Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Conspiração dos Suassunas  Voltar

Conspiração dos Suassunas

 

Muitas revoltas tornavam claras as insatisfações dos colonos contra os desmandos de Portugal.

Havia também a divulgação das idéias liberais, importantes para aprofundar a crise do sistema colonial. Nesse contexto, a Conspiração dos Suassunas em Pernambuco estimulou o debate político contra o sistema colonial português.

Na segunda metade do século XVIII, com a decadência da mineração, maior rigor do fiscalismo português e influência das ideias iluministas, surgiram movimentos de contestação ao domínio português e de reivindicação de independência política. A Conspiração dos Suassunas ocorreu em Olinda em 1801 a partir de membros do Aerópago do Itambé e do seminário de Olinda, sob a liderança dos irmãos Cavalcanti, importantes fazendeiros da região.

Reuniões

Em 1801, foi descoberta e sustada a misteriosa conspiração dos Suassunas, que tinha por fim, transformar Pernambuco em uma República, sobre a proteção de Napoleão Bonaparte, com a prisão dos irmãos Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque, Luis e José.

Estas reuniões realizadas em lojas maçônicas- em suas residências, na cidade de Itambé vamos encontrar Dr.Manoel de Arruda Câmara, em Jaboatão no Engenho dos Suassuna – temos o Sr. Francisco de Paula Cavalcanti de Albuquerque (que em 1835 foi Governador em Pernambuco) e a terceira loja maçônica ficava no Pátio do Paraíso, na Atual Av. Dantas Barreto, defronte do prédio INSS.

A CONSPIRAÇÃO DOS SUASSUNAS

Em Pernambuco, os princípios franceses também eram debatidos por algumas pessoas que se reuniam no Areó-pago de ltambé (fundado em 1798) e por padres e alunos do Seminário de Olinda (fundado em 1800).

A partir das discussões no Areópago de Itambé, desenvolveu-se mais uma conjuração contra o domínio português no Brasil. A ideia era formar em Pernambuco uma república sob a proteção de Napoleão Bonaparte. Da conspiração participavam os irmãos Cavalcanti, proprietários do engenho Suassuna, de onde veio o nome do movimento.

Em 21 de maio de 1801, um delator informou as autoridades da capitania dos planos dos revoltosos. Seguiram-se diversas prisões, mas os implicados foram absolvidos por falta de provas. Apesar da repressão aos envolvidos na Conspiração dos Suassunas, seus ideais libertários iriam reaparecer poucos anos depois na Revolução Pernambucana de 1817.

REVOLUÇÃO PERNAMBUCANA (1817)

Origem: Conspiração dos Suassunas (1801)

Participação:

Maçonaria – Loja Pernambuco do Ocidente
Sociedades Secretas – Areópago de Itambé
Seminário de Olinda (Frei Joaquim do Amor Divino e Caneca)

Motivos:

Decadência econômica do Nordeste
Alta carga tributária
Seca de 1816.

Adesões:

Capitania do rio Grande do Norte

Fonte: www.dialetico.com

Conspiração dos Suassunas

(1801)

Expressando os ideais libertários em Pernambuco, ocorreu em 1801 a conspiração dos Suassunas, que, entre outras coisas, preconizava tomar Napoleão como protetor. Encontram-se aqui os germes da Revolução de 1817.

Os principais líderes da conspiração foram os três irmãos, Francisco de Paula, Luís Francisco de Paula e José Francisco de Paula Cavalcanti e Albuquerque, sendo o primeiro o dono do engenho Suassuna, nome pelo qual ficou conhecida a conspiração.

Todavia, esse episódio é pouco conhecido, por não ter ultrapassado o plano das tramas e porque a devassa ocorreu sigilosamente, dada a importância dos implicados.

Mas o fracasso da conspiração trouxe conseqüências imediatas, como o fechamento do Areópago de Itambé em 1802, que, no entanto, ressurgiu em seguida com o nome de Academia dos Suassunas, cuja sede era o próprio engenho dos antigos inconfidentes de 1801.

Apesar das repressões, o espírito de contestação difundido pelas sociedades secretas e pelo Seminário de Olinda não se desfez, ganhar do, ao contrário, novos e numerosos adeptos.

Fonte: www.culturabrasil.org

Conspiração dos Suassunas

Conspiração dos Suassunas – 1798

Iniciada em Pernambuco, no final do século XVIII. Nesse movimento, assim como na conjuração baiana, a maçonaria tem grande participação.

Local de divulgação dos ideais revolucionários: Aerópago de Itambé – 1798, fechada em 1802.

Pouco tempo depois reaberta com novo nome: Academia de Suassuna – 1802

O objetivo era construir uma sociedade fortemente inspirada nos ideais europeus iluministas. Uma sociedade democrática no Brasil e independente dos portugueses. O Aerópago era uma espécie de escola, onde nele se ensinavam esses ideais, onde o ódio a monarquia era pregado – a ideia era demonstrar a exploração do governo monárquico absolutista.

A estratégia era fazer a revolução doutrinada na independência e no governo pernambucano – havia uma regra: NÃO aceitaria nenhum europeu.

Por fim, acabaram sendo acusados de terem a intenção de construir um país subordinado a Napoleão Bonaparte.

A grande particularidade do movimento dos Suassunas era a falta de ação: Era um plano de revolta, um discurso sem ação.

Fonte: historialecionada.com

Conspiração dos Suassunas

(1801)

Todos os movimentos de conjuração refletiram a insatisfação e a inquietação que atingia a Colônia.

No entanto, naquele momento, apresentavam-se como manifestações regionais. Não havia o sentimento de libertar o Brasil, apenas o desejo de libertar a região.

A dificuldade dos meios de transporte, ocasionando a formação de núcleos isolados, que mal se comunicavam, e o analfabetismo faziam com que o acesso às idéias liberais francesas fosse privilégio de muito poucos.

Conspiração dos Suassunas
Emil Bauch, Pernambuco, 1852

As "infames idéias francesas" alcançaram também a Capitania de Pernambuco.

Em 1798, o padre Arruda Câmara fundou uma sociedade secreta chamada Areópago de Itambé, provavelmente ligada à Maçonaria, que "...tinha por fim tornar conhecido o Estado Geral da Europa, os estremecimentos dos governos absolutos, sob o influxo das idéias democráticas..."

Em 1801, influenciados pelos ideais republicanos, os irmãos Suassuna, Francisco de Paula, Luís Francisco e José Francisco de Paula Cavalcante de Albuquerque, proprietários do Engenho Suassuna lideraram uma conspiração que se propunha a elaborar um projeto de independência de Pernambuco.

Os conspiradores foram denunciados e presos e, mais tarde, libertados por falta de provas.

Conspiração dos Suassunas
Casa de Detenção em Recife onde estiveram, por alguns dias, os acusado de participar da conspiração

Fonte: www.multirio.rj.gov.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal