Breaking News
Home / Corpo Humano / Sistema Respiratório

Sistema Respiratório

PUBLICIDADE

Sistema Respiratório – Definição

Nossas células precisam de oxigênio para sobreviver. Um dos resíduos produzidos pelas células é outro gás chamado dióxido de carbono.

sistema respiratório retira oxigênio do ar que respiramos e expele o indesejado dióxido de carbono.

O principal órgão do sistema respiratório são os pulmões.

Outros órgãos respiratórios incluem o nariz, a traqueia e os músculos respiratórios (o diafragma e os músculos intercostais)

O que é o sistema respiratório?

sistema respiratório é um grupo de órgãos que fornecem oxigênio ao corpo.

O sistema consiste em: nariz, boca, garganta, pulmões e diafragma. Esses órgãos trabalham juntos para converter o ar que é inspirado em oxigênio para o sangue.

As células do corpo precisam de oxigênio para funcionar, então, se o sistema respiratório não funcionar corretamente, pode causar sérias complicações de saúde ou até mesmo ser fatal.

A traqueia e os brônquios permitem que o ar entre nos pulmões para respirar

O processo de receber oxigênio do sistema respiratório começa quando uma pessoa inala ar externo pelo nariz ou pela boca. Assim que o ar externo penetra no corpo, ele viaja para a garganta.

A primeira região da garganta por onde passa o oxigênio é a laringe, também conhecida como caixa vocal, responsável pela fala. O oxigênio então passa pela traqueia, também conhecida como traqueia, que é um cilindro fino que conecta a parte inferior da laringe ao tórax.

A cavidade torácica é a localização principal da maioria dos órgãos do sistema respiratório. A parte inferior da traqueia se divide em dois cilindros conhecidos como brônquios.

O oxigênio viaja pelos brônquios para os alvéolos, que são milhões de pequenas bolsas de ar. Essas pequenas bolsas retêm o ar inspirado e o levam para a corrente sanguínea.

Eles também retiram produtos desnecessários da corrente sanguínea, como o dióxido de carbono, para que possam ser preparados para sair do corpo.

O sistema respiratório é composto pela boca, garganta, nariz,
seios da face, tubos bronquíacos e pulmões

sistema respiratório também é o processo de livrar o corpo do dióxido de carbono, uma substância química produzida pelas células que não pode ser usada como energia.

Quando os alvéolos trazem o dióxido de carbono da corrente sanguínea para baixo, ele sobe para sair pelos mesmos órgãos que trouxeram o oxigênio.

O diafragma é um grupo de músculos localizado no tórax e se contrai e se solta durante o processo respiratório. Ele controla a entrada simultânea de oxigênio fresco e a saída de dióxido de carbono.

Durante a constrição do diafragma, o oxigênio fresco entra no corpo e o dióxido de carbono existe durante o afrouxamento do diafragma.

Quando uma parte do sistema respiratório deixa de funcionar corretamente, pode dificultar a respiração. Uma condição respiratória comum é a bronquite, na qual os brônquios ficam irritados e acabam produzindo muito muco. Esse muco extra faz uma pessoa com bronquite tossir profusamente na tentativa de limpar o muco dos brônquios.

Uma condição respiratória mais séria e permanente é a asma, na qual os pulmões se contraem na presença de poeira, fumaça ou qualquer outra substância que seja inalada.

Pessoas com asma podem não conseguir respirar por conta própria quando seus pulmões se contraem e terão que usar um inalador, um dispositivo que ajuda a soltar os pulmões com medicamentos.

Qual é a função do sistema respiratório?

A principal função do sistema respiratório é a troca de gases como oxigênio e dióxido de carbono nos pulmões. A respiração, ou respiração, permite que essa importante função ocorra.

O ar que transporta oxigênio entra no corpo durante a inalação e o ar que carrega dióxido de carbono é expelido para fora do corpo através da expiração. O oxigênio é um requisito vital de todas as células para sobreviver e realizar suas muitas funções.

O dióxido de carbono é principalmente um resíduo de processos dentro do corpo e geralmente não é necessário para as células.

O sistema respiratório humano

Todas as estruturas do trato respiratório desempenham papéis necessários no funcionamento do sistema. O trato respiratório superior, que inclui o nariz, a garganta, a caixa vocal e a traqueia ou traqueia, são passagens para o oxigênio e o dióxido de carbono durante o processo respiratório. No trato respiratório inferior, composto pelos pulmões, brônquios e sacos alveolares, ocorre o processo de troca gasosa.

Quando o oxigênio chega à traquéia, ele viaja para os dois brônquios principais, que se dividem em pulmão direito e pulmão esquerdo. O oxigênio então segue para vários bronquíolos de cada pulmão e, finalmente, desce para os milhões de sacos alveolares. Os vasos sanguíneos menores, chamados capilares, estão presentes nas superfícies dos sacos alveolares.

O sangue que carrega dióxido de carbono viaja para os pulmões através dos capilares para trocar esse gás por oxigênio. O sangue que transporta oxigênio então vai para o coração para ser entregue a outros órgãos do corpo.

O processo respiratório é governado pelas ações do sistema nervoso central, do diafragma, dos pulmões e do sistema circulatório. Existe um centro respiratório no cérebro que regula o processo.

Os músculos do tórax, como o diafragma e aqueles entre as costelas, ajudam na expansão e colapso dos pulmões durante cada respiração. Após a troca de gases nos pulmões, o sangue oxigenado geralmente entra no sistema circulatório para atingir todas as partes do corpo.

Qualquer perturbação nos componentes que regulam o processo respiratório pode afetar o funcionamento do sistema respiratório. As doenças do trato respiratório podem incluir infecções como pneumonia, tuberculose e bronquite. O estreitamento das vias aéreas geralmente torna a respiração difícil para muitos pacientes com asma. Substâncias nocivas, como fumaça de tabaco e gás radônio, também podem chegar aos pulmões se forem inaladas do ar. Essas substâncias podem levar ao desenvolvimento de tumores e cânceres de pulmão, muitas vezes causando a deterioração do sistema respiratório e de outros sistemas do corpo humano.

Qual é a importância do sistema respiratório?

sistema respiratório é vital para todo o funcionamento do corpo. Esse sistema é essencial para trazer o oxigênio necessário para cada aspecto do corpo, desde o oxigênio de que as células precisam para funcionar e substituir as células que morreram até o oxigênio de que os músculos precisam. Ele também remove gases nocivos, como dióxido de carbono, do corpo.

Os pulmões, suas subpartes e a garganta são componentes centrais do sistema respiratório, assim como a traqueia, a caixa vocal e o nariz. O ar é puxado pelos pulmões através do nariz e da boca.

Ele viaja pela garganta e traqueia até os pulmões. Dos pulmões, o oxigênio é entregue aos sacos de ar, chamados alvéolos, e depois enviado para o sangue.

Embora a ingestão de oxigênio seja um grande aspecto da importância do sistema respiratório, a liberação de dióxido de carbono ocorre como um subproduto do processo respiratório.

O oxigênio e o dióxido de carbono são combinados enquanto o corpo está produzindo energia. O dióxido de carbono que está nas células é trocado por oxigênio em um processo chamado troca gasosa.

Depois de retirado das células, o dióxido de carbono é expelido do corpo pela expiração.

A importância do sistema respiratório é ainda mais compreendida pelo papel que o sistema desempenha na função de outros sistemas do corpo, como o sistema circulatório. Depois que o oxigênio entra no sangue, ele viaja pelo corpo e é captado pelos glóbulos vermelhos. O oxigênio é transportado pelas células vermelhas do sangue para o coração. Do coração, os glóbulos vermelhos enriquecidos com oxigênio são bombeados para os tecidos e artérias de todo o corpo.

Qualquer função do cérebro é influenciada pelo sistema respiratório. A importância do sistema respiratório também é indicada em seu papel na atividade celular e função neuronal.

As células não podem realizar funções básicas ou replicar sem oxigênio. Os neurônios não podem sobreviver para transmitir sinais eletroquímicos sem um ambiente rico em oxigênio. Na verdade, a falta de oxigênio pode matar as células essenciais para a atividade cerebral.

Vários fatores afetam a função do sistema respiratório. Embora a importância do sistema respiratório influencie outros sistemas, podem ocorrer problemas respiratórios. Problemas respiratórios, como asma e bronquite, podem reduzir a quantidade de oxigênio e a remoção de dióxido de carbono. As restrições às trocas gasosas adequadas podem levar a um perigoso acúmulo de dióxido de carbono no corpo.

Pulmões

O sistema respiratório possui 2 pulmões o direito e o esquerdo.

Pulmão Direito: Maior que o pulmão esquerdo, possuindo 3 lobos (superior, médio e inferior).
Pulmão Esquerdo:
 Menor, devido ao posicionamento do coração, possuindo lobos grandes (superior e inferior)e um lobo atrofiado Lobo da Língula.
São dividido em: 
Vias aéreas, Pleura Parietal e Pleura viceral.

Os pulmões são revestidos por duas lâminas chamadas de Pleuras, intermediadas pelo Líquido Pleural, que asseguram a pressão interna do pulmão.

A função do pulmão é de garantir a chegada do oxigênio até o sangue, através do sistema alvéolo capilar.

A frequência respiratória é identificada pela sigla IRPM ( incursões respiratórias por minuto).

Mediastino é o espaço entre os pulmões.

Temos em media 15 incursões por minuto.

Na atmosfera contém:

20% Oxigênio
5% Gás Carbônico
79% Nitrogênio

MECÂNICA VENTILATÓRIA – HEMATOSE PULMONAR

A pleura parietal está presa no diafragma e nas costelas, quando inspiramos o diafragma, serrátil, escalenos e os músculos intercostais internos contrai tracionando a pleura parietal para baixo e para os lados, aumentando a pressão no líquido pleural, tracionando também a pleura visceral, aumentando a pressão que era de ?5mmhg para ?7,5 mmhg.

Este processo faz com que a pressão negativa do pulmão aumente realizando a inspiração.

Na expiração o músculo do diafragma, serratil, escalenos e os intercostais internos relaxam fazendo com que as pleuras volte ao seu estado normal, consecutivamente o pulmão também volta ao normal.

O diafragma é responsável por 50% da mecânica ventilatória e os outros 50% e realizado pelos músculos intercostais internos, serratil e o escaleno.

Na inspiração geralmente entra para os pulmões 104 mmhg de oxigênio e 40 mmhg CO2.

Na expiração o sistema venoso retorna com um sangue com 40 mmhg oxigênio e 45 mmhg CO2 para o pulmão.

HEMATOSE TECIDUAL

O ar contém umidade, e quando inspiramos absorvemos esta umidade que se transforma em água que acumula-se nos alvéolos.

Estas moléculas de água tendem a unir-se, este processo chamamos de: ?Tensão superficial dos líquidos ?.

Porque os alvéolos não colaba (colam as paredes pela umidade da água)?

1 – Porque os alvéolos não ficam totalmente sem ar, existe constantemente um volume residual que mantém os alvéolos parcialmente insuflados ( com ar) 50%.

2 – Porque dentro dos alvéolos existe uma lipoproteina chamada (surfactante), produzida pelas células epiteliais alveolares do tipo 2, que diminui a tensão superficial dos líquidos em 50%.

Células epiteliais alveolares do tipo I = 90%
Células epiteliais alveolares do tipo II = 
10%

Pús: São nada mais que células de defesa mortas e células de bactérias ou virus mortas.

