Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Fitoterápicos: Mentrasto  Voltar

Fitoterápicos: Mentrasto

Ageratum conyzoides

Mentrasto

Descrição

Planta da família das Compositae, também conhecida como caatinga de bode, erva de São João falsa, celestina, erva de Santa Lúcia, mentraço, mentraz, menstruz, picão-roxo, camará-opela. Trata-se de uma erva anual, pilosa, ramosa; caule colíndrico, até 1 metro de altura; folhas ovadas,crenadas; flores esbranquiçadas ou lilases, dispostas em capítulos e hastes em panículas; fruto tipo aquênio. Erva anual, bem ramificada e pilosa. As folhas são opostas, longo-pecioladas e ovaladas ou deltóideas.

As flores são em capítulos corimbos-paniculados, nas cores lilás, roxo-azuladas ou brancas e aparecem nos meses de setembro e outubro. O fruto semente é um aquênio pequeno, de coloração escura, apresentando 4 ângulos. Sua reprodução é por fruto, e cultivadas, preferencialmente em terreno úmido, sombreados e férteis. É uma planta facilmente encontrada em terrenos baldios, pomares e lavouras. As folhas e flores podem ser colhidas quando do aparecimento dos capítulos florais. É muito aromática e de sabor amargo.

Partes utilizadas

Partes aéreas, principalmente frescas.

Origem

América do Sul, especialmente no Brasil.

História

É usado pela medicina popular em todos os lugares por onde se espalhou, inclusive África, Java, Malásia e Filipinas. É planta usada em rituais afro-brasileiros.

Modo de conservar

As folhas e as flores podem ser utilizadas frescas ou secas à sombra, em lugar seco e ventilado. Armazenar em sacos de papel, de pano ou em vidro.

Propriedades

Anti-reumático, antidiarréico, febrífugo, antiinframatório, carminativo, enemagogo.

Princípios Ativos

Resinas; Mucilagens; Ácidos: hidrociánico, linoleico AIcaIóides vaso-constrilores; Saponinas; Princípios amar• gos; Taninos; Óleos essenciais: a-pineno, B-pineno, mirceno, B-felandreno, sesquilelandreno, cadina-l,4-dieno, elernol, a e ?-terp;neno, r-cimeno, ocimeno, I3-cariofileno, eugenol, a-tujeno, benzaldeído, sabineno, sabineno¬hidrato, Iimoneno, 1-8cineol, cis-B-ocimeno, terpinoleno, metil-eugenol, Iinalol, a-terpineol, citronelol, B,? e d¬elemeno, a- gurjuneno, a- cubebeno, a-copaeno, a¬bergamoteno, a-humuleno, B-bouboneno, E•B-fameseno, germacrenoD, nerolidol, spatulenol, B-bisaboIeno, epóxido de cariofileno, Alcalóides pirrolizidinicos: equinatina, Iicopsamina; Cumarinas: precoce no; Benzofuranos; Pig¬mentos: 6,7 -dimetoxi-2,2-dimetilcromeno, 6-dime-toxiagerattocromeno, 6-vinil-dimetoxiageratocromeno, agerato-cromeno. Flavonóides: fridelina, n-hentriacontano, n-heptacosano, Iidedroflavona, nobiletina, n-nonacasona, quercetina, B- M sitosterol, estigmasterol, n-ticarcontano; O exocarpo de fruto contém fitomelano.

Indicação

Usado em casos de resfriados e cólicas menstruais. Popularmente usada em banhos pelas apreturientes, para facilitar o trabalho de parto. Cólicas e gases intestinais, distensão do abdômen, cólica uterina; muco branco, resfriados, tosse, rinite alérgica, sinusite; Afecções das vias urinárias; Reumatismo agudo, artrose, contusões, dores musculares; Diarréia crônica, fezes pastosas, disenteria; Caspa, úlceras crônicas; Suavizante e deso¬dorizante dos cabelos; Amenorréia, menopausa.

Modo de Usar

Pó das folhas bem secas e, bem peneiradas. Pode-se colocar em cápsulas gelatinosas de 200 mg. Tomar uma cápsula 2 ou 3 vezes ao dia. Pode, também, usar meia colherinha de café do pó misturado com mel, ou com água e açúcar 3 a 4 vezes ao dia; - decocção de 4 a 6 g das folhas frescas (duas a três folhas). Tomar na dose 2 a 3 xícaras por dias: cólicas menstruais, resfriados, cólicas flatulências e uterinas, amenorréia, artroses, perfumar e suavizar o cabelos, caspa, beriberi, contusões, ferimentos abertos, infecções das vias urinárias; - cataplasma (uso externo), planta machucada, sobre as articulações: reumatismo; - TM (tintura-mãe) a 10%: 50 g das partes aéreas em 500 ml de álcool a 50% (misturar 250 ml de água em 250 ml de álcool absoluto). Deixar em maceração de 2 semanas. Prensar, deixar durante 48 horas e então filtrar. - infusão de 1 xícara (das pequenas de cafezinho) da planta seca picada em ½ litro de água. Tomar 1 xícara (chá) de 4 em 4 horas: cólicas menstruais; - tintura de 1 xícara (das pequenas de cafezinho) da planta fresca picada em 5 xícaras de álcool. Deixar por uma semana, espremer e filtrar. Tomar 10 gotas em água 2 vezes ao dia (cólicas) ou aplicar em massagens locais (reumatismo/artrose); - pó: 1 colher das de café, do pó em água ou suco de frutas para cada dose a ser tomada. Tomar 3 a 4 vezes no dia: artrose; - decocção de 20 g da planta inteira em 1 litro de água. Deixe amornar e despeje numa vasilha para mergulhar os pés ou as mãos durante 20 minutos, 2 vezes ao dia ou usar em compressas: reumatismo e artrose, analgésica e antiinflamatória; - infusão de 1 colher de sopa da planta fresca em 1 xícara de água fervente. Abafe por 10 minutos e tome duas vezes ao dia. - alcoolatura de uma xícara das de cafezinho da planta fresca para cada 5 xícaras de álcool. Tomar 10 gotas em água 2 vezes ao dia (cólicas) ou aplicar em massagens tópicas: reumatismo e artrose; - infusão de 20 g da planta por litro de água. Tomar 4 a 5 xícaras por dia; - suco da planta fresca ou extrato da planta seca: inalação para renite e alergia, sinusite; hemorragias pós-parto; áximo 30 a 50 g da planta in natura ao dia.

Contra-indicações/cuidados

A planta contém alcalóides pirrolizidínicos que são hepatotóxicos. Não ultrapassar as doses recomendadas. Contra-indicada para diabéticos. Os tratamentos longos devem ser interrompidos por uma semana a cada mês. Altas doses por longos períodos provocam hipertensão arterial.

Mode de Usar

Digestivo estomacal; cicatrizante; eliminador de gases intestinais; cólicas menstruais : em 1 xícara de chá, coloque 1 colher de sopa de folhas e flores picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos e coe. Tome 1 xícara de chá de manhã, em jejum, e outra antes das principais refeições.

Dores reumáticas; dores localizadas; contusões : em uma panela de água fervente. coloque uma peneira, de modo que a mesma não toque na água e sobre a peneira um pano. Espalhe sobre o pano 3 colheres de sopa de folhas e flores frescas fatiadas e abafe. Mantenha no vapor até que a erva esteja morna. Retire o pano com a erva, e aplique na parte dolorida do corpo. Cubra com outro pano e deixe atuar durante 2 horas ou toda a noite.

Bronquites; tosses; catarros; gripes; febres: em 1 xícara de café, coloque 1 colher de folhas e flores picadas e adicione água fervente. Abafe por 10 minutos, coe e acrescente 2 xícaras de café de açúcar cristal. Leve ao fogo até dissolver 2 a 3 vezes ao dia. Para crianças somente metade da dose.

Menopausa; cólicas menstruais; tensão pré-menstrual : coloque 3 colheres de sopa de folhas e flores picadas em 1 garrafa de vinho branco. Deixa em maceração por 7 dias, agitando o líquido da garrafa de vez em quando e coe. Tome 1 cálice de vinho, antes das principais refeições. No caso de cólicas e tensão pré-menstrual, deve ser tomado 10 dias antes do início da menstruação.

Farmacologia

Várias pesquisas laboratoriais validaram vários usos do mentrasto na medicina popular; Estudos in vitro mostraram que os extratos da planta inteira têm ação bactericida contra Staphylococusa aureus, Bacillus subtilis, Escherichia colui e Paseudomonas aeruginosa; Em estudos com animais foram demonstrados - relaxamento muscular e alívio sobre.a dor, confirmando seu uso popular como anti-reumático; Numa pesquisa feita com pacientes artríticos, aqui no Brasil, com o extrato aquoso da planta Inteira - 66% relataram diminuição da dor e inflamação e 24% relataram melhora na mobilidade após 1 semana de uso, sem efeito colaterais; Pesquisas na África em 2003, confirmaram seu uso tradicional na cicatrização de feridas em estudos com animais; Em uma outra pesquisa, na índia, revelou que o Mentrasto protegeu cobaias de danos causados por radiação e preveniu a formação de úlceras. Ambas as ações de proteção celular foram atribuídas, em parte, a um efeito antioxidante notado no Mentrasto; Foi descoberto também que ele tem efeito inseticida, pela interferência com o ciclo reprodutivo de várias espécies de inseto; Estudos de toxidade crônica e aguda, com ratos, realizados no Brasil revelaram que o Mentrasto não apre-senta toxidade nas doses recomendadas.

Posologia

Adultos

Cápsulas de 200mg. Tomar 1 cápsula 2 ou 3 vezes ao dia ou Y2 colher de café (350mg) do pó em água 2 vezes ao dia para reumatismos; 10ml (10 gotas X 2) de tintura divididos em 2 doses diárias, diluídos em água em uso interno nas cólicas ou em massagens em articulações; 5g de planta seca ou 10g de planta fresca (1 colher de sopa para cada xícara de água) de partes aéreas sem infuso ou decocto até 3 vezes ao dia, com intervalos menores que 12hs em uso interno para todas as indicações; 50g de planta fresca vaporizada ou pilada para emplastro em dores articulares, Contusões, feridas; 50g de planta fresca em infuso para banhos em extremidades atacadas por reumatismo; Suco de 20g da planta fresca ou 10 gotas de extrato líquido na água para inalação nas sinusites; Suco de 20g da planta fresca para - hemorragias pós ¬parto; Crianças tomam de 1/6 a Y2 dose, de acordo com a idade.

Mentrasto

Fonte: www.plantasquecuram.com.br

Fitoterápicos: Mentrasto

COMO É O MENTRASTO

O mentrasto nasce em todo lugar. É uma pequena erva com até 80 centímetros de altura, de cheiro pouco agradável, reta, com folhas verde-escuras e largas. Existem dois tipos de mentrasto que nascem sempre um do lado do outro. Um tipo tem mais folhas e quase não dá flores (tipo vegetativo). O outro dá muitas flores formando pequenos cachos de cor branca ou roxa (tipo florífero).

ATENÇÃO

O mentrasto pode ser confundido com outra planta chamada “Praxelis”. A diferença entre estas duas plantas está nas folhas. As bordas da folha da Praxelis são em forma de serra e a do mentrasto são arredondadas.

PARA QUE SERVE O MENTRASTO

As folhas do mentrasto servem para o tratamento da dor e da inflamação causadas por reumatismo, cólicas menstruais, artrite e artrose. O mentrasto também serve para fazer baixar a febre. Use as folhas frescas ou secas, na forma de pó ou de chá.

Isso é muito importante!

Para tomar o chá ou o pó das folhas do mentrasto use apenas o tipo vegetativo que não tem flor. E nunca use as plantas de mentrasto que dão muitas flores. Observe as diferenças das duas plantas na foto. À esquerda mentrasto vegetativo e à direita mentrasto florífero com folhas menores e muitas flores.

Mentrasto

ATENÇÃO

O mentrasto pode ser confundido com outra planta chamada “Praxelis”. A diferença entre estas duas plantas está nas folhas. As bordas da folha da Praxelis são em forma de serra e a do mentrasto são arredondadas.

PARA QUE SERVE O MENTRASTO

As folhas do mentrasto servem para o tratamento da dor e da inflamação causadas por reumatismo, cólicas menstruais, artrite e artrose. O mentrasto também serve para fazer baixar a febre. Use as folhas frescas ou secas, na forma de pó ou de chá. Isso é muito importante!Para tomar o chá ou o pó das folhas do mentrasto use apenas o tipo vegetativo que não tem flor. E nunca use as plantas de mentrasto que dão muitas flores. Observe as diferenças das duas plantas na foto ao lado. À esquerda mentrasto vegetativo e à direita mentrasto florífero com folhas menores e muitasflores.

COMO PREPARAR E USAR O CHÁ DAS FOLHAS

Prepare a infusão, ou chá abafado, com 4 a 6 folhas frescas para uma xícara de água fervente. Ou pode usar 2 a 3 gramas das folhas secas para a mesma quantidade de água. Tome duas a três xícaras de chá por dia. Quando o tratamento for longo interrompa durante uma semana a cada mês.

COMO PREPARAR E USAR O PÓ DAS FOLHAS

Colha as folhas de mentrasto e lave em água limpa. Coloque as folhas para secar em local com sombra e ventilado. Depois faça o pó com as folhas bem secas peneirando bem. Tome meia colherinha das de café 3 a 4 vezes por dia . Misture com mel, ou com água e açúcar.

COMO PREPARAR E USAR A TINTURA DAS FOLHAS

Faça a massagem com a tintura de mentrasto misturada com um pouco de óleo de pequi ou de copaíba. Prepare a tintura enchendo um frasco de boca larga com folhas de mentrasto. Depois coloque álcool até a metade do frasco. Complete o frasco com água fervida, fria e limpa, até a boca. Agite o frasco pelo menos 2 vezes ao dia. Depois de três dias filtre a tintura e guarde em um frasco limpo e esterilizado. Faça a compressa com a tintura demoradamente nos locais doloridos. Faça isso uma ou mais vezes ao dia até conseguir melhorar os sintomas.

COMO PLANTAR O MENTRASTO

Colete as sementes ou mudas de plantas que crescem nos arredores. Você pode conseguir também com amigos ou vizinhos. Plante o mentrasto, por galho ou por sementes, em canteiros úmidos e bem estrumados. Proteja as plantinhas do sol. Em pouco tempo algumas plantas começam a produzir flores e outras não. As plantas com flores darão as sementes para o novo plantio. As plantinhas que não produzem flor servirão para fornecer as folhas usadas como remédio. Remova o plantio a cada 4 meses.

APRENDA

Toda planta medicinal tem pelo menos dois nomes.
O nome popular é o nome que o povo dá às plantas.
O nome científico é o nome dado pelos botânicos.

Esta planta tem os seguintes nomes:

Nome Popular: MENTRASTO
Nome Científico: Ageratum conyzoides L.

Esta planta foi selecionada e validada pelo Projeto

Farmácias Vivas da Universidade Federal do Ceará

Francisco José de Abreu Matos

Fonte: www.kew.org

Fitoterápicos: Mentrasto

Nome popular: MENTRASTO

Nome científico: Ageratum conyzoides L.

Parte usada: Folha

Propriedades terapêuticas: Analgésica, antiinflamatória, anti-reumática, antidiarrética, febrífuga, carminativa, emenagoga, tônica

Indicações terapêuticas: Artrose, reumatismo, cólica menstrual

Informações complementares

Eficiência terapêutica comprovada pelo Ministério da Saúde.

Indicações: anti-reumática (uso externo), antidiarrético, febrífuga, antinflamatória, carminativa, emenagoga, tônica, útil contra resfriados e para cólicas menstruais. O chá das folhas desta planta tem ação analgésica e antiinflamatória, indicada como alternativa no tratamento de artroses e outros males reumáticos.

Preparo e dosagem

Infusão (cólicas menstruais): 1 xíc. de cafezinho da planta seca picada em 1/2 litro de água, tomar 1 xíc. de chá de 4 em 4 horas.

Tintura: 1 xíc. de cafezinho da planta fresca para 5 xíc. de álcool, tomar 10 gotas em água 2 vezes ao dia (cólicas) ou aplicar em massagens locais (reumatismo/artrose).

Pó: colocar 1 colher (café) do pó em água ou suco de frutas para cada dose a ser tomada, tomar 3 a 4 vezes ao dia (artrose).

Decocção (uso externo): cozinhar a planta inteira e despejar o chá morno numa vasilha, colocar os pés ou mãos dentro durante 20 minutos, 2 vezes ao dia, ou usar sob a forma de compressas, 2 vezes ao dia (reumatismo e artrose).

Outros usos: apresenta atividade contra insetos hemípteros (precocenos).

Sem efeitos tóxicos nos estudos realizados.

Fonte: ci-67.ciagri.usp.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal