Facebook do Portal São Francisco
Google+
+ circle
Home  Cérebro  Voltar

Cérebro

 

O Cérebro (principal constituinte do encéfalo) é o principal órgão do sistema nervoso central e o centro de controlo de muitas atividades voluntárias e involuntárias do nosso corpo.

Ele também é responsável pelas ações complexas como pensamento, memória, emoção e linguagem.

No adulto este órgão pode ter cerca de 12 biliões de neurónios (células do sistema nervoso).

O encéfalo está protegido pela caixa craniana, por membranas finas chamadas meninges e pelo líquido cefalorraquidiano.

Existem três meninges:

1. A dura–máter, a camada mais externa, é espessa, dura e fibrosa, e protege o tecido nervoso do ponto de vista mecânico.
2.
A aracnoideia, a camada intermédia, é mais fina, sendo responsável pela produção do líquido cefalorraquidiano.
3.
A pia-máter, a camada mais interna, é muito fina e é a única membrana vascularizada, sendo responsável pela barreira sangue-Cérebro.

Ao espaço entre a membrana aracnoideia e a pia-máter dá-se o nome de espaço subacnoideu. Este é constituído por um fluído limpo, o fluído cefalorraquidiano, e por um conjunto de pequenas artérias que fornecem sangue à superfície exterior do Cérebro.

Cérebro

Podem-se distinguir várias zonas principais no encéfalo:

Bolbo raquidiano

É o ponto de passagem dos nervos que ligam a medula ao Cérebro. Contém grupos de neurónios especializados no controlo de funções fisiológicas vitais, como o ritmo cardíaco, a respiração, a pressão arterial, ou funções motoras básicas como engolir. Esta região também influencia o sono e a tosse.

Cerebelo

É uma zona dorsal e desempenha um papel importante na manutenção do equilíbrio e na coordenação da atividade motora. Esta região recebe ordens do Cérebro sobre os músculos e “ajusta-as” para uma melhor atuação motora.

Encéfalo médio ou mesencéfalo

É a zona que processa informação sensorial (visual e auditiva).

Tálamo

É a zona onde chegam a maior parte das fibras sensitivas e aqui as informações sensoriais são retransmitidas para as respectivas áreas do córtex cerebral.

Cérebro

Hipotálamo

Desempenha um papel fundamental na regulação da temperatura do corpo, da fome, da sede, do comportamento sexual, na circulação sanguínea e no funcionamento do sistema endócrino (regulação hormonal).

Sistema límbico

É constituído por: hipocampo, septo, amígdala e o bolbo olfativo. Ele é responsável por emoções, motivação e comportamento agressivo.

Cérebro

É o centro da maioria das atividades conscientes e inteligentes e é composto pelos hemisférios cerebrais direito e esquerdo, unidos pelo corpo caloso. O hemisfério esquerdo é responsável pela linguagem verbal, pelo pensamento lógico e pelo cálculo. O hemisfério direito controla a percepção das relações espaciais (distâncias entre objetos), a formação de imagens e o pensamento lógico, entre outros. Em geral as funções motoras e sensitivas são “cruzadas”, ou seja, a metade direita do Cérebro controla a metade esquerda do corpo e vice-versa.

Cérebro

Cada hemisfério é constituído por uma camada de substância branca e outra de substância cinzenta ou córtex cerebral.

A substância cinzenta, que corresponde aos centros nervosos, tem um aspecto acinzentado devido aos corpos celulares dos neurónios que a constituem. São várias as funções do córtex cerebral, algumas simples, outras mais complexas. Estas últimas envolvem processamento a alto nível- córtex associativo. É nesta substância que estão os centros de cognição e personalidade e onde se organiza a coordenação dos movimentos complexos. A substância branca, correspondente às vias nervosas, é formada pelas “caudas” dos neurónios (axónios). Os axónios ligam as células entre si e também as ligam a outras partes do encéfalo.

Existem em cada hemisfério quatro lobos:

Cérebro

Lobo temporal

Cuja zona superior recebe e processa informação auditiva. As áreas associativas deste lobo estão envolvidas no reconhecimento, identificação e nomeação dos objetos.

Lobo frontal

É o córtex motor primário, associado ao movimento de mãos e da face. As funções associativas deste lobo estão relacionadas com o planeamento.

Lobo parietal

É o córtex somato-sensorial primário, recebe informação através do tálamo sobre o toque e a pressão. A nível associativo este lobo é responsável pela reação a estímulos complexos.

Lobo occipital

Recebe e processa informação visual. As suas áreas associativas estão relacionadas com a interpretação do mundo visual e do transporte da experiência visual para a fala.

