Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Comores

Comores

PUBLICIDADE

Ao longo dos séculos, as ilhas Comores foram invadidas por uma sucessão de diversos grupos da costa da África, no Golfo Pérsico, Indonésia e Madagascar.

Os Português exploradores visitaram o arquipélago em 1505.

Os “Shirazi”, migrantes árabes, introduziram o Islã em aproximadamente ao mesmo tempo.

Comores

Entre 1841 e 1912, a França estabeleceu o domínio colonial sobre Grande Comore, Anjouan, Mayotte, e Moheli e colocaram as ilhas sob a administração do governador-geral de Madagascar.

Mais tarde, colonos franceses, franco-empresas públicas e ricos mercadores árabes estabeleceram uma economia de plantação baseada que usava cerca de um terço da terra para as culturas de exportação.

Após a Segunda Guerra Mundial, as ilhas se tornaram um território ultramarino francês e foram representados na Assembleia Nacional da França.

A autonomia política interna foi concedida em 1961.

Foi firmado um acordo com a França em 1973 para Comores se tornar independente, em 1978.

Em 6 de julho de 1975, no entanto, o parlamento das Comores passou uma resolução declarando a independência unilateral. Os deputados de Mayotte se abstiveram. Como resultado, o Governo das Comores, teve apenas um controle efetivo sobre Grande Comore, Anjouan e Moheli.

Mayotte permaneceu sob administração francesa.

Fonte: www.colegiosaofrancisco.com.br

Comores

COMORES, GRATA SURPRESA

Comores, entre a ponta norte de Madagascar e da África continental, é uma das grandes surpresas que o sul oferece ao viajante. Ignorada de momento pelo turismo, Comoras propõe ao visitante pitorescos povoados árabes, belas paisagens, espetaculares praias virgens, e a amabilidade e hospitalidade de um povo ainda não contagiado pelo turismo massivo.

Alfândega e Documentação

Passaporte em vigor e imprescindível visto, que pode-se conseguir no momento da chegada e nas representações diplomáticas. Passagem de saída do país. Como no resto da região, o mais habitual é preencher um formulário de alfândegas enumerando o dinheiro e posses pessoais, incluindo câmaras, eletrônica e jóias. Na saída se mostra o formulário e preenche-se outro.

Clima

Clima tropical de temperaturas temperadas. As chuvas chegam em janeiro e os monções em novembro.

Equipamento de Viagem

Recomenda-se levar roupa de algodão e calçado confortável, capa de chuva, óculos de sol, chapéu, protetor solar e repelente contra os insetos.

Idioma

Os idiomas oficiais são o árabe e o francês.

Religião

A maioria da população é muçulmana.

Eletricidade

A corrente elétrica é de 220 voltios a 50 Hz.

Emergência, Saúde e Policiamento

É imprescindível a profiláxia antimalária e recomendável a vacina contra a febre amarela. Não se pode beber água da torneira nem comer alimentos sem cozinhar.

É aconselhável levar farmácia bem preparada com analgésicos, antiestamínicos, antidiarréicos, antibióticos, antisépticos, repelentes para insetos, loções calmantes contra picaduras ou alergias, tesoura, pinças, termômetro e seringas hipodêrmicas. É recomendável viajar com um seguro médico e de assistência.

Correios e Telefonia

O serviço de correios não é muito confiável, e as cartas para e desde o estrangeiro demoram semanas ou meses em chegar a seu destino. O serviço de telefones também não é seguro, e deve realizar as chamadas de escritórios de correios ou hotéis. As ligações internacionais se fazem através de operadora. Para chamar a Comoras deve marcar 00-269 mais o número do assinante.

Fotografia

É melhor trazer o material que vai utilizar, embora na capital se possa encontrar filmes, é comum estarem estragados pelo calor ou simplemente, fora de validade.

Por respeito, e para evitar problemas, peça sempre licença antes de fotografar às pessoas.

Horário Comercial

Em Comoras segue-se o calendário muçulmano, pelo que os escritórios fecham na sexta-feira, não no domingo. Os escritórios governamentais abrem das 8.00 às 14.00 horas e os negócios das 7 às 14 horas no verão e das 8 às 13 horas e das 16.00 às 18.30 horas no inverno.

Gorjetas

Não é comum deixar gorjetas em Comoras, embora alguns restaurantes somam automaticamente entre 10 e 15% à conta em conceito de serviço. Dar gorjeta vai contra o conceito islâmico da hospitalidade que a população professa, pelo que podem ofender-se, chegando a rejeitar ou devolver o dinheiro deixado.

Localização Geográfica

As quatro ilhas do arquipélago de Comoras são o cume da cordilheira de vulcões que se extende desde o estreito de Moçambique. O arquipélago se extende a uma distância de 300 quilômetros de norte a sul e cobre uma extensão de 2.236 quilômetros quadrados. As poucas planícies do país são vales interiores e não existem rios, só torrentes.

Flora e Fauna

A composição vulcânica da ilha não permite uma excessiva variedade de flora no solo da ilha, muito fértil por outro lado quanto à produção de tipos. Habitam na ilha algumas espécies interessantes de animais, como os morcegos de Livingstone ou uma espécie de mangosta que os nativos chamam makis.

História

As ilhas Comoras foram originalmente colonizadas por povoadores de origem polinésica em volta do século VI d C. Sucessivas ondas de mercadores árabes e indianos foram chegando ao arquipélago, que subsistia com o comércio de escravos e especiarias. Os portugueses não chegaram a reparar nelas durante suas viagens pela zona nos séculos XVI e XVII. Foram os franceses quem nos finais do XIX as conquistaram uma após a outra.

Após a Segunda Guerra Mundial, Comoras – até então governada desde Madagascar – passou a ser um território aparte, e em 1961 obteve autonomia interna.

Após um referendum sobre o tema em 1974, Comoras -menos a ilha de Mayotte, que preferiu seguir ligada a França- passou a ser a República Federal Islâmica de Comoras.

Em 1978, o governo ditatorial de Ali Soilih foi deposto por um grupo de mercenários contratados pelo antigo presidente Ahmed Abdallah e por um rico empresário comorano, ambos exilados em Paris. O regime de Abdallah, que declarou o estado uni-partidista, caiu em 1989 – tudo parece indicar que com ajuda de Bob Deanard, o mercenário que ajudou-lhe a conseguir o poder. Após umas eleições gerais, tomou a presidência Sahid Mohamed Djohar, que cometeu diversas reformas políticas e econômicas.

Na atualidade o país rege-se pela constituição vigente desde 1992. O presidente atual é Mohammed Taki, eleito em março de 1996 e como primeiro ministro Tadjidine bem Said.

Arte e Cultura

Entre as construcções mais interessantes das Comoras deve-se assinalar as que encontram-se no típico bairro árabe da capital. Uma visita recomendada é a do Museu do Centro Nacional de Documentação e Investigações Científicas.

Locais Turísticos

GRÃ COMORA: Grã Comora, conhecida como Ngazidja pelos nativos, é a maior das ilhas e, geologicamente, a mais jovem. Seu acidente geográfico mais importante é o monte Karthala, um vulcão ativo que se ergue 2.361 metros sobre o nível do mar. A costa da ilha é quase toda preta, formada pela lavra do vulcão.

