Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Costa do Marfim  Voltar

Costa do Marfim

 

COSTA DO MARFIM, PARAÍSO AFRICANO

Costa do Marfim é um verdadeiro paraíso dentro do continente africano.

Suas maravilhosas praias, esplêndidas paisagens naturais com uma fauna e flora variada e espetacular a abrangir desde a savana arbórea cheia de leões, antílopes, elefantes, chimpanzés, hipopótamos anões, até os frondosos bosques equatoriais espalhados de árvores de mais de 20 metros de altitude, ou suas montanhas e rios, utilizados para o transporte de madeira.

Porém, a Costa do Marfim também é um conjunto de cidades de vanguarda surgindo entre a selva, descansando na beira dos rios ou frente o mar, sem esquecer sua encantadora população, mosaico de etnias que souberam desenvolver uma esmerada cultura conservando suas raízes tradicionais e convivendo em paz.

Todas estas coisas fazem da Costa do Marfim uma verdadeira maravilha africana que ninguém deve perder.

ALFÂNDEGA E DOCUMENTAÇÃO

Para entrar na Costa do Marfim precisa de passaporte em vigor, com validez mínima de 6 meses, imprescindível visto, que se pode conseguir nas representações diplomáticas e passagem de saída do país.

CLIMA

O clima é equatorial na zona sul com estações secas de dezembro a maio e de outubro a novembro. As chuvas são intensas o resto do ano, especialmente de maio a agosto e tropical na zona norte, com chuvas que fazem aparecimento de maio a outubro; o resto do ano se vive na estação seca. De dezembro a fevereiro sopra o Hamattan, vento do Saara que traz nuvens de areia que provocam a queda das temperaturas.

EQUIPAMENTOS DE VIAGEM

Recomenda-se levar roupa de algodão e calçado cômodo, capa de chuva, óculos de sol, chapéu, protetor solar e repelente contra insetos.

IDIOMA

O idioma oficial é o francês, também fala-se o iacuba, senufo, baulé, agni e diula, entre outras línguas étnicas.

RELIGIÃO

Predominam as religiões pagãs concentradas no animismo, totemismo e fetichismo. Também pratica-se o islamismo, o catolicismo e outras crenças cristãs.

ELETRICIDADE

A corrente elétrica é de 230 volts a 50 Hz.

MOEDA E CÂMBIO

A moeda oficial é o Franco Àfricano (XOF). Um franco centro-africano equivale a 100 centavos. Não há restrições de importação ou exportação de moeda. Pode-se trocar nos bancos e nos hotéis.

EMERGÊNCIA - SAÚDE - POLICIAMENTO

É obrigatória a vacina contra a febre amarela e muito recomendáveis a vacina contra o tifo e a profiláxia antimalária. Tem de ter cuidado em banhar-se em águas paradas, pois existe perigo de bilarciosis. Não se pode beber água da torneira nem comer alimentos sem cozinhar. É aconselhável levar farmácia bem preparada com aspirinas ou paracetamol, antiestamínicos, antidiarréicos, antibióticos, antisépticos, repelentes para insetos, loções calmantes contra picaduras ou alergias, tesoura, pinças, termômetro e, precisando, seringas hipodêrmicas. É recomendável um seguro médico. Para emergências médicas ou policiais deve pedir ajuda nas recepções dos hotéis ou no consulado ou embaixada mais próximos.

CORREIOS E TELEFONIA

A Costa do Marfim conta com um bom serviço de Correios, se pode enviar correspondências tanto nos escritórios de Correios como na maioria dos hotéis que costumam contar com esta prestação.

A rede de telefones também conta com um bom serviço, se pode falar das cabines públicas ou dos hotéis, embora cobrem um suplemento. Para chamar deve marcar 00-225 mais o número do assinante.

FOTOGRAFIA

Pode-se encontrar material fotográfico embora seja recomendável levá-lo desde o país de origem, pois os preços são mais caros na Costa do Marfim.

HORÁRIO COMERCIAL

Os mercados das cidades costumam abrir da manhã até a noite, direto.

GORJETAS

Como em muitos países da África, a gorjeta é bem recebida. Deixe gorjeta se ficar satisfeito com o serviço recebido.

TAXAS E IMPOSTOS

Existe uma taxa do aeroporto.

LOCALIZAÇÃO GEOGRÁFICA

A Costa do Marfim, situada na África Ocidental, concretamente no Golfo de Guiné, tem uma extensão de 332.463 quilômetros quadrados delimitados ao norte por Mali e Burkina Faso, ao oeste por Libéria e Guiné, ao leste por Gana e ao sul com o Oceano Atlântico.

O terreno é montanhoso no norte e na medida que vai-se aproximando à costa perde altitude constituindo-se em planícies muito erosionadas. A cordilheira principal serve de fronteira natural com Libéria e Guiné, com o Monte Nimba como máxima altitude - 1.752 metros. Também atingem-se altitudes de 1.200 metros no Maciço de Tonkui.

A zona costeira é arenosa e apresenta abundantes lagoas separadas do mar por estreitas línguas de areia. A entrada por mar ao país é dificultosa devido as ondas e bancos de areia.

A rede fluvial do país está composta pelos rios Cavally, Sassandra, Bandama e Komoê; embora não são navegaveis utilizam-se para o transporte de madeira.

A capital do país é Abidjam (Abiyán). Porém, a cidade de Yamoussouko está para ser a nova capital.

FLORA E FAUNA

A Costa do Marfim conta com duas zonas climáticas diferençadas fazendo com que seu território ofereça duas zonas paisagísticas diferentes muito formosas. No sul aparece a selva equatorial ocupando uns 300 quilômetros da costa, onde os bosques são espetaculares. Podem-se encontrar 130 espécies de árvores diferentes que atingem os 30 ou 40 metros de altitude e 125 espécies que atingem os 20 ou 25 metros, uma verdadeira maravilha. No norte, de clima tropical, aparece a savana arbórea e herbácea que vai desaparecendo aos poucos con a proximidade das montanhas.

A fauna do país é muito rica e variada: elefantes, crocodilos, búfalos, antílopes, leões, panteras, hienas, macacos, hipopótamos anões, que difícilmente pode-se encontrar em outros lugares, hipopótamos comuns, chimpanzés e uma grande variedade de aves que fazem da Costa do Marfim um verdadeiro édem ornitológico.

História

A Costa do Marfim foi independente até o século XVIII pois a exuberante vegetação do país não permitia a criação de grandes impérios. A população vivia dentro de clãs tribais autônomos e unicamente o norte conheceu a dominação de algum império saheliano ou dos Mossi.

Em 1635 comerciantes de Dieppe fundam algumas feitorias na costa do país, sendo a Costa do Marfim um dos primeiros países africanos aos que chegaram os franceses.

Em 1730 dois reinos africanos instalam-se neste território após separar-se dos Akan, situados no Gana: os Agni criam o reino de Sanwi no leste e os Baule no interior formam o reino de Indenié.

Em 1842 acontece a ocupação francesa levada por Boneët-Willaumez, quem chega a vários acordos com os chefes das tribos locais. Dez anos depois detona a primeira revolta, esmagada por Faidherbe; as viagens pelo interior nos anos seguintes de Binger e Marchand esclarecem que os habitantes da Costa do Marfim seguem sem ser dominados, como demonstra a resistência indígena organizada por Samory que esteve perto de acabar com a soberania francesa.

Em 1893 os franceses nomeam este território colônia francesa e batiçam-o com o atual nome: Cote d´Ivore (Costa do Marfim). A colonização permitiu um grupo de nativos virarem grandes proprietários o que propiciou que a emancipação do país fosse realizada moderadamente.

Em 1957 Félix Houphouët-Boigny cria a União Democrática Àfricana, o primeiro partido político totalmente africano. Um ano depois a Costa do Marfim passa a ser uma república autônoma dentro da Comunidade Francesa e o 7 de agosto de 1960 consegue sua independência, sendo nomeado presidente Houphouët-Boigny cuja política baseaba-se no no-racismo, o capitalismo e a no-ingerência da antiga União Soviética nos países africanos.

Em 25 de novembro de 1990 celebram-se as primeiras eleições multi-partidárias parlamentárias e a União Democrática Africana obtém a vitória sendo nomeado Chefe do Governo Alassane Outtara. Em dezembro de 1993 é nomeado presidente da República Henri Konam Bédié, presidencia que extende-se até a data. O primeiro ministro de governo é Daniel Kablam Duncan, designado como tal no ano de 1993.

Arte e Cultura

A Costa do Marfim conta com excelentes mostras artísticas desenvolvidas por diferentes grupos étnicos unidos em várias sociedades culturais. A mais conhecida apesar de ser segreda é a sociedade artística "Poro" que embora não facilite nenhuma informação sobre seus membros, mantem uma importante atividade à favor do desenvolvimento artístico neste país.

Outro círculo cultural conhecido é o formado pelas etnias Danou Yacouba e Ngueré, que têm como mostras fundamentais as máscaras ovaladas tradicionais dos Dam e as realizadas pelos Ngueré mais expressionistas com formas grotescas.

Os Bete são famosos pelas estatuinhas de madeira cuidadosamente talhadas a mão, muito formosas. Os Baulé têm como principais objetos artesanais as máscaras realizadas em madeiras nobres e suas estátuas representando seus antepassados, pelo que tem um significado próximo ao misticismo. Os Senufo dão um especial sentido a suas máscaras, pois dependendo de sua forma e representação significam uma passagem da pessoa à outra etapa da vida, tipo uma porta.

Além destas representações características dos povos em tudo do país pode-se encontrar nos objetos, adornos e jóias em marfim belamente trabalhados, sem esquecer a formosa cerâmica de Katyola.

LOCAIS TURÍSTICOS

A Costa do Marfim conta com paisagens e lugares bem diferenciados no seu território. O norte montanhoso com cidades como Odienne, Korhogo e o Parque Nacional da Komoe deixa passo à savana arbórea com localidades como Man, Daloa e Yamoussoukro até chegar à costa com Abidjan, a capital e Grand Bassam.

A COSTA SUL

O sul carateriza-se pelas praias (ao longo de 550 quilômetros de costa), o clima, vegetação tropical e edificios coloniais.

ABIDJAN (ABIYAN)

Abidjan, a capital do país, conta com uma animada vida comercial que mistura-se acertadamente com uma exuberante vegetação e arquitetura moderna unida a outra tradicional africana. Com uma enorme lagoa, esta cidade é também chamada a "Pérola das Lagoas".

Está dividida em cinco áreas: Plateau, Treichville, Marcory, Adjamé, Cocody.

Plateau é o centro econômico e comercial da cidade e também a zona mais moderna. Estas caraterísticas podem ser admiradas nos numerosos edificios públicos situados neste bairro como o Centro Artesanal, onde pode-se adquirir objetos tradicionais a bons preços, ou o Museu Etnológico com uma coleção de mais de 20.000 peças de toda a África Ocidental.

Treichville oferece como principais lugares de interesse as Igrejas de Santa Joana de Arco e Nossa Senhora Maria, as Mesquitas de Peul, Diola e Tuculer e seu animado e barulhento Mercado onde pode-se encontrar qualquer objeto.

Adjamé é famosa pelo encantador mercado, enquanto que Cocody é conhecida pela formosa baia onde encontra-se um atrativo complexo turístico-esportivo.

São interessantes também a Ilha de Boulay com seus bosques classificados e formosa praia; o Jardim Zoológico onde pode-se contemplar mais de 300 espécies diferentes de animais; o Museu Nacional, a Catedral de São Paulo e Abobo-Doumé.

Os Arredores de Abidjan

Nos arredores de Abidjam merecem uma visita Bingerville, a antiga capital com sua escola de arte africana e seu formoso Jardim Botânico; Dabou e Grand Lahu com suas plantações de bananeira, abacaxi, café e cacau rodeadas por frondosos bosques; e Tiegba, uma curiosa aldeia, onde podem-se admirar as casas sobre suportes de madeira a deslizar-se pela lagoa.

GRAND-BASSAM

Grand-Bassam, é a antiga capital do país. Conta com magníficas praias rodeadas de palmeiras, e antigos edificios da época colonial. Entre os lugares que vale a pena visitar encontram-se o Palácio do Governador onde pode-se contemplar uma excelente mostra da arte e cultura africanas, o Centro da Cerâmica e Centro Artesanal, os dois situados na cidade antiga, e a Lagoa de Assinie, pela que pode-se navegar de bote.

ASSINE

Aqui encontram-se as melhores praias da zona leste do país. Pode-se alugar canoas e percorrer a zona a bordo destas típicas embarcações. Esta é a última localidade importante antes do Gana.

DABOU

Para o oeste da capital extendem-se também a costa e as praias, junto com algumas cidades onde parar. Dabou encontra-se a pouco menos de 50 quilômetros da capital e é um bom lugar para explorar a zona. Dali a seguinte parada a fazer na rota para o oeste é a formosa localidade de Tiégba, em uma lagoa. Podem-se alugar canoas e percorrer o Lago Ébrié.

JACQUEVILLE

Do outro lado da lagoa, têm praias de palmeiras e vestígios da época colonial e o antigo centro do comércio de escravos.

GRAND - LAOU

Grand-Laou é uma localidade situada na desembocadura do rio Bandama e um bom ponto de referência para visitar o Parque Nacional de Assagny. Nele podem-se ver elefantes e aves diversas em uma paisagem cheia de exuberante vegetação. Porém, preferendo a praia este é um lugar perfeito, sobretudo para praticar surf, pois aqui encontram-se as maiores ondas da costa.

SASSANDRA

Sassandra, é um porto madereiro de grande importância com formosas praias onde praticar diversos esportes náuticos.

