Breaking News
Home / Corpo Humano / Olho Humano

Olho Humano

PUBLICIDADE

O olho humano é um órgão de precisão extrema.

O olho transforma impulsos luminosos em visão. As partículas de luz atingem o olho passando pela córnea, cristalino, vítreo  e a retina.

Na retina as células atravessam e chegam na camada dos fotorreceptores. Estes realizam uma reação química que transformam essa luz em um imulso nervoso que via nervo óptico chegam até nosso cérebro.

O nervo óptico tem a função de transmitir o impulso nervoso causado pela luz ao nosso cérebro. O cérebro decifra, permitindo enxergar os objetos.

O cérebro transforma em apenas uma única imagem os impulsos nervosos recebidos dos olhos.

Por Portal São Francisco


Enquanto a visão é um processo complicado, o olho apenas recebe a luz.

A primeira função dos olhos é focalizar a luz.

Seu funcionamento é como o de uma câmera fotográfica, onde os raios de luz penetram pela córnea, que possui um grande poder de focalização.

A íris regula a quantidade de luz que entra nos olhos, aumentando ou diminuindo o tamanho da pupila (abertura central da íris).

A luz então viaja através do cristalino, que faz o ajuste fino na focalização sobre a retina, localizada na parte posterior do olho, atuando como se fosse o filme da câmera. A retina transforma a luz em impulsos elétricos, que são levados pelo nervo óptico até o cérebro.

Para enxergarmos bem, os raios de luz necessitam ser precisamente focalizados sobre a retina.

O OLHO HUMANO

Olho Humano
Olho Humano

As principais partes do olho humano são:

A córnea

É a parte da frente do olho, onde vemos o branco do olho e a íris. A córnea normal é transparente e esférica.

O cristalino

É uma lente gelatinosa, elástica e convergente que focaliza a luz que entra no olho, formando imagens na retina. A distância focal do cristalino é modificada por movimentos de um anel de músculos, os músculos ciliares, permitindo ajustar a visão para objetos próximos ou distantes. Isso se chama de acomodação do olho à distância do objeto. A convergência correta do cristalino faz com que a imagem de um objeto, formada na retina, fique nítida e bem definida. Se for maior ou menor que a necessária, a imagem fica fora de foco, como se costuma dizer. A imagem é real e invertida mas isso não tem importância já que todas as imagens também são invertidas e o cérebro se adapta a isso desde o nascimento.

Na figura esquemática abaixo, o cristalino (lente) está inicialmente ajustado para uma dada distância do objeto. Se o objeto se aproxima, a imagem perde a nitidez. Para recuperá-la o cristalino se acomoda, aumentando a convergência, isto é diminuindo a distância focal.

Olho Humano

A íris

É aquela parte circular que dá a cor do olho. É opaca mas tem uma abertura central, a PUPILA, por onde entra a luz.

O diâmetro da pupila varia automaticamente com a intensidade da luz ambiente: no claro ela é estreita e no escuro se dilata. Seu diâmetro pode passar de 2 mm a 8 mm, aproximadamente

A retina: é nela que se formam as imagens das coisas que vemos. A retina é composta de células sensíveis à luz, os cones e os bastonetes. Essas células transformam a energia luminosa das imagens em sinais nervosos que são transmitidos ao cérebro pelo nervo ótico. Normalmente, as imagens dos objetos que olhamos diretamente formam-se na região da retina bem na linha que passa pela pupila e pelo centro do cristalino, isto é, pelo eixo do globo ocular.

Essa região, chamada de fóvea, é rica de cones, que são as células mais sensíveis à visão das cores.

No resto da retina praticamente só tem bastonetes que são menos sensíveis às cores mas são mais sensíveis à baixa intensidade de luz.

Na semi-obscuridade são os bastonetes que se encarregam de nossa visão: por isso se diz que à noite todos os gatos são pardos. Na posição de onde sai o nervo ótico fica o chamado ponto cego.

Olho Humano

Nesse ponto não existem cones nem bastonetes e uma imagem que se forme sobre ele não é vista.

Para comprovar isto faça o seguinte teste: feche seu olho esquerdo e, fixando a cruz com o olho direito, mova a cabeça para frente e para trás até que o círculo preto desapareça. Isso se dá quando a imagem do círculo preto cai sobre o ponto cego.


Olho Humano

Olho Humano

O olho humano é, aproximadamente, uma esfera com diâmetro de cerca de 20 mm.

O olho humano possui 3 membranas que o envolvem:

A córnea

tecido resistente e transparente que cobre a superfície anterior do olho

A coróide

é a cobertura externa da esclerótica a retina

Descrevendo o olho humano

Olho Humano
Olho Humano

Olho Humano

Introdução

O olho, ou globo ocular, é um dos órgãos dos sentidos mais sofisticado e desenvolvido nos seres humanos, apresentando alta sensibilidade e precisão maiores do que a da maioria dos animais. Os dois olhos humanos são protegidos pelas proeminências ósseas do crânio e pelas pálpebras. As pálpebras são formadas por um tecido músculo-fibroso, revestido externamente por pele e internamente pela conjuntiva.

Os cílios são os pêlos finos que se encontram na borda das pálpebras.

Também têm função de proteção, já que impedem que pequenas partículas cheguem ao globo ocular. As sobrancelhas, acima do olho, também apresentam uma função parecida.

Os músculos oculares se situam ao redor do globo ocular. Sua contração, que pode ser controlada voluntariamente, permite ao olho rodar em qualquer direção e aumentar, assim, o campo visual em torno de 180 graus.

Estruturas externas Córnea

A córnea é parte da camada externa do olho e equivale ao vidro de um relógio;
Apresenta as seguintes funções:
Transmissão e refração da luz. Funciona como uma lente que, associada ao cristalino, compõe o sistema óptico responsável por focalizar as imagens na retina;
Proteção da parte anterior do globo ocular

Conjuntiva

A conjuntiva é uma membrana transparente e delgada que recobre a parte branca do olho e internamente as pálpebras. Tem como função a defesa da superfície ocular contra agentes externos e a manutenção da lubrificação ocular

Íris

Além de dar cor aos olhos – castanho, verde ou azul -, a íris tem a grande função de controlar a intensidade de luz que chega dentro do olho. Isto porque funciona como a abertura de uma máquina fotográfica. A íris tem uma pequena abertura bem no seu centro chamada de pupila, por onde passam os raios luminosos para o interior do globo ocular.

O tamanho da pupila é determinado pela contração e relaxamento dos músculos da íris e varia conforme a intensidade da luz:

Tornando-se mais dilatada quando há pouca luz (para que mais luz chegue até a retina);

Estando mais contraída (fechada) quando há muita luz, para diminuir a intensidade de luz que chega no interior do olho

Esclerótica ou esclera

É a “parte branca” que delimita a porção colorida do olho. A esclerótica ou esclera é responsável pela manutenção da forma do olho e pela proteção das estruturas oculares, já que tem uma consistência mais rígida

Cristalino

O cristalino tem a importante função de regular o foco dos objetos conforme a distância que eles se situam do olho (como se faz com um binóculo), permitindo a visão precisa de objetos próximos e distantes. Com o passar dos anos, o cristalino perde sua elasticidade e a capacidade de mudar sua forma. Por isso, muitas pessoas a partir dos 40 ou 50 anos necessitam de óculos para perto, especialmente para leitura, com o objetivo de compensar esta perda visual chamada, tecnicamente, de presbiopia. A perda da transparência (opacificação) do cristalino, também freqüente em pessoas idosas, é chamada de catarata e freqüentemente leva à cegueira

Estruturas internas

Retina

A retina é um tecido fundamental para o funcionamento do olho e trabalha como o filme numa máquina fotográfica: a imagem é focalizada diretamente nela, que reveste os 2/3 posteriores na parte interna do olho. Sua função é receber as imagens, formá-las e enviá-las para o cérebro. As imagens se formam com maior nitidez na mácula, sendo mais precisas ainda na fóvea (região central da mácula)

Nervo óptico

O nervo óptico é a continuação das células nervosas da retina. Sua função é levar as imagens captadas na retina para o cérebro para formar a visão

Métodos de visualização da retina

A retina pode ser visualizada pelo oftalmologista através da pupila. Isso pode ser feito por meio de instrumentos oftalmológicos mais simples, como o oftalmoscópio, bem como através de métodos mais sofisticados

Fluidos intraoculares

O olho é preenchido pelo líquido intraocular, que mantém pressão suficiente no globo ocular para que fique distendido e com formato esférico.

Esse líquido pode ser dividido em duas porções: humor aquoso e humor vítreo. O equilíbrio entre a formação e a reabsorção do humor aquoso regula o volume total e a pressão do líquido intra-ocular.

Medição da pressão intraocular: tonometria

Pelo fato de não ser prático introduzir uma agulha dentro do olho do paciente para medir a pressão intra-ocular, essa pressão é medida clinicamente por meio de um dispositivo apropriado chamado de tonômetro. A córnea é anestesiada localmente e a base do tonômetro é colocada sobre a córnea. Uma pequena força é aplicada no êmbolo central, fazendo com que a parte da córnea situada abaixo do êmbolo seja empurrada para dentro. A quantidade desse deslocamento é registrada na escala do tonômetro e este, por sua vez, é calibrado em termos de pressão intra-ocular.

O filme lacrimal

O filme lacrimal, também conhecido como lágrima, é o mecanismo natural do organismo para proteger a superfície ocular contra infecções e contra os efeitos corrosivos da sujeira, poeira e outras partículas aéreas. Elas ajudam a criar uma superfície regular, de forma que a visão permaneça clara e sem distorções, proporcionando uma sensação de conforto nos olhos. As lágrimas fornecem uma superfície úmida e lubrificada, que se mantêm sobre o epitélio corneano.

O filme lacrimal é composto por três camadas:

A camada mais externa, oleosa, previne a evaporação excessiva da lágrima;
A camada do meio, aquosa, mantém o olho umidificado;
A camada interna mucosa forma a ligação entre o filme lacrimal e o epitélio corneano.

Funções das lágrimas

Fazer da córnea uma superfície óptica, lisa e regular, favorecendo a precisão da visão;
Umedecer a córnea e a conjuntiva;
Inibir o desenvolvimento de microorganismos no olho.

Uma produção adequada de lágrimas é importante para a manutenção da saúde, do conforto e da capacidade de controle de infecções no olho. A deficiência na produção das lágrimas ou de qualquer um dos elementos componentes no filme lacrimal pode produzir o que se chama de olho seco.

PARTES DO OLHO

Olho Humano

Olho Humano

Anatomia do Olho Humano

PARTES DOS OLHOS

Para conhecer mais sobre o funcionamento da visão é importante conhecer um pouco sobre as partes do olho.

PARTES DOS OLHOS

Cornea: É transparente, situada na parte anterior do olho, transmite e foca a luz para dentro do olho.
Iris
: Responsável pela coloração dos olhos. A íris ajuda a regular a quantidade de luz que entra para dentro do olho.
Pupila:
Região central e escura da íris. O diâmetro da pupila determina a quantidade de luz que entra para dentro do olho. O tamanho da pupila varia de acordo com a quantidade de luz no ambiente.
Cristalino:
Lente transparente dentro do olho, que ajuda a focalizar a luz para dentro do olho, mais especificamente na retina.
Esclera:
Éa parte branca que reveste o olho.
Retina:
É um tecido do sistema nervoso que está situado para parte posterior do olho. A retina percebe a luz e produz estímulos que são transmitidos através do nervo óptico até o cérebro.
Macula
: É uma região pequena da retina, que contém células especiais sensíveis a luz. É responsável pela percepção de detalhes finos da visão.
Nervo Óptico:
O nervo óptico conecta o olho ao cérebro. O nervo transporta os implusos formados pela retina até o cerebro, que interpreta as imagens.
Vítreo:
É claro e transparente, parecido com um gelatina, que preenche o conteúdo do olho.

Anatomia do olho

Olho Humano
Olho Humano

Um olho humano dá a visão mais nítida quando é perfeitamente esférico, isto é, arredondado como uma bola de basquete. A distorção ocorre quando qualquer deles, o balão ocular ou a córnea, estão ligeiramente não arredondados, dando lugar às ametropias visuais conhecidas como astigmatismo, miopia ou hipermetropia.

Como funciona o olho

Olho Humano

A luz do objeto A é enfocada pela córnea e o cristalino formando uma imagem investida sobre as células sensíveis à luz da retina. A informação é transmitida ao cérebro em impulsos desde essas células pelo nervo óptico. A quantidade de luz que entra no olho é regulada pelo iris. A pupila é a abertura centrada no iris que pode variar de tamanho.

 

A estrutura anatômica

É uma simples esfera que mede aproximadamente 2,5 cm de diâmetro – mas seu poder é incrível. Distingue cores e formas. Na presença de luz forte ou fraca. De perto ou de longe. Ajuda você a ler livros, situações, pessoas. É um elo de ligação vital com o mundo à sua volta. E dá certo graças a complexo balé entre músculos e nervos.

A luz refletida em um objeto passa pela córnea. Os músculos em torno do olho se contraem ou relaxam para ajustar a forma da lente, focalizando os raios de luz.

Os raios, então, atingem a retina, onde mais de 100 milhões de células sensíveis à luz interpretam esses raios e transmitem a imagem ao cérebro através do nervo óptico.

Como os raios de luz se cruzam enquanto atravessam a córnea, a retina interpreta a imagem de cabeça para baixo – mas o cérebro reajusta a imagem, garantindo que você seja adequadamente orientado.

Córnea

Olho Humano
Um janela translúcida que transmite e focaliza a luz dentro do olho

Íris

Olho Humano
O disco colorido que ajuda a regular a quantidade de luz que entra no olho

Pupila

Olho Humano
O centro escuro da íris, que muda de tamanho para se adptar à quantidade de luz disponível.

Cristalino

Olho Humano
Lente de estrutura transparente que focaliza os raios de luz para a retina

Retina

Olho Humano
A camada de nervo que lê os raios de luz e manda imagens para o cérebro através do nervo óptico

Mácula

Olho Humano
A pequena área da retina que usa células especiais sensíveis à luz para delinear detalhes finos

Nervo Óptico

Olho Humano
O nervo que conecta o olho ao cérebro

Humor Vítreo

Olho Humano
A substância translúcida, semelhante a uma gelatina, que preenche o meio do olho

Fonte: www.escolavesper.com.br/www.novartis.com.br/www.oftalmo.com.br/ www.coopervision.com/www.bausch.com.br

Veja também

Epigástrio

PUBLICIDADE Epigástrio – Anatomia A parte do abdome superior imediatamente sobre o estômago. Epigástrio é …

Mesentério

PUBLICIDADE Definição de Mesentério O mesentério é um conjunto contínuo de tecidos localizados no abdômen. …

Músculo esquelético

Músculo Esquelético

PUBLICIDADE O sistema muscular é responsável pelo movimento do corpo humano, postura, movimento de substâncias …

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.