MORONI: A parte central da capital das Comoras é uma antiga cidade árabe, cheia de becos e casas com pequenos jardins. Tem um dos melhores portos do país com um inconfundível ar mediterrâneo, com seus sólidos escolhos de rochas alojando o cais.

Merece a pena passear e perder-se pelas ruas do Bairro Árabe. No caso de perda, os nativos sempre estão dispostos a dar uma ajuda. Uma visita recomendada é a do Museu do Centro Nacional de Documentação e Investigações Científicas.

CHOMONI: Chomoni é a melhor praia da costa leste, pois encontra-se resguardada por uma pequena baia. É das preferidas dos locais, e nos finais de semana adquire um agradável ambiente festivo.

MONTE KARTHALA: É a maior cratera vulcânica do Oceano Índico, e sua última erupção teve lugar no ano de 1977. Pode-se escalar em um dia, mas é melhor faze-lo com mais tempo.

OUTRAS ILHAS

ANJOUAN: É topográficamente a mais variada das Comoras, com seus profundos vales e escarpadas costas. É a mais densamente povoda, e nela vivem umas 180.000 pessoas, aproximadamente. Suas principais praias são Moya e Mutsamudu, que é também uma pitoresca cidade, onde deve visitar a antiga Cidadela e o Palácio do Sultão.

MOHÉLI: É a mais selvagem e desabitada das ilhas, e está cheia de estações ideais para o montanhismo. Destaca-se o lago sulfuroso, de Dziani Boundouni, ao sudeste da ilha.

Mwali-Mdjini são os restos de uma cidade do século XI cujas formosas praias são hoje refúgio para tartarugas que vem aqui para botar seus ovos.

Gastronomia

A cozinha de Comoras é uma mistura de gastronomia indiana, árabe, francesa e africana. Uma comida normal inclui sempre alguma combinação de arroz e mandioca com carne de cabra ou peixe, temperados com especiarias da ilha como canela, pimentão, baunilha, noz moscada e cravo. Não deve esquecer-se dos deliciosos mariscos.

Bebidas

A lei muçulmana proibe o álcool, pelo que seu uso é muito limitado. A exceção é o trembo, uma destilação local do leite do coco e sucos de frutas. As bebidas alcólicas pode-se adquirir nos hotéis ou em algumas lojas ocidentais e chinesas. É conveniente beber água só se for engarrafada.

Compras

Pode-se adquirir lindas talhas em madeira, assim como essências de flores e tecidos de vistosas cores. Aconselhamos também adquirir cestaria, perfumes e peças de uma grande variedade de lembranças.

População e Costumes

Comoras tem uma população de 514.000 habitantes segundo censo de 1997. A maioria deles habitantes são muçulmanos. Etnicamente a maior parte dos comoranos são descendentes de escravos africanos que misturaram-se com colonizadores e comerciantes de origem árabe e persa.

Entretenimento

As formosas praias das Comoras são o lugar ideal para a prática de esportes náuticos. As ilhas possuem paisagens montanhosas onde é possível praticar o senderismo.

Festividades

Os feriados oficiais em Comoras incluem o 6 de Julho (Dia da Independência), 27 de Novembro e um número variável de festas muçulmanas variáveis dependendo do calendário lunar. Os feriados são o 1 de Janeiro, 16 de Março, 16 e 25 de Maio.

Transportes

Avião: O Aeroporto Internacional de Hahaya encontra-se a 20 quilômetros ao norte de Moroni. Existem vôos desde algumas cidades da Europa e da África, especialmente desde Madagascar e Johanesburgo.

Barco: Tem um serviço de transbordador entre Mahajanga (Madagascar) e Moroni uma vez por semana. O trajeto se faz em 25 horas aproximadamente. Por outro lado as comunicações marítimas nacionais são limitadas. Existe comunicação entre Moroni e Moheli, entre Moroni e Mutsamudu e entre Mamoudzou e Dzaoudzi (na ilha de Mayote).

Por terra: O transporte público na Comoras consiste basicamente em táxis coletivos. As rotas cobrem a maioria das povoações, e seu preço é bastante econômico.Pode-se alugar carros e motocicletas a preços bastante caros.

Fonte: www.rumbo.com.br

Comores

Capital: Moroni
Idioma: árabe, comorense e francês
Moeda: franco comorense
Clima: savana
Fuso horário (UTC): +3

Pontos turísticos

Moya: Localizada na ilha de Anjouan, esse pequeno vilarejo tem atmosfera remota e isolada. De frente a uma fantástica praia protegida por recifes, oferece uma das mais fantásticas experiências para o mergulho livre. Além disso, um colorido por-do-sol e uma culinária à base de frutos do mar, fecham o cenário paradisíaco.

Mayotte: Tipicamente de colonização francesa, são três ilhas procurada principalmente pelo anel de recife de corais, que privilegia a pesca, o mergulho e a navegação. Por ser um dos principais destinos do país, possui boa infraestrutura, embora bastante cara.

Chissioua Ouénéfou: Uma das áreas mais intocadas do país já foi uma colônia para leprosos. Possui praias arenosas onde é possível observar tartarugas verdes, além da fauna e flora local.

Fonte: www.geomade.com.br

Comores

As Comores (por vezes também se verifica a grafia anglicizada Comoros) são uma república federal insular, que compreende três das quatro ilhas principais do Arquipélago das Comores, entre a costa oriental de África e Madagáscar.

O país é banhado a norte pelo Oceano Índico e a sul pelo Canal de Moçambique, sendo os seus vizinhos mais próximos a possessão francesa de Mayotte a sueste, Moçambique a oeste e as Seychelles a nordeste. Compreende as Ilhas Grande Comore, Moheli e Anjouan.

Capital: Moroni.

Moroni é a maior cidade das Comores e, desde 1962, a sua capital. Em 1990, a sua população era de cerca de 23.400 habitantes. Está localizada na costa ocidental da ilha Grande Comore, nas coordenadas 11°45’S 43°12’E .

Moroni é servida pelo Aeroporto Internacional Moroni Hahaya (código IATA: HAH). Possui igualmente um porto, com ligações regulares ao continente africano e às outras ilhas do arquipélago das Comores, bem como a Madagáscar e a outras ilhas do Oceano Índico.

Fonte: www.souturista.com.br

Comores

Comores é formado por três das quatro ilhas de um arquipélago situado no canal de Moçambique, entre o continente africano e a ilha de Madagáscar, no oceano Índico.

As ilhas são a ponta de uma cadeia montanhosa vulcânica submersa. A maioria da população é muçulmana, composta de mestiços, indianos, suaíles, malgaxes, árabes e franceses.

O país importa mais da metade dos alimentos que consome e depende de ajuda internacional, sobretudo da França. Os principais setores da economia são o turismo e a exportação de baunilha, cravo-da-índia e de essências para perfume.

Comores torna-se independente da França na década de 70, salvo a ilha Mayotte, que decide em plebiscito manter-se colônia. Nos últimos anos, as ilhas de Mwali e Nzwani realizam fortes movimentos separatistas.

Fatos Históricos

A França ocupa Comores na primeira metade do século XIX. Antes associado a Madagáscar, o arquipélago torna-se território ultramarino francês em 1947.

Em julho de 1975, a independência abre um período de instabilidade. Do processo de luta interna participam mercenários europeus comandados pelo francês Bob Denard.

Em 1978, Denard e seus homens dão um golpe de Estado em nome do ex-presidente exilado Ahmed Abdallah, que retorna e institui a República Federal Islâmica de Comores.

Abdallah fica no poder até 1989, quando é assassinado por sua guarda pessoal, sob o comando de Denard. O presidente da Suprema Corte, Said Mohammed Djohar, assume interinamente.

A França pressiona para que Denard saia do país e envia uma força naval ao arquipélago. Denard e seu grupo se exilam na África do Sul. Em 1990, Djohar é eleito primeiro-ministro.

Denard e outros 30 mercenários retornam a Comores em 1995, depõem Djohar e, com ajuda de soldados das Forças Armadas comorenses, criam um Comitê Militar de Transição comandado por seus colaboradores.

Os franceses intervêm, Bob Denard é preso e levado a julgamento na França. As eleições presidenciais de março de 1996 são vencidas por Mohammed Taki, da coalizão União Nacional pelo Desenvolvimento (RND), defensora dos valores islâmicos.

Em outubro, Taki faz aprovar em plebiscito uma nova Constituição, restringindo os direitos políticos e aumentando o poder presidencial.

As eleições parlamentares de dezembro, boicotadas pela oposição, registram uma vitória contundente da RND: 36 deputados eleitos, num total de 43.

Movimentos separatistas

Os movimentos separatistas ganham força. Em agosto de 1997, a ilha de Nzwani declara-se separada de Comores. Dias depois, secessionistas de Mwali fazem o mesmo, estabelecendo um governo local. Iniciam-se esforços de mediação conduzidos pela Organização da Unidade Africana (OUA).

Em meio às negociações, em setembro, 300 soldados enviados pelo governo central atacam Nzwani. Os separatistas enfrentam e derrotam as tropas.

Um governo local é autoproclamado, tendo à frente Abdallah Ibrahim.

A derrota abre uma crise: Taki decreta estado de emergência, assume poderes absolutos e demite o gabinete do primeiro-ministro Ahmed Abdou.

Em dezembro, forma um novo governo, indicando como primeiro-ministro Nourdine Bourhane, político ligado a Nzwani. Uma conferência em Adis-Abeba, Etiópia, é realizada entre representantes de Comores e dos dois governos locais, sem resultado.

Em maio de 1998, após manifestações contra o governo em Moroni, a capital, Taki demite Bourhane, acusando-o de incompetência.

Ibrahim realiza dois referendos, em outubro de 1997 e em fevereiro de 1998, sobre a autonomia e a nova Constituição da ilha de Nzwani, ambos aprovados por 99% dos eleitores.

Os governos de Mwali e Nzwani não são reconhecidos internacionalmente. Em novembro, o presidente Taki morre e é substituído interinamente por Tadjidine Ben Said Massonde, que nomeia Abbas Djoussouf como primeiro- ministro.

Fonte: www.mulheresnegras.org

Comores

Nome oficial: União das Comores
Área: fevereiro 1701 km²
População: 731 7751 hab.
Principais cidades: Moroni
Línguas oficiais: árabe, shikomor (Comores), francês
Moeda: Franco comorense
Dia Nacional: 06 de julho – independência em 1975

História

A história do povoamento é desconhecida. Comores foram primeiramente habitada por populações mestiças de africanos e indonésios, eles introduziram a canoa, a queima de arroz e cultivo de coco e banana desenvolvidas.

A parte inferior do suporte, no entanto composto de sujeito Bantu e islamizada pela minoria árabe veio do século X ao século XVI, no sul da Arábia e Zanzibar. Estes “nobre” criado pequenas cidades costeiras, escravos cultivado seus campos, enquanto alguns dos primeiros habitantes se refugiaram nas Highlands.

Unificada Anjouan e Moili poder estava na Grande Comore, divididos entre 12 sultanatos constantemente em conflito. No século XVI, o Português assumiu o controle temporário das Comores.

No século XVII, os navegantes europeus rota para a Índia, desenvolveu o hábito de chamar Comores. No século XIX, estabeleceu-se em Madagascar Moili. Aventureiros em todos os lugares europeus monopolizada grande parte da terra, as exigências dos agricultores de tumultos.

França foi forçada a intervir, mas ela não colocou em causa a expropriação de terras. Em 1841, os franceses tomaram o controle do arquipélago em 1843 um tratado formalizou a anexação das possessões francesas de Mayotte, no Oceano Índico. De 1865 a 1886, a França estabeleceu um protetorado sobre as ilhas.

Plantas perfume plantadores (jasmim, ylang-ylang) teve quase metade de Grande Comore, Anjouan 40%, Moili 20%. Gradualmente, muitas terras foram transferidos. Em 1946, o arquipélago poderia enviar deputados ao Parlamento francês.

Após o referendo de 1958, o estatuto de território ultramarino foi escolhido. O nacionalismo se manifestou em 1972 e, na verdade, levou à organização de um referendo em 22 de dezembro de 1974, que ganhou 95% de “sim” em todo o arquipélago, com exceção de Mayotte, onde “não “prevaleceu.

Com grande dificuldade, Mayotte tornou-se parte da França, tornou-se uma autoridade local. 6 de julho de 1975, Ahmed Abdallah, grande comerciante Anjouan declarou a independência unilateral das Comores e dia 8, foi eleito presidente.

Comores passou por uma sucessão de regimes e golpes, em que mercenários franceses foram os mais desempenhado um papel essencial reversão “pai da independência”, o Presidente Ahmed Abdallah, em agosto de 1975 em 1978, derrubada de seu sucessor, o presidente Ali Soilih por um golpe apoiado por mercenários Ahmed Abdallah franceses e África do Sul; assassinato de Ahmed Abdallah em 1989.

As eleições gerais deu então chefe de Estado, Mohamed Said Djohar (ou Johary), mas era velho e versátil, teve que deixar o cargo em setembro de 1995, após uma nova invasão da ilha por mercenários franceses.

Em 1992, uma nova Constituição foi aprovada por referendo. Em setembro de 1995, o francês mercenário “Bob” Denard tentou um golpe de Estado que foi frustrado pelo exército francês.

Em março de 1996, Mohamed Taki Abdulkarim tornou-se presidente da República em um clima de incerteza política. Atravessa uma grave crise econômica, Anjouan e proclamou unilateralmente Moili separar da República Federal das Comores em Agosto de 1997 e pediu a sua ligação para a França.

Em maio de 1998, o Presidente Sr. Taki enfrentou o descontentamento geral e procedeu-se à demissão do primeiro-ministro Nourdine Bourhane, ea formação de um novo governo.

A morte súbita do Presidente em novembro trouxe Tadjidine bin Said poder Massounde. Responsável pelo interino até as próximas eleições presidenciais, ele havia sido nomeado primeiro-ministro em 1996 e presidente do Conselho Superior da República de Comores, Sr. Taki.

Em um esforço de reconciliação, o Chefe de Estado confiou a liderança do governo de unidade nacional, representante da oposição, Abbas Djoussouf.

