Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Chade  Voltar

Chade

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Passaporte e visto, geralmente válido para 90 dias, passagem de saída ou carta convite, a vacina contra a febre amarela. Aconselhamos viajar com certidão internacional de vacinação.

O visitante deve registrar-se na Sûreté de Imigração, na capital, nas 72 horas seguintes à chegada (precisa duas fotografias).

CLIMA

Clima continental cujas temperaturas variam dependendo da zona: frio de dezembro a fevereiro, sobretudo pelas noites e muito calor durante o dia de março a maio. As chuvas chegam, no sul, de junho a setembro diminuindo em intensidade na medida que aproxima-se do norte.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se levar roupa de algodão e calçado cômodo, capa de chuva, algum abrigo, óculos de sol, chapéu, protetor solar e repelente contra os insetos.

IDIOMA

Os idiomas oficiais são o francês e o árabe. Também fala-se o sara, mbaye, mbum e massa.

RELIGIÃO

A maioria da população é muçulmana, 47%. Católicos 21%.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 220/380 volts a 50 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Franco Centro-africano (XOF), que equivale a 100 centavos. Pode-se realizar o câmbio em Bancos.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

É imprescindível a vacina contra a febre amarela, a profiláxia antimalária e recomendavel a vacina contra a hepatite. Não pode-se beber água da torneira nem comer alimentos sem cozinhar. É aconselhável levar farmácia bem preparada. É recomendável viajar com um seguro médico e de assistência. Para emergências médicas ou policiais deve-se pedir ajuda nas recepções dos hotéis ou no consulado ou embaixada mais próximo.

CORREIOS E TELEFONIA

O serviço de correios é confiável e seguro, embora demorado. Para chamar a chade da Espanha deve marcar 00-235 mais número do assinante.

FOTOGRAFIA

Teoricamente precisa-se de uma permissão para fazer fotos, disponível no Ministério de Informação por 25 dólares aproximadamente, mas a maioria das pessoas não fazem caso, fotografando de maneira livre e arbitrária.

HORÁRIO COMERCIAL

Os bancos fecham aos sábados de manhã, enquanto que os mercados e diversas lojas funcionam a maior parte do dia, todos os dias da semana. Sexta-feira é o dia de descanso.

GORJETAS

Como em quase todos os países da Àfrica, os prestadores de serviços esperarão umas moedas. Aconselhamos deixá-las se ficou satisfeito com o serviço.

TAXAS E IMPOSTOS

Taxa de aeroporto para vôos internacionais e para vôos nacionais.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A República do chade ocupa uma superfície de 1.284.000 quilômetros quadrados e está dividida em 14 prefeituras, cada uma delas administrada por um governador. Limita-se ao norte com a Líbia, ao leste com o Sudão, ao sul com a República da África Central e ao oeste com o Camerum, a Nigéria e o Níger.

O chade é uma grande bacia que está rodeada de montanhas: ao norte o maciço Tibesti (Emi Koussi), o este Ennedi, ao sul o Planalto de Qubangui e ao norte o deserto. Primitivamente a bacia era um mar interior do qual apenas resta o Lago chade. Três são os rios que cruzam o país, o rio Chari, Salamal e Logone, os principais fornecedores de água, ricos em pesca.

O clima é quente e seco no Sahara e mais moderado no sul do território. As temperaturas extremas registradas na capital foram de 8 graus centígrados de mínima e 46 graus de máxima. A precipitação anual média é de 744 mm.

FLORA E FAUNA

O extremo oriental do país toca com o deserto e ao sul de mesmo aparece a estepe; nas zonas centrais, ao longo das beiras dos rios, desenvolvem-se os bosques. Na zona meridional a vegetação se converte em savana arbórea.

Ao norte do Lago chade aparece a estepe e à continuação o deserto sahariano com alguns maciços montanhosos. Na zona sul do lago há pastos, enquanto que no norte é raro este tipo de vegetação; nas montanhas há a vegetação típica de arbustos.

A fauna selvagem está composta por olifantes, rinocerontes, girafas, avestruzes, leões e búfalos. Na zona do Lago chade vivem os hipopótamos, e no deserto, ao norte, diferentes espécies de répteis.

HISTÓRIA

Pré-história

Dos grandes reinos existentes no território do chade antes das explorações européias, ainda não se sabe nada. Os primeiros a dar notícias do chade são Barth em 1853 e Nachtigal em 1871.

Colonização

Durante o século XIX o chade esteve dividido em vários sultanatos africanos que foram objetivo de ingleses e franceses em sua expansão colonial. Em 1890 começa a penetração francesa, expandindo-se no sul e leste do lago. Em 1899 teve acordos entre eles que deram o controle a França; em 1913 conclui a dominação com a derrota do chefe africano Amoney.

Em 1910 o chade (ou chade) era dependente de Ubangui-Chari; este mesmo ano se adopta o nome de Àfrica Equatorial Francesa. Em 1920 se converte em colônia independiente, sob poder militar. Em 1934 as quatro colônias, Gabão, Congo Médio, Ubangui-Chari e o chade formam uma só unidade administrativa.

Durante a Segunda Guerra Mundial foi base dos aliados, mas após a derrota de França, em 1940, o governador preto do chade nega-se a reconhecer a autoridade do regime de Vichy, unindo-se aos partidários de De Gaulle. Ebone, o governador preto, é nomeado governador geral de toda o Àfrica Equatorial Francesa, o que evita o posicionamento alemã. Em 1945, ao finalizar a Segunda Guerra Mundial, se converte em Território da Àfrica Equatorial Francesa.

Em 1958 o chade foi República Autônoma dentro da Comunidade Francesa ao votar um referendum em 28 de novembro deste mesmo ano.

Independência

Em 11 de agosto de 1960 atinge a independência da Comunidade Francesa. Em 1965 detona uma guerra civil com uma duração de 25 anos. Também em 1980 é invadido por Líbia provocando uma situação de caos durante 10 anos.

Em 1987, as tropas libanesas foram expulsas do território pelos franceses, após um acordo entre Gaddafi e Mitterand. Em 1988 chade e Líbia renovam as relações diplomáticas. Três anos antes, em 1985, assina um acordo com o antigo Zaire de cooperação militar.

Em 1990, alguns rebeldes chadianos, assentados no Sudão atacam a zona leste do chade; o presidente é obrigado a fugir a Camerum após ser derrotado seu exército. Em 1994 apresenta-se um novo projeto de constituição a estabelecer uma administração não centralizada.

No ano de 1996 o governo assina acordos de paz com a formação Ação para a Unidade e o Desenvolvimento, após o qual passa a converter-se em partido político. Nesse mesmo ano uma dezena de grupos rebeldes firma acordos de paz em Gabão e uma nova constituição é aprovada.

Desde dezembro de 1990 é presidente Idriss Deby, sendo seu primeiro ministro Djimasta Koibla desde abril de 1995.

CHADE, ENTRE AS AREIAS E AS SAVANAS

A República do chade tenta reconstruir-se após cruéis e prolongadas guerras e enfrentamentos bélicos sem sentido. Tenta reconstruir-se com a fé que proporciona o horizonte desértico e com os restos de um passado quase destroçado. Para o viajante ocidental, chade é um lugar ainda por descobrir. Quanto à seguridade, deve obter as precauções.

ARTE E CULTURA

A República do chade, depois das sucessivas guerras e conflitos bélicos, pouco tem podido conservar do seu passado. Agora tenta-se recuperá-lo, mas tal vez seja tarde demais. As manifestações culturais se reduzem às expressões contemporâneas de alguns artistas. O mais interessante são alguns artesanatos locais.

GASTRONOMIA

Na cozinha do chade utiliza-se tanto a carne como o peixe. O peixe é de água doce, obtido no lago ou em rios, bastante ricos em pesca; prepara-se também em salgação. Aconselhamos a parca, as brochetas de carne de vitela acompanhadas de um prato de arroz e a carne de cordeiro.

A zona do Grande Mercado é um dos melhores lugares para encontrar comida econômica, onde podem-se degustar algumas delícias.

Bebidas

Quanto à água, é bom bebe-la engarrafada ou recorrer aos populares chás. Encontrará cervejas de importações e alguns refrigerantes.

COMPRAS

O artesanato típico do país está composto por tapetes de lã e tecidos de formoso colorido. Também trabalham-se o artesanato em metais preciosos como o ouro ou a prata e objetos de couro como bolsas e sandálias sem esquecer a cerâmica. Entre os lugares mais solicitados encontra-se o Mercado Central, a Missão Católica e as lojas da popular Avenida Charles de Gaulle na capital do Chade.

POPULAÇÃO E COSTUMES

A população, segundo o censo de 1997 é de 7.116.000 habitantes cuja maioria está constituida por pretos sudaneses e semitas, com uma pequena minoria européia. A zona norte está ocupada principalmente por árabes descendentes do povo nômade tuareg e toubou.

O idioma oficial é o francês, mas também fala-se diferentes dialetos e árabe. A maior parte da população é muçulmana, embora também há grupos cristãos e religiões tribais. Dedicam-se à agricultura e à criação de gado, esta última atividade é a mais importante devido ao predomínio da savana e a estepe, sobretudo nas regiões de Baguini e Ouadai.

A capital do país é N'Djamena, situada ao sul do lago Chade, com uma população de 687.800 habitantes, aproximadamente.

ENTRETENIMENTO

As atividades de entretenimento que pode-se realizar no país são as visitas às cidades de tipo colonial e às tipicamente africanas. Além disso tem estações naturais de grande beleza onde realizar bonitas excursões. Durante os 25 anos da guerra começada em 1965, o país ficou fora dos limites para os turistas.

Hoje os viajantes não têm razão para preocupar-se do ponto de vista de segurança. Das 10 cidades maiores da Àfrica Central, N'Djamena é a mais segura. O longíquo norte ainda oferece algumas inseguridades, mas uma viagem iniciada em N'Djamena, o Chade sul e a área do Lago Chade, é interessante para fazer uma visita curta.

FESTIVIDADES

Além das festas islâmicas, que variam dependendo do calendário lunar, celebram-se outras festividades católicas e civis; entre as católicas encontram-se o 1 de Novembro, 25 de Dezembro e Semana Santa. Os feriados oficiais são 1 de Janeiro Ano Novo, 19 de Fevereiro, 8, 27 e 29 de Abril, 1 e 25 de Maio e 11 de Agosto Dia da Independência.

TRANSPORTES

Avião

O Aeroporto Internacional de N'Dajamena encontra-se a 4 quilômetros do centro da cidade. As linhas aéreas que viajam até o Chade são Air France, Cameroum Airlines, Air Afrique, além disso as de Etiópia e Sudão, entre outras. Air Chade oferece vôos que ligam a capital com Moundou, Sarth e Abéché.

Ônibus

Só existe serviço de ônibus entre a capital e Sarth no sul e Mao ao norte.

Carro

Este é um meio de transporte não aconselhável, quando não for feito com guias experientes que conheçam as zonas seguras e os caminhos por onde transitar.

Trasporte público

Os caminhões e os veículos de terreno são a forma principal de transporte público. Na capital há serviço de táxi. Até o momento estão se desenvolvendo os ônibus e os táxis coletivos. No sul é difícil transitar, especialmente entre os meses de junho e outubro, devido à temporada das chuvas.

Fonte: www.genteviajera.es

Chade

"O Chade é um país africano, limitado a norte pela Líbia, a leste pelo Sudão, a sul pela República Centro-Africana, Chade é um lugar ainda por descobrir."

Passaporte e visto, geralmente válido para 90 dias, passagem de saída ou carta convite, a vacina contra a febre amarela. Aconselhamos viajar com certidão internacional de vacinação.

A capital do país encontra-se no sul do Lago Chade.

Durante a guerra civil, a cidade sofreu importantes destroços. Os dias da reconstrução fizeram a cidade recobrar sua reputação como uma das cidades mais amenas do Sahel. A população e a cidade é muito acolhedora, especialmente ativa e barulhenta é o bairro africano com o Grande Mercado.

Vida Noturna

Das 10 maiores cidades da Àfrica Central, N'Djamena é a mais segura. Uma viagem iniciada em N'Djamena, o Chade sul e a área do Lago Chade, é interessante para fazer uma visita curta, a vida noturna contagiante conta com muitos bares e boates com música ao vivo.

Transporte

As linhas aéreas que viajam até o Chade são Air France, Cameroum Airlines, Air Afrique e a Air Chade oferece vôos que ligam a capital com Moundou, Sarth e Abéché.Só existe serviço de ônibus entre a capital e Sarth no sul e Mao ao norte.Os caminhões e os veículos de terreno são a forma principal de transporte público. Na capital há serviço de táxi.

Gastronomia

Recomendamos a parca, as brochetas de carne de vitela acompanhadas de um prato de arroz e a carne de cordeiro.A zona do Grande Mercado é um dos melhores lugares para encontrar comida econômica.

Dinheiro

A moeda oficial é o Franco Centro-africano, que equivale a 100 centavos.É necessário preencher uma declaração de moeda na entrada do país. Pode-se trocar nos bancos, aeroportos e hotéis. Os cartões de crédito não são muito usados, apenas alguns hotéis aceitam.

Compras

O artesanato típico de Chade está em tapetes de lã e tecidos de um formoso colorido. Também trabalham-se o artesanato em metais preciosos como o ouro ou a prata e objetos de couro como bolsas e sandálias sem esquecer a cerâmica. Entre os lugares mais solicitados encontra-se o Mercado Central, a Missão Católica e as lojas da popular Avenida Charles de Gaulle na capital do Chade.

Ilha de Sal

N'Djamena é a capital e a maior cidade do Chade. Localiza-se nas margens do rio Chari.Foi fundada em 1900 pelos franceses, sendo conhecida pelo nome de Fort-Lamy até 1973.

Antes da guerra civil era uma das mais lindas cidades do Sahel.

A cidade é dividida em duas seções: a européia ou administrativa e a maior, mais palpitante, seção africana. Alguns locais de interesse para a visitação dos turistas são a mostra remanescente do Musée National e o enorme Grande Marché. Há também um interessante Hipódromo onde se pode assistir a corridas de cavalos nos finais de semana e razoáveis campos de golfe (há um com cerca de 4 Km no lado leste da cidade).

TURISMO

MOUNDOU

É uma agradável cidade com um ambiente muito tranquilo. Encontra-se ao sudoeste do país. É a terceira maior cidade do Chade.

SARH

Foi uma e outras vezes invadida pelos árabes desde o norte em procura de escravos. Sarh é a segunda maior cidade do país e a capital da região das plantações de algodão. O Museu Nacional está muito perto da Missão Católica; é pequeno mas bastante interessante. Permanece aberto das 7 às 14 horas, de segunda-feira a sábado. Também perto do museu encontra-se o excelente Mercado do Artesanato.

Clima

Clima continental cujas temperaturas variam dependendo da zona: frio de dezembro a fevereiro, sobretudo pelas noites e muito calor durante o dia de março a maio. As chuvas chegam, no sul, de junho a setembro diminuindo em intensidade na medida que aproxima-se do norte.

Idioma

Os idiomas oficiais são o francês e o árabe. Também fala-se o sara, mbaye, mbum e massa.

Eletricidade

A corrente elétrica é de 220/380 volts a 50 Hz.

Fonte: www.souturista.com.br

Chade

Nome oficial: República do chade (République du Tchad / Jumhuriyat Tashad).

Nacionalidade: Chadiana.

Data nacional: 11 de agosto (Independência).

Capital: Ndjamena.

Cidades principais: Ndjamena (530.965), Mondou (282.103), Bongor (196.713), Sarh (193.753), Abéché (187.936) (1993).

Idioma: árabe e francês (oficiais).

Religião: islamismo 54%, cristianismo 34,7% (católicos 20,3%, protestantes 14,4%), crenças tradicionais 7,3%, outras 4% (1993).

GEOGRAFIA

Localização: centro-norte da África.
Hora local:
+ 4h.
Área:
1.284.000 km2.
Clima:
tropical (S) e árido tropical (N).
Área de floresta:
110 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 7,7 milhões (2000), sendo afro-árabes 87%, tubus 13% (tuaregues berberes) (1996).
Densidade:
6 hab./km2.
População urbana:
23% (1998).
População rural:
77% (1998).
Crescimento demográfico:
2,6% ao ano (1995-2000).
Fecundidade:
6,07 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F:
46/49 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil:
112 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo:
46,4% (2000).
IDH (0-1):
0,367 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República com forma mista de governo.
Divisão administrativa:
14 prefeituras.
Principais partidos:
Movimento Patriótico de Salvação (MPS), União pela Renovação e pela Democracia (URD), União Nacional pelo Desenvolvimento e pela Renovação (UNDR).
Legislativo: bicameral
- Assembléia Nacional, com 125 membros eleitos por voto direto para mandato de 4 anos; Senado (até 1999 ainda não havia sido estabelecido).
Constituição em vigor:
1996

ECONOMIA

Moeda: franco CFA.
PIB:
US$ 1,7 bilhão (1998).
PIB agropecuária:
40% (1998).
PIB indústria:
14% (1998).
PIB serviços: 4
6% (1998).
Crescimento do PIB:
2,2% ao ano (1990-1998).
Renda per capita:
US$ 230 (1998).
Força de trabalho:
3 milhões (1998).
Agricultura:
algodão em pluma, milhete, sorgo, amendoim.
Pecuária:
bovinos, caprinos, ovinos, aves.
Pesca:
85 mil t (1997).
Mineração: c
arbonato de sódio, argila, cascalhos, sal.
Indústria:
beneficiamento de algodão.
Exportações:
US$ 270 milhões (1998).
Importações:
US$ 255 milhões (1998).
Parceiros comerciais:
França, Camarões, EUA, Nigéria.

DEFESA

Efetivo total: 25,4 mil (1998).
Gastos:
US$ 61 milhões (1998).

Fonte: portalbrasil.net

voltar 1234avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal