Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Corpo Humano / Glossário do Olho Humano

Glossário do Olho Humano

O OLHO

PUBLICIDADE

O Olho Humano é um órgão par, situado em cada uma das órbitas, no nivel que separa o crâneo da face. Sua função básica é captar a luz originada nos objetos que nos cercam. fazendo-a ser focalizada no plano posterior do globo. Aí é transformada em impulsos eletromagnéticos, transmitidos pelo nervo óptico e vias ópticas, até os centros visuais cerebrais. Nestes centros, se dá a percepção visual, com o reconhecimento da imagem e a localização do objeto focalizado.

Aparentemente, o olho tem a forma esférica. Por isto, é também chamado de globo ocular. Este arcabouço arredondado tem três túnicas, uma lente e dois fluidos.

As três túnicas ou camadas são, de fora para dentro:

A externa ou fibrosa, com duas porções: anterior, transparente que é a córnea. posterior, opaca que é a esclerótica ou esclera.

A média ou vascular, com três porções: iris. corpo ciliar. coroide. a interna ou neurosensorial , que é a retina.

Nesta, dois destaques: mácula – região central, altamente diferenciada. nervo óptico – condutor dosestímulos para o cérebro.

No interior, temos o cristalino, com o formato de lentilha. Funciona como uma lente dinâmica que, ao mudar sua forma para mais arredondada, permite a focalização, no plano da retina, dos raios que iriam ser focalizados atrás dela.

Adiante do cristalino está o primeiro fluido, que, pelo seu aspecto, tem o nome de aquoso ou humor aquoso.

Preenche dois espaços: um, entre a iris e a córnea, chamado câmara anterior e o outro, entre a iris e cristalino, a câmara posterior.

Estes espaços se comunicam através da pupila, orifício circundado pela iris. Atravessam a pupila, tambem, os raios luminosos, na direção da retina.

Atrás do cristalino, entre este e a retina temos a câmara vitrea, preenchida por uma substância com consistência de gel, chamada de vítreo ou humor vítreo.

Esta é uma lista de muitos dos termos usados em Anatomia, Fisiologia e Patologia do Olho Humano

A

ACOMODAÇÃO

Função que modifica dinamicamente a refração.

Resulta de:

Contração do músculo ciliar, relaxamento da tensão da zônula abaulamento do cristalino. Em conseqüência, os raios de luz que fariam foco atrás do plano da retina, podem ser agora focalizados no plano desta, permitindo a visão nítida do objeto.

AGUDEZA VISUAL

O mesmo que acuidade visual ou visão. É a capacidade de transformar estímulos luminosos, oriundos dos objetos que nos cercam, em imagens, permitindo sua identificação e localização.

ALINHAMENTO

Posição normal dos olhos, direcionados para um mesmo ponto no espaço: para longe, os olhos devem estar paralelos e para perto, convergem.

ANOMALIAS de REFRAÇÃO

Deficiência visual que resulta o fato de o olho não focalizar, no plano da retina, estímulos recebidos, perdendo a nitidez e gerando desconforto, a partir de certos “graus”.

Também conhecidas como vícios de refração ou erros de refração:

Miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia

São compensadas pela correção óptica.

AQUOSO

O mesmo que humor aquoso. Líquido produzido pelo corpo ciliar, que contribui para a nutrição do segmento anterior e para as variações da pressão intra-ocular.

ASTIGMATISMO

Deficiência visual em que a luz, que penetra no olho, não é focalizada em um plano único. Isto pode gerar alguma deformação na imagem ou um duplo contorno desta.

B

BAIXA ATIVIDADE BIOLÓGICA

Causa pouca “irritação” local. De fácil tolerância. Menor risco de rejeição.

C

CATARATA

É a opacificação do cristalino Esta perda da transparência vai dificultando a luz chegar à retina e a visão vai diminuindo.

O tratamento é cirúrgico: aspiração de parte do conteúdo do cristalino e o implante, em seu lugar, de uma lente intra-ocular.

CICLODESVIOS

O mesmo que desvios torcionais

CIRURGIA REFRATIVA

Operações destinadas a corrigir as anomalias de refração: miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia

CONJUNTIVA

Membrana que reveste:

A esclera = porção bulbar as pálpebras = porção tarsal

COR DOS OLHOS

É dada pela íris – tem “olhos azuis” quem tem a íris de cor azul

CÓRNEA

Parte anterior da camada mais externa das túnicas que revestem e dão a forma quase esférica do olho.

Em condições normais, deve ser transparente, para que luz, que atinge o olho, possa entrar.

Também funciona como um meio óptico, por fazerem os raios luminosos serem refratados, de modo que o foco se faça, idealmente, no plano da retina.

Por isto, grande parte da chamada cirurgia refrativa se faz ao nível da córnea, tentando modificar sua curvatura.

CORÓIDE

Segunda porção da úvea, limitada à frente, pelo corpo ciliar. Situada entre a esclera e a retina é responsável, em grande parte, pela nutrição desta, pela sua rica circulação.

CORPO CILIAR

Porção intermediária da úvea, atrás da íris, adiante da coróide. É responsável pela formação do humor aquoso,

importante para a nutrição do segmento anterior e regulador da pressão intra-ocular.

Além disto, tem o músculo ciliar, que ao se contrair, relaxa a tensão das fibras da zônula e possibilita a acomodação

CORREÇÃO ÓPTICA

Recursos – óculos, lentes de contato e/ou lentes intra-oculares – que utilizamos para compensar as anomalias de refração, permitindo a visão nítida e confortável.

COVER TEST

O mesmo que teste de cobertura: quando se cobre um dos olhos, se ele tem tendência a se desviar, entra em desvio, atrás da cobertura,. Quando o descobrimos,

ou ele aparece desviado e assim fica, ou se move para a posição correta, recuperando o alinhamento. Com este teste, podemos descobrir desvios que habitualmente ficam latentes.

Tem ainda outras aplicações e permite identificar outros diversos tipos de estrabismos.

CRISTALINO

O mesmo que lente. Esta sinonímia gera ambigüidade.

Ele é a lente natural do olho. Pelo seu formato e pela função de contribuir para a focalização na retina, faz jus ao nome, apesar de possível dúvida. Quando se opacifica é a catarata.

D

DESVIO ALTERNANTE

É aquele em que o paciente ora desvia o olho direito, ora o esquerdo.

DESVIO CONSTANTE

É do desvio ocular que se manifesta permanentemente.

DESVIO CONVERGENTE

O mesmo que ENDOdesvio ou ESOdesvio. Um ou ambos os olhos aparece(m) desviado(s) para o nariz, ainda que olhando para longe (quando deviam estar paralelos).

Podem ser:

Endotropia (ou esotropia) , se manifesto, ou

Endoforia (ou esoforia), se latente

DESVIO DIVERGENTE

O mesmo que EXOdesvio. Um, ou ambos os olhos, aparece(m) desviado(s) para a(s) orelha(s), ainda que olhando para perto (quando deveriam estar convergentes).

Podem ser:

Exotropia, se manifesto, ou

Exoforia, se latente

DESVIO INTERMITENTE

E o desvio que só aparece de vez em quando. Enquanto manifesto é tropia. Nos momentos em fica escondido e pode ser descoberto, no cover test, é foria.

Uma variante do intermitente é o CÍCLICO, que aparece e desaparece em intervalos bastante regulares.

DESVIO LATENTE

O mesmo que foria. É a perda do alinhamento que não aparece de imediato, na inspeção ou fotografia do rosto de uma pessoa. Para se tornar visível tem que ser provocado pelo chamado cover test, ou teste de cobertura

DESVIO MANIFESTO

Um, ou ambos os olhos, aparece(m) fora do alinhamento, à simples inspeção ou fotografia do rosto de uma pessoa. Também é conhecido como estrabismo, tropia, ou, na linguagem comum, “vesguice”

DESVIO MONOCULAR

E aquele em que sempre é o mesmo olho que aparece desviado, seja fora ou tropia

DESVIOS VERTICAIS

Enquanto um dos olhos está fixando, o outro aparece desviado:

Para cima = hiperdesvio

Ou para baixo = hipodesvio

DESVIOS OCULARES

Perda do alinhamento dos olhos.

Podem ser classificados por diversos critérios:

Visibilidade: manifesto ou latente direção horizontal: convergente ou divergente.
Desvios verticais duração:
constante ou intermitente olho fixador

DESVIOS TORCIONAIS

O mesmo que Ciclodesvios. Tomamos, como referência, o meridiano vertical da córnea (90º).

Se o olho gira, e este meridiano se inclina para o nariz = inciclodesvios.

Se o olho gira e este meridiano se inclina para o lado da orelha = exciclodesvios

DIOPTRIA

Unidade de medida das lentes. Na linguagem comum é chamada impropriamente de “grau”.

DIPLOPIA

Percepção dupla da imagem de um mesmo objeto. É sintoma de que um dos olhos está desviado, mesmo que este desvio não apareça logo, em uma inspeção simples.

Continuar a pesquisa clínica.

E

EIXO DO ASTIGMATISMO

É o meridiano em que o foco está mais próximo da retina

ENDODESVIO

O mesmo que desvio convergente ou esodesvio

ENDOFORIA

O mesmo que esoforia = desvío convergente latente

ENDOTROPIA

O mesmo que esotropia = desvío convergente manifesto

ERROS de REFRAÇÃO

O mesmo que vícios de refração ou anomalias de refração.

ESCLERA

Também conhecida como ESCLERÓTICA. É a parte posterior e branca, ainda visível por transparência da conjuntiva. Área conhecida como o “branco do olho”. Com a córnea forma a túnica fibrosa, verdadeiro arcabouço do olho.

ESODESVIO

O mesmo que desvio convergente ou endodesvio

ESTRABISMO

O mesmo que desvio manifesto, tropia ou “vesguice”.

EXCICLODESVIOS

Desvios torcionais, em que o meridiano vertical da córnea, quando o olho gira, se inclina para o lado da orelha.

Podem ser:

Exciclotropia – se manifesto excicloforia – se latente

EXOFORIA

O mesmo que desvio divergente latente

EXOTROPIA

O mesmo que desvio divergente manifesto

F

FILTROS

Modificações que são feitas nas lentes ou “vidros” dos óculos, lentes de contato e lentes intra-oculares, que constituem barreiras à penetração, do olho, de radiações nocivas, como ultravioleta e infravermelho.

FORIA

O mesmo que desvio latente

FILME LACRIMAL

Formação líquida, constituída pela lágrima, com o aspecto de uma verdadeira película, que reveste a córnea e a conjuntiva.

G

GLÂNDULA LACRIMAL

Glândula situada debaixo da pálpebra superior, no ângulo supero-externo da órbita. Responsável pela produção da lágrima, que dela escorre para a parte anterior do olho, lubrificando e protegendo-o.

GRAU

Na linguagem técnica, grau é a posição em que fica o eixo do astigmatismo.

A unidade de lentes se chama dioptria. Em vez de se dizer que uma pessoa tem 5 graus, o correto seria 5 dioptrias.

Os graus são também unidades de medida dos ângulos formados, nos desvios oculares. Esta medida pode ser feita também em prismas. Há uma tabela de equivalência entre as duas unidades.

H

HIPERDESVIO

Desvio vertical em que o olho que não está fixando aparece desviado para cima.

Podem ser:

Hipertropia, se manifesto hiperforia, se latente.

HIPERFORIA

Desvio de um dos olhos para cima, latente

HIPERMETROPIA

Deficiência visual em que a luz que penetra no olho seria focalizada em um plano atrás do da retina. Os portadores costumam ter maior dificuldade para perto.

HIPERTROPIA

Desvio de um dos olhos para cima, manifesto.

HIPODESVIO

Desvio vertical, em que o olho que não está fixando aparece desviado para baixo.

Podem ser:

Hipotropia, se manifesto hipoforia, se latente

HIPOFORIA

Desvio de um dos olhos para baixo, latente

Não se costuma usar o termo hipoforia. Fazemos referência ao olho que está mais alto.

Exemplo: hipoforia esquerda = hiperforia direita. Preferimos esta última.

HIPOTROPIA

Desvio de um dos olhos para baixo, manifesto

HUMOR AQUOSO

O mesmo que aquoso.

HUMOR VÍTREO

O mesmo que vítreo. Substância com consistência de gel que preenche o espaço atrás da face posterior do cristalino e à frente da retina. Se perde a transparência podem surgir as moscas volantes

I

IMPLANTE NÃO-VALVULADO

Implante feito em cirurgia de Glaucoma, que não tem uma pequenina válvula, destinada à regulagem do fluxo do aquoso, existente em outros tipos (valvulados),

INCICLODESVIOS

Desvios torcionais, em que o meridiano vertical da córnea , se inclina para o lado do nariz.

Podem ser:

Inciclotropia, se manifesto, ou incicloforia, se latente.

ÍRIS

Porção mais anterior da úvea, visível por transparência da córnea, circundando a pupila. É colorida e o que dá a cor dos olhos.

J

K

L

LÁGRIMA

Líquido produzido principalmente pela glândula lacrimal, em seu componente aquoso.Outras glândulas, das pálpebras, produzem outros componentes (mucoso e gorduroso).

O produto desta mistura contribui:

Para a nutrição e proteção da córnea e da conjuntiva,

Contra as agressões, inclusive as microbianas e

Reduz o atrito entre elas e as pálpebras, ao pestanejar.

LENTE

Estrutura transparente capaz de modificar o trajeto de raios de luz sobre ela incidentes, seja fazendo-os convergirem ou divergirem. O cristalino, lente natural do olho, pode, inclusive, ter sua forma alterada e mudar a focalização. É a acomodação.

LENTE INTRA-OCULAR

Lente que se coloca dentro do globo ocular

nas operações de catarata (pseudofacia) nas cirurgias com miopia elevada , mantendo o cristalino no lugar, ou não.

LENTES DE CONTATO

Pequenas lentes que usamos diante da córnea. Entre esta e a lente o contato se faz verdadeiramente com o filme lacrimal que banha a córnea.

Podem ser usadas, com três finalidades:

Correção óptica: em relação aos óculos: substituição ou complementação;

Em relação às lentes intra-oculares: complementação.

Terapêutica – diminuir a exposição da córnea , facilitar sua cicatrização e cobrir a pupila (oclusão)

Cosmética – mudar a cor dos olhos, disfarçar as alterações do segmento anterior

M

MÁCULA

Região central da retina. Os estímulos que lhe chegam propiciam a maior nitidez , equivale dizer o maior nível de agudeza visual, quando sadia. Se lesada, a visão diminui muito.

MEIO ÓPTICO

Estruturas sólidas e líquidas que se interpõem no trajeto da luz, do exterior até a retina.

A seqüência é: córnea, aquoso, cristalino e vítreo . Dão passagem à luz, modificando o seu trajeto (refratando), até chegar ao plano retiniano.

MERIDIANO

É a divisão da metade superior da córnea em 180 posições radiadas que, entre si, têm a medida de ângulo de 1º (um grau). O horizontal é o de 0º ou 180º . O vertical é sempre de 90º . Há os oblíquos de 45º e 135º. Os outros são chamados, conforme a proximidade dos anteriores, de horizontais, verticais ou oblíquos.

Permitem localizar a posição do eixo do astigmatismo

MIIDOPSIA

O mesmo que moscas volantes

MIOPIA

Deficiência visual em que, a luz que penetra no olho é focalizada em um plano adiante do da retina. Os portadores costumam ver menos nítido para longe.

MOSCAS VOLANTES

O mesmo que miidopsia. Percepção de pontos, fios, insetos inexistentes no espaço. Correspondem a pontos de degenerações do vítreo. Convém examinar,com mais cuidado, a retina também.

MÚSCULO CILIAR

Músculo circular que se localiza em um plano atrás da íris, na espessura do corpo ciliar. Quando se contrai possibilita a acomodação

N

O

OCLUSÃO

Cobertura de um dos olhos, com o objetivo de:

Melhorar a agudeza visual do descoberto evitar seqüelas do estrabismo e/ou evitar a diplopia

Pode ser feita em 3 níveis:

Em uma das lentes dos óculos em curativo aderente à pele (oclusor) e em lente de contato com a pupila pintada

ÓCULOS

Dispositivo que se coloca no rosto, com 4 finalidades básicas, que podem se superpor, numa mesma pessoa:

Correção óptica com lentes correção de desvios oculares com lentes e/ou prismas óculos de sol com filtros cosmética

OLHO DOMINANTE

É o olho fixador habitual.

OLHO FIXADOR

É o olho usado para prestar a atenção. Se o outro se desvia é considerado o olho desviado, que é usado para fazer o diagnostico do desvio monocular.

Se um olho é considerado sempre fixador, este olho pode ser chamado de olho dominante.

P

PRESSÃO INTRA-OCULAR

O mesmo que pressão ocular. É o estado de tensão interna do globo ocular. O tônus normal resulta do equilíbrio entre a produção do aquoso e a turgescência do vítreo de um lado e a capacidade de escoamento para a circulação, do outro. Quando a pressão permanece alta,estamos diante da possibilidade de Glaucoma.

PRESBIOPIA

Também conhecida como “vista cansada”. Começa a aparecer em torno dos 40 anos. A correção óptica ou “grau” de longe, não deixa mais ver bem de perto e vice-versa, ou seja, o de perto não deixa ver bem de longe.

Resulta da progressiva dificuldade de acomodação.

PRISMAS

Meios ópticos que montamos na armação de óculos.

Objetiva desviar a luz incidente sobre o olho,na direção da mácula.Pode fazer desaparecer a diplopia.

São ainda usados para medir os desvios oculares.

Ver também a palavra grau.

PSEUDOFACIA

Condição em que o cliente foi operado de catarata e é portador de uma lente intra-ocular.

PUPILA

Buraco central, por onde passa a luz que atravessa a córnea e se destina à retina. É o que se conhece como a “menina dos olhos”.

Q

R

REFRAÇÃO

Mudança de trajeto que sofre um raio luminoso ao passar de um meio óptico para outro.

Em conjunto, conforme a lente, os raios podem convergir para um ponto ou divergir.

Os raios que entram no olho sofrem estes desvios, a partir da córnea, passando pelo aquoso, cristalino e vítreo, até chegar à retina.

Se o foco não se faz na retina de modo natural, precisamos promover a correção óptica que é a procura da lente que vai ser posta junto ao olho, ou dentro dele, capaz de ajudar a colocar o foco na retina.

REFRATOMETRIA

Parte do exame ocular destinada a calcular o valor da lente que vai ser prescrita.

RETINA

Camada mais interna, das três que revestem o olho . É constituída de tecido nervoso, capaz de captar os estímulos luminosos a serem transformados em imagens

S

SEGMENTO ANTERIOR

Porção anterior do olho, constituída de: córnea, aquoso, íris, corpo ciliar, zônula e cristalino

SEQÜELAS

Complicações tardias no sistema visual, resultantes do estrabismo, principalmente se congênito ou precoce.

T

TROPIA

O mesmo que desvio manifesto, estrabismo ou “vesguice”

U

ÚVEA

Segunda, ou camada intermediária,das túnicas que revestem o olho.

Principal função: nutrição do olho, por sua rica circulação.

Tem três partes: íris, corpo ciliar e coróide.

V

VÍCIOS de REFRAÇÃO

O mesmo que anomalias de refração ou erros de refração

VISÃO

O mesmo que agudeza visual ou acuidade visual

VÍTREO

O mesmo que humor vítreo

X

Y

Z

ZÔNULA

Estrutura de finas fibras, entre o músculo ciliar e o cristalino. Em condição de repouso do músculo, a tensão das fibras mantêm o cristalino mais fino, no perfil.

Quando o músculo se contrai, a zônula é relaxada e o cristalino se torna mais arredondado e passa o foco mais para a frente. É a acomodação.

Fonte: www.sboportal.org.br

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Escroto

Definição O escroto (ou saco escrotal) é uma parte da genitália externa masculina localizada atrás e embaixo …

Nervo Facial

PUBLICIDADE Definição do Nervo Facial O nervo facial é o sétimo nervo craniano. É um nervo misto …

Nervos Cranianos

PUBLICIDADE Definição Os nervos cranianos são 12 pares de nervos que podem ser vistos na superfície ventral …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+