Anjouan recusa separatistas para voltar antes da próxima eleição, as negociações sobre a criação de uma União conceder ampla autonomia para as três ilhas do arquipélago das Comores, a agitação social causada pela crise econômica e, finalmente, o surgimento de rivalidade no poder, foram seguidos até o final de 1998, novos confrontos entre milícias rivais em Anjouan e uma tentativa de golpe contra o Presidente auto-proclamado, Abdullah Ibrahim.

No entanto, a intervenção de um mediador e exército francês chegou em Grande Comore, permitiu a assinatura de um cessar-fogo e um retorno à calma relativa.

Em abril de 1999, o Chefe do Estado Maior, coronel Azali Hassoumani, derrubou o presidente Massonde e prosseguiu com a dissolução das instituições eleitas, antes de anunciar a formação, sob sua presidência, um executivo composto principalmente de civis em que sentido ele apontou Blanrifi Tarmidi.

No final do ano, para uma tentativa de mediação para resolver a crise das Comores foi iniciada pela OUA, com o apoio da França. O regime não foi reconhecida pela comunidade internacional.

Em fevereiro de 2001, as duas ilhas separatistas assinaram um acordo com a Grande Comore para a criação de uma nova entidade que daria mais autonomia para cada um deles.

Este acordo não significa, porém, evitou a queda do principal autoridade em Anjouan, tenente-coronel Abeid, derrubado em agosto, durante um golpe militar, após o que um triunvirato foi estabelecido, indicando a sua vontade continuar a implementação do processo de reunificação.

Após a renúncia, em janeiro de 2002, o presidente Hassoumani, registrados no processo eleitoral sob a nova Constituição, para dar ao país uma nova estrutura federal, Comores, compreendendo Grande Comore, Anjouan e Moheli de novas eleições foram chamados em abril.

Hassoumani foi reeleito com quase 75% dos votos, mas a eleição, que foi boicotada por dois dos três candidatos, foi invalidada pela comissão eleitoral.

Geografia

Nação-ilha no Oceano Índico, ao sul do continente, na entrada do Canal de Moçambique, até à fronteira entre a Tanzânia e Moçambique .

A República Federal Islâmica das Comores (1860 km2) é constituído por três ilhas principais de origem vulcânica Ngazidja ou Grande Comore, Ndzouani (Anjouan) e Moili (Mohéli). Ngazidja ainda um vulcão ativo, Karthala (2.361 m). O solo é muito fértil, mas frágil.

Moili, Anjouan e Grande Comore são desigualmente desenvolvido, de acordo com a idade de início entre o Mioceno eo Quaternário. Moili consiste de um planalto basaltos tufos cobertas; Anjouan (1595 m no ponto mais alto) é um maciço escavado com picos agudos.

Grande Comore tem vulcanismo ativo e, devido à permeabilidade das basaltos jovens, a falta de água de superfície. Comores, o clima úmido tropical, são varridos pelos ventos alísios do sudeste e noroeste da monção, a estação quente e úmida dura de novembro a maio A temporada relativamente fria e seca vai de maio a outubro.

A chuva é abundante em toda parte, mantendo o ritmo tropical (verão austral de chuva), cabe a 2,600 milímetro Moroni (Grande Comore), 2,100 milímetros de água Mutsamudu (Anjouan), mas os climas variam exposição ao vento e altitude.

A recente ilhas vulcânicas são estes a qualidade do solo, mas a erosão é importante em Anjouan.

Economia

Embora a agricultura é o único recurso (plantas perfume), o déficit da balança agrícola (6,8% do PIB). Plantações coloniais de plantas aromáticas foram retransmitidas pela produção camponesa, mas coco, cravo e baunilha são evitados pelos mercados internacionais.

Comores, especialmente enquanto vivem perto da costa, uma prática pequena agricultura de subsistência (roça de arroz, milho, leguminosas e tubérculos) nos “altos” penhascos, onde também criar gado.

O país sobrevive apenas graças à ajuda internacional e de cada vez mais relutantes às transferências de diáspora importante em Madagascar, Reunião e França. Mais de metade dos alimentos devem ser importados.

A atividade industrial está limitada a embalagens de baunilha secagem copra, e destilação de óleos essenciais. As exportações são menos do que as importações. Turismo prevê alguns cambial. A rede de estradas é de 750 km (354 km de asfalto).

O aeroporto principal: Habaya (perto Moroni). Os principais portos são Mutsamudu e Moroni.

Fonte: www.afrique-planete.com

Comores

arquipélago das Comores marca onde o Oceano Índico se transforma em canal de Moçambique. A incerteza de sua identidade geográfica (que é parte do oceano ou parte do canal).

É um exemplo dos problemas do grupo ilha com instabilidade.

Quando em 1960 Comores alcançou a independência de colonial governante França, Mayotte (uma das arquipélago quatro ilhas) optou por manter a sua lealdade francês, um movimento que dividiu o grupo de ilhas, mas concedeu Mayotte um futuro muito mais favorável do que a Comores recém-formado República foi a experiência. Coups páginas de história freqüentes das Comores.

Comores
Villa de Leyva

Talvez seja esta instabilidade que tem freado o crescimento das Comores turismo. Em qualquer caso, as Comores não gozam da popularidade de destinos ilha próxima. Mas se você pode lidar com a situação política, as ilhas oferecem realmente um feriado fantástico. Espere o habitual recolha de praias brilhantes, pôr do sol deslumbrante e florestas com imagens perfeitas e rios.

Breve História

As ilhas de Comores tornou-se povoada por uma sucessão de diversos grupos da costa da África, no Golfo Pérsico, O Arquipélago Malaio, e Madagáscar.

Colonos suaíli primeiro atingiu as ilhas como parte da expansão Bantu maior do que ocorreu na África durante todo o primeiro milênio dC. Mercadores árabes primeiro trouxe influência islâmica árabe para as ilhas.

Um fato mais provável é que os árabes trocados por escravos na África, o aumento da propagação e domínio da cultura árabe. Como sua religião ganhou espera, grandes mesquitas foram construídas.

No século XIX, a influência da língua árabe sunita persas de Shiraz , Irã , dominado as ilhas. O Shirazi negociados ao longo das costas da África Oriental, e do Oriente Médio , estabelecendo assentamentos e colônias no arquipélago.

Português exploradores primeiro visitou o arquipélago em 1505. Em 1793, os guerreiros malgaxes de Madagascar começou a invadir as ilhas para os escravos, e mais tarde se estabeleceram e assumiu o controle em muitos locais.

França estabelecido pela primeira vez o domínio colonial nas Comores em 1841. Comores (Comores ou Les) foi feita oficialmente uma colônia francesa em 1912, e as ilhas foram colocados sob a administração do governador colonial francês geral de Madagascar em 1914.

Foi firmado um acordo com a França em 1973 para Comores a se tornar independente, em 1978. Os deputados de Mayotte se abstiveram. Referendos foram realizadas em todas as quatro ilhas.

Três votaram pela independência por grandes margens, enquanto Mayotte votaram contra e permanece sob administração francesa. Em 6 de julho de 1975, no entanto, o parlamento aprovou uma das Comores independência de resolução unilateral declarando.

Ahmed Abdallah proclamou a independência do Estado de Comores e tornou-se seu primeiro presidente. Os próximos 30 anos foram um período de turbulência política e desde a independência da França, Comores experimentou mais de 20 golpes ou tentativas de golpes.

Geografia

Regiões / Ilhas

Existem 4 grandes ilhas que constituem o Arquipélago Comores, bem como muitos ilhéus menores.

Estas são os quatro principais ilhas:

Ngazidja (Grande Comore)
Mwali (Mohéli)
Nzwani (Anjouan)
Mahoré (Mayotte) – formalmente parte das Comores, mas agora um território independente francesa.

Cidades

Moroni – a capital de Comores
Fomboni
Domoni
Mutsamudu
Tsémbéhou

Atrações Turísticas

Vulcão Karthala: Moroni é uma boa base para uma subida até o Vulcão Karthala (2.361 metros), que possui uma vista espetacular da cratera ainda ativa. Você pode olhar para dentro e ver a fumaça subindo. O vulcão entrou em erupção há pouco tempo, cerca de três anos atrás. Com a estrada de acesso e da subida, você deve permitir que várias horas para a escalada. Um início precoce é aconselhável. Tome bastante água e, talvez, alguma fruta com você.

Monte Ntingui: A subida dura e sono do Lac Dzialandzé até o cume normalmente coberto de nuvens de 1.595 metros alto Monte Ntingui é difícil, mas gratificante. Como é o ponto mais alto em Anjouan, em um raro dia claro, você terá uma vista deslumbrante sobre as quatro ilhas do arquipélago que compõe a Comores.

Bairro árabe: O Quater árabe é composta pelo bairro ao redor do porto e da Ancienne Mosquée de Vendredi (sexta-feira mesquita de idade). É uma medina, com ruas estreitas, cheias de prédios que remontam aos tempos suaíli. Muito se parece com a cidade melhor pedra conhecida na ilha de Zanzibar, embora seja muito menor. Ainda assim, é tão bom e vê viajantes longe poucos. Especialmente as portas entalhadas encontradas no suaíli muitas casas valem o passeio.

Clima

Comores têm uma clima quente e úmido, com algum alívio da saúde pelas brisas do oceano Índico.

As temperaturas são geralmente de cerca de 30 graus Celsius durante o dia, e ainda acima de 20 graus Celsius durante a noite.

Novembro a abril é um pouco mais quente, de maio a outubro, um pouco mais frio.

A chuva está presente durante todos os meses, mas é maior e mais intenso a partir de novembro a maio. Agosto / Outubro é o período mais seco e as temperaturas são muito bem também, tornando este o melhor momento para viajar Comores. Os furacões são possíveis a partir de dezembro a fevereiro, por isso o melhor é evitar esse tempo.

Fonte: www.travellerspoint.com

Comores

Nome completo: A União das Comores
População: 754.000 (ONU, 2011)
Capital: Moroni
Área: 1.862 km ² (719 milhas quadradas)
Principais idiomas: árabe, francês, Comores (uma mistura de suaíli e árabe)
Principal religião: o Islã
Expectativa de vida: 60 anos (homens), 63 anos (mulheres) (ONU)
Unidade monetária: 1 franco comorense = 100 cêntimos
Principais exportações: baunilha, cravo, óleo de perfume, copra
RNB per capita: EUA $ 770 (Banco Mundial, 2011)
Domínio da Internet:. Km
Código de discagem internacional: 269

Perfil

Potencialmente um paraíso de férias com imagem cartão-postal praias, as ilhas Comores estão tentando consolidar a estabilidade política em meio a tensões entre semi-autônomas ilhas e do governo central.

Uma história de violência política deixou Comores desesperadamente pobre. Às vezes, o país esteve à beira da desintegração.

As três ilhas do Oceano Índico ter experimentado mais de 20 golpes ou tentativas de golpes, começando apenas algumas semanas após a independência da França em 1975, quando o presidente Ahmed Abdallah foi derrubado em um golpe assistido pelo francês mercenário Bob Denard coronel. Coronel Denard destaque em poder várias lutas ao longo dos anos.

Para adicionar aos problemas do país, as ilhas de Anjouan e Moheli declarou a independência unilateral em um conflito violento em 1997.

Em um esforço para trazer as ilhas separatistas de volta ao redil, Moheli, Anjouan e da maior ilha, Grande Comore, foram concedidos uma maior autonomia sob uma constituição de 2001.

A União das Comores manteve o controle de segurança e questões financeiras.

O povo de Comores estão entre os mais pobres na África e são fortemente dependentes da ajuda externa.

Os recursos naturais são escassos e das ilhas principais exportações – baunilha, cravo e essência de perfume – são propensas a flutuações de preços. O dinheiro enviado para casa por estar Comorans no exterior é uma importante fonte de renda.

Os descendentes de comerciantes árabes, imigrantes malaios e os povos africanos contribuem para as ilhas “complexa mistura étnica.

História

Uma história de violência política deixou Comores desesperadamente pobre. Às vezes, o país esteve à beira da desintegração.

As três ilhas do Oceano Índico ter experimentado mais de 20 golpes ou tentativas de golpes, começando apenas algumas semanas após a independência da França em 1975, quando o presidente Ahmed Abdallah foi derrubado em um golpe assistido pelo francês mercenário Bob Denard coronel. Coronel Denard destaque em poder várias lutas ao longo dos anos.

Para adicionar aos problemas do país, as ilhas de Anjouan e Moheli declarou a independência unilateral em um conflito violento em 1997.

Em um esforço para trazer as ilhas separatistas de volta ao redil, Moheli, Anjouan e da maior ilha, Grande Comore, foram concedidos uma maior autonomia sob uma constituição de 2001.

A União das Comores manteve o controle de segurança e questões financeiras.

O povo de Comores estão entre os mais pobres na África e são fortemente dependentes da ajuda externa.

Os recursos naturais são escassos e das ilhas principais exportações – baunilha, cravo e essência de perfume – são propensas a flutuações de preços. O dinheiro enviado para casa por estar Comorans no exterior é uma importante fonte de renda.

Os descendentes de comerciantes árabes, imigrantes malaios e os povos africanos contribuem para as ilhas “complexa mistura étnica.

As ilhas Comores tem experimentado vários golpes desde que ganhou a indendência da França.

Política: Depois de golpes e lances de secessão, Comores ganhou alguma estabilidade sob uma constituição 2001 a concessão das ilhas de Grande Comore, Anjouan, Mohéli maior autonomia dentro de uma federação.

Economia: Comores é fortemente dependente de ajuda e as remessas da diáspora.

Internacional: A União Africano e África do Sul foram envolvidos em ajudar a estabilizar a Comores politicamente.

Uma cronologia dos principais eventos:

1527 – cartógrafo Português Diego Ribero retrata as ilhas Comores em um mapa europeu pela primeira vez.

1886 – Comores tornar-se um protetorado francês.

1912 – Comores formalmente se tornar uma colônia francesa administrado a partir de Madagáscar.

1942 – Forças britânicas invadem Comores e Madagáscar, derrubar o governo pró-Vichy e entregando os territórios ao governo da França Livre de Charles de Gaulle.

1947 – Comores tornou um território ultramarino da França e são dadas representação no parlamento francês.

1961 – Comores dada autonomia.

Independência

1974 – Três das ilhas que compõem o voto Comores pela independência, mas a quarta ilha, Mayotte, vota para ficar com a França.

1975 Julho – Comores unilateralmente declara a independência, com Ahmed Abdallah como presidente.

Agosto de 1975 – Abdallah deposto em golpe assistida pelo francês mercenário Bob Denard coronel, e substituído por Prince Said Mohammed Jaffar.

1976 – Jaffar substituído por Ali Soilih, que tenta transformar o país em uma república secular e socialista.

1978 – Soilih derrubado e morto por mercenários liderados por Denard, que restaurar Abdallah ao poder.

1989 – Abdallah assassinado por guarda presidencial sob o comando de Denard, que encena golpe. Intervém França, Denard deixa ilhas.

1990 – Said Mohamed Djohar eleito presidente.

1995 – Djohar removido em uma tentativa de golpe liderada por Denard. As tropas francesas intervir, Denard se rende.

1996 – Mohamed Taki Abdulkarim presidente eleito, elabora um projeto de Constituição que estende a autoridade do presidente e estabelece o Islã como a base da lei.

Ameaça separatista

Agosto de 1997 – As ilhas de Anjouan e Moheli declarar a independência de Comores.

De setembro de 1997 – Tropas da ilha de Grande Comore terra em Anjouan para tentar evitar a sua secessão, mas são roteados.

1998 – O presidente Taki morre, aparentemente de ataque cardíaco, e é substituído por um presidente interino, Tadjidine Ben Said Massounde, até as eleições.

1999 Abril – Massounde assina um acordo de autonomia em Madagascar, mas os delegados de Anjouan e Moheli recusar a seguir o exemplo, dizendo que eles devem primeiro consultar os seus povos, assim, levando a manifestações violentas em Grande Comore contra pessoas de origem Anjouan.

1999 Abril – Massounde deposto em um golpe liderado pelo chefe do Estado-Maior Geral, coronel Azali Assoumani.

2001 Março – Azali Assoumani diz que o país vai voltar ao governo civil em 2002, depois de novas instituições de governo tinha sido criado. Ele também disse que não iria concorrer à eleição.

Agosto de 2001 – Uma “comissão militar” toma o poder na ilha separatista de Anjouan com o objetivo de reunir Comores.

Setembro de 2001 – Em Anjouan, uma aquisição dias de idade, por Ayouba Combo Maior é esmagado pelo Major Mohamad Bacar, que lidera o governo militar instituído em agosto.

Novembro de 2001 – Anjouan vê outra tentativa fracassada de golpe, desta vez pelo coronel disse Abeid, que é contra os esforços de reunificação Bacar.
Autonomia para as ilhas

De dezembro de 2001 – Os eleitores de volta uma nova Constituição que vai manter os três ilhas como um país, mas vai conceder a cada uma autonomia maior.

De abril de 2002 – O coronel Mohamed Bacar eleito líder de Anjouan e Mohamed Said Fazul líder eleito de Moheli. Azali Assoumani nomeado presidente da reunificada Comores.

Maio de 2002 – Mze Abdou Soule Elbak é eleito presidente da ilha Grande Comore, também a base de Azali Assoumani, o governador geral das Comores reunificada.

Fevereiro de 2003 – As forças de segurança dizem ter frustrado um plano de golpe contra o presidente Assoumani.

De dezembro de 2003 – Líderes de semi-autônomas ilhas chegar a um acordo de partilha de poder, abrindo caminho para as eleições

Março-Abril de 2004 – Local eleições para as assembleias dos três semi-autônomas ilhas. Apoiantes do Presidente Federal, Azali Assoumani, ganhar apenas 12 dos 55 assentos. As eleições são realizadas em abril por 33 membros da Assembleia Nacional – União de l’Assemblée.

2004 Junho-Julho –Nacional montagem é aberta. Presidente Assoumani Azali nomeia os membros do governo federal de primeira.

De janeiro de 2005 – Primeira visita à França por um líder Comores por 30 anos.

Abril de 2005 e Novembro – Karthala, um dos maiores do mundo, vulcões ativos, vomita cinzas sobre Grande Comore. Milhares de moradores fugir.

Maio de 2006 – clérigo muçulmano Ahmed Abdallah Mohamed Sambi, de Anjouan, ganha federais eleições presidenciais.

Impasse Anjouan

Maio de 2007 – A União Africano envia tropas para ajudar a manter a paz na eleições de Junho, depois de Anjouan presidente Mohamed Bacar se recusa a deixar o cargo.

Junho de 2007 – Anjouan realiza eleições locais em desafio do governo federal e da União Africano. Mohamed Bacar é empossado como presidente de Anjouan.

Outubro de 2007 – A União Africano impõe sanções viagem no Anjouan líder Mohamed Bacar e outros funcionários do governo e congela seus bens estrangeiros ao chamar novas eleições.

Novembro de 2007 – AU começa bloqueio naval da ilha Anjouan.

Março de 2008 – Comores e tropas da UA terra em Anjouan e recapturá-la. França assume renegado líder Mohamed Bacar em custódia.

2009 Março – A ilha de Mayotte votos para integrar plenamente com a França. O governo das Comores, que reivindica para a ilha, os termos do referendo nulos e sem efeito.

2009 Maio – Os eleitores em um referendo aprovar a extensão do mandato do Presidente de escritório. A extensão é oposição pela oposição e muitos moradores de Moheli.

Junho de 2009 – avião cai ao largo das Comores, matando todos, mas uma das 153 pessoas a bordo. Expatriados Comoran demonstrar na França após plano sugestões pode ter sido falha.

2009 Dezembro – partido do presidente Sambi ganha vitória esmagadora na eleição parlamentar.

Abril de 2010 – Soldados líbios ocupam dever da guarda presidencial como” treinadores”.

Junho de 2010 – Os líderes políticos, depois de algum atraso, acordar eleições calendário a partir de novembro, com as primárias para a presidência.

2010 Dezembro – Ikililou Dhoinine vence as eleições presidenciais, e assumir o cargo em maio de 2011.

Fonte: www.bbc.co.uk

Comores

Ngazidja

É a maior ilha do oeste do arquipélago e mais próximo do continente Africano.

É também o mais novo e maior das quatro ilhas com o seu 1148 km2. É dominada pelo vulcão Karthala, que se eleva a 2361m acima do nível do mar.

Este vulcão ativo é caracterizado por a maior cratera do mundo, com uma caldeira de grande 3-4 km de largura. As erupções mais recentes são os de Singani em 1977 e 1991. Este último é limitada na caldeira.

Visite:

Moroni, capital do arquipélago: a Medina com ruas estreitas, o velho mercado movimentado, em vez Badjanani para numerosas mesquitas, o palácio real, o porto dhow com seus muitos locais eO CNDRS Museu Nacional.

Itsandra cidade fundada no século 10, rico em monumento histórico na praça pública, o túmulo de Omar Ben Said Soumeith famoso Mufti, que morreu em 1976.

O NACC, o Centro Nacional de Artesanato, que tem por missão promover a Comores ofício. O museu boutique oferece aos visitantes uma visão geral das Comores ofício.

Ntsoudjini: cidade fundada no século 15, a capital do Sultanato de Itsandra. Visite as antigas muralhas testemunhado incursões de Madagascar no final do século 18.

Ntsaweni. o mausoléu do lendário Mohamed Issa, Mtswa Mouyidza. Este é o primeiro muçulmano a ser popularizado educação corânica em muitas partes da Grande Comore século 17 e para introduzir a circuncisão no arquipélago, túmulos antigos e portugaises.Enfin chiraziennes ao longo da parede com os buracos monitoramento e torre de vigia, que servia para proteger a cidade dos ataques malgaxe.

Mitsamihouli, com sua bela praia praias planeta, bela praia Maloudja alinhada com coqueiros, praia Galawa. E, finalmente, o buraco Profeta uma paisagem notável.

Cidade Mitsamihoul com a sua praça pública, arcade chirazien 1749 e 1751. Uma vez na mesma casa, é feita todas as decisões da cidade. Ele também dançou diridji o Sambe, uma bela mansão colonial cercada por um baobá magnífico.

Mais ao norte, você pode visitar a “natureza de trabalho três crateras”, estes três impressionantes crateras naturais que data do 18.

A cadeia de “dragão” ao longo do mar, Ivoini.

A cratera Batsa Mitsamihouli ou o Gou mvaliwa: é uma cratera muito profunda e ocupada por vegetação exuberante. Durante o período colonial, uma usina de cana-de-açúcar foi instalado e ele ainda está lá.

Bagwa Kouni: duas mesquitas lendários que datam em torno do 14 s Chioudra Mesquita, milagrosa, construído em uma noite e mesquita sexta-feira, túmulos chiraziennes ao lado do chioudra mesquita. Salt Lake, cratera cheia de água salgada e separada do mar por uma pequena cadeia de montanhas.

A grade maciça que sobe para 1.087 m de altitude: exuberante floresta magnífica, onde você pode ver muitos pássaros tropicais, incluindo Nigua ave endémica de Comores

Admire a misteriosa caverna Bahani capitão Dubois e mais ao norte, a Fábrica, site colonial antes de chegar ao Hantsogoma lago, situado a 950 m de altitude. A vegetação é exuberante e frutos em abundância.

Mbéni cidade fundada no 15 Inyéhélé s pelo sobrinho do sultão de Ntsoudjini, capital Hamahamet. Pode-se visitar a mesquita de sexta-feira velho eo Inyéhélé palácio construído pelo sultão de mesmo nome, “Os notáveis Bagwe.’

Pode-se visitar a Companhia com CVP destilarias ylang ylang, esta é a única indústria de confeitaria Comores, a loja de artesanato com amostras de extratos fragrância de petróleo e especiarias descobrir os diferentes aromas das ilhas.

Foumbouni, antiga capital do Sultanato de Badjini Pode-se visitar o Bagwe, a praça pública e do palácio real adjacente. Admire a “engoliu a salama”, este portal impressionante que passou antes de os jovens guerreiros ir para a guerra. Segundo a lenda, ela traz boa sorte e acima de tudo, sempre volta para o cofre aldeia.

Pode-se também visitar as muralhas que cercam a cidade, construída no início de Madagascar dura em 1798. As torres das muralhas estão mais próximos em relação aos outros.

Em 1887, estas paredes têm protegido o reino de Sultan Hashim, conquistada pelas tropas francesas.

Iconi cidade mais antiga e Ngazidja primeira capital.

Visitar o centro da cidade com as ruínas de antigos palácios.

O enterro cemitério Zawiya kadiriya com alguns túmulos estão decorados tigelas de porcelana da China.

Em vez Bichioni com seus palácios, túmulos e fortificações.

Fortaleza, local de um século de negociação Português 16a-17a.

As muralhas de Nguni, construído pelo sultão Soudjaouma Inkwaba após a primeira invasão malgaxe Iconi.

O famoso vulcão de Nguni tem vista para a cidade. Uma vez, enquanto os homens desafiaram os piratas malgaxes, o vulcão usadas como abrigos para mulheres, crianças e idosos.

Os homens derrotaram os préfèrants iconiennes e morte à escravidão, correu para o precipício.

Mitsoudje: madeira centro escultura. Artesãos produzem portas, armários e fácil de transportar objetos.

Cerca de plantações de ylang lang fazer esta uma região dos maiores produtores do país.

Anjouan

“Conhecido como o perfume Island.”

A ilha ocupa a 2 ª posição por antiguidade e é a mais montanhosa das quatro ilhas com forte erosão. Tem um terreno acidentado rica em encostas íngremes e vales estreitos.

Anjouan é dominada pelo lago Dzialandzé coroação Monte Ntrigui, culminando em 1595 m de altitude.

Anjouan Ilha excelência fragrância, com suas muitas plantas para perfume ylang-ylang, jasmim, manjericão, cravo, baunilha

Pode-se admirar as magníficas circos, vales mais bonitos e bacias do arquipélago, especialmente aqueles Bambao ou Patsi cerca de 500m. Monte Ntrigui é coroado pelo Dzialandzé lago.

Região Pomoni, zona mais verde da ilha, tem vários córregos que se originam do Lago Dzialandzé.

Pode-se admirar a lagoa, que oferece barcos Pomoni, e entrou em águas profundas, onde uma vez serviu como porto de escravos.

O sul da ilha de Anjouan é a mais turística. É a vertente sul do Monte Ntrigui, de Moya Foumbani.

Ele conta das praias mais bonitas da ilha Fauna e flora são ricas e diversificadas Pomoni: Plantas aquáticas e florestas onde as cordas são os morcegos Livingstone e lêmures.

Sultão Salim tinha dado Pomoni o primeiro cônsul britânico e plantador de Stanley, para a criação da sociedade colonial 1 de Anjouan.

Pode-se visitar as ruínas da primeira fábrica de açúcar e outros vestígios de construções coloniais.

Foumbani, uma cidade fundada no século 9, oferece uma bela praia de areia branca, com um porto natural que sediou a primeira chiraziens desembarcaram em Anjouan. Mesmo aqueles que construíram a mesquita Foumbani que data do século 15 e cujos restos ainda são visíveis.

Você pode visitar o Sima cidade antiga da ilha, floresta Bougwéni rica em flora e fauna endêmicas, especialmente os morcegos gigantes e lêmures.

Bimbini vila de pescadores, com a sua praia de areia vermelha e lagoa que se estende a vários quilômetros de Moheli. A ilha de sela está a uma curta distância da vila, na maré baixa.

Moya tem a estrutura hotel único na região. Ela tem vista para uma bela praia de areia branca.

Noumakélé região, o Sul-Oeste, que abriga a primeira indústria de laticínios Comores. Ela produz coalhada e manteiga pasteurizados.

A região tem dois sítios naturais: o penhasco e praia Ngomadjou Chiroroni.

Faixa Chiroroni é uma enorme praia de areia, provavelmente a mais bela estância balnear de Anjouan. É também um dos locais de mergulho mais bonitas do arquipélago.

É também um local histórico: o porto natural serviu como o primeiro pouso na região de chiraziens Noumakélé a 13 s. Foi também o porto de desembarque e embarque de produtos industriais da sociedade colonial de Noumakélé.

Hoje podemos ver os restos do sisal, planta enorme e impressionante, com suas máquinas de grandes dimensões utilizados para moer e processar a fibra de sisal, e também virar com seu motor a vapor que impulsionou a energia moinho .

Visite Djamoidzé, em vez de Trimba, dança ritual em honra de Djinns, que, dizem, são os antepassados dos anjouannais.

Domoni real cidade fundada no século 9, rica em monumentos históricos, o berço dos sultões primeiro de Anjouan até século 18 eo primeiro presidente independente de Comores.

Pode-se passear pela parte antiga da cidade, nas ruas estreitas da medina e admirar os antigos palácios principescos; Udjoumbé; Pangahari construído no 17 º s, a 18 ou 18 Dari Dari mwa s Toiyifa s; Mausoléu independência do pai, o presidente Ahmed Abdallah.

Vestígios coloniais: planta destilaria

Papanicolaou Range, praia de areia preta e rolo ocupado nos fins de semana.

Pode oferecer um spa de água Mjoumbi homens e mulheres muito apreciado porque a mistura das águas subterrâneas e água do mar cria cura.

Bambao: um palácio em um parque.

Este palácio foi construído no século 19 por Abdullah disse Mawana III, sultão de Anjouan, monarca iluminado, aberto ao progresso global, ele desenvolveu na região Bambao, uma plantação de cana-de-açúcar, construiu uma refinaria de diesel ylang ylang e jasmim, em seguida, erguido à beira do mar, do palácio e do parque.

Dzialandzé Lago, este lago cap Monte Ntrigui ponto mais alto da ilha, em 1595 m acima do nível do mar e sobe no centro geométrico da ilha. As águas do Lago Dzialandzé todas as correntes de alimentação e rios da ilha e são de especial a pureza.

A subida do Mont Ntrigui é de Mchacojou.

Visite Mutsamudu, uma cidade fundada no dia 15, a capital econômica, comercial, administrativa e militar da ilha.

Pode-se também visitar a medina, com ruas estreitas, com sua arquitetura árabe, a Mesquita sexta-feira Antigo e do palácio real que data do século 16.

A cidadela construído pelo sultão Abdullah I, no século 18 para proteger a cidade contra ataques saliências malgaxes com canhões embutidos nas paredes de defesa que apontam para o mar.

Mayotte

É o mais antigo geologicamente a ilha no arquipélago. Seu terreno é muito desgastada e seu pico mais alto, o Monte Benara de Grande Terre, sobe para 594 metros acima do nível do mar e é M’Tspéré planalto de 572 m. Mayotte é dissecado pela erosão e é composta por várias ilhas, a maior é a terra Pamandzi e Pequenas ou Mtsamboro.

Esta ilha é composto por várias ilhas que são separadas por dois lagoa principal: terra pequena 18 km2, Dzaoudzi capital, o capital das Comores para a Autonomia e capital interno Mayotte hoje.

Petite Terre, a capital de Mayotte, abriga o aeroporto ea maior parte da arquitetura do período colonial.

Antes do protetorado francês na ilha de Mayotte, em 1841, o sultão Salim II tinha já murada Terre Petite para proteger contra ataques de traficantes e mercenários Madagascar. Esta rocha foi o domínio dos sultões do século 18.

Quando, em 1841 Andrian Tsouli vendeu a ilha à França, as autoridades coloniais mudou sua administração para Dzaoudzi.

Dzaoudzi na cidade, é possível encontrar:

– Publicar construído em 1845;
– O Palácio do Governador, em Vantoux, que hoje abriite Prefeitura;
– O hospital capela atual;
– Costumes e os quartéis são também edifícios coloniais;
– Ziara do Pólo, site inclui as ruínas de uma antiga mesquita e chirazienne chiraziens vários túmulos é o lugar sagrado da memória muçulmana;

Petite Terre tem paisagens fantásticas:

– Flora exuberante
– Penhascos íngremes
– Praias abertas no oceano

etc …

Lago Dziani Dzaha, testemunho da intensa atividade vulcânica que deu à luz a pequena Terra. Esta cratera é agora ocupado pelo belo lago Dziani Dzaha.

O vigia é o culminar de Petite Terre, 210 m de altitude. Ele oferece um amplo panorama de toda a ilha, lagoa e uma boa parte da Grande Terre.
Moya praias e praias de tartarugas também são muito populares entre os visitantes.

Grande Terre é a maior das duas ilhas principais. É agora o centro do desenvolvimento de Mayotte. Mamoudzou, suas contas de capital para os visitantes sobre barcaças de desembarque. Esta barcaça sempre cheia e animada, serve como uma ponte entre a capital de Mayotte e Terre Grande.

Mohéli

“A ilha original” Mohéli porque a sua natureza ainda é original.

A menor das quatro ilhas com uma área de 211 km2. O ponto mais alto é o Monte Mze Koukoulé com a altitude 790m.

Este é o primeiro parque nacional nas Comores, um santuário da biodiversidade regional. Mohéli Marine Park foi criado em 1998 e inaugurado em abril de 2001, na Ilha Sul da Moheli. Abrange uma área de 404 km2 e se estende ao longo de 40 km de comprimento.

Verdadeiro Éden tropical, este parque é parte de um projeto para a conservação da biodiversidade e desenvolvimento sustentável, o que inclui grande parte da população.

Lugares para visitar

Os vestígios mais antigos são os de Moili Mdjini norte de Djoiézi. Eles vão voltar no início do milênio. Esta cidade foi destruída pela invasão do dia 19 de Madagascar.

A Fomboni, você pode visitar o Palácio Real Ramanateka disse Sultan Abderemane depois de sua conversão ao Islã. Pode também visitar o Palácio Real Djoumbé Fátima, palácio fortificado, cheio de armas guarda. Pode-se também admirar a residência Lambert colonial, que data do século 19.

O chalé Saint Antoine, localizado 697 m oeste da ilha, oferece uma vista panorâmica da cidade de Fomboni. A floresta exuberante em torno da casa abriga Linvigstone morcegos.

Lago Boudouni cratera vulcânica antiga, agora um Mundial Lago Heritage. Esta é uma das grandes maravilhas naturais do arquipélago. É um pequeno lago com águas sulfurosas onde nenhum peixe pode viver e quem teria virtudes terapêuticas.

Ilhotas Nioumachoua-Mohéli

As ilhas formam um belo Nioumachoua toda ecológica, mas estética e, portanto, têm o potencial científico e de lazer muito importante.

Localizado em frente à vila de Nioumachoua, eles representam uma única área ecológica e, provavelmente, um dos mais belos locais subaquáticos do Oceano Índico. Por causa de sua diversidade biológica, o local abriga o Mohéli Marine Park.

As nove ilhas espalhadas por uma área de 900 hectares, cada um rodeado por enormes praias populares por tartarugas durante a desova.

Existem a nível de bloco, os diferentes tipos de habitats, praias de areia de coral, areia vulcânica e seixos; manguezais na vegetação terrestre e franjas recifes de coral.

As ilhas Noumachoua estão situados em frente à aldeia de Noumachoua e desfrutar de sua presença no local para visitar as ilhas e acampar sob a guia de eco-guardas recifes, mergulho no mar e corais e observar o tartarugas em cavernas.

Fonte: www.tourisme.gouv.km

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+