Breaking News
Home / História do Brasil / História do Pneu

História do Pneu

PUBLICIDADE

História do Pneu – Invenção

Como muitas das maiores invenções da humanidade; o pneu também tem sua história peculiar.

Em 1834, uma alfaiataria de Massachusetts presenteou o então presidente dos Estados Unidos, Andrew Jackson, com um terno impermeável.

A goma aplicada ao terno ficou conhecida como borracha.

Na mesma alfaiataria, o filho de um inventor de ferramentas foi designado para resolver um dos maiores problemas da borracha: endurecer no frio e derreter no calor.

Seu nome: Charles Goodyear.

Depois de até ser preso por não conseguir pagar suas dívidas (adquiriu empréstimos para suas pesquisas), Goodyear encontrou a fórmula: cozinhar a borracha em altas temperaturas. Isso aconteceu em 1839. Dois anos depois, ele pediu a patente de vulcanização da borracha.

Em 1845, um engenheiro escocês revestiu as rodas de sua carruagem com borracha vulcanizada inflada com ar, para diminuir o barulho e torná-la mais macia.

Em 1888, John Boyd Dunlop, também escocês mas que vivia na Irlanda, descobriu uma maneira de evitar as quedas de seus filhos na bicicleta: costurou uma válvula a um tubo de borracha e encheu esse tubo com ar, cobrindo com um pedaço de lona. Assim surgiu o primeiro pneu para bicicletas.

Na França, os irmãos Édouard e André Michelin foram os primeiros a patentear o pneu para automóveis.

Em 1894, haviam naquele país apenas 200 carros, todos com motores a vapor e pneus de borracha maciça. Numa corrida entre Paris e Bordeaux, em 1895, os irmãos Michelin inscreveram um carro com pneu inflável, que ganhou a corrida com certa folga. O problema eram os constantes furos nos pneus.

Em 1903, diante do grande sucesso, eles foram negociar seu produto numa pequena mas promissora cidade americana chamada Detroit, onde acabava de ser montada uma grande fábrica de automóveis: a Ford.

História do Pneu
História do Pneu

Em seguida, vieram pedidos de patentes de outros fabricantes: Pirelli, Firestone, Goodyear e muitas outras.

história do pneu tem curiosidade. Quem fundou a Goodyear não foi Charles Goodyear, mas Frank A. Sciberling, que deu à sua empresa o nome Goodyear, em homenagem ao inventor do processo de vulcanização da borracha. Já o boneco Bibendum, da Michelin, foi criado quando os irmãos Michelin viram uma pilha de pneus que, de longe, parecia uma pessoa.

No Brasil, a história começa com escritórios de importação de firmas europeias e norte-americanas.

Em 1939, seria inaugurada a primeira fábrica de pneus do país: a Goodyear. No ano seguinte viria a Firestone, e em 1941 a Pirelli, que já tinha aqui uma fábrica de fios elétricos.

História do Pneu – Roda

roda foi inventada por volta de 3500 aC, tornando-se uma das maiores inovações do homem. Em sua forma mais antiga, a roda era um pedaço de madeira curvado.

O couro acabou sendo adicionado para tornar o passeio mais macio. Com o tempo, o couro foi substituído por borracha. O pneu de borracha original era de borracha maciça, sem ar, e era usado por veículos de baixa velocidade.

Benz inventou o primeiro carro a gasolina em 1888, equipado com pneus de metal cobertos com borracha cheia de ar. Este foi o início do pneu pneumático, que foi visto pela primeira vez pelo público em uma corrida automobilística Paris-Bordeaux-Paris. O pneu da banda de rodagem foi introduzido em 1905.

A banda de rodagem foi projetada para proteger a carcaça do pneu do contato direto com a estrada. Também melhorou o coeficiente de atrito do pneu.

A década de 1920 viu o desenvolvimento de materiais de pneus. A DuPont Company industrializou a borracha sintética em 1931, permitindo o aumento da produção de pneus, que antes dependia da borracha natural.

A borracha sintética inaugurou um ponto de virada na produção de pneus. O pneu balão, pneu de baixa pressão que tinha maior área de contato com a superfície da estrada, foi introduzido em 1923.

Os pneus sem câmara foram desenvolvidos em 1947 na tentativa de aliviar o alto custo dos preços do petróleo. Os pneus sem câmara contribuíram para a redução do peso do veículo, permitindo uma economia significativa nos custos de combustível.

Os primeiros pneus de inverno ou pneus de neve foram introduzidos na Finlândia em 1934, quando a Nokian fabricou caminhões de pneus projetados para lidar com tempestades.

pneu radial foi inventado na década de 1950. É um tipo de pneu com as cordas e lonas da carcaça dispostas verticalmente ao sentido de condução.

Os pneus radiais acabaram por ter melhor economia de combustível em comparação com outros pneus. Eles forneceram contato uniforme do piso com a superfície da estrada.

Isso ofereceu boa estabilidade de condução, mesmo em altas velocidades.

pneu Run Flat foi desenvolvido em 1979. Ele permitia que os veículos continuassem dirigindo até 50 milhas a 50 mph com um pneu furado. Vários tipos de pneus foram projetados posteriormente, incluindo pneus ecologicamente corretos, bem como o pneu Ultra High Performance. Os pneus UHP têm diâmetros superiores a 16 polegadas e permitem curvas, frenagem e dirigibilidade superiores. Atualmente, as empresas de pneus estão trabalhando em um pneu não pneumático criado a partir de um material único que pode ser reutilizado ou reciclado.

História do Pneu – Evolução

A roda:

Para apreciar plenamente a história dos pneus, você deve primeiro olhar para a evolução da própria roda. A maior invenção do homem, a roda foi registrada pela primeira vez em 3500 aC na era neolítica, pouco antes da idade do bronze. Começando com a agricultura, as rodas logo foram usadas em tudo, de carruagens a brinquedos, e são um símbolo do avanço tecnológico humano.

Você poderia imaginar a vida antes das rodas?

Não seria divertido, para dizer o mínimo.

Roda

Os primeiros pneus:

Uma das principais questões das rodas foi e é, desgaste. Embora a rotação constante em torno de um eixo central fosse excelente para transportar coisas pesadas ou se mover rapidamente, isso significava que a roda se desgastaria lentamente com o tempo. Eles também não se desgastariam uniformemente. Uma lasca, uma pedra ou um simples desgaste irregular faria com que a roda não ficasse mais por perto, causando a cara tarefa de substituir algo que não estava totalmente quebrado.

O que era necessário era uma camada descartável que absorvesse os danos, desgastasse e fosse facilmente substituída a um custo muito mais acessível do que uma roda nova. É isso que um pneu faz.

Apesar da necessidade que eles preencheram, os pneus são uma invenção relativamente recente. Os primeiros tipos de pneus eram tiras de couro enroladas em uma roda de madeira.

O couro foi rapidamente substituído por pulseiras de metal que duraram muito mais tempo. O surgimento de trens e redes ferroviárias introduziu pneus de aço em rodas de trem de metal.

As bandas foram aquecidas por um Wheelwright que aqueceu o pneu, colocou-o sobre a roda e depois o extinguiu. Isso faria com que o metal se contraísse e se encaixasse firmemente ao redor da roda.

Se você acha que pneus de metal parecem desconfortáveis, você está certo. Pneus de metal foram usados em vagões que foram usados para domar o Ocidente porque eram duradouros e baratos, mas muito desconfortáveis, não particularmente ou confiáveis. Uma torção e todo o pneu teria que ser retirado.

Vulcanização:

Isso é até que a vulcanização surgiu. Descoberta por Charles Goodyear, a vulcanização é basicamente quando a borracha é aquecida com enxofre.

Esse processo transforma a borracha de um material macio e pegajoso em algo firme e flexível, tornando a borracha perfeita para pneus.

Uma vez que a vulcanização se tornou mais refinada, a borracha tornou-se o novo material de escolha para pneus. Eles eram fortes, podiam suportar danos razoáveis e tinham boa absorção de choque. No entanto, eles eram pesados e ainda davam um passeio desconfortável.

Pneus de borracha maciça

Logo após a descoberta da vulcanização, os pneus eram feitos de borracha maciça. Esses pneus eram fortes, absorviam choques e resistiam a cortes e abrasões. Embora fossem uma grande melhoria, esses pneus eram muito pesados e não proporcionavam um passeio suave.

Hoje ainda existem tipos de pneus feitos de borracha maciça.

Pneus Pneumáticos:

Em 1847, Robert W. Thompson, um engenheiro escocês, criou e patenteou o primeiro pneu cheio de ar. Infelizmente, não foi colocado em produção e a ideia parou.

Mas em 1888 em Belfast, Irlanda. Nascido na Escócia, John Boyd Dunlop criou o primeiro pneu pneumático de sucesso. Dunlop já era um homem rico, dono de consultórios veterinários de sucesso no país, mas começou a desenvolver o pneu depois que seu filho reclamou do passeio duro de sua bicicleta e seus pneus de borracha sólida.

O produto teve tanto sucesso que, um ano depois de lançado, venceu corridas de bicicleta na Irlanda e na Inglaterra. Nos anos seguintes, a Dunlop trabalhou arduamente para desenvolver pneus para todos os veículos, desde bicicletas a carros e camiões. Entre 1890 e 1920, o pneu pneumático de borracha passou por uma série de desenvolvimentos, tanto pela Dunlop quanto por outros como Thomas Hancock.

Camadas de viés e pneus radiais:

Na década de 1920, as borrachas sintéticas foram desenvolvidas para pneus e, por algumas décadas, os pneus ‘Bias Ply’ eram o que todos usavam.

Esses pneus eram compostos de duas partes separadas:

Um tubo interno inflado
O pneu ou carcaça externa.

O tubo interno foi pressurizado e protegido pelo invólucro externo. O invólucro externo era feito de camadas chamadas plies.

Após a Segunda Guerra Mundial, a Michelin desenvolveu pneus radiais e foi um grande passo no desenvolvimento de pneus. Mesmo sendo um produto muito superior, os pneus radiais demoraram a pegar nos EUA.

Somente no início da década de 1970 os pneus radiais começaram a se tornar a tecnologia dominante.

Desde então, os pneus radiais se tornaram a norma tanto aqui nos EUA quanto em todo o mundo. E bilhões de pneus estão sendo fabricados todos os anos.

Recauchutagem/Remoldagem:

As recauchutagens existem há quase tanto tempo quanto os próprios pneus modernos. As recauchutagens foram introduzidas quando os pneus de lona viés eram a norma.

Eles começaram como um método econômico de reutilização de carcaças de pneus de boa qualidade.

O desenvolvimento das recauchutagens pode ser atribuído a Marion Oliver, que em 1912 desenvolveu e patenteou as bandas de rodagem pré-curadas.

O método é semelhante ao processo de recauchutagem moderno: primeiro, a carcaça foi polida de volta à base e, em seguida, uma nova camada de pneu foi adicionada no topo.

As recauchutagens tornaram-se particularmente populares durante a Grande Depressão. As pessoas podiam usar pneus até ficarem desgastados e recauchutá-los.

A Segunda Guerra Mundial teve um efeito semelhante na indústria de reforma. Como os Estados Unidos do pós-guerra lutavam para sobreviver, as recauchutagens eram uma maneira econômica de manter carros e caminhões na estrada.

Entre 1942 e 1944, a indústria de recauchutagem cresceu 500%. As borrachas naturais finalmente deram lugar às sintéticas para sempre e foram desenvolvidos mais avanços tecnológicos que permitiram que as recauchutagens fossem mais seguras e se aproximassem em desempenho dos pneus novos.

No entanto, devido a uma mistura de razões, incluindo a queda no custo de pneus novos, a reforma de pneus diminuiu lentamente nos anos 60, 70 e 80.

A recauchutagem tornou-se um ressurgimento nos anos 90, quando as máquinas de recauchutagem de pneus controladas por computador se tornaram amplamente disponíveis.

Também foram desenvolvidas máquinas que podem escancear pneus com tecnologia de ultra-som e raio-x, o que tornou a seleção de casos e, por sua vez, pneus reformados ainda mais seguros.

As recauchutagens modernas podem durar tanto quanto os pneus novos e são igualmente seguras.

História do Pneu – O Ciclo da Borracha

Alguns autores que escreveram sobre as aplicações da borracha ao longo dos tempos citam, com doses variadas de intensidade ou desdém, mas sempre consideráveis, que o norte-americano Charles Goodyear (1800-1860) simplesmente havia deixado cair enxofre em um tacho contendo borracha quente e, assim, de forma acidental, descobriu a vulcanização. Sendo Goodyear um inventor, assim como seu pai, é bastante provável que isso seja apenas folklore e que, de acidental, a vulcanização não tenha nada.

Em 1836, Charles Goodyear, conseguiu um contrato para fornecer sacos postais de borracha para o departamento de correios dos EUA.

No entanto, havia um grande problema: os sacos de borracha produzidos por Goodyear eram muitos ruins durante boa parte do ano, já que endureciam demais no inverno e praticamente se desmanchavam no verão.

Então, conjugando sua criatividade de inventor com o desejo de não perder um vantajoso contrato comercial, Goodyear enfrentou o desafio de produzir uma borracha de melhor qualidade.

Após três anos de exaustivas pesquisas, nas quais testou dezenas de substâncias misturadas à borracha, Goodyear chegou inclusive a trabalhar com o enxofre.

História do PneuCharles Goodyear

Foi exatamente quando começou a trabalhar com este elemento químico que ele encontrou a solução dos seus problemas: ao respingar uma parte da mistura de borracha e enxofre na chapa quente do fogão, Goodyear notou que a borracha não fundia na madeira esperada e resolveu pesquisar a fundo as misturas com enxofre. Algum tempo depois, surgia a borracha vulcanizada, nome atribuído em homenagem a Vulcano, deus romano do fogo.

Como o produto obtido na vulcanização era bastante elástico e resistente às variações de temperatura, pneus, tubos, capas e mais uma enorme quantidade de objetos passaram a ser produzidos com borracha vulcanizada.

Mas, apesar de todo o seu esforço, Goodyear enfrentou enormes problemas judiciais para patentear sua descoberta que o inglês Thomas Hancock também reivindicava os direitos da mesma invenção.

Em virtude de todos esses problemas, Charles Goodyear passou o resto da vida tentando, em vão, o reconhecimento de seus direitos. Infelizmente, em 1860, ele morreu na miséria.

Fonte: br.geocities.com/burtbrothers.com/www.treadwright.com

 

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Semana de Arte Moderna

Semana de Arte Moderna

PUBLICIDADE Semana de Arte Moderna – O que foi Nas primeiras décadas do século XX, …

República da Espada

República da Espada

PUBLICIDADE O que foi a República da Espada? O Governo do Mal. Deodoro da Fonseca …

Questão Christie

Questão Christie

PUBLICIDADE O que foi a Questão Christie? Em dezembro de 1861 o navio príncipe de Wales, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.