Breaking News
Home / Corpo Humano / Sistema Nervoso Simpático

Sistema Nervoso Simpático

PUBLICIDADE

Sistema Nervoso Simpático – Definição

O sistema autônomo é composto de duas divisões, os sistemas simpático e parassimpático. Geralmente atuam de forma antagônica nos órgãos, mas de maneira bem integrada.

É o equilíbrio das ações de ambas as divisões que mantém um ambiente interno estável no corpo.

Sistema nervoso simpático, divisão do sistema nervoso que funciona para produzir ajustes localizados (como suor em resposta a um aumento na temperatura) e ajustes reflexos do sistema cardiovascular.

Em condições de estresse, todo o sistema nervoso simpático é ativado, produzindo uma resposta imediata e generalizada, chamada de resposta de luta ou fuga. Esta resposta é caracterizada pela liberação de grandes quantidades de epinefrina da glândula adrenal, aumento da freqüência cardíaca, aumento do débito cardíaco, vasodilatação do músculo esquelético, vasoconstrição cutânea e gastrointestinal, dilatação pupilar, dilatação brônquica e piloereção.

O sistema nervoso simpático e o sistema nervoso parassimpático constituem o sistema nervoso autônomo.

O que é o Sistema Nervoso Simpático?

O sistema nervoso humano é altamente complexo, grande parte do qual opera sem nossa intervenção consciente. A parte do sistema nervoso que funciona automaticamente é chamada de sistema nervoso autônomo.

sistema nervoso simpático é uma subseção dessa parte e é responsável por funções governantes, como a resposta de lutar ou fugir ao estresse, bem como outras formas de geração de energia.

Suas funções são equilibradas de forma complementar pelo sistema nervoso parassimpático, que controla o relaxamento após um evento estressante.

Além de preparar o corpo para enfrentar emergências, o sistema nervoso simpático serve a outros propósitos vitais. Por exemplo, levantar-se depois de ficar sentado por um longo período deve ser acompanhado de aumento da pressão arterial, ou a pessoa pode ficar inconsciente.

A maioria das pessoas experimentou ou observou tontura quando se levantou repentinamente. Sem o funcionamento adequado do sistema nervoso simpático, efeitos como esses seriam muito ampliados.

Este sistema também prepara o corpo para acordar e agir após um ciclo de sono, bem como aumentar a frequência cardíaca e a transpiração durante o exercício.

sistema nervoso parassimpático pode ser visto como realizando muitas das mesmas funções, mas ao contrário, quando isso é o mais apropriado.

É assim que esses dois sistemas não estão em oposição um ao outro, mas funcionam para modular as maneiras pelas quais os outros sistemas vitais do corpo atuam. Na verdade, eles observam mudanças de momento a momento no ambiente e na mentalidade, e trabalham para manter o corpo em uma condição constante e estável, o que é conhecido como homeostase.

Os nervos e outras estruturas que constituem o sistema nervoso simpático têm origem nas vértebras torácicas da coluna vertebral. Deste ponto inicial na medula espinhal, os neurônios gradualmente se ramificam para todos os principais sistemas e órgãos do corpo. Os distúrbios desse sistema são raros, mas muitos são caracterizados pela hiperatividade do sistema.

Uma dessas doenças, conhecida como síndrome da distrofia simpática reflexa (RSDS), normalmente causa dor regional intensa e sensações de queimação no corpo, especialmente nas extremidades.

Outros sintomas imitam o que de outra forma seriam as operações naturais do sistema nervoso simpático, como membros aquecidos ao toque, suor excessivo e sensibilidade aumentada ao calor e ao frio.

Devido em parte à sua raridade, as causas da RSDS não são totalmente compreendidas, embora tenha sido associada a algumas formas de lesão nervosa.

Qual é a função do sistema nervoso simpático?

Sistema Nervoso Simpático

sistema nervoso simpático faz parte do sistema nervoso periférico e é responsável por muitas das respostas reflexivas e involuntárias do corpo. É a metade do sistema nervoso autônomo, que também ajuda o corpo a regular seus processos internos em resposta a ambientes em constante mudança e estímulos externos. Os nervos simpáticos operam fora do sistema nervoso central, estão localizados principalmente na medula espinhal e interagem com uma parte primária do cérebro chamada gânglios.

Quando a mudança no ambiente de um indivíduo representa uma ameaça à sua segurança, o sistema nervoso simpático inicia o que é comumente conhecido como resposta de luta ou fuga.

Essa resposta prepara o corpo para lidar com o perigo de duas maneiras: em pé para enfrentá-lo ou fugir. Em ambos os casos, há uma mudança em algumas das funções corporais involuntárias básicas, como frequência cardíaca e pressão arterial.

Quando o indivíduo sente uma situação perigosa ou ameaçadora, o sistema nervoso simpático envia sinais por todo o corpo dizendo ao coração e às taxas de respiração para aumentar, as pupilas para dilatar e as artérias para se contraírem em preparação para a resposta de luta ou fuga. A resposta também retardará quaisquer processos digestivos que estejam ocorrendo, aumentará a pressão sanguínea para fornecer mais oxigênio aos músculos e resultará em aumento da sudorese.

Todas essas respostas involuntárias permitem que o corpo esteja mais bem equipado para lidar com o que vier a seguir.

O sistema nervoso simpático tem um sistema parceiro, denominado sistema nervoso parassimpático. O primeiro sistema ativa todas as respostas corporais, enquanto o segundo as desativa. Depois que o perigo passa, os nervos parassimpáticos enviam sinais ao corpo para diminuir a frequência cardíaca e retornar os processos involuntários ao estado normal. Quando esses dois sistemas funcionam em conjunto, permite que o corpo se ajuste para estar adequadamente preparado para enfrentar o perigo, ao mesmo tempo que não causa nenhum dano permanente por longos períodos de aumento da atividade.

Quando há um mau funcionamento em um desses sistemas, geralmente ambos são afetados.

Indivíduos que sofrem de crises repentinas de tontura ou alterações na frequência cardíaca e na pressão arterial podem estar desenvolvendo um mau funcionamento em uma dessas partes do sistema nervoso.

A deterioração do sistema nervoso simpático é uma ocorrência comum à medida que um indivíduo envelhece e geralmente se manifesta como dificuldade em lidar com situações estressantes e uma repressão da capacidade do corpo de aumentar a pressão arterial e a frequência cardíaca em resposta a estímulos externos.

Fisiologia do Sistema Nervoso Simpático

Sistema Nervoso Simpático

Juntamente com os outros dois componentes do sistema nervoso autônomo, o sistema nervoso simpático auxilia no controle da maioria dos órgãos internos do corpo. Acredita-se que o estresse – como na hiperexcitação da resposta de voar ou lutar – neutraliza o sistema parassimpático, que geralmente funciona para promover a manutenção do corpo em repouso.

sistema nervoso simpático é responsável por regular muitos mecanismos homeostáticos em organismos vivos.

As fibras do SNS inervam os tecidos em quase todos os sistemas orgânicos e fornecem regulação fisiológica sobre diversos processos do corpo, incluindo o diâmetro da pupila, a motilidade intestinal (movimento) e o débito urinário.

O SNS talvez seja mais conhecido por mediar a resposta neuronal e hormonal ao estresse, comumente conhecida como resposta de luta ou fuga, também conhecida como resposta simpático-adrenal do corpo. Isso ocorre porque as fibras simpáticas pré-ganglionares que terminam na medula adrenal secretam acetilcolina, que ativa a secreção de adrenalina (epinefrina) e, em menor grau, de noradrenalina (norepinefrina).

Portanto, essa resposta é mediada diretamente por impulsos transmitidos pelo sistema nervoso simpático e também indiretamente por catecolaminas secretadas da medula adrenal e atuam principalmente no sistema cardiovascular.

As mensagens trafegam pelo SNS em um fluxo bidirecional. Mensagens eferentes podem desencadear mudanças simultâneas em diferentes partes do corpo.

Por exemplo, o sistema nervoso simpático pode acelerar a frequência cardíaca, alargar as passagens brônquicas, diminuir a motilidade do intestino grosso, contrair os vasos sanguíneos, aumentar o peristaltismo no esôfago, causar dilatação pupilar, piloereção (arrepios) e transpiração (suor) e aumentar pressão arterial.

Mensagens aferentes transmitem sensações como calor, frio ou dor. Alguns teóricos da evolução sugerem que o sistema nervoso simpático operava nos primeiros organismos para manter a sobrevivência, uma vez que o sistema nervoso simpático é responsável por preparar o corpo para a ação. Um exemplo desse priming está nos momentos antes de acordar, nos quais o fluxo simpático aumenta espontaneamente em preparação para a atividade.

Sistema Nervoso Simpático – Resumo

Sistema Nervoso Simpático

O sistema nervoso simpático (SNS) faz parte do sistema nervoso autônomo (SNA), que também inclui o sistema nervoso parassimpático (SNP).

O sistema nervoso simpático ativa o que costuma ser denominado resposta de luta ou fuga.

Como outras partes do sistema nervoso, o sistema nervoso simpático opera por meio de uma série de neurônios interconectados.

Os neurônios simpáticos são freqüentemente considerados parte do sistema nervoso periférico (SNP), embora haja muitos que se encontram no sistema nervoso central (SNC).

Os neurônios simpáticos da medula espinhal (que faz parte do SNC) se comunicam com os neurônios simpáticos periféricos por meio de uma série de gânglios simpáticos.

Dentro dos gânglios, os neurônios simpáticos da medula espinhal unem-se aos neurônios simpáticos periféricos por meio de sinapses químicas.

Os neurônios simpáticos da medula espinhal são, portanto, chamados de neurônios pré-sinápticos (ou pré-ganglionares), enquanto os neurônios simpáticos periféricos são chamados de neurônios pós-sinápticos (ou pós-ganglionares).

Nas sinapses dentro dos gânglios simpáticos, os neurônios simpáticos pré-ganglionares liberam acetilcolina, um mensageiro químico que se liga e ativa os receptores nicotínicos da acetilcolina nos neurônios pós-ganglionares.

Em resposta a esse estímulo, os neurônios pós-ganglionares liberam principalmente noradrenalina (norepinefrina).

A ativação prolongada pode provocar a liberação de adrenalina da medula adrenal.

Uma vez liberadas, a noradrenalina e a adrenalina ligam-se aos receptores adrenérgicos nos tecidos periféricos.

A ligação aos receptores adrenérgicos causa os efeitos observados durante a resposta de luta ou fuga.

Estes incluem dilatação da pupila, aumento da transpiração, aumento da frequência cardíaca e aumento da pressão arterial.

Os nervos simpáticos se originam no interior da coluna vertebral, em direção ao meio da medula espinhal na coluna de células intermediolateral (ou corno lateral), começando no primeiro segmento torácico da medula espinhal e acredita-se que se estendam até o segundo ou terceiro segmentos lombares.

Como suas células começam nas regiões torácica e lombar da medula espinhal, diz-se que o SNC tem um fluxo toracolombar.

Os axônios desses nervos deixam a medula espinhal nos ramos ventrais (ramos) dos nervos espinhais e, em seguida, separam-se como “ramos brancos” (chamados de bainhas brancas brilhantes de mielina ao redor de cada axônio) que se conectam a dois gânglios da cadeia que se estendem ao lado da coluna vertebral à esquerda e à direita.

Esses gânglios alongados também são conhecidos como gânglios paravertebrais ou troncos simpáticos.

Nesses centros, as conexões (sinapses) são feitas, as quais distribuem os nervos aos principais órgãos, glândulas e outras partes do corpo.

Fonte: www.kenhub.com/www.medicinenet.com/Encyclopaedia Britannica/courses.lumenlearning.com/www.wisegeek.org/www.neuroscientificallychallenged.com/www.sciencedaily.com

 

 

 

Conteúdo Relacionado

Veja também

Neuroanatomia

PUBLICIDADE Neuroanatomia – Definição A neuroanatomia trata da estrutura do sistema nervoso. Todos os sistemas nervosos consistem …

Sistema Nervoso Parassimpático

PUBLICIDADE Sistema Nervoso Parassimpático – Definição O sistema nervoso parassimpático é uma divisão anatomicamente definida do sistema …

Sistema Nervoso Autônomo

PUBLICIDADE Sistema Nervoso Autônomo – Definição O sistema nervoso autônomo é uma rede complexa de …