Breaking News
Home / Corpo Humano / Hipófise

Hipófise

PUBLICIDADE

Hipófise ou Pituitária

Está localizada no centro da cabeça, numa depressão do osso esfenóide, sendo considerada a glândula mestra do organismo porque, além de realizar outras funções, é responsável pelo controle de todas as glândulas endócrinas. Apesar de ser muito importante, ela tem o tamanho aproximado de uma ervilha.

Hipófise – Localização

hipófise localiza-se na sela túrcica do osso esfenóide e liga-se, por um pedículo, ao hipotálamo na base do cérebro.

A hipófise divide-se em três partes denominadas lóbulos, onde são produzidos diversos hormônios de grande importância para o organismo. Entre eles está o hormônio que controla o crescimento, por isso ela é chamada também de glândula do crescimento.

Se ocorrer uma produção anormal do hormônio do crescimento pode ocorrer o gigantismo ou o nanismo hipofisário.

Hipófise – O que é

Glândula Hipófise, também chamada de pituitária, é uma pequena glândula de cerca de 1 centímetro de diâmetro e 0,5 a 1 grama de peso. Situada na base do cérebro, conectada ao hipotálamo.

Hipófise (ou Pituitária) é uma pequena glândula localizada em uma cavidade craniana chamada sela túrsica.

É dividida em 2 partes, uma bem diferente da outra: Hipófise Anterior (Adenohipófise) e Hipófise Posterior (Neurohipófise).

A Glândula Hipófise é divisível em duas porções distintas: anterior e posterior.

hipófise anterior origina-se da bolsa de Rathke, que é uma invaginação embrionário do epitélio da faringe; e a hipófise posterior, de uma proliferação do hipotálamo.

Os Hormônios da Hipófise anterior desempenham um papel fundamental no controle das funções metabólicas por todo o corpo:

Hormônio do Crescimento afeta a formação das proteínas, na multiplicação das células e na diferenciação celular.
Adrenocorticotropina afeta o metabolismo da glicose, das proteínas e das gorduras.
Hormônio Tíreo-estimulante controla a taxa de secreção da tiroxina e da triodotironina pela glândula tireóide.
Prolactina promove o desenvolvimento da glândula mamaria e a produção de leite.
Hormônio Folículo Estimulante e o Luteinizante controlam o crescimento das gônadas bem como suas atividades hormonais e reprodutoras.

Os Hormônios da Hipófise posterior desempenham outros papéis:

Hormônio Antidiurético, controla a excreção de água na urina.
Ocitocina ajuda a levar o leite das glândulas da mama para os mamilos durante a amamentação.

O que é a glândula pituitária?

Como parte do sistema endócrino que regula os hormônios, a hipófise controla muitas das outras glândulas por meio da secreção.

Nossa “glândula mestra”, a pituitária, produz alguns hormônios, mas também atua como intermediária entre o cérebro e outras glândulas endócrinas.

Nossos hormônios e a hipófise realizam muitas funções homeostáticas e especializadas, como crescimento ósseo e contrações uterinas.

A glândula pituitária controla a glândula tireoide

Os neurônios carregam mensagens sobre a produção de hormônios entre a glândula pituitária e o hipotálamo. Ambos estão localizados na base do cérebro, aninhados em uma parte arredondada do osso, cuidadosamente protegida. Eles são conectados por um grupo de neurônios chamados infundíbulos. Juntos, eles trabalham para regular todos os hormônios que circulam na corrente sanguínea, controlando coisas como o crescimento e a pigmentação do cabelo. Os hormônios são os mensageiros de longa distância que podem informar as células quando se tornarem ativas ou permanecerem dormentes.

A pituitária controla a tireoide, as glândulas supra-renais, os ovários e os testículos, embora tenha apenas o tamanho de uma ervilha.

Existem diferentes partes da glândula pituitária que têm funções seletivas. O lobo posterior, chamado de neurohipófise, libera os hormônios vasopressina e ocitocina, mas não os produz. A vasopressina é um anti-diurético que controla como os rins absorvem água. A oxitocina é um hormônio especial presente apenas durante o parto para acelerar as contrações.

lobo anterior da glândula pituitária é denominado adenohipófise. Ele produz uma variedade de hormônios, como a prolactina, que estimula a lactação nas mulheres.

O melanócito estimula o corpo a produzir melanina para a pigmentação da pele e do cabelo. O hormônio folículo-estimulante indica onde e quando o cabelo deve crescer durante o desenvolvimento.

O hormônio do crescimento, muito importante, controla o crescimento ósseo para determinar a altura, especialmente ativo durante a adolescência. Os hormônios também controlam as glândulas. A tireoide reage à tireotropina, as glândulas adrenais são estimuladas pela adrenocorticotropina e as glândulas sexuais são afetadas pelo hormônio luteinizante. A glândula pituitária é responsável por muitos estágios e aspectos de nossa maturação.

Hipotálamo e Hipófise

Hipófise
Hipófise

Relação Hipotálamo-Hipofisárias

hipotálamo e a glândula hipófise atuam de forma coordenada para harmonizar os sistemas endócrinos. Esta unidade hipotálamo-hipofisária regula o funcionamento da tireóide, supra-renal e das glândulas reprodutoras, controla o crescimento, produção e ejeção do leite e a osmorregulação.

Embriologia

Hipófise: amálgama de células glandulares produtoras de hormônios (adenohipófise ou hipófise anterior) e de células neurais com função secretora (neuro-hipófise ou hipófise posterior).

A porção endócrina anterior da hipófise forma-se a partir de uma invaginação dirigida para cima das células ectodérmicas, provenientes do teto da cavidade oral (bolsa de Rathke).

Esta invaginação destaca-se e ficará separada da cavidade oral pelo osso esfenóide do crânio. A luz da bolsa fica reduzida a uma pequena fenda.

A porção neural posterior da hipófise forma-se a partir de uma invaginação dirigida para baixo do ectoderma proveniente do cérebro no assoalho do 3º ventrículo. A luz dessa bolsa é obliterada inferiormente, superiormente a luz se continua com o 3º ventrículo. A porção superior desta haste neural se expande para revestir a porção mais inferior do hipotálamo – eminência mediana.

Toda a hipófise se encaixa na cavidade do osso esfenóide chamada sela túrcica.

Hipotálamo

Neurônios especiais situados no hipotálamo, sintetizam e secretam hormônios hipotalâmicos liberadores e inibidores.

Estes neurônios se originam em diversas partes do hipotálamo e enviam suas fibras nervosas para a eminência mediana.

As terminações nervosas secretam hormônios, que são absorvidos pelos capilares porta-hipotalâmicos e levados diretamente aos seios da hipófise anterior.

A função dos hormônios liberadores e inibidores são a de controlar a secreção de hormônios da hipófise anterior.

O suprimento sangüíneo

Hipófise posterior: artéria hipofisária inferior.

Tecido neural da parte superior da haste e da eminência mediana é irrigado pela artéria hipofisária superior.

Seu plexo capilar forma um conjunto de longas veias portas que conduzem o sangue inferiormente para a hipófise anterior.

As veias portas dão origem a um segundo plexo capilar que supre as células endócrinas da hipófise anterior. A hipófise anterior recebe sangue também através artéria hipofisária inferior, veias porta do plexo capilar.

Função Hipotalâmica

Pode ser considerada uma central de retransmissão, atuando na coleta e integração de sinais provenientes de diversas fontes e no seu direcionamento para a hipófise.

As inter-relações entre os vários centros hipotalâmicos e seus influxos provenientes de várias outras áreas do cérebro e suas contribuições para a hipófise anterior e posterior.

Outras funções hipotalâmicas:

Além de sua função endócrina, regulando a secreção da hipófise anterior e posterior, o hipotálamo tem um papel crítico na modulação de importantes funções fisiológicas ou relacionadas ao comportamento
Controle dos ritmos circadianos
Controle do ciclo sono-vigília
Controle da termorregulação
Controle da osmorregulação (ADH, centro sede)
Controle do apetite.

Hormônios Hipotalâmicos

Hormônio Liberador de Tireotropina (TRH): Thyrotropin-releasing Hormone
Hormônio Liberador de Gonadotropina (GnRH): 
Gonadotropin-releasing Hormone
Hormônio Liberador de Corticotropina (CRH):
 Corticotropin Releasing Hormone
Hormônio Liberador do Hormônio de Crescimento (GHRH):
 Growth Hormone Releasing Hormone
Hormônio Inibidor do Hormônio do Crescimento (Somatostatina)
Fator Inibidor da Prolactina (PIF) Dopamina

Hormônios da Hipófise Anterior

TSH, FSH, LH, ACTH, Prolactina e GH

São secretados por um tipo celular distinto (exceto FSH e LH).

TSH: Tyroid-stimulating Hormone (Hormônio estimulador da tireoide), Tirotropina; Hormônio estimulador da tireóide.

Glicoproteína cuja função consiste em regular o crescimento e o metabolismo da tireóide e a secreção de seus hormônios (Tiroxina:T4 e Triiodotironina: T3). As células produtoras de TSH, Tireotrofos, representam 3 a 5% da adeno-hipófise (área anteromedial).

Promove o crescimento e a diferenciação da glândula tireóide e estimula todas as etapas na secreção do hormônio (captação iodeto, organificação, síntese e liberação do hormônio tireoidiano).

FSH e LH

Glicoproteínas cuja função é de regular o desenvolvimento, crescimento, maturação puberal e os processos de reprodução e a secreção dos hormônios esteróides sexuais das gônadas, dos dois sexos.

FSH: Follicle-Stimulating Hormone; Hormônio Folículo Estimulante
LH: 
Luteinizing Hormone; Hormônio Luteinizante

As células produtoras são os gonadotrofos e representam 10 a 15% das células da adeno-hipófise.

LH: Estimula as células intersticiais ovarianas (tecais) e as células de Leyding testiculares a secretarem testosterona e outros produtos que desempenham papéis importantes na reprodução.

FSH: Estimula as células da granulosa ovariana e as células de Sertoli testiculares a sintetizarem e secretarem estradiol e a diversos produtos protéicos essenciais a ovogênese e a espermatogênese.

ACTH: Adrenocorticotropic Hormone; Corticotropin; Hormônio Adrenocorticotrópico; Corticotropina.

Hormônio polipeptídeo, cuja função é de regular o crescimento e a secreção do córtex da supra-renal. Os corticotrofos constituem 20% da adeno-hipófise, parte distal.

Prolactina

Produzida pelos lactotrofos, constituem 10 a 25% do total da população de células da adeno-hipófise. Hormônio protéico participa na estimulação e desenvolvimento das mamas e na produção do leite.

Ocorre hiperplasia dos lactotrofos na gravidez e lactação (resposta ao estrogênio). A prolactina inibe a síntese e liberação GnRH (inibir a ovulação).

GH ou Hormônio Somatrotópico ou Somatropina (GH: Growth Hormone; Hormônio do Crescimento)

Produzido pelos somatotrofos, constituem 40 a 50% das células adeno-hipofisárias.

População celular não homogênea varia desde tamanho a morfologia.

Mamosomatotrofo – células transicionais capazes de secretar prolactina. Pequena molécula protéica com 191 aminoácidos em cadeia única e com peso molecular 22000.

Causa crescimento de todos os tecidos capazes de crescer e promove o aumento do número de células e aumento do tamanho das células.

Efeitos do GH:

1. Aumenta a síntese protéica em todas as células corporais
2.
 Maior mobilização de ácidos graxos a partir do tecido adiposo e sua maior utilização para fins energéticos (lipolítico)
3.
 Redução da utilização da glicose em todo o corpo
4.
 Aumenta a reabsorção tubular de fosfato (aumentando a concentração plasmática do fosfato)
5.
 Acelera a absorção de Cálcio pelo intestino (produção 1,25(OH)2 Vit D3)
6. 
GH induz a produção hepática de diversas pequenas proteínas, somatomedinas (IGF1 e IGF2), que agem sobre as cartilagens e ossos promovendo o seu crescimento (secreção de condroitina-sulfato e colágeno pelos condrócitos)
7.
 Os órgãos viscerais (fígado, rim, pâncreas, intestino), as glândulas endócrinas (supra-renais, paratireóides, ilhotas pancreáticas), músculo esquelético, o coração, a pele e o tecido conjuntivo sofrem todos hipertrofia e hiperplasia em resposta ao GH
8. 
GH sensibiliza as gônadas ao LH e ao FSH e dessa forma promove a maturação sexual puberal.

Anormalidades na Secreção do GH

Excesso de GH

Acromegalia
Gigantismo

Deficiência de GH

Baixa estatura (crianças)
Redução massa e força muscular e da massa óssea, densidade óssea (adultos)

Hipófise Posterior

Secreta o ADH e a Ocitocina.

ADH ou Hormônio Antidiurético (também conhecido por Arginina-Vasopressina).

ADH: Antidiuretic Hormone; Vasopressin.

Tem o papel de conservar a água corporal e regular a tonicidade dos líquidos corporais. Sintetizado nos corpos celulares dos neurônios hipotalâmicos, principalmente no núcleo supra-óptico.

Atua nas células que revestem os túbulos contornados distais e ductos coletores da medula renal, aumentando a permeabilidade à água.

Alterações da Secreção ADH

Diabetes Insípidos Central
Diabetes Insípidos Nefrogênico
Secreção Inapropriada da Secreção do ADH

Ocitocina

Promove a ejeção do leite pela mama lactante, por estimular a contração das células mioepiteliais que revestem os ductos mamários. Contração Uterina.

Estímulos para sua secreção: ato mamar, visão, som ou odor da criança, dilatação da cérvice uterina.

Fonte: www.geocities.com/www.trabalhoescolar.hpg.ig.com.br/www.osvaldo.med.br/www.wisegeekhealth.com/www.mcguido.vet.br/www.biologia-ar.hpg.ig.com.br

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Nós musculares

PUBLICIDADE Nós musculares – O que são O fenômeno dos nós musculares não é incomum. Essencialmente, os nós …

Córtex auditivo

PUBLICIDADE Córtex auditivo – Definição O córtex auditivo executa uma variedade de funções que nos permitem segregar …

Hipotálamo

PUBLICIDADE O que é o hipotálamo? O hipotálamo é a pequena estrutura em forma de cone dentro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.