Breaking News
Home / Turismo / Togo

Togo

História

PUBLICIDADE

Togo, ou mais precisamente a República do Togo, é um país da África Ocidental, com uma população estimada em 2010 para cerca de 6 milhões de habitantes e uma densidade de 95 hab / km ².

Togo é um dos menores estados africanos com 56.785 km ², que se estende de 600 km de norte a sul, com uma largura não superior a 100 km.

Este tamanho pequeno não impede que o Togo para ser reconhecido pela diversidade de suas paisagens (litoral de areia forrado com coqueiros sul, colinas, vales verdes e pequenas montanhas no centro do país, planícies savanas áridas e baobabs grandes plantada norte).

Togo

Os primeiros vestígios de Togo que datam da era pré-histórica e os restos de fornos mostram um início de um passado.

A intensa atividade metalúrgica da era colonial, Bassari usado ainda estes fornos três a quatro metros altura para reduzir o minério de ferro e fazer ferramentas e armas.

Togo tem sido um país que mais sofreu com a escravidão e uma das primeiras áreas em que os europeus começaram a explorar os africanos.

Em 1884, o explorador alemão Gustav Nachtigal ofertas com o chefe do Lago Togo para a costa do Togo é atribuída a Alemanha.

O porto de Lomé é baseada na época para poder exportar o produto de cacau e café.

Quando o 1920 França e Grã-Bretanha realizar a partição do país.

Lomé e toda a região costeira tornou-se francês, enquanto a pequena parte ocidental retorna à Grã-Bretanha.

Colocado sob supervisão internacional pela ONU em 1946, Togo é uma partição em 1956, quando o povo de Togo britânico precisa ser incorporada na Costa do Ouro-de-Inglês, o futuro de Gana para a independência em 1957.

Independência

Togo tornou-se independente em 27 de Abril de 1960 e obteve um assento na ONU, em setembro do mesmo ano. Sylvanus Olympio foi eleito presidente, em detrimento de Nicolas Grunitsky, o candidato apoiado por França, as eleições supervisionadas pela ONU.

É, portanto, Sylvanus Olympio, que lidera a elaboração da Constituição de Togo, que se torna uma democracia para um sistema presidencialista, o chefe de que Olympio comete uma política autoritária.

Esta situação provocou impaciência e descontentamento no norte do país, que se sente negligenciada por um governo dominado pela área de Ovelha de Lomé.

Em 1963, a independência da África conhece o seu primeiro golpe: Sylvanus Olympio recusou reintegração dos soldados do Exército do Togo que lutaram no exército francês durante a guerra na Argélia. Estes soldados, a maioria dos norte Kabyés Togo, decidiu organizar um golpe de Estado, na noite de 12 a 13 janeiro de 1963, um punhado de soldados que incluíam assassinato Gnassingbe Eyadema Sylvanus Olympio.

Rapidamente, um comitê insurgência militar usa Grunitzky Nicolas, que foi eleito presidente em 1963, ao adotar uma nova Constituição.

Grunitzky governou o país por um pouco mais liberal em aceitar a existência de uma oposição.

No entanto, as dificuldades persistem, e 13 de janeiro de 1967, os militares tomaram o poder novamente. A Constituição é suspensa e dissolveu a Assembleia Nacional. Kléber Dadjo ocupa temporariamente o cargo de primeiro-ministro. O tenente-coronel Etienne Eyadema, um Kabiyé étnica tomou o poder e estabeleceu um governo novo, onde as pessoas do Norte são a maioria.

Togo, Natureza Virgem

Togo é um maravilhoso país onde a natureza é uma explosão que invade tudo otorgando um encanto muito especial. Desde seus Parques Naturais aonde pode-se contemplar a fauna típicamente africana – leões, olifantes, panteiras, búfalos, antílopes, gazelas, zebras, abutres, jacaés, crocodrilos, hipopotamos, e uma grande variedade de aves em seu hábitat natural -, passando pela zona central onde a vegetação autóctona é uma maravilha e podem-se admirar espetaculares cascatas, até suas praias paradisiacas já no sul, de águas transparentes e areias douradas rodeadas de coqueiros.

Além disso em Togo habitam mais de 40 etnias diferentes, um verdadeiro mosaico de culturas que fazem deste país um lugar perfeito para conviver e conhecer diferentes modos de vida. Não deixe de desfrutá-lo.

Localização Geográfica

Situado na África Ocidental, Togo tem como países fronteiriços a Burkina Faso ao Norte, Ghana ao oeste, Benin ao leste e o Oceano Atlântico no Cabo de Guiné ao sul.

Com uma extensão de 56.785 quilômetros quadrados em forma longitudinal cuja largura oscila entre os 75 e os 120 quilômetros, Togo está dividido em várias zonas: uma planície litoral com lagoas e pântanos no sul a elevar-se no interior do país conformando pequenos planaltos de uns 700 metros de altitude média, revezando-se vales e colinas que se alongam até os montes de Togo, onde encontra-se o pico mais alto do país, o Baumam com 986 metros, e se elevam de novo no nordeste com o Maciço de Atakora, compartilhado com Benin.

No centro do país nasce o rio Mono, o mais importante do país que segue seu curso para o sul fazendo fronteira com Benin. Também são importantes dentro da rede fluvial do país seus afluentes, Anié e Agou.

Flora e Fauna

A fauna e flora de Togo varia dependendo da zona do país que se visite. O norte é a zona mais montanhosa. No interior predomina a savana arbórea e ervácea e a medida que vai-se avanzando para o sul a savana transforma-se em selva tropical muito úmida. No sul abundam os coqueiros.

Nas Reservas Naturais de Malfacassa-Fazao, Mankudi e no sul de Togo podem-se contemplar uma grande variedade de espécies animais: leões, olifantes, hipopotamos, girafas, gazelas, antílopes, búfalos, panteiras, crocodrilos e jacarés assim como uma grande variedade de aves que fazem de Togo um verdadeiro paraíso para os amantes da ornitologia.

História

Dados Históricos

Pela forma curiosa e pequeno tamanho Togo tem sido terra de passo durante boa parte de sua história, pelo que não registraram-se reinos estáveis. Porém, o Reino Mango, criado no norte pela etnia Tyokosi no século XVII e o de Aneito no sul formado pelos Fanti um século depois, merecem ser destacados.

Em 1894 Alemanha estabelece um protetorado neste país, mantido até 1914, data na que foi conquistada pelos Aliados. Em 1922 a Sociedade de Nações dividiu o território; a parte leste ficou sob domínio francês enquanto que a zona oeste foi ocupada pelos ingleses.

Em 1946 a Organização de Nações Unidas converte este mandato em um fideicomisso e 10 anos depois celebra-se um plebiscito que determina a criação de uma república autóma dentro da Comunidade Francesa para a zona gala, enquanto que a zona britânica decide continuar formando parte de Ghana, mas a ONU rejeita o procedimento.

Em 1960 o Togo francês consegue sua independência com o nome de República Togolesa. Três anos depois o presidente Sylvanus Olimpio é assassinado pelos militares e o líder exilado Nicolás Grunitzky é chamado para formar governo.

Porém, em 1967 os militares obrigam Grunitzky a entregar o poder a uma Junta Militar encabeçada por Kleber Dadjo e Etienne Eyadéma, este último é nomeado presidente e suspende a Constitução e o Parlamento do país. Dois anos depois se funda o Partido Reunião do Povo Togolés, o PRPT.

Em 1972, um referéndum aceita a continuação indefinida do governo de Eyadéma. Quatro anos depois o congresso do PRPT estabelece que a direção do partido tem jerarquia sobre o Governo.

Em 1980 Eyadéma proclama a Terceira República. Em 1985 celebram-se eleições para escolher aos membros da Assembleia Nacional e um ano depois, em dezembro, Eyadéma é releito como Presidente.

Em 1991 o Presidente aceita o nomeamento de Joseph Kokou Koffigoh como Primeiro Ministro, o que provoca a intervenção do exército que embora é repelida pelos partidarios de Kokou, obriga-lhes aceitar os partidários de Eyadéma dentro do governo. Na atualidade o chefe do governo é Klutse Kwasi, nomeado em agosto de 1996.

Arte e Cultura

A arte Togolesa está desenvolvida pelas mais de 40 etnias que habitam o país. Destacam, sobretudo, os Ewe na prática de um arte pronunciadamente simbólica na que predomina a policromia e os motivos geométricos.

Esta arte esta notávelmente influida pelo culto Legba praticado por eles com muito fervor. Outras demostrações da arte tradicional têm como expressão os tecidos realizados a mão, verdadeiras obras de arte, pois dependendo do rango social de quem os leva maior é a complicação do pano tecido e seus desenhos.

As narrações verbais que passam de pais para filhos são uma mostra cultural importante dentro de cada grupo étnico. Nelas contam-se os fatos mais importantes de cada etnia; se for possivel faça por conhecer a tradução, são muito interessantes.

As danças tradicionais são espetaculares, todas elas têm uma finalidade e os adornos e pintura levados têm um significado de acordo com o fim de cada uma.

Gastronomia

Togo conta com uma gastronomia simples que resulta deliciosa pela excelente qualidade dos ingredientes utilizados em seus pratos. Tanto a carne como o peixe são a base da gastronomia Togolesa.

O peixe, de água doce ou salgada, costuma-se server simplesmente grelhado embora também pode ser preparado em molho ou acompanhado de vegetais, arroz ou milho. O mesmo acontece com a carne, principalmente de vaca, ovelha, cabra ou porco.

Se tiver oportunidade não deixe de desfrutar de um saboroso bife de búfalo ou antílope. Entre os pratos mais típicos encontram-se o mutsella, peixe com verduras e espécies, o yekumé, frango picante, gboma, marisco com espinafre, o atieke, mandioca cocida e o nhame com batata, banana e mandioca.

Como sobremesa podem-se tomar frutas frescas ou doces preparados com coco ou cacau.

Bebidas

Depois de comer, um bom café cultivado nestas terras é o fim perfeito para uma deliciosa e singela comida. Preferendo algo mais forte pode perguntar pelo chucutú, cerveja de mijo ou então por um vinho de palma. Lembre que só há que beber água engarrafada.

Compras

Apesar de su reduzido tamanho Togo está habitado por mais de 40 etnias diferentes que chegaram a este território de passo e decidiram ficar nele. Destacam os Ewe, Uatchi e Mina nas zonas meridionais; Akposso-Adelé no centro; Paramurga e Kabré no norte dedicados fundamentalmente à agricultura; Tyokosi e Busancé na parte setentrional do país; os Akep ocupam o centro-oeste e os Bariba habitam o leste de Sokode.

A esperança de vida dos Togoleses é de 54 anos e um 39% da população está alfabetizada. A mortalidade infantil não é muito elevada dentro do continente africano.

População e Costumes

Apesar de su reduzido tamanho Togo está habitado por mais de 40 etnias diferentes que chegaram a este território de passo e decidiram ficar nele. Destacam os Ewe, Uatchi e Mina nas zonas meridionais; Akposso-Adelé no centro; Paramurga e Kabré no norte dedicados fundamentalmente à agricultura; Tyokosi e Busancé na parte setentrional do país; os Akep ocupam o centro-oeste e os Bariba habitam o leste de Sokode.

A esperança de vida dos Togoleses é de 54 anos e um 39% da população está alfabetizada. A mortalidade infantil não é muito elevada dentro do continente africano.

Entretenimento

Togo oferece uma grande variedade de entretenimentos, sobretudo para os amantes da natureza.

Praias paradisiacas onde praticar esportes náuticos como vela e windsurfing, embora é convenente ter cuidado com as ondas. Preferendo algo mais tranquilo pode-se tomar o sol ou um banho nas águas transparentes do mar.

Tanto rios como lagoas são muito apropriados para praticar piraguismo ou simplesmente dar um passeio de bote. A pesca é excelente neste país, tanto em água doce quanto no océano se prefere a de altura.

Os amantes da montanha podem praticar escalada e trekking na zona norte do país. Na região da selva tropical pode-se contemplar uma grande variedade de animais como olifantes, hipopotamos, búfalos, leões, panteiras, crocodrilos e antílopes de diversas espécies. Togo é um verdadeiro paraíso ornitológico onde pode-se admirar numerosas espécies diferentes de aves.

Nas cidades pode-se degostar uma boa comida típica ou simplesmente passear pelas ruas.

Festividades

As festas oficiais Togolesas começam o 1 de janeiro com a celebração do Novo Ano e em esse mesmo mês, os dias 13 e 24 continúam os eventos.

Em abril, o dia 24 e especialmente o 27, Dia da Independencia, os Togoleses vestem o melhor e saem às ruas para celebrar as festas. Tendo oportunidade é um imejoravel momento para conhecer este povo e convivir com ele apreciando seus costumes.

As festividades continúam o 1 de maio com o Dia do Trabalho; igual que em outras muitas partes do mundo os Togoleses saem à rua para comemorar esta festa.

O 15 de agosto, 24 de setembro e 1 de novembro também são feriados oficiais pelo que comércios e entidades oficiais permanecem fechadas. O 25 de dezembro celebra-se Natal.

As festividades islâmicas variam dependendo do calendário lunar, e também são consideradas oficiais.

Durante o ano todo se comemoram também as festas de cada etnia que em Togo são mais de 40, sendo fácil poder desfrutar com as danças tradicionais cheias de vida e cor.

Transportes

Avião: KLM e Air África oferecem vôos diretos desde as principais cidades europeas. O aeroporto principal encontra-se na capital Lome.

Barco: Lome, a capital de Togo, conta com o porto de maior atividade do país, embora a forma do seu litoral dificulta o acesso por mar.

Trem: Togo conta com um sistema de trem que une as principais cidades do país e também está ligado com os países vizinhos. Os trens são lentos mas confortáveis e seus preços são moderados.

Por Terra: As estradas em Togo estão em bastante boas condições, embora durante a época das chuvas, especialmente no norte do país, é aconselhavel informar-se préviamente sobre seu estado antes de empreender viagem. Tanto em veículo alugado como no próprio é preciso ter carteira de motorista internacional e um seguro de assistência. Os ônibus não são muito confortáveis mas seus preços são econômicos. Existem também táxis coletivos e micro-ônibus. Lembre combinar o preço antes de iniciar o trajeto.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br/www.genteviajera.es

Togo

História

Desde o primeiro milênio, Togo foi coberta por sucessivas ondas de migração, que deu ao país sua atual configuração étnica. Há poucas fontes sobre a história antiga de Togo. Sabemos, no entanto, que os reinos, como Atakpamé e NOTSE existia antes da chegada dos europeus.

Mas a história política do Togo foi marcado, principalmente, a partir do século XVII, a ascensão ea hegemonia do reino de Daomé (também chamado de o reino de Abomey, o nome do seu capital) para o leste, e Ashanti reino no oeste.

No século XV, o Português chegou à costa do Togo, mas esta costa, sem abrigo natural e cujo acesso é dificultado pelo bar, não se prestam ao estabelecimento de contadores, eles não implantado assentamento sustentável .

A partir do século XVI, no entanto, eles praticavam um comércio ativo e do comércio de escravos floresceu no século XVII, em torno do balcão Petit-Popo (Anecho atual). No século XVIII, os dinamarqueses vieram Christianenborg (agora Accra), estabeleceu-se, por sua vez, eles foram seguidos 1780-1800 anos por muitos “brasileiros” libertados e repatriados ex-escravos no Brasil ou descendentes portugueses se estabeleceram em Togo, que participou do comércio costeiro.

Alguns, como Francisco Félix de Souza, criada em Petit-Poto e chacha futuro Daomé, fez uma fortuna com o comércio de tabaco, rum, tecidos e do comércio de escravos. No século XIX, o desenvolvimento de produtos “legítima”, especialmente o óleo de palma, resultaram na conversão de empreiteiros precisam europeus e “brasileiras”.

Colonização alemã

Longa indiferente à questão colonial, a chanceler alemã, Bismarck tornou-se interessado acentuadamente a partir de 1883. Ele, então, impôs um protetorado sobre quatro regiões, incluindo Togo, onde o explorador Gustav Nachtigal assinaram um tratado em julho de 1884 com o tradicional chefe M III lapa, perto Baguida, e deu seu nome ao país atual.

Alemanha entrou em uma competição apertada com a França. Em dezembro de 1885, durante a Conferência de Berlim, ela deixou Petit-Popo para a França em troca do reconhecimento de seus direitos sobre os rios do sul (Guiné).

As duas potências entamèrent então uma corrida para o interior e, em 1887, depois em 1909 demarcadas as fronteiras entre as colônias do Daomé e Togo. A fábrica alemã encontrou-se com intensa resistência dos africanos. Foram assinados acordos com certos reinos. No entanto, a revolta de Kabiyès (1890) e dos Konkombas (1897-1898) foram brutalmente reprimida.

Alemanha pediu aos seus cidadãos a se estabelecer na colônia, oferecendo concessões em condições muito favoráveis.

Ela também construir a infra-estrutura necessária para a operação do Togo: linhas de caminho de ferro e especialmente o Kamina estação de rádio poderosa ligando diretamente o país para Berlim.

Por fim, fez uso extensivo de trabalho forçado. Os resultados do Togo fez o Musterkolonie (colônia modelo) do Império Alemão.

Em 1914, quando a Primeira Guerra Mundial estourou, o governador von Doering estava ciente da fraqueza militar do Togo, cercado pelas possessões britânicas e francesas. Ele tentou fazer com que seus colegas de Gold Coast e neutralidade Daomé Togo.

Quando eles se recusaram, ele tinha que resolver para lutar. Em três semanas, o Togo foi invadida. Depois de forte resistência em torno de Kamina, os alemães se renderam, 25 de agosto de 1914, não sem destruir a estação.

Os franceses e os britânicos dividiram a decisão do uso da terra, o que foi confirmado depois da guerra: 10 de julho de 1919, Togo tornou-se de fato um mandato “B” da Liga das Nações, dividido entre a França (norte e é) e Reino Unido (oeste).

Colonização francesa

Temendo que o povo de Togo não mostrar os seus sentimentos depois legalistas contra alemães, franceses agarrou-se a apagar todos os traços da colonização alemã. Que proibia o uso da língua alemã, incluindo missionários Alsácia e Lorena, intelligentsia laminèrent gradualmente alemão, e aplicou um regime colonial mais flexível.

No rescaldo da II Guerra Mundial, as Nações Unidas encarregaram a sugestão da Liga das Nações mandato sobre Togo e nomeou um conselho de tutela para supervisionar a administração francesa.

Os partidos políticos togoleses trabalhou ativamente para o estado de mudança do país, mas está dividida em dois campos opostos em seus objetivos: o Comitê de Unidade Togo (CUT), liderado por Sylvanus Olympio, era a favor de um estado reunificada e enquanto o autônomo progresso do Togo Party (PTP), que se tornou o Movimento Popular da togoleses (EPM), dirigido por Nicolas Grunitzky, pediu a abolição da tutela e exigiu uma associação mais estreita com a França.

A ação de nacionalistas e de pressão da ONU forçado França para acelerar o processo de evolução. Em 16 de abril de 1955, que amplia os poderes da Assembleia Territorial no Togo e concedido o direito de formar um conselho do governo.

Nicolas Grunitzky tornou-se primeiro-ministro em 1956. Enquanto isso, em maio de 1956, foi realizado um referendo no Togo britânico, que aprovou – exceto em áreas Ewe – o seu apego à Costa do Ouro, destinada à independência precoce (que foi eficaz 06 de marco de 1957, com a . integração em Gana.

Partidários de Nicolas Grunitzky ganhou terreno, quando, em 1 de setembro de 1956, após um referendo, França proclamou a República Autônoma de Togo, associada com a França: Togo e obteve o direito de enviar deputados à Assembleia Nacional Paris.

O Togo sob mandato francês tornou-se uma república autônoma em 1957. 27 abril de 1958, as eleições, monitorados pela ONU, levou a uma reversão da situação: CUT venceu a eleição e se tornou presidente Sylvanus Olympio. Em 27 de abril de 1960, o Togo tornou-se independente.

O Togo contemporânea No início de 1960, Sylvanus Olympio estabelecer um regime presidencial autoritário que provocou o descontentamento popular. Em janeiro de 1963, ele foi deposto e morto em um golpe militar liderado por Etienne Gnassingbe Eyadema, que trouxe Nicolas poder Grunitzky. Ele não conseguiu dotar o país de uma estável e democrático.

Em janeiro de 1967, o exército tomou o poder: Gnassingbe Eyadema se tornou chefe de Estado e formou um governo. Nos anos que se seguiram, o Rally do povo togolês (RPT), foi construído em um único partido. Presidente Eyadema frustrou dois golpes de Estado em 1970 e 1977, aclamado em 1971, ele formalizou o regime de partido único (1979 Constituição). Na década de 1980, o regime começou uma abertura com eleições para vários candidatos.

No início de 1990, Togo novamente entrou em um período de tensão política extremo: as pressões internas e externas para a democracia levou o presidente Eyadema para legalizar um sistema multipartidário e aceitar a realização de uma conferência nacional “, fórum para o diálogo. ” Ele retirou o chefe de Estado se principalmente configurar transição corpos foi aprovada por referendo uma nova Constituição e eleições multipartidárias preparados.

Mas esta abertura democrática que está sendo prejudicada e oposição do exército, a greve geral, distúrbios em Lomé e do vazamento de 230 mil togoleses no Benin e Gana, em Janeiro de 1993, surgiu em uma situação explosiva, sanções econômicas foram impostas pela comunidade internacional (em especial, a Alemanha, a França, a União Europeia e os Estados Unidos).

A eleição do general Eyadema presidente em agosto de 1993 (a eleição presidencial havia sido boicotadas pela oposição) foi, no entanto, reconhecido pela França. Em 1994, o regime perdeu a eleição eo presidente teve que chamar o chefe de um governo da oposição, os líderes Edem Kodjo.

Após a demissão do Edem Kodjo em 1996, seguido de novas eleições, desta vez ganhou por maioria presidencial, o presidente Eyadema chamado Kwassi cabeça Klutse de governo. Em junho de 1998, o vencedor das eleições presidenciais contra o candidato da oposição, Gilchrist Olympio, filho do primeiro presidente do Togo, o general Eyadema foi reeleito chefe de Estado para um mandato de cinco anos.

GEOGRAFIA

Estado do Golfo da Guiné, limitado ao oeste pelo Gana, a norte pelo Burkina Faso, a leste pelo Benin, ao sul pelo Oceano Atlântico (Golfo da Guiné). Togo (56 790 km2) é uma estreita faixa de terra (90 km), que se estende a cerca de 700 km do Golfo do Benin para a curva do Níger no Sahel, entre os dias 6 e 11 de grau de latitude norte. Seu litoral estreito não exceda 55 km.

Com a exceção da costa (praias e lagoas de barreira) e bacia sedimentar do sul, que abrange a barra de terra (Terciário argila) e contém fosfatos, o país tem a forma esculpida em planícies e planaltos embasamento cristalino. Mas é passado de sudoeste para nordeste por links (Togo Montanhas, 920 m; Kabyé maciço, 986 m; limites de Atakora), que fragmentam o território drenado por duas bacias hidrográficas, Oti os do norte e sul do Mono.

A diversidade da paisagem é reforçada por padrões de chuva, entre um sudanês do norte (tropical seco) para um sul sub-equatorial, mas é especial. A anomalia climática, nascido em Gana, estende-se a planície costeira do Togo recebem anualmente 700-750 mm de precipitação em duas estações chuvosas, enquanto os interiores são enormes mais de 1.500 e regiões do norte, regadas uma vez no ano 1200-1300.

O litoral é o lar de coco. O interior é a área de floresta, e no norte do cerrado. Para o oeste, há florestas, plantações de cacau e café, ea área de cobrança da noz de cola.

POPULAÇÃO

Com uma taxa de crescimento natural de 3,5%, a população do Togo está estimado em 4,7 milhões. População togolesa é caracterizado pela sua grande jovens (45,3% com menos de 15 anos e 71,3% inferior a 30 anos). A densidade média de população, 82,7 h./km2 é um dos mais altos da África Ocidental, mas é desigualmente distribuído, o Sul é muito mais populosa do que o Norte. Países ainda rural, Togo, no entanto, tem um forte crescimento urbano (26,5% urbana).

A aglomeração da capital, Lomé, que trouxe 600 mil pessoas antes dos confrontos sangrentos políticos em 1992 e 1993, havia provavelmente 800 mil em 1994, ultrapassa de longe todas as outras cidades do país, segundo Sokodé cidade, sem contar de 70.000 habitantes. Outras cidades de alguma importância são Kara (30.000 habitantes) e Kpalimé (30.000 habitantes).

A diversidade da população não é menor do que a variedade de habitats naturais. Quarenta grupos étnicos que habitam o Togo. No sul ao vivo do grupo étnico kwa, incluindo Ovelha (22%) e Ouatchis (10%). No Centro e Norte, menos populoso grupo étnico vida gur, incluindo Kabiyès (13%). Os dois grandes centros demográficos que de Kabyés paralelo Losso e nove de norte, sul Ovelha, Minas e Ouatchis do paralelo 7, acrescenta 40 diferentes grupos e os dois centros populacionais são separados por regiões centrais de baixa ocupação.

Seguidores de religiões tradicionais (50%) são mais propensos do que os católicos (26%), muçulmanos (15%) e protestantes (9%). A língua oficial é o francês.

As línguas nacionais são Ovelha e Kabiye. As línguas 40 são quase toda a família Niger-Congo, pertencem, quer para o grupo Kwa (tais como a ovelha) ou gur grupo (como Kabiye).

ECONOMIA togolesa

Togo tem experimentado um período difícil de 1990 a 1993.

Depois de um declínio significativo no PIB ($ 400 per capita, em 1991, US $ 250 em 1994), uma taxa de inflação de 50% e um desenvolvimento perigoso no setor informal, o ano de 1994 marcou um renascimento: o clima político e social melhorou, com o FMI e a França assumiu o orçamento equilibrado foi alcançado em 1994-1995.

O abrandamento do crescimento econômico tem sido acompanhado por uma proliferação de atividades chamado “informal”. O comércio paralelo não é uma novidade (a garota-benz, tecidos atacadistas mulheres são famosos na África Ocidental), mas as necessidades de Gana e Nigéria vizinha, e relacionada com o tráfego manipulação taxa mudanças têm acelerado o comércio fronteiriço ilícito de produtos alimentares, dinheiro e até mesmo industrial. Lomé tornou-se um centro de comércio ilegal com a Nigéria, através de Benin.

Agricultura

A agricultura é ainda um lugar importante: 59% dos togoleses vida; produção agrícola fornece mais de 35% do PIB, eo saldo é agora excedente agrícola. Mas o “boom” de fosfatos em 1974-1975, o aumento dos preços mundiais do café e do cacau em 1977 ea demanda crescente de alimentos na Nigéria mudaram a frente econômica. Alugue phosphatière facilitar o investimento em infra-estrutura, indústria, turismo, e 1970 continuam a ser as da participação do Estado em grandes projetos.

A campanha para a revolução verde e auto-suficiência alimentar foi a de aumentar a produção de alimentos básicos, norte milhete, inhame e milho no Centro-Sul, além de cultivo de mandioca em toda parte. Mas foram investimentos insuficientes na agricultura e aumento de determinados produtos (milho e mandioca, em particular), na verdade, resultado da estimulação pela demanda da Nigéria.

Em 1994, o Togo produzido 279.000 toneladas de milho, 400 mil toneladas e 401 mil toneladas de inhame mandioca, mas os resultados são insuficientes (por produção capita declinou em 0,6% por ano entre 1979 e 1993) e dificuldades escassez de oferta ou de comida, às vezes afetando o norte.

Incertezas sobre as culturas de exportação, excepto o algodão, cuja produção aumentou dez vezes desde 1975, chegou a 40.000 toneladas em 1994. Árvore crescente mercado em dificuldade Sudeste, apesar dos esforços de intensificação. Com 28.000 toneladas e 7.000 toneladas de café, cacau Togo produziram menos em 1985, e do coqueiro como o litoral não é capaz de passar a produção de cacau e café.

Outras atividades

Aluguel phosphatière estimulou a economia do Togo, entre 1970 e 1975. O forte aumento dos preços mundiais levou o governo a nacionalizar o. COTOMIB (Companhia de Mineração do Benin Togo), que operou o Hahotoè depósito desde 1957, a produção é exportada para o Canadá e no Reino Unido pela Kpémé terminais.

No entanto, a desaceleração no mercado global e problemas técnicos (presença de cádmio em fosfato) colocados na posição embaraçosa de mineração ea produção caiu quase pela metade, entre 1989 e 1993: 3 milhões de toneladas em 1988, 2,5 milhão de toneladas em 1992, 1994 e 1995, no entanto, foram marcados por uma recuperação significativa.

As receitas foram parcialmente utilizados para promover um público importante industrial localizado perto do novo porto de Lomé, com uma zona livre para atrair investidores estrangeiros. A maioria das instituições, incluindo a refinaria de petróleo e de aço já estão encerradas e aguardando uma possível privatização. Isso faz parte do plano de ajuste iniciado em 1979 sob os auspícios do FMI, a retirada da acentuação Estado desde 1992.

Phosphatiers renda e empréstimos internacionais têm melhorado a rede rodoviária (eixo norte-sul pavimentada) para construir grandes hotéis de Lomé, para construir a represa Nangbéto (1987), para fornecer o presidente norte , General Etienne Eyadema, infra-estrutura urbana moderna (Lama-Kara, Pya) e luta contra a erosão costeira entre o porto de Lomé e Aného. Recursos hidrelétricos Togo, apenas parcialmente exploradas, a promessa de um futuro bom.

Perfil

Togo, uma estreita faixa de terra no oeste da África do litoral, tem por anos sido alvo de críticas sobre seu histórico de direitos humanos e governação política.

As tensões derramado em violência mortal quando seu braço-forte líder, o veterano morreu em 2005 e uma crise de sucessão seguido. Reconciliação política permanece indefinida.

Togo fazia parte da Costa dos Escravos, de onde prisioneiros foram enviados ao exterior por traficantes de escravos europeus durante o século 17. Em 1884, tornou-se o protetorado alemão de Togo.

Ele foi apreendido pela Grã-Bretanha e França no início da Primeira Guerra Mundial, dividida e administrada sob mandatos da Liga das Nações.

A parte britânica determinou ocidental foi mais tarde incorporada ao que hoje é Gana.

França concedeu a independência, em 1960, e primeiro presidente do Togo, Sylvanus Olympio, foi assassinado em um golpe militar três anos depois. Chefe das forças armadas Gnassingbe Eyadema tomou o poder em um golpe de Estado de 1967 e dissolveu todos os partidos políticos.

Embora os partidos políticos foram legalizados em 1991, e uma constituição democrática foi adotada em 1992, a liderança foi acusado de suprimir a oposição e de fraude nas eleições.

Uma investigação conjunta da Unidade da ONU-Organização de Africano em alegações de que centenas de pessoas foram mortas após eleições controversas, em 1998, concluiu que houve violações sistemáticas dos direitos humanos.

Gnassingbe Eyadema morreu no início de 2005, após 38 anos no poder. Instalação imediata mas de curta duração dos militares de seu filho, Faure Gnassingbe, como presidente provocou condenação internacional generalizada. Faure estava baixo e convocou eleições que ganhou, dois meses depois. A oposição disse que a votação foi fraudada.

Os desenvolvimentos de 2005 levou a mais perguntas sobre um compromisso com a democracia feita por Togo, em 2004, em uma tentativa de normalizar as relações com a UE, que cortou a ajuda em 1993 sobre o registro do país dos direitos humanos.

Além disso, até 500 pessoas foram mortas na violência política em torno da eleição presidencial, segundo a ONU. Cerca de 40 mil togoleses fugiram para países vizinhos.

Uma cronologia dos principais eventos:

15-17 séculos – Ovelha clãs da Nigéria e da Ane de Gana e Costa do Marfim se estabelecer em região já ocupada por Kwa e povos Voltaic.

1700 – área costeira ocupada pelos dinamarqueses.

1884 – protetorado alemão de Togoland estabelecida, trabalho forçado usado para desenvolver plantações.

1914 – As forças francesas, britânicas aproveitar Togoland.

1922 – Liga de mandatos das nações questões a Grã-Bretanha para administrar a parte ocidental e para a França para governar a área oriental de Togoland.

Independência

1956 – Grã-Bretanha governou território ocidental incluído na Gold Coast, Gana rebatizado mais tarde.

1960 – Independência.

1961 – Sylvanus Olympio eleito como primeiro presidente.

1963 – Olympio assassinado, substituído por Nicolas Grunitzky.

1967 – Gnassingbe Eyadema toma o poder no golpe de Estado, os partidos políticos dissolvidos.

1974 – indústria de fosfato nacionalizados.

1979 – Eyadema, ficando como único candidato, eleito como presidente em primeiro eleições parlamentares desde 1967, ao abrigo da constituição entrenching civil, a regra de um único partido.

1985 – Série de atentados em Lome.

1985 – tentativa de golpe, as tropas francesas vêm a assistência do governo. Togo acusa Gana e Burkina Faso de envolvimento. Fronteira do Togo com Gana fechada até 1987.

1986 – oposição exilado líder Gilchrist Olympio condenado à morte à revelia por cumplicidade na tentativa de golpe de 1985.

1986 – Eyadema reeleito.

1991 – Greves, manifestações. Eyadema concorda em dividir o poder com eleições ADMINISTRAÇÃO pendência.

1992 – Nova Constituição aprovada.

1993 – Eyadema dissolve governo, o que provocou protestos e confrontos fatais com a polícia. Milhares fogem para os estados vizinhos.

1993 – França, Alemanha, EUA suspender a ajuda para pressionar por reformas democráticas.

1998 – Eyadema reeleito.

Março de 2000 – Relatório da ONU afirma que os presidentes Blaise Compaoré do Burkina Faso e Eyadema Gnassingbe do Togo ajudou o grupo rebelde angolano Unita obter armas e combustível em troca de diamantes. Ambos os países negam as acusações.

2001 Fevereiro – UN-OAUl inquérito sobre as denúncias de execuções sumárias e tortura no Togo conclui houve violações sistemáticas dos direitos humanos após a eleição presidencial de 1998.

Agosto de 2001 – O líder da oposição Yawovi Agboyibo é preso por seis meses para difamar o primeiro-ministro. Manifestantes vão às ruas.

Junho de 2002 – sacos Eyadema seu primeiro-ministro e aliado Agbeyome Kodjo e diz que a ação está em preparação para as eleições parlamentares. Kodjo lambasts o presidente e seus assessores acusa de corrupção e abusos dos direitos humanos.

Outubro de 2002 – partido no poder vence eleições parlamentares. Principal oposição boicote etapa partes em protesto contra a forma como foi organizada enquete.

De dezembro de 2002 – O Parlamento altera a constituição, a remoção de uma cláusula que teria proibido Presidente Eyadema de buscar um terceiro mandato em 2003.

Junho de 2003 – Eyadema reeleito. O primeiro-ministro Koffi Sama e seu governo se demitir.

Julho de 2003 – Presidente Eyadema repõe Koffi Sama como primeiro-ministro. Um governo de unidade é anunciado, mas os principais partidos de oposição não estão incluídos.

Setembro de 2003 – Togo envia 150 soldados para a Libéria para reforçar uma força de paz Oeste Africano.

Novembro de 2004 – União Europeia restaura parciais relações diplomáticas. Laços foram quebrados em 1993 sobre a violência e as deficiências democráticas.

Fevereiro de 2005 – Presidente Gnassingbe Eyadema morre, 69 anos. O militar aponta seu filho Faure como presidente, em um movimento condenado como um golpe. Sob pressão internacional Faure está baixo e compromete-se a realizar eleições presidenciais.

Faure Gnassingbe eleito

Abril de 2005 – Faure Gnassingbe vence as eleições presidenciais que a oposição condena como fraudada. A votação é seguido de violência nas ruas mortal entre torcedores rivais. A ONU estima que mais tarde 400-500 pessoas foram mortas.

Junho de 2005 – Presidente Gnassingbe oposição nomes do Edem Kodjo como primeiro-ministro.

Abril de 2006 – As negociações de reconciliação entre governo e oposição currículo. O diálogo foi abandonado após a morte Gnassingbe Eyadema em 2005.

De agosto de 2006 – Governo e oposição assinam um acordo que prevê a participação dos partidos de oposição em um governo de transição.

Setembro de 2006 – Yawovi Agboyibo, líder veterano do Comitê oposição de Ação para a Renovação, é nomeado primeiro-ministro e encarregado de formar um governo de unidade e organização de pesquisas.

Fevereiro de 2007 – oposição exilado líder Gilchrist Olympio regressa a casa brevemente.

Outubro de 2007 – Rally Acórdão do Partido do Povo do Togo vence eleição parlamentar. Os observadores internacionais declarar a eleições livres e justas.

Novembro de 2007 – A União Europeia restaura a cooperação econômica cheia após uma suspensão de 14 anos, citando sucesso do Togo eleições multi-partidárias.

De dezembro de 2007 – Reunião do Povo Togolês Komlan Mally nomeado primeiro-ministro

De setembro de 2008 – O ex-oficial da ONU Gilbert Houngbo nomeado primeiro-ministro com o apoio de governar Rally do Povo togolês.

Abril de 2009 – Presidente Gnassingbe o meio-irmão e ex-ministro da Defesa, Kpatcha Gnassingbe e vários oficiais do exército são presos em conexão com uma alegada tentativa de golpe contra o presidente.

Junho de 2009 – Togo abole pena de morte.

De janeiro de 2010 – Togo abandona Campeonato Africano das Nações torneio de futebol em Angola, depois de um ataque em seu ônibus da equipe mata dois funcionários.

Gnassingbe reeleito

Março de 2010 – Presidente Gnassingbe declarado vencedor das eleições presidenciais. A União da oposição das Forças para a Mudança alega fraude generalizada e se recusa a reconhecer o resultado.

2010 Maio – O veterano líder da oposição, Gilchrist Olympio concorda acordo de partilha de poder com a decisão de dividir partido, sua União das Forças de Mudança (UFC).

2011 Março – Polícia quebrar protestos contra a legislação prevista que venha a restringir manifestações de rua.

2011 Setembro – meio-irmão do presidente Gnassingbé Kpatcha condenado à prisão por conspirar para derrubá-lo.

International Maritime Bureau preocupação vozes sobre o aumento da violência praticada por piratas na costa Oeste Africano.

2012 Junho – Confrontos como os manifestantes se reúnem em Lomé para protestar contra as reformas no código eleitoral que eles dizem a favor do partido no poder.

Fonte:  www.afrique-planete.com/news.bbc.co.uk

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.