SÃO PEDRO

É o segundo porto em importância do país e um lugar muito animado, sobretudo o centro da cidade. Bons restaurantes, hotéis, bancos, casa de câmbio e todo o necessário para continuar caminho para o oeste.

GRAND-BÉBÉRY

Esta fantástica localidade pesqueira conta com praias muito boas onde as águas do mar entram calmadas à baia ou se tornam selvagems do outro lado, onde pode-se praticar surf. Daqui pode-se chegar ao Parque Nacional Taì.

TABOU

Já quase na fronteira com Libéria, Tabou é a última parada da costa oeste. Como todas as localidades costeiras goza de formosas praias e de um espírito de aldeia pesqueira encantador.

INDENIÉ: O REINO AGNI

Indenie, o País Agni, está situado no meio da selva tropical. Multidão de lendas, contam os fatos deste reino através dos "griots", poetas, músicos e feticeiros.

Em Abenguru a capital, pode-se contemplar o Trono de Ouro, símbolo da Dinastia Agni, cuja população é conhecida pela magnífica ourivesaria realizada neste metal. Também é interessante Zaranu, antiga capital do reino, onde pode-se desfrutar com as danças agni bailadas por mulheres cujo fim é atrair à chuva. Na cidade se pode visitar o Museu Agni com uma estupenda coleção de objetos mostrando a evolução desta etnia.

Os artesões agnis são especialistas na tapeçaria, o trabalho do tecido e as estatuetas e objetos de bronze à cera perdida.

O CENTRO DO PAÍS

GAGNOA

Está rodeado de plantações de cacau e é um bom ponto para fazer um alto no caminho para o interior.

YAMUSSUKRO

Em pleno centro do país encontra-se Yamussukro, o País Guro, e nele esta situada a capital administrativa de Costa do Marfim. Trata-se de um centro universitário de grande importância, além de ser o lugar de nascimento do atual presidente da República. Destacam o Palacio Presidencial, cujos pés se extende um precioso lago, a monumental Mesquita, a Basílica de Nossa Senhora da Paz, um escultural edificio e o Lago dos crocodilos, chamado assim porque lá moram estos répteis considerados sagrados.

Tomando a rota oeste 80 quilômetros encontra-se o Parque Nacional de Marahoué.

BOUAKÉ

É uma importante encruzilhada e uma cidade industrial e comercial de grande ambiente. Em Bouaké destacam o colorido Mercado, a Grande Mesquita, o Museu situado em um antigo convento beneditino, o Zoológico, o Jardim Botânico e o ambiente tipicamente africano do Bairro Koko.

Muito perto localiza-se Tanou-Sakassou, onde as mulheres trabalham a cerâmica com grande destreza.

KATYOLA

Esta cidade é famosa pela cerâmica. Nas ruas pode-se contemplar numerosas cabanas convertidas em atelieres onde as mulheres Mangoro modelam todo tipo de utensílios domésticos de grande beleza. Vale a pena visitar a Escola Técnica de Cerâmica.

O OESTE DE COSTA DO MARFIM

REGIÃO DALOA-MAN

A savana vai ficando para atrás deixando passagem aos poucos à zona mais alta do país. Para o oeste encontram-se as montanhas e a chuva.

Daloa tem como máximo interesse o Museu Dom Bosco onde pode-se admirar a maravilhosa criatividade deste povo. Em Bangolo pode-se conviver com os Gueré e desfrutar com a paisagem tropical do seu entorno e Man é um atrativo centro turístico conhecido como a "Cidade das 28 Montanhas" e sobressai de uma imensa rocha da que desce uma formosa cachoeira de mais de 20 metros de altitude chamada "Dente do Man". À 20 quilômetros daqui acha-se o Monte Tonkoui de 1.223 metros de altitude.

São interessantes também nesta zona Biankuma e Guessesso povoados onde as cabanhas estão decoradas com cenas da vida de seus moradores. Não perca, tendo oportunidade, as danças iacuba que bailam seus habitantes, pois são espetaculares.

DANANÉ

Danané está situada numa zona de vegetação exuberante e é famosa pelas Pontes de Cipó e pelos povoados próximos de Lieupleu e Vatouo.

TOUBA

O mais destacado da localidade são suas danças e a atividade do mercado que celebra-se os sábados. Desde Touba se pode chegar às localidades de Goudofouma, Zala e Boomi.

O NORTE DO PAÍS

É a região onde reina a harmonia, pois aqui habita o povo Senufo. No norte predomina o clima seco e a savana constitui a paisagem por excelência desta parte do país. Está espalhada de aldeias, cujas palhoças de forma redonda dispõem de ricas portas esculpidas. O artesanato Senufo é rico em máscaras, panos pintados e vasilhas de barro.

KORHOGO

Korhogo é o centro da cultura Senufo. Resultam especialmente interessantes o Centro Artesanal, uma coperativa onde se pode adquirir a artesanato desta tribo a preços muito acessíveis, a Mesquita Central e o Museu.

ALDEIAS SENUFO

Também são de interesse as Aldeias Senufo situadas nos arredores desta cidade, pois todas elas contam com um bosque sagrado onde celebra-se o rito de iniciação para os jóvens, chamado "Poro", no qual se ensina os segredos e tradições desta etnia. Entre eles sobressai Waraniéné, que encontra-se a 4 quilômetros ao sudoeste de Korhogo e é o mais visitado. Nele os tecelãos são os homens e pode-se encontrar trabalhos artísticos deste gênero em roupas, panos brancos com motivos pretos, mantas, cobertas, etc. Kanioraba encontra-se mais para o sul, no caminho para Sirasso, e é famoso pela sua louça.

Se tomar a rota sul desde Korhogo, a uns sete quilômetros encontra-se a localidade de Torgokaha, onde há bons tecidos e cestaria. Dali pode-se chegar a Farkaha, onde vende-se o mais apreciado artesanato de tecido de roupas da comarca. Seguindo a direção norte para M´Bengué desde Korhogo cedo se chega a Koni. Esta aldeia é conhecida pelos trabalhos artesanais em ferro. Este mineral obtém-se de poços de até 20 metros de profundidade; depois funde-se em fornos, que parecem cabanas, durante duas semanas para depois passar à mãos dos artesãos que trabalham com eles utilizando foles muito primitivos. Em Sinématiali, na rota para Ferkessédougou, trabalham também os metais com destreza.

FERKESSÉDOUGOU

É uma importante cidade do norte que conta com um mercado cheio de vitalidade. Nela há uma grande variedade de serviços, hotéis e bons restaurantes.

KONG

Encontra-se já nas proximidades do Parque Nacional da Komoe, o mais importante do país pela enorme superfície de mais de um milhão de hectares, além de possuir 500 quilômetros de pistas transitáveis e uma imensa diversidade de animais, entre leões, búfalos, cobes, hipopótamos e jacarés africanos. Kong é, também, um antigo assentamento diola, com uma arquitetura fascinante.

OUANGO

Encontra-se perto da fronteira com Burkina Faso, assim que é um bom lugar de referência para passar ao país vizinho.

BOUNA

Localiza-se perto da fronteira com Gana, e além de prestar como referência para cruzar a fronteira podem-se ver numerosas Aldeias Lobi. São famosas as casas soukala, feitas de adobe e com bonitos pátios interiores. Sobressai a arquitetura de Puon.

BONDOUKOU

Bondoukou, é um centro islâmico de importância, situado na fronteira com Gana, com suas 40 mesquitas e os Túmulos Abrom decorados com esculturas muito originais.

KASOUMBARGA E NIOFOUIN

De volta a Koorhogo, há que tomar a rota noroeste em direção a Boundiali para chegar a Kasoumbarga, o mais atrativo desta localidade é sua mesquita de terra batida do século XVII.

Seguindo a rota e após um pequeno desvio se atinge Niofouin, que destaca-se sobretudo pelas magníficas construções em barro com telhados de palha.

BOUNDIALI

Esta é uma das cidades mais importantes do País Senufo. Nela pode-se visitar um atrativo mercado onde comprar todo o artesanato tradicional deste povo.

Além disso é um bom ponto de partida para visitar as pequenas aldeias ao redor, especializadas no trabalho de ferraria. Entre elas citamos a Kouto, que possui uma mesquita do século XVII e Kolia, que conta com um centro de cerâmica artesanal.

ODIENNÉ

É a seguinte parada no caminho para a fronteira com a Guiné. Aqui se reúne uma grande parte da população muçulmana, e pode-se ver uma mesquita. Para obter uma boa panorâmica da zona deve subir ao Maciço de Dinguélé, uma bela montanha.

Muito perto encontram-se as Minas de Ouro de Zievasso e Diougoro. Também se pode viajar a Samatiguila para ver outra mesquita do século XVII.

PARQUES NACIONAIS E RESERVAS DA COSTA DO MARFIM

PARQUE NACIONAL DE A KOMOE E RESERVA DE BUNA

Situado ao noroeste do país. Conta com uma extensão de 950.000 hectares onde se pode contemplar uma grande variedade de aves e animais como leões, elefantes, panteras, hienas, macacos, crocodilos, búfalos e hipopótamos, entre outros muitos.

PARQUE NACIONAL DE A MARAHOUÉ

Embora não possa ver leões tem outras espécies de interesse como elefantes, crocodilos, búfalos e uma grande variedade de antílopes. Está situado no centro do país.

PARQUE NACIONAL DE TAI

Com comunidades de chimpanzés e hipopótamos anões difíceis de encontrar em outros lugares do país. É a última selva primária da África.

RESERVA NATURAL DE ASAGNI

Situada ao oeste da capital, de difícil acesso por via terreste por estar situada em terrenos pantanosos, embora pode-se desfrutar do parque sobrevoando a zona em um avião pequeno.

PARQUE NACIONAL DE BANCO

Situado na entrada de Abidjan e famoso pela flora e a reserva ornitológica.

PARQUE NACIONAL DO MONTE SANGBÉ

Outro dos encantos naturais do país. Encontra-se situado ao oeste do rio Sassandra e ao norte de Man. Conta com umas 95.000 hectares de extensão, que incluem 14 colinas de mais de mil metros.

PARQUE DO MONTE PEKO

Com 30.000 hectares e mais de mil metros de altitude, é conhecido pela flora de montanha e uma selva primária de grande exuberância.

PARQUE DAS ILHAS EOTILES

Está situado na Lagoa de Abi e conta com umas 500 hectares de extensão. É um centro dedicado à investigação arqueológica.

PARQUE DE ABOKOUAMEKRO

Encontra-se perto de Yamoussoukro e cobre umas 21.000 hectares. Nele habitam rinocerontes e girafas entre outras espécies e a flora dominante são as selvas que discorrem ao longo do rio Kan, as colinas e a savana.

GASTRONOMIA

A gastronomia da Costa do Marfim é muito rica e variada. Embora os pratos não contam com uma elaborada preparação, a excelente qualidade dos ingredientes com que são preparados fazem deles um delicioso manjar. São muito apreciados os peixes e mariscos tanto de água doce como os procedentes do mar.

Costumam ser prepararados grelhados com molhos elaboradas com gergelim ou nozes e servidos acompanhados de arroz, mandioca e milho.

As carnes também são excelentes, de fato existem várias granjas modelo para a criação de espécies selecionadas. Tendo oportunidade não deixe de experimentar um saboroso filé de antílope. A Costa do Marfim tem entre seus pratos mais apreciados gostosos presuntos e variadas conservas alimentícias que pode-se saborear na maioria dos restaurantes. Não há que esquecer os sempiternos cous-cous.

Como sobremesa se pode desfrutar com deliciosas frutas frescas, especialmente a banana frita, ou doces preparados com cacau e nozes.

Bebidas

Para beber pode-se degustar a cerveja nacional de boa qualidade, excelente café também colhido no país, cacau, cerveja de milho ou vinho de palma

COMPRAS

Os mercados das cidades e povoados são animados lugares cheios de exotismo para realizar boas compras a preços econômicos, além de desfrutar do espetáculo que oferece o ambiente cheio de cor e vida.

Os objetos de artesanato são muito formosos e estão realizados em sua maioria em madeiras nobres como caoba e também o marfim. Pode-se encontrar magníficas jóias de desenhos formosos, colares, brincos, braceletes, pendentes, etc. realizados em sua maioria em marfim embora também possa encontrar em prata com pedras preciosas.

Os objetos em madeira são abundantes e variados. Caixas talhadas, cofres, instrumentos musicais tradicionais ou móveis. Porém, são especialmente apreciados pelos visitantes os trabalhos realizados pelos distintos grupos étnicos como máscaras ovaladas dos Dan, expressionistas de formas grotescas dos Ngueré, as trabalhadas dos Baulé ou os Senufo a simbolizarem, dependendo das formas e cores, passagem a um novo estado na vida; estatuetas dos Bete muito formosas ou as estátuas dos Baulé representando aos antepassados, pelo que têm um significado sagrado.

Resulta muito interessante também a cerâmica de Katyola realizada pelas mulheres da etnia Mangoro. Trata-se a maioria de objetos domésticos, jarras, copos, jogos de chá e café, pratos, panelas, fontes, lâmpadas, etc.

Nos mercados de comida pode-se encontrar produtos naturais de excelente qualidade como cacau, bananas, gergelim, abacaxi, nozes e azeite de palma.

POPULAÇÃO E COSTUMES

A população da Costa do Marfim é aberta e comunicativa. Por terem realizado a transição para a independência pacificamente, e pelo fato da influência francesa haver-se misturado com os costumes tradicionais africanos, criando uma rica cultura própria, os ódios inter raciais não têm aparecido neste formoso país. Assim, junto a uma população branca convivem distintos grupos étnicos de diferentes tribos. Destacam-se os Akam, abrangindo às etnias Agni-Baulé, Ashanti e Abrom entre outras, situados no centro e leste do país; os Mandé que habitam o centro e o norte e agrupam aos Diola, Bambara, Dan ou Yacuba; os Voltaicos no norte conformados pelos Senufo e os Lobi; os Kru no sul e oeste; e os Kua na costa oriental com clãs dos Abé, Aburé e Ebrié entre outros.

Entre os costumes mais curiosos que encontram-se nas diferentes culturas está a dança dos punhais (chamada das "meninas serpentes"), consistente em um rito praticado por meninas de sete ou oito anos escolhidas pelo Simbo pela agilidade, ligereiza e inteligência. As crianças são jogadas no ar sobre uma faca e, no último momento, a faca é retirada e as crianças não sofrem dano. Este "Ritual da Cobra" é praticado tanto pelos Dam como pelos Gueré. O Simbo é o padre do ritual, quem separa estas crianças de seus lares a partir dos quatro anos para iniciá-las.

Por sua parte as curandeiras de Tengouélan, praticam uma magia curiosa que permite-as aceder à adivinhação. Após uma longa marcha reúnem-se em um lugar sagrado onde chamam aos espíritos envolvidas em um pó branco e concentradas numa dança magnífica.

O povo da Costa do Marfim tem uma esperança de vida de uns 56 anos, 60 de cada 100 adultos está alfabetiçado, todo um recorde dentro da África.

A população atual, segundo censo de 1997, é de 14.986.000 habitantes. Em Abdijan se concentram perto de 3.000.000 de pessoas.

ENTRETENIMENTO

A Costa do Marfim é um verdadeiro paraíso para os amantes da natureza, pois as possibilidades são variadas e muito atrativas. Suas praias são muito formosas e permitem desfrutar de um gratificante banho ou simplesmente tomar sol. É conveniente ter cuidado com as ondas na hora do banho ou quando se praticam esportes náuticos como windsurfing ou vela.

Seus rios são ideais para os que preferem desfrutar de um dia de pesca, além de oferecer excelentes possibilidades para os caçadores. É importante informar-se sobre os períodos de vela.

Para praticar trekking ou montanhismo pode-se visitar o Maciço de Tonkui ou a ascensão ao Monte Nimba de 1.752 metros de altitude.

Os diferentes Parques Naturais e Nacionais, que encontram-se no território, permitem admirar a fauna e a flora do país: elefantes, crocodilos, búfalos, antílopes, macacos, leões, panteras, hienas e os curiosos hipopótamos anões difíceis de encontrar em outros lugares. A Costa do Marfim está considerada como um tesouro ornitológico pelo que os amantes das aves têm neste país um paraíso.

As principais povoações contam com uma variada oferta de lazer, museus, centros artesanais, animados mercados cheios de vida, restaurantes onde desfrutar a cuzinha tradicional, sem esquecer as danças tradicionais que dependendo da zona são interpretadas pelas distintas etnias, mas todas formosas por igual.

FESTIVIDADES

As festividades de Costa do Marfim começam o 1 de Janeiro com a celebração do Ano Novo.

Como feriados continúam o 1 e 2 de Maio com o Dia do Trabalho. Em 15 de Agosto e o 1 e 15 de Novembro são também festas oficiais, pelo que os lugares públicos e comércios permanecem fechados.

Em 7 de Dezembro celebra-se a Independência do país com desfiles e outras animadas diversões; a população sai às ruas convertindo esta festividade em todo um espetáculo digno de ser desfrutado. É um momento ideal para conhecer às pessoas da Costa do Marfim e misturar-se com elas.

Em 25 e 26 de Dezembro celebram-se o Natal e São Nicolás, festas especialmente desfrutadas pelas crianças de crenças cristãs.

Também são oficiais as festas islâmicas que variam dependendo do calendário lunar. Especialmente coloridas e animadas são as celebrações dos distintos grupos étnicos com suas danças e sua música tradicional. Tendo oportunidade não deixe de assistir alguma delas.

TRANSPORTES

Avião

Tanto Àfricam Airlines como as linhas aéreas nacionais, Air Ivore, ofrecem serviço de vôos diretos desde as principais capitais europeias. O Aeroporto Internacional de Abidjam encontra-se em Port Bouet, a 15 quilômetros do centro da cidade.

Barco

O porto de Abidjam é um dos centros de vida da Costa do Marfim. Lá chegam barcos das principais companhias de tudo o mundo. Os rios não são navegáveis.

Trem

Os caminhos de ferro contam com uma extensa rede (630 quilômetros) que une a Costa do Marfim com seus países vizinhos e também conta com uma rede de aproximidades a unir as principais povoações. Os preços são vantajosos.

