Breaking News
Home / Turismo / Locais Turísticos da Etiópia

Locais Turísticos da Etiópia

PUBLICIDADE

Capital: Adis Abeba
Idioma: amárico, inglês e árabe 
Moeda: birr etíope 
Clima: árido, savana e polar de altitude 
Fuso horário (UTC): +3

Turismo

Para descobrir os pontos de interesse da Etiópia, começaremos nosso percurso pela capital Addis Abeba, para continuar por Dire Dawa e Harar. Dali iremos deslocarmos para o Norte onde destacam Lalibela, Axum e Gonadr. Finalizaremos nosso percurso pelo sul do país, onde fica o impressionante vale do Rift.

O Centro da Etiópia

Adis Abeba

Addis Abeba, a capital do país, foi construida em 1889 com a subida ao poder de Menelik II. A conhecida como “Nova Flor” não é uma cidade moderna mas possui um grande atrativo.

Destacam-se a Catedral de São Jorge com suas maravilhosas pinturas e murais; o Mausoleu Menelik, muito elegante onde veneram-se os restos do rei que conseguiu unificar o país após um período de anarquia; a Catedral da Trindade; o grande Palácio rodeado de um formoso parque onde pode-se admirar leões e guepardos; a Igreja do Anjo Gabriel e seus três museus (Museu do Instituto de Estudos Etíopes, o Museu Nacional e o Museu de Addis Abeba), nos quais pode-se ver interessantes coleções da arte, cultura, arqueologia, folclore e história do povo etíope.

Também merece visita o Mercado, o maior mercado ao ar livre da África. Nele pode-se adquirir todo tipo de artigos e desfrutar com o ambiente barulhento que respira-se.

Não pode esquecer-se a visita ao África Hall, sede da Organização para a Unidade Áfricana, OUA, cujos máximos atrativos são as vidraçarias onde estão representados o passado, presente e futuro deste enigmático e belo continente que é a África.

Arredores de Addis Abeba

Nos arredores de Addis Abeba deve-se visitar igrejas e mosteiros situados em Debre Zeit, Debre Nazret, Ziqwala e Debre Libanos.

Dire Dawa

Dire Dawa, cidade que ainda conserva a influência francesa, tem como máximo atrativo a possibilidade de contemplar as típicas caravanas que no século VII percorriam toda África comerciando com todos os povos. Uma imágem que faz retroagir no tempo.

Harar

Harar é uma cidade tipicamente muçulmana que encontra-se situada no cume de uma colina a 850 metros de altitude. A muralha conta com 25 torres e cinco portas de entrada dando acesso a uma vila, onde as casas coroadas com terraços, os moradores conversam ao cair da tarde; becos estreitos da medina onde os comerciantes abrem as portas de suas lojas e os cheiros das espécies ficam à espalhadas por toda a cidade, e a Grande Mesquita.

Como curiosidades pode-se visitar a Casa de Rimbaud, casa de madeira e vidro que habitou o poeta durante a sua estadia na cidade e o Mercado, um dos mais antigos do mundo.

O Norte do País

Axum

Axum é a cidade mais antiga da Etiópia e provavelmente do mundo. Conta a lenda que nesta cidade, criada pelos habitantes do porto de Adulis após ser destruido, nasceu Melenik I, filho do rei Salomão e a Princesa de Sabá. De fato, ainda conservam-se as ruinas do Palácio da Rainha de Sabá, cujas redondezas há um lago onde supostamente banhava-se a rainha e onde os habitantes da cidade recolhem água por considerá-la mágica.

Também são interessantes os Monolitos de granito conhecidos como Estrelas, construidos seguindo técnicas árabes, o de maior altitude atingindo os 34 metros e todos com um significado comemorativo.

Destingue-se, também, a Igreja de Santa Maria de Zão a cujo interior não podem passar as mulheres, pois a antiga igreja foi destruida por uma rainha pagã. No interior conserva-se a Arca da Aliança que segundo conta a tradição, foi trazida a este recinto por Menelik I desde a cidade santa de Jerusalém. Estando com tempo aconselhamos-lhe a visita ao Museu da cidade.

Lalibela

Lalibela é uma verdadeira maravilha. Visitar suas Igrejas Coptas cavadas na rocha é uma experiência única. Estas onze igrejas continuam sendo um mistério e os estudiosos ainda não lograram explicar como foram construidas.

Pode-se assistir ao culto nelas e para passar de umas à outras deve atravessar túneis abertos à luz. Em uma delas pode-se admirar a Coluna da Luz na qual Jesus Cristo teria se apoiado durante seu aparecimento ao monarca Lalibela. Seus muros estão enfeitados com magníficas pinturas do estilo bizantino, geométrico ou com cenas da Bíblia. Também pode-se contemplar arcos, colunas e arcas com relevos.

Onze igrejas construída no século XII, esculpidas diretamente na rocha, sendo que quatro delas estão soltas da matriz rochosa, exceto pela base. Uma rede de túneis, igualmente entalhado na rocha serve de comunicação entre as igrejas.

Gondar

Em Gondar, antiga capital da Etiópia, destacam-se os Castelos Faslidas, construções reais à conformarem um conjunto arquitetônico admirável. Estes castelos são na realidade palácios de forma retangular de três andares, rematados por uma torre quadrada, cujos cantos levantam-se outra torre de tamanho menor.

São também muito atrativos os Banhos dos Faslidas, o Palácio Kusquam e a Igreja Debre Brham Selassie, com suas formosas pinturas do século XVII, sendo uma das mais antigas da cidade, com 44 igrejas no total.

Nos arredores da cidade valem uma visita os Povoados dos Falashas, etnia de judeus pretos que continuam praticando suas tradições sem o tempo ter mudado. Resulta especialmente formosa sua olaria decorada com figuras de pássaros, Estrelas de David, homens e outros motivos decorativos tipicamente judeus.

Região onde se localizava a residência dos imperadores etíopes entre o século XVI e XVII, lá foi erguida a cidade-fortaleza de Fasil-Ghebbi, cercada por um muro de 900 metros e com inúmeras construções, como palácios, igrejas, mosteiros e prédios públicos e privados, onde se vê a influência árabe e hindu.

Região de Semiem

Com grande variedade de fauna e flora, pode-se admirar espécies típicas africanas: leões, girafas, búfalos, hipopótamos, hienas, elefantes, panteras, gazelas, antílopes, avestruzes e mais de 830 espécies de aves muitas delas endêmicas. Encontra-se situado ao norte de Gondar. Para atingi-lo é necessário deslocar-se a Debark.

Bahar Dar

Encontra-se situado nas beira do Lago Tana. Chegando da capital deve-se atravessar o rio e a espetacular Garganta do Nilo Azul. No lago há algumas ilhas com mosteiros medievais. Na cidade pode-se desfrutar de um colorido mercado que abre aos sábados.

Para chegar às Cascatas de Tisissat deve faze-lo desde Bahar Dar. O lugar está a trinta quilômetros e recebe o nome de Tisoha, “fumaça de água”. É que suas águas formam um dos saltos de água mais espetaculares do mundo. São cinquenta metros de queda vertical, rodeada de uma exuberante vegetação. A espuma salpicando parece fumaça.

O Sul da Etiópia

O Vale do Omo

Neste vale além de admirar estações naturais de grande beleza pode-se contemplar restos paleontológicos de mais de três milhões de anos de antigüidade, como o Australopiteco ou o Homo Habilis, um rencontro com os origens da humanidade. Ali vivem os karo, nômades durante séculos e agora criadores de gado. Sua complexa cultura permanece quase inalterada desde tempos remotos. Suas casas estão cobertas por canas.

Lagos do Vale do Rift

É um entorno fascinante, de temperaturas altas e árida. Entre os lagos estão o Lago Ziway, perto de Butajira com seu porto pesqueiro, aonde acodem pelicanos e outras espécies de aves curiosas; o Lago Abiyata, pouco profundo, pelo qual perdem suas águas quando não chove, mas ainda assim é visitado por muitas aves; o Lago Shala, o Lago Langano, o Lago Awasa, junto à Sahasemene.

Muito perto encontra-se o centro de lazer Wondo Genet, e o Lago Chamo e Lago Abaya, cujas margens está o Parque Nacional Nech Sar.

Fonte: www.rumbo.com.br/www.geomade.com.br

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.