Breaking News
Home / Bem-Estar / Tensão Pré-Menstrual

Tensão Pré-Menstrual

PUBLICIDADE

A TPM ( tensão pré mestrual) é um conjunto de sinais e sintomas de uma sindrome, que não é doença, passivel de tratamento que occrre de acordo com a intensidade de mais ou menos sintomas pela variação hormonal. São sintomas fisicos e emocionais que aparecem dias antes da menstruação.

Irritabilidade, nervosismo, ansiedade, alto estima baixa, choro, dor de cabeça e depressão são sintomas comuns da TPM. O inchaco e a cólica sao comuns durante o periodo menstrual.

Quando a progesterona sobe os sintomas ruins começam a aparecer, são essas variações dos hormônios que aumenta os sintomas.

Uma vida saudável com boa alimentação, exercicos fisicos podem amenizar esses sintomas pré menstruais

Alimentos que prejudicam os sintomas são chocolate,alimentos com cafeína, alimentos com muito sódio e gorduras devem ser evitados.

Alimentos que auxiliam são a soja, lentilha, peixe, frutas, vegetais de folha verde escuro, banana, castanhas.

Há tratamentos com vitaminas, remédios anti depressivos, anticoncepcionais, acupuntura, ioga, atividades físicas são praticas adotadas para melhorar esse problema.

O óleo de prímula e o óleo de linhaça são ricos em prostaglandina que auxiliam na regularização dos hormônios femininos.

É importante procurar o ginecologista para avaliar cada caso e prescrever o tratamento correto.

Por Portal São Francisco

Existem mais de 200 sintomas relacionados à TPM

As causas ainda não são totalmente conhecidas, mas as mulheres que sofrem com a tensão pré-menstrual (e os homens que convivem com elas) esperam que a Medicina descubra uma solução para ela.

Os médicos acreditam que a TPM seja resultado de uma interação entre os hormônios femininos estrógeno e progesterona, e um mensageiro químico cerebral, o neurotransmissor serotonina.

Novas pesquisas sugerem, ainda, que um outro neurotransmissor, o ácido gama-aminobutírico ou GABA, também pode estar envolvido no processo. Esse mensageiro químico tem efeito calmante e sua produção é estimulada pelos subprodutos da progesterona.

Quando os níveis desse hormônio começam a cair, no final do ciclo, algumas mulheres se sentem mais irritadas e ansiosas. Há também indícios de que são mais propensas a sofrer com a tensão pré-menstrual as mulheres que tiveram depressão (pós-parto ou em qualquer época da vida), ou cujas mães e irmãs apresentem o problema.

O estresse piora significativamente o desconforto, que pode ser físico (inchaço, seios doloridos, intestino preso, sensação de peso nas pernas) e psicológico (tensão, irritação, cansaço e depressão).

A queixa quanto à TPM é recente: tem a ver com a emancipação das mulheres. “A tensão pré-menstrual passou a ser um incômodo depois que elas começaram a trabalhar fora de casa e a ter menos filhos”, explica a ginecologista Stella Pinto Ferreira, do Rio de Janeiro.

Quando procurar ajuda

Todas as mulheres que se sentem limitadas de alguma maneira por causa da TPM devem buscar tratamento médico. Fazer exercícios, controlar a dieta e, se o caso for grave, suspender a menstruação durante algum tempo.

Existem várias maneiras de tratar o problema:

Alopatia: Trata a tensão pré-menstrual com mudança de hábitos alimentares, atividade física e medicamentos. A partir do segundo mês aparecem as melhoras.

Acupuntura: Inserir agulhas em alguns pontos do corpo para aumentar a liberação de serotonina (neurotransmissor ligado ao humor) e estimular o hipotálamo (região do cérebro que tem influência sobre os hormônios sexuais).

Aromaterapia: Óleos essenciais, substâncias extraídas das plantas, utilizados para tentar restabelecer o equilíbrio hormonal e emocional das mulheres que sofrem com a TPM.

Uma flor contra a TPM

Se você sofre com a TPM, mas não quer se entupir de antidepressivos ou de hormônios a fitoterapia – tratamento por meio de plantas naturais – é uma alternativa que tem proporcionado bons resultados. O sucesso é tanto que estudos clínicos recentes comprovaram a eficácia do óleo de prímula no combate ao problema, que atinge cerca de 70% das mulheres em idade fértil.

O óleo de prímula, flor amarela proveniente da América do Norte, já é empregado há algum tempo no combate das instabilidades físicas e emocionais da TPM.

O remédio natural, porém, só ganhou notoriedade recentemente. O óleo alivia os principais sintomas da tensão pré-menstrual, como dor-de-cabeça, insônia, dor nos músculos, inchaço, dor nos seios, problemas na pele, agressividade, irritabilidade, depressão leve, ansiedade, tensão nervosa e crises de choro.

A flor contém um ácido chamado gamalinolênico (ácido graxo que não é produzido pelo organismo). Esse ácido é um nutriente essencial para lidar com as alterações do período menstrual, pois reequilibra a produção dos hormônios femininos.

Esse ácido é encontrado em alguns alimentos, como peixes, castanhas, e óleos vegetais, como canola ou girassol, mas em quantidades menores. A prímula é eficaz porque contém uma alta concentração desse ácido, repondo a quantidade necessária desse nutriente.

Uma grande vantagem do óleo de prímula é que não existem relatos de efeitos colaterais. A substância, vendida em cápsulas moles que contém o óleo, pode ser adquirida sem receita médica. Mas é necessário, de qualquer forma, consultar um fitoterapeuta para saber qual o seu grau de sintomas da tensão pré-menstrual.

A prímula só é indicada nos casos de sintomas leves de TPM e não combate quadros graves. O óleo de prímula deve ser tomado quinze dias antes da menstruação. São necessárias três cápsulas ao dia ou 500 mg da substância.

TPM: Como evitar o inchaço

A retenção de líquidos, ou “inchaço”, é um dos sintomas da tensão pré-menstrual (TPM). Nessa época, o corpo passa por alterações hormonais que interferem na produção de algumas substâncias, entre elas a que tem a função de regular a quantidade de sal no organismo. O sal retém líquido e faz-se menos xixi do que deveria. Como resultado aparecem barriga e seios inchados, dor e dificuldade para fechar as mãos, sapatos que não entram.

As causas do inchaço

A retenção de líquidos depende de fatores hormonais e individuais, variando de pessoa para pessoa. Durante muito tempo, acreditou-se que a dor de cabeça que surge um dia antes ou no primeiro dia da menstruação, em algumas mulheres, fosse causada pelo inchaço.

A retenção de líquidos faria o cérebro inchar e ele ficaria prensado dentro da caixa craniana, causando a dor.

Hoje, sabe-se que isso não é verdade: a dor de cabeça que aparece nesse período, e que é muito comum, é conseqüência da queda dos níveis de estrógeno no organismo.

Antes da hora H

Beba muita água. Os rins funcionam melhor, o que é um incentivo para eliminar o excesso de líquidos. Também é recomendado comer frutas ricas em água (como melancia, melão e pêra). Evite café, chá, refrigerante e chocolate, porque eles causam irritabilidade (têm xantina e metilxantina), o que faz o inchaço incomodar mais. Praticar exercícios. Eles aumentam a circulação linfática, o que auxilia no processo de eliminação do excesso de líquidos do organismo.

Fazer “do-in” para aliviar o sintoma. Cruze as pernas, apoiando o pé esquerdo sobre a coxa direita, de forma a ver o ossinho do lado interno do tornozelo. Meça quatro dedos acima do ossinho e aperte esse ponto, que provavelmente estará dolorido. Pressione por cinco minutos e repita na outra perna. O ideal é fazer todos os dias pela manhã, durante o período pré-menstrual.

Diminua a quantidade de sal da comida no período pré-menstrual, quando se começa a ter sintomas da TPM. Coma alimentos diuréticos.

Por exemplo: alface, agrião, morango ou chuchu.

Quando beber mais água, corrigir a alimentação e fazer exercícios não é suficiente é importante procurar um médico.

Drenagem Linfática

Trata-se de uma massagem relaxante, que não dói e tem a capacidade de diminuir o inchaço. O efeito é imediato. Passar por duas a três sessões na semana que antecede o primeiro dia da menstruação é o ideal. A massagem dura de uma hora a uma hora e quinze minutos.

A apresentadora de televisão Angélica ficava tão inchada no período pré-menstrual que algumas vezes precisava fazer massagens para conseguir usar suas roupas e seus sapatos. Desde que começou a praticar exercícios diariamente, emagreceu e está mantendo o inchaço sob controle.

TPM – Tensão Pré-Menstrual

Segundo estatísticas, cerca de 85% das mulheres sofrem deste transtorno. As pessoas que convivem e se relacionam com estas mulheres também são afetadas.

O ciclo menstrual se divide em duas fases, a primeira que deve ser contada do 1º dia da menstruação até a ovulação, é a fase em que o corpo se prepara para uma possível fecundação, onde o hormônio estrógeno propicia bom humor, disposição, predisposição ao sexo, sedução e alegria.

E a outra fase, regida pelo hormônio progesterona que mesmo que não haja uma gravidez, propicia introspecção, sensibilidade, sonolência, melancolia e invariavelmente inchaços.

Hábitos alimentares, estresse e ansiedade, aliados a alterações hormonais desencadeiam sintomas desagradáveis que comprometem a qualidade de vida.

Existem 04 tipos de TPM:

Tipo A

Sintomas: ansiedade, irritabilidade e oscilação de humor.
Inimigos: café, refrigerantes, laticínios e seus derivados, chocolate e bebidas alcoólicas.
Aliados: castanha do Pará, salmão, banana, ameixa, aveia, linhaça, azeite, pão integral, inhame e leite de soja.
Atividades: alongamento, exercícios respiratórios, yôga e massagem.

Tipo C

Sintomas: desejo de doce, dor de cabeça e fadiga.
Inimigos: açúcar, frutas muito doce, álcool e chocolate.
Aliados: pão integral, iogurte, figo, germe de trigo, tomate, saladas verdes, carne branca e leite de soja.
Atividades: caminhadas, natação, hidroginástica e massagem.

Tipo H

Sintomas: inchaço e dores nos seios e cansaço nas pernas.
Inimigos: laticínios e seus derivados e sal.
Aliados: água, tangerina, melão, melancia, água de côco, castanha do Pará, pão integral e leite de soja.
Atividades: caminhadas, natação, hidroginástica e massagem.

Tipo D

Sintomas: insônia, melancolia, depressão, perda de memória e confusão mental.
Inimigos: laticínios e seus derivados e álcool.
Aliados: café (com moderação, de preferência no período da manhâ), castanha do Pará, pão integral, ovo, salmão, melão, tomate, germe de trigo e leite de soja.
Atividades: aulas de aeróbica, danças, caminhadas acompanhadas, hidroginástica e massagem.

A TPM

Afetando a mulher não só na área ginecológica mas, também, nas áreas psicológica e social, a tensão pré-menstrual, conhecida pela sigla TPM, é uma série de sintomas bem desagradáveis que se manifestam antes da menstruação, começando por volta da metade do ciclo menstrual.

Esses sintomas pioram na véspera da menstruação e desaparecem quando ela termina. Se, por acaso, os sintomas continuam, é porque não trata de tensão pré-menstrual, indicando sintomas de outras patologias que podem piorar no período menstrual, como a depressão, o hipertireoidismo, a enxaqueca, a fadiga crônica ou a própria dor de cabeça.

Causas

Hoje se acredita que a função fisiológica do ovário seja o gatilho que dispara os sintomas da TPM, alterando a atividade da serotonina, que é um neurotransmissor, no sistema nervoso central. Ou seja, o que parece prevalecer é que as causas sejam influências hormonais normais do ciclo menstrual que interfiram no sistema nervoso central. Parece haver uma íntima relação entre os hormônios sexuais femininos, as endorfinas (substâncias naturais ligadas a sensação de prazer) e os neurotransmissores como a serotonina.

Sintomas

São múltiplos, variando de mulher para mulher. Estão normalmente presentes irritabilidade (nevorsismo), depressão, insônia, dor nas mamas, dor de cabeça, desconforto abdominal, aumento de apetite, humor deprimido, dificuldade de concentração, acne (espinhas), palpitações, tonturas, choro fácil, “calorão”, inchaço ou dor nas pernas e alguns outros que, felizmente para as mulheres, não se apresentam simultaneamente.

Prevenção da TPM

As medidas preventivas são muito importantes. Antes de tudo, é bom saber que a TPM não é grave e que os sintomas podem variar a cada ciclo. Nos hábitos alimentares, reduzir gordura, o sal, o açúcar e a cafeína, presente no café, no chá e nas bebidas à base de colas. Parar de fumar e reduzir drasticamente a ingestão de bebidas alcoólicas. Fazer exercícios físicos regulares ajuda muito, porque eles reduzem a tensão, a depressão e, ainda, melhoram a autoestima.

Tratamento

Quando há irregularidade do ciclo menstrual, o médico deve fazer exame físico cuidadoso, pedir perfil bioquímico e hemograma, com o objetivo de excluir condições médicas que podem apresentar sintomas que simulem uma TPM. É importante, nos casos de exacerbação dos sintomas de comportamento, fazer um diagnóstico diferencial com outras condições.

O tratamento dever ser individualizado e contemplar o manejo específico de cada sintoma. Há notícias de bons resultados, ainda não cientificamente comprovados, que mostram que a vitamina B6 (piridoxina), a vitamina E, o cálcio e o magnésio podem ser usados com melhora dos sintomas. A TPM não é uma doença mas sim uma alteração fisiológica do ciclo menstrual.

Pode, com já se viu, ser resolvidas com medidas relativamente simples.

Fonte: www.resenet.com.br/www.medchinesa.com.br/www.assufemg.org.br

Veja também

triptofano

Triptofano

PUBLICIDADE O triptofano é um aminoácido, uma proteína sem a qual os seres humanos não …

melatonina

Melatonina

PUBLICIDADE A melatonina é um hormônio produzido pelo nosso cérebro, e esse hormônio interfere em …

Kefir

Kefir

PUBLICIDADE Alimentos probióticos são microrganismos vivos que ajudam a equilibrar a flora intestinal. A flora …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.