Ônibus

Os ônibus locais não são muito cômodos, mas seus preços resultam muito econômicos.

Por Terra

A Costa do Marfim conta com uma rede de estradas bastante aceitável (55.000 quilômetros). Uma grande parte está asfaltada (5.000 quilômetros) embora ainda possa encontrar tramos de terra. Na época das chuvas é aconselhavel informar-se do seu estado antes de empreender viagem.

Precisa se viajar de carro tanto próprio como alugado (as principais empresas de aluguel de carros têm escritório em Abidjan, a capital), ter licença internacional de dirigir e um seguro.

Fonte: www.rumbo.com.br

Costa do Marfim

Capital: Yamoussoukro

Idioma: francês

Moeda: franco da comunidade centro-africana

Clima: tropical úmido e savana

Fuso horário (UTC): 0

Pontos turísticos

Parque Nacional de Taï

Uma das últimas áreas de floresta virgem na África Ocidental, é possível ver árvores com até 50m de altura.

Árvores luxuriantes cobertas de cipós e orquídeas, riachos e uma vida selvagem própria, se combinam para criar um local pacífico e encantador, embora de difícil acesso.

Sassandra

Mais conhecida por suas praias paradisíacas, é na verdade uma idílica vila de pescadores da etnia Fanti, onde se pode degustar o melhor Bangui, um vinho feito de uma palmeira local.

Parque Nacional de la Comoë

Parque que abriga parte do rio Comoë, possuem um grande número de leões, elefantes, hipopótamos, babuínos, macacos, antílopes e 21 espécies de porcos.

Também há leopardos, mas estes são mais difíceis de serem avistados.

Fonte: www.geomade.com.br

Costa do Marfim

Nome oficial: República da Costa do Marfim (République de Côte-d'Ivoire).

Nacionalidade: marfinense.

Data nacional: 7 de dezembro (Independência).

Capitais: Abidjan (sede do governo), Yamoussoukro (administrativa).

Cidades principais: Abidjan (2.168.000) (1990); Bouaké (329.850), Daloa (121.842), Korhogo (109.445), Yamoussoukro (106.786) (1988).

Idioma: francês (oficial), diula, baulê.

Religião: islamismo 38,7%, cristianismo 26,1% (católicos 20,8%, protestantes 5,3%), animismo 17%, ateísmo 13,4%, outras 4,8% (1988).

GEOGRAFIA

Localização: oeste da África.
Hora Local: + 3h.
Área: 322.463 km2.
Clima: subequatorial de floresta (S), tropical úmido (NO), tropical seco (NE - savana e floresta clara).
Área de floresta: 55 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO

Total: 14,8 milhões (2000), sendo bauleses 23%, betes 18%, senufus 15%, mandingas 11%, outros 33% (1996).
Densidade: 45,9 hab./km2.
População urbana: 45% (1998).
População rural: 55% (1998).
Crescimento demográfico: 1,8% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 5,1 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 46/47 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 87 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 53,2% (2000).
IDH (0-1):
0,420 (1998).

POLÍTICA

Forma de governo: República presidencialista (ditadura militar desde 1999).
Divisão administrativa: 16 regiões subdivididas em departamentos.
Principais partidos: União dos Republicanos (RDR), União Democrática Africana (RDA), Frente Popular Marfinense (FPI).
Legislativo: não há.
Constituição em vigor: 2000.

ECONOMIA

Moeda: franco CFA.
PIB: US$ 11 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 26% (1998).
PIB indústria: 23% (1998).
PIB serviços: 51% (1998).
Crescimento do PIB: 3,5% ao ano (1990-1998).
Renda per capita: US$ 700 (1998).
Força de trabalho: 6 milhões (1998).
Agricultura: cacau, café, látex, palmito, banana, abacaxi, fibra e semente de algodão, fruto de palma.
Pecuária: bovinos, ovinos, caprinos, aves.
Pesca: 67,1 mil t (1997).
Mineração: petróleo, diamante, ouro, gás natural. Reservas não exploradas de minério de ferro, manganês e bauxita.
Indústria: alimentícia (principais: cacau, café, palmito e peixe), têxtil (algodão), refino de petróleo.
Exportações: US$ 4,1 bilhões (1998).
Importações: US$ 2,8 bilhões (1998).
Parceiros comerciais: França, EUA, Holanda (Países Baixos), Gana, Itália, Burkina Fasso.

DEFESA

Efetivo total: 8,4 mil (1998).
Gastos: US$ 116 milhões (1998).

Fonte: www.portalbrasil.eti.br

voltar 123avançar
Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal