caverna tem cerca de 200 metros de comprimento. Quando se entra numa extremidade da caverna, é possível ver a luz que entra na outra extremidade (foto ao lado), mas mesmo assim, é necessário o uso de lanternas, uma vez que seu interior é bem escuro e existem várias pedras desuniformes e soltas na caverna.

Está localizada à margem direita da BR-020, aproximadamente 18 Km depois do Distrito Bezerra, em Formosa – GO, na Fazenda Capetinga. Como está numa propriedade particular, é necessária autorização para visitá-la.

Fonte: pedalaformosa.com.br

Formosa

Histórico do Município de Formosa-GO

Arraial de Couros foi o primeiro nome de Formosa, criada na segunda metade do século XVII, com o desdobramento do município de Luziânia, nessa época também Arraial. Sabe-se que as primeiras casas foram erguidas por negros, fugindo da febre amarela que estaria dizimando os moradores de um outro Arraial, o de Santo Antônio do Itiquira, na barra do rio Itiquira com o rio Paranã.

Em 4 de outubro de 1767 o padre Antônio Francisco de Melo celebrou a primeira missa na Casa de Oração de Couros. Um marco histórico foi a instalação da Estação Fiscal Registro da Lagoa Feia, em fevereiro de 1736, por ordem do rei de Portugal temendo a evasão do ouro e o não pagamento dos tributos.

Somente em 1º de agosto de 1843, o arraial foi elevado à categoria de vila, e pela primeira vez apareceu o nome Formosa: Vila Formosa da Imperatriz.

Mas, o município de Formosa só foi instalado no dia 22 de fevereiro de 1844 e seu primeiro prefeito foi o Sr. Lázaro de Melo Álvares.

Formosa tem uma área de 7854 Km2 e distanciada 90 Km de Brasília.

Formosa
Prédio da Prefeitura Municipal – Formosa

Formosa na época da Pré-História

Após diversos estudos realizados em Formosa, Planaltina, Luziânia, Goiânia e Campinas (SP), podemos concluir que:

Os primeiros moradores de Município de Formosa foram os paleoíndios ou paleoamerindios, que deixaram pinturas em cavernas e gravações em pedras, datadas de 4.500 anos atrás, na Lapa da Pedra e no Sítio Arqueológico do Bisnau, localizado entre os distritos do Bezerra e JK.

Formosa na época do Brasil Colônia

Há pelo menos 300 anos atrás, moravam em Formosa os índios Crixás, segundo relato da expedição do Anhanguera em Formosa, em 1.722.

Os primeiros moradores Não-Índios de Formosa devem ter sido os nordestinos brasileiros ou europeus, vindo da Bahia, trazendo gado (1700,1715 ou 1722). O próprio Anhanguera relata que, em 1722, apesar de não Ter encontrado homem branco em Formosa, encontrou estrume de vaca em Formosa.

Os primeiros moradores brancos ( brasileiros ou europeus) do município de Formosa. Está comprovado por documentos oficiais em Portugal que os primeiros moradores brancos de Formosa estabeleceram fazendas de criação de gado, por meio de sesmarias, a partir de 1739.

Dois arraiais vão ser criados na região de Formosa nessa época: existem documentos oficiais indicando a data mais antiga para o Arraial dos Couros como sendo de 1749 e para o Arraial de Santo Antônio do Itiquira, 1754.

Jacinto ( 1979) entrevistou alguns descendentes dos negros que viviam em Formosa e eles confirmaram que seus ancestrais viveram no Itiquira e se mudaram para Couros por conta da malária ( febre amarela).

Bertran ( 1994) conclui que a transferência do arraial de Santo Antônio para o Arraial dos Couros pode ter sido gradual ( ao longo dos anos, e não de uma só vez). Da mesma forma que pode ter sido parcial ( nem todos se mudaram), porque

Jacintho ( 1979) diz que, em 1930, ( quase 200 anos depois) ainda existiam taperas ( resto de casa) e uma capela na região do antigo distrito do Itiquira.

Jacintho ( 1979) também comenta a possibilidade da transferência ter sido gradual. De acordo com ele (1979, p. 20) “essa transferência deve ter sido depois de 1736, porque os habitantes do arraial abandonado deviam ter permanecido nele por alguns anos, apesar de serem dizimados por febre: deve ter sido mesmo no meado do Século XVIII que esses habitantes se estabeleceram em Couros (…)”.

Entre 1744 e 1749, o Padre Antônio Mendes Santiago, do Bispado de Pernambuco, realiza a primeira missa em Formosa e em 1767, o Padre Antônio Francisco de Mello, de Luziânia, conduz missas na Casa de Orações de Couros.

Formosa
Rua Herculano Lôbo – Formosa

A origem do nome Couros

Não há consenso entre pesquisadores e a tradição sobre a origem do nome couros. Alguns apontam que os moradores vendiam peles de animais selvagens, outros diziam que vendiam couro de vaca, alguns comentavam que as casas eram cobertas com couros, e outros diziam que eram os comerciantes/ tropeiros que acampavam no Registro da Lagoa Feia e dormiam em barracas de couro.

Registro da Lagoa Feia

Em 1736 vai ser construído na região ( Posto Fiscal) para controlar a passagem de pessoas, ouro, gado, cavalo, que passavam na Estrada Geral do sertão, que ligava Vila Bela da Santíssima Trindade ( MT) até a Bahia.

Estrada Geral do Sertão

Depois da fundação do Registro da Lagoa Feia foi aberta a mesma estrada, que ligava, em Goiás, a região de Pirenópolis/Corumbá, até a Bahia, passando por Brazlândia, Sobradinho, Planaltina ( Mestre D’armas), Formosa ( Couros), etc. Esse trecho será conhecido por Estrada Colonial Planalto Central / Trecho divisor de Águas, que vai impulsionar a história, a economia, a cultura, o turismo, a gastronomia, a hotelaria, de toda a região.

Formosa na época do Império

O livro Cunha Mattos ( 1979) faz referência escrita contendo um pouco de detalhes sobre o Arraial dos Couros. Cunha Mattos descreve, na viagem que fez a Formosa em 1819, que o Arraial era um dos mais antigos da Província. Confirma que esteve localizado no Sítio de Itiquira, mudando-se para a atual localização.

Formosa
Procissão de Domingos de Ramos – Formosa

Afirma que o lugar recebeu o nome “dos Couros” em razão da grande quantidade de gado manso e feras que eram exportados para o Rio de Janeiro e outros lugares. Os habitantes viviam da pecuária e da lavoura, existindo alguns curtumes de couros e peles. Sua localização na Chapada dos Couros, distava-se um légua da Serra dos Couros tanto quanto da Lagoa Feia.

Luziânia ( Santa Luzia) era sede do Julgado ( sede de juíz municipal ) e a ele estavam vinculados dois arrais: Arraial dos Couros e Arraial do Angico ( região de Brazlândia). Luziânia era um dos julgados mais extensos de Goiás e possuía 278 casas. O Arraial dos Couros era constituído de 148 habitantes, 50 casas e a Igreja de Nossa Senhora da Conceição, Mercês e Abadia. Havia 39 fazendas de gado e 6 engenhos de açúcar.

O Arraial dos Couros se torna Julgado

Em 1833, Santa Cruz, Santa Luzia, Natividade, Catalão, São José do Tocantins e Arraias vão ser elevadas a categoria de Vila, e Arraial de Couros vai se transformar em Julgado no dia 12 de abril de 1834, Couros passa a contar com o juíz Municipal José Monteiro Guimarães, o juíz, de Órfão João José Alves Vianna e o Promotor Público João Pinto Soares Magalhães. O Arraial passa a contar também com juíz de paz, escrivão do juíz de paz, tabelião de notas, procurador, fiscal, arruador, porteiro, inspetores policiais e coletor.

Formosa
Casa Rural – Formosa

Vila Formosa da Imperatriz 01 de agosto de 1843

Formosa foi elevada a Vila em 1843, e a Câmara Municipal instalada em 22 de fevereiro de 1844. A Vila fará parte da Comarca de Santa Cruz. Como não havia a estrutura de prefeitura municipal, a Câmara governava a cidade. O primeiro presidente da Câmara foi o Sr. Lázaro de Mello Álvares.

Em 1841, Formosa recebe a Escola Masculina de Primeiras Letras e o professor é o Capitão Major Fidêncio de Sousa Lobo. Em 1862, a professora Auta Francisca da Silva Rocha Vidal é a responsável pela escola feminina.

Igreja Matriz primeira sede (1838 a 1904)

Durante muitos anos os serviços religiosos foram realizados na Capela de Nossa Senhora do Rosário. O Crescimento populacional levou a construção da primeira sede da Igreja Matriz, que vai funcionar entre 1838 e 1904. Em 1915, a igreja será derrubada por não estar mais em condições de receber fiéis.

A viagem do Visconde de Porto Seguro a Formosa – 1877

Em 1877, o Visconde de Porto Seguro vai realizar uma viagem ao Planalto Central para conhecer melhor a região e apontar, com mais propriedade, um local ideal para a transferência da capital.

No dia 28 de julho de 1877, já em Formosa, escreveu um ofício ao Ministro da Agricultura, Conselheiro Tomás José Coelho de Almeida. Relatando o êxito da viagem e da pesquisa indica o triângulo formado pelas três lagoas como um dos melhores locais para a transferência da capital.

A missão Cruls virá ao Planalto em 1892, para estudar, de forma mais aprofundada, a região indicada pelo Visconde. Cabe destacar que a viagem de Vanhargen antecipou a localização da Capital em Goiás, em uma região parcialmente dentro do DF, há cerca de 80 anos da escolha do local definitivo do Distrito Federal.

Promoção social

Em 8 de dezembro de 1891 foi fundada a Conferência de São Vicente de Paulo.

Sócios fundadores: Olympio Jacintho, Major José Vianna Lobo, Major Paulino de Sousa Lobo e Tenente Coronel José Jacinto de Almeida.

Formosa

A viagem da Comissão Cruls no Planalto Central – 1892

De Uberaba se dirigem para Pirenópolis. Uma equipe percorreu Corumbá, Santa Luzia ( Luziânia) e Mestre d’Armas ( Planaltina), até chegar em Formosa no dia 14 de setembro de 1892. A equipe liderada pelo Sr. Luiz Cruls seguiu outro caminho direto para Formosa e chegou antes, no dia 23 de agosto.

No dia 15 de setembro, saíram de Formosa em direção a Mestre d’Armas, seguido o mesmo roteiro deixado pelo Visconde de Porto Seguro. (MOURÃO, 2003). O resultado dessa viagem foi a demarcação do Quadrilátero Cruls, dentro do qual seria inaugurada a nova capital em 1960.

Formosa na época da República

Bibliotecas

Em 1910 foi instalado o Grêmio Literário Desembargador Emílio Povoa, um clube particular que visava difundir a literatura em Formosa.

Um dos primeiros cinemas do Planalto Central

Em 1924, a Dona Maritana Chaves, agente do correio, exibia filmes na cidade. Em 1928, Leônidas Magalhães e Amaro Juvenal de Almeida instalaram um cinematógrafo na rua Visconde de Porto Seguro, com público garantido e bons filmes. Os filmes vinham de Ribeirão Preto cidade paulista, de quinze em quinze dias. O cinema era mudo e a maior parte era filmes de “Cowboy”.

A Revolução de 1930 em Formosa

A chegada da Revolução em Formosa é descrita por Magalhães Filho ( 1999, p. 44 e 45):

A coluna formada por Quintino Vargas toma Formosa no dia 24 de outubro de 1930 ( …) eu ia descendo, mais ou menos 9 horas da manhã, para o colégio, quando fui abordado por um cabo e uma esquadra que vinha subindo para tomar o telégrafo, que era o único meio de comunicação que tínhamos.

O cabo me prendeu (…)As forças iam prendendo as pessoas e levando para o Quartel General da Revolução. (…) ? ele ? se dirigiam para a casa do coronel Pedro de Souza Borba, representados pelo Dr. Barros para sugerir para o coronel Pedro (…)ter uma rendição pacífica.

Aí o coronel de principio não quis aceitar a rendição, daí o Dr. Barros disse desde que o sr. não queira render evitando o derramamento de sangue, comunico-lhe que a cidade está cercada e iremos a luta pela vitória da Revolução. Diante dessas palavras rígidas, o coronel Borba resolveu ter uma reunião com os seus companheiros da legalidade para definir a adesão a revolução.

O historiador Olympio Jacintho lança seu livro Esboço Histórico de Formosa – 1931

Luz Elétrica foi inaugurada em 1932

Festa da Agropecuária – 1944

Um dos eventos mais importantes da cidade atualmente, a Festa da Agropecuária, ou a festa da pecuária de Formosa, atrai muitas pessoas de Goiás e do DF.

Muitos artistas de renome nacional tocam na cidade. Mas como ela começou? Como era organizada?

Formosa

Houve em 1944 um exposição de gado. Simplesmente uma exposição, sem propaganda, badalação e cartazes pela cidade. Nada de boletins nas ruas, alto-falantes e jornais anunciando (…) mas (…) dizem que o gado apresentado foi de muita categoria (…) a abertura da exposição foi feita com a presença do Sr. Secretário da Agricultura Dr. João de Abreu.

Não houve foguetes nem bandas de música. Tudo sem alarde. Nada de barraquinha, vendendo bebidas e salgadinhos. Ir a exposição é para ver gado, isto é, bom gado, de raça pura e fazer bons negócios. Na exposição, nada de produtos agrícolas, máquinas agrícolas, etc. Exposição de gado, somente gado. ( SILVA, 1999, p. 42).

Cinema Santa Maria década de 50

Em 1958, funcionava com exibições diárias, com filmes trazidos de Anápolis, o Cine Santa Maria. Mas qual era a programação do cine Santa Maria: “Tarzan e as sereias”, “Gilda”(com Rita Hayworth e Glen Ford), “ A camisa de onze varas”, ( com os maiorais do riso, Abbot e Costelo) e o faroeste “Quadrilhas do Arizona”.

E o slogan utilizado pelo cinema ainda é válido hoje em dia: “Cinema é, hoje, uma necessidade social”. O salão do Cine Santa Maria também era utilizado para reuniões sociais e políticas.

Formosa entre 1960 e 2006

Brasília trouxe um grande impulso para toda a região central do País. O Governo Juscelino Kubitshek é um divisor histórico na maneira de ver, pensar e planejar o Brasil. Formosa vai receber uma série de benefícios ( e prejuízos…) relacionados ao seu rápido crescimento.

De uma população de pouco mais de 20.000 habitantes, para mis de 80.000, em pouco mais de 40 anos. Água encanada, luz elétrica, asfalto, uma rede de postos de sáude e de hospitais, escolas públicas e particulares, faculdades, agropecuária, hotéis, restaurantes, comércio, etc.

BANDA MUNICIPAL 24 DE DEZEMBRO

Formosa

A Corporação Musical 24 de Dezembro (Banda Municipal), vem ao longo dos seus quase 100 anos de existência contribuindo para o engrandecimento cultural do nosso município. Sua criação, deve-se ao fato de que em meados de 1910, passou por nossa cidade uma Companhia de Circo “Dona Carlota”, que trazia em seu quadro de apresentações uma Banda de Música, desta ficando em nossa cidade um dos seus componentes Antônio Martins, que organizou a primeira Banda de Música de Formosa.

Em 17 de fevereiro de 1936, através da Lei Municipal nº 4, foi criado oficialmente a Corporação Musical 24 de Dezembro, onde o então Prefeito Municipal Antônio Jonas de Castro, concedeu um auxílio de 1:500$000 ( hum conto e quinhentos mil réis) para a manutenção da mesma.

Ao longo dos anos a Banda de Música vem prestando um importante serviço a comunidade formosense, onde vários de seus regentes tem emprestado seus nomes à Ruas, Avenidas e Prédios Públicos em nosso município tais como: Av. Maestro Joaquim de Abreu, Av. Maestro João Luiz do Espírito Santo e ao Colégio Estadual Mastro Miguel Affiune.

Hoje através da Secretaria Municipal de Educação em parceria com a Igreja Evangélica Assembléia de Deus, a mesma vem representada por 39 componentes efetivos, além do grupo de alunos da Escola de Música Municipal de Formosa, mantida pela Prefeitura Municipal que atende alunos das Escolas Municipais e a sociedade formosense como um todo, com aulas de teoria musical e prática instrumental ( sopro/percussão) de 2ª a 6ª feira, nos períodos matutino e vespertino, que após sua formação, passam a compor o quadro da Banda de Música.

A Corporação Musical 24 de Dezembro, tem se apresentado nas realizações cívicas, religiosas e culturais em nosso município e municípios vizinhos. Hoje a Corporação Musical 24 de Dezembro, vem realizando um grande trabalho em nosso município, abrilhantando as Festividades Natalinas nas praças de nossa cidade com sua apresentações levando alegria, cultura e descontração a sociedade formosense.

Fonte: formosa.go.gov.br

 

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+