A asma e a pneumonia são duas patologias do Sistema respiratório que afeta o circulatório.

O infarto e a embolia são duas patologias do Sistema circulatório que afeta o respiratório.

Como o ar entra e sai dos pulmões?

Cavidade Torácica

Sistema RespiratórioCavidade Torácica

Os pulmões podem sofrer expansão e relaxamento pelos movimentos de subida ou descida do diafragma, o que aumenta ou diminui a cavidade torácica, e pela elevação e depressão das costelas, o que aumenta ou diminui o diâmetro antero-posterior da cavidade torácica.

Os músculos que elevam a caixa torácica podem ser chamados músculos da inspiração, e os que a relaxam são os músculos da expiração.

A respiração normal é realizada quase inteiramente pelo movimento do diafragma, mas, na respiração máxima, o aumento nos diâmetros do tórax deve-se mais da metade à dilatação dos pulmões.

Os músculos respiratórios realizam a ventilação pulmonar ao comprimir e expandir alternadamente os pulmões, o que, por sua vez, faz a pressão do interior dos alvéolos elevar-se e cair.

A ventilação pulmonar normal é realizada quase inteiramente pelos músculos da inspiração. A inspiração se faz pela contração da musculatura inspiratória, enquanto que a expiração, em condições de repouso, é passiva, ou seja, não há contração da musculatura expiratória.

Durante a inspiração, a cavidade torácica aumenta de volume e os pulmões se expandem para preencher o espaço deixado. Com o aumento da capacidade pulmonar, a pressão interna alveolar torna-se ligeiramente menor do que a pressão atmosférica, e isto faz o ar entrar pelas vias respiratórias.

A inspiração é seguida imediatamente pela expiração, que provoca a diminuição do volume pulmonar e a expulsão do gás. Porém ainda permanece um volume de ar nos pulmões, o volume residual.

O volume residual representa o ar que não pode ser removido dos pulmões mesmo pela expiração forçada.

Isto é importante porque permite a oxigenação do sangue pelo ar alveolar, mesmo entre as respirações. Se não fosse o ar residual, as concentrações de oxigênio e gás carbônico no sangue sofreriam subidas e descidas significativas em cada respiração, o que seria certamente uma desvantagem para o processo respiratório.

Ventilação dos alvéolos

Um fator importante no processo da ventilação pulmonar é a velocidade com a qual o ar alveolar é renovado a cada minuto pelo ar atmosférico; essa renovação chama-se ventilação alveolar.

Na inspiração, a maior parte do ar renovado deve primeiro preencher as vias respiratórias, vias nasais, faringe, traquéia, brônquios, antes de atingir os alvéolos.

Na expiração, todo o ar contido nas vias respiratórias é expirado primeiro, antes que o ar dos alvéolos possa chegar à atmosfera.

A ventilação alveolar é um dos principais fatores a determinar as concentrações de oxigênio e gás carbono nos alvéolos.

Diversos fatores modificam a ventilação, como alterações na freqüência, no volume corrente (quantidade de ar inspirada ou expirada espontaneamente em cada ciclo respiratório) e também no ritmo.

Fonte: br.geocities.com/correionet.br.inter.net/www.wisegeek.org/www.geocities.com/www.bombeirosemergencia.com.br/mclocosta.sites.uol.com.br/www.betterhealth.vic.gov.au

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Córtex auditivo

PUBLICIDADE Córtex auditivo – Definição O córtex auditivo executa uma variedade de funções que nos permitem segregar …

Hipotálamo

PUBLICIDADE O que é o hipotálamo? O hipotálamo é a pequena estrutura em forma de cone dentro …

Sistema Nervoso Simpático

PUBLICIDADE Sistema Nervoso Simpático – Definição O sistema autônomo é composto de duas divisões, os …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Comment moderation is enabled. Your comment may take some time to appear.