Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Paraíba  Voltar

Paraíba

 

Paraíba

A Paraíba é berço de paisagens inesquecíveis. A beleza das suas praias aliada à tranqüilidade e a segurança das cidades fazem da Paraíba o roteiro ideal para a sua viagem.

As praias paraibanas são os principais atrativos da região. Com uma temperatura de cerca de 28º C o ano inteiro, a Paraíba é um convite ao turismo. Ela se orgulha de ver os primeiros raios de sol das Américas (Ponta do Seixas), de ter a primeira praia nordestina destinada à prática do naturismo (Tambaba) e de ter até trilha sonora.

João Pessoa, pela sua localização privilegiada (fica no centro do litoral da Paraíba) é o ponto de partida para conhecer o belo litoral paraibano. Fundada em 1585 consegue conjugar história e natureza. A cidade é bastante conhecida por ter uma das maiores áreas verdes urbanas como também pela rígida legislação municipal que limita as construções a beira mar a no máximo 3 andares.

São 30 quilômetros de uma privilegiada combinação de infra-estrutura com movimentadas praias urbanas. As mais visitadas são Penha, Ponta do Seixas (Ponto Extremo Oriental das Américas, onde o sol nasce primeiro no continente), Cabo Branco, Tambaú, Manaíra e Bessa.

A maior atração de João Pessoa, sem dúvida, é o Cabo Branco (a 10 km) e a Ponta Seixas. O Cabo Branco, com um paredão de 40 metros de pedra calcária, já foi considerado o ponto mais oriental (leste) da América tendo perdido este título para Ponta Seixas (3 km mais ao sul).

A erosão marinha, que ao longo dos anos fez com que suas ondas desgastassem o Cabo Branco e depositasse estes sedimentos na Ponta Seixas (fazendo-a aumentar) foi a responsável por este fenômeno. Do Farol do Cabo Branco, que fica no alto de uma falésia, podemos observar em detalhes toda curiosidade deste fenômeno.

Farol do Cabo Branco

O Farol do Cabo Branco está situado na Ponta de Seixas, extremo oriental do continente americano, com longitude de 34º 47' 38". De seu mirante o turista poderá desfrutar da beleza do Oceano Atlântico e, aos lados, o litoral paraibano e suas lindas praias.

Uma vista que permanece na lembrança de todo o visitante, de onde se pode ver todo o litoral paraibano, a transparência das águas e sentir a brisa do mar batendo levemente em seu corpo.

Do outro lado desse magnífico pontal encontramos a Praia do Cabo Branco, uma linda e longa enseada que se encaminha para a parte mais movimentada de João Pessoa.

A Avenida Cabo Branco é um verdadeiro centro de bares à beira-mar, onde enfileram-se o Rafa, a Morena, a Costa do Sol, o Coqueirinho, o Tubarão, a Deusa do Mar, o Cancún, o Vip's e a Onda do Mar. Na dúvida, experimente todos eles, comparando os pratos de frutos do mar e as batidas de frutas locais.

Paraíba

A capital tem boas praias urbanas com águas claras, calmas e limpas. Os arrecifes formam piscinas naturais ideais para a criançada. Cabo Branco é extensa, com coqueiros e falésias. Sua pista à beiramar é interditada nas primeiras horas da manhã onde os carros dão lugar ao Cooper de moradores e turistas.

A Praia do Poço, o famoso banco de areia conhecido como Areia Vermelha,onde piscinas naturais e águas quentes dão um toque todo especial ao local, que é um dos pontos turísticos mais bonitos do nosso litoral.

Paraíba

Tambaú funciona como um centrinho à beira-mar. Tem de tudo por ali. Bons hotéis, ótimos restaurantes, um calçadão movimentado, feirinhas de artesanato com 128 lojas e um posto de informações da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), entre outras coisas.

Passeios, como para Picãozinho que é um dos paraísos da cidade, onde encontramos uma formação de recifes com piscinas naturais que chegam a uma temperatura de 28ºC, partem de suas areias. Na lua cheia, os hotéis organizam serenatas sobre a água morna, uma integração perfeita do homem com a natureza. Parada obrigatória dos turistas.

Do pier de Tambaú partem as embarcações em direção a Picãozinho, um dos paraísos marinhos da capital paraibana. É uma formação de recifes localizadas a duas milhas da costa, e que recortam piscinas naturais de temperatura morna (28ºC).

Aqui a água é transparente, permitindo total visão da flora e dos variados peixinhos que vêm comer à mão dos banhistas. Entretanto, não se dispensam a máscara e o snorkel. Uma câmera fotográfica à prova d'água cai muito bem. Quanto ao transporte, existem desde os barquinhos de pescadores até um catamarã-bar, mas o importante mesmo é chegar em Picãozinho.

Na lua cheia, hotéis e operadoras organizam serenatas sobre a água morna, combinando o romantismo com a perfeita integração à natureza.

Litoral Norte

Paraíba

Indo em direção ao norte, a cerca de 18 quilômetros de João Pessoa, chega-se à cidade portuária de Cabedelo, cuja população de 30 mil habitantes sobe para 100 mil na alta temporada. Lá estão algumas das praias mais cobiçadas do litoral paraibano.

A primeira a se destacar é a do Jacaré, praia fluvial cujo pôr-do-sol, por ser um dos mais belos da região, é também o principal responsável pela presença maciça de turistas nos seus bares, restaurantes e marinas. Do Jacaré parte-se para Formosa, Areia Dourada, Camboinha, Poço (que foi tombada pelo Patrimônio Histórico) e Intermares.

Com exceção desta última - onde o mar é propício ao surfe -, todas as praias de Cabedelo são verdadeiras piscinas naturais de águas mornas e calmas, ideais para a diversão de crianças e idosos e para a prática dos mais variados esportes náuticos.

Paraíba

A partir de Cabedelo, chega-se ao extremo norte do litoral paraibano, à tranqüila Lucena, de balsa ou barco. Junto das praias de Costinha, no estuário do Rio Paraíba, de Fagundes e da Ponta do Lucena, os pés de coco imperam absolutos na paisagem.

A praia de Lucena é ainda a mais freqüentada do pedaço, quase triplicando a população em períodos de festas como o carnaval.

No município de Cabedelo, ao norte de João Pessoa, encontramos o Mar do Macaco, a praia de Intermares onde está o parque aquático Intermares Water Park, bem como a praia do Poço. A praia do Jacaré é o local onde se pode ver o mais belo pôr-do-sol.

Ainda no município de Cabedelo, está a praia mais visitada do litoral, Camboinha, que na época de veraneio fica lotada. É nela que encontramos Areia Vermelha, um banco arenoso protegido por recifes.

Atravessando a foz do Rio Paraíba, está o município de Lucena, onde se realiza o carnaval de praia mais animado do Estado. Em Lucena também pode-se ver a Igreja da Guia, em fase final de restauração, uma peça única do Barroco no Brasil.

Em Rio Tinto, na praia de Barra de Mamanguape, está localizado um dos postos do Projeto Peixe Boi Marinho, que vivem livremente, mas monitorados, na foz do Rio Mamanguape.

Baía da Traição, detém a única reversa indígena do Estado, onde vivem os índios Potiguaras. É um local de belíssimas praias, muitas propícias ao surf.

A última praia do litoral norte, já na divisa com o Estado do Rio Grande do Norte, Barra de Camaratuba, pode ser considerada a praia mais bonita do litoral paraibano.

Litoral Sul

Inaugurada há dois anos pelo governo estadual, a rodovia litorânea PB-008 totalmente asfaltada facilitou o acesso às praias da região sul. A primeira delas é Gramami, uma simpática enseada enfeitada por coqueiros, distante apenas 14 km de João Pessoa. Ali, turistas desfrutam de águas mornas e mansas, ideais para famílias com crianças.

Deixando as praias de João Pessoa para trás, a partir de Cabo Branco se tem acesso a mais bela orla marítima do litoral paraibano. Num percurso de 71 quilômetros, até a praia de Pitimbú, recomenda-se antes uma parada no farol de Cabo Branco, de onde se tem uma vista panorâmica do alto do mirante e avista o ponto extremo oriental das Américas.

Vizinha a ela está a praia do Amor, que tem como símbolo o arco da pedra furada. Os casais de turistas apaixonados seguem a tradição de passar por entre a fenda da pedra de mãos dadas.

A praia seguinte é a de Jacumã, e que a exemplo da praia de Gramami conta com serviço de bares e restaurantes. Em Jacumã, com um cenário enfeitado por um mar em tom esmeralda há inúmeras pousadas, como opção de hospedagem, assim como casas de veraneio.

Os turistas que preferirem curtir melhor as praias do litoral sul podem embarcar num buggy em Jacumã e ir até a praia de Coqueirinho, pela orla.

Ao contrário de outras praias do Nordeste mais badaladas, aqui as pessoas podem desfrutar de um cenário maravilhoso como estes num clima de total tranqüilidade. São vários quilômetros de areia branca, águas cristalinas, vastos coqueirais e falésias de beleza singular.

E é exatamente a "falta" de badalação que confere charme a alguns pontos da orla, que seguem praticamente desertos, agitados apenas pelo balanço da rede de pescadores no fim do dia. De hábitos simples, os paraibanos levam para a atividade turística aquilo que falta, em alguns momentos, a seus pares: o sossego e a tranqüilidade.

Antes de chegar a Coqueirinho, próxima praia, dê uma passada pelo mirante Dedo de Deus, um platô de difícil acesso onde se tem uma vista privilegiada da praia. Uma vista deslumbrante deixa os turistas extasiados. Em Coqueirinho se tem serviço de bares junto à orla, águas mansas e água de côco gelada.

A próxima parada é Carapibus, cuja enseada, cercada por coqueirais é um verdadeiro cartão postal da natureza. O local conta inclusive com opção de hospedagem, passeios de buggy ou de barco, além de ser procurado para a prática do mergulho em ilhas formadas por recifes cobertos de corais.

Depois é a vez de Tambaba, que é praia de naturismo. Vale lembrar que uma parte da praia é utilizada pelos banhistas normalmente. Ali, o nudismo é proibido. Já a área reservada tem controle de entrada e saída pela Sociedade de Naturismo de Tambaba.

A 20 quilômetros de João Pessoa, a praia de naturismo ficou ainda mais acessível depois da inauguração da Via Litorânea, que liga a capital à divisa com Pernambuco. Isso reduziu em cerca de meia hora o tempo do percurso, livrando os turistas do tráfego pesado da BR-101.

A primeira praia do Nordeste destinada oficialmente ao naturismo é conhecida também como santuário ecológico. Ornamentada por uma mata praticamente virgem e por um labirinto de areia colorida, resultado da ação do vento nas falésias, Tambaba é um verdadeiro paraíso.

Todo o litoral sul do Estado é composto de praias com formações rochosas, como a Praia do Amor, Jacumã, Coqueirinho e Tabatinga, essas duas últimas pontos de prática de camping.

Próximos Eventos

No início do ano, em janeiro, o turista que visita a cidade além de desfrutar das praias, bares e restaurantes, do artesanato, dos shows, também pode participar do carnaval fora de época, a Micaroa, que traz artistas conhecidos nacionalmente para o evento que acontece na orla marítima.

Em fevereiro acontece a Folia de Rua, antecedendo o carnaval e que reúne blocos carnavalescos durante dez dias, misturando frevo, maracatu, coco e outros ritmos tipicamente nordestinos. Os blocos desfilam pela orla, bairros e o centro da capital, como é o caso dos blocos Muriçocas do Miramar, Virgens de Tambaú entre outros, fazendo a animação do folião.

Reportagem : Wagner Vieira

Acesso

A capital paraibana é servida pelas principais companhias aéreas com vôos regulares saindo do Rio de Janeiro e São Paulo. A Vasp tem duas linhas regulares saindo do Rio diariamente. O aeroporto Castro Pinto está localizado no município de Bayeux, a 25 km da orla marítima de João Pessoa.

Clima

Nesta época do ano a temperatura média é de 26 graus. O sol nasce por volta das 5h da manhã e se põe em torno de 18h. As noites são mais frescas, sobretudo na orla de João Pessoa.

Hospedagem

Em João Pessoa há opções das mais simples aos cinco estrelas, que se concentram junto a orla de Tambaú e Cabo Branco. No litoral há pousadas com diárias de casal a partir de R$60 incluindo o café da manhã.

Gastronomia

Come-se bem e barato na Paraíba. Nos quiosques à beira-mar se pode saborear um caldinho de caranguejo por R$4, restaurantes anunciam rodízio de camarão a R$8,50 e uma peixada custa entre R$18 e R$20. Os pratos da cozinha regional são um outro atrativo.

Turismo de Negócios

O Espaço Cultural José Lins do Rego, no bairro de Tambauzinho, promove feiras, mostras, exposições e shows, num espaço de 55 mil metros quadrados de área coberta. Ali funciona também o primeiro planetário do nordeste. O complexo inclui cinema, teatro e museu em homenagem ao jornalista. Já em Campina Grande, logo na entrada da cidade, o Convention Bureau está investindo no mais novo Centro de Convenções do estado.

Serviços

Um tour pelas praias do litoral sai na faixa de R$30. Já um city tour sai na faixa de R$17 por pessoa.

Fonte:  revistaturismo.com.br

Paraíba

História

A História da Paraíba começa antes do descobrimento do Brasil, quando o litoral do atual território do estado era povoado pelos índios tabajaras e potiguaras. A província foi fundada em 05 de agosto de 1585, tornando-se estado com a proclamação da República, em 15 de novembro de 1889.

A Paraíba é uma das 27 unidades federativas do Brasil. Está situada a leste da região Nordeste e tem como limites o estado do Rio Grande do Norte ao norte, o Oceano Atlântico a leste, Pernambuco ao sul e o Ceará a oeste. Ocupa uma área de 56.439 km² (pouco menor que a Croácia). A capital do Estado é João Pessoa.

Na Paraíba encontra-se o ponto mais oriental das Américas, conhecido como a Ponta do Seixas, em João Pessoa. Devido a sua localização geográfica privilegiada (extremo oriental das Américas), a cidade de João Pessoa é conhecida turisticamente como “a cidade onde o sol nasce primeiro”.

Curiosidades:

A bandeira da Paraíba foi adotada pela Aliança Liberal em 25 de setembro de 1930, por meio da lei nº 704, no lugar de uma antiga bandeira do estado, que vigorou durante quinze anos (de 1907 a 1922).

O significado da palavra “nego” na bandeira da Paraíba:

O verbo refere-se à decisão de João Pessoa, governador da Paraíba em 1929, de não aceitar o sucessor indicado pelo presidente da República, Washington Luís. Um acordo entre São Paulo e Minas Gerais garantia que o presidente sempre fosse de um desses Estados, em rodízio.

Em 1929, o paulista Washington Luís resolveu quebrar o acerto e indicou outro paulista, o governador Júlio Prestes. Minas rebelou-se e recebeu o apoio do Rio Grande do Sul. A Paraíba, que estava esquecida pelo governo federal, decidiu também rejeitar a decisão do presidente e se unir aos mineiros e aos gaúchos, explica o historiador José Otávio de Arruda Melo, da Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa enviou então uma mensagem ao Palácio do Catete, no Rio de Janeiro, onde ficava o presidente, protestando contra a decisão.

O governador não usou exatamente “nego”, mas a palavra ficou como um símbolo, conta Melo. Pouco depois da morte de João Pessoa, assassinado por motivos passionais em 26 de julho de 1930, os rebeldes propuseram a inclusão da palavra nego na bandeira. Ela foi definitivamente alterada em setembro de 1930, às vésperas da revolução que levou Getúlio Vargas ao poder.

Geografia

Possui clima tropical úmido no litoral, com chuvas abundantes. À medida que se desloca para o interior, depois da Serra da Borborema, o clima torna-se semi-árido e sujeito a estiagens prolongadas e precipitações abaixo dos 500mm. As temperaturas médias anuais ultrapassam os 26º, com algumas exceções no Planalto da Borborema, onde a temperatura média é de 24º.

Reservas Naturais

Parque Arruda Câmara – Bica- (João Pessoa)
Jardim Botânico Benjamim Maranhão – Mata do Buraquinho- (João Pessoa)
Parque Estadual do Aratu – Mata do Aratu- (Microrregião de João Pessoa)
Reserva da Usina São João (Santa Rita)
Estação Ecológica do Pau-Brasil (Mamaguape)
Reserva Biológica Guaribas (Mamaguape/RioTinto)
Reserva Ecológica Mata do Rio Vermelho (Rio Tinto)
Parque Estadual Pedra da Boca (Araruna)
Monumento Natural Vale dos Dinossauros (Sousa)
Área de Proteção Ambiental das Onças (São João do Tigre)

Relevo

A maior parte do território paraibano é constituída por rochas resistentes, e bastante antigas, que remontam a era pré-cambriana com mais de 2,5 bilhões de anos.

Elas formam um complexo cristalino que favorecem a ocorrência de minerais metálicos, não metálicos e gemas. Os sítios arqueológicos e paleontológicos, também resultam da idade geológica desses terrenos.

No litoral temos a Planície Litorânea que é formada pelas praias e terras arenosas.

Na região da mata, temos os tabuleiros que são formados por acúmulos de terras que descem de lugares altos.

No Agreste (e Brejo), temos algumas depressões que ficam entre os tabuleiros e o Planalto da Borborema, onde se encontram muitas serras, como a Serra da Araruna, a Serra de Cuité, Serra da Jurema, Serra do Bodopitá e a Serra de Teixeira. Encontra-se no município de Araruna o Parque Estadual Pedra da Boca.

O Planalto da Borborema ou Chapada da Borborema é o mais marcante acidente do relevo do estado. Na Paraíba ele tem um papel fundamental no conjunto do relevo, rede hidrográfica e nos climas. As serras e chapadas atingem altitudes que variam de 300 a 800 metros de altitude.

No sertão, temos uma depressão sertaneja que se estende do município de Patos até após a Serra da Viração.

A Serra de Teixeira é uma das mais conhecidas, com uma altitude média de 700 metros, onde se encontra o ponto culminante da Paraíba, a saliência do Pico do Jabre, que tem uma altitude de 1.197 metros acima do nível do mar, e fica localizado no município de Matureia.

Hidrografia

Na hidrografia da Paraíba, os rios fazem parte de dois setores, Rios Litorâneos e Rios Sertanejos. O estado encontra-se com 97,78% de seu território dentro do polígono das secas, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Rios Litorâneos – são rios que nascem na Serra da Borborema e vão em busca do litoral paraibano, para desaguar no Oceano Atlântico. Entre estes tipos de rios podemos destacar: o Rio Paraíba, que nasce no alto da Serra de Jabitacá, no município de Monteiro, com uma extensão de 360 km de curso d’água e o maior rio do estado. Também podemos destacar outros rios, como o Rio Curimataú e o Rio Mamanguape.

Rios Sertanejos – são rios que vão em direção ao norte em busca de terras baixas e desaguando no litoral do Rio Grande do Norte. O rio mais importante deste grupo é o Rio Piranhas, que nasce na Serra do Bongá, perto da divisa com o estado do Ceará. Esse rio é muito importante para Sertão da Paraíba, pois através desse rio é feita a irrigação de grandes extensões de terras no sertão. Tem ainda outros rios, como o Rio do Peixe, Rio Piancó e o Rio Espinhara, todos afluentes do Rio Piranhas. Os rios da Paraíba estão inseridos na Bacia do Atlântico Nordeste Oriental e apenas os rios que nascem na Serra da Borborema e na Planície Litorânea são perenes. Os outros rios são temporários e correm em direção ao norte, desaguando no litoral do Rio Grande do Norte.

Vegetação

A vegetação litorânea do estado da Paraíba apresenta, matas, manguezais e cerrados, que recebem a denominação de “tabuleiro”, formado por gramíneas e arbustos tortuosos, predominantemente representados, entre outras espécies por batiputás e mangabeiras. Formadas por floresta Atlântica, as matas registram a presença de árvores altas, sempre verdes, como a peroba e a sucupira. Localizados nos estuários, os manguezais apresentam árvores com raízes de suporte, adaptadas à sobrevivência neste tipo de ambiente natural.

A vegetação nativa do planalto da Borborema e do Sertão caracteriza-se pela presença da caatinga, devido ao clima quente e seco característico da região. A caatinga pode ser do tipo arbóreo, com espécies como a baraúna, ou arbustivo representado, entre outras espécies pelo xique-xique e o mandacaru.

População

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a população da Paraíba é de 3.766.528 (Censo 2010), correspondente a 1,9% da população nacional. A densidade demográfica estadual é de 66,70hab/km². A população da Paraíba é em sua maioria Parda, somando 52,29%, seguido pelos Brancos, com 42,59%; Negros, com 3,96%; e Amarelos ou Indígenas, com 0,36% e os sem declaração, com 0,79%.

Cidades paraibanas com população acima de 25 mil habitantes (IBGE)

1. João Pessoa – 733.154
2. Campina Grande – 387.643
3. Santa Rita – 121.166
4. Patos- 101.358
5. Bayeux- 100.136
6. Sousa- 66.135
7. Cabedelo-59.104
8. Cajazeiras- 58.793
9. Guarabira- 55.657
10. Sapé- 50.357
11. Mamanguape- 42.602
12. Queimadas- 41.297
13. Pombal- 32.122
14. Esperança- 31.320
15. São Bento- 31.236
16. Monteiro- 31.095
17. Catolé do Rocha- 28.922
18. Alagoa Grande- 28.426
19. Pedras de Fogo- 27.389
20. Solânea- 26.505

Cultura

As atividades artísticas culturais no Estado e outros eventos que integram o calendário cultural e turístico, não estão localizados apenas em João Pessoa e Campina Grande. Outros municípios paraibanos têm se destacado com produções e circulações culturais.

Como os demais estados nordestinos a Paraíba está enraizada nas origens ibéricas, africanas e indígenas. Há as danças e os folguedos, que na sua maioria estão ligados aos festejos religiosos e populares.

São as festas carnavalescas, juninas, festas que vem junto com o verão ou com o inverno, e as festas de caráter religioso como as celebrações dos padroeiros e padroeiras que acontecem em vários municípios paraibanos, em épocas diferentes, durante todo o ano.

Teatros

O primeiro teatro edificado na Paraíba foi o Teatro Minerva, localizado em Areia,construído em 1854.

Em 1889 , foi construído o Teatro Santa Roza, em João Pessoa , atualmente o mais importante da Paraíba, não só pela imponência de sua arquitetura neoclássica, mas sobretudo por sua história.

Em seguida, o Teatro Santa Ignez, em Alagoa Grande, construído no início do século XX.

O Teatro Municipal Severino Cabral, em Campina Grande, foi construído nos anos 60. Um projeto arquitetônico de linhas modernas e bastante arrojadas para a época, assim como o Teatro Paulo Pontes, no Espaço Cultural José Lins do Rego, que é considerado um dos mais modernos do nordeste. Outros teatros paraibanos: Teatro de Arena do Espaço Cultural José Lins do Rêgo, Teatro Lima Penante, Teatro Ariano Suassuna, Teatro Piolin, Teatro Santa Rosa e Teatro Ednaldo do Egypto (João Pessoa) Teatro Santa Catarina (Cabedelo) Teatro Irácles Pires (Cajazeiras) Teatro Alverga (Guarabira) Centros Culturais, Museus e Núcleos de Arte e Cultura: Em vários municípios podem ser visitados centros culturais e espaços museográficos onde se encontram peças de arte, documentos e uma variedade de bens culturais representativos da cultura nacional, regional e especialmente local.

João Pessoa: Centro Cultural São Francisco Fundação Casa José Américo Casarão 34 Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes Museu José Lins do Rego NAC- Núcleo de Arte Contemporânea Pinacoteca da Universidade Federal da Paraíba Campina Grande: Museu de Arte Assis Chateaubriand Museu de História e Tecnologia do Algodão Museu Histórico de Campina Grande

Areia: Museu do Brejo da Paraíba Museu Regional de Areia Museu Casa Pedro Américo

Alagoa Grande: Museu A Vida e Obra de Jackson do Pandeiro

Bananeiras: Museu da Estação Barra de São Miguel: Museu Histórico Patos: Museu Ernani Sátiro

Pombal: Museu Newton Pordeus Seixas Serra Branca: Museu Regional do Cariri

Santa Luzia: Fundação Museu Comunitário de Santa Luzia

Taperoá: Museu da Universidade Leiga do Trabalho

Artesanato

A Paraíba se destaca na produção de bordados, como o crochê e o tricô, e nas rendas de labirinto e renascença. Com a tecelagem de mantas e redes de dormir. Na cerâmica há panelas, potes, jarros e quartinhas, e vários artistas que produzem bonecos em barro, madeira, pano ou estopa.

Nas regiões litorâneas e entre os povos indígenas encontram-se muitos artistas que produzem artesanato feito com coco, osso, conchas e mariscos. Muitos no interior da Paraíba usam a habilidade manual para produzir brinquedos populares feitos na maioria das vezes com madeira e outros objetos.

Uma diversidade de técnicas utilizadas por nossos artesões, que criam diversos objetos do artesanato popular. Encontram-se nas casas especializadas em comercializar a arte popular e nos mercados de artesanato mantidos pelo poder público e em feiras livres.

Em João Pessoa temos a Casa do Artista Popular, que é um espaço permanente onde divulgamos o que a Paraíba produz de melhor. Temos também o Salão do Artesanato Paraibano, que acontece uma vez ao ano e é um evento que reúne mais de cem artistas, que na ocasião mostram e vendem o que produzem.

Culinária

Exuberante e variada, a miscigenação das raças tornou a culinária paraibana um referencial da gastronomia nordestina. Levando os turistas a apreciação de uma deliciosa combinação de sabores e cores, contribuindo assim, com o desenvolvimento local.No litoral, logo após a pesca, podem ser preparados pratos com a agulhinha frita, pratos à base do camarão, peixada e vindos do mangue os famosos caldinhos de caranguejo com leite de coco.

No século XVIII na região compreendida entre o centro-norte paraibano e as cidades do seridó norte-rio grandense surgiu a carne-de sol, um dos pratos mais característicos do Estado como de todo o Nordeste. Vários restaurantes se especializaram na preparação deste prato acompanhada com macaxeira, feijão verde e manteiga da terra.

Destinos

Cariri – Um tributo a você

Um roteiro repleto de sensações, dispondo de rico artesanato, deliciosa gastronomia regional e raras belezas naturais. Como porta de entrada, tem-se Campina Grande, “Rainha da Borborema”, terra onde acontece o Maior São João do Mundo durante todo o mês de junho.

Adentrando-se no Cariri temos: Boqueirão, a cidade das águas, do peixe e da tecelagem artesanal; Boa Vista, terra do artesanato de chitão (dos famosos vestidos de chita), do queijo de coalho e da bentonita (espécie de argila); São João do Cariri e a Muralha do Meio do Mundo, no sítio Picoito, onde é possível conhecer as inscrições rupestres nos paredões de rocha; Sumé com preservado Centro Histórico; Monteiro Terra de grandes nomes da cultura paraibana, como Zabé da Loca, Flávio José e Pinto do Monteiro, que podem ser conhecidos no Museu Histórico de Monteiro e Cabaceiras, com destaque para o Lajedo Pai Mateus, lugar místico, cenário de vários filmes e para um por do sol inesquecível. Seus atrativos e a receptividade de sua gente contribuem para um interessante roteiro de viagem.

Caminho dos Engenhos

As trilhas ecológicas e a arquitetura secular dos antigos casarões e engenhos de cana-de-açúcar formam um encantador roteiro histórico, ecológico e gastronômico. No brejo paraibano, o ar bucólico de interior e a atmosfera de viagem ao passado levam o visitante a conhecer e vivenciar a história da civilização do açúcar.

A riqueza do artesanato regional, a produção da rapadura e da cachaça, uma das mais premiadas cachaças brasileiras, as manifestações culturais e a natureza exuberante fazem deste charmoso roteiro uma excelente opção de viagem.

Entre Rios e Mar

O Polo Costa das Piscinas contempla 12 municípios que se distribuem em uma área de 2.503 km² de belezas naturais, oferecendo opções de praias quase desertas e diversificados ecossistemas costeiros (estuários de rios, mangues, dunas, falésias e cordões marinhos), com destaque para: Areia Vermelha (Cabedelo) e Picãozinho (João Pessoa) – com suas belas piscinas de corais. A praia de naturismo Tambaba, no município de Conde e, ainda, a praia da Barra do Rio Mamanguape situada em importante Área de Preservação Ambiental – APA, onde está localizado o Centro do Peixe-Boi-Marinho. Há também o último reduto indígena, remanescente da Tribo Potiguara na Paraíba, em Baía da Traição.

João Pessoa, capital do Estado, dispõe de praias urbanizadas com bons serviços turísticos e uma reconhecida potencialidade histórico-cultural presente em seus monumentos e na riqueza de sua cultura popular.

Roteiros

Brejo

A região está localizada na mesorregião do Agreste Paraibano, está dividida em oito municípios: Matinhas, Alagoa Nova, Alagoa Grande, Areia, Pilões, Serraria, Borborema e Bananeiras.

O Brejo paraibano compreende um conjunto de paisagem serrana com altitude media de 550 m e temperaturas oscilando entre 12 e 18 graus no período de junho a agosto. Um cenário de clima frio, repleto de rios, cachoeiras, trilhas e mata atlântica, além , patrimônio histórico das cidades centenárias que promovem eventos e a prática de outros segmentos do turismo como: aventura, ecoturismo, religioso, histórico cultural, negócios, entre outros.

Localizada aproximadamente 120km de João Pessoa e a 70km de Campina Grande, possuem equipamentos hoteleiros e restaurantes servindo a rica gastronomia regional.

Região importante produtora da rapadura artesanal e da cachaça de alambique. Uma viagem na história desta região leva aos tempos áureos dos engenhos de cana de açúcar, permite ao visitante degustar produtos feitos na hora e participar da produção.

No seu rico patrimônio histórico, encontramos: teatros, engenhos, museus, ladeiras e casarões que contam a historia do nosso Estado. Sempre acompanhados da hospitalidade brejeira e da rica gastronomia, acompanhada das melhores cachaças da Paraíba.

A região é berço de renomados artistas, como o artista plástico Pedro Américo, o músico Jackson do Pandeiro, o escritor José Américo de Almeida, e a líder sindical Margarida Alves, entre outros nomes.

Cariri

A região do Cariri está localizado no trópico semi-árido do Estado da Paraíba, na mesorregião da Borborema, e se caracteriza por apresentar elevadas temperaturas e poucas chuvas ao longo do ano.

O Cariri é um dos destinos turísticos mais procurados do interior paraibano, onde são encontrados atrativos paisagísticos e culturais em toda a região, que abrange 29 municípios.

A economia caririzeira esta voltada para a criação do bode. Mas existe outras culturas como do algodão tradicional, e os novos cultivos do algodão colorido in natura introduzido nos últimos anos.

Cerca de 12 municípios são apontados como possuidores de potencial turístico. Entre outros estão os municípios de Cabaceiras, São João do Cariri, Serra Branca, Monteiro e Prata

Nesta região é possível conhecer sítios arqueológicos com inscrições e figuras rupestres da Tradição Agreste e Itacoatiara. As manifestações populares, folclóricas e os festejos religiosos são uma marca do Cariri. No folclore regional encontramos as manifestações ligadas ao ciclo do gado, como as vaquejadas, corridas de argolinhas, a pega do boi, o aboio, emboladores de coco, as congadas, repentistas e romarias. A musicalidade está presente em toda a população do Cariri, principalmente o forró-pé-de-serra.

A região também é lembrada pelos lajedos, pedras furadas e os mares de pedras. O Lajedo do Pai Mateus, no município de Cabaceiras, está consolidado como um dos mais importantes destinos turísticos no interior da Paraíba.

Em São João do Cariri, a Muralha dos Gigantes, é uma elevação de rochas graníticas e metamórficas que se prolonga desde a divisa com o Rio Grande do Norte até as proximidades de Pernambuco, cortando a Paraíba de norte a sul.

Em Monteiro destaca-se na paisagem natural a serra do Peru, cujo mirante permite vista panorâmica do bioma caatinga e lugarejos próximos, e a Serra do Jabitacá, onde brotam as nascentes do Rio Paraíba, maior curso d´água do Estado.

No seu artesanato, artigos rústicos de couro, fibras vegetais e algodão, associados à típica culinária regional, têm mercado certo dentro e fora da região do Cariri. O tear manual para produção de redes, tapetes, mantas e bolsas fortalece a economia regional e constitui mais um elemento para o desenvolvimento do turismo local.

Litoral

O litoral paraibano tem uma extensão de 138 Km, desde o estuário do rio Grajú (ao Norte, limitando-se com o Rio Grande do Norte) até outro estuário, do Rio Goiana ao Sul, limitando-se com Pernambuco).

Com um clima tropical úmido, chuvas no inverno e parte do outono, possui cerca de 55 praias naturais e urbanizadas, onde as suas areias claras, mar verde-azulado é incrementado por suaves enseadas, barras, estuários, restingas, cordões litorâneos, tabuleiros, falésias e salpicada, em vários trechos, por coqueiros, cajueiros, maçarandubas e guajirus.

Litoral Sul

Tambaú – A 1 Km mar a dentro, à altura da praia de Tambaú, existe a presença de arrecifes coralineos, descontínuos, amenizando a força do mar e atuando como quebra-mar natural que em período de marés mais baixas é denominado de Picãozinho, onde o acesso é realizado através de barcos. Com os arrecifes emergem como platô recortados por canais e piscinas de águas límpidas e transparentes, chegando até observar pequenos peixes e crustáceos.

Cabo Branco – Na praia do Cabo Branco há uma faixa de praias limitadas pelos paredões verticais das falésias, com altura média de 50 metros, emoldurando as costas do litoral Sul e sendo formada, eminentemente, por terrenos de cor avermelhadas, recobertos por resto de Mata Atlântica, que predominava em expressiva área costeira do Estado. Parte destas encostas florestadas foram tombadas pelo Governo Federal e constituem área de preservação ambiental.

Tambaba – A 25 Km de João Pessoa, localizada à Barra de Garaú, no município do Conde, em Tambaba, foi instalada o primeiro campo de naturismo oficial do Nordeste, o segundo do Brasil. Com uma extensão de 1,7 metros de pura beleza selvagem, estando protegida graças as suas falésias altas e íngremes, ora cobertas por uma mata densa, ora desnudas, enaltecendo o colorido dos terrenos de cor avermelhada ou branca. O acesso a esta praia é facilitado pela Rodovia Estadual PB-008, integrada à rodovia Conde-Jacumã.

Coqueirinho – A praia de Coqueirinho, como diz o nome, possui muitos coqueiros. Tem forma arredondada com várias falésias. Em um dos seus trechos tem águas claras, ondas fracas e arrecifes. Em outro ponto, possui ondas fortes em mar aberto, que formam grutas naturais nas rochas. Coqueirinho é considerada como sendo uma das praias mais belas do litoral paraibano, ideal para mergulhos, surfe e prática de pesca submarina e para camping.

Litoral Norte

Areia Vermelha – Não é uma praia e sim uma ilha que se encontra a 1,5 Km da costa, localizada em frente à praia de Camboinha, em Cabedelo. Só aparece quando a maré está baixa. Seu nome é proveniente da coloração de suas areias avermelhadas, é um recanto paradisíaco, formado de piscinas naturais, peixes e corais ao alcance das mãos. A água é cristalina, ótima para a prática de mergulho livre.

Praia do Jacaré – Aqui a natureza oferece um dos seus mais belos espetáculos associado ao que a cultura humana é capaz de produzir de melhor. O pôr-do-sol na Praia do Jacaré, localizada na cidade de Cabedelo, a 18 Km de João Pessoa, é parada obrigatória. Ao som do Bolero de Ravel, os visitantes podem assistir a este espetáculo da natureza.

Recentemente uma região da Praia do Jacaré, onde se localizam bares e onde as pessoas se concentram para apreciar o pôr do Sol, foi urbanizada e recebeu uma infra-estrutura digna de um lugar com grande potencial turístico. Foram construídos um amplo estacionamento, passarelas com detalhes em mosaicos, bancos de cimento e, como não poderia deixar de ser, muitos lixeiros foram espalhados por todos os lugares.

Praia de Intermares – A praia de Intermares, localizada no município de Cabedelo (a 18 Km de João Pessoa, na Paraíba) é considerada uma das mais belas do litoral brasileiro, mas com alguns diferenciais que as concorrentes não possuem. Praia considerada urbana, apesar de ter poucas construções próximas, é um dos principais points dos surfistas nordestinos e, claro dos paraibanos. Treinar em Intermares, por exemplo, foi uma das primeiras escolas do campeão mundial de surf, o paraibano Fábio Gouveia. Fabinho deu os seus primeiros passos, aliás, nados em Intermares, local predileto para os seus treinos e competições. A praia também é espaço apropriado para as atividades da Ong Guajiru, que gerencia o Projeto Tartarugas Urbanas. Em três quilômetros de praia existem mais de 50 ninhos da tartaruga. Apesar do período de desova acontecer em setembro, ainda é possível encontrar alguns ninhos.

Praia de Camaratuba – A praia de Barra de Camaratuba está localizada na divisa entre a Paraíba e o Rio Grande do Norte, situada entre os rios Camaratuba e Guajú, distante 110 km da capital João Pessoa. Na área existe uma pequena vila de pescadores pertencente ao município de Mataraca (PB). Privilegiada pela sua exuberância natural e selvagem, a praia proporciona aos visitantes diversos passeios para conhecer os encantos e magias da região. Tranqüilidade e harmonia do homem com a natureza são características marcantes desta praia rica em coqueirais, falésias, rios e lagoas. Além de emocionantes passeios de buggy pelas extensas praias ligando a Paraíba ao Rio Grande do Norte, o turista tem a oportunidade de conhecer a reserva indígena dos ‘potiguaras’ vivenciando os costumes e danças com os nativos. O acesso à reserva indígena se faz de barco ou jangada, através de um manguezal.

Distância de João Pessoa para as praias

Cabedelo – 18 Km
Lucena – 50 Km
Areia Vermelha – 12 Km
Jacumã – 29 Km
Tambaba – 39 Km
Baía da Traição – 70 Km
Mataraca – 100 Km
Pitimbu – 65 Km

Sertão

O Sertão Paraibano é uma das quatro mesorregiões da Paraíba. É formada pela união de 83 municípios agrupados em sete microrregiões: Cajazeiras , Catolé do Rocha, Itaporanga, Patos, Piancó Serra do Teixeira e Sousa, sendo os principais centros urbanos: Patos, Sousa e Cajazeiras.

É detentor de uma diversidade histórica, cultural e paisagística como em nenhum outro lugar do país e do mundo. Apresenta um clima semi-árido com belas serras de formações geológicas e arqueológicas desvendando um excelente lugar para a prática de esportes radicais, com temperatura média entre 28 a 35 graus.

São vários os pontos turísticos potenciais que se estende pelo sertão paraibano. Destaques para o Vale dos Dinossauros, em Sousa; a Fazenda Acauã, em Aparecida e a Estância Termal Brejo das Freiras, em São João do Rio do Peixe. E ainda, outras quinze cidades: Cajazeiras, Coremas,(terra das águas); Maturéia, onde existe o Pico do Jabre com 1197m, o mais alto do Estado; Patos; Piancó, Pombal; São Bento (terra das redes); Santa Luzia; São Mamede; Teixeira; Triunfo e Vieirópolis.

É no sertão que a Paraíba abriga um dos mais importantes sítios paleontológicos do mundo, com mais de 50 tipos de pegadas de animais pré-históricos, espalhadas por toda bacia sedimentar do Rio do Peixe em uma extensão de 700 Km². Inúmeras espécies de dinossauros viveram no sertão paraibano entre 250 e 65 milhões de anos.

Cientificamente reconhecido como um dos lugares mais importantes para realização de estudos paleontológicos, o Vale dos Dinossauros atrai estudiosos de todas as partes do planeta.

Em Santa Luzia é possível conhecer a comunidade de descendentes de escravos do Quilombo do Talhado. Já em São Gonçalo, constitui-se uma região distrital da cidade Sousa, onde são desenvolvidas atividades agrícolas da cultura do coco, banana e outras culturas em áreas irrigáveis. Também sedia a Escola Agrotécnica Federal de Sousa.

Indícios de petróleo foram encontrados em alguns locais dessa região, o que levou a Petrobrás, realizar trabalho de prospecção em vários municípios. A possibilidade de extração em terra, do precioso líquido, causou uma reviravolta no preço dos terrenos e imóveis da região, bem como no comportamento dos sertanejos.

Negócios

A Paraíba tem uma boa infraestrutura, destacando-se a malha rodoviária, em excelentes condições de tráfego, interligando os principais centros produtores. O Estado avançou além da média regional em sistemas urbanos de abastecimento de água e esgoto, distribuição de energia elétrica e telecomunicações, apto a bem atender a demanda atual e futura dos investimentos industriais.

Para uma superfície pouco acima de 56 mil km2, a população dispõe de mais de 5.300 quilômetros de rodovias, 4.000 km estaduais e 1.300 km federais, uma das maiores densidades de estradas em relação à superfície. O sistema ferroviário (708 km) faz o transporte de cargas entre João Pessoa e várias localidades do Estado. Interliga-se com o Sul, via Recife-PE, e com o Norte, via Natal-RN, e com o Ceará via Campina Grande.

O Porto de Cabedelo, a 18 km de João Pessoa, é o mais oriental do Brasil. Tem 700m de extensão, 300m de largura e evoluirá, após dragagem, para 13 metros de profundidade. Movimentou 1,480.895 milhões de toneladas até Outubro de 2011, destacando-se o petróleo, carga geral e cereais. É equipado a contento para a movimentação de cargas gerais e containers. Novos equipamentos pesados de carga e descarga e de conservação a frio estão sendo adquiridos. Contam recebimento de navios “roll-on roll-off e trabalha num amplo e diversificado projeto de ampliação e reequipamento.

O aeroporto opera a 8 km da Capital, dispõe de pista pavimentada de 2.515m e de boas condições para operações de vôo, permitindo a aterrissagem de aviões de grande porte. Nele operam linhas regulares nacionais e internacionais .

O aeroporto João Suassuna, vizinho ao Distrito Industrial de Campina Grande, opera com vôos diários para Brasília e o Sul, via Recife.

Saiba mais:

Rodovias

Praticamente todos os municípios paraibanos estão interligados por rodovias asfaltadas. As rodovias federais mais importantes são: a BR-101, que liga João Pessoa a Natal e a Recife; a BR-230 (Transamazônica) que corta o Estado de Leste a Oeste, desde o Porto de Cabedelo, passando por Campina Grande, Cariri e Sertão e a BR-104 que liga o Agreste paraibano com Pernambuco e Rio Grande do Norte.

Água e esgoto

No contexto nordestino e em relação ao próprio País, a Paraíba apresenta índices razoáveis de atendimento às populações urbanas em abastecimento de água e saneamento.

Nas duas cidades que mais concentram o investimento industrial, João Pessoa e Campina Grande, esses serviços atendem à demanda e oferecem estrutura para futuras instalações industriais.

Aeroportos

O Aeroporto Castro Pinto, a 8km de João Pessoa, com pista de 2.515 m, de boas condições para aterrissagem de aviões de grande porte. Nele operam linhas regulares nacionais e internacionais do sistema Charter.

O aeroporto João Suassuna, vizinho ao Distrito Industrial de Campina Grande, opera com vôos diários para Brasília e o Sul, via Recife.

Telecomunicações

A Paraíba conta com uma ampla infra-estrutura de empresas na área de Telecomunicações. As principais empresas do setor encontram-se em nosso estado. Seja na área de telefonia fixa ou móvel, sua empresa contará com serviços da OI, TIM Nordeste, Embratel, VIVO, Claro, entre outras.

Energia elétrica

Todos os Distritos Industriais implantados e em implantação possuem disponibilidade de energia elétrica fornecida pela ENERGISA, em João Pessoa e todo Estado, com exceção de Campina Grande, que tem fornecedora própria, a CELB. O suprimento é feito pela CHESF Companhia Hidrelétrica de São Francisco. Ambas as empresas foram adquiridas, através do processo de privatização, pelo grupo mineiro Cataguazes.

Gás Natural

A Paraíba é um dos Estados que mais investe em novas energias, entre eles, o gás natural. Com distribuição garantida através da PBGás – concessionária de gás natural, residencial, industrial, comercial e veicular, empresa de economia mista do Governo Estadual – a Paraíba entra em destaque por tamanha inovação.

Ecoturismo

A Paraíba possui entre seus atrativos uma vasta diversidade de áreas naturais, em sua maioria, em bom estado de preservação.

Os variados ecossistemas existentes em todo o Estado possibilitam ao turista a interação com diferentes paisagens e espaços, entre eles: Ilha da Restinga – Ilha fluvial, Situada no estuário do Rio Paraíba, com cerca de 500 ha de área.

Habitat de várias espécies de animais além de diversas formas de ecossistemas tais como: Lagoas, manguezais, mata atlântica e apicuns; Parque Estadual Pedra da Boca – trilhas por entre grutas e paredões de rocha, conhecendo a fauna e a flora da região; Travessia da Serra do Bodopitá – serra com cerca de 43km de extensão; a travessia acontece na região do município de Fagundes.

O roteiro percorre 15km passando pela Pedra de Santo Antônio e lajedos, terminando na Casa de Cumpade, na fazenda Olho d’água; as Itacoatiaras do Ingá (inscrições rupestres); Travessia dos Matacões – 15km por entre lajedos, na APA do cariri; falcoaria no Parque das Pedras – roteiros para conhecer de perto as aves de rapina da caatinga em seu habitat natural.

Esses e muitos outros destinos ligados ao ecoturismo possibilitam ao turista a oportunidade ímpar de entrar em contato com a natureza, por meio de trilhas em meio ao verde e ambientes preservados.

Religioso

JOAO PESSOA

Festa de Nossa Senhora da Penha

A Romaria em homenagem à Nossa Senhora da Penha tem um percurso de 14 quilômetros e acontece sempre no último domingo de novembro. Uma carreata conduz a imagem da santa até a igreja de Nossa Senhora de Lourdes, no centro da capital.

Saindo da igreja de Lourdes, na Av. João Machado, os romeiros passam pela Av. Dom Pedro II, Campus da UFPB, avenida principal do bairro dos Bancários, contorno da entrada do bairro de Mangabeira e seguem pela pista que dá acesso à Praia da Penha até chegar a escultura em alumínio reciclado, de seis metros de altura, da imagem de Nossa Senhora da Penha. O Santuário da Penha faz parte do roteiro histórico e turístico do litoral paraibano

PATOS

Santuário da Cruz da Menina

À margem da estrada que liga Patos à Pombal, pela rodovia BR-230, encontra-se o santuário conhecido popularmente como “A Cruz da Menina”, local de permanente romaria e atração turística, beneficiado com a construção de um moderno parque constituído de cobertura de alumínio (sobre a capela erguida em memória do trágico fato ocorrido em 1923), salas de ex-votos, casa das velas, altar externo, ao pé de uma cruz com 10 metros, lanchonete, lojas de “souvenir”, teatro de arena, passarelas e jardins.

Artesanato

Casa do Artista Popular

Paraíba

A Casa do Artista Popular foi inaugurada em 2006 com o objetivo de reunir o que há de mais representativo do artesanato e da arte popular paraibana, no intuito de preservar atividades artesanais desde sua história, crenças e costumes presentes nesta arte. No local, você encontra um acervo de mais de mil peças representativas de todas as tendências do universo criativo do artesanato paraibano.

Onde Fica
A casa está localizada na Pça. da Independência, 56, Centro. Acesso fácil de ônibus.

Por Que ir
Lá pode-se ver uma coleção de mais de mil peças representativas do artesanato paraibano, uma rara oportunidade de ver o que há mais interessante em um só lugar.

Quando Ir
Visitas de terça a sexta, das 9h às 17h, e sábado, domingo e feriados, das 10h às 18h.

Quem Vai
Turistas, pesquisadores e estudantes de arte e cultura popular.

Quanto Custa
Gratuito.

Salão do Artesanato Paraibano

Programa de Artesanato da Paraíba

O programa de artesanato paraibano abrange todos os elos da cadeia produtiva do Estado. Além disso, revela, em suas ações, a sensibilidade de buscar soluções medianas, cujas interfaces permeiam da expansão da produtividade à adequação estética. Sem descuidar da preservação dos contextos sociais mais tradicionais e do enraizamento da cultura local, o programa mantém, como o principal lastro de balizamento, as condutas cotidianas dos artesãos.

Paraíba

Atualmente, o Programa de Artesanato tem 5.860 artesãos cadastrados em 126 municípios assistidos no Estado. O Salão de Artesanato da Paraíba é uma das atividades do programa. O evento acontece duas vezes ao ano: no inverno, mês de junho, em Campina Grande, e no verão, meses de dezembro e janeiro, em João Pessoa, e possibilita a geração de trabalho e renda por até seis meses após a realização da feira.

O Programa de Artesanato é vinculado à Secretaria de Estado do Turismo e do Desenvolvimento Econômico com coordenação geral da primeira-dama do Estado, Pâmela Bório.

Mercado de Artesanato da Paraíba

Paraíba

O Mercado de Artesanato da Paraíba, conta com espaço para lojas artigos típicos criado por artesãos da região. Os produtos são variados desde: redes estampadas, imagens de santos em estopa, cangaceiros em argila, jóias com conchas, bordados em renda e etc. São 120 Lojas variadas.

Não esquecendo das comidas com ingredientes regionais, dentre eles: castanha e rapadura, além dos doces de buriti, carolina (coco branco queimado), alfenim (massa de açúcar em forma de flores ou animais) e sorda (espécie de pão de mel). Tudo isso no mercado de Artesanato.

Feirinha de artesanato de Tambaú

Paraíba

A nova estrutura da Feirinha de Tambaú conta com 26 boxes destinados a alimentação, que têm mesas fixas em granito com cadeiras móveis. Nos boxes funcionam lanchonetes e restaurantes.

O artesanato também dispõe de grande área na Feirinha de Tambaú. São 44 boxes de alvenaria, além de um novo tipo de piso e nova arborização. Os investimentos chegaram a mais de R$1,4 milhão com a entrega das duas etapas da reurbanização em 2008 e 2009.

A praça tem ainda uma ampla área de passeio, onde são realizados shows e diversas apresentações artístico-culturais. Oito mudas de ipês amarelos foram plantadas no lugar, que também ganhou uma iluminação especial. O local tem agora banheiros públicos e uma casa de resíduos destinada ao armazenamento do lixo produzido pelos comerciantes e usuários, adotando o critério da coleta seletiva.

Segurança, higiene, praticidade e conforto são as melhorias destacadas pelos comerciantes e os visitantes da área. No mês de dezembro, com o início do verão, a Feirinha ganha ainda mais visibilidade e aparece como roteiro certo dos turistas que chegam à cidade de João Pessoa.

A vendedora de artesanato Marli Medeiros comemora o aumento de visitantes ao seu box e espera que até o final do verão o movimento aumente. “Em dezembro já dá para perceber que aumenta muito e espero que até o carnaval esse fluxo de turistas aqui só faça aumentar”, explica a vendedora.

Responsável por um dos boxes na Feirinha, Cristina Braga destaca que após a reurbanização a segurança do local melhorou. “Você não vê mais aquelas pessoas transitando com drogas, que antes assustavam os clientes. Sempre têm policiais por aqui e todos se sentem mais seguros e essa segurança traz ainda mais as pessoas até aqui”, destacou.

Turistas elogiam a Feirinha – Acostumada a visitar a cidade de João Pessoa, a turista de São Luís, Camponesa Pessoa, destaca a evolução urbana da feirinha e afirma que o local está mais organizado. “Isso é aqui é lindo e dava pena como era antes. Agora está uma maravilha. Eu sou fã deste local”, disse.

Moradora de Recife e acostumada a constantes visitas a João Pessoa, a turista Elisa Cardoso também elege a Feirinha de Tambaú como um dos principais pontos turísticos da cidade. “Aqui é um lugar incrível. Eu lembro que não havia essa estrutura ótima que há hoje em dia e isso só faz com que a gente tenha mais vontade de visitar aqui. Vale muito a pena conhecer o artesanato local e em um lugar que oferece tanto conforto”, afirma.

Eventos

Areia

- Festival de Artes de Areia

A cidade de Areia, distante 120 km de João Pessoa, reconhecida pelo Instituto do Patrimônio Histórico Artístico Nacional – IPHAN como patrimônio histórico nacional, hoje é considerada uma rota cultural do brejo paraibano, terra do pintor Pedro Américo, com antigos casarios, teatro e museu.

Além dos atrativos citados, a cidade conta com um grande evento de expressão cultural inseridos no calendário da cidade e do Estado, que é o Festival de Arte onde ocorre uma vasta programação nas áreas de teatro, dança, musica, artes plásticas e outras, sempre no mês de setembro. Areia também faz parte do Projeto Caminhos do Frio, realizado anualmente entre os meses de julho e agosto com mais seis cidades circunvizinhas.

Bayeux

- Caranga Fest

O Caranga Fest é um evento que anualmente celebra o aniversário da cidade de Bayeux, distante 5 km da capital João Pessoa. Na ocasião também acontece vários shows artísticos e um festival gastronômico a base de caranguejo que é um dos principais pescados da região.

Cabaceiras

- Festa do Bode Rei

O evento de caprinovinocultura acontece sempre nos primeiros dias de junho a cada ano, tendo como objetivo atrair criadores e outros investidores do ramo. O acontecimento mobiliza toda a cidade e já faz parte do calendário permanente de eventos da cidade e do Estado, contando com exposições de caprinos, corrida do bode, concurso para a escolha do bode rei do ano, festival gastronômico tendo como base para todos os pratos, a carne de bode. Ainda há shows artísticos no centro da cidade.

Cabedelo

- Fest Verão Paraíba

O Fest Verão Paraíba já em sua sétima edição é um evento anual que acontece na praia de Intermares no município de Cabedelo 18 km distante de João Pessoa, tal evento marca a abertura do verão paraibano com vários shows e uma diversidade de ritmos executados em uma super estrutura de 30.000 mil metros quadrados, o próximo está previsto para os dias 08, 15 e 22 de janeiro de 2012.

Campina Grande

- São João

Campina Grande está localizada no interior paraibano, distante 122 km da capital João Pessoa. Lá, é cenário do maior São João do Mundo, um grandioso evento que atrai turistas nacionais e internacionais. São trinta dias de forró com festival de quadrilhas; mostra do artesanato local e de uma rica gastronomia tendo o milho como a principal matéria prima.

- Festival de Inverno

O Festival de Inverno de Campina Grande é um evento artístico e cultural que ocorre anualmente no mês de julho reunindo grandes nomes da cultura nacional marcado por grandes shows, espetáculos de dança, teatro e artes plásticas.

- Encontro da Nova Consciência

É um evento de caráter espiritual e ecumênico que se realiza todos os anos no período de carnaval, onde seus participantes buscam uma reflexão sobre os caminhos da humanidade e o desenvolvimento de uma cultura de paz.

João Pessoa

Reveillon: No dia 31/12 a 01/01 é realizado o grande reveillon da cidade de João Pessoa nas Praias de Tambaú e Cabo Branco com um show pirotécnico e apresentações artísticas em palco armado na orla.

Estação do Som: É um grande evento que acontece todos os anos durante o mês de janeiro em um grande palco armado no Busto de Tamandaré na praia de Tambau marcando a abertura do verão de João Pessoa. Acontecem apresentaçõe de artistas da terra e de outros estados, e paralelamente também é realizado o Circuito das Praças.

Projeto Folia de Rua: O Projeto Folia de Rua é um evento da cidade de João Pessoa que antecede o carnaval em caráter de previa, com uma semana de folia de rua com blocos do centro histórico à orla da cidade. Destaque para o Bloco das Muriçocas, considerado o maior bloco de rua do Brasil, na seqüência vem o bloco das Virgens de Tambau com homens travestidos de mulher com toda irreverência. Por fim, o Bloco do Cafuçú onde os participantes usam vestimentas extravagantes e fora de moda.

Paixão de Cristo: O Evento sempre ocorre no período da Semana Santa. É um espetáculo teatral que faz uma releitura da vida e morte de Cristo trazendo em seu contexto aspectos culturais e sociais do mundo atual. O último espetáculo exibido no Espaço Cultural José Lins do Rego se desenvolveu de uma forma muito descontraída.

Festival Nacional de Artes-FENART: O FENART é um Festival Nacional de Arte que acontece anualmente no Espaço Cultural José Lins do Rego contando com apresentações artístico-cultural nas áreas de dança, teatro, cinema, artes plásticas e outros, o acontecimento tem data móvel.

São João em João Pessoa: O São João de João Pessoa acontece durante os festejos juninos em palcos armados na Praça do Ponto Cem Réis com muito forró celebrando a cultura nordestina, com diversas atrações artísticas e folclóricas do Nordeste.

Cineport: O Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa – CINEPORT é um acontecimento cultural importantíssimo que ocorre a cada dois anos na Usina Cultural da ENERGISA no centro da cidade de João Pessoa. O Cineport tem atraido cineastas e críticos do cinema de várias partes do mundo, além da exibição de filmes no espaço, ainda acontecem outras manifestações artístico-cultural.

Música do Mundo: O Festival Musica do Mundo acontece anualmente sempre no mês de dezembro em palco armado no Busto de Tamandaré na Praia de Tambau contando com a apresentação diária de vários artistas executando ritmos do mundo inteiro.

SAMAP: Salão Municipal de Artes Plásticas é um evento anual promovido pela Prefeitura da cidade através da FUNJOPE – Fundação Cultural de João Pessoa, tal evento procura reunir artistas de todo o território nacional, onde os mesmos têm a oportunidade de expor seus trabalhos concorrendo a premiações, na ocasião ainda acontecem oficinas de artes e seminários abertos a todos os interessados.

Patos

- São João

Patos é uma cidade do sertão paraibano, distante 294 km de João Pessoa, vem realizando um grande festejo junino que tem inicio no dia 21/06 com termino no dia 28/06. O evento reúne grandes nomes do forró nordestino e acontece em uma superestrutura no centro da cidade, atraindo turistas de outros estados e da capital João Pessoa.

Santa Luzia

- São João

Santa Luzia, cidade do sertão paraibano distante 280 km de capital João Pessoa conta com um evento anual que é a comemoração do São João tradição que ocorre de 23/06 a 26/06, tal evento já tem uma história de 69 anos, reunindo grandes ícones do forró nordestino.

Fonte:  destinoparaiba.pb.gov.br

Paraíba

Paraíba
Paraíba

Informações sobre a Paraíba
População 3.305.616 Homens 1.599.386 Mulheres 1.706.230
Área Total(km2) 56.585 Densidade pop. 58.00
Fonte: IBGE

A Paraíba acolhe na sua Capital, João Pessoa, o Ponto Extremo Oriental das Américas, a Ponta do Seixas, situada na praia do Cabo Branco. Sua colonização teve início no século XVI, então habitada pelos índios Potiguaras, Tabajaras e Cariris. A fundação da cidade de Filipéia de Nossa Senhora das Neves, em homenagem ao Reino da Espanha, deu-se às margens do Rio Sanhauá, em 1585. Disputada entre países colonizadores europeus, foi dominada por holandeses de 1634 a 1654, quando retornou à gestão da Coroa Portuguesa.

Falésias, dunas, estuários, restingas, manguezais, remanescentes de Mata Atlântica e belíssimas praias formam os 138 km do litoral paraibano.

Avançando para o interior, inscrições rupestres, rastros de dinossauros, cachoeiras e antigos engenhos de cana-de-açúcar recepcionam o visitante, sempre com a hospitalidade natural e os sabores da culinária paraibana.

Fonte:  cidades.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal