Breaking News
Home / Corpo Humano / Sistema Linfático

Sistema Linfático

PUBLICIDADE

Sistema Linfático – Definição

sistema linfático é formado por uma rede de tubos finos que percorrem todo o corpo, chamados vasos linfáticos, e órgãos ovais, chamados nódulos linfáticos, que coletam e filtram a linfa.

À medida que o sangue flui por todo o corpo, um fluido fino e amarelo chamado plasma vaza dos vasos sanguíneos e se mistura com o fluido intersticial e a água para envolver as células em diferentes tecidos.

Essa mistura contém alimento para as células, células do sangue que são importantes para a imunidade e também resíduos eliminados pelas células. Ele drena para os vasos linfáticos, após o qual é chamado de linfa, e então é transportado para os nódulos linfáticos, que contêm células do sistema imunológico.

Como o sistema linfático não tem como mover o fluido sozinho, ele depende do movimento dos músculos do corpo para empurrar o fluido e de válvulas para mantê-lo na direção certa.

sistema linfático recolhe o líquido que está entre os tecidos que ainda não passaram para a circulação sanguínea, filtrando o líquido e reconduzindo-o a circulação sanguínea venosa.

Uma vez nos nódulos linfáticos, o fluido é filtrado, todos os organismos causadores de doenças são mortos. Outros órgãos que atuam com esse sistema incluem o baço, que remove os glóbulos vermelhos mortos ou danificados e contém glóbulos brancos para combater doenças, e o timo, que produz mais glóbulos brancos.

As amígdalas e adenóides também trabalham com este sistema e protegem o sistema digestivo e o sistema respiratório especificamente.

O que é o sistema linfático?

sistema linfático é um sistema extenso e interconectado de vasos, espaços e nódulos no corpo que circulam a linfa, um fluido feito de proteínas e outros fluidos. A linfa é inicialmente parte do sangue, mas conforme o sangue flui pelo corpo, a linfa vaza lentamente, levando substâncias perigosas consigo e filtrando essas substâncias através dos nódulos linfáticos, que prendem essas substâncias. Com o tempo, a linfa percorre lentamente o corpo, eventualmente reentrando no coração para que possa circular novamente.

Muitas pessoas estão familiarizadas com o sistema circulatório, que movimenta o sangue pelo corpo, mas podem não estar tão familiarizadas com o sistema linfático, porque ele não é tão chamativo. No entanto, esse sistema ainda é extremamente importante, pois a linfa desempenha uma série de funções vitais no corpo, especialmente no contexto do sistema imunológico. Você provavelmente já viu sua própria linfa; se um corte já vazou um líquido claro, foi linfa.

A linfa pode ser encontrada em todo o corpo, preenchendo os espaços entre os músculos, órgãos e outras estruturas do corpo e circulando por meio de uma série de válvulas que permitem que a linfa flua apenas em uma direção. Ao contrário do sangue, a linfa não tem uma bomba central, contando com as contrações musculares e outras funções naturais do corpo para forçar a linfa através do sistema linfático, onde eventualmente drenará para o ducto torácico, o que leva a linfa de volta ao coração.

A linfa gera vários tipos de células importantes para o sistema imunológico e também aprisiona substâncias que o corpo identifica como perigosas. Ele também desempenha um papel no transporte de ácidos graxos e outras substâncias, ajudando o trato digestivo a processar os alimentos de forma mais eficiente. Conforme a linfa circula, passando pelos nódulos linfáticos, ela se torna mais turva, abandonando materiais potencialmente perigosos e buscando outros para quarentena para manter o corpo saudável.

Danos ou interrupções neste sistema podem resultar em uma série de condições médicas. Você pode estar familiarizado com o linfedema, uma doença em que a linfa se acumula nos membros porque não consegue circular. O linfoma também está relacionado ao sistema linfático, como o nome indica, e a elefantíase também está relacionada à perturbação do sistema linfático. Você também pode notar que seus gânglios linfáticos ficam inchados quando você está doente, porque seu corpo está isolando o agente responsável por ajudá-lo a melhorar.

Qual é a relação entre o sistema linfático e a imunidade?

sistema linfático e a imunidade estão intimamente ligados, pois o sistema linfático é uma parte importante do sistema imunológico.

sistema imunológico é um grupo de órgãos e estruturas associadas que ajudam a proteger o corpo de possíveis intrusos. Esses intrusos vêm na forma de corpos estranhos, mais comumente chamados de antígenos.

O sistema imunológico também protege contra vírus e quaisquer outras ameaças à saúde de um indivíduo. O sistema linfático e a imunidade estão correlacionados nesses processos de proteção.

Para melhor compreender a relação entre o sistema linfático e a imunidade, é importante desenvolver uma compreensão de cada sistema individualmente. O sistema linfático pode ser dividido em componentes.

As estruturas envolvidas incluem nódulos linfáticos e troncos. Quando o líquido intersticial precisa retornar ao coração, ele deve passar por essas estruturas.

O sistema linfático atua como um filtro antes que o fluido retorne ao coração. Além disso, esse sistema produz linfócitos.

O sistema linfático é uma parte do sistema imunológico

Os linfócitos são a parte ativa dos gânglios linfáticos, que atuam na defesa contra os microrganismos potencialmente perigosos.

Se esses organismos e corpos estranhos se manifestarem no sangue ou em outro fluido de uma pessoa, eles acabarão circulando pelos nódulos linfáticos. Este é o ponto em que os linfócitos agem para livrar o corpo de agentes prejudiciais antes de devolver o fluido filtrado ao coração para circulação.

Existem seis localizações de nós primários distribuídos por todo o corpo de uma forma que cobre a maioria das regiões uniformemente.

Depois que o fluido flui pelos nódulos filtrantes, ele é drenado para troncos linfáticos maiores antes de finalmente encontrar um dos dois dutos principais em seu caminho para as grandes veias que levam ao coração.

Essa sequência de drenagem permite que o fluido potencialmente impuro e adulterado de todas as regiões do corpo chegue ao sistema de circulação central de maneira purificada.

A imunidade é importante para manter os humanos vivos. Existe neste universo um número incrivelmente alto de criaturas e organismos nocivos, todos voltados para a própria sobrevivência.

Seus mecanismos de sobrevivência às vezes visam outros seres, como humanos, no processo, e isso cria um ambiente perigoso do qual os humanos precisam ser protegidos. Felizmente, o corpo desenvolveu uma série de maneiras de combater esse dano potencial.

sistema linfático e a imunidade trabalham juntos para atingir o nível de segurança necessário para maximizar a chance de sobrevivência da espécie humana.

Sistema Linfático – Função

Fazer retornar à corrente sanguínea substâncias vitais, na maioria proteínas que escapam dos capilares (recolhem o líquido tissular que não retornou aos capilares sanguíneos, filtrando-o e reconduzindo-o à circulação sanguínea).

A bsorção de lípidos e vitaminas lipossolúveis no tubo digestivo.

Intervenção na defesa do organismo. (atua na defesa produzindo linfócitos, aprisionando agentes agressores e produzindo anticorpos.

Compõe o Sistema Linfático na defesa: a linfa (como meio de transporte), os Ganglios, os linfócitos, as tonsilas (faríngeas, palatinas e sublingual), o timo, o baço e o apêndice).

É constituído pela linfa, vasos e órgãos linfáticos.

Suas funções são:

Realizar a drenagem para  eliminar o excesso de líquido intersticial
Restaurar as proteínas ao sistema circulatório
Realizar o transporte de lipídios e vitaminas
Conferir imunidade

O sistema linfático é formado pela linfa, vasos e órgãos linfáticos.

Os capilares linfáticos são vasos microscópicos nos espaços intersticiais  de muitos órgãos e tecidos  que recolhem os líquidos e toxinas  em demasia que formam a linfa.

Papel do sistema linfático

Sistema Linfático

linfa tem importante papel de drenadoras retirando do interstício celular os detritos e macromoléculas que as células produzem durante seu metabolismo.

Além disso os microrganismos, patogênicos, drenados pelo sistema linfático, ao passar pelo filtros dos linfonodos (gânglios linfáticos) e baço são eliminados. Por isso, durante certas infecçoes pode-se sentir dor e inchaço nos gânglios linfáticos do pescoço, axila ou virilha, conhecidos popularmente como íngua, como também no baço.

O que é drenagem linfática?

drenagem linfática é a função natural do sistema linfático, que é uma parte essencial da imunidade. Se essa função não estiver funcionando corretamente, pode causar um acúmulo de líquido nos tecidos, bem como problemas médicos mais sérios, como linfagite e linfoma. Embora a maioria das doenças causadas pela má drenagem linfática seja tratável, algumas requerem hospitalização imediata e cuidados médicos imediatos, uma vez que podem se espalhar facilmente por todo o corpo.

Também existe um tipo de massagem terapêutica chamada Terapia de Drenagem Linfática para ajudar esse sistema a funcionar e para tratar algumas das condições associadas ao sistema linfático.

Problemas com drenagem linfática

Como o sistema linfático desempenha um papel tão importante na imunidade, problemas com a drenagem linfática podem causar problemas de saúde muito graves.

Quando os vasos linfáticos ou nódulos estão danificados ou ausentes, o fluido não consegue se mover rapidamente para longe de uma área do corpo. Isso faz com que ele se acumule no tecido corporal circundante, causando seu inchaço. Isso é chamado de linfedema. Se o fluido permanecer no tecido por um longo período de tempo, pode impedir o transporte de oxigênio da corrente sanguínea para as células do tecido e interferir na cicatrização de feridas.

Se o inchaço não for tratado, pode levar ao endurecimento do tecido muscular, deterioração da pele, perda de movimento na área e, em alguns casos, uma infecção bacteriana chamada linfagite.

Essa condição faz com que os vasos linfáticos fiquem inchados, inflamados e doloridos, e linhas vermelhas podem aparecer ao longo da pele acima dos vasos.

Requer atenção médica imediata para evitar que se espalhe por todo o corpo e geralmente é tratado com analgésicos, antibióticos e medicamentos antiinflamatórios.

Pessoas com drenagem linfática gravemente comprometida também podem ter linfoma, um tipo de câncer. Existem cerca de 40 tipos diferentes desse tipo de câncer, que geralmente são divididos em linfoma de Hodgkin e não-Hodgkin. Pessoas com essa condição são geralmente mais propensas a infecções do que outras, uma vez que seu sistema imunológico está comprometido, e também podem ter dores de cabeça, suores noturnos e perda de peso inexplicável. É importante tratar essa condição rapidamente, pois ela pode se espalhar facilmente por todo o sistema e se tornar fatal.

O tratamento geralmente consiste em quimioterapia ou radiação.

Terapia de Drenagem Linfática

Terapia de Drenagem Linfática consiste em movimentos específicos que são usados para empurrar levemente a linfa através do sistema, ajudando-a a drenar para fora dos tecidos e se mover por todo o corpo.

Esse tratamento é comumente usado para ajudar no linfedema, que pode ser causado por problemas cardíacos, uso de roupas justas e lesões como entorses e fraturas.

Às vezes também acontece um efeito colateral de tratamentos de quimioterapia e cirurgias feitas para remover câncer de mama, câncer de cólon e câncer de próstata. Durante uma sessão de Terapia de Drenagem Linfática, o massoterapeuta pressiona e move suavemente as mãos ao longo do corpo em direções específicas.

Por exemplo, se os braços e as pernas de uma pessoa estão inchados, o massagista pode esfregar os dois lados do pescoço com um movimento para baixo.

Embora esse tratamento possa ser muito útil, geralmente não é adequado para pessoas com certos tipos de câncer, pois pode estimular a disseminação do câncer por todo o corpo; bem como aqueles com doenças cardíacas graves ou problemas circulatórios, infecções graves ou hemorragias internas. Alguns massoterapeutas ainda fazem drenagem linfática em pessoas com essas condições, mas podem trabalhar apenas com uma parte do corpo em vez de toda ela. Este tratamento geralmente é usado junto com outros tratamentos, como exercícios para promover a circulação, terapia de compressão, antiinflamatórios e compressas de gelo. As pessoas também podem aprender a fazê-lo em casa, mas só devem ser treinadas por um massoterapeuta médico e só devem fazê-lo após falar com um profissional de saúde para evitar complicações.

Fisiologia e papel do sistema linfático

O sistema linfático é parte importante do sistema imunológico do corpo, fornecendo defesas contra infecção e alguns outros tipos de doença, inclusive o câncer.

Um fluido chamado linfa circula pelos vasos linfáticos e transporta os linfócitos, um tipo de glóbulo branco do sangue pelo corpo.

Os vasos linfáticos passam através dos linfonodos, que contêm grande quantidade de linfócitos e atuam como filtros, confinando organismos infecciosos como bactérias e vírus.

Os linfonodos tendem a se aglomerar em grupos ? por exemplo, há grandes grupos nas axilas, no pescoço e na virilha.

Quando uma parte do corpo fica infeccionada ou inflamada, os linfonodos mais próximos se tornam dilatados e sensíveis. Isso é o que acontece, por exemplo, quando uma pessoa com a garganta inflamada desenvolve gânglios inchados no pescoço. O fluido linfático da garganta escoa para os linfonodos no pescoço, nos quais o organismo infeccioso pode ser destruído e impedido de se espalhar para outras partes do corpo.

TIMO

Órgão achatado, de um rosa-cinzento, com dois lobos localizados na frente da aorta e atrás do externo, formados por uma massa cinzenta. Seu tamanho aumenta durante infância e, com o passar dos anos diminuindo de tamanho lentamente.

Função

Tem um papel critico no desenvolvimento e proteção do organismo. Produz uma hormona chamado Timozina.

Combate a invasão por microorganismos infecciosos e também atua na identificação e destruição de qualquer coisa que possa ser descrita como não própria, incluindo transplantados e células malignas.

Nele precursoras células T oriundas da medula óssea recebem definitiva transformação atuando eficientemente nas infecções crónicas, micoses e viroses.

Fonte: www.visiblebody.com/www.medicinageriatrica.com.br/www.wisegeek.org/www.roche.com.br/www.ajudalunos.com/www.macmillan.org.uk

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Córtex auditivo

PUBLICIDADE Córtex auditivo – Definição O córtex auditivo executa uma variedade de funções que nos permitem segregar …

Hipotálamo

PUBLICIDADE O que é o hipotálamo? O hipotálamo é a pequena estrutura em forma de cone dentro …

Sistema Nervoso Simpático

PUBLICIDADE Sistema Nervoso Simpático – Definição O sistema autônomo é composto de duas divisões, os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.