Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Jaguariúna

Jaguariúna

História do Município de Jaguariúna

PUBLICIDADE

Voltando, magicamente o relógio do tempo nos idos de 1880, vamos encontrar grandes latifúndios pertencentes ao Coronel Amâncio Bueno, que era filho de Cândido e Umbelina Bueno. Em síntese, essa família era possuidora de grande extensão de terra que se denominava “Fazenda Florianópolis”; hoje os resquícios daquelas vastas terras se restringem à pequena área ocupada pela Fazenda Serrinha.

Sentindo que poderia ser plantada a semente do processo naquelas terras, o então Cel. Amâncio Bueno, desmembrou a Fazenda Florianópolis, transformando-a em uma colônia que começou a abrigar imigrantes italianos e portugueses. Esses imigrantes observando que a construção da Estrada de Ferro era uma realidade que logo se concretizaria, começaram a transformar aquelas terras férteis em uma rica e promissora região agrícola.

E a construção da Estrada de Ferro se concretizou, recebendo o nome de Estação de Jaguary, por ser serpeada pelo belo rio Jaguary, que ostentava em suas margens frondosos pés de jequitibás. Nessa época a Cia. Mogiana começou a se fazer presente na região, monopolizando com as suas fumegantes “Marias Fumaças” o escoamento agrícola daquelas terras que davam os primeiros passos em termos de produtividade.

Jaguariúna

Como tinha uma grande visão do futuro, e notando o desenvolvimento do lugar, o fundador iniciou durante o ano de 1889 a construção de uma matriz, até conseguir por provisão a 19 de fevereiro de 1892 criar a paróquia de Santa Maria, padroeira do lugar.

Em 1894 o Cel. Amâncio Bueno mandou fazer uma planta do bairro Jaguary, projetada por Guilherme Giesbresht e junto aos poderes constituídos da época conseguiu a criação do Distrito de Paz de Jaguary, vinculado ao município de Moji-Mirim, pela lei no 433 de 5 de agosto de 1896.

Por força do Decreto-Lei no 14.344 de 30 de novembro de 1944, foi acrescido ao vocabulário JAGUARY, que significava: Jaguar-Onça e I-Rio, o termo UNA, cuja tradução é preta; desde então se traduziu oficialmente: RIO DAS ONÇAS PRETAS.

Jaguariúna

O bairro continuou em franco progresso mas os seus habitantes sentiam-se restritos nas diversas transações que realizavam devido as decisões governamentais serem centralizadas e os tributos públicos atingirem taxas elevadas obstando o desenvolvimento da época.

Formou-se então em 1953 uma comissão composta de homens ilustres e de uma dinâmica sem par, que a 10 de abril de 1953 assinava ofício à Assembléia Legislativa cujos atos versavam sobre a emancipação política de Jaguariúna, juntamente com uma farta documentação e uma extensão memorial que compilava dados sobre a capacidade de autonomia nos setores industriais, agrícolas, comerciais e pecuários.

Em 30 de dezembro de 1953, o povo jaguariunense recebia a grata notícia: “De acordo com a Lei no 2456 ficara criado o Município de Jaguariúna, com a demarcação da linha limítrofe, bem como o desmembramento das terras do município de Moji Mirim”.

Escudo de Armas

O escudo de armas do selo adotado pela Prefeitura Municipal de Jaguariúna foi instituído através da Lei Municipal no 134, de 18 de agosto de 1960.

Simbolismo

o OURO lembra riquezas do Município, cuja expressão máxima é a cultura cafeeira;
a ONÇA é o jaguar que entra na composição do nome da cidade;
a FAIXETA ondada, de azul, em ponta, representa o rio Jaguari;
a divisa “FIDE ET LABORE” lembra que com fé e trabalho haverá prosperidade.

Jaguariúna
Bandeira Municipal

A Bandeira Municipal foi instituída através da Lei Municipal no 320 de 03 de julho de 1969.

Jaguariúna

Aspectos Gerais

Fundador: Coronel Amâncio Bueno

Data de Aniversário: 12 de setembro

Data da Criação do Município: 30/12/1953 – Lei no 2456

Data de Emancipação Política: 01/01/1955

Limites: Norte – Holambra e Santo Antonio de Posse; Sul – Campinas; Leste – Pedreira; Oeste – Paulínia.

Região Geográfica: Pirassununga

Zona Geográfica do Estado: Leste Paulista

Comarca: Pedreira

População: estimada em 25.349 habitantes

Rios que Cruzam o Município: Jaguari, Atibaia e Camanducaia

Topografia: Plana

Clima: quente, com inverno seco

Distância da Capital: 120 km

Fonte: jaguariuna.cnpm.embrapa.br

Jaguariúna

História do Jaguariúna Rodeio Festival

Com a tradição de um festival que há mais de duas décadas promove entretenimento e cultura a milhares de pessoas, o Jaguariúna Rodeio Festival evidencia, em sua 23ª. edição a maturidade de um evento de porte internacional.

No contexto desta trajetória é oportuno lembrarmos o espírito pioneiro do JRF, iniciativa nascida em 1989, cujo foco principal é e sempre foi a difusão cultural e a valorização dos homens e das mulheres que fazem do campo o seu universo para transformação da realidade e a geração de riquezas para o Brasil.

Muitas afinidades ligam a história deste evento à aceitação do grande público. A localização geográfica do Festival – instalado às margens da SP-340, um dos antigos Caminhos do Ouro, o Caminho dos Goiases (século 18) –, por onde circularam bandeirantes, tropeiros e boiadeiros rumo aos sertões ¬– é prova de uma expressiva herança cultural, qual seja, a de um Brasil essencialmente agrário. Neste cenário, encontramos dois personagens principais: o homem e a terra. Das atividades econômicas relacionadas a este passado histórico recuado, a agropecuária vai se consolidar como um dos grandes veios de impulsão do desenvolvimento econômico e ao mesmo tempo, de fixação do homem na terra.

Na concepção do JRF encontra-se assim uma clara proposta de valorização da cultura da memória nacional, fixando um olhar atento no passado e no horizonte ampliado da contemporaneidade. Um aspecto cultural que também permeia o evento é a raiz country, proveniente das competições realizadas entre os antigos vaqueiros do Oeste norte-americano, os quais também receberam influência dos colonizadores espanhóis, nos séculos 18 e 19.

Desde o ano inaugural do evento, em 1989, o JRF recebe do público respostas claras de total identificação e reconhecimento. Naquele ano, quando Jaguariúna ainda era um tímido município no entorno de Campinas, a festa atraiu, na largada, um público de 18 mil pessoas. No ano seguinte (1990), o público respondia afetivamente à proposta do JRF elevando a bilheteria de 18 mil para 30 mil visitantes.

Em 2012, em sua 24ª edição, o Jaguariúna Rodeo Festival se consolida como um dos melhores festivais brasileiros, de porte internacional.

Fonte: rodeiodejaguariuna.com.br

Jaguariúna

TURISMO

Rural

A “capital nacional do cavalo” oferece várias opções para o turismo rural. Entre atividades equestres, radicais e de aventura, há ainda espaço para saborear refeições caseiras, degustar cachaças artesanais e viver um “feriado da mente”, desfrutando do sagrado direito à preguiça. E mais: amantes de esportes sobre águas também têm vez por aqui. Em 2009 a cidade ganhou um espaço exclusivo para a prática de qualquer modalidade de esqui aquático.

RANCHO JEP
Construído em meio a uma vegetação exuberante, o local é ideal para o lazer de aventura para crianças e adultos. As atividades equestres ficam a cargo de profissionais treinados. Esportes de aventura, como tirolesa, arvorismo e escalada, também fazem parte do cardápio do rancho. Para adeptos de práticas mais radicais, oferece paintball diurno e noturno. As atividades devem ser previamente agendadas.
SERVIÇO
Rod. SP 95, km 68,3 – Estr. Jaguariúna-Pedreira

RANCHO LF
Escola de Equitação

Centro de equitação, com provas de baliza, tambor e laço. Aulas de hipismo, cavalgadas monitoradas diurnas e noturnas (luau), passeios de charrete no local e pela cidade. Reserva ecológica, com trilha pelos antigos trilhos da Cia. Mogiana de Estradas de Ferro, às margens do rio Jaguari. Casa de apoio, para descansar, comprar artesanato e produtos country. Restaurante com comida caipira feita no fogão a lenha.
SERVIÇO
Rod. SP 95, km 69 – Estr. Jaguariúna – Pedreira

RANCHO DA TERRA
Entre as opções do cardápio estão passeios a cavalo, charrete ou trator, tirolesa, comida caipira no fogão a lenha e hospedagem em uma pousada rústica, nas antigas casas dos colonos restauradas (veja mais em ONDE FICAR). Oferece aindaespaço para eventos, como reuniões e confraternizações. Para desfrutar disso tudo, as visitas e atividades devem ser previamente agendadas.
SERVIÇO
Sítio Santa Maria – Loteamento Santo Antônio do Jardim – Zona Rural
yararanchodaterra@ig.com.br
www.ranchodaterra.cjb.net

RANCHO DA CACHAÇA
Nesta propriedade pitoresca e agradável, o destaque fica com a produção artesanal de cachaça, do plantio até a fabricação e envelhecimento da caninha. Além da venda da branquinha, o local oferece também pimenta em conserva, amendoim, doces e biscoitos. As visitas devem ser previamente agendadas. (Veja mais em FEART/ORIGINAL DA TERRA – FEIRAS/FESTAS E TRADIÇÕES).
SERVIÇO
Estr. Vicinal HBR 10, km 1,5 (Estrada Duas Marias / Holambra s/ no)
www.ranchodacachaca.com.br

TIJUCO PRETO / TAPERA DA CACHAÇA – SANTO DAL`BÓ
Com visitas previamente agendadas o sítio oferece comida caipira preparada no fogão a lenha, embutidos, defumados, tender, tomate seco, salgados, doces, visita ao alambique e cachaça artesanal. (Veja mais em FEART/ ORIGINAL DA TERRA – FEIRAS/FESTAS E TRADIÇÕES).
SERVIÇO
Estr. Guedes / Lagoa Seca, s/no (há placas indicativas)
 

RANCHO IRAJÁ
Espaço para quem deseja aprender a anda a cavalo, oferece escola de equitação, centro de treinamento em tambor, baliza, team penning, laço de bezerro, passeios a cavalo. Provas e horários previamente agendados.
SERVIÇO
Estr. Municipal do Varjeão, 334 (próx. ao Cond. Arco Iris)
 

RANCHO OASIS
Com quase 50 mil metros quadrados de área verde, o local oferece turismo rural e pedagógico, monitores, esportes equestres, laboratório rural, estudo do meio ambiente, contato com animais (campo e exóticos) parque de diversões, salão de festas e de jogos, campo de futebol. Ideal para amantes de atividades e também para quem só quer desfrutar do prazer do “dolce far niente”. Visitas e atividades devem ser previamente agendadas.
SERVIÇO
B. Tanquinho Velho (próximo à FAJ – Faculdade de Jaguariúna – Campus II)
www.ranchooasis.com.br

SÍTIO DAS FONTES / BENDITO CAFÉ
Cozinha artesanal (veja mais em ONDE COMER), espaço para confraternização, cursos e reuniões, artesanato em fibra de bananeira e fibras naturais, patcwork. As reservas devem ser previamente agendadas.
SERVIÇO
Av.Pacífico Moneda – B.Vargeão
www.benditocozinha.com.br

PESQUEIRO GANDOLPHI
Seus seis lagos (com metragens que variam entre 15 e 38 mil m2 ) são abertos para a pesca diurna e noturna, com sistema por quilo. Pintado, Dourado, Tambaqui, Tilápia do Nilo, Curimbatá, Carpa, Matrinxã e Traíra são alguns tipos de peixes que podem ser encontrados no Gandolphi que também conta com restaurante e lanchonete.
SERVIÇO
Sítio São Pedro, Vargeão de Guedes

Esportivo

NAGA CABLE PARK: PARA AMANTES DOS ESPORTES AQUÁTICOS
Inaugurado em 2009, o parque é ideal para quem busca adrenalina e gosta de esportes radicais. Primeiro cable park da América Latina, sua principal atração é um moderno mecanismo formado por torres, cabos de aço e motor elétrico que substitui os barcos usados nas diferentes modalidades de esqui aquático ou wakeboard.
Com 84 mil m2 de área total e 62 mil m2 de lago, conta com restaurante com vista panorâmica para o lago, lanchonete, playground, lojas, entre outras facilidades.
SERVIÇO
AV. Pacífico Moneda, 349 – B. Guedes
De 3ª a domingo, das 9h às 22h
www.nagacp.com.br

RALLY MITSUBISHI CUP SUDESTE – ETAPA JAGUARIÚNA
Desde o ano 2.000, Jaguariúna sedia uma das etapas do Rally Mitsubishi Cup Sudeste, evento que reúne pilotos e navegadores de todo Brasil, em prova off-road, já tradicional no cenário automobilístico brasileiro.
O campeonato conta com 21 provas, divididas em sete etapas, disputadas em quatro categorias: L200 RS Máster; L200 RS; Pajero TR4 R; e L200 R.
Além da premiação, em cada uma das etapas, são distribuídos prêmios para os melhores pontuados de cada categoria. No final da temporada, os mais bem colocados recebem troféus no ‘Capacete de Ouro’, principal festa do automobilismo nacional.
Em Jaguariúna, as competições acontecem na Fazenda da Barra, em circuito de média para alta velocidade.

MITSUBISHI CUP SUDESTE – ETAPA JAGUARIÚNA
Grandes nomes do automobilismo nacional costumam levantar poeira em Jaguariúna no Mitsubishi Cup Sudeste, em busca de classificação nas categorias Pajero TR4R Light, Pajero TR4R, L200 RS e L200 Triton RS.
A cidade recebe o campeonato todos os anos, atraindo curiosos e amantes da disputa sobre rodas.

COPA VELOTERRA – ETAPA JAGUARIÚNA
Jaguariúna sedia uma das etapas da Copa Circuito das Águas Paulistas de Veloterra. Sob duas rodas, a união entre velocidade e pista de terra dá ao esporte uma característica radical.
Realizado em pista de terra plana, gradeada e irrigada a cada três baterias, com curvas bem projetadas, a emoção fica por conta das ultrapassagens curva a curva.
A Copa é disputada nas oito cidades que compõem o circuito: Amparo, Serra Negra, Lindóia, Águas de Lindóia, Pedreira, Jaguariúna, Monte Alegre do Sul e Socorro.

ENDURO CROSS CONTRY DE KART AMADOR – ETAPA JAGUARIÚNA
Na década de 90, Jaguariúna passou a sediar etapas da Fórmula 200 de Kart. Este foi o pontapé para que muitos amantes do automobilismo, residentes na cidade, dessem asas ao sonho de formar equipes e fazer de Jaguariúna um expoente do kart amador.
Em 2002, foi realizada a I Etapa Jaguariúna de Kart Amador. De lá para cá, a etapa vem sendo realizada anualmente no Parque Santa Maria, com grande adesão de competidores e sucesso de público.

SERVIÇO
Associação de Automobilismo de Jaguariúna
Contato: Adriano Sarti

Arte da Terra

Jaguariúna abriga diversos artesãos, de diferentes estilos e tendências, que trabalham com técnicas variadas, produzindo desde peças em tear manual, em bambu e em sementes e palha e de milho até produtos da chamada gastronomia artesanal, como cachaça, pães, doces, massas caseiras, alimentos orgânicos, entre outros.
As exposições acontecem nos finais de semana e feriados, das 10h às 18h, no Centro Cultural da cidade. Iniciativa dos artesãos da cidade, com apoio da Prefeitura Municipal, a FEART –Feira de Arte e Artesanato – visa dar maior visibilidade ao trabalho artesanal produzido na área rural da cidade pelo grupo Original da Terra.

SERVIÇO
Av. Marginal, 600 – Centro (antiga Estação da Cia Mogiana).

FEART / ORIGINAL DA TERRA – PRODUTO ARTESANAL
PRODUTOS / PRODUTORES

ADEMIR REFUNDINI – Miniaturas e artesanato em geral.

ANA SUATE – Artesanato, bordados, bijuterias.

BENDITO CAFÉ / SÍTIO DAS FONTES – Patchwork, artesanato em fibra de bananeira e palha de milho, bonecas, cafés e refeições.

DORIVAL SOARES – Cachaça artesanal, licores e doces.

EDNA DE SOUZA – Produtos orgânicos, hortaliças, frutas, verduras, compotas e geleias.

ELIANA MARCONATO – Vinagres aromatizados, licores, artesanatos, pimentas e geleias.

GRUPO TANQUINHO – Geleias, pães, bolos, biscoitos, doces, artesanato de fibra de bananeira e palha de milho e bijuterias.

HELENA SERRAGLIO MARIN – Pães, molhos, massas caseiras e bolachinhas.

JOSÉ AUGUSTO SERRAGLIO – Objetos de decoração e móveis em bambu; licores.

NEIDE REBELLATO – Artesanato em sementes e palha de milho; decoração de Natal.

ODETE DAL`BÓ – Artesanato, compotas, café rural, tomate seco, pães.

RACHEL F. DE MELLO – Tear manual, bolsas, bijuterias, bordados, toalhas, jogos americanos.

RANCHO DA CACHAÇA – Cachaça artesanal, pimentas em conserva e amendoim.

SANTO DAL`BÓ – Cachaça artesanal, embutidos, defumados, comida caseira no fogão a lenha.

SUELI FELIPPE – Doces, licores, derivados de milho, tomate seco, berinjela, molho de pimenta, azeite e vinagre aromatizados.

Circuitos Turísticos

Jaguariúna faz parte de dois Circuitos Turísticos: das Águas Paulista, composto pelos municípios de Pedreira, Amparo, Serra Negra, Monte Alegre do Sul, Lindóia, Águas de Lindóia e Socorro; e da Ciência e Tecnologia, formado por Campinas, Limeira, Santa Bárbara D’Oeste, Americana, Monte Mor, Nova Odessa, Sumaré, Piracicaba, Paulínia, Hortolândia e Indaiatuba.
Esta participação em dois pólos turísticos abre um cenário mais amplo para que a administração municipal invista no Turismo, setor que, atualmente, mais gera empregos no mundo.

1-Circuito das Águas

Formado por oito cidades do interior do Estado, o Circuito das Águas Paulistas têm cachaça, aventura, gastronomia, turismo rural, compras, muita água, saúde e tranqüilidade numa das mais belas regiões do Estado de São Paulo.
Rotas de tropeiros, que iam em busca do ouro, a caminho de Goiás e Minas Gerais, as oito cidades que compõem o Circuito das Águas Paulistas têm suas peculiaridades, mas também muitas semelhanças. Das oito cidades, seis são consideradas Estâncias Hidrominerais, devido às fontes naturais de água mineral: Águas de Lindóia, Amparo, Lindóia, Monte Alegre do Sul, Serra Negra e Socorro. Pedreira e Jaguariúna, apesar de não serem estâncias, possuem rios, cachoeiras e até mesmo fontes de água mineral, como a Santa Úrsula, em Jaguariúna.
Localizadas na Serra da Mantiqueira, umas mais ao alto, outras em vales e outras aos pés da Serra, as oito cidades têm em comum o clima ameno de montanha, com temperatura média que varia de 20º a 25ºC, ar puro e toda tranqüilidade, propiciando ao descanso e ao relaxamento.
Mas engana-se aquele que pensa que visitar o Circuito das Águas Paulista é só sombra e água fresca. O roteiro pode ser extenso e agitado. Nas oito cidades que integram o Circuito é possível radicalizar com 22 modalidades de esportes de aventura: aprender ainda mais sobre a história do Brasil ‘in loco’ nas fazendas que no passado abrigavam sinhás e escravos; sentir-se como uma sentinela, vigiando as tropas inimigas na fronteira dos Estados de Minas Gerais e São Paulo; ordenhar vacas e ovelhas; acompanhar a produção artesanal de queijos, vinhos, cachaças e, claro, beber muito água mineral, direto da fonte. Mais informações www.circuitodasaguaspaulista.com.br

2-Circuito de Ciência e Tecnologia

O Circuito de Ciência e Tecnologia foi criado, oficialmente, em abril de 2005. Seu principal objetivo é fomentar o turismo de negócios nos municípios que o integram, dando ênfase aos atrativos da ciência e tecnologia, sem deixar de lado as atrações históricas, rurais e culturais.
A iniciativa, criada em forma de Consórcio Turístico, colabora para o desenvolvimento econômico e social das 12 cidades envolvidas: Americana, Campinas, Indaiatuba, Jaguariúna, Hortolândia, Limeira, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Piracicaba, Santa Bárbara D´Oeste e Sumaré. Além destes municípios, o Circuito Turístico de Ciência e Tecnologia conta com o apoio da Fundação Fórum Campinas, composta por 11 instituições de ensino e pesquisa, e do Campinas e Região Convention & Visitors Bureau. http://www.ct2.tur.br/

Fonte: jaguariuna.sp.gov.br

Jaguariúna

Hoje em dia Jaguariúna se destaca no cenário nacional e internacional. Seu parque industrial congrega unidades que atuam em vários setores da economia: bebidas, informática, comunicações, medicamentos, cerâmica, metalurgia, autopeças, avicultura, etc.

Outra atividade que teve um grande impulso nos últimos anos foi a de serviços, lazer e turismo. A estrutura hoteleira cresceu em número e qualidade. Restaurantes, supermercados, condomínios de luxo, chácaras de lazer e grandes eventos passaram a oferecer à população e aos visitantes um grande número de opções categorizadas.

Para completar este quadro que concilia o desenvolvimento com o lazer e o turismo soma-se a qualidade de vida que o município oferece: crescimento planejado, saneamento básico, hospital e atendimento público de saúde dos melhores do Estado, ensino público e particular, inclusive a Faculdade de Jaguariúna e o Cepep ­ Centro Público de Educação Profissional; acesso fácil e amplas avenidas tornam Jaguariúna uma cidade diferenciada a somente 130 Km. de São Paulo.

Mesmo com o desenvolvimento, a cidade ainda preserva um significativo patrimônio histórico-ferroviário, fazendas centenárias, haras e antigos casarões. O passeio no Trem Turístico “Maria Fumaça” nos leva ao tempo os Barões e dos grandes cafezais. A antiga Estação da Mogiana, hoje o Centro Cultural, é um dos principais pontos de encontro da cidade, com barzinhos e música ao vivo. A Matriz Centenária de Santa Maria, totalmente preservada, nos faz lembrar a fé e a determinação dos imigrantes pioneiros. Como se não bastasse, vinculando o passado ao presente e ao futuro, está instalada em Jaguariúna a Embrapa Meio ­ Ambiente, pioneira nas pesquisas da economia agrícola sustentável.

Fonte: circuitodasaguaspaulista.com.br

Jaguariúna

Atrações Turísticas:

Igreja Matriz Santa Maria

Jaguariúna

Em terras próximas à sede da fazenda Florianópolis, hoje fazenda Serrinha, e do rio Jaguary, o Coronel Amâncio Bueno, fez erguer, as suas expensas, uma bonita e grande capela, em estilo Gótico-Bizantino, tendo sido construído em 1895.
Reservou e doou à Igreja toda quadra circundante. Depois abriu as ruas próximas, denominando-as de Vila Bueno. Homem de visão, Amâncio Bueno encarregou o engenheiro Guilherme Giesbresht para fazer a planta do loteamento que deu origem à pequena vila, que em 5 de agosto de 1896 foi transformada no “Distrito de Paz de Jaguary”, vinculado ao município de Mogi Mirim.

Antiga Estação da Companhia Mogiana

Jaguariúna

Monumento ferroviário restaurado. Atualmente abriga o Centro Cultural de Jaguariúna, que utiliza os seus salões para cursos, eventos artísticos, seminários e reuniões; acolhe também a Biblioteca Municipal, a Rádio Educativa Municipal – Estrela FM e uma lanchonete, o Botequim da Estação. É um dos locais mais agradáveis da cidade.
Envolto por amplos gramados ajardinados, servido pelas avenidas marginais, com grande área de estacionamento, o Centro Cultural (ou a antiga estação ferroviária) fica em local privilegiado no centro de Jaguariúna, em frente ao Terminal Rodoviário, a poucos metros de um dos mais importantes hotéis do município e do Hospital Municipal “Walter Ferrari”.
Numa das áreas gramadas há a réplica de uma Caravela, feita para homenagear o aniversário de 500 anos do descobrimento do Brasil. No entorno dos jardins foram plantadas árvores de pau Brasil.
O grande destaque do local é a locomotiva Maria Fumaça e o seu carro restaurante, totalmente restaurados pela Prefeitura Municipal. A todo o momento pode-se ver turistas, e pessoas em trânsito, pousando para fotos ao lado da “Maria Fumaça”.
A antiga estação da Cia. Mogiana foi inaugurada em 15 de Dezembro de 1945. Desativada desde os anos 70, o prédio histórico foi restaurado pela prefeitura e transformado em Centro Cultural a partir de 1991.

Antigos Casarões dos Barões do Café

Erguidos no século passado, localizados na Fazenda Santa Úrsula, Santa Júlia e Serrinha (propriedades particulares).

Casarões – século XIX

Sede da Secretaria de Educação, foram restaurados em 1991.
Localizam-se na Av. Marginal, s/no.

Embrapa meio ambiente

Jaguariúna

A EMBRAPA MEIO AMBIENTE está localizada no Município de Jaguariúna. É uma unidade temática de pesquisa e desenvolvimento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento.
Esta unidade tem por missão institucional “Viabilizar soluções para o desenvolvimento sustentável do espaço rural mediante geração, adaptação e transferência de tecnologias e conhecimentos em manejo e gestão ambiental e contribuir para a formulação de políticas agroambientais”.
Para esclarecer dúvidas da população em geral sobre os serviços e oportunidades que a Embrapa Meio Ambiente disponibiliza foi criado o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC – Embrapa Meio Ambiente), responsável também pelo agendamento de visitas à biblioteca, aos laboratórios, bem como para a participação em eventos da Embrapa Meio Ambiente.
Localização
Rodovia SP 340 – Campinas / Mogi-Mirim, Km. 127,5. Bairro Tanquinho Velho.
Condições de Acesso do Público
Situada a 7 Km. do centro de Jaguariúna e a 18 Km. de Campinas. Servida por ônibus coletivo Jaguariúna / Campinas ou vice -versa. Acesso de automóvel pela SP 340.
Visitas marcadas com antecedência através do SAC.

Estádio Municipal

Jaguariúna

O Estádio Municipal “Alfredo Chiavegato” está localizado no maior e mais populoso bairro de Jaguariúna. Projetado para ser, no futuro, o principal estádio do município, o referido espaço esportivo é servido por avenidas marginais, a partir do centro da cidade, contando, também, com acessos para a SP 340 e SP 95. Além do campo oficial para a prática do futebol, este estádio conta com uma pista de atletismo, também oficial. A situação topográfica da praça esportiva possibilita a construção de arquibancadas em toda a sua volta.

Localização
Av. Vicenzo Gangrelli – Bairro João Aldo Nassif

Parque Santa Maria

Jaguariúna

Espaço público destinado a grandes eventos ao ar livre, bem como, à prática do lazer e do esporte durante todo o ano; localizado em área central da cidade. Até 1999, o “Jaguariúna Rodeio Festival” foi realizado no Parque Santa Maria, recebendo aproximadamente 20 mil pessoas por noite. São realizadas no local as tradicionais festas da Cavalaria Antoniana, a Festa Junina das Escolas de Jaguariúna, Encontro de Motos, Festa do Caminhoneiro e outras.
O telhado da Entrada Monumental do Parque Santa Maria tem a sua estrutura feita, artesanalmente, com trilhos, remetendo-nos à tradição ferroviária da cidade.
A Secretaria de Turismo e Cultura está instalada nas dependências do Parque.

Localização
Rua José Alves Guedes, 1003, Centro, Parque Santa Maria.

Ponte Pedro Abrucêz

Jaguariúna

Outro “monumento ferroviário” reformado e conservado pela Prefeitura Municipal. A ponte ferroviária da antiga Cia. Mogiana, também conhecida como “Ponte do Jatobazeiro”, foi inaugurada em Agosto de 1875 com a presença do Imperador D. Pedro II e da Princesa Isabel, que, na ocasião, hospedaram-se na Fazenda Jaguari (hoje Santa Úrsula), de propriedade do Barão de Ataliba Nogueira.
Hoje em dia, a referida ponte dá acesso aos bairros de Jaguariúna localizados na margem esquerda do Rio Jaguari. A ponte está ao lado do Parque Ecológico do Jatobazeiro, onde a mata ciliar foi recentemente replantada. O local é agradável e ornamenta a paisagem urbana às margens da avenida que corta Jaguariúna, dando acesso às cidades do “Circuito das Águas”.
Endereço
Avenida Marginal – Centro

Fonte: citybrazil.com.br

Jaguariúna

História

A origem de Jaguariúna remonta aos tempos do antigo caminho dos Goiáses, quando por aqui passavam os bandeirantes, tropeiros e boiadeiros rumo a Goiás e Mato Grosso. Com o florescimento dos Engenhos de Açúcar e, depois, das enormes plantações de café, surgiram as grandes fazendas: as Casas Grandes e os Barões.

A fundação da cidade está ligada à decisão do Coronel Amâncio Bueno (primo de Campos Sales, que foi Presidente da República, e da baronesa de Ataliba Nogueira) em construir uma Vila em terras de sua propriedade, desmembrando, assim, a Fazenda que se denominava “Florianópolis”, transformando-a em uma colônia que começou a abrigar os imigrantes italianos e portugueses.

As terras da Fazenda Florianópolis foram doadas por D.Pedro II aos pais do Coronel Amâncio Bueno. Suas terras ocupavam a margem esquerda do Rio Jaguary (hoje os resíduos daquelas vastas terras se restringem á pequena área ocupada pela Fazenda Serrinha). Esses imigrantes, observando que a construção da Estrada de Ferro era uma realidade que logo se concretizaria, começaram a transformar aquelas terras férteis em uma rica e promissora região agrícola.

Em 1875 a Companhia Mogiana de Estradas de Ferro assentou seus trilhos na então Vila Bueno, com a construção do ramal Campinas-Mogi Mirim inaugurado pelo Imperador D. Pedro II. Com a também inauguração da Estação de Jaguary, cujo nome é devido ao rio que margeava o traçado da linha férrea, e com a epidemia da febre amarela na cidade de Campinas, grande parte da população deslocou-se para outras regiões, muitos comerciantes começaram a desembarcar na Estação de Jaguary e aqui instalaram seus negócios e moradia.

Como tinha uma grande visão do futuro e notando o desenvolvimento do lugar, o coronel Amâncio Bueno iniciou nos idos de 1889 a construção de uma matriz, em estilo gótico-bizantino, até conseguir por provisão em 19 de fevereiro de 1892 criar a paróquia de Santa Maria, padroeira do lugar. Em 1894, o coronel Amâncio Bueno encomenda uma planta do bairro Jaguary, projetada pelo engenheiro alemão Guilherme Giesbrechet e, junto aos poderes constituídos da época, conseguiu a criação do Distrito de Paz de Jaguary, vinculado ao município de Mogi Mirim, pela Lei nº 433 de 05 de Agosto de 1896.

O bairro continuou em franco progresso, mas os seus habitantes sentiam-se restritos nas diversas transações que realizavam, devido às decisões governamentais serem centralizadas e os tributos públicos atingirem taxas elevadas, obstando o desenvolvimento da época. Formou-se então em 1953 uma comissão composta de homens ilustres e de uma dinâmica sem par que, a 10 de Abril de 1953, assinava ofício à Assembléia Legislativa cujos atos versavam sobre a emancipação política de nossa terra, juntamente com uma farta documentação e uma extensão memorial que compilava dados sobre a nossa capacidade de autonomia nos setores industriais, agrícolas, comerciais e pecuários.

Em 30 de Dezembro de 1953, o povo jaguariunense recebia a grata notícia: De acordo com a Lei nº. 2456 ficara criado o Município de Jaguariúna, com demarcação da linha limítrofe, bem como o desmembramento de nossas terras do município de Mogi Mirim.

Significado do Nome: Por força do Decreto Lei nº. 14.344, de 30 de novembro de 1944 foi acrescido ao vocábulo JAGUARY o termo UNA, nome de origem tupy guarany, cuja tradução oficial é: JAGUAR = onça; Y = água, rio e UNA = preta. Jaguariúna significa, portanto: Rio da Onça Preta ou Rio das Onças Pretas.

Aniversário da Cidade: 12 de Setembro

Gentílico: jaguariunense

População: 44.331 habitantes

Características

Clima: Tropical de altitude, mesotérmico com verões quentes. A estação de seca ocorre de maio à setembro e a chuvosa de outubro a abril.

Temperatura Média: 20º C

Como Chegar

Localização: Leste Paulista

Limites:

Norte: Santo Antonio de Posse
Sul: Campinas
Leste: Pedreira
Oeste: Holambra

Acesso Rodoviário:

SP-340 Rodovia Heitor Penteado, (liga Campinas-Mogi Mirim)
SP-95 (liga Jaguariúna-Amparo e Circuito das Águas) e ainda 25 rodovias municipais.

Distâncias

Da Capital: 120 km

Turismo

Principais Pontos Turísticos

Antiga Estação da Cia. Mogiana de Estradas de Ferro / Fepasa

Monumento ferroviário restaurado. Atualmente abriga o Centro Cultural de Jaguariúna, que utiliza os seus salões para cursos, eventos artísticos, seminários e reuniões; acolhe também a Biblioteca Municipal, a Rádio Educativa Municipal – Estrela FM e uma lanchonete, o Botequim da Estação. É um dos locais mais agradáveis da cidade.

Envolto por amplos gramados ajardinados, servido pelas avenidas marginais, com grande área de estacionamento, o Centro Cultural (ou a antiga estação ferroviária) fica em local privilegiado no centro de Jaguariúna, em frente ao Terminal Rodoviário, a poucos metros de um dos mais importantes hotéis do município e do Hospital Municipal Walter Ferrari.

Numa das áreas gramadas há a réplica de uma Caravela, feita para homenagear o aniversário de 500 anos do descobrimento do Brasil. No entorno dos jardins foram plantadas árvores de pau Brasil. O grande destaque do local é a locomotiva Maria Fumaça e o seu carro restaurante, totalmente restaurados pela Prefeitura Municipal. A todo o momento pode-se ver turistas, e pessoas em trânsito, pousando para fotos ao lado da Maria Fumaça.

A antiga estação da Cia. Mogiana foi inaugurada em 15 de Dezembro de 1945. Desativada desde os anos 70, o prédio histórico foi restaurado pela prefeitura e transformado em Centro Cultural a partir de 1991.

Ponte Pedro Abrucêz – Cia. Mogiana 1875

Outro monumento ferroviário reformado e conservado pela Prefeitura Municipal. A ponte ferroviária da antiga Cia. Mogiana, também conhecida como Ponte do Jatobazeiro, foi inaugurada em Agosto de 1875 com a presença do Imperador D. Pedro II e da Princesa Isabel, que, na ocasião, hospedaram-se na Fazenda Jaguari (hoje Santa Úrsula), de propriedade do Barão de Ataliba Nogueira.

Hoje em dia, a referida ponte dá acesso aos bairros de Jaguariúna localizados na margem esquerda do Rio Jaguari. A ponte está ao lado do Parque Ecológico do Jatobazeiro, onde a mata ciliar foi recentemente replantada. O local é agradável e ornamenta a paisagem urbana às margens da avenida que corta Jaguariúna, dando acesso às cidades do Circuito das Águas.

Endereço: Avenida Marginal – Centro

Passeio de Maria Fumaça

Tem objetivo cultural e recreativo, atendendo escolas, clubes, associações de terceira idade e o público em geral. Durante o passeio, monitores especializados contam a história do trem e do café, fazem comentários sobre a sociedade da época, os Barões do Café e a rotina dos trabalhadores nos cafezais.

Com o restauro das estações, equipamentos, carros e locomotivas a vapor, pessoas de todo o Brasil e de várias partes do mundo já visitaram a cidade para conhecer uma autêntica ferrovia do século XIX. Fundada em 1872, a Cia. Mogiana de Estradas de Ferro inaugurou este primeiro trecho (Campinas – Jaguary, hoje Jaguariúna) em 03 de Maio de 1875, contando com a presença do Imperador D. Pedro II. Na década de 1980, Jaguariúna não comportava mais os trens no meio da cidade, sendo necessária a mudança do acervo para Campinas, na Estação Carlos Gomes, quase na divisa entre os dois municípios.

Por esta razão, atualmente, o ponto final do passeio é na margem esquerda do Rio Jaguari. O desembarque se dá em uma pequena plataforma. O principal Projeto Turístico da atual administração jaguariunense é fazer com que a Maria Fumaça chegue novamente à antiga Estação, que foi restaurada e abriga, atualmente, o Centro Cultural de Jaguariúna. A obra é perfeitamente viável e conta com total apoio da ABPF – Associação Brasileira de Preservação Ferroviária, que detém o comodato do trecho.

A Embrapa Meio Ambiente

Está localizada no Município de Jaguariúna. É uma unidade temática de pesquisa e desenvolvimento da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura e do Abastecimento. Esta unidade tem por missão institucional Viabilizar soluções para o desenvolvimento sustentável do espaço rural mediante geração, adaptação e transferência de tecnologias e conhecimentos em manejo e gestão ambiental e contribuir para a formulação de políticas agroambientais.

Para esclarecer dúvidas da população em geral sobre os serviços e oportunidades que a Embrapa Meio Ambiente disponibiliza foi criado o Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC – Embrapa Meio Ambiente), responsável também pelo agendamento de visitas à biblioteca, aos laboratórios, bem como para a participação em eventos da Embrapa Meio Ambiente.

Localização: Rodovia SP 340 – Campinas / Mogi-Mirim, Km. 127,5. Bairro Tanquinho Velho.

Matriz Centenária Santa Maria

Em terras próximas à sede da fazenda Florianópolis, hoje fazenda Serrinha, e do rio Jaguary, o Coronel Amâncio Bueno, fez erguer, as suas expensas, uma bonita e grande capela, em estilo Gótico-Bizantino, tendo sido construído em 1895. Reservou e doou à Igreja toda quadra circundante.

Depois abriu as ruas próximas, denominando-as de Vila Bueno. Homem de visão, Amâncio Bueno encarregou o engenheiro Guilherme Giesbresht para fazer a planta do loteamento que deu origem à pequena vila, que em 5 de agosto de 1896 foi transformada no “Distrito de Paz de Jaguary”, vinculado ao município de Mogi Mirim.

Red Eventos

Foi criado com o propósito de apresentar num mesmo espaço ambientes diversos, especialmente projetados, oferecendo serviços e instalações capacitados para receberem eventos de todos os portes, atendendo os segmentos do entretenimento, esporte, turismo, negócios e educação.

Desde o ano 2000, o Jaguariúna Rodeio Festival, considerado o maior festival country do país, tem sido realizado no Red Eventos, devido à sua versatilidade e dimensões. Esta característica o credencia para a realização dos mais diversos eventos, tais como: rodeios indoor, eventos esportivos, feiras, congressos, palestras e workshops, lançamentos de produtos, festas de formatura, confraternizações, leilões (bovinos e eqüinos), exposições, além de grandes shows musicais com os principais artistas brasileiros e internacionais.

Endereço: Rodovia SP 340 – Campinas/Mogi-Mirim, Km. 130.

Estádio Municipal Alfredo Chiavegato

Está localizado no maior e mais populoso bairro de Jaguariúna. Projetado para ser, no futuro, o principal estádio do município, o referido espaço esportivo é servido por avenidas marginais, a partir do centro da cidade, contando, também, com acessos para a SP 340 e SP 95.

Além do campo oficial para a prática do futebol, este estádio conta com uma pista de atletismo, também oficial. A situação topográfica da praça esportiva possibilita a construção de arquibancadas em toda a sua volta.

Endereço: Av. Vicenzo Gangrelli – Bairro João Aldo Nassif
 

Estádio Municipal Altino Amaral

Está localizado entre dois dos mais populosos bairros de Jaguariúna, às margens da SP 95 e da SP 340. Além de servir para a prática de esportes pela comunidade, o campo da Roseira, como é conhecido, é palco dos jogos de futebol dos vários campeonatos e torneios realizados pela prefeitura durante o ano.

Localização: Jardim São Sebastião

Parque Santa Maria

Espaço público destinado a grandes eventos ao ar livre, bem como, à prática do lazer e do esporte durante todo o ano; localizado em área central da cidade. Até 1999, o Jaguariúna Rodeio Festival foi realizado no Parque Santa Maria, recebendo aproximadamente 20 mil pessoas por noite.

São realizadas no local as tradicionais festas da Cavalaria Antoniana, a Festa Junina das Escolas de Jaguariúna, Encontro de Motos, Festa do Caminhoneiro e outras. O telhado da Entrada Monumental do Parque Santa Maria tem a sua estrutura feita, artesanalmente, com trilhos, remetendo-nos à tradição ferroviária da cidade. A Secretaria de Turismo e Cultura está instalada nas dependências do Parque.

Localização: Rua José Alves Guedes, 1003, Centro, Parque Santa Maria.
 

Parque Serra Dourada

Localizado entre vários bairros populares, além de instalações modernas, tem o seu foco voltado para o lazer e para a educação através do esporte. Por ter sido construído numa área acidentada a sua disposição arquitetônica é muito bonita e transformou a região central destes bairros em um dos mais belos recantos de Jaguariúna.

Localização: Entre os bairros João Aldo Nassif e Miguel Martini.
 

Antiga Residência do Capitão Ulysses Mazotti

Casarão que pertenceu ao Capitão Ulysses Mazotti, um dos mais antigos moradores do então Distrito de Jaguary. Nesta casa funcionou o primeiro cartório da cidade (17/09/1897), cujo tabelião era o próprio Ulysses Mazotti. Foi na casa do Capitão, que também era um importante líder político, que foi realizada a primeira eleição no Distrito de Jaguary (01/03/1898).

O Coronel Amâncio Bueno, fundador da cidade, foi o Juiz de Paz e Mazotti foi o mesário. Apenas 26 eleitores, dos 36 inscritos, compareceram. Era a terceira eleição da República. O vencedor foi o paulista Campos Salles. O casarão foi restaurado e ainda conserva muitas das suas características originais. Foi transformado em casa de eventos.

Localização: Rua Cândido Bueno, 391 – Bairro Berlim.

Praça Umbelina Bueno

Localização: Centro comercial da cidade, situada no entorno da Matriz Centenária de Santa Maria de Jaguari. É o marco zero da cidade.

Praça Santa Cruz

Localização: Bairro Santa Cruz (um dos mais antigos da cidade)

Praça Mogi-Mirim

Localização: Bairro Dom Bosco, próximo ao centro da cidade

Praça Brasília

Localização: região central da cidade

Praça Dr. Celso de Ataliba Morais

Localização: Vila Guilherme Giesbresht

Praça Carlos Gomes

Localização: Jardim Paraíso, a 1500 m. do centro da cidade.

Praça Augusto Chiavegato

Localização: Rua José Alves Guedes – Centro

Praça dos Imigrantes

Localização: Bairro Nova Jaguariúna. Margem esquerda do Rio Jaguari, em região central da cidade. A mata ciliar foi replantada em 70% da área. O local é extremamente agradável.

Parque do Jatobazeiro

Localização: Av. Marginal – Centro. Situa-se à margem direita do Rio Jaguari, ao lado da antiga ponte da Cia. Mogiana (1875). A mata ciliar foi replantada em 80% da área.

Praça dos Ferroviários

Localização: Av. Marginal esquina com a Rua Júlio Frank. Área central da cidade, ao lado de restaurantes e lanchonetes. O logradouro tem um belo obelisco que homenageia os ferroviários.

Praça Alonso José de Almeida

Localização: Rua Amazonas, na altura do número 504, Jardim São Francisco.

Praça Paschoal Abrucezi

Localização: Rua Eduardo Tozzi. – Jardim do planalto

Parque Luiz Barbosa

O Parque Luiz Barbosa está localizado entre o Parque Santa Maria e o centro da cidade, voltado para o entretenimento e o lazer através de uma excelente área verde preservada. Possui dois lagos com patos, cisnes, grande variedades de peixes, tartarugas, como também um casal de pavão, e galinhas de angola. Localizado na Rua José Alves Guedes, s/n – Centro. Próximo ao Parque Santa Maria

Parque dos Lagos

Apropriado para o esporte e lazer, O Parque possui dois lagos povoados de peixes, quiosques, playground, canchas de bocha e malha, espaço coberto para apresentações culturais e piquenique. Um túnel subterrâneo interliga o local a outra área verde, espaço já planejado para futura ampliação e represamento de nascentes.

Água, árvores, flores e um estilo arquitetônico diferenciado fazem do Parque dos Lagos um local bucólico e agradável, apropriado para o esporte, lazer e mesmo para quem quer deixar de lado o estresse do dia-a-dia.

Localização: Rua Eduardo Tozzi – Jardim do planalto

Atrativos Naturais

– Lagos povoados de peixes
– Trilhas
– Grande área verde
– Caminho da mata

Eventos

Calendário de Janeiro a Dezembro:

O que é o original da Terra ?

Grupo rural que no ano de 2004, após vários cursos de capacitação através da Secretaria de Agricultura e um trabalho intenso voltado para o turismo rural através da Secretaria de Turismo, lançou a idéia de uma exposição e feira diferenciada, agregando valor à produção (as frutas transformadas em geléias, compotas e doces, os vegetais em conservas) e promovendo produtos não agrícolas como embutidos e defumados, cachaça artesanal, pães diversos, biscoitos e bolachas, bolos, café, etc. – Na exposição “Original da Terra” você encontra artesanatos e produtos rurais, conservas, doces, compotas, derivados do milho, de mandioca, cachaça artesanal, peças em semente, topiarias, bordados, tear manual, luminárias em fibras, artesanato em bambú, bolsas de fuxico, lindas peças em patchwork, miniaturas em biscuit que retratam cenas do campo, miniaturas de Maria – Fumaça, produtos orgânicos, lanches caipiras, animais de pequeno porte, sucos naturais, queijos, embutidos e defumados, pães caseiros, biscoitos, sequilhos, bolos, vinagre e azeite aromatizado, geléias, licores, café torrado e moído na hora, e etc.

O local da feira é o Prédio Histórico, antiga estação de Jaguariúna, hoje Centro Cultural, na entrada da cidade de fácil acesso, ponto ideal para turistas que estão de passagem e para os que estão na cidade. O movimento é intenso na feira como também na praça de alimentação, as atrações musicais e atrativos para as crianças chamam a atenção, trazendo um fluxo de pessoas muito grande durante todos os períodos do dia.

Informações Úteis

PREFEITURA MUNICIPAL DE JAGUARIÚNA

Sites: http://www.jaguariuna.sp.gov.br/

SUB-PREFEITURA:

INFORMAÇÕES AO TURISTAS:

Rápido Fenix S/A.

Site: http://www.rapidofenix.com.br

Site: http://www.emsampa.com.br/busjan/sp_874.htm

ENDEREÇO DO SITE OU PORTAL DA LOCALIDADE:

CARTÓRIOS: CIVIL, IMÓVEIS, TÍTULOS E DOCUMENTOS, OUTROS:

OFÍCIO DE REGISTRO CIVIL, INTERDIÇÕES E TUTELAS, IMÓVEIS E ANEXOS:

Endereço: Rua São Paulo, 97 – esquina com a Rua Mato Grosso – Jardim Dom Bosco 
Jaguariúna-SP – CEP: 13820-000

Área Abrangência: Municípios de Jaguariúna e Santo Antônio de Posse.

Atribuições: Nascimentos, Casamentos, Óbitos, Interdições e Tutelas, Registro de Imóveis, Registro de Títulos e Documentos
Registro Civil de Pessoas Jurídicas

CORPO DE BOMBEIROS: 193

Sites: http://pt.wikipedia.org

http://www.cnm.org.br

http://portal.mj.gov.br

Fonte: ferias.tur.br

Jaguariúna

A Cidade

Fundador: Coronel Amâncio Bueno
Data de Aniversário: 12 de setembro
Data de criação do Município: 30/12/1953-Lei nº 2456
Data da emancipação política: 01/01/1955
Limite Norte: Santo Antonio de Posse
Limite Sul: Campinas
Limite Leste: Pedreira
Limite Oeste: Holambra
Região Geográfica: Pirassununga
Estado: São Paulo
Zona Geográfica do Estado: Leste Paulista
Região Administrativa: 5ª Região de Campinas
Comarca: Pedreira

População: Estimada em 43 mil habitantes (2010/IBGE) (proxima atualização em out/2010) aproximadamente 42 mil Habitantes.

Hidrografia: Rios que cruzam o município:Rio Atibaia, Rio Jaguary, Rio Camanducaia
Os três rios são afluentes do Rio Piracicaba, que por sua vez é afluente do Rio Tietê. Devido à diferença no planalto atlântico e na depressão periférica, o leito dos rios acaba por formar cachoeiras e corredeiras.
Relevo: Localiza-se entre o planalto atlântico na parte oriental e a depressão periférica (Bacia do Paraná) na parte ocidental.

Solos: Na parte do planalto atlântico as rochas são cristalinas, com predominância de granitos e gnaisses dando origem a solos de salmorão e massapé de boa fertilidade.
Na região da depressão periférica, os terrenos são sedimentares com algumas rochas basálticas, originando a terra roxa.

Vegetação: A região era constituída pela floresta tropical semi – decídua de mata latifoliada tropical e mata ciliar ao longo dos leitos dos rios que foram largamente devastadas principalmente com a chegada da cultura cafeeira.

Altitude: 570,438 metros

Latitude: 22° 42′ 24” Sul

Longitude: 47° 59′ 50” W. Gr.

Topografia: Plana

Clima: Tropical de altitude, mesotérmico com verões quentes. A estação de seca ocorre de maio à setembro e a chuvosa de outubro a abril.

Extensão territorial: 142 Km²

Rodovias que servem o Município

SP-340 Rodovia Heitor Penteado, (liga Campinas-Mogi Mirim)
SP-95 (liga Jaguariúna-Amparo e Circuito das Águas) e ainda 25 rodovias municipais

Distância da Capital: 120 Km
Padroeira do Município: Santa Maria
Feriado Municipal: 12 de Setembro

Atrações Turísticas

Venha conhecer um pouco mais sobre Jaguariúna

PASSEIO DE MARIA-FUMAÇA: A ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PRESERVAÇÃO FERROVIÁRIA- (ABPF) apresenta uma opção deslumbrante de lazer em seus passeios turísticos, pelo antigo leito ferroviário da CIA. Mogiana de Estradas de Ferro.
Maiores informações: 3207-3637/0625/4290

PESQUEIROS:
BERRO D´ÁGUA – Pesqueiro e Restaurante
ZAMBON – Pesqueiro e Restaurante
GANDOLPHI

PARQUES E PRAÇAS

PARQUE SERRA DOURADA 
PARQUE STA. MARIA 
PARQUE LUIZ BARBOSA 
PARQUE DOS LAGO 
PRAÇA MENEGON 
CENTRO DE LAZER DO TRABALHADOR 
ESTÁDIO MUNICIPAL ALFREDO CHIAVEGATO

TURISMO RURAL / ECOTURISMO / TURISMO PEDAGÓGICO

RANCHO OÁSIS
Tanquinho Velho. Turismo Pedagógico, organização de festas e eventos e atendimento a grupos.

RANCHO DA TERRA
Sto. Antônio do Jardim Zona Rural.
Hospedagem Country, acampamentos e eventos.
Cavalos para passeio, comida caseira em fogão à lenha, carneiro assado, pernil com farofa, frango com polenta, entre outras iguarias, sobremesa caseira.

RANCHO LF
Rod. SP 95 Km 69 Estrada Jaguariúna / Pedreira
Centro de equitação, provas de baliza, tambor, laço. Aulas de hipismo, passeios a cavalo, passeios em charrete no local e pela cidade.
Reserva Ecológica com passeio monitorado, trilha pelos antigos trilhos do trem, pelo leito do rio Jaguari, cavalgadas noturnas com lual, lanchonete.

ACADEMIA EQUESTRE
Bairro Tanquinho Velho, KM 127, Rod. Campinas Mogi-Mirim.
Possui estrutura de escola e conta com professores profissionais. Tem várias modalidades como: Rédeas,Laço em bezerro, Tambor, Baliza, Doma, Hipismo Clássico, Aulas de Equitação e Passeios a cavalo com monitores.

FEIRAS E EXPOSIÇÕES

FUNDO SOCIAL/ARTESANATO
Rua Candido Bueno, 792 – Centro.

EXPOSIÇÃO “ORIGINAL DA TERRA”
Todos os meses no Centro Cultural.

FEIRA DE ARTESANATO – FEART
Centro Cultural

TURISMO HISTÓRICO

CENTRO CULTURAL DE JAGUARIÚNA (P. Histórico Cultural)
Ant. Estação da Cia. Mogiana de Estr. de Ferro/Fepasa
A antiga estação da Cia. Mogiana foi inaugurada em 15 de Dezembro de 1945. Desativada desde os anos 70, o prédio histórico foi restaurado pela prefeitura e transformado em Centro Cultural a partir de 1991.

PONTE PEDRO ABRUCEZ 1875 (P. Histórico Cultural)
Av. Marginal – SOS cidadão

SECRETARIA DE EDUCAÇÃO 1875 (P. Histórico Cultural)
Av. Marginal

MATRIZ CENTENÁRIA 1896 (P. Histórico Cultural)
Praça Umbelina Bueno – Centro

ESTAÇÃO DE GUEDES (P. Histórico Cultural)

Locais históricos

Biblioteca Pública Municipal Adone Bonetti – Antigo Casarão Imperial de 1896
Rua Cândido bueno, 342
Centro Cultural de Jaguariúna – Antiga Estação da Estrada de Ferro Mogiana de 1947
Avenida Marginal, 600 Centro
Centro Cultural de Jaguariúna – Maria Fumaça Composição do início do século XX
Avenida Marginal, 600 Centro
Estação de Guedes
Bairro de Guedes
Fazenda da Barra
Bairro de Guedes
Fazenda Santa Úrsula
Bairro de Guedes
Fazenda Serrinha
Av. Marginal – Saída para Pedreira
Matriz Centenária de Santa Maria – 1894
Praça Umbelina Bueno
Ponte Pedro Abrucez Mogiana – 1880
Rio Jaguary – Centro
Pousada Vila Bueno – 1880
Rua Alfredo Engler, 184
Prédio da Secretaria da Educação
Avenida Marginal, 600 – Centro
Prédio do Banespa – final do século XIX
Rua Coronel Amâncio Bueno, 192 Centro
Casarão da Família Sayad arquitetura clássica – final do século XIX, início do séc. XX.
Rua Coronel Amâncio Bueno
Casarão dos Poltronieri – final do século XIX, início do séc. XX.

Maria Fumaça

Horário dos trens Jaguariúna x Campinas

Jaguariúna

Cidade > Campinas

Origem > Campinas – SP

Destino > Jaguariúna – SP

Dias e Horários > PARTIDAS DE JAGUARIÚNA:
SÁBADOS:
10:00hs – Jaguariúna / Tanquinho / Jaguariúna (meio percurso)
15:00hs – Jaguariúna / Tanquinho / Jaguariúna (meio percurso)

DOMINGOS E FERIADOS
10:00hs – Jaguariúna / Tanquinho / Jaguariúna (meio percurso)
12:00hs – Jaguariúna / Anhumas / Jaguariúna ( percurso completo)
14:00hs – Jaguariúna / Tanquinho / Jaguariúna (meio percurso)
16:00hs – Jaguariúna / Tanquinho / Jaguariúna (meio percurso)

PARTIDA DE CAMPINAS: SÁBADOS:
10: 10hs – Anhumas / Jaguariúna / Anhumas (percurso completo)
15:00hs – Anhumas /Tanquinho / Anhumas (meio percurso)

DOMINGOS:
10:10hs – Anhumas / Jaguariúna / Anhumas (percurso completo)
14:10hs – Anhumas / Jaguariúna / Anhumas (percurso completo)
16:10hs – Anhumas /Tanquinho / Anhumas (meio percurso)

Distância Percorrida > 24 Km

Tarifa > CAMPINAS-JAGUARIÚNA / JAGUARIÍNA-CAMPINAS
Anhumas-Jaguariúna (ida e volta)

Anhumas-Tanquinho (meio percurso – ida e volta)

Fonte: jaguariunavirtual.com.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+