Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Esôfago  Voltar

Esôfago

 

O esôfago é um tubo muscular que vai da faringe até ao estômago.

Começa a cerca de 15 cm dos dentes incisivos e termina a cerca dos 38 cm. A sua única função é levar os alimentos até ao estômago.

Pode ser substituído por outro tubo que faça a mesma função.

Esôfago

Quando os alimentos são movimentados para a faringe pela língua, o EES -esfíncter esofágico superior - relaxa-se e permite a passagem dos alimentos para o esófago. Uma onda peristáltica iniciada na faringe percorre todo o esófago. O EEI - esfíncter esofágico inferior - relaxa-se para dar passagem aos alimentos para dentro do estômago.

A progressão da onda peristáltica através do esófago pode ser observada e registada se colocarmos sondas no esófago. Este registo da manometria do esófago pode ser útil no diagnóstico de algumas doenças do esófago que alteram a motilidade.

Como a pressão dentro do estômago é superior à pressão dentro do esófago são necessários mecanismos que impeçam, que o conteúdo do estômago ( alimentos, ácido clorídrico, pepsina, bílis etc. ), reflua para o esófago.

Essa prevenção do refluxo do conteúdo do estômago para o esófago depende da:

Pressão do EEI - esfíncter esofágico inferior

Gravidade

Da posição oblíqua da junção gastro-esofágica

Do esvaziamento rápido do estômago

Esôfago

Os mecanismos que impedem o refluxo do conteúdo estômago para o esófago falham com facilidade, e essa falência dá origem, à doença mais frequente do esófago: a Doença do Refluxo Gastro-Esofágico ( DRGE ).

A DRGE é das doenças mais frequentes do Aparelho Digestivo, e com frequência é causa de má qualidade de vida mas, raramente, tem complicações com alguma gravidade: a Estenose Péptica e o Esófago de Barrett.

Outras alterações do esófago, também frequentes, são geralmente anódinas, isto é , não tem significado clínico importante, não exigindo geralmente, nenhum tratamento: Divertículos, Anéis, Membranas, Hérnia do hiato.

As Esofagites, Infecciosas ou não, com excepção da esofagite péptica são situações pouco frequentes. Das alterações da motilidade, os Espasmos Difusos do Esófago, a Acalásia e o Esófago em Quebra-nozes são as doenças mais frequentes. O Cancro do Esófago é, felizmente, pouco frequente.

Investigação das doenças do esófago:

A endoscopia e a radiologia são os meios de diagnóstico mais utilizados no estudo do esófago. A pHmetria e a manometria podem ajudar a esclarecer alguns situações.

A eco-endoscopia e a TAC -tomografia axial computorizada - pode ser útil para avaliar a extensão de alguns tumores. A biopsia e a citologia são de capital importância para o diagnóstico de algumas lesões do esófago.

Fonte: www.gastroalgarve.com

Esôfago

esôfago é um órgão tubular que tem como função conduzir o alimento da faringe até o estômago. Possui aproximadamente 25 cm de comprimento desde sua origem que é ao nível de vértebra cervical de número 6 até a junção esofagogástrica que está localizada ao nível de vértebra torácica de número 11.

De acordo com sua localização, o esôfago pode ser classificado em esôfago cervical, torácico ou abdominal. Durante seu trajeto ele relaciona-se com determinadas estruturas que poderão comprimi-lo e desde modo diminuir seu lúmen que geralmente é de aproximadamente 22 mm. Estas estruturas são, de cima para baixo, a cartilagem cricóide ( ao nível de vértebra cervical de número 6), o arco da aorta (no mediastino superior), o brônquio principal esquerdo (logo abaixo da constrição aórtica) e finalmente o diafragma que permite a passagem do esôfago pelo hiato esofagiano.

Estas estruturas podem ser observadas indiretamente através de exames contrastados de esôfago como por exemplo após a deglutição de bário, estes exames também mostram estruturas adjacentes ao esôfago que podem estar alteradas. Um exemplo é a cardiomegalia por aumento de átrio esquerdo que produzirá um abaulamento posterior no esôfago torácico próximo ao hiato esofagiano.

O esôfago é constituido por musculatura de dois tipos. O esôfago cervical e o início do esôfago torácico é formado por musculatura estriada e a medida que ele aprofunda-se pelo tórax sua musculatura sofre uma transição para músculo liso de modo que no terço inferior do esôfago é predominante a musculatura lisa. Esta característica da disposição da musculatura é que determinará a velocidade de passagem do alimento mais lentamente no seu terço inferior. Uma vez dentro do esôfago,o alimento será impulsionado pelo peristaltismo próprio do esôfago, e este é produzido através de ondas que são classificadas em primárias, secundárias e algumas vezes terciárias.

As relações anatômicas do esôfago cervical são: posteriormente a coluna vertebral desde vértebra cervical de número 6 até vértebra torácica de número 1, anteriormente relaciona-se com a traquéia intimamente, lateralmente está separado por fáscias dos grandes vasos do pescoço como por exemplo a carótida comum e sua divisão, a veia jugular interna, nervo vago e nervo hipoglosso.

esôfago torácico atravessa o mediastino superior e posterior, sendo que no mediastino superior relaciona-se com o arco da aorta e com a divisão da traquéia em brônquios principais direito e esquerdo. Já no mediastino posterior ele atravessa um espaço localizado entre os dois pulmões, isto também é observado no mediastino superior, passa por trás do coração e atinge a abertura do diafragma ( hiato esofagiano).Tanto no mediastino superior como no mediastino posterior o esôfago relaciona-se posteriormente com a coluna vertebral.

esôfago abdominal é a menor parte do esôfago, geralmente com apenas 2 cm de comprimento, logo após atravessar o hiato esofagiano o esôfago desvia-se para a esquerda e alcança o estômago na junção esofagogástrica.

A junção esofagogástrica é uma região de muita importância pois nesta área encontra-se um esfíncter,chamado esfíncter esofagiano inferior, que evita o refluxo gastroesofagiano. Parece ter também muita importância neste mecanismo o fato do esôfago estar localizado ( pelo menos por 2 cm ) dentro da cavidade abdominal, uma vez que a pressão positiva dentro do abdome colabaria a porção abdominal do esôfago evitando desta forma o refluxo do estômago para o esôfago. Quando ocorre um desarranjo desta porção do esôfago, como por exemplo na hérnia de hiato esofagiano por deslizamento, observamos refluxo para o esôfago e posterior esofagite.

Esôfago

O esôfago é um canal muscular com cerca de 23 a 25 cm de comprimento e 2 a 3 cm de largura, estende-se da faringe ao estômago; é a parte mais estreita do tubo digestivo.

Desde a origem até a terminação, o esôfago atravessa necessariamente a parte inferior do pescoço, a cavidade torácica, o diafragma e a parte superior da cavidade abdominal.

É um órgão situado na linha mediana, na frente da coluna vertebral. Termina lançando-se no estômago ao nível da cárdia.

O bolo alimentar chega ao estômago, empurrado pelas contrações do esôfago, são os chamados movimentos peristálticos, também executados pelo estômago e intestino.

O estômago é uma bolsa de parede musculosa, localizada no lado esquerdo abaixo do abdome, logo abaixo das últimas costelas. É um órgão muscular que liga o esôfago ao intestino delgado.

Sua função principal é a decomposição dos alimentos. Um músculo circular, que existe na parte inferior, permite ao estômago guardar quase um litro e meio de comida, possibilitando que não se tenha que ingerir alimento de pouco em pouco tempo. Quando está vazio, tem a forma de uma letra "J" maiúscula, cujas duas partes se unem por ângulos agudos.

Segmento Superior

O segmento superior é o mais volumoso, chamado "porção vertical". Este, compreende, por sua vez, duas partes superpostas; a grande tuberosidade, no alto, e o corpo do estômago, abaixo, que termina pela pequena tuberosidade.

Segmento Inferior

O segmento inferior é denominado "porção horizontal", está separado do duodeno pelo piloro, que é um esfíncter. A borda direita, côncava, é chamada pequena curvatura; a borda esquerda, convexa, é dita grande curvatura. O orifício esofagiano é o cárdia.

As túnicas

O estômago compõe-se de quatro túnicas; serosa (o peritônio), muscular (muito desenvolvida), submucosa (tecido conjuntivo) e mucosa (que secreta o suco gástrico). Quando está cheio de alimento, torna-se ovóide ou arredondado. O estômago tem movimentos peristálticos que asseguram sua homogeneização.

Suco Gástrico

O estômago produz o suco gástrico, um líquido claro, transparente, altamente ácido, que contêm ácido clorídrico, muco e várias enzimas, como a pepsina, a renina e a lipase. A pepsina, na presença de ácido clorídrico, quebra as moléculas de proteínas em moléculas menores. A renina coagula o leite, e a lipase age sobre alguns tipos de gordura. A mucosa gástrica produz também o fator intrínseco, necessário à absorção da vitamina B12.

Fonte: www.compuland.com.br/www.www.gastroplastiabrasil.com.br

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal