Breaking News
Home / Corpo Humano / Pâncreas

Pâncreas

PUBLICIDADE

Pâncreas – O que é

Pâncreas, órgão dentro do corpo que desempenha um importante papel na digestão da comida, também produz a insulina, o principal químico no corpo responsável pelo equilíbrio dos níveis de açúcar no sangue.

pâncreas é um órgão relativamente pequeno, que pesa em torno de 100g e tem cerca de 15cm de comprimento.

A palavra pâncreas é formada dos elementos gregos pan (pag), todo + kréas, carne (todo carne). Esta denominação é atribuída a Herophilus (300 AC), médico de Alexandria, considerado o Pai da Anatomia, por ter sido o primeiro a realizar dissecções públicas em corpos humanos e de animais.

Glândula Mista produz suco pancreático (que segue direto para o duodeno) e insulina (direto para a circulação), além de outros hormônios como glucagon e somatostatina.

Situa-se na porção superior do abdômen, próximo à coluna vertebral. È dividido m cabeça, corpo e cauda, sendo que a cabeça fica à direita do organismo (encaixada no duodeno) e a cauda à esquerda (próxima ao baço).

Possui em seu interior o ducto pancreático que leva o suco biliar do pâncreas para o duodeno.

pâncreas é subdividido em pequenos lobos, com ductos que penetram em ductos principais. Adiante com o ducto biliar, o ducto pancreático penetra no intestino delgado para liberar a secreção através de um pequeno orifício na parede da segunda porção do duodeno chamado de papila duodenal maior (que também recebe a bile).

Esta secreção é conhecida como suco pancreático, de qual aproximadamente 1,5 litros são produzidos diariamente. Ela contém enzimas capazes de digerir todos os tipos de alimentos – proteínas, gorduras e carboidratos. Estas enzimas são ativadas no intestino delgado quando necessárias. O suco pancreático é altamente alcalino, para ajudar a neutralizar a acidez do alimento que acabou de deixar o estômago.

No suco pancreático há enzimas digestivas capazes de atuar no processo de digestão: tripsina, lípase, amilase, quimiotripsina, calicreína, elastase, etc…).

Estas enzimas auxiliam na quebra de moléculas de proteína, lipídios e carboidratos.

Vários hormônios são também produzidos no pâncreas. Isto ocorre devido a um grupo especializado de células – Ilhotas de Langerhans – dispersas através do tecido.

Os dois principais hormônios são insulina e glucagon, que regulam o metabolismo dos carboidratos. Outros hormônios controlam a liberação do suco pancreático.

pâncreas não é somente uma glândula, endócrina, pois este órgão constitui uma glândula de secreção externa; produz, na verdade, o suco pancreático, que serve para digerir os alimentos e que é lançado no duodeno por um ducto que percorre o pâncreas em toda a sua extensão.

Num corte do pâncreas, contudo, notam-se “ilhas” de substância formada de células diversas das do resto da glândula: são as ilhotas de Langerhans, que são dotadas, justamente, de urna função endócrina.

As ilhotas de Langerhans produzem um hormônio: a insulina, da qual a função é permitir a utilização dos açúcares por parte dos tecidos e em particular dos músculos, para cuja atividade o açúcar é fundamental.

Localização

Pâncreas

pâncreas mede 25 cm e localiza-se atrás do estômago, no lado esquerdo do corpo.

Seu formato é parecido com o de um girino, com uma cabeça e uma cauda longa. A cabeça é achatada no intestino, dentro do qual o estômago esvazia os alimentos parcialmente digeridos.

O pâncreas também é conectado ao fígado e ao intestino.

O que o pâncreas faz?

pâncreas produz substâncias químicas que são essenciais para a regulação do açúcar no sangue e uma digestão adequada. É uma glândula abdominal e está situada na cavidade abdominal, atrás do estômago, perto do duodeno, com a cabeça apontada para o intestino delgado. Tanto o sistema exócrino quanto o endócrino utilizam esse órgão.

sistema endócrino do nosso corpo regula os hormônios e outras substâncias por meio de seu acesso direto à corrente sanguínea, células e órgãos.

O sistema exócrino funciona por meio de dutos para digerir os alimentos no trato intestinal.

O Pâncreas regula o açúcar no sangue

Hormônios importantes secretados pelo pâncreas incluem insulina e glucagon, que mantêm os níveis adequados de açúcar em todo o corpo e são vitais para o funcionamento correto do sistema endócrino.

As partes do pâncreas responsáveis pela produção de hormônios são chamadas de Ilhotas de Langerhans, que são pequenos grupos de células separadas das funções exócrinas da digestão dos alimentos.

Quando o açúcar não processado precisa ser convertido no tipo de energia que as células usam, ele viaja para o fígado; uma vez no fígado, o glucagon decompõe a variedade de glicogênio do açúcar e libera seus componentes no sangue. A insulina então aparece no local das células para ajudá-las a absorver facilmente o açúcar.

Este é o processo que mantém o açúcar no sangue de um não diabético em níveis saudáveis.

O Pâncreas ajuda na digestão adequada

Em sua segunda função, o pâncreas cria sucos digestivos como um membro do sistema exócrino. Esses fluidos devem quebrar os nutrientes que os ácidos do estômago não eram eficazes em metabolizar.

Como o pâncreas fica muito próximo ao intestino delgado, muitos dutos fluem de sua cabeça para transportar as enzimas para o duodeno, que é o início do intestino delgado.

Os sucos começam alcalinos no pâncreas, mas quando encontram substâncias banhadas no ácido do estômago no duodeno, tornam-se ácidos. Essas enzimas incluem a lipase, que digere gordura, tripsina ou proteína, e uma que atua nos carboidratos, a amilase. Os nutrientes resultantes podem ser distribuídos mais abaixo no intestino delgado.

Doenças Pancreáticas Comuns

As doenças associadas ao pâncreas incluem diabetes, câncer pancreático, pancreatite e fibrose cística, entre muitas outras.

O diabetes também pode se tornar um problema quando o pâncreas não está funcionando adequadamente. Qualquer interferência nos níveis de insulina ou enzima pode causar estragos na saúde de uma pessoa, seja devido aos genes ou à dieta. Muitas doenças pancreáticas podem ser diagnosticadas por meio de tomografia computadorizada (TC), ressonância magnética (MRI) e ultrassom de alta resolução; às vezes, a cirurgia pode ser realizada para tratar a doença.

Qual é o papel do pâncreas no sistema digestivo?

pâncreas desempenha duas funções principais no corpo. Ele produz hormônios como a insulina e produz enzimas digestivas. O papel do pâncreas no sistema digestivo é secretar enzimas para o intestino delgado.

A maior parte do tecido do órgão é digestivo ou exócrino. As enzimas secretadas pelo pâncreas no sistema digestivo ajudam a quebrar ainda mais os alimentos.

O alimento nunca passa pelo próprio pâncreas durante o processo de digestão.

Como o pâncreas desempenha duas funções no corpo, ele é composto de dois tipos diferentes de tecido. O tecido exócrino, ou ácinos, constitui 95 por cento do órgão. O tecido endócrino, ou ilhotas de Langerhans, constitui o restante do órgão. As ilhotas produzem os hormônios insulina, glucagon e somatostatina, que regulam os níveis de açúcar na corrente sanguínea.

pâncreas no sistema digestivo é responsável pela produção de uma média de 1 litro (2 litros) de enzimas digestivas por dia.

As enzimas são liberadas quando o alimento entra na porção superior do intestino delgado, o duodeno.

A mistura de enzimas é alcalina e contém uma grande quantidade de bicarbonato de sódio para ajudar a neutralizar o ácido do estômago.

Normalmente, a mistura de enzimas produzida pelo pâncreas no sistema digestivo contém quatro enzimas.

Cada enzima decompõe um nutriente diferente nos alimentos para que possa passar facilmente pelo trato digestivo. A amilase decompõe os carboidratos, enquanto a lipase decompõe a gordura em colesterol e ácidos graxos. Duas enzimas, tripsina e quimiotripsina, são responsáveis por quebrar as proteínas.

O papel do pâncreas no sistema digestivo é importante. Se o órgão deixar de produzir enzimas suficientes para decompor os alimentos de maneira adequada durante sua passagem pelo intestino, a pessoa pode perder peso ou ter problemas de estômago. Quando não há produção de enzimas digestivas suficientes, o corpo é incapaz de absorver os nutrientes dos alimentos, levando à desnutrição e perda de peso. Algumas pessoas têm diarreia porque os alimentos não se movem adequadamente pelo sistema digestivo.

Outros problemas, como pancreatite, podem afetar negativamente o papel do órgão no sistema digestivo. Quando uma pessoa tem pancreatite, o bloqueio impede o órgão de liberar enzimas.

O bloqueio pode ser um cálculo biliar ou um tumor. Em vez disso, as enzimas digestivas se acumulam no pâncreas, em alguns casos causando danos permanentes ao órgão.

A cirurgia pode ser necessária para remover o bloqueio e tratar a doença.

Função do pâncreas

pâncreas produz químicos chamados enzimas. Essas são essenciais à digestão dos alimentos, pois os quebram em partículas bem pequenas, o que facilita a absorção pelo organismo.

As enzimas são produzidas em pequenas glândulas no pâncreas e, depois, circulam pelo órgão dentro da primeira parte do intestino.

Os sucos digestivos produzidos no pâncreas não são ativos até que tenham alcançado o intestino. As principais enzimas produzidas pelo pâncreas são a amilase, importante na digestão dos carboidratos (alimentos, como pão e batatas), a tripsina, que digere proteína (desde carne, queijo, leite e legumes, como grãos) e a lipase, que digere a gordura.

A glicose consiste na fonte de energia do corpo. Seu nível é controlado pela insulina, também produzida no pâncreas. Se o órgão não está trabalhando adequadamente e não está produzindo insulina como deveria, então uma condição chamada diabetes pode desenvolver.

Qual a estrutura normal do pâncreas?

pâncreas é uma órgão com funções de secreção exócrina e endócrina localizado posteriormente ao estômago na região superior e posterior do abdómen logo à frente da coluna vertebral (espinha dorsal).

O pâncreas está rodeado pelo fígado, intestino e outros órgãos.

pâncreas tem mais ou menos 15 centímetros de comprimento e tem a forma de uma pêra achatada. A parte mais larga do pâncreas é a cabeça, a seção intermédia é o corpo e a parte mais fina é a cauda.

A imagem mostra o pâncreas e órgãos adjacentes

pâncreas produz insulina e outras hormonas. Estas hormonas entram na corrente sanguínea e ajudam o organismo a utilizar ou armazenar a energia obtida a partir dos alimentos. Por exemplo, a insulina ajuda a controlar os níveis de açúcar no sangue.

O pâncreas também produz sucos pancreáticos (secreção pancreática).

Esta secreção contem enzimas que ajudam a digerir os alimentos O pâncreas liberta a secreção sistema de ductos que vão para o ducto biliar comum.

O ducto biliar comum conduz a secreção pancreática para o duodeno, a primeira seção do intestino delgado.

A imagem mostra o pâncreas, o ducto biliar comum e o duodeno

A maioria dos tumores do pâncreas tem origem nos ductos que transportam a secreção pancreática. O cancro do pâncreas pode ser designado por cancro pancreático ou carcinoma do pâncreas.

Existe um tipo raro de cancro do pâncreas que tem origem nas células produtoras de insulina e outras hormonas; a este tipo de cancro dá-se o nome de cancro dos ilhéus. Esta doença rara não será aqui abordada.

Quando o cancro do pâncreas se dissemina para o exterior do pâncreas, ou seja, quando metastiza, as células cancerígenas encontram-se frequentemente nos gânglios linfáticos adjacentes.

Se o cancro tiver atingido os gânglios, significa que as células cancerígenas se podem ter disseminado para outros gânglios linfáticos ou outros órgãos, tais como o fígado ou os pulmões. Por vezes, o cancro do pâncreas dissemina-se para o peritoneu, ou seja, para a camada de tecido que reveste o abdómen.

Quando o cancro metastiza para outra parte do corpo, o novo tumor tem o mesmo tipo de células anómalas e o mesmo nome do tumor primário. Por exemplo, se o cancro do pâncreas se disseminar para o fígado, as células cancerígenas aí existentes são, na realidade, células cancerígenas do pâncreas. A doença corresponde a uma metástase do cancro do pâncreas e não a um cancro do fígado.

Deverá ser tratada como cancro do pâncreas e não como cancro do fígado.

Pâncreas humano

O pâncreas humano é percorrido por dois condutos: o de Wirsung e o de Santorini, este último perceptível apenas em alguns indivíduos.

Pode-se praticar a extirpação cirúrgica de até oitenta ou noventa por cento do tecido pancreático, sem que se observe na pessoa afetada insuficiência endócrina ou exócrina.

O suco pancreático compõe-se de água, sais, mucinas e de diferentes enzimas de ação digestiva. Algumas delas agem sobre os carboidratos, como a amilase; outras sobre as gorduras, como a lipase; e outras ainda sobre as proteínas, como a tripsina. A secreção, levada ao duodeno pelo conduto de Wirsung, é liberada alguns minutos depois que o alimento penetra no estômago, mais exatamente quando o quimo entra em contato com a mucosa do duodeno. Nesse momento, as células secretoras duodenais lançam no sangue dois hormônios, a secretina e a pancreozimina, que chegam ao pâncreas e estimulam a secreção do suco pancreático.

O componente endócrino é formado pelos hormônios denominados insulina e glucagon. A primeira, que estimula a entrada da glicose do sangue no interior das células, onde é utilizada como combustível, é produzida pelas chamadas células beta das ilhotas de Langerhans. O glucagon exerce o efeito oposto, ao atuar no fígado para facilitar a conversão do glicogênio em glicose.

Entre as afecções mais importantes do pâncreas estão os tumores, quistos e inflamações. As inflamações agudas se devem à obstrução dos condutos pancreáticos ou ao efeito agressivo de certas drogas, como o álcool, que origina a destruição de uma parte do tecido e a liberação das enzimas contidas nas células, o que provoca necrose, hemorragias, supuração etc.

O tratamento inclui a administração de agentes inibidores da secreção pancreática. A pancreatite crônica, que conduz à atrofia do órgão, é tratada sobretudo com dieta pobre em gorduras e redução no consumo de álcool.

Pancreatite

pancreatite é uma inflamação do pâncreas, uma condição potencialmente muito séria. Às vezes, é observada em pessoas com HIV e pode ser causada por alguns medicamentos anti-HIV ou outras medicações.

Entretanto, a pancreatite é mais comumente causada por ingestão de álcool em demasiado.

Os sintomas incluem enjôo e dor, podendo ser muito grave, na área onde há a junção das costelas com meio do peito. A barriga também pode estar bem macia e dolorosa ao tocar.

Se o pâncreas deixa de trabalhar apropriadamente, a comida não será digerida adequadamente, o que pode causar perda de peso e diarréia.

Esta é clara e com mau cheiro devido à gordura não digerida.

Em algumas pessoas, a pancreatite não causa mais do que sintomas muito leves ou mudanças nos níveis de enzima, as quais só podem ser detectadas com exames de sangue. Entretanto, em casos mais extremos, a pancreatite pode ser fatal. Em algumas pessoas, um ataque inicial de pancreatite possivelmente causará danos e levará a uma doença de longo prazo chamada pancreatite crônica.

Fonte: www.aidsmap.com/www.corpohumano.hpg.ig.com.br/www.pop.eu.com/usuarios.cultura.com.br/www.wisegeek.org/www.hghforever.com/ www.jorgebastosgarcia.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Córtex auditivo

PUBLICIDADE Córtex auditivo – Definição O córtex auditivo executa uma variedade de funções que nos permitem segregar …

Hipotálamo

PUBLICIDADE O que é o hipotálamo? O hipotálamo é a pequena estrutura em forma de cone dentro …

Sistema Nervoso Simpático

PUBLICIDADE Sistema Nervoso Simpático – Definição O sistema autônomo é composto de duas divisões, os …

Um comentário

  1. Gilberto Moura Figuerêdo

    Ola!
    Sítio ótimo, de relevantes informações.

    Parabéns!

    Atenciosamente:
    Giba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.