O oxigénio e os nutrientes, necessários para o funcionamento normal das células do Cérebro, chega-lhes através do sangue que circula em vasos sanguíneos (artérias).

O Cérebro recebe sangue por dois pares de artérias:

Artérias carótidas, que se formam a partir das artérias do pescoço.

Estas dividem-se em: artéria carótida externa, que fornece sangue à face e ao couro cabeludo; artéria carótida interna, que fornece sangue à parte da frente do Cérebro e do globo ocular.

Artérias vertebrais, que se formam a partir das artérias do peito. Estas dividem-se e fornecem sangue à parte de posterior do Cérebro, ao cerebelo e ao bolbo raquidiano.

Fonte: www.igc.gulbenkian.pt

Cérebro

O Cérebro humano, que requer 25% daquilo que o coração bombeia, é particularmente complexo e extenso. Se divide em 2 metades, o hemisfério esquerdo e o hemisfério direito.

O seu aspecto se assemelha ao míolo de uma nóz.

É um conjunto distribuído de milhares de milhões de células que se extende por uma área de mais de 1 metro quadrado dentro do qual conseguimos diferenciar certas estruturas correspondendo às chamadas «áreas funcionais», que podem cada uma abranger até um décimo dessa área.

O cérebro cresce à um ritmo impressionante durante o seu desenvolvimento. Em certas épocas do desenvolvimento cerebral, 250.000 novos neurônios por minuto são adicionados!!! No nascimento, o cérebro já possui a maioria dos neurônios definitivos. Mesmo assim, o cérebro continua à crescer por alguns anos após o nascimento. Lá pelo segundo ano de vida, o cérebro já possui 80% do tamanho do cérebro adulto.

Você deve estar se perguntando: "Como o cérebro continua à crescer, se a maior dos neurônios já estava presente no nascimento?". A resposta está nas células da glia. Estas células continuam a se dividir e multiplicar. As células da glia realizam uma série de atividades importantes no cérebro, como isolar os neurônios com mielina. Mesmo entre os neurônios, embora não haja um aumento no seu número, há um aumento expressivo no número de conexões são estabelecidas com outros neurônios.

O Cérebro durante o desenvolvimento

O sistema nervoso se desenvolve à partir de um tecido embrionário chamado de ectoderma. O primeiro sinal do desenvolvimento do sistema nervoso, é a placa neural, que pode ser vista à partir do 16º dia do desenvolvimento. Com mais alguns dias, uma fenda é formada na placa neural, criando a goteira neural. Lá pelo 21º dia de desenvolvimento, um tubo neural se forma, quando as pontas da fenda neural se juntam. A parte rostral (frente) do tubo neural acaba se transformando no cérebro, enquanto que o resto do tubo neural forma a medula espinhal.

Cérebro

Na parte da frente do tubo neural, 3 áreas principais do cérebro são formadas: O prosencéfalo, o mensencéfalo e o rombencéfalo. Na 7ª semana de desenvolvimento, estas 3 áreas se dividem novamente. Este processo é chamado de encefalização.

Tamanho do Cérebro

Como você já pode ter imaginado, os animais maiores tem cérebros maiores.

Porém, isto não significa que animais com cérebros maiores são mais inteligentes que animais com cérebros menores.

Por exemplo, um cérebro maior é necessário para controlar os músculos maiores que os animais maiores possuem.

Um cérebro maior também é necessário para processar a grande quantidade de informações sensoriais que um animal maior necessita, e isto, não tem nada à ver com inteligência.

Peso do Cérebro (gramas) Espécie
6,000 Elefante
1,300-1,400 Humano Adulto
97 Macaco (Rhesus)
72 Cachorro
30 Gato
10 Coelho
2.2 Coruja

Durante a evolução, as áreas do cérebro que mais sofreram mudanças são os hemisférios cerebrais (áreas em vermelho na figura ao lado): Os animais que evoluíram mais recentemente tem uma área maior do cérebro dedicada ao córtex cerebral.

Nos animais "superiores" (especialmente os mamíferos), a superfície do córtex começa à apresentar dobras, que são chamadas de circunvoluções. Estas dobras protuberantes são chamadas de giros, enquanto que os "vales" entre elas são chamadas de giros.

O córtex dos animais adquiriu esta forma, pois ela permite um aumento muito grande na área cortical, sem a necessidade de um aumento exagerado no tamanho da caixa craniana (o que dificultaria muito o parto).

O córtex cerebral é dividido em 4 lobos, e está envolvido na maior parte das nossas funções mentais mais complexas como o raciocínio, a linguagem, e a consciência.

Ilustração respeita a escala entre os cérebros
(Ilustração respeita a escala entre os cérebros)

O Córtex Sensorial Primário

Algumas áreas do córtex cerebral nos lobos parietais estão envolvidas com o processamento de informações relacionadas com o tato. Uma destas áreas é o Córtex Sensorial Primário, que fica localizado atrás do sulco central. Os neurônios do Córtex Sensorial são ativados quando a pele é tocada.

O corpo porém não é representado de maneira fiel em relação à área de pele. Um mapa da representação do copo no córtex sensorial foi feita pelo Dr. Wilder Penfield, um neurocirurgião, na década de 1950.

Após estimular com um eletrodo o córtex de pacientes que estavam sendo submetidos à cirurgias para melhorar sintomas de epilepsia, o Dr, Penfield perguntava ao paciente o que ele estava sentindo.

Ao observar as diferentes regiões do cérebro que faziam com que o paciente sentissem diversas partes do corpo, o Dr. Penfield desenhou um mapa da relação entre áreas do cérebro e do corpo.

Como pode ser visto na figura ao lado, mesmo que o tronco seja a maior região do corpo, a sua representação no cérebro é pequena.

O contrário acontece com a face e com as mãos, que ocupam uma parte considerável do córtex sensorial. Isto acontece porque temos uma grande densidade de receptores táteis nestas regiões e uma pequena densidade no tronco, o que causa estas distorções na representação cortical. Este mapa distorcido é chamado de homúnculo ("homem pequeno).

Espécies diferentes têm representações corticais diferentes dependendo da importância que cada região do corpo adquire.

Nos primatas e humanos, as mãos, pés e a face são muito importantes e ocupam grandes áreas do córtex sensorial, nos roedores, o focinho, e especialmente os "bigodinhos" tem uma representação grande, devido à importância destas áreas no reconhecimento do ambiente.

Fonte: br.geocities.com

Cérebro

O Cérebro é o órgão onde se radicam a sensibilidade consciente, a mobilidade voluntária e a inteligência; por este motivo é considerado como o centro nervoso mais importante de todo o sistema. Apresenta um profundo sulco que chega até o corpo caloso e o divide em dois hemisférios simétricos (esquerdo e direito). A córtex cerebral constitui o nível superior na organização hierárquica do sistema nervoso; se encontra repregada apresentando pregas ou circunvoluções e figuras ou canais. O córtex cerebral não é homogêneo, encontrando-se diferenças na espessura total, nas das diferentes capas e na conformação celular fibrilar.

O Cérebro APRESENTA DOIS HEMISFÉRIOS. AMBOS TÊM REENTRÂNCIA E SALIÊNCIAS: AS CICUNVOLUÇÕES CEREBRAIS

O Cérebro contém os centros nervosos relacionados com os sentidos, a memória, o pensamento e a inteligência. O Cérebro coordena também as ações voluntárias desenvolvidas pelo indivíduo, além de comandar atos inconscientes.

Observando a figura de um Cérebro, você vê que ele se divide em duas partes ou hemisférios cerebrais: um direito, outro esquerdo.

Repare também nas reentrâncias e saliências que o Cérebro apresenta: elas são denominadas circunvoluções cerebrais.

ESTRUTURA DE NEURÔNIOS

Para explicar isso, divide-se o grupo de estruturas de neurônios, conhecido pelo nome de córtex, em quatro áreas altamente especializadas. Cada uma destas áreas tem uma maneira de perceber, selecionar e processar as informações necessárias unicamente para cumprir sua tarefa específica.

Benziger desenha o Cérebro com forma oval e o divide (com uma linha vertical e outra horizontal que passam pelo centro) em quatro partes:

Lobo posterior esquerdo. Especializado em desenvolver seqüências e processos etapa por etapa. É o especialista das rotinas. Sempre que fazemos uma tarefa seqüenciada é esta a parte que domina, por exemplo, ao fazer uma conta com muitos números, fabricar objetos ou prestar serviços. Também é a parte que rotula e guarda as palavras. O meio cientifico e industrial o explora ao máximo para produzir alimentos, casas, roupa e tudo que se relaciona a processos automatizados.

As pessoas que têm esta área como líder são detalhistas, organizadas, preferem os procedimentos sujeitos a regras bem definidas e são grandes produtores de bens ou serviços.

Lobo posterior direito. É o especialista em perceber as relações harmônicas do mundo ao redor. Isto é, percebe através dos sentidos as partes do mundo cujos dados são úteis para chegar à harmonia e criá-la quando não existe. São as pessoas que, ao receber uma mensagem, percebem com maior facilidade o tom e os gestos do que as palavras que estão escutando. Esta área lidera as pessoas solidárias, que criam laços de boa vontade, lealdade e confiança com sua família, seu grupo de amigos, seus companheiros de trabalho e a sociedade em geral. São pessoas sensíveis e com alta noção de pertencer a um grupo.

Lobo frontal direito. Percebe padrões e relações abstratas. Por exemplo, ao ver um rosto, é a parte que desenha a caricatura. E também é o grande especialista em detectar as "tendências". Percebe mudanças e usa a imaginação para criar novas respostas, produtos, serviços ou estratégias. Também é o responsável por gestos e a linguagem corporal. Portanto, as pessoas que têm esta parte como líder gesticulam e precisam mover seu corpo quando estão falando. São pessoas sensíveis, criativas, visionárias e inovadoras.

Lobo frontal esquerdo. Tem maior habilidade para a análise lógica e é eficaz quando se trata de calcular, avaliar e diagnosticar porque "vê" a estrutura. Isto é, é a parte que sustenta, estimula ou impede alguma coisa. Portanto, sabe focalizar as metas e avaliar os resultados de uma ação.

São as pessoas que preferem falar apenas para comunicar alguma coisa: uma ordem, uma conclusão ou a pergunta exata. As pessoas que têm esta área como líder não hesitam em tomar as decisões necessárias. São lógicas, dirigentes natos, sabem negociar e debater.

Todos nós temos um Cérebro completo, isto é, utilizamos todas as nossas habilidades mentais. Mas - e este é o grande avanço da ciência, segundo a Dra. Benziger - cada pessoa tem uma área de seu Cérebro que domina as outras três. "A natureza dos químicos (os neurotransmissores) nos indica que há uma área do Cérebro que é mais eficiente, pois cada pessoa consome apenas 1% do oxigênio, a energia, quando utiliza sua área eficiente", afirma a Dra. Benziger. Como você pode saber qual é a área líder do seu Cérebro? Para a Dra.

Benziger a resposta é muito simples: "ao usar suas habilidades ou preferências mentais você sorri porque está fazendo algo que lhe diverte e de que você gosta. É porque está trabalhando ou atuando de uma maneira que o faz profundamente feliz."

1) Seu Cérebro lhe envia constantemente "sinais" de mal-estar ou bem-estar quando se trata de suas emoções, seus pensamentos, sua capacidade criativa ou de desenvolvimento em geral.
2)
Cada uma dessas quatro áreas tem uma maneira de perceber, selecionar e processar as informações necessárias para cumprir unicamente sua tarefa específica.

Cérebro
ESQUEMA DE UM CORTE DO Cérebro, MOSTRANDO A SUBSTÂNCIA CINZENTA (CÓRTEX CEREBRAL) E A SUBSTÂNCIA BRANCA

A camada externa do Cérebro, formada por esta substância cinzenta, denomina-se córtex cerebral. A parte interna é formada pela substância branca.

O Cérebro é o principal órgão do sistema nervoso e o centro de controle de todo o corpo, tanto das ações voluntárias quanto das involuntárias. É por isso que, mesmo se estiver dormindo, você respira e o coração bombeia sangue. Tudo porque o grande capitão fica no comando dos controles dessa nave fascinante e complexa que é o seu corpo. Ademais, quando você está acordado, cada vez que pensa, sente, se lembra de alguma coisa ou fala, é também seu Cérebro que está operando.

Ou seja, esteja você dormindo ou acordado, seu Cérebro se encarrega de que todos os sistemas de seu corpo funcionem normalmente. Mas as pessoas não são apenas um corpo que subsiste, mas seres que participam num mundo de relacionamentos consigo mesmos e com o mundo ao redor. Dentro desse mundo há muitas outras pessoas e outros elementos, aquilo que se chama a "realidade". Isto é, fatores que abrangem tudo, do clima e meio geográfico aos padrões de comportamento social, de trabalho e econômico.

Para responder a todas essas exigências externas, o Cérebro humano trabalha para desenvolver habilidades e respostas eficientes. É o grande aliado de cada um e o que nos ajuda a viver e a negociar com a realidade.

Neste sentido, há um elemento muito importante: seu Cérebro sempre atua procurando seu bem-estar e seu progresso pessoal.

Por exemplo, se você acaba de jogar uma partida de futebol, ou, depois de um longo dia de trabalho, se sente cansado, é seu Cérebro o encarregado de dar-lhe os sinais para que você faça tudo o que seu corpo necessita para recuperar as energias. Você pode dormir, comer sua comida favorita ou sentar-se para ver um bom filme. Depende de cada um.

Seu Cérebro está constantemente enviando-lhe "sinais" de mal-estar ou bem-estar quando se trata de suas emoções, seus pensamentos, sua capacidade criativa ou de crescimento em geral. Já pode ter acontecido de você ficar de mau humor porque não gosta do seu trabalho.

Ou você se sente relaxado e feliz simplesmente porque está lendo um bom livro. Isso também depende de cada pessoa, porque o aspecto mais maravilhoso do Cérebro humano é que ele foi projetado de tal forma que cada indivíduo tem certos talentos e habilidades que, de forma "natural", predominam sobre os outros. À medida que você vai desenvolvendo esses talentos e habilidades você adquire mais chances de êxito.

Portanto, seu êxito pessoal depende da capacidade que você desenvolve para "escutar" e aprender a identificar os sinais que seu Cérebro lhe envia. Na medida em que suas decisões e suas ações estejam em sintonia com seus neurônios, mais cheia será sua vida.

Os avanços da neurociência nos últimos vinte anos permitem saber um pouco mais sobre o funcionamento do Cérebro humano, que é como uma máquina extremamente complexa dotada de um circuito de conexões entre distintos grupos de neurônios.

A doutora em psicologia Katherine Benziger é uma pesquisadora norte-americana de renome. Ela sustenta que o Cérebro tem quatro famílias de habilidades ou de aptidões distintas.

Cada Cérebro possui todas as quatro, mas somente uma funciona como líder em cada indivíduo.

A PONTE OU PROTUBERÂNCIA

Localiza-se abaixo do Cérebro, diante do cerebelo e acima do bulbo. como o próprio nome indica, a ponte serve de passagem de impulsos nervosos que vão ao Cérebro. A ponte está também relacionada com reflexos associados às emoções, como o riso e as lágrimas.

Cérebro

Na ilustração, você tem as áreas cerebrais com suas funções específicas. O Cérebro situa-se no interior da caixa craniana. Possui mais de dez bilhões de neurônios e pesa menos do que 1,5kg. Regula muitas atividades inconscientes, como sonhar, por exemplo.

Ao mesmo tempo, destaca-se por regular atividades que requerem o máximo da consciência: aprender, pensar, criar, memorizar etc.

Fonte: www.corpohumano.hpg.ig.com.br

Cérebro

Nosso cérebro é constituído por cerca de 100 bilhões de células nervosas que ocupam grande parte da caixa craneana e pesa cerca de 1,3 kilogramas.

O cérebro é dividido em diversas partes conhecidas como lóbulos:

Frontal
Parietal
Temporal
Occipital
Ínsula

Cérebro

As Funções do Nosso Corpo

Cada parte do cérebro é responsável por determinadas funções do nosso corpo.

Quando certa parte recebe sangue bom em boa quantidade, a função correspondente se desenvolve e a pessoa adquire grande habilidade.

Cérebro

Exemplos:

A parte do cérebro que comanda as pernas recebe bom sangue. Então a pessoa vai ter grande habilidade com as pernas.
A parte do cérebro que comanda a voz recebe bom sangue. Então a pessoa vai ter grande habilidade com a voz.

Problemas com as funções do Nosso Corpo:

Quando determinada parte do cérebro não recebe sangue bom e em boa quantidade, aquela parte do cérebro não se desenvolve e, correspondentemente, a função também não se desenvolve.
Por defeito de nascença ou por levar uma pancada na cabeça, uma pessoa pode ter certa área do cérebro com dificuldade de circulação sangüínea.

Exemplos:

A parte do cérebro que comanda a fala não recebe sangue em quantidade suficiente. Então a pessoa vai ter dificuldades com a fala.
A parte do cérebro que comanda as mãos não recebe sangue em quantidade suficiente. Então a pessoa vai ser um pouco desastrada.

As Funções da Nossa Personalidade

Cérebro

Além das funções físicas do nosso corpo, o cérebro é, também, responsáel pelas funções psíquicas e comportamentais.

Existe uma área do cérebro que é responsável, por exemplo, pela tolerância.

Quando esta área recebe sangue bom em boa quantidade, a pessoa terá a sua tolerância desenvolvida.

Ao envelhecer, as artérias se tornam mais rígidas e perdem a capacidade de conduzir sangue.

Pode acontecer da pessoa levar uma pancada na cabeça e isto vai fazer diminuir a quantidade de sangue que certa área recebe.

Exemplos:

A parte do cérebro que comanda a criatividade recebe bom sangue. Então a pessoa será muito criativa.

A parte do cérebro que comanda a iniciativa não recebe sangue em quantidade suficiente. Então a pessoa será muito preguiçosa.

Fonte: www.ebnataw.com.br

Cérebro

O Cérebro é a parte do sistema nervoso central que fica dentro do crânio. É a parte mais desenvolvida e a mais volumosa do encéfalo, pesa cerca de 1,3 kg e é uma massa de tecido cinza-róseo.

Quando cortado, o Cérebro apresenta duas substâncias diferentes: uma branca, que ocupa o centro, e outra cinzenta, que forma o córtex cerebral. O córtex cerebral está dividido em mais de quarenta áreas funcionalmente distintas. Cada uma delas controla uma atividade específica.

A presença de grande áreas cerebrais relacionadas ao controle da face e das mãos explica por que essas partes do corpo têm tanta sensibilidade. No córtex estão agrupados os neurônios.

Componentes do Cérebro

O Cérebro é composto por cerca de 100 bilhões de células nervosas, conectadas umas às outras e responsáveis pelo controle de todas as funções mentais. Além das células nervosas (neurônios), o Cérebro contém células da glia (células de sustentação), vasos sangüíneos e órgãos secretores.

Ele tem três componentes estruturais principais: os grandes hemisférios cerebrais, em forma de abóbada (acima), o cerebelo, menor e com formato meio esférico (mais abaixo à direita), e o tronco cerebral (centro).

No tronco cerebral, destacam-se a medula alongada ou bulbo raquiano (o alargamento central) e o tálamo (entre a medula e os hemisférios cerebrais).

Os hemisférios cerebrais são responsáveis pela inteligência e pelo raciocínio.

O tronco encefálico, formado pelo mesencéfalo, pela ponte e pela medula oblonga, conecta o Cérebro à medula espinal, além de coordenar e entregar as informações que chegam ao encéfalo. Controla a atividade de diversas partes do corpo.

O mesencéfalo recebe e coordena informações referentes ao estado de contrações dos músculos e à postura, responsável por certos reflexos.

O cerebelo ajuda a manter o equilíbrio e a postura.

O bulbo raquiano está implicado na manutenção das funções involuntárias, tais como a respiração.

A ponte é constituída principalmente por fibras nervosas mielinizadas que ligam o córtex cerebral ao cerebelo.

O tálamo age como centro de retransmissão dos impulsos elétricos, que viajam para e do córtex cerebral.

Funções dos hemisférios cerebrais direito e esquerdo

Embora os hemisférios cerebrais tenham uma estrutura simétrica, ambos com os dois lóbulos que emergem do tronco cerebral e com áreas sensoriais e motoras, certas funções intelectuais são desempenhadas por um único hemisfério. Geralmente, o hemisfério dominante de uma pessoa ocupa-se da linguagem e das operações lógicas, enquanto que o outro hemisfério controla as emoções e as capacidades artísticas e espaciais. Em quase todas as pessoas destras e em muitas pessoas canhotas, o hemisfério dominante é o esquerdo. Esses dois hemisférios são conectados entre si por uma região denominada corpo caloso.

Funções do Cérebro

O Cérebro é o centro de controle do movimento, do sono, da fome, da sede e de quase todas as atividades vitais necessárias à sobrevivência. Todas as emoções, como o amor, o ódio, o medo, a ira, a alegria e a tristeza, também são controladas pelo Cérebro. Ele está encarregado ainda de receber e interpretar os inúmeros sinais enviados pelo organismo e pelo exterior.

Os cientistas já conseguiram elaborar um mapa do Cérebro, localizando diversas regiões responsáveis pelo controle da visão, da audição, do olfato, do paladar, dos movimentos automáticos e das emoções, entre outras. No entanto, pouco ainda se sabe sobre os mecanismos que reagem o pensamento e a memória.

Fonte: www.webciencia.com

Cérebro

O Cérebro è o órgão mais volumoso e mais importante do sistema nervoso.

Divide-se em duas partes denominadas hemisférios cerebrais. Os hemisférios estão ligados um ao outro pelo corpo caloso.

A superfície do cérebro apresenta sulcos chamados cissuras. Os sulcos dividem a superfície do cérebro em regiões que se chamam circunvoluções cerebrais. A maior das cissuras é a inter-hemisférica, que divide o cérebro nos dois hemisférios cerebrais.

Cada circunvolução cerebral é responsável pelo controle de determinadas funções. As circunvoluções que se localizam na frente, junto ao osso frontal, controlam a fala. As que se situam atrás, junto ao osso occipital, controlam as sensações visuais. Junto aos ossos parietais ficam as circunvoluções que controlam os movimentos do corpo. As sensações auditivas são controladas pelas circunvoluções localizadas junto aos ossos temporais.

A substância cinzenta do cérebro localiza-se na parte externa; a substância branca situa-se na parte interna.

O cérebro é o órgão mais importante do sistema nervoso, pois é ele que controla os movimentos, recebe e interpreta os estímulos sensitivos, coordena os atos da inteligência, da memória, do raciocínio e da imaginação.

Fonte: www.universitario.com.br

Cérebro

Localização

Situado no vértice do sistema nervoso central, o cérebro centraliza a atividade fisiológica e a interpretação dos impulsos externos.

Experimentou, ao longo da evolução, desenvolvimento desigual: em certos invertebrados consiste apenas em umas poucas células de tecido nervoso, enquanto no homem apresenta estrutura complexa e grande diferenciação de órgãos, lobos e setores.

Cérebro

O cérebro é constituído pela concentração de tecido nervoso que ocupa o extremo anterior do corpo de um animal. Do ponto de vista fisiológico, compete-lhe o controle consciente e inconsciente de todas as funções vitais, em relação ao ambiente e a todos os outros órgãos. O cérebro é uma das estruturas de mais rápido crescimento do organismo humano. No embrião de três meses pesa quatro gramas, chegando, no recém-nascido, a 350g. Na criança de um ano chega a 830g e, na de seis anos, a 1.250g. No adulto, o cérebro masculino (1.360g) é maior do que o feminino (1.230g). Isso não se traduz em nenhuma diferença de inteligência ou de qualquer tipo de capacidade mental. Entretanto, cérebros com peso inferior aos limites de 800g (mulher) e 960g (homem) são incompatíveis com a inteligência normal.

Ao longo da evolução, o cérebro passou por um desenvolvimento permanente -- que atingiu o máximo nos primatas, especialmente no ser humano -- a partir de reduzidos gânglios nervosos. A rapidez de resposta e, em geral, as características funcionais, dependem da natureza do tecido constituinte, formado por neurônios e células da glia (ou neuroglia). Por sua estrutura especial, os primeiros permitem transmitir os impulsos de uma zona para outra do sistema nervoso, por meio de conexões denominadas sinapses. As células da glia, por sua vez, atuam como suporte e dão proteção aos neurônios. Calcula-se que o cérebro humano contém aproximadamente dez bilhões de neurônios e um número muito superior de conexões entre eles.

Cérebro
Imagem da Medula Espinhal envolvida pelas vértebras

O cérebro constitui, junto com a medula espinhal, o sistema nervoso central.

Ambos os componentes se acham resguardados por estruturas ósseas específicas: o crânio e as vértebras.

Sob essa proteção óssea encontram-se três membranas de tecido conjuntivo: as meninges, denominadas dura-máter, aracnóide e pia-máter. Sua função é a defesa do encéfalo, termo com que se designa a porção do sistema nervoso central contida no interior do crânio e integrada pelo cérebro propriamente dito, o cerebelo, a ponte de Varólio e o bulbo raquidiano.

Estrutura encefálica do ser humano. O principal modelo para o estudo do cérebro é o da espécie humana, por ser o que alcançou maior desenvolvimento e, em conseqüência, maior grau de complexidade.

O encéfalo humano consta de três partes nitidamente diferenciadas: a porção posterior (rombencéfalo), a média (mesencéfalo) e a anterior (ou prosencéfalo).

Cada uma dessas partes, por sua vez, se subdivide em outras áreas.

Rombencéfalo

Na parte posterior do conjunto cerebral desenvolve-se o chamado mielencéfalo, que inclui a medula oblonga ou bulbo raquidiano. Por meio desse órgão, que tem a forma de um cilindro achatado, transmitem-se os sinais nervosos entre as partes altas do cérebro e a medula espinhal, que repassa os impulsos ao resto do organismo. No bulbo localizam-se centros nervosos de que dependem funções essenciais, tais como a circulação sangüínea ou a respiração.

A porção anterior do rombencéfalo inclui, por sua vez, os órgãos cerebrais: o cerebelo e a ponte de Varólio. O primeiro se compõe de um núcleo central e de duas partes laterais, denominadas lobos (ou lóbulos) cerebelares. As fibras cinzentas do cerebelo, ao qual competem funções relacionadas com o equilíbrio e com a coordenação motora, se dispõem perifericamente, enquanto que as fibras brancas estão no centro. Por seu aspecto arborescente, o cerebelo foi antigamente denominado "árvore da vida". Entre os lobos cerebelares passa a ponte de Varólio ou protuberância anular, grosso cordão achatado que se comunica com o mesencéfalo.

Mesencéfalo

Na porção média do encéfalo -- que no ser humano e nos demais mamíferos apresenta escasso desenvolvimento em comparação com a dos peixes, anfíbios e répteis -- ficam os lobos ópticos e, conseqüentemente, o centro da visão.

Prosencéfalo

A porção anterior do encéfalo contém os lobos olfativos e originariamente funcionava como parte deles. Os órgãos que constituem sua base são o tálamo e o hipotálamo. O primeiro é o principal centro de relação entre a medula e o cérebro; nele terminam todas as vias sensoriais importantes e, com sua mediação, se produz a resposta emocional às sensações. O hipotálamo, por sua vez, regula algumas funções involuntárias como a sensação de fome e sede, os processos sexuais e o equilíbrio da temperatura. Também desempenha importante função endócrina, na medida em que libera hormônios e controla a fisiologia da hipófise (ou glândula pituitária).

A glândula pineal ou epífise é um pequeno órgão de forma cônica que segrega hormônios inibidores de atividades endócrinas e reprodutoras das gônadas. A hipófise, que pende da massa cerebral mediante um pedúnculo, intervém na secreção hormonal que regula processos como o desenvolvimento da tireóide, o crescimento ou a lactação. O conjunto de tálamo, hipotálamo e glândulas constitui o diencéfalo.

Por último, o telencéfalo está situado na zona mais anterior do prosencéfalo e é a porção mais afastada da medula. A partir dele se desenvolvem os hemisférios, nos quais se encontram os centros de integração sensorial complexa, os das ações motoras voluntárias e os da memória.

Hemisférios e córtex cerebral

 Ao longo da evolução, a transformação dos lobos olfativos nos hemisférios cerebrais se produziu mediante dobramento e aumento de tamanho. Por conseguinte, cada um dos hemisférios se compõe de circunvoluções ou giros, dobras e sulcos ou fissuras. São de cor cinza, porque seus neurônios não possuem o revestimento de mielina apresentado pelos neurônios de outras áreas do sistema nervoso.

Na parte mais externa do encéfalo, essas células constituem o chamado córtex cerebral. O número de circunvoluções parece estar estreitamente relacionado com o peso do corpo, de modo que os animais pequenos têm um córtex relativamente liso, enquanto que os de grande tamanho o apresentam extremamente dobrado.

No ser humano, a espessura do córtex é de 3,2mm e embaixo dele se encontra a substância branca cerebral, integrada por milhões de fibras nervosas. A junção dessas fibras forma uma estrutura similar à de uma corda que une os dois hemisférios e se chama corpo caloso. Ambas as porções cerebrais estão separadas pela fissura de Rolando, profundo sulco assim denominado por haver sido descrito pela primeira vez pelo italiano Luigi Rolando, no começo do século XIX. Essa fenda separa no sentido longitudinal os dois hemisférios.

O hemisfério direito rege as funções da metade esquerda do corpo e o esquerdo controla a metade direita. Essa característica resulta do entrecruzamento dos nervos na medula espinhal.

Um sulco longitudinal e outro lateral separam os hemisférios em quatro partes, que recebem os nomes dos ossos cranianos que os protegem, isto é: lobos frontal, parietal, temporal e occipital.

Do ponto de vista funcional, o córtex apresenta notável pluralidade fisiológica. Já em 1861, o médico francês Paul Broca descobria a existência de uma estreita relação entre a incapacidade de pronunciar palavras e repetidos traumatismos na zona do cérebro que hoje tem seu nome e que se situa no hemisfério esquerdo.

Mais tarde se localizaram diferentes áreas mediante a estimulação com sondas elétricas. A zona motora se encontra na parte anterior da fissura de Rolando e a sensitiva na posterior. Analogamente, o córtex visual se localiza no lobo occipital e o auditivo no lobo temporal, região em que também ficam as funções do olfato, do equilíbrio e da linguagem. É no lobo parietal, por sua vez, que se situam os centros do paladar e do tato. No lobo frontal parecem instalar-se várias das funções psíquicas mais complexas, como as emoções e as propriedades de abstração e generalização. Contudo, a função de muitas partes do cérebro ainda não foi concretamente identificada.

Os hemisférios apresentam, numa zona interna, uma cavidade denominada ventrículo lateral; os dois ventrículos laterais se comunicam com um terceiro ventrículo central. No rombencéfalo há um quarto ventrículo, unido ao anterior. Neles e nos espaços intermeníngeos (os que separam as membranas cerebrais) flui um líquido chamado cefalorraquidiano, que protege o encéfalo, atua como amortecedor de possíveis golpes e evita o acesso ao cérebro de certas substâncias que o contaminariam.

O conjunto encefálico dispõe de ampla e difusa rede de irrigação sangüínea condensada na artéria carótida e na veia jugular. Estas regulam o fluxo da entrada de nutrientes, principalmente glicose e oxigênio. Os capilares sangüíneos e as meninges constituem a barreira hematencefálica, que impede a contaminação por substâncias nocivas, como as toxinas.

Foi precisamente devido ao grande desenvolvimento de seu córtex que o cérebro humano alcançou a maior complexidade e perfeição na escala evolutiva.

Desconhece-se, contudo, a porção em que se concentram o raciocínio, a lógica ou a inteligência. Portanto, o cérebro ainda constitui um objeto de estudo essencial para pesquisadores, anatomistas e médicos.

Fonte: biomania.com

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal