Breaking News
Home / Turismo / Paraná

Paraná

PUBLICIDADE

 

HISTÓRIA DO PARANÁ

Segundo o professor Francisco Filipak a palavra Paraná tem um significado Tupi e quer dizer: Paraná. Sm. (PR) [Do G. pará: mar + anã: semelhante, parecido] Paraná: semelhante ao mar, grande como o mar. (108-p.110).

A história do Estado do Paraná remonta há cerca de 9000 anos. As provas materiais dessa história são encontradas em todo o território paranaense nos vários sítios arqueológicos já pesquisados como: os sambaquis no litoral e as pinturas rupestres, nos Campos Gerais. Nesses locais encontramos vestígios materiais importantes que revelam como viviam os habitantes desta terra antes da vinda dos primeiros europeus para a América.

Particularmente, no Paraná, a ocupação européia aconteceu por duas vias: uma espanhola e a outra portuguesa.

Desde o início do século XVI, exploradores europeus atravessaram de norte a sul e de leste a oeste, o território paranaense tendo sempre como ponto de partida foi o litoral atlântico. O primeiro europeu a percorrer toda a extensão deste território foi o bandeirante Aleixo Garcia.

Em 1541 Dom Alvarez Nuñes Cabeza de Vaca, partindo da Ilha de Santa Catarina seguiu por terra em direção a oeste tomando posse simbólica deste território em nome da Espanha. Nesta fase a Coroa Espanhola cria cidades e algumas reduções para assegurar o seu território determinado pelo Tratado de Tordesilhas – acordo bilateral entre os reinos ibéricos de Portugal e Espanha.

No ano de 1554 é criada a primeira povoação européia em território paranaense, a vila de Ontiveros, às margens do rio Paraná, perto da foz do rio Ivaí. Dois anos depois, o povoamento se transfere para perto da foz do rio Piquiri, recebendo o nome de Cuidad Real del Guairá – hoje município de Terra Roxa – , que juntamente com Vila Rica do Espírito Santo – nas margens do rio Ivaí – formou a província de Vera ou do Guairá.

No início do século XVI os portugueses criaram duas capitanias sobre o nosso litoral. A primeira, a Capitania de São Vicente, na região compreendida entre a Barra de Paranaguá e a de Bertioga. A segunda, a Capitania de Sant’Ana, desde a Barra de Paranaguá até onde fosse legítima pelo Tratado de Tordesilhas; mas, referências históricas, datadas de 1540, nos dão conta da existência de moradores na baía de Paranaguá vindos de Cananéia e São Vicente.

Em meados de 1600 intensifica-se a presença dos vicentinos (moradores da capitânia de São Vicente) em todo o litoral e nos Campos de Curitiba, em 1648 o povoado de Paranaguá é elevado a categoria de Vila com a denominação de Nossa Senhora do Rosário de Paranaguá.

Diogo de Unhate foi o primeiro português a requerer terras em solo paranaense; em 1614 obteve uma Sesmaria na região de Paranaguá, localizada entre os rios Ararapira e Superagüi. Na seqüência, em 1617 Gabriel de Lara funda uma povoação na Ilha da Cotinga, que depois transferiu para a margem esquerda do rio Taquaré (hoje Itiberê).

 

Bem vindo ao Paraná!

As Cataratas do Iguaçu – um dos maiores espetáculos naturais do planeta – estão entre os muitos atrativos turísticos, valorizados pela grande diversidade geográfica e histórico-cultural, que podem ser visitados durante todo o ano no Paraná.

Paraná afirma-se como um dos mais completos destinos turísticos do Brasil. As Cataratas do Iguaçu – conjunto com mais de duas centenas de quedas d’água – são o principal cartão postal do estado. Em todas as regiões a estrutura hoteleira e de serviços é excelente, com destaque para Foz do Iguaçu e para a capital Curitiba.

Curitiba é moderna, sofisticada, cosmopolita, com um diversificado circuito histórico, cultural e gastronômico. Especialmente na arquitetura e na gastronomia nota-se grande influência européia, herança dos imigrantes portugueses, italianos, alemães, poloneses, ucranianos e de outros povos que formam o mosaico étnico-cultural do Paraná.

Além da variedade étnica, o Paraná tem grande diversidade ambiental. No Litoral ficam alguns famosos santuários ecológicos, como a Ilha do Mel, Guaraqueçaba e o Parque Nacional do Superagüi. Na região dos Campos Gerais, estão localizados o Parque Estadual de Vila Velha, com suas gigantescas esculturas de rocha, e o cânion do Guartelá, o sexto maior do mundo.

Há outros destinos, roteiros e produtos turísticos bem estruturados. Balneários movimentados – como Caiobá, em Matinhos, e os de Guaratuba – e as cidades históricas de Paranaguá, Antonina, e Morretes, no Litoral. A cidade histórica da Lapa e as cachoeiras de Prudentópolis.

O Caminho dos Tropeiros, corredor cultural que integra 16 cidades, oferece repousantes hotéis-fazenda e programas de turismo rural. O Paraná possui, ainda, boas estâncias termais, spas, resorts e diversos pólos de ecoturismo e aventura espalhados por todo o estado. O Paraná é sinônimo de turismo e hospitalidade em todas as estações!

Paraná

História do Paraná

O primitivo homem paranaense pertencia à família tupi-guarani e jê. Foram os tupi que deram nome ao Estado: Paraná “rio caudaloso”, sendo estes ainda, os que primeiramente entraram em contato como o homem branco.

O Paraná espanhol nasceu em 1557 na foz do rio Piquiri, com o nome de Ciudad Real del Guayrá, que junto com Vila Rica do Espírito Santo, nas margens no Ivaí, tornou-se a Província de Vera ou do Guayrá.

Já o Paraná português teve suas raízes ligadas ao Ciclo do Ouro, quando na margem esquerda ao rio Taquaré (hoje Itiberê), é fundada Paranaguá, aos 29 de junho de 1648. No mesmo ciclo aurífero, nasceram as vilas de Antonina, Morretes e no Primeiro Planalto, Curitiba cujo Pelourinho (símbolo do poder legalmente constituído) foi erguido aos 29 de março de 1693.

Paraná

Com as atividades da lavra de ouro em Minas Gerais, as populações eram abastecidas com a carne bovina proveniente do Rio Grande do Sul, o que acarretou um franco comércio entre Viamão naquele estado e Sorocaba em São Paulo, tendo início no Brasil Meridional, um novo ciclo, o do Tropeirismo, que no Paraná fundou cidades como Rio Negro, Campo do Tenente, Lapa, Porto Amazonas, Palmeira, Ponta Grossa, Castro, Tibagi, Piraí do Sul, Jaguariaíva e Sengés incorporando ainda ao linguajar paranaense inúmeros termos, em uso até hoje.

Os ciclos econômicos sucederam-se com o extrativismo da erva-mate que teve seu apogeu no século XIX, sendo responsável pela Emancipação Política do Paraná, em 1853, até então, quinta Comarca da Província de São Paulo. No bojo da atividade ervateira, que chegou a representar 85%, da economia da nova província, os transportes tiveram grande impulso: desenvolveu-se a navegação fluvial nos rios Iguaçu e Paraná, construiu-se a ligação entre o planalto e o litoral com a Estrada da Graciosa e a Ferrovia Paranaguá/Curitiba. Sendo ainda esteio da economia paranaense até o inicio da II Guerra Mundial.

A exemplo do que ocorreu em todo o Brasil, a madeira exportada era primeiramente retirada do litoral. Com a ligação rodoviária e ferroviária entre o planalto e o litoral, foi que a extensa floresta de Araucaria angustifolia, existente nos planaltos paranaenses, permitiu a exploração da madeira, como uma atividade econômica, que ultrapassou a própria erva-mate em arrecadação, notadamente durante a II Guerra Mundial, influenciando a história, cultura, literatura, artes, hábitos e gastronomia paranaenses, bem como nomeou a própria capital: Curitiba, que em tupi significa “muito pinhão” além de constar do nome de tantos outros municípios: Araucária (angustifolia), Pinhão, Pinhais, Pinhalão, São José dos Pinhais e localidades: Pinhalzinho, Pinheiral, Três Pinheiros, etc.

Foi este ciclo que atraiu os ingleses e povoou o vazio das florestas derrubadas.

No século XIX, o Paraná recebeu milhares de agricultores originários da Suíça, Itália, Alemanha, Polônia, Ucrânia e Rússia, entre outros.

A partir do início do século XX desencadeou-se a cultura intensiva e extensiva do café em uma região de aproximadamente 100.000 km2, abrangendo três áreas distintas: o Norte Pioneiro, o Norte Novo e Norte Novíssimo, cuja colonização, ocorreu entre as décadas de 30 e 50, pela Companhia de Terras do Norte do Paraná, dando início a um dos maiores movimentos de migração interna, que ali fixou uma população constituída por paulistas, mineiros, catarinenses, nordestinos, paranaenses de outras regiões e estrangeiros.

A fértil terra roxa deu origem a cidades como Jacarezinho, Cambará, Cornélio Procópio, Londrina (o nome é uma homenagem a Londres), Maringá, Apucarana, Arapongas, Rolândia, Cianorte, etc.

Na década de 60 a lavoura cafeeira, foi a principal fonte de divisas do Paraná, chegando a representar 60% do valor total da produção agrícola do Estado.

O fenômeno de ocupação territorial e econômica ocorrido no norte repetiu-se no oeste e sudoeste paranaense. Migrantes vindos principalmente do Rio Grande do Sul introduziram a cultura de soja no Estado. Esse produto, juntamente com o trigo, tornou-se um dos esteios da agricultura estadual, alargando as fronteiras agrícolas.

A partir de meados de 1970, o Paraná começou a industrializar-se, embora a matéria-prima seja ainda de origem agrícola. Implantaram-se empresas de grande porte, com tecnologia moderna, como a de material elétrico, de comunicações, automobilística, refino de petróleo, além da agroindústria.

Geopolítica do Paraná

Paraná

Localizado na Região Sul do país, o Paraná ocupa uma área de 199.554 km2, que corresponde a 2,3% da superfície total do Brasil e conta atualmente com 399 municípios instalados (2009).

São cincos as zonas naturais do estado, ou seja: o Litoral, a Serra do Mar, O Primeiro, Segundo e Terceiro Planaltos, todos reservando agradáveis surpresas, nos diversos segmentos do turismo.

O Paraná é subdividido em duas principais bacias hidrográficas: os do Rio Paraná e o complexo de rios da bacia de drenagem do Atlântico.

No litoral, com 98 km de extensão, está localizada a baía de Paranaguá com 300 km2 de área, uma das mais importantes do Sul do Brasil, onde destacam-se os portos de Paranaguá e Antonina.

A temperatura média do Estado é de 18,5ºC, sendo que o clima é dividido em dois regimes: o tropical que domina o Norte, Oeste e Litoral com temperaturas médias de 22° C, e o subtropical ou temperado nas regiões do Centro-Sul, com temperaturas médias entre 10° C e 22ºC.

Paraná

Seus indicadores econômicos o credenciam entre os maiores produtores do Brasil, participando com cerca de 23% da produção brasileira de grãos, com destaque para: trigo, milho, feijão, algodão, soja, café, mandioca, cana-de-açúcar e a erva-mate, além da avicultura, suinocultura e bovinocultura de leite e de corte. No setor industrial, sobressaem a agroindústria, a alimentícia, fertilizantes, cimento, eletroeletrônica e a metal mecânica, sendo um dos principais estados exportadores do país, com um PIB de R$ 150.712 bilhões (IPARDES – 2007).

Atualmente, a malha rodoviária do Estado do Paraná possui 15.818,18 km de rodovias, sendo que destes, 13.507,81 km são de rodovias pavimentadas. No setor energético, a potencia instalada é de aproximadamente 18.000 MW, gerados em 118 empreendimentos.

Com uma população de 10.284 milhões de habitantes (IBGE – 2007), o estado é formado predominantemente por descendentes de diversas etnias como: poloneses, italianos, alemães, ucranianos, holandeses, espanhóis e japoneses que aqui se fixaram, juntando-se ao índio, ao português e ao negro, os três elementos básicos que formaram o povo e a cultura paranaense, fazendo com que o Paraná seja conhecido como a “Terra de Todas as Gentes”.

Apresentado o maior avanço no IDH – Índice de Desenvolvimento Humano, entre os 6 primeiros estados colocados no ranking nacional, o Paraná tem como principais cidades: Curitiba, Londrina, Cascavel, Ponta Grossa, Maringá, Guarapuava e Foz do Iguaçu.

Aonde você gostaria de ir no Paraná?

No Paraná existem 10 maneiras de se surpreender.

São tantas as possibilidades, que foi dividido em 10 regiões diferentes para melhor disponibilizar a sua enorme variedade de atrações turísticas: belezas naturais inigualáveis, com grandes reservas da Mata Atlântica preservadas, rios, cachoeiras e todas as riquezas que seu solo cultiva; um riquíssimo acervo histórico e cultural e diferentes alternativas de lazer e gastronomia para você e sua família.

Litoral do Paraná

Um litoral charmoso, repleto de alternativas turísticas. Sua pequena extensão concentra uma diversidade impressionante de atividades, surpreendendo o visitante por suas belezas naturais, vilarejos encantadores, rios, praias tranqüilas e ilhas.

Dentre os seus caminhos históricos, como a Estrada da Graciosa e a Estrada de Ferro Paranaguá – Curitiba destaca-se também o centenário Caminho do Itupava, importante via de ligação entre o litoral e o planalto. Para os viajantes que apreciam a mescla de história e natureza, a bela Ilha do Mel e o Parque Nacional do Superagüi são programas imperdíveis. Berço da colonização do Estado, no Litoral estão cidades históricas como Guaraqueçaba, Morretes, Antonina e Paranaguá, sendo que nesta é possível conhecer um dos maiores portos do Brasil e o Santuário de Nossa Senhora do Rocio, padroeira do Paraná.

No Litoral também está a porção de Mata Atlântica mais preservada do Brasil. Em suas baías, é possível avistar os golfinhos e a pacata vida dos pescadores da região. As atrações continuam ainda nos balneários de Matinhos, Guaratuba e Pontal do Paraná, propícios para atividades de lazer, sol e praia.

E não se pode deixar de conhecer a culinária típica da região, o saboroso Barreado que pode ser apreciado acompanhado da deliciosa cachaça de banana. Uma surpresa à parte é a beleza do artesanato que se faz na região. Um convite para as compras e a cultura!

O que fazer na Região Turística Litoral do Paraná?

Quarenta e oito balneários em Pontal do Paraná, em 22 km contínuos de areias brancas, águas mornas e limpas, proporcionam o convívio com gaivotas e atobás em seus vôos sincronizados sobre as ondas do mar. Realce para Pontal do Sul, que recebe águas da baía de Paranaguá, onde estão instaladas as marinas e o terminal dos barcos que levam à Ilha do Mel. Pontal do Paraná representa um refúgio para quem busca tranquilidade e harmonia em uma região de belas e limpas praias. Pousadas, marinas, gastronomia e a hospitalidade da população se harmonizam com a natureza.

Matinhos é um dos principais destinos de veraneio do Estado. Possui boa infra-estrutura de turismo para receber os milhares de visitantes, principalmente no Réveillon e no Carnaval. Hotéis, parques aquáticos, pousadas, campings, comércio, restaurantes típicos e internacionais, bares e muito mais estão à disposição dos veranistas e turistas que correm para suas areias a cada temporada ou feriado prolongado. A praia de Matinhos, situada na sede do município, com águas agitadas e pouco profundas, é procurada por surfistas. À beira-mar localiza-se um mirante, construído sobre uma formação rochosa do qual se tem uma visão panorâmica do aglomerado urbano e das praias e balneários do norte do município.

Dos balneários de Matinhos, Caiobá é o mais requintado e divide-se em: Praia Brava, uma enseada com águas rasas e um pouco agitadas, onde são realizados campeonatos de surf, e Praia Mansa – na entrada da Baía de Guaratuba, com águas bastante calmas e pouco profundas, que proporciona acesso à Praia Bela ou Prainha do Farol e à Ilha das Tartarugas. Em Matinhos, toboáguas, piscinas de correnteza, pedalinhos e caiaques também são oferecidos em áreas de lazer.

Já a encantadora Guaratuba, além de possuir excelente infra-estrutura, se completa com a beleza de suas praias. As principais, Central e do Cristo, são praias de meia enseada, ideais para banhistas, pois têm o mar calmo e estão localizadas na Avenida Atlântica. Na praia do Cristo está o Morro do Cristo, de onde se pode ter uma visão de todo o município, sendo bastante procurado pelos visitantes.

Seguindo sentido sul temos a praia do Brejatuba, procurada pro surfistas por suas águas agitadas, e a praia da Barra do Saí, no balneário de Coroados, na foz do rio Saí, preferida por pescadores de robalo. Merece destaque ainda a praia de Caieiras, localizada próximo ao local de passagem do ferry-boat, cujo acesso pode ser tanto rodoviário quanto hidroviário. Local calmo, agradável e pitoresco, devido à sua colônia de pescadores.

Um dos principais destinos turísticos do Paraná, a Ilha do Mel também se destaca por excelentes praias, para todos os gostos. A Praia do Farol das Conchas, com suas águas serenas, são um convite ao relaxamento.

Da região do Farol até Nova Brasília, ponto de desembarque nessa parte da Ilha, são encontradas estruturas de hospedagem e alimentação, sendo preferida por famílias e por aqueles que busca tranquilidade. A Praia de Fora, localizada entre o Morro do Farol, Morro do Joaquim e a Praia Grande, são praias de águas agitadas, muito frequentadas por turistas e praticantes de esportes de areia.

A Praia da Fortaleza na sua imensa tranquilidade é guardada pelo Forte de Nossa Senhora dos Prazeres, e oferece excelentes passeios mesclando história e natureza. A Praia de Encantadas é dividida em duas praias distintas: a de dentro e a de fora. A de dentro é um dos locais mais pitorescos da Ilha, sendo ponto de desembarque e acesso para a Gruta e outras praias mais ao norte. No local existem boas opções de pousadas e restaurantes, além da vida noturna agitada.

Em Guaraqueçaba, a Praia Deserta na Ilha de Superagüi é um verdadeiro cartão postal a ser conhecido.

Antonina também tem seu destaque com o Rio do Nunes, praia fluvial de grande beleza e a Ponta da Pita, formação rochosa que avança pela baía, que se constitui num agradável local de lazer, ideal para banhos, pescarias, piqueniques e prática de esportes náuticos, com lanchonetes, restaurantes e rampa para barcos pequenos.

Está em Morretes o rio mais charmoso do Litoral: o Nhundiaquara, repleto de história, atrativos e locais aprazíveis para atividades aquáticas de entretenimento e aventura.

Turismo Cultural no Litoral do Paraná

A grande diversidade étnica do estado deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir seus sentidos e descobrir os encantos paranaenses.

Artesanato e Mercados Tradicionais: você pode levar um pedacinho do Paraná com você, conhecendo as diversas opções de lojas de artesanatos presentes em todo o Litoral do Paraná. Vale a pena conhecer também o Mercado do Artesanato e o Mercado Municipal do Café em Paranaguá.

Sítios e Edificações Históricos: veja a história do Litoral do Paraná da sua maneira, explorando os charmosos centros históricos de cidades como Antonina, Guaraqueçaba, Morretes e Paranaguá. A engenhosidade vista na construção da Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba consagra um dos passeios imperdíveis a quem vem para o Paraná. A Ilha da Cotinga, em Paranaguá, é uma das paradas mais interessantes do Litoral, onde encontram-se ruínas e vestígios dos primeiros colonizadores do estado. Em Morretes o visitante pode explorar o Parque Estadual do Marumbi e o Caminho do Itupava, o povoado de Porto de Cima e percorrer o trajeto da bela e sinuosa Estrada da Graciosa.

Espaços Culturais: no Litoral do Paraná, mais precisamente em Paranaguá, destacam-se o Museu de Arqueologia e Etnologia da UFPR e o Museu do Instituto Histórico e Geográfico de Paranaguá.

Turismo Gastronômico no Litoral do Paraná

No Litoral do Paraná o visitante tem a garantia de que irá descobrir novos sabores, um mais irresistível do que o outro. Além das inúmeras possibilidades de provar frutos do mar fresquinhos, preparados das mais diversas maneiras, os turistas poderão desfrutar de um dos pratos mais conhecidos do Paraná: o Barreado.

O Barreado, muito consumido hoje em dia nas cidades de Morretes, Antonina e Paranaguá, chegou ao Paraná por meio da colonização portuguesa da região no século XVIII. Era muito apreciado em bailes e festivais de fandango, e sua preparação ainda é feita como no passado: de forma lenta, cozida em panelas de barro. O Barreado se trata de uma carne cozida de forma a criar um caldo grosso, que mantém o sabor do prato. Ele é degustado com arroz e farinha de mandioca.

Para acompanhar o Barreado como sobremesa, uma dica é provar as iguarias feitas de banana, como a bala de banana, doce açucarado produzido e encontrado no Litoral do Paraná. Por lá encontra-se também cachaçarias, algumas produzem inclusive cachaça de banana. Para acompanhar a cachaça, pode-se provar os crocantes chips de mandioca e de banana.

Em Guaratuba, na Estrada do Cabaquara, o turista encontra o Circuito das Ostras; já em Pontal do Paraná, é possível provar o delicioso prato chamado Cambira, que mistura a força do peixe com a suavidade da banana.

Ecoturismo e Turismo de Aventura no Litoral do Paraná

Desde o Oceano Atlântico até o Rio Paraná, os recursos naturais do Paraná são um convite tentador para quem gosta de natureza e aventura. O Litoral do Paraná irá encantar você com suas paisagens e opções de atividades.

Náutico Aventura: no Paraná se destacam os passeios à vela ou a barco a motor pela exuberância natural do Litoral e todo o seu complexo de estuários que proporcionam acesso a ilhas e a um dos trechos mais preservados de Mata Atlântica do Brasil. Conheça a Baía de Antonina, a Baía de Guaratuba, belas ilhas como a Ilha das Peças, a Ilha do Superagui e a Ilha dos Papagaios em Guaraqueçaba e, em Paranaguá, vale explorar sua baía e os arredores da Ilha do Mel.

Atividades de Ecoturismo: o ecoturismo pode ser realizado em sua essência em distintos pontos do Litoral do Paraná, numa relação sustentável com a natureza, com conservação e educação ambiental. Entre estes pontos estão a Ilha do Mel, em Paranaguá; o Parque Nacional do Superagui, que compreende a Ilha das Peças, a Ilha de Superagui e a Ilha do Pinheiro, bem como a RPPN do Sebuí e a RPPN Salto do Morato em Guaraqueçaba; a área de interesse turístico do Parque Estadual Marumbi e o Caminho do Itupava, em Morretes.

Cicloturismo: o Litoral inteiro é muito procurado pelos amantes do ciclismo. Algumas das rotas mais praticadas passam pelos atrativos históricos e pela Cachoeira do Cedro em Antonina, pela Ilha das Peças e pela Ilha do Superagui em Guaraqueçaba; pela Estrada do Carambiú, pela Estrada do Anhaia e pelas estradas rurais de Morretes, e pela Ilha do Mel, em Paranaguá.

Caminhada: o Paraná dispõe de uma vasta quantidade de locais para fazer caminhada, sendo o Litoral um exemplo disso. Além de contar com a Ilha do Mel, onde não entram veículos motorizados nem se utiliza tração animal, e todos os roteiros são feitos a pé ou de bicicleta, em Guaraqueçaba, outro recanto ecológico do Paraná, existem as RPPN Sebuí e Salto Morato. Outra maravilha de Guaraqueçaba é o Parque Nacional do Superagui. Morretes é uma ótima parada para os caminhantes, com o Salto dos Macacos, o Salto da Fortuna, o Caminho da Graciosa, o Parque Estadual Marumbi e o Caminho do Itupava. Em Antonina destaca-se a Reserva Natural do Morro da Mina, outra opção para a atividade.

Montanhismo: é no Litoral do Paraná que se encontram as mais conhecidas montanhas da região, como o Conjunto Marumbi e o Morro do Sete em Morretes, e o Parque Estadual Pico Paraná em Antonina. Um roteiro imperdível é chegar até Morretes de trem, saindo de Curitiba, para iniciar a aventura nas montanhas.

Arvorismo e Atividades Verticais: que tal descer uma cachoeira de rapel no Litoral do Paraná? Para quem gosta de emoções nas alturas, o Litoral oferece lugares surpreendentes, como o Salto São Luiz e o Salto da Fortuna em Morretes.

Fora de Estrada: para quem curte percursos com veículos porém em caminhos não-convencionais, não pavimentados, vale conhecer as estradas rurais de Morretes e tantos outros recantos do Litoral do Paraná.

Rafting: contemplar uma paisagem de dentro do rio é uma experiência inesquecível, que faz você se sentir parte da natureza. No Rio Cachoeira, em Antonina, o rafting é praticado com segurança e com diversão garantida!

Turismo Religioso no Litoral do Paraná

Paz espiritual, harmonia, autoconhecimento, equilíbrio e purificação da mente são a busca daqueles que praticam o Turismo Religioso. Independente da religião, no Paraná todos esses sentimentos, aliados a um maior contato com a natureza e ao resgate de aspectos culturais, proporcionam aos visitantes uma experiência de fé para a qual são convidados a seguir por trilhas pacíficas de diálogo inter-religioso.

No Litoral do Paraná os devotos católicos podem reafirmar a sua fé no belo Santuário de Nossa Senhora do Rocio, onde ocorre a Festa do Rocio anualmente, com missas, novenas e apresentações musicais, em Paranaguá. Ainda na cidade, o visitante pode conhecer a Catedral Nossa Senhora do Rosário e a Igreja São Benedito.

Antonina conta com a Igreja Nossa Senhora do Pilar, enquanto em Guaraqueçaba apresenta a Igreja do Nosso Senhor Bom Jesus dos Perdões. Em Guaratuba os devotos podem conhecer a Igreja Nossa Senhora do Bom Sucesso, e em Morretes, a Igreja Matriz de Nossa Senhora do Porto e a Igreja de São Benedito.

Paraná
Ilha do Mel

Paraná
Guaratuba

Paraná
Paranaguá

Paraná
Guaraqueçaba – Ilha de Superagui

Paraná
Portal da Serra da Graciosa

Paraná
Litoral

Paraná
Paranaguá – Porto

Paraná
Morretes

Paraná
Paranaguá

Paraná
Vista Litorânea

Paraná
Guaraqueçaba

Paraná
Matinhos

Paraná
Serra do Mar

Paraná
Guaraqueçaba – Reserva Natural do Sebuí

Paraná
Gastronomia litorânea

Paraná
Artesanato

Paraná
Rafting

Paraná
Matinhos – Parque Águas Claras

Rotas do Pinhão – Curitiba e Região Metropolitana

Na capital do Paraná é possível fazer uma viagem pelo mundo. Com mais de três séculos de existência, Curitiba abriga surpresas que fascinam entre os seus espaços culturais, históricos, memoriais e endereços gastronômicos que remetem às várias etnias, revelando sua principal característica, a imigração. Uma cidade à frente do seu tempo, que já há muitas décadas vem sendo modelo de planejamento urbano, de transporte público e de preservação ambiental – criando um equilíbrio entre a natureza e a vida do homem moderno. Seus parques e museus são passeios preferidos pelos moradores e pelos muitos visitantes que aqui vêm para participar dos inúmeros eventos e para fazer negócios.

Nos seus arredores, podem ser descobertos muitos outros encantos na conhecida “Rotas do Pinhão” um misto de aventura, história, gastronomia, paisagens bucólicas e rurais.

A Lapa possui um Centro Histórico de 14 quarteirões tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, além de oferecer atividades de turismo rural em hotéis fazenda e chácaras de lazer, sem contar a gastronomia lapiana, com fortes resquícios do tropeirismo e seu passado ligado à Revolução Federalista.

Ainda dentro da Rota dos Tropeiros encontramos Balsa Nova com sua bucólica Vila de São Luis do Purunã, Campo Largo que se destaca pela produção de louça e porcelana de muita qualidade, Rio Negro com seu artesanato em palha de milho e seu imponente Seminário Seráfico e Campo do Tenente.

Mas nesta Região, as atividades rurais se destacam, são cafés coloniais, restaurantes, cavalgadas e muitas outras atrações de lazer formando diversificados roteiros.

Em Colombo e São José dos Pinhais, é possível fazer roteiros do vinho. Em Campo Magro, Quatro Barras, Piraquara e Campina Grande do Sul, Cerro Azul, a natureza e aventura são atrações. Em Araucária, Almirante Tamandaré e Pinhais a ruralidade é o ponto forte.

O que fazer na Região Turística Rotas do Pinhão – Curitiba e Região Metropolitana

Turismo Cultural na Região Rotas do Pinhão

A grande diversidade étnica do Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir seus sentidos e descobrir os encantos paranaenses. Tudo no Paraná transmite a riqueza e os costumes de seu povo!
Artesanato e Mercados Tradicionais: muito mais do que uma simples lembrança, você pode levar um pedacinho do Paraná na sua bagagem. Em Curitiba o visitante pode conhecer o Mercado Municipal, recém revitalizado, bem como as feiras de artesanato que ocorrem periodicamente. A mais conhecida é a Feira do Largo da Ordem, que ocorre aos domingos das 9h às 14h no centro histórico de Curitiba. No mesmo local existem outras lojas de artesanato funcionando em dias de semana, como a loja do projeto Arte Nossa Artesanato Paranaense. Na região metropolitana, destacam-se as estatuetas e os vasos decorativos do Atelier Fedalto & Otero, em Campo Largo, e o belo artesanato em palha de milho do município de Rio Negro.

Sítios e Edificações Históricos: nas Rotas do Pinhão é possível interpretar o patrimônio histórico das cidades e reviver o passado paranaense passando por antigos caminhos coloniais. Em Curitiba não passam desapercebidos a imponência da Universidade Federal do Paraná, o setor histórico conhecido como Largo da Ordem, a antiga pedreira que se converteu em Ópera de Arame e Pedreira Paulo Leminski, antigo palco de shows, e os teatros Paiol e Guaíra. Vale descobrir os encantos do Seminário Seráfico de Rio Negro, exemplar da arquitetura típica da região; bem como dos centros históricos de Piraquara e da Lapa, que também conta com a Casa Vermelha, onde funciona o Museu Tropeiro, e com o Pantheon dos Heróis, grande monumento cívico do Paraná em lembrança aos heróis que lutaram para defender o Brasil durante a Revolução Federalista.

Eventos e Manifestações Culturais: em Curitiba ocorre anualmente o Festival de Curitiba, de teatro, que conta com peças de renome, cursos voltados à arte e o eventos paralelos para apresentar os talentos do teatro curitibano. No início do ano sempre ocorre a Oficina de Música, que recebe musicistas de várias partes do país e do exterior. Durante o Natal a capital se torna palco de apresentações comemorativas e de ruas e edificações decoradas. Durante o ano todo ocorrem apresentações de música e danças folclóricas como a praticada pelo Grupo Folclórico Italiano Cuore d’Italia, de São José dos Pinhais, e dos grupos da Associação dos Grupos Folclóricos de Curitiba.

Circuitos e Roteiros Turísticos: a diversidade étnica do Paraná está reunida em circuitos e roteiros de destinos que são retratos da influência européia e do ciclo do tropeirismo. Nas Rotas do Pinhão destacam-se a Rota dos Tropeiros, o Circuito Italiano em Colombo, o Caminho do Vinho em São José dos Pinhais e os Caminhos do Guajuriva em Araucária.

Espaços culturais: nas Rotas do Pinhão você pode conhecer exemplares do patrimônio cultural do povo paranaense preservado e exposto em ambientes prontos para te receber. Em Curitiba, além dos museus como o Museu Oscar Niemeyer e o Museu Paranaense, existem os famosos memoriais que homenageiam as etnias colonizadoras do Paraná, como o Memorial Ucraniano no Parque Tingui, o Bosque Alemão e a Praça do Japão. Em Campo Largo também vale a pena conhecer o Parque Histórico do Mate.

Turismo Gastronômico nas Rotas do Pinhão

Que tal apreciar a gastronomia dos tropeiros que por aqui passaram marcando os costumes de algumas regiões do Paraná? Ou ainda participar de ricas festas gastronômicas, das mais tradicionais às modernas e sofisticadas promovidas por chefes consagrados? Tudo isso e muito mais está a disposição em mesa farta e de dar água na boca.

Na região Rotas do Pinhão os destaques gastronômicos são o Bairro de Santa Felicidade em Curitiba, onde é possível descobrir sabores irresistíveis típicos da culinária italiana dos imigrantes e seus descendentes. No bairro existem vários restaurantes de qualidade, bares, cafés, adegas e sorveterias italianas. Já na charmosa cidade da Lapa os viajantes podem apreciar a quirera e o virado lapianos enquanto notam a influência dos tropeiros na cultura da cidade.

Ecoturismo e Turismo de Aventura na Região Rotas do Pinhão

No Paraná a diversidade de roteiros e de atividades diferenciadas, aliadas à prática da aventura segura, proporciona uma mistura de grandes emoções e muita diversão. O estado dispõe de locais onde o ecoturismo contribui para a preservação e conservação do ambiente natural e a adoção de uma conduta consciente.

Cicloturismo:vales, campos, praias, serras e florestas, algumas das paisagens paranaenses que podem ser apreciadas pedalando pelo Paraná. Nas Rotas do Pinhão, indicamos explorar a capital de bicicleta e rumar para a Lapa, descobrindo os belos cenários das suas estradas secundárias.

Caminhada:no Paraná existem programas de caminhadas realizados por operadoras especializadas, com excelentes opções de visitação em unidades de conservação e passeios organizados. Uma dica é não deixar de visitar o Caminho do Itupava em Quatro Barras, nas Rotas do Pinhão.

Montanhismo:a poucos quilômetros de Curitiba se situa a Serra do Mar paranaense, que dispõe de algumas das montanhas mais conhecidas do Brasil. Nas Rotas do Pinhão, vale a pena se aventurar no Morro do Anhangava, em Quatro Barras; no Morro do Canal em Piraquara e no Morro do Araçatuba, em Tijucas do Sul.

Espeleoturismo:a possibilidade de apreciar belos espeleotemas em cavernas é uma das fortes atrações do Paraná. Um convite imperdível para os amantes da aventura subterrânea é conhecer as grutas e cavernas do Parque Estadual de Campinhos, em Tunas do Paraná, e o Parque Municipal Gruta de Bacaetava, em Colombo.

Rafting:descer os rios em botes infláveis, sentindo as emoções de enfrentar suas corredeiras, revela um novo cenário natural a cada curva. Nas Rotas do Pinhão indicamos a inesquecível experiência de praticar o rafting no Rio Açungüi em Campo Largo, e no Rio Ribeira em Cerro Azul.

Turismo Rural nas Rotas do Pinhão

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar aos hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Em todo o estado existem opções para quem procura a vivência do turismo comprometido com o meio rural e com a produção agropecuária, que resgata e promove a valorização do patrimônio cultural e natural das localidades paranaenses. Para você que deseja ter contato com a cultura do homem do campo, confira as opções que as Rotas do Pinhão oferecem:

Caminhos do Guajuvira, Araucária: localizado na comunidade do Guajuvira, reconhecida por sua importância histórica e pela influência dos poloneses, além de belas paisagens e de atrativos culturais. Ao longo dos 36km do circuito os visitantes encontram opções de hospedagem em fazenda; de lazer que vão do tradicional pesque e pague ao colhe e pague de frutas como pêssegos e ameixas; de gastronomia com rico café colonial polônes e ainda podem levar de casa licores, compotas, geléias, cervejas caseiras e hortaliças orgânicas. O circuito oferece aos sábados visitas guiadas que incluem transporte e parada em outros atrativos.

Caminho do Vinho, São José dos Pinhais: fruto da influência dos primeiros imigrantes italianos que se instalaram na região da Colônia Mergulhão, o Caminho do Vinho tem como principais atrativos as vinícolas e cantinas onde visitantes podem saborear e comprar vinhos, sucos, licores e outros produtos coloniais. Outro destaque é a visita guiada através da Linha Turismo – Caminho do Vinho, que passa pelos pontos turísticos do circuito, entre eles os empreendimentos de lazer, as edificações típicas da colonização italiana, os restaurantes e os cafés coloniais. No Caminho do Vinho pode-se ainda dormir em pousada e assistir a uma belíssima apresentação do grupo folclórico italiano da Colônia.

Circuito Italiano, Colombo: primeiro roteiro de turismo rural da Região Metropolitana de Curitiba, o Circuito Italiano oferece um agradável passeio pelas tradicionais vinícolas e cantinas de vinho em um ambiente marcado pela herança dos imigrantes italianos, seja no modo de falar ou na receptividade durante a hospedagem e na farta gastronomia típica dos restaurantes. Outro ponto forte do circuito são os produtos associados, com destaque para a produção e venda dos alimentos orgânicos, doces, licores, hortaliças, embutidos e defumados.

Caminhadas na Natureza: este programa realizado pela SEAB-PR com parceria da Anda Brasil permite que pessoas de todas as idades andem, de acordo com o próprio ritmo, em grupo ou individualmente, descobrindo a oferta de turismo no espaço rural dos municípios. A intenção principal não é competir, e sim contemplar os locais visitados e se integrar com as comunidades locais. Para consultar o calendário das Caminhadas na Natureza no Paraná, acesse: www.andabrasil.com.br e www.seab.pr.gov.br.

Hospedagem:na área rural, além de poder conhecer os meios de hospedagem que fazem parte dos circuitos citados, existem muitas outras opções a serem descobertas, como o Hotel La Dolce Vita, o Hotel Estância Betânia, o Hotel Fazenda Pousada Cainã e o Parque São Luiz Purunã.

Turismo Religioso nas Rotas do Pinhão

Paz espiritual, harmonia, autoconhecimento, equilíbrio e purificação da mente são a busca daqueles que praticam o Turismo Religioso. Independente da religião, no Paraná todos esses sentimentos, aliados a um maior contato com a natureza e ao resgate de aspectos culturais, proporcionam aos visitantes uma experiência de fé para a qual são convidados a seguir por trilhas pacíficas de diálogo inter-religioso.

Nas Rotas do Pinhão a fé católica se manifesta em construções como a Catedral Basílica Menor Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, o Bosque do Papa João Paulo II, o Memorial Polonês, o Museu de Arte Sacra, o Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e o Santuário Schoenstatt, todas na capital Curitiba.

Na Lapa, destacam-se a Igreja Santo Antônio e a Gruta do Monge. Em Balsa Nova, a Capela de Nossa Senhora da Conceição e Tamanduá. Em Rio Negro, o Seminário Seráfico São Luis de Tolosa. Em Campo do Tenente, o Mosteiro Trapista que recebe visitas agendadas.

Outra manifestação vista na Região é o islamismo, com a Mesquita Imam Ali em Curitiba.

Turismo de Negócios & Eventos nas Rotas do Pinhão

Dos eventos técnicos aos comerciais, da agropecuária à indústria, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos é fato, destacando-o no Brasil e no mundo. O estado um dos melhores pólos para realização de negócios e eventos no país, muito por conta de sua moderna e qualificada infra-estrutura de apoio, equipamentos e serviços turísticos e por sua ótima localização, próxima dos principais centros comerciais do Brasil e do Mercosul.

Eventos:Curitiba está entre as dez primeiras cidades brasileiras que mais recebem eventos internacionais, segundo ranking da ICCA – International Congress and Convention Association. Possui capacidade para sediar eventos de todos os portes, e para dinamizar ainda mais esse segmento, conta com o Curitiba, Região e Litoral Convention & Visitors Bureau, que desempenha papel estratégico na promoção do destino para geração e captação de eventos junto da Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado do Paraná.

Infra-estrutura de Transportes:além de contar com excelente malha rodoviária, destacam-se na Região uma parte da famosa Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba, o Aeroporto Internacional Afonso Pena em São José dos Pinhais e o Aeroporto de Bacacheri em Curitiba.

Louça e Cerâmica:a riqueza do solo em caulim e argila, indicados para a fabricação de porcelana, louças e outros artefatos de cerâmica, originou a instalação de um parque industrial na Região Rotas do Pinhão, mais precisamente no município de Campo Largo. O pólo industrial é responsável por 90% da produção nacional de porcelana de mesa e por 50% da produção nacional para a indústria eletroeletrônica, além da produção mensal de 16 milhões de metros quadrados de pisos e revestimentos. Em Campo Largo pode-se conhecer a Rota da Louça e a tradicional Feira Nacional da Louça.

Indústria Têxtil e Confecções:o Paraná possui o segundo maior pólo confeccionista do Brasil, com aproximadamente 4.200 empresas no setor. Apesar de estarem concentradas em sua maioria nas regiões norte e noroeste do Paraná, é em Curitiba que ocorre o Crystal Fashion, um dos eventos mais badalados da cidade.

Indústria Automotiva e Metal-Mecânica: o Paraná é o terceiro maior pólo automobilístico do Brasil, responsável por 10,8% da produção brasileira e com destaque para a presença de quatro montadoras: Renault, Volvo, Volkswagen e Nissan. Também é o segundo estado em fabricação de máquinas agrícolas e, de acordo com dados da ANFEVA, representa 21,9% da produção nacional. Nas Rotas do Pinhão ocorre o Salão do Automóvel, o maior evento em volume de negócios do país, sendo realizado em Pinhais e por vezes em Curitiba.

Paraná
Parque Tanguá – Curitiba

Paraná
Curitiba – Museu Oscar Niemeyer

Paraná
Curitiba – Ópera de Arame

Paraná
Curitiba – Catedral

Paraná
Jardim Botânico

Paraná
Curitiba – Universidade Federal

Campos Gerais do Paraná

No século XVIII, estas terras eram passagem de inúmeros rebanhos de gado e tropeiros que percorriam o Caminho do Viamão, desde o Rio Grande do Sul até as feiras de São Paulo. O antigo fluxo desses viajantes exerceu fundamental importância na formação cultural e econômica do Paraná, que acolheu várias levas de imigrantes europeus nessa região. Um passado repleto de histórias, que pode ser revivido percorrendo a Rota dos Tropeiros ou o Roteiro dos Imigrantes ou ainda o Roteiro Industrial. Ponta Grossa é referência da Região, quer pelas suas empresas, por seus eventos ou ainda pela sua natureza.

O contraste entre os campos – onde surgem as imponentes araucárias – e as escarpas serranas é a característica principal da região. Essa paisagem proporciona cenários naturais de magia e rara beleza. Uma região onde os passeios podem ser de pura contemplação da paisagem ou de muita aventura, dentro de Parques e Reservas, como o de Vila Velha com suas formações rochosas e do Guartelá que abriga um dos maiores cânions do País e ainda Itaytyba, uma reserva de agradáveis surpresas em meio à área rural. São muitos os rios, mas destacam-se o Tibagi e o Iapó, proporcionando aventura e lazer.

As cidades históricas surgiram em grande parte, em função do pouso de tropeiros, como Palmeira, Castro, Tibagi, Jaguariaíva, Arapoti, Sengés e Piraí do Sul, onde se ergue o Santuário de Nossa Senhora das Brotas, a padroeira da Rota dos Tropeiros.

A cultura local é fortemente influenciada pelas inúmeras cooperativas de colonização holandesa e eslavo-germânica, como Batavo, Castrolanda, Witmarsum e Capal, que oferecem gastronomia, história, artesanato e um grande aprendizado.

O que fazer na Região Turística Campos Gerais?

Turismo Cultural na Região Campos Gerais do Paraná

A grande diversidade étnica do estado deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir seus sentidos e descobrir os encantos paranaenses.

Artesanato e Mercados Tradicionais: você pode levar um pedacinho do Paraná com você, conhecendo as diversas opções de lojas de artesanatos presentes em todo a região dos Campos Gerais. Vale a pena conhecer a loja do projeto Arte Nossa Artesanato Paranaense em Ponta Grossa; a Atiart, que encanta com seus diversos produtos, como tapetes e artes em madeira, em Tibagi; a Artecastro, localizada no centro de Castro; a Casa do Artesão em Telêmaco Borba; e o Moinho do Artesão, em Carambeí.

Sítios e Edificações Históricos: nos Campos Gerais, reviva a história paranaense da sua maneira! A região apresenta uma variedade imensa de sítios históricos, entre eles a Casa da Cultura Emília Erichsen e a Casa da Praça, bem como a Fazenda Capão Alto em Castro. Descubra o charmoso centro histórico de Tibagi; em Ponta Grossa, observe o seu Complexo Ferroviário pela Estação Saudade. Admire em Arapoti o Moinho Holandês construído em 2011 para homenagear os imigrantes da região e, em Jaguariaíva, visite o Palacete Conde Francisco Matarazzo, mansão construída em 1920.

Eventos e Manifestações Culturais: dois eventos marcam a Região dos Campos Gerais: a tradicional festa alemã de Ponta Grossa, München Fest, e o Carnaval de Tibagi.

Circuitos e Roteiros Turísticos: a diversidade étnica do Paraná está reunida em circuitos e roteiros de destinos que são retratos da influência européia e do ciclo do tropeirismo. Nos Campos Gerais destacam-se os roteiros Rota Holandesa, em Carambei, Castro e Arapoti; a Rota Eslavo Germânica, em Palmeira e a Rota dos Tropeiros.

Espaços Culturais: nos Campos Gerais você pode conhecer exemplares do patrimônio cultural do povo paranaense preservado e exposto em ambientes prontos para te receber. São diversas as opções de lugares para se visitar, sendo que cada um possui as suas próprias características. São alguns deles:

Arapoti:Casa da Cultura- Estação Ferroviária;

Carambeí:Casa da Memória;

Castro:Casa da Sinhara; Memorial da Imigração Holandesa; Museu do Imigrante Alemão (Terra Nova); Museu do Imigrante Holandês e Museu do tropeiro;

Palmeira:Espaço Cultural Sítio Minguinho; Museu histórico de Witmarsum e Museu Histórico e Geográfico de Palmeira Dr. Astrogildo de Freitas;

Ponta Grossa:Museu Época;

Tibagi:Casa da Memória – Nhá Tota e Museu do Garimpo.

Ecoturismo e Turismo de Aventura na Região Campos Gerais do Paraná

No Paraná a diversidade de roteiros e de atividades diferenciadas, aliadas à prática da aventura segura, proporciona uma mistura de grandes emoções e muita diversão. O estado dispõe de locais onde o ecoturismo contribui para a preservação e conservação do ambiente natural e a adoção de uma conduta consciente.

Cicloturismo:vales, campos, praias, serras e florestas, são algumas das paisagens paranaenses que podem ser apreciadas pedalando pelo Paraná. Nos Campos Gerais, indicamos realizar as trilhas do Canyon Guartelá, apreciando as paisagens durante o caminho.

Caminhada:no Paraná existem programas de caminhadas realizados por operadoras especializadas, com excelentes opções de visitação em unidades de conservação e passeios organizados. Na região existem diversos locais para realizar esta atividade, como em Ponta Grossa, no Parque Estadual de Vila Velha, e em Tibagi, no Salto Santa Rosa, Salto Puxa Nervos, Parque Estadual do Guartelá e RPPN Itáytyba.

Espeleoturismo:a possibilidade de apreciar belos espeleotemas em cavernas é uma das fortes atrações do Paraná. Um convite imperdível para os amantes da aventura subterrânea é conhecer a Caverna Olhos D’Água, em Ponta Grossa.

Rafting:descer os rios em botes infláveis, sentindo as emoções de enfrentar suas corredeiras, revela um novo cenário natural a cada curva. Nos Campos Gerais indicamos a prática do Rafting no Rio Iapó, realizado tanto em Castro quanto em Tibagi.

Atividades de Ecoturismo:o ecoturismo pode ser realizado em sua essência em distintos pontos da região dos Campos Gerais, desenvolvendo uma relação sustentável com a natureza, conservação e educação ambiental. Destaca-se o Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa, tendo como principal atrativo seus arenitos que possuem formatos variados.

Também vale visitar o Parque Estadual do Guartelá, em Tibagi, que conta com belas paisagens que podem ser admiradas através de diversas opções de trilhas, além de possuir o 6º maior Canyon do mundo. Já para quem gosta de turismo geológico, a RPPN (Reserva Particular do Patrimônio Natural) Itáytyba é uma ótima opção para se apreciar os monumentos geomorfológicos existentes na região.

Turismo Rural na Região Campos Gerais do Paraná

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo.

Na Região Campos Gerais se destacam os meios de hospedagem em meio à área rural, como, por exemplo, o Hotel Fazenda das 100 Árvores, a Pousada Fazenda Ribeirão das Flores e o Parque Pousada Canyon Guartelá, em Castro, e em Tibagi a Pousada Fazenda Guartelá e Itáytyba Ecoturismo.

Turismo Religioso na Região Campos Gerais do Paraná

Paz espiritual, harmonia, autoconhecimento, equilíbrio e purificação da mente são a busca daqueles que praticam o Turismo Religioso. Independente da religião, no Paraná todos esses sentimentos, aliados a um maior contato com a natureza e ao resgate de aspectos culturais, proporcionam aos visitantes uma experiência de fé para a qual são convidados a seguir por trilhas pacíficas de diálogo inter-religioso.

Na Região predomina a religião católica, contando com Santuários e Igrejas onde os fiéis podem reafirmar sua fé. Em Palmeira encontra-se o Santuário do Senhor Bom Jesus do Monte, onde, além das práticas religiosas, são oferecidos espaços para a prática e lazer.

Em Ponta Grossa destacam-se a Capela Santa Bárbara e a Paróquia Sant’Ana Catedral, que podem ser visitadas gratuitamente. Com um intuito de promover a paz espiritual ao visitante, o Mosteiro dos Monges, também em Ponta Grossa, oferece hospedagem, desde que seja previamente agendada, e uma loja onde os religiosos podem comprar produtos feitos pelos próprios monges.

Já em Jaguariaíva existe a Serra velha, ou Santa do Paredão, como chamam os fiéis. Diz-se que neste paredão encontra-se a imagem de uma santa, e por isso é visitada por muitos devotos em busca de milagres.

Os devotos também podem visitar a Igreja Senhora Sant’Ana, em Castro, e o Santuário de Nossa Senhora das Brotas.

Turismo de Negócios & Eventos na Região Campos Gerais do Paraná

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo.

Agronegócio: outro pilar de sucesso da economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um espaço cada vez maior do setor. Na região estão presentes a Cooperativa Mista Agropecuária Witmarsum, em Palmeira; a Cooperativa Agropecuária de Castrolanda e Agroleite, em Castro; CAPAL Cooperativa Agroindustrial, em Arapoti e Batavo Cooperativa Industrial, em Carambeí. Além das cooperativas, a região ainda conta com a Exposição Feira Agropecuária Industrial (EFAPI), realizada em Ponta Grossa.

Indústria Madeireira, de papel e celulose: Utilizando florestas plantadas pelas próprias indústrias, assegurando a preservação eficaz das florestas nativas, o Paraná conta com a maior produção de madeira no Brasil destinada ao ramo moveleiro. Na região dos Campos Gerais encontram-se indústrias em Telêmaco Borba, Arapoti, Piraí do Sul, Jaguariaíva, Ponta Grossa e Sengés.

Paraná
Vila Velha – Ponta Grossa

Paraná
Canyon do Guartelá – Tibagi

Paraná
Rafting em Tibagi

Paraná
Memorial da Imigração Holandesa – Castro

Paraná
Bonde Aéreo – Telêmaco Borba

Paraná
Doces típicos

Norte do Paraná

Com belíssimas paisagens, recantos aconchegantes e o aroma do café que se expande entre as plantações, a região Norte surpreende seus visitantes.

Sua colonização se deu entre as décadas de 1920 e 1950, com a expansão da cafeicultura. Possui fortes marcas de diferentes culturas.

Em Rolândia, os imigrantes alemães fazem história, que transparece na arquitetura, na gastronomia, nos eventos, na dança e na música. Mas os japoneses também se destacam, assim como em Assaí e Londrina, onde diversos templos e comemorações marcam a etnia.

Na região, o visitante pode encontrar empreendimentos com tecnologia de ponta em contraste com propriedades rurais onde a agricultura familiar tem presença marcante. Hoje, muitas dessas propriedades estão abertas ao lazer, com hospedagem e alimentação.

Também merece destaque na região o turismo de eventos & negócios alicerçado numa infra-estrutura de qualidade, para a realização de eventos científicos, culturais, agropecuários, esportivos.

Em Londrina, realiza-se anualmente a maior Feira Agropecuária do Estado, assim como festivais e congressos. Roteiros técnicos também são oferecidos para aqueles que querem conhecer como são desenvolvidas as riquezas econômicas da região.

A religiosidade também se faz presente, nos inúmeros eventos, templos e roteiros, com destaque para a Rota da Fé entre Lunardelli e Apucarana e a Rota do Rosário, mais ao norte pioneiro.

Em Ribeirão Claro e Carlópolis encontramos o Caribe brasileiro que tem como cenário a Represa de Xavantes. Canoagem, rafting, trekking, vôo livre, paraglider, passeios náuticos, cavalgadas, caça e pesca, são atividades que podem ser praticadas na área rural da região, em rios, represas, cachoeiras e belas fontes de água mineral.

O que fazer na Região Turística Norte do Paraná?

Turismo Cultural na Região Norte do Paraná

A grande diversidade étnica presente no Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir os seus sentidos e você verá que tudo no Paraná transmite a riqueza e os costumes de seu povo!

Artesanato e Mercados Tradicionais: muito mais do que uma simples lembrança; você pode levar um pedacinho do Paraná na sua bagagem! Na região a cultura do povo se manifesta através da COMFIBRA, que são produtos artesanais naturais, produzidos em Jacarezinho.

Eventos e Manifestações Culturais: na Região Norte do Paraná parte da cultura paranaense é demonstrada através de diversos eventos, dentre eles o Festival de Música de Londrina, Fetival Internacional de Lomdrina, Oktoberfest, em Rolândia e Tanabata, em Assaí.

Sítios e Edificações Históricos: no Norte do Paraná é possível interpretar o patrimônio histórico através da Ponte Pênsil Alves Lima, que faz a ligação entre Ribeirão Claro (PR) e Chavantes (SP). Por sua estrutura ser uma das únicas no Brasil (existem apenas três pontes pênseis no país), vale a pena conhecer tal patrimônio, tanto pela beleza quanto pela história do local.

Espaços Culturais: na região você pode conhecer exemplares do patrimônio histórico e cultural do povo paranaense no Museu Histórico Padre Carlos Weiss, em Londrina. Nele são encontrados objetos, documentos e imagens que caracterizam toda a história londrinense.

Turismo Rural na Região Norte do Paraná

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo.

Na Região Norte se destacam os meios de hospedagem em meio à área rural, como, por exemplo, a Terra Dourada Pousada e Estância de Lazer, em Jataizinho; Pousada Caminho das Águas Mansas, em São Jerônimo da Serra e Estância Ecológica Guaicurus, em Santa Mariana.

Turismo Religioso na Região Norte do Paraná

Pela grande diversidade cultural do Paraná, no estado existem algumas matrizes de tradições religiosas, sendo que duas se destacam na região das Cataratas: a Matriz Oriental por conseqüência da presença do budismo e do islamismo, e a Matriz Ocidental com o catolicismo.

Budismo:a religião budista tem aproximadamente 2.500 anos e busca condicionar a mente de maneira a levá-la à paz, sabedoria, alegria, serenidade e liberdade. Na região se encontra o Templo Budista Shoshinji, em Assai, e o Templo Budista Honganji, em Londrina, que se destacam por suas arquiteturas em estilo japonês.

Islamismo:o islã é um movimento religioso monoteísta fundado pelo profeta Maomé, utilizando o Alcorão como livro sagrado, sendo este escrito por Deus e revelado ao profeta. Na região, mais precisamente em Londrina, está a Mesquita Muçulmana Rei Faiçal, uma das primeiras mesquitas construídas na América Latina.

Catolicismo:a religião fundamentada nos ensinamentos de Jesus de Nazaré se manifesta nos patrimônios de londrina,Cornélio Procópio, Jacarezinho, Apucarana, Lunardelli, Siqueira Campos e Tomazina, a saber:

Londrina:Santuário de Schoensatt; Catedral Metropolitana Sagrado Coração de Jesus;

Cornélio Procópio:Santuário de Schoensatt; Catedral Diocesana Cristo Rei;

Jacarezinho:Catedral Diocesana Nossa Senhora da Conceição e São Sebastião; Santuário de Schoensatt;

Apucarana:Parque Ecológico Santo Expedito; Catedral Diocesana Nossa Senhora de Lourdes;

Lunardelli:Santuário de Santa Rita de Cássia;

Siqueira Campos:Santuário Senhor Bom Jesus da Cana Verde;

Tomazina:Igreja Nossa Senhora da Conceição Aparecida e Santo Inocêncio Mártir.

Turismo de Negócios e Eventos na Região Norte do Paraná

Dos eventos técnicos aos comerciais, da agropecuária à indústria, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos é fato, destacando-o no Brasil e no mundo. O estado um dos melhores pólos para realização de negócios e eventos no país, muito por conta de sua moderna e qualificada infra-estrutura de apoio, equipamentos e serviços turísticos e por sua ótima localização, próxima dos principais centros comerciais do Brasil e do Mercosul.

Agronegócio:um dos pilares de sustentação da economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um grande espaço deste setor. Na região norte estão presentes: a Integrada Cooperativa Agroindustrial e EMBRAPA Soja – Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária, Exposição Agropecuária e Industrial, em Londrina; COROL Cooperativa Agroindustrial, em Rolândia e COFERCATU – Cooperativa Agropecuária dos Cafeicultores de Porecatu. A região também realiza eventos agroindustriais como a FESCAFÉ – Expo-Feira do Café, Indústria, Comércio e Pecuária, em Ribeirão claro, e a EXPO – UMUARAMA – Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial.

Indústria Madeireira, de papel e celulose: utilizando florestas plantadas pelas próprias indústrias, assegurando a preservação eficaz das florestas nativas, o Paraná conta com a maior produção de madeira no Brasil destinada ao ramo moveleiro. Na Região Norte do Paraná ocorrem eventos da área como a FIQ – Feira Internacional da Qualidade em Máquinas, Matérias- primas e Acessórios para a Indústria Moveleira e a Movelpar – Feira de Móveis do Estado do Paraná, ambas em Arapongas.

Infra –estrutura de transportes: além de contar com excelente malha rodoviária, destaca-se na região o Aeroporto Governador José Richa, em Londrina, de onde saem vôos regulares operados por praticamente todaa as companhias aéreas nacionais.

Indústria Têxtil e Confecções:o Paraná possui o segundo maior pólo confeccionista do Brasil, com aproximadamente 4.200 empresas no setor. Na região destacam-se a EXPOBONÉ, em Apucarana e a Catuaí Colection, em Londrina.

Paraná
Londrina – Lago Igapó ao Entardecer

Paraná
Ribeirão Claro – Turismo Náutico

Paraná
Salto Apucaraninha

Paraná
Apucarana – Praça

Corredores das Águas – Noroeste do Paraná

A riqueza dessa região provém principalmente das atividades da agroindústria e da indústria têxtil com seus shoppings de atacado, distribuídos principalmente em Maringá e Cianorte.

É surpreendente a quantidade de cooperativas formadas para o cultivo e processamento de grãos e da seda, que deixam marcas na paisagem local. A cultura rural e a criatividade do seu povo, fez com que surgissem inúmeros pratos típicos formando um verdadeiro festival onde se destaca o saboroso Carneiro no Buraco, tema de festa anual, realizada em Campo Mourão.

Uma região de clima tropical úmido, com verões quentes, que se destaca por suas propriedades de lazer, pousadas rurais, parques aquáticos, fontes de água mineral termal. Assim como pelos caudalosos rios Paraná, Paranapanema e Ivaí – três presentes da natureza que possibilitam muitas opções de turismo náutico e de pesca. Eventos e negócios são uma constante na região, que tem Maringá como pólo irradiador.

O turismo religioso também vem crescendo. São inúmeros templos e igrejas, como a Catedral Basílica de Maringá e a Igreja de Santa Rita em Barbosa Ferraz, ponto de partida para um especial roteiro de fé.

A aventura fica por conta do vôo livre em Terra Rica no Três Morrinhos e do rally fluvial de Fênix, onde também se encontra o Parque Estadual de Vila Rica do Espírito Santo, guardando um pedaço da história da região.

O que fazer na Região Turística Corredores das Águas – Noroeste do Paraná

Turismo Cultural na Região Corredores das Águas

A grande diversidade étnica presente no Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir os seus sentidos e você verá que tudo no Paraná transmite a riqueza e os costumes de seu povo!

Eventos e Manifestações Culturais: na região Corredores das Águas, mais precisamente em Maringá, ocorre o Festival Nipo Brasileiro, um evento que busca incentivar a preservação da cultura japonesa em seus descendentes e proporcionar o envolvimento de não descendentes. Outro evento que ocorre em Maringá é o FEMUCIC – Festival de Música Cidade Canção-, que tem por objetivo contribuir para o desenvolvimento de bandas do Estado do Paraná.

Espaços Culturais: na Região se destacam alguns patrimônios culturais preservados do povo paranaense. Um deles é o Museu Arqueológico do Parque Estadual de Vila Rica do Espírito Santo, em Fênix. Nele podem ser encontrados artefatos indígenas e jesuítas, além de ossadas de animais extintos da região.

Turismo Rural na Região Corredores das Águas

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar aos hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Em todo o estado existem opções para quem procura a vivência do turismo comprometido com o meio rural e com a produção agropecuária, que resgata e promove a valorização do patrimônio cultural e natural das localidades paranaenses.

Na região destaca-se o circuito rural-cultural Caminhos da Natureza com Sabor, em Cianorte, ótima opção para descobrir as maravilhas da cidade.

Hospedagem:Para quem procura uma maior vivência com o meio rural, existem hotéis que proporcionam isto, como o Hotel Fazenda Salto Bandeirantes, em Santa Fé, que proporciona diversas atividades aos seus hóspedes.

Turismo Religioso na Região Corredores das Águas

Pela grande diversidade cultural do Paraná, no estado existem algumas matrizes de tradições religiosas, sendo que duas se destacam na região dos Corredores das Águas: a Matriz Oriental por conseqüência da presença do budismo e do islamismo, e a Matriz Ocidental com o catolicismo.

Budismo:a religião budista tem aproximadamente 2.500 anos e busca condicionar a mente de maneira a levá-la à paz, sabedoria, alegria, serenidade e liberdade. Na Região Corredores das Águas essas características podem ser encontradas no Templo Budista Jodoshu Nippakuji, na cidade de Maringá. Sua estrutura foi construída com a técnica do encaixe, dispensando o uso de pregos e parafusos, o que deixa o local ainda mais atrativo.

Islamismo: o islamismo é um movimento religioso monoteísta fundado pelo profeta Maomé, utilizando o Alcorão como livro sagrado, sendo este escrito por Deus e revelado ao profeta. Na região, mais precisamente na cidade de Maringá, encontra-se a Mesquita Mulçumana Cheique Mohamed Ben Nasser Al Ubudi, um local construído com características tipicamente árabes e utilizado como templo de orações pelos mulçumanos da região.

Catolicismo: A religião Católica se fundamenta nos ensinamentos de Jesus de Nazaré, tendo como livro sagrado a Bíblia Sagrada, composta pelo Antigo e pelo Novo Testamento. Na região o catolicismo se expressa através de patrimônios em Maringá, Campo Mourão, Paranavaí, Umuarama e Barboza Ferraz, a saber:

Maringá:Catedral Basílica Menor de Nossa Senhora da Glória;

Campo Mourão:Catedral Diocesana São José;

Paranavaí:Catedral Diocesana Maria Mãe da Igreja;

Umuarama:Catedral Diocesana Divino Espírito Santo;

Barboza Ferraz:Igreja de Santa Rita de Cássia.

Turismo de Negócios e Eventos na Região Corredores das Água

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo.

Agroindústria:Um pilar de sucesso na economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um espaço cada vez maior do setor. Na região estão presentes a Cooperativa Agroindustrial (COCAMAR), em Maringá, e a Cooperativa Agropecuária Mourãoense (COAMO), em Campo Mourão. Além disso, em Maringá ocorre a EXPOINGÁ, que é a Exposição Feira Agropecuária, Industrial e Comercial de Maringá.

Indústria Automotiva e Metal-Mecânica:Em Maringá ocorre a Feira Metalmecânica, evento em que são apresentados produtos tecnológicos inovadores, proporcionando aos participantes a oportunidade de realizar grandes negócios.

Indústria Têxtil e Confecções:O Paraná possui o segundo maior pólo confeccionista do Brasil, com aproximadamente 4.200 empresas no setor. Na Região Corredores das Águas este segmento é muito forte, já que nela estão diversos shoppings atacadistas. Além disso, em Maringá ocorre o Maringá Moda Mix, e em Cianorte a Expovest, grandes eventos da indústria têxtil.

Infra-estrutura de Transportes:Além de contar com excelente malha rodoviária, destaca-se na região o Aeroporto Silvio Name Junior, localizado na Av. Vladimir Babcov, no bairro Parque Industrial Mário Bulhões, em Maringá.

Paraná
Maringá

Paraná
Campo Mourão – Carneiro no Buraco

Paraná
Cianorte

Paraná
Maringá – Parque do JAP

Paraná
Porto Rico

Paraná
Praia em Marilena – Rio Paraná

Riquezas do Oeste do Paraná

Uma região que surpreende pela intensa atividade de agronegócios, principalmente em Cascavel e Toledo, onde eventos como o Show Rural Coopavel e o Porco no Rolete, fazem da tecnologia e da gastronomia um forte apelo aos seus visitantes. Festivais de teatro, dança e música, assim como outros eventos culturais e agropecuários também se realizam na região que vem se consolidando no turismo de eventos e negócios. O cultivo de flores também é uma das suas grandes atrações.

Em Maripá cresce o cultivo de orquídeas e em Corbélia esta e outras espécies oferecem aos viajantes um espetáculo de cores e beleza.

O turismo rural, principalmente vinculado a agricultura familiar pode ser urfruído no Circuito do Sabiá em Matelândia, que tem forte influência da cultura italiana e alemã nos hábitos de alimentação, do jeito de falar e de contar histórias despertando nos visitantes uma nostalgia gostosa, um olhar para suas próprias raízes culturais.

O que fazer na Região Turística Riquezas do Oeste do Paraná

Turismo Cultural na Região Riquezas do Oeste

A grande diversidade étnica presente no Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir os seus sentidos que irá descobrir os encantos da cultura paranaense, especialmente na Região Riquezas do Oeste!

Eventos e Manifestações Culturais: as Riquezas do Oeste perpassam pelas artes, especialmente pela música e pela dança, como comprova o conhecido Festival de Dança de Cascavel e o Festival de Música da mesma localidade. Além de apresentações de artistas locais e de outras cidades, os festivais contam com aulas e oficinas.

Turismo Gastronômico na Região Riquezas do Oeste

No Paraná as cidades são marcadas pelas festividades gastronômicas, eventos onde a culinária típica é apreciada em meio às manifestações culturais de cada localidade.

A região Riquezas do Oeste é destaque em sediar algumas das mais importantes festas do estado, como a Festa Nacional do Porco no Rolete. Conta a história que de um simples desafio entre amigos, usando a matéria-prima abundante no município de Toledo, o porco, resolveram promover um torneio no qual seria vencedor aquele que apresentasse a mais saborosa receita de um suíno assado por inteiro. A brincadeira deu certo e a principal festa popular da cidade tem hoje 38 anos. Além desta, a Festa Nacional do Frango é outro exemplo de festa na região, ocorrendo em Toledo a todo ano.

Turismo de Negócios & Eventos na Região Riquezas do Oeste

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo.

Na Região Riquezas do Oeste, é possível conhecer uma das hidrelétricas que geram mais geral energia para o Paraná, a UHE Governador José Richa, no município de Capitão Leônidas Marques. Outro pilar de sucesso da economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um espaço cada vez maior do setor. Na Região Riquezas do Oeste está presente a Coopavel Cooperativa Agroindustrial, de Cascavel, que promove o Show Rural COOPAVEL, evento que tem como principal objetivo a difusão de tecnologias voltadas ao aumento de produtividade de pequenas, médias e grandes propriedades rurais.

Outro evento bastante importante que ocorre em Cascavel é a EXPOVEL, que demonstra toda a força do agronegócio ao mesmo tempo que apresenta as melhores atrações com gastronomia variada, shows, leilões e rodeios.

Paraná
Cascavel

Paraná

Paraná
Catedral de Cascavel

Paraná
Festa do Porco

Paraná
Parque das Águas

Paraná
Praça do Migrante

Paraná
Toledo

Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

Na fronteira com o Paraguai e a Argentina, a região das Cataratas do Iguaçu e da Usina Hidrelétrica de Itaipu é cenário surpreendente, uma maravilhosa união da natureza e das conquistas do homem.

A água é a grande protagonista, seja ela dos rios Paraná e Iguaçu ou do Lago de Itaipu ou ainda do aqüífero Botucatu. O Lago de Itaipu banha os municípios da região, de Foz do Iguaçu a Guaira. Ou quem sabe do exuberante Parque Nacional do Iguaçu onde a beleza e magnitude das Cataratas se perpetuam atraindo milhares de turistas brasileiros e estrangeiros até a vegetação e as sinuosas curvas do rio Paraná no Parque Nacional de Ilha Grande.

Os municípios de São Miguel do Iguaçu, Santa Helena, Marechal Cândido Rondon, Missal, Itaipulândia, Santa Terezinha do Itaipu e Entre Rios do Oeste, oferecem praias artificiais e inúmeras atrações de lazer e hospedagem, seja em ambientes rurais ou urbanos. A cultura remanescente de alemães e italianos, transparece nos muitos eventos, que têm a gastronomia, a música e a dança como pontos fortes.

Muitos são os pratos típicos que podem ser experimentados que vão da Costela no fogo de chão ao boi no rolete, sem deixar é claro, de privilegiar os peixes da região, como o dourado, preparado de várias formas: na telha, no carrossel, no forno. Campeonatos e competições esportivas, principalmente de pesca e náutica, além da prática de atividades de aventura e ecoturismo nos rios e dentro do Parque Nacional do Iguaçu, são atrações imperdíveis.

Foz do Iguaçu, além de um grande pólo de ecoturismo, é também consagrado pela realização de eventos de âmbito nacional e internacional, oferecendo infra-estrutura de grande qualidade.

O que fazer na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

Turismo Cultural na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

A grande diversidade étnica presente no Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir os seus sentidos e você verá que tudo no Paraná transmite a riqueza e os costumes de seu povo!

Eventos e Manifestações Culturais:a Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu possui uma agenda cheia de festividades, como as animadas comemorações de Oktoberfest em Pato Bragado e Marechal Cândido Rondon e a Deutsch Fest em Missal. Como nestes municípios há uma forte influência cultural dos imigrantes alemãs, é comum encontrar manifestações artísticas típicos da etnia. Dois exemplos são o Grupo de Danças Raízes Germânicas de Marechal Cândido Rondon e o Grupo Folclórico de Danças FortsChritt Ohne Grenzen de Pato Bragado.

Sítios e Edificações Históricas:reviva o passado paranaense no centro histórico Vila Velha, em Guaíra, onde a cidade começou. É a área antiga de Guaíra, onde se encontram algumas construções feitas pela Companhia Mate Laranjeira, que na época era a dona das terras e ali construíram as residências de seus administradores. Em Foz do Iguaçu pode-se conhecer o Marco das Três Fronteiras, que delimita geograficamente a fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai, e possui estrutura para recepcionar os turistas além de mirante e uma paisagem repleta de pinheiros. Já o Centro de Eventos Werner Wanderer, de Marechal Cândido Rondon, é uma obra composta por 34 fachadas em estilo germânico que homenageiam diversas cidades da Alemanha, em respeito à colaboração dos alemães na cultura local.

Artesanato e Mercados Tradicionais:muito mais do que uma simples lembrança; você pode levar um pedacinho do Paraná na sua bagagem! Na região das Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu, vale a pena conhecer o Centro de Artesanato, um importante espaço patrimonial de Foz do Iguaçu, e apreciar as peças únicas desenvolvidas pelo Ñandeva – Programa Trinacional de Artesanato. Outra pedida em Foz do Iguaçu é conhecer as obras da Coart – Cooperativa de Artesanato em sua charmosa loja no centro da cidade.

Espaços Culturais:na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu se destacam alguns patrimônios culturais preservados do povo paranaense, que podem ser observados e conhecidos em Foz do Iguaçu, no Ecomuseu de Itaipu, que conserva a história da usina e da região brasileira em que foi construída a hidrelétrica, e no Museu Sete Quedas em Guaíra, que abriga peças datadas de aproximadamente dois mil anos, marcando a presença do homem primitivo que habitou a região. Nele é possível apreciar objetos de valor incalculável, como a Cruz de Caravagio, peça com mais de 400 anos fundida no século XVI como símbolo das Missões e as vestes de padres jesuítas que ajudaram na catequização de índios guaranis.

Turismo Gastronômico na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

No Paraná as cidades são marcadas pelas festividades gastronômicas, eventos onde a culinária típica é apreciada em meio às manifestações culturais de cada localidade. Além disso, cada região possui seus pratos típicos, sendo que no entorno do Lago Itaipu se destacam os a base de peixe.

Já em Medianeira se destacam os produtos artesanais feitos na região, como os queijos e chocolates. Para apreciadores de bebidas, o Alambique Artesanal Piva é um lugar imperdível, onde é produzida uma cachaça orgânica em alambique de cobre.

Pratos típicos:um dos pratos típicos da Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu é o saboroso e saudável Pintado na Telha, muito consumido em Guaíra. Já em Missal a carne ganha destaque com o Porco à Paraguaia, originário da época da Guerra do Paraguai no século XIX e introduzido no país pelas tropas paraguaias.

Festas gastronômicas:vale conferir as delícias da região na Festa do Cupim Assado, em Pato Bragado, onde várias equipes concorrem pelo melhor feitio da iguaria. A Festa Nacional do Boi no Rolete faz parte dos festejos do aniversário de Marechal Cândido Rondon, é realizada no mês de julho a mais de 25 anos e a tradição é assar o número de bois equivalentes ao número de anos de aniversário do município. Outros eventos como o Festival do Costelão em Santa Helena e o Festival do Dourado no Carrossel em Itaipulândia demonstram a sua rica gastronomia enquanto oferecem aos visitantes boas opções de descontração, lazer e negócios.

Turismo Gastronômico na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

No Paraná as cidades são marcadas pelas festividades gastronômicas, eventos onde a culinária típica é apreciada em meio às manifestações culturais de cada localidade. Além disso, cada região possui seus pratos típicos, sendo que no entorno do Lago Itaipu se destacam os a base de peixe.

Já em Medianeira se destacam os produtos artesanais feitos na região, como os queijos e chocolates. Para apreciadores de bebidas, o Alambique Artesanal Piva é um lugar imperdível, onde é produzida uma cachaça orgânica em alambique de cobre.

Pratos típicos:um dos pratos típicos da Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu é o saboroso e saudável Pintado na Telha, muito consumido em Guaíra. Já em Missal a carne ganha destaque com o Porco à Paraguaia, originário da época da Guerra do Paraguai no século XIX e introduzido no país pelas tropas paraguaias.

Festas gastronômicas:vale conferir as delícias da região na Festa do Cupim Assado, em Pato Bragado, onde várias equipes concorrem pelo melhor feitio da iguaria. A Festa Nacional do Boi no Rolete faz parte dos festejos do aniversário de Marechal Cândido Rondon, é realizada no mês de julho a mais de 25 anos e a tradição é assar o número de bois equivalentes ao número de anos de aniversário do município. Outros eventos como o Festival do Costelão em Santa Helena e o Festival do Dourado no Carrossel em Itaipulândia demonstram a sua rica gastronomia enquanto oferecem aos visitantes boas opções de descontração, lazer e negócios.

Ecoturismo e Turismo de Aventura na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

Desde o Oceano Atlântico até o Rio Paraná, os recursos naturais do Paraná são um convite tentador para quem gosta de natureza e aventura. A Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu é exemplo disso, sendo que as atrações vão muito além do Parque Nacional do Iguaçu – que por si só atrai milhares de turistas por conta de sua importância para a preservação e a interação com a natureza. Conheça algumas atividades possíveis:

Ecoturismo e Cicloturismo:o Parque Nacional do Iguaçu conta com uma base fixa para atender aos ciclistas; mesmo a pé ou no ônibus do parque, a contemplação e a integração com seu patrimônio natural é perfeitamente possível. Confira este passeio imperdível!

Caminhada:além de poder aproveitar o Parque Nacional do Iguaçu, contemplando todas as belezas do entorno das Cataratas, outro lugar imperdível para caminhar em Foz do Iguaçu é o Refúgio Biológico Bela Vista, criado pela Itaipu Binacional. No município próximo de Santa Helena também vale explorar a pé o seu Refúgio Biológico, unidade de conservação criada pela mesma entidade.

Arvorismo e Atividades Verticais:ainda no Parque Nacional do Iguaçu existe um rol de opções de aventura, como rapel, escalada e arvorismo, atividades ideais para quem gosta das emoções nas alturas.

Rafting: é outra opção da Região, sendo que a atividade é muito realizada no Rio Iguaçu, em Foz do Iguaçu, e no Arroio Iguaçu em Marechal Cândido Rondon.

Náutico Aventura:uma das atrações mais requisitadas do Parque Nacional do Iguaçu são os passeios em embarcações, como o Macuco Safári, cujo clímax do passeio é levar os visitantes para baixo das quedas das Cataratas do Iguaçu.

Turismo Rural na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo.

Caminhadas na Natureza: uma opção para explorar as áreas rurais da Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu é participar das Caminhadas na Natureza. Este programa realizado pela SEAB-PR com parceria da Anda Brasil permite que pessoas de todas as idades andem, de acordo com o próprio ritmo, em grupo ou individualmente, descobrindo a oferta de turismo no espaço rural dos municípios. A intenção principal não é competir, e sim contemplar os locais visitados e se integrar com as comunidades locais. Para consultar o calendário das Caminhadas na Natureza no Paraná, acesse: www.andabrasil.com.br e www.seab.pr.gov.br.

Na região também se destacam os meios de hospedagem em meio à área rural, como por exemplo a Pousada das Águas em São Miguel do Iguaçu.

Turismo de Negócios e Eventos na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo. O estado um dos melhores pólos para realização de negócios e eventos no país, muito por conta de sua moderna e qualificada infra-estrutura de apoio, equipamentos e serviços turísticos e por sua ótima localização, próxima dos principais centros comerciais do Brasil e do Mercosul.

Eventos:atualmente Foz do Iguaçu ocupa a 5ª posição entre as cidades brasileiras que mais realizam eventos internacionais, segundo ranking da ICCA – International Congress and Convention Association. Possui capacidade para sediar eventos de todos os portes, e para dinamizar ainda mais esse segmento, conta com o Iguassu Convention & Visitors Bureau, que desempenha papel estratégico na promoção do destino para geração e captação de eventos junto da Federação de Convention & Visitors Bureaux do Estado do Paraná.

Energia:na Região Cataratas do Iguaçu & Caminhos ao Lago de Itaipu, é possível conhecer a maior hidrelétrica em operação do mundo, a Usina Hidrelétrica de Itaipu, bem como suas diversas atrações – confira no site www.turismoitaipu.com.br.

Agroindústria:outro pilar de sucesso da economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um espaço cada vez maior do setor. Na região está presente a Cooperativa Agroindustrial Copagril, de Marechal Cândido Rondon.

Indústria Têxtil e Confecções:o Paraná possui o segundo maior pólo confeccionista do Brasil, com aproximadamente 4.200 empresas no setor. Apesar de estarem concentradas em sua maioria nas regiões norte e noroeste do Paraná, em Foz do Iguaçu se destaca a moda para bebês nas Indústrias de Confecção Infantil de Terra Roxa.

Infra-estrutura de Transportes:além de contar com excelente malha rodoviária, destaca-se na região o Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu/Cataratas, cuja situação geográfica o torna, naturalmente, a porta brasileira do Mercosul. O aeroporto está localizado na BR 469 – km 16,5 – Rodovia das Cataratas, à 13 Km do centro da cidade, 12 Km das Cataratas do Iguaçu, 10 Km da Ponte Tancredo Neves (Argentina), 20 Km da Ponte da Amizade (Paraguai), 30 Km da Usina Hidrelétrica de Itaipu.

Paraná
Foz do Iguaçu – Cataratas do Iguaçu

Paraná
Foz do Iguaçu – Arvorismo no Parque Nacional do Iguaçu

Paraná
Praia de Santa Terezinha – Lago de Itaipú

Paraná
Guaíra – Pesca no Lago de Itaipu

Paraná
Foz do Iguaçu – Usina de Itaipu

Paraná
Foz do Iguaçu – Parque das Aves

Paraná
Foz do Iguaçu – Reservas Ambientais

Paraná
Foz do Iguaçu – Itaipu Binacional

Estradas e Caminhos – Centro do Paraná

Marcada pelos costumes campeiros, a região preserva a tradição rural, que desponta no charme das suas pousadas e parques rurais. Destaca-se também pela influência da colonização européia, principalmente dos alemães que se instalaram e formaram a Colônia de Entre Rios, que localizada em Guarapuava, combina o turismo com o sistema cooperativista num interessante roteiro.

Mas o Centro também é pontuado por inúmeras hidrelétricas no rio Iguaçu, formando imensos lagos que favorecem a prática de esportes náuticos e pesca esportiva.

O Parque Municipal São Francisco em Guarapuava abriga o Salto São Francisco, conhecido como a maior queda d’água do Sul do Brasil.

O Museu Regional do Iguaçu em Reserva do Iguaçu guarda um expressivo acervo regional, principalmente da flora e fauna local, se constituindo num marco arquitetônico e cultural, em meio a um atrativo horto florestal.

A Vila de Faxinal do Céu em Pinhão, também mostra a exuberância da flora local, principalmente no inverno, onde o colorido da vegetação é uma atração a parte.

O charque, comida típica ligada ao ciclo do tropeirismo, é divulgado no município de Candói, através de uma alegre festa com cavalgadas e pratos típicos.

Guarapuava é pólo da região, com seus parques, eventos e infra-estrutura de hospedagem e alimentação.

O que fazer na Região Turística Estradas & Caminhos – Centro do Paraná

Turismo Cultural na Região Estradas & Caminhos

A grande diversidade étnica presente no Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir os seus sentidos que irá descobrir os encantos da cultura paranaense.

Circuitos e Roteiros Turísticos: junto com Prudentópolis (Região Terra dos Pinheirais) e Palmeira, onde está a Colônia Witmarsum (Região Campos Gerais), a cidade de Guarapuava dá vida à Rota Eslavo-Germânica. No distrito de Entre Rios, em Guarapuava, existem cinco colônias eslavo-germânicas cujos moradores buscam manter seus traços culturais preservados.

Espaços Culturais: o principal destaque da Região Estradas & Caminhos é o Museu Regional do Iguaçu, na cidade de Reserva do Iguaçu, que guarda a memória ambiental e cultural da região. O museu desenvolve projetos de educação ambiental, palestras e exposições locais e itinerantes, e se encontra na Usina Hidrelétrica Governador Ney Aminthas de Barros Braga.

Turismo Gastronômico na Região Estradas & Caminhos

No Paraná as cidades são marcadas pelas festividades gastronômicas, eventos onde a culinária típica é apreciada em meio às manifestações culturais de cada localidade. No estado também é possível apreciar a gastronomia dos tropeiros que por aqui passaram e marcaram os costumes de algumas regiões, como é o caso da Região Estradas & Caminhos.

Nela ocorre a Festa Nacional do Charque, na cidade de Candói, anualmente ao mês de agosto. A festa relembra a origem e a história dos tropeiros e conta também com shows, rodeios e a cavalgada, pela qual cavaleiros de várias regiões percorrem o interior de Candói no intuito de manter a tradição de seus antepassados.

Turismo Rural na Região Estradas & Caminhos

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo.

Na Região Estradas & Caminhos se destacam os meios de hospedagem em meio à área rural, como por exemplo o Hotel Pesqueiro Papai Cogo em Porto Barreiro e a Pousada das Palmeiras em Foz do Jordão.

Turismo Religioso na Região Estradas & Caminhos

Pela grande diversidade cultural do Paraná, no estado existem algumas matrizes de tradições religiosas, sendo que na Região Estradas & Caminhos se destaca a Matriz Ocidental por conseqüência da presença do catolicismo.

A religião fundamentada nos ensinamentos de Jesus de Nazaré se manifesta na Catedral Nossa Senhora de Belém, fundada em 1819, e no Santuário Schoenstatt, em Guarapuava. Já em Laranjeiras do Sul se encontra a Praça do Cristo Rei, onde há uma escadaria em forma de coração, com a imagem do Cristo no topo de uma elevação, e o Santuário Nossa Senhora Aparecida, ornamentado com obras do artista local Benjamin Stankievski.

Turismo de Negócios e Eventos na Região Estradas & Caminhos

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo.

Na Região Estradas & Caminhos, é possível conhecer uma das hidrelétricas que geram riqueza ao Paraná e ao Brasil, a UHE Governador Bento Munhoz da Rocha Neto em Pinhão. Outro pilar de sucesso da economia paranaense é o agronegócio, sendo que as cooperativas tomam um espaço cada vez maior do setor. Na Região Estradas & Caminhos está presente a Cooperativa Agrária Agroindustrial de Entre Rios, que é modelo e referência na agricultura e agroindústria brasileira.

Paraná
Palmital – Barra Grande
Paraná
Grupo de dança Ucraniano Volenia
Paraná
Guarapuava – Casa do Imigrante
Paraná
Guarapuava – Lagoa das lágrimas
Paraná
Guarapuava – Salto São Francisco
Paraná
Turvo – Tradicionalismo Gaúcho

Vales do Iguaçu – Sudoeste do Paraná

Região marcada pelas agroindústrias, pelo clima frio e pela presença do rio Iguaçu, tanto pelas majestosas hidrelétricas como pelo início do Parque Nacional do Iguaçu, no município de Capanema. Nele o roteiro rural Doce Iguassu atrai visitantes em busca de produtos orgânicos e belas paisagens.

Privilegiada pela presença da cultura indígena na Reserva de Mangueirinha e pela insurgência de fontes de água hidromineral e termal, os encantos da região estão na sua bucólica paisagem rural e nos imensos lagos artificiais que convidam para o lazer e o entretenimento.

Sua produção de vinhos e queijos também merece destaque, principalmente em Mariópolis e Salgado Filho.

Pato Branco e Francisco Beltrão são municípios que oferecem infra-estrutura, eventos, gastronomia, hospedagem e parques de lazer.

Nos campos de Palmas está a Usina Elétrica Eólica e em Barracão, o Marco Divisório entre Paraná, Santa Catarina e Argentina.

O que fazer na Região Turística Vales do Iguaçu – Sudoeste do Paraná

Turismo Rural na Região Vales do Iguaçu

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo.

Roteiro Doce Iguassu:Uma opção para explorar as áreas rurais da Região Vales do Iguaçu é realizar o Roteiro Doce Iguassu, onde ocorrem visitas às diversas propriedades em que são produzidos mel, uva, abacaxi, mandioca, grãos, entre outros produtos. Além disso, no roteiro são oferecidos passeios de barco, de carro de boi e pesca esportiva. O visitante também pode entrar em contato com a realidade rural através de visitas às agroindústrias familiares e alambiques.

A grande surpresa da região está na Cratera de Impacto de Vista Alegre em Coronel Vivida, causada por um asteróide há 150 milhões de anos, com aproximadamente 9,5 km² de diâmetro, recém descoberta por pesquisadores. Um passeio intrigante para todos aqueles que gostam de conhecer a história da Terra e sua natureza.

Turismo Religioso na Região Vales do Iguaçu

Paz espiritual, harmonia, auto conhecimento, equilíbrio e purificação da mente são a busca daqueles que praticam o Turismo Religioso. Independente da religião, no Paraná todos esses sentimentos, aliados a um maior contato com a natureza e ao resgate de aspectos culturais, proporcionam aos visitantes uma experiência de fé para a qual são convidados a seguir por trilhas pacíficas de diálogo inter-religioso.

Na região Vales do Iguaçu os devotos católicos podem reafirmar a sua fé na Gruta de Santa Emília de Rodat, localizada no Distrito de Siqueira Bello, a 25 KM do município de Barracão.

Já em Francisco Beltrão os fiéis fazem do Morro do Calvário uma via-sacra até a imagem do Cristo Redentor, como forma de pagar promessas ou agradecer por milagres.

Turismo de Negócios e Eventos na Região Vales do Iguaçu

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo. Nos Vales do Iguaçu é possível conhecer a Usina Eólica de Palmas, onde durante a semana ocorrem visitas agendadas.

Além disso, a região também tem como ponto forte o agronegócio, com a Exposição Feira Industrial, comercial e Agropecuária de Francisco Beltrão (EXPOBEL).

Paraná
Bom Sucesso do Sul – Cristo Luz

Paraná
Barracão – marco das fronteiras Brasil – Argentina

Paraná
Capanema – por do sol no mirante do rio Iguaçu

Paraná
Barracão – Museu Histórico

Paraná
Palmas – Catedral Diocesana

Terra dos Pinheirais – Centro-Sul do Paraná

Localizada no centro-sul do Paraná, a região surpreende por sua condição privilegiada, com densas florestas de araucária, clima temperado, rios caudalosos e cultura rica e diversificada. Possui paisagens únicas e geografia acidentada que formam cachoeiras gigantes, com destaque para as de Prudentópolis e União da Vitória, com suas rotas que possibilitam caminhadas, canoagem, rapel e cachoeirismo.

Em grande parte dos municípios, podem-se apreciar as belezas naturais e ainda conhecer as culturas ucraniana, polonesa, italiana e alemã, que marcam a história e o cotidiano de seu povo. Merece destaque a gastronomia saborosa, o artesanato refinado e colorido, a dança, a música e a rica arquitetura que traduzem os diferentes usos e costumes culturais, que por si justificam uma viagem à região.

Os monumentos religiosos de Prudentópolis, Antonio Olinto, São Mateus do Sul, Irati e União da Vitória são um convite a espiritualidade.

Os eventos culturais e agroindustriais são diversos, mostrando a pujança existente, não só na agricultura, mas também na indústria têxtil de Imbituva, da erva mate de São Mateus do Sul e da madeira em União da Vitória e entorno.

As áreas rurais estão espalhadas por toda região, oferecendo hospedagem de qualidade, lazer, pesca e gastronomia.

O circuito polonês e ucraniano de Mallet é um convite ao lazer e à saúde, com a insurgência de água hidromineral sulfurosa.

O que fazer na Região Turística Terra dos Pinheirais – Centro-Sul do Paraná

Turismo Cultural nas Terras dos Pinheirais

A grande diversidade étnica do Paraná deu origem à uma variedade de atrativos culturais. Basta seguir seus sentidos e descobrir os encantos paranaenses. Tudo no Paraná transmite a riqueza e os costumes de seu povo!

As manifestações culturais, da mesma forma, são marcantes na Terra dos Pinheirais. Estão palpáveis em museus, monumentos civis e religiosos, na dança, música e gastronomia.

Eventos e Manifestações Culturais:a Terra dos Pinheirais é destaque para quem deseja se emocionar e testar seus talentos na música, na dança e na interpretação. Como na região a imigração ucraniana se fez muito presente, seguida da polonesa, as principais atrações são os grupos folclóricos ucraniano Kalena de União da Vitória, polonês Lublin de Irati e o ucraniano Vesselka, de Prudentópolis. Eles se apresentam
em apresentações agendadas e festas populares como a Koziá Festyvahl, que ocorre anualmente em Prudentópolis.

Circuitos e Roteiros Turísticos:na Terra dos Pinheirais você poderá se encantar com o Roteiro Histórico-Cultural de União da Vitória, compartilhado com a cidade vizinha Porto União, SC. Já Prudentópolis faz parte da Rota Eslavo-Germânica com outros municípios, como Guarapuava (Região Estradas & Caminhos) e Palmeira, onde está a Colônia Witmarsum (Região Campos Gerais).

Espaços Culturais:os principais destaques do patrimônio cultural da Terra dos Pinheirais são a Estação Ferroviária de União da Vitória, onde é possível conhecer uma Maria Fumaça, locomotiva símbolo da era ferroviária, e o Monumento Vapor Pery em São Mateus do Sul, um ícone dos tempos em que a navegação pelo Rio Iguaçu assegurava a circulação de riquezas, especialmente com o transporte da erva-mate.

Ecoturismo e Turismo de Aventura nas Terras dos Pinheirais

No Paraná a diversidade de roteiros e de atividades diferenciadas, aliadas à prática da aventura segura, proporciona uma mistura de grandes emoções e muita diversão.

A Terra dos Pinheirais é o destino ideal para práticas de Ecoturismo e Turismo de Aventura de forma segura e profissional! Conheça algumas das opções de turismo oferecidas na exuberante área natural da região:

Caminhada: no Paraná existem programas de caminhada realizados por operadoras especializadas e com excelentes opções de visitação e passeios. Como a Terra dos Pinheirais é famosa pela quantidade e qualidade de suas cachoeiras, uma destas opções é a chamada Rota das Cachoeiras, que compreende as cidades de Prudentópolis e de União da Vitória.

Arvorismo e Atividades Verticais: já para quem gosta das emoções nas alturas e deseja uma peculiar integração com a natureza, a Terra dos Pinheirais reserva lugares surpreendentes em Prudentópolis, como a RPPN Ninho do Corvo. Lá você poderá praticar arvorismo, escalada, rapel e tirolesa.

Turismo Rural nas Terras dos Pinheirais

Dos circuitos de turismo rural na agricultura familiar a hotéis fazenda, no Paraná a ruralidade toma conta do dia a dia. Ideal para quem quer contato com a cultura do homem do campo. Na Terra dos Pinheirais se destacam:

Circuito Polonês-Ucraniano:em Mallet o visitante pode percorrer o Circuito Polonês-Ucraniano, o qual permite um efetivo contato com a cultura dosimigrantes europeus que colonizaram a região.Ele agrega o conhecimento das duas etnias,áreas de lazer, produtos gastronômicos.

Meios de Hospedagem no meio rural:ainda em Mallet existe uma estância de água alcalina sulfurosa, com estrutura de hospedagem e lazer, o Hotel Fazenda Hidromineral Dorizzon.Também se destacam a Pousada Fazenda Virá, em Fernandes Pinheiro, e o Ózera Hotel Pousada em Prudentópolis.

Turismo Religioso nas Terras dos Pinheirais

Pela grande diversidade cultural do Paraná, no estado existem algumas matrizes de tradições religiosas, sendo que duas se destacam na Região Terra dos Pinheirais: a Matriz Oriental por conseqüência da presença do cristianismo ortodoxo, e a Matriz Ocidental com o catolicismo.

Cristianismo Ortodoxo:existente há quase 2.000 anos, o cristianismo ortodoxo é formado por diversas igrejas cristãs orientais que reconhecem os primeiros sete concílios ecumênicos: Nicéia, Constantinopla, Éfeso, Calcedônia, Constantinopla II, Constantinopla III e Nicéia II. Na Terra dos Pinheirais é possível conhecer a Igreja Nossa Senhora da Imaculada Conceição, em Antônio Olinto, e a Igreja Matriz São Josafat em Prudentópolis, de arquitetura bizantina, símbolos do cristianismo ortodoxo na região.

Catolicismo:a religião fundamentada nos ensinamentos de Jesus de Nazaré se manifesta na Imagem de Nossa Senhora das Graças, em Irati, bem como no Morro do Cristo de União da Vitória, que conta com uma escadaria de 219 degraus que leva à imagem do Sagrado Coração de Jesus. Em Mallet estão a Igreja de São Miguel Arcanjo, o Santuário de Nossa Senhora do Rosário e a Gruta de Nossa Senhora de Lourdes.

Turismo de Negócios & Eventos nas Terra dos Pinheirais

Da agropecuária à indústria, dos eventos técnicos aos comerciais, no Paraná a prosperidade dos setores econômicos acontece, destacando-o no Brasil e no mundo. O estado um dos melhores pólos para realização de negócios e eventos.

Na Terra dos Pinheirais, o município de Imbituva é tido como Capital das Malhas, tem uma marcante produção têxtil e a feira de malhas que promove anualmente no mês de maio é considerada uma das maiores do Brasil – a FEMAI Fest. Já União da Vitória se sobressai pelas indústrias madeireiras. Em Bituruna cresce o segmento de agroindústrias focadas no vinho e derivados, enquanto que São Mateus do Sul é famosa pela produção de erva-mate.

Paraná
União da Vitória – Igreja Nossa Senhora dos Navegantes
Paraná
União da Vitória – Rio Iguaçu
Paraná
Antonio Olinto – Igreja Ucraniana Nossa Senhora dos Corais
Paraná
União da Vitória – Locomotiva
Paraná
Turismo de Aventura

Gastronomia do Paraná

Paraná

A culinária paranaense é a mistura das influências de todos os povos que aqui chegaram ou dos que aqui já habitavam. Assim os índios paranaenses essencialmente coletores, tinham no pinhão, o alimento por excelência. Os coroados guardavam as sementes em cestos submersos em água corrente por 48 horas, sendo posteriormente secas ao sol, para serem consumidas fora da época de safra.

Até hoje o pinhão incorpora-se aos hábitos alimentares dos paranaenses, associados às festas juninas ou aos costumes do homem do campo como a sapecada, a paçoca ou ainda em saborosos pratos servidos em sofisticados restaurantes: croquetes, sopas, aperitivos, suflês e panquecas de pinhão…

PRATOS TÍPICOS

– Barreado
– Carneiro no Buraco
– Castropeiro
– Paçoca de Carne
– Pintado na Telha
– Porco no Rolete
– Quirera Lapiana
– Virado Lapeano

RECEITAS COM PINHÃO

– Aperitivos de Pinhão
– Bolo de Pinhão
– Bom-Bocado de Pinhão
– Croquetes de Pinhão
– Paçoca de Pinhão
– Panquecas de Pinhão
– Picadinho de Pinhão
– Pinhão ao Molho Branco
– Pudim de Pinhão
– Sopa Creme de Pinhão
– Suflê de Pinhão

Saiba mais sobre a Gastronomia do Paraná

A culinária paranaense é a mistura das influências de todos os povos que aqui chegaram ou dos que aqui já habitavam. Assim os índios paranaenses essencialmente coletores, tinham no pinhão, o alimento por excelência. Os coroados guardavam as sementes em cestos submersos em água corrente por 48 horas, sendo posteriormente secas ao sol, para serem consumidas fora da época de safra.

Até hoje o pinhão incorpora-se aos hábitos alimentares dos paranaenses, associados às festas juninas ou aos costumes do homem do campo como a sapecada, a paçoca ou ainda em saborosos pratos servidos em sofisticados restaurantes: croquetes, sopas, aperitivos, suflês e panquecas de pinhão.

Relativos a esses hábitos era comum entre os índios notadamente os xetás, ingerir folhas de erva-mate como alimento. Dali a herança do paranaense que, cultiva até hoje o costume de tomar chimarrão, chá-mate e outras formas de bebida e infusão.

É ainda de influência indígena na gastronomia, o conhecimento das frutas e raízes nativas, o preparo do milho e da mandioca na confecção das farinhas, do cuscuz, pamonhas e bijus, na pesca e na caça com a carne “moqueada” que é assada em buracos aquecidos.

De influência portuguesa, o Barreado originário dos sítios dos pescadores, com o decorrer do tempo, passou para as cidades litorâneas, onde é cultivado há aproximadamente 200 anos nos municípios de Antonina, Guaraqueçaba, Guaratuba, Morretes e Paranaguá.

Da expressão “barrear” a panela, com pirão de cinza e farinha de mandioca, para evitar que o vapor escape e o cozido seque depressa, vem o nome Barreado uma contribuição dos açorianos, que deu nome ao prato.

O Barreado representa fartura, festa e alegria, adotado como prato do período do entrudo – o precursor do carnaval, sendo sua característica a de que mesmo requentado, não perde o sabor original, o que liberava as pessoas durante os folguedos populares, não precisando cozinhar. Os ingredientes que compõem o Barreado constituem-se de carne, toucinho e temperos.

Antes, seu cozimento era feito pelos antigos habitantes do litoral em valas sobre um braseiro, levando cerca de 24 horas para que ficasse no “ponto”. Um verdadeiro ritual, para preparar àquele que se definiu como o prato típico do Paraná.

Com o Ciclo do Tropeirismo mudou não só o foco econômico do Estado, mas a cultura e os costumes, que sofreram influências dos locais por onde passaram os Tropeiros, que transportavam não só tropas, mas foram mensageiros de notícias, consolidadores de caminhos e fundadores de núcleos populacionais ao longo do percurso. Constituíram-se em elos de integração entre vilas, povoados do Brasil meridional e até do exterior, assimilando inclusive palavras de origem castelhana, como churrasco, charque, bombacha, arroio, incorporado ao linguajar do paranaense.

A gastronomia também sofreu influência das “andanças” dos tropeiros que assimilavam certos tipos de comidas disseminando-as por onde passavam. Desta maneira, as cidades nascidas de antigos “pousos” como a Lapa, Castro e Tibagi cultivam ainda hoje saborosos pratos como a Quirera Lapiana, o Virado de Feijão, o Arroz Tropeiro, o Castropeiro e a Paçoca de Pinhão com Charque.

Com os movimentos migratórios e imigratórios, os paranaenses incorporavam hábitos alimentares dos novos habitantes notadamente alemães, italianos, poloneses, ucranianos dos quais o costume de conservar a carne de porco imersa na banha, o uso da quirera de milho amarelo, o boi, o porco e o carneiro, assados inteiros no rolete.

Mais recentemente vários municípios instituíram pratos típicos, cultivando as tradições dos antepassados e os aspectos sócio-econômicos regionais, que muitas vezes traduzem-se em animados eventos gastronômicos, que fazem a delícia dos visitantes como:

– Concurso do Dourado Assado – Foz do Iguaçu
– Concurso do Porco à Paraguaia – Missal
– Festa da Costela – Apucarana
– Festa da Costela no Chão – Maria Helena
– Festa da Costela no Chão e Porco no Tacho – Iporã
– Festa da Leitoa ao Fogo-de-Chão – Santo Antonio da Platina
– Festa da Leitoa Desossada à Pururuca – Paraíso do Norte
– Festa da Leitoa Entrincheirada – Juranda
– Festa da Leitoa Fuçada – Janiópolis
– Festa da Leitoa Mateira – Mamborê
– Festa da Leitoa no Tacho – Lobato e Ribeirão Claro
– Festa da Piapara na Telha – Alto Paraíso
– Festa da Tainha – Paranaguá
– Festa da Tilápia – Porecatu
– Festa da Vaca Atolada – Boa Esperança
– Festa do Boi no Rolete – Altônia, Engenheiro Beltrão, Marechal Cândido Rondon, Planalto, – Ribeirão Claro, Santa Fé e Santa Terezinha de Itaipu
– Festa do Borrego no Rolete – Irati
– Festa do Caranguejo – Pontal do Paraná
– Festa do Carneiro ao Molho Procopense – Cornélio Procópio
– Festa do Carneiro ao Vinho – Peabiru
– Festa do Carneiro Desossado e Recheado – General Carneiro
– Festa do Carneiro no Buraco – Campo Mourão
– Festa do Carneiro no Rolete – Carambeí, Piraquara e Ribeirão Claro
– Festa do Charque – Candói
– Festa do Charque a Vapor – São Mateus do Sul
– Festa do Costelão – Luiziana, Maripá, Palotina e Santa Helena.
– Festa do Costelão ao Fogo-de-Chão – Paranavaí
– Festa do Cupim Assado – Pato Bragado
– Festa do Cupim Noroeste – Alto Paraná
– Festa do Dourado na Grelha – Medianeira
– Festa do Dourado no Carrossel – Itaipulândia
– Festa do Frango – Bom Sucesso, Cafelândia, Novo Itacolomi, Toledo e Umuarama
– Festa do Frango Caipira Graciosa – Quatro Barras
– Festa do Frango Desossado e Recheado – Maripá
– Festa do Frango, Polenta e do Vinho – Curitiba
– Festa do Lambari – Porto Vitória
– Festa do Leitão a Dois Vizinhos – Dois Vizinhos
– Festa do Leitão à Pururuca – Engenheiro Beltrão
– Festa do Leitão à Sarandi – Toledo
– Festa do Leitão a Xaxim – Toledo
– Festa do Leitão Maturado – Goioerê
– Festa do Leitão na Grelha – Céu Azul
– Festa do Matambre Recheado – Pato Bragado
– Festa do Peixe na Telha – Marilena
– Festa do Pernil à Pururuca – Farol
– Festa do Pierogi – Araucária
– Festa do Pintado na Telha – Guaíra
– Festa do Pirá de Foz – Foz do Iguaçu
– Festa do Porco à Paraguaia – Céu Azul
– Festa do Porco na Lata – Mandaguaçu e Santo Inácio
– Festa do Porco no Rolete – Cidade Gaúcha, Mandaguaçu, Sertaneja e Toledo
– Festa do Porco Recheado e Assado ao Forno – Toledo
– Festival da Alcatra – Santa Helena
– Festival da Carne Suína – Medianeira
– Festival de Frutos do Mar – Pontal do Paraná
– Festival do Frango – Matelândia
– Galinhada Orgânica – Missal

Assim, na Região Oeste do Paraná, o Porco no Rolete é uma das principais atrações gastronômicas. Prato típico do município de Toledo que requer técnica e arte na hora do preparo.

O porco de aproximadamente seis meses é assado inteiro num rolete que gira sempre na mesma direção e velocidade. Um mês antes do abate, a alimentação do animal é trocada para que haja diminuição da banha sem a perda de peso.

Não há como precisar a origem desse prato, uma vez que o costume de assar animais inteiros no espeto, é comum a diversos povos. O município de Toledo foi colonizado basicamente por alemães e talvez por isso o Porco no Rolete leve uma quantidade de temperos refinados, como a alfazema, a noz-moscada o alecrim e muito vinho branco seco.

Cada assador tem seus próprios segredos na hora de preparar a carne. Sabe-se que mais de 30 ingredientes fazem parte do recheio, de acordo com o paladar e com a imaginação de cada um. A receita tradicional leva lingüiça calabresa, carne moída, milho verde, ervilha, palmito e cogumelos. Um dos segredos na hora de assar o animal consiste em furar o couro para que a gordura saia, o que facilita a digestão.

O Porco no Rolete leva cerca de 20 horas para ficar pronto. Segundo os gourmets, todo o sacrifício do preparo vale a pena.

Em maio de 1974, na sede campestre do Clube de Caça e Pesca de Toledo, entre uma cuia de chimarrão e uma caipirinha, aos acordes do violão e gaita, em torno de um braseiro onde se assa um churrasco temperado com muita história, bravatas apostas e desafios, clima ideal para uma grande idéia. Assim foi e assim se fez.

Celeste Vivian, progressista agricultor local, afirmou que sabia assar um porco inteiro recheado com temperos exóticos, enfiado num só espeto de madeira, que girava impulsionado manualmente. Desafio feito e aceito, nos dias seguintes o assunto passou a empolgar outros sócios do clube que começaram a formar equipes, com seus respectivos assadores.

A Diretoria do Clube de Caça e Pesca, juntamente com as equipes participantes, organizou o regulamento e convidou um grupo de pessoas de destaque na cidade para constituir um corpo de juízes degustadores. Estava criado o mais delicioso evento gastronômico do Brasil, a Festa do Porco no Rolete, cujo ponto alto é o torneio entre as equipes de assadores.

O prato típico de Campo Mourão, o Carneiro no Buraco, resgata o costume indígena de se cozinhar alimentos em buracos escavados no chão, para evitar o risco de provocar incêndios nas florestas. Existem indícios de que o prato incorpora costumes resultantes do intercâmbio acontecido por volta de 1580 com a chegada dos jesuítas ao continente sul-americano.

Esta forma inusitada de preparo da comida chamou a atenção de um grupo de pioneiros da cidade, que resolveu introduzir na receita uma série de inovações. Da primeira utilizada à atual, foram realizadas muitas experiências e adaptações para aprimorar a iguaria, que ao longo dos anos foi servida esporadicamente em encontros de amigos.

Na década de 80 a tradição se arraigou e autoridades e outros visitantes ilustres passaram a ser recepcionados no município sempre com Carneiro no Buraco. Campo Mourão instituiu a iguaria como prato típico e criou a Festa Nacional do Carneiro no Buraco em 1990, a partir de um movimento desencadeado pela confraria da Boca Maldita. O evento gastronômico é realizado sempre no segundo domingo de julho e tem por objetivo preservar e divulgar essa deliciosa tradição do município e de seus colonizadores.

O prato tem hoje um alto padrão de qualidade e está entre as comidas típicas mais conhecidas do Paraná. Agrada até mesmo os vegetarianos, em razão da grande quantidade de legumes e tubérculos. O Carneiro no Buraco divulga Campo Mourão em todo o Brasil e até em países vizinhos.

Fonte: www.turismo.pr.gov.br/ www.cidadao.pr.gov.br

Veja também

Hino Nacional da República Democrática do Congo

Debout Congolais PUBLICIDADE Debout Congolais (Levanta congolês) é o hino nacional da República Democrática do …

Locais Turísticos da República Democrática do Congo

BRAZZAVILLE PUBLICIDADE É um lugar muito interessante, muito verde, com uma Basílica, Mercados e o …

República Democrática do Congo

PUBLICIDADE O território que hoje leva o nome de República Democrática do Congo tem sido habitada por …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.