Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Prótese Mamária  Voltar

Próteses Mamárias

 

Próteses Mamárias

A cirurgia de aumento das mamas é, sem dúvida nenhuma, uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelas mulheres atualmente. Por isso, surgem novas técnicas para apresentar resultados que beiram a perfeição

A colocação de próteses de silicone nos seios é, com certeza, uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelas mulheres hoje em dia. Principalmente, porque o padrão de beleza atual pede seios fartos, não importando se são naturais ou artificiais. O que pesa mesmo na decisão de se submeter a esse tipo de cirurgia é o resultado final.

O aumento das mamas ou mamoplastia de aumento de volume de mama é geralmente efetuado em mulheres que apresentam mamas não desenvolvidas e desejam um busto maior. Também é realizado nos casos de diminuição do volume das mamas devido à gravidez ou perda de peso, em mulheres com mamas assimétricas, isto é, desiguais, e naquelas que necessitam reconstruir a mama após mastectomia (cirurgia para retirada da mama nos casos de câncer).

Essa cirurgia apresenta ótimos resultados, principalmente devido ao surgimento de novas próteses de silicone em gel, que podem ter membranas porosas (texturizadas) ou ser revestidas de poliuretano. Essas próteses facilitam o processo de cicatrização interna e dão um aspecto bem mais natural às mamas.

O desenvolvimento de técnicas inovadoras também ajudou a tornar a mamoplastia de aumento de mamas mais segura e capaz de oferecer resultados que transformam os seios em verdadeiras obras-primas.

É o caso da técnica de implante de retalhos musculares, a mais recente novidade nessa área, que está sendo aplicada pelo Dr. José de Gervais Filho, Membro Titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O método é utilizado nos casos em que as pacientes desejam ter uma mama bem aumentada. "A maior prótese que já coloquei com essa técnica foi a de 305 ml. Mas, com ela, a paciente pôde pular do sutiã número 42 para o número 48!", afirma o cirurgião.

Nesse tipo de cirurgia, são feitos retalhos no músculo peitoral para cobrir e acomodar a prótese numa espécie de bolsa que se cria entre a mama e o músculo. "O objetivo é proteger a borda da prótese, que, após a formação da cápsula, precisa ficar bem posicionada embaixo da musculatura peitoral. Com isso, evita-se que as próteses fiquem marcadas e sensíveis ao tato, dando, assim, um aspecto mais natural ao seio. Como acontece com qualquer corpo estranho no organismo, essa cápsula ao redor da prótese é uma forma de proteção do corpo, para evitar rejeição", explica o especialista.

"Venho usando retalhos musculares desde que notei algumas pacientes apresentando dobras e pontas na pele após a cirurgia. Desde então, prefiro fazer a prevenção, utilizando a técnica", afirma o Dr. Gervais. O implante de retalhos musculares não oferece restrições de idade. "Já operei pacientes na faixa dos 60 anos", diz o médico.

Próteses Mamárias

O cirurgião plástico garante ainda que, mesmo sem filhos, a mulher pode se submeter à cirurgia e, posteriormente, engravidar e amamentar sem problemas. Segundo ele, o centro da prótese fica embaixo da glândula mamária, com isso, os canais que levam o leite materno ao mamilo não são afetados.

Procedimento simples

A inclusão de prótese mamária de silicone pela técnica de implante de retalhos musculares pode ser realizada em âmbito ambulatorial, com anestesia local e sedação, e o tempo da cirurgia é de cerca de 1 hora. De acordo com o Dr. Gervais, a técnica é tão simples que 95% das pacientes recebem alta no mesmo dia. "O tipo de prótese de silicone utilizado é em gel texturizado, porque é fácil de manusear e apresenta menor índice de efeitos colaterais", diz o médico.

A prótese é colocada por meio de uma incisão na metade inferior do círculo da aréola, formando uma meia-lua. Dessa maneira, a cicatriz praticamente não aparece, ficando "disfarçada" na junção da pele do seio com a do mamilo.

No pré-operatório, os exames solicitados são o da rotina sangüínea, o raio-X do tórax, o eletrocardiograma e a mamografia.

No pós-operatório, orienta-se a paciente para que ela fique em repouso por 10 dias, evitando levantar peso, fazer esforço, etc. Não há necessidade de sutiã especial, pode-se usar um sutiã comum, desde que não seja aramado, o que pode marcar a mama.

Próteses Mamárias

A prótese geralmente não provoca qualquer reação no pós-operatório, e o edema (inchaço), decorrente da manipulação da mama, não costuma ser grande. Nada que uma boa drenagem linfática posterior não solucione.

Depois da retirada dos pontos, a paciente deve cuidar do seio utilizando um gel especial indicado pelo especialista, o qual ajuda a manter a cicatriz quase imperceptível.

Se a paciente sentir desconforto, dores, ter febre e outras reações, deve marcar outra operação para retirar a prótese, no máximo três meses após a colocação, para não haver distensão da pele.

Antigamente, recomendava-se a troca da prótese a cada dez ou 15 anos. Hoje, como o material da prótese é mais moderno, não há um período específico para a troca, mas o controle médico com exames deve ser anual. O custo da cirurgia varia muito, dependendo de uma avaliação da paciente e do especialista escolhido.

Como toda intervenção cirúrgica, essa técnica tem seus prós e contras. "Ela diminui as marcas sobre a pele, mas, por ser mais trabalhosa, é um pouco mais dolorosa. Entretanto, a dor não é nada intolerável e pode ser resolvida com qualquer analgésico comum", diz o Dr. Gervais.

O silicone

Há muito tempo, as próteses de silicone são utilizadas para promoverem o aumento do volume das mamas e no tratamento de mamas flácidas. Nos últimos anos houve um grande aumento na procura por cirurgiões plásticos para realizar a cirurgia de inclusão de próteses de silicone. Isto ocorreu pela valorização de formas corporais mais acentuadas em nosso país. E isto gera algumas dúvidas e um certo grau de desinformação em relação ao uso do silicone.

O silicone é um material sintético totalmente inerte ao organismo, ou seja, ele não causa mal algum ao corpo e hoje é de conhecimento médico que sua utilização é completamente segura.

A prótese de silicone utilizada na cirurgia das mamas não causa aumento na incidência de câncer de mama e nem outro tipo de doença das mamas, nem atrapalha na investigação e diagnóstico de doenças mamárias.

Existe uma informação de que situações de rejeição da prótese de silicone possam ocorrer. Esta informação é equívoca, pois o processo de rejeição é uma situação biológica onde um elemento ou material estranho ao organismo gera uma resposta inflamatória levando a rejeição, ou uma “não aceitação” do material, pelo organismo. Isto não ocorre com o silicone, que por ser inerte não desencadeia uma resposta inflamatória no organismo e assim, não sofre rejeição.

A situação que é confundida com rejeição é representada pela contratura capsular. Ao ser inclusa sob a mama a prótese de silicone, pelo processo normal de cicatrização, é envolvida por uma cápsula de tecido cicatricial. Como toda cicatriz, a cápsula tende a sofrer uma diminuição no seu tamanho, o que é um fenômeno normal e chama-se contratura cicatricial, que tem por finalidade reduzir o tamanho da cicatriz.

No caso de uma prótese, ao ocorrer a contratura da cápsula, podem surgir regiõesendurecidas na mama, dor local e deformidade da prótese. Dependendo da intensidade destes fenômenos pode ser necessária a remoção da prótese ou a sua troca por uma nova.

O fenômeno da contratura capsular sempre ocorre em todas as mamas com inclusão de próteses de silicone. O tempo para sua ocorrência e a intensidade desta contratura é variado e depende do indivíduo e de aspectos relacionados a características individuas de sua cicatrização. Por este motivo os cirurgiões plásticos orientam as pacientes que desejam fazer a inclusão de uma prótese de silicone para a necessidade de se fazer a troca da prótese caso haja a ocorrência de uma contratura.

O tempo em que esta troca deverá ser feita varia de acordo com o tempo que vai levar para que ocorra a contratura, e esta seja motivo de transtorno a paciente. Na grande maioria dos casos este período é superior a dez anos, apesar de existirem casos onde este período é muito mais curto, o que significa dizer que uma prótese de mama deverá ser trocada em um prazo de aproximadamente dez anos, na grande maioria dos casos, quando da ocorrência de uma contratura de grande intensidade.

Estes aspectos não representam problemas no uso da prótese de silicone que apresenta grande segurança, não interfere no diagnóstico e tratamento de doenças mamárias e seu uso é justificado pela qualidade dos resultados obtidos, onde a forma e aspecto final das mamas que sofreram inclusão de uma prótese garantem a mulher um grande bem estar, melhora de auto estima e uma linda harmonia corporal que não podem ser obtidos com nenhuma outra técnica cirúrgica sem que grandes cicatrizes estejampresentes.

O volume do implante a ser utilizado é definido pelo cirurgião plástico em concordância com dois aspectos importantes:

Desejo da paciente - Harmonia corporal

Na consulta, a paciente deve expressar a seu médico de forma bem clara o seu desejo em relação ao resultado da cirurgia, levando em consideração o volume final que quer obter para as mamas.

Afim disso é preciso que a paciente tenha bem consolidado em sua mente este desejo, levando em consideração apenas aspectos pessoais, pois quando isto ocorre de forma projetiva, ou seja, quando o desejo da paciente se baseia em um desejo de outras pessoas ou em referências, como modelos famosas, atrizes,ou conhecidos, pode ocorrer arrependimento após a realização da inclusão de um implante de volume inadequado às expectativas da paciente.

O cirurgião plástico após a análise do desejo da paciente irá associar informações obtidas no exame clínico e levando em consideração a harmonia corporal global, ou seja, dimensões do tórax, quadril, mamas, altura e peso; formas do tórax, cintura, quadril e coxas, fará a proposta de um volume de implante a ser utilizado.

Esta proposta deverá ser discutida com a paciente, onde o cirurgião deve expor os fatores que o levaram a fazer a opção, e em concordância com a paciente definir o melhor volume de implante a ser utilizado. O cirurgião plástico não é o “dono” da mama da paciente e, portanto, não pode de forma alguma impor a esta a utilização de um ou outro volume de implante.

O volume final a ser utilizado será aquele que estiver em concordância com a paciente, isto pode ser algo complexo pela dificuldadeda paciente em visualizar o resultado do aumento de volume obtido, mas para isto existem métodos que o cirurgião plástico deve usar para demonstrar, ou simular, o resultado final obtido, como por exemplo o uso de moldes mamários (Mama Sizer®) ou outro método que permita a paciente visualizar o volume mamário final após a cirurgia.

Assim, com o uso de um implante de volume adequado que atenda as esxpectativas da paciente, excelentes resultados são obtidos com o uso de próteses de silicone para cirurgias de mama, não que isto signifique Grandes Mamas como resultado, e o silicone é a solução para a correção mamas muito pequenas ou muito flácidas.

Iversen Ferrante Boscoli

Fonte: plasticaebeleza.terra.com.br/ www.cirurgiaesteticareparadora.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal