Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Cronologia Da História Do Brasil  Voltar

CRONOLOGIA DA HISTÓRIA DO BRASIL

Portugal surge como reino independente. Seu primeiro rei é Afonso Henriques.

1389

Tem início a dinastia de Avis, com D. João I, iniciando-se a história da expansão marítima portuguesa.

1415

Os portugueses conquistaram a cidade norte-africana de Ceuta. Este é o marco inaugural da expansão marítima.

1453

Tomada de Constantinopla pelos turcos. Este é o início da Idade Moderna. O comércio no Mediterrâneo sofre bloqueio turco. O episódio dá novo impulso à necessidade de se procurar novo caminho para as Índias.

1488

O navegador Bartolomeu Dias dobra o Cabo da Boa Esperança.

1492

Cristóvão Colombo, navegando a serviço da Espanha, descobre a América.

1494

Espanha e Portugal assinam o Tratado de Tordesilhas.

1498

Vasco da Gama atinge Calicute, na Índia, contornando a costa africana.

1499

Os irmãos Pinzón percorrem a costa das Guianas e do Brasil, até a altura do rio Amazonas.

1500

Pedro Álvares Cabral chega ao Brasil, tomando posse da terra em nome da Coroa Portuguesa.

1509

Diogo Álvares Correia (O Caramuru) funda o primeiro estabelecimento português no Brasil.

1530

Expedição colonizadora de Martim Afonso ao Brasil.

1532

Fundação, por Martim Afonso, da primeira vila do Brasil, a Vila de São Vicente.

1534

O Brasil é dividido em capitanias hereditárias. Início da colonização sistemática.

1548

Cria-se o governo-geral com o intuito de centralizar a administração da Colônia.

1550

Chega a Salvador a primeira leva de escravos africanos.

1555

Os franceses fundam a França Antártida, no Rio de Janeiro.

1556

Proibição oficial da Coroa espanhola quanto ao emprego das palavras "conquista" e "conquistador".

1567

Os franceses são expulsos do Rio de Janeiro.

1570

Carta régia de D. Sebastião garantindo a liberdade dos índios. Mas as leis não são suficientes para conter os ataques e violências contra os índios.

1571

D. Sebastião decreta que somente navios portugueses transportem mercadorias para o Brasil.

1580

Início do domínio espanhol, também chamado União Ibérica. Prolonga-se até 1640.

1612

Os franceses invadem o Maranhão e fundam a França Equinocial.

1615

Os franceses são expulsos do Maranhão.

1624

Os holandeses invadem a capital da Colônia, Salvador.

1625

Os holandeses são expulsos da Bahia.

1630

Os holandeses iniciam a invasão de Pernambuco. Só serão expulsos em 1654.

1635

É liqüidada a resistência luso-brasileira comandada por Matias de Albuquerque.

1637

Maurício de Nassau chega ao Brasil e inicia sua habilidosa administração.

D. João IV restaura o trono português pondo fim ao domínio espanhol.

1644

Desentendendo-se com a Companhia das Índias Ocidentais, Maurício de Nassau deixa o cargo de governador.

1648

Vitória dos luso-brasileiros contra os holandeses na primeira batalha dos Guararapes ( a segunda foi em 1649).

1654

Os holandeses assinam sua rendição na Campina da Taborda.

1661

Os holandeses reconhecem oficialmente a perda do nordeste brasileiro e assinam o tratado de paz de Haia.

1674

Bandeira de Fernão Dias Pais Leme parte em direção ao sertão de Minas Gerais.

1684

Explode, no Maranhão, a Revolta liderada pelo senhor de engenho Manuel Beckman.

1690 a 1695

São encontradas as primeiras jazidas de ouro no Brasil.

1694

O bandeirante Domingos Jorge Velho (sertanismo de contrato) destrói o quilombo dos Palmares.

1701

É proibida a criação de gado numa faixa de dez léguas a partia do litoral.

1702

É criada a Intendência das Minas, tendo como função básica distribuir terras para a exploração do ouro e cobrar tributos para a Fazenda Real.

1703

Portugal e Inglaterra assinam o Tratado de Methuen (Tratado dos Panos e Vinhos), que teve importante repercussão na vida econômica portuguesa.

1708

Tem início a Guerra dos Emboabas.

1710

Explode a Guerra dos Mascates, conflito entre os senhores de engenho de Olinda e os comerciantes de Recife.

1713

Tratado de Utrecht (a França aceitava o rio Oiapoque como limite entre a Guiana e o Brasil).

1715

Tratado de Utrecht ( a Espanha concordava em devolver a Colônia do Sacramento a Portugal).

1720

São criadas as Casas de Fundição, onde todo o ouro deveria ser levado para a transformação em barras. Ao receber o ouro, as Casas retiravam a parte correspondente ao imposto (quinto). Nesse mesmo ano, explode a Revolta de Vila Rica, em protesto contra a criação das Casas de Fundição.

1729

Tem início a produção de diamantes no arraial do Tijuco, atual cidade de Diamantina, em Minas Gerais.

1750

É determinado que o resultado do quinto não poderia ser menor do que 100 arrobas de ouro por ano. Tratado de Madri estabelece a posse portuguesa além da linha de Tordesilhas. Além disso, determinava que a Colônia do Sacramento pertencia aos espanhóis, e a região dos Sete Povos das Missões pertencia aos portugueses.

1759

Expulsão dos jesuítas do Brasil, por determinação do marquês do Pombal.

1761

Acordo do Pardo (Espanha e Portugal anulam o Tratado de Madri).

1763

A capital do Estado do Brasil é transferida de Salvador para o Rio de Janeiro.

1765

Foi decretada a Derrama, pela qual obrigava-se a população mineradora a completar a soma acumulada do imposto devido.

1771

Começa a funcionar a enérgica atuação da Intendência dos Diamantes.

1777

Tratado de Santo Ildefonso (a Espanha ficaria com a Colônia do Sacramento e a região dos Sete Povos das Missões, mas devolveria terras que havia ocupado nos atuais estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

1789

Organiza-se a Conjuração Mineira, que teve como desfecho a condenação à morte de Tiradentes (21 de abril de 1792).

1798

Prepara-se a Conjuração Baiana, que contou com significativa participação das camadas populares. Esta rebelião teve como desfecho a pena de morte aplicada a João de Deus, Manuel Faustino, Lucas Dantas e Luís Gonzaga das Virgens (8 de novembro de 1799).

1801

Tratado de Badajós (a Espanha renuncia à posse dos Sete Povos das Missões, e Portugal confirma o direito espanhol à Colônia do Sacramento).

1806

Napoleão Bonaparte decreta o Bloqueio Continental contra a Inglaterra.

1807

Recusando-se a aderir ao Bloqueio Continental, Portugal é invadido por tropas franco-espanholas. Em novembro desse ano, a família real abandona o território português, transferindo a sede do reino para o Brasil.

1808

D. João chega ao Brasil. Pressionado pela Inglaterra, assina o decreto da abertura dos portos, rompendo com o monopólio do comércio colonial.

1810

Portugal e Inglaterra assinam um tratado de comércio, que fixa em 15% a taxa alfandegária (ad valorem) sobre produtos ingleses vendidos para o Brasil. Os demais países pagavam 24%, e Portugal 16%.

1815

Elevação do Brasil à categoria de Reino Unido à Portugal e Algarves.

1817

Explode a Revolução Pernambucana, tendo como ideal a proclamação da república e a elaboração de uma Constituição liberal. Os revoltosos ocupam o poder, por pouco tempo. A revolução foi violentamente reprimida

1820

Eclode em Portugal a Revolução do Porto, liderada pela burguesia lusitana. Os revoltosos exigem a volta de D. João VI ao país.

1821

D. João VI é obrigado a deixar o Brasil, depois de tê-lo governado por mais de 12 anos. Em seu lugar fica o príncipe regente D. Pedro.

1822

No dia 7 de setembro, D. Pedro proclama a independência do Brasil. Inicia-se o período monárquico, que durou 67 anos.

BARSIL IMPÉRIO

1823

Instala-se, no dia 3 de maio, a Assembléia Constituinte encarregada de elaborar a primeira Constituição do Brasil. Criando um sistema eleitoral baseado na renda em farinha de mandioca, o anteprojeto ficou conhecido como a Constituição da Mandioca. Em novembro, D. Pedro I dissolve a Assembléia.

1824

É outorgada no dia 25 de março, por decreto imperial, a primeira Constituição do país. No dia 25 de julho, explode a Confederação do Equador.

1825

Os revolucionários cisplatinos assumem o controle militar da província Cisplatina.

1826

Morre, em Portugal, D. João VI. Aberta a sucessão do trono, D. Pedro I torna-se o legítimo pretendente, mas abdica seu direito em favor de sua filha D. Maria da Glória.

1828

É assinado um tratado de paz entre Brasil e Argentina, pelo qual ambos os países aceitavam a fundação de República Oriental do Uruguai.

1831

D. Pedro I abdica o trono brasileiro em favor de seu filho Pedro de Alcântara. A Regência Trina Provisória assume o poder até junho desse ano. A partir dessa data, o governo é transferido para a Regência Trina Permanente. O período regencial vai até 1840.

1832

O ministro da Justiça, padre Feijó, renuncia ao cargo.

1834

D. Pedro I morre em Portugal.

É aprovado o Ato Adicional, introduzindo modificações na Constituição do império.

1835

Início da Regência Una do padre Feijó.

No Pará, explode a Cabanagem; no sul, a Farroupilha.

1837

O Regente Feijó renuncia ao cargo.

Tem início a Regência Una de Araújo Lima.

Na Bahia, explode a Sabinada.

1838

A Balaiada tem início, no Maranhão.

1840

Termina o Período Regencial, com a decretação da maioridade de D. Pedro II. Início do Segundo Reinado.

É aprovada a lei interpretativa do Ato Adicional, limitando a autonomia das províncias.

1842

Revolta dos liberais em São Paulo e Minas Gerais.

1847

É criado o cargo de presidente do Conselho de Ministros.

Introdução dos primeiros imigrantes na fazenda de café Ibicaba, em São Paulo.

1848

Explode a Revolução Praieira, a última grande revolta liberal do império.

1850

É extinto o tráfico de escravos no Brasil.

1854

Inauguração da primeira estrada de ferro do Brasil.

1865

Início da Guerra do Paraguai.

1870

Fim da Guerra do Paraguai.

É publicado o Manifesto Republicano, no Rio de Janeiro.

1873

É fundado o Partido Republicano Paulista, na Convenção de Itu, em São Paulo.

1888

É promulgada a Lei Áurea, declarando extinta a escravidão no Brasil.

1889

Fim do império.

Proclamação da república.

BARSIL REPÚBLICA

1889

Instalação do governo provisório da república.

1891

É promulgada a primeira Constituição da República.

Deodoro da Fonseca é eleito, pelo Congresso Nacional, presidente da república. Em novembro desse ano, renuncia ao cargo e Floriano Peixoto assume o poder.

1892

Manifesto dos Treze Generais, exigindo a convocação de novas eleições presidenciais. Primeira Revolta da Armada.

1893

Explode a Segunda Revolta da Armada, liderada pelo almirante Custódio José de Melo. Tem início a Revolução Federalista, no Rio Grande do Sul.

1894

Tem início o governo de Prudente de Morais.

Antônio Conselheiro começa a organizar o arraial de Canudos.

1897

O arraial de Canudos é destruído por tropas federais.

1898

Têm início o governo de Campos Salles e a montagem da política dos governadores.

1903

O Acre é incorporado ao Brasil, pelo Tratado de Petrópolis, encerrando-se disputas com a Bolívia.

1904

Revolta da Vacina, no Rio de Janeiro.

1906

O Convênio de Taubaté propõe soluções para a crise de superprodução do café. Os governos estaduais deveriam comprar e estocar a produção excedente.

1910

Revolta da Chibata, no Rio de Janeiro.

1912

Início da Guerra do Contestado, movimento messiânico.

1914

Início da Primeira Guerra Mundial, que se prolonga até 1918. Nesse período, o processo industrial brasileiro recebe grande impulso.

1916

Fim da Guerra do Contestado.

1920

Cresce o descontentamento social contra o tradicional sistema oligárquico que dominava o país.

1922

Revolta do Forte de Copacabana (Os 18 do Forte), sendo a primeira revolta do movimento tenentista. Desenvolve-se em São Paulo a Semana de Arte Moderna.

1924

Eclode em São Paulo outra revolta tenentista contra o governo federal. Tem início a Coluna Prestes.

1929

O mundo ocidental é abalado por uma grave crise econômica, refletida no Brasil pela violenta queda dos preços do café.

Formação da Aliança Liberal (Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Paraíba).

1930

Estoura no Rio Grande do Sul a Revolução de 1930, que forçou a deposição de Washington Luís, dando um fim à República Velha.

Instala-se o governo revolucionário de Getúlio Vargas.

1932

Eclode a Revolução Constitucionalista.

Fundação do Integralismo (AIB).

1933

Realizam-se eleições para a escolha dos membros da Assembléia Nacional Constituinte.

1934

É promulgada a segunda Constituição da República.

1935

O governo decreta o fechamento da Aliança Nacional Libertadora. Eclodem rebeliões militares em batalhões do Rio Grande do Norte, de Pernambuco e do Rio de Janeiro (Intentona Comunista).

1937

Tem início o Estado novo. Uma nova Constituição é imposta ao país.

1939

Início da Segunda Guerra Mundial.

1941

Fundação da Companhia Siderúrgica Nacional, marco do desenvolvimento industrial brasileiro.

1942

O Brasil declara guerra às potências do Eixo.

1944

A FEB (Força Expedicionária Brasileira) vai para a Itália.

1945

As Forças Armadas obrigam à renúncia de Getúlio Vargas.

Fim da Segunda Guerra Mundial.

Início da Guerra Fria: EUA ´ URSS

1946

É promulgada a quarta Constituição da República.

Início do governo Dutra.

1947

O governo Dutra decreta a extinção do Partido Comunista.

1951

Getúlio Vargas, por eleições populares, retorna à presidência da república.

1953

O governo Vargas cria a PETROBRÁS.

1954

O governo concede aumento de 100% aos assalariados.

Em 24 de agosto, Vargas suicida-se.

1955

Juscelino Kubitschec é eleito presidente da República.

1956

O governo de Juscelino, com base em seu Plano de Metas, empreende diversas realizações desenvolvimentistas.

1960

Inauguração de Brasília.

Jânio Quadros é eleito presidente da república.

1961

Jânio Quadros realiza um curto período de governo.

Renuncia à presidência em 25 de agosto de 1961.

O vice-presidente João Goulart assume sob o sistema parlamentarista.

1963

Um plebiscito popular revela a preferência dos brasileiros pela volta do sistema presidencialista.

1964

Um golpe militar derruba João Goulart da presidência da república.

O marechal Castelo Branco assume a presidência da república em nome do movimento militar que depôs João Goulart.

1965

Extinguem-se todos os partidos políticos, instituindo-se o bipartidarismo (ARENA e MDB).

1967

É promulgada uma Nova Constituição Federal.

Costa e Silva assume a presidência da república.

1968

É editado o Ato Institucional nº 5.

1969

Em razão da doença de Costa e Silva, uma Junta Militar assume o poder, impedindo a posse do vice-presidente Pedro Aleixo. A Junta Militar entrega o poder ao general Médici.

1973

O país vive o período do "milagre brasileiro".

1974

Início do governo do general Geisel.

1979

início do governo do general João Figueiredo. Promove-se a abertura política.

1982

Em 15 de novembro realizam-se em todo o país eleições diretas para governador de estado.

1983

A crise econômica do país agrava as tensões populares.

Diversos supermercados são saqueados.

1985

Fim do regime militar.

Tancredo é eleito presidente, mas falece antes de tomar posse.

Início do governo de Sarney.

1986

Plano Cruzado I e II.

1988

Promulgação da oitava Constituição do Brasil (5 de outubro).

1989

É realizada a primeira eleição direta para presidente da república em quase 30 anos.

1990

Posse do presidente eleito, Fernando Collor de Mello.

Plano Collor I.

1991

Plano Collor II.

1992

Impeachment do preisdente Collor. O vice Itamar Franco assume a presidência da república.

Fonte: members.tripod.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal