Facebook do Portal São Francisco Google+
+ circle
Home  Geografia do Japão  Voltar

Geografia do Japão

 

O arquipélago de Japão estende-se por mais de 3.000 quilômetros em uma espécie de arco, desde o nordeste ao sudeste.

Apesar de que são mais de 3.000 ilhas e ilhotas que conformam o arquipélago, são só quatro as ilhas principais que representam o 98% da superfície total.

Por outro lado, aproximadamente 75% do território é montanhoso de origem vulcânico, contando com 265 vulcões dos que 10% são ativos.

Destaca o Monte Fuji com 3.776 metros o mais alto do Japão, considerado lugar sagrado. A única planície de relevância é a de Kanto, percorrida pelo rio Tone. Muitas das montanhas são vulcânicas, características que outorga a paisagem uma grande beleza, mas encarna uma situação de perigo muito conhecida pelos japoneses. A região mais afetada é de Kanto, justo na que está situada Tóquio.

As costas representam mais de 27.000 quilômetros de comprimento e estão constituídas principalmente por terraços rochosos e por freqüentes enseadas. Entre os rios mais importantes, em geral pequenos e de curto percurso, destaca o Shinano com 396 km de comprimento.

Honshu, Hokkaido, Kyushu e Shikoku são as quatro ilhas principais. Honshu é a maior ilha com 230.000 quilômetros quadrados e nela encontram-se as cidade mais importante como Tóquio, Nara, Kyoto ou Osaka. É, ademais, o coração cultural, político e social de Japão.

Hokkaido, a segunda ilha em importância, encontra-se ao norte de Honshu com 78.509 quilômetros e é considerada a "última fronteira". Caracteriza-se por sua planícies, por seus encantadores parques nacionais e por guardar as paisagens mais impressionantes do Oriente. Aqui encontram-se os Ainu, habitantes nativos que caracterizam-se pela sua testa clara, olhos redondos e pela barba cheia.

Kyushu, com 41.497 quilômetros quadrados, ao oeste de Honshu é a ilha mais meridional de Japão. Possui um clima subtropical e é ali onde nasceu a civilização japonesa. É a ilha mais próxima a Coréia e China, razão pela que foi considerada como a porta de entrada e contato com o continente asiático. Distingui-se por suas paisagens naturais, suas estações termais e seus picos vulcânicos.

Shikoku, é a menor ilha das quatro, com 18.757 quilômetros quadrados. Encontra-se entre as ilhas de Honshu, e Kyush, conservando uma rica tradição. Freqüentemente pode-se ver a numerosos peregrinos com túnicas brancas que vão a um dos 80 templos budistas, fundados pelo monge Kudai ou Kobo Daishi.

Existem duas cadeias de ilhas ao sul das quatro ilhas principais. As Ilhas Nansei-shot estendem-se desde Kyushu em direção sudeste, enquanto que as Ilhas Ogasawara-shoto, estendem-se a sul de Tóquio. Destacam, ademais as ilhas Yaeyama, Izu ou Ryukyu, territórios onde reina a paz e a tranqüilidade.

Fauna e Flora

Graças a diversidade da geografia do Japão e do clima, existe uma rica flora e fauna. A maior parte do país, as terra de Honshu, Kyushu e Shikoku, mostram certa similitudes com China e Coréia, enquanto que o grupo de ilhas formada por Ryukyu e Ogasawara, são subtropicais, ao norte, exatamente na ilha de Hokkaido, apresenta características próprias.

Flora

A flora que o viajante encontra hoje em Japão não se parece muito a que existia algumas centenas de anos atrás. E isso é assim porque a natureza sucumbiu a moderna cultura urbanística. Muitas espécies de plantas foram introduzidas no país desde o século passado. A maior parte do Japão foi reflorestada, ainda que a vida moderna, insaciável está consumindo parte do bosques como ocorre no resto do mundo.

Felizmente Japão dispõe de uma paisagem montanhosa as vezes pouco acessível, o que fez preservar em alguns lugares a natureza selvagem, como ocorre na região alpina da parte central do Honshu e na ilha de Hokkaido.

Algumas flores e arvores têm significados importante na cultura japonesa como flores da cerejeira (sakura) que por sua brevidade recordam a temporalidade do mundo, o pinheiro (matsu) simboliza uma vida longa, enquanto que o bambu (take) graças a sua força e flexibilidade representa a habilidade para superar as dificuldades.

Fauna

O urso é o animal mais carismático do país, sobretudo para os ainu, que vivem em Hokkaido e o veneram.

Existem duas espécies deste animal em Japão: "higuma", típico de Hokkaido, que pode alcançar uma altura de dois metros e chegar a pesar 400 quilos; e o "tsukinowaguma", que abunda em Honshu, Shikoku e kyushu, o qual não ultrapassa a um metro e meio e os 200 quilos de peso. Outro animal que abunda em Japão é o macaco, um macaco que costuma medir uns 60 centímetros. Este macaco é originário do país. Um animal único no Japão é a Salamandra gigante e um quase "fóssil vivo", o gato iriomote.

Existem numerosas espécies de aves, insetos e animais pequenos. Os grous dançam sobre o gelo nas marismas da ilha de Kushiro, ao norte do Japão. Mais de 300 aves se reúnem sobre a superfície gelada da água durante o inverno japonês. Nas montanhas podem ver-se também os ursos, raposas e texugos.

Parque Nacionais

Em Japão existem uns 28 parques nacionais, administrados diretamente pelo Ministério de Meio Ambiente, e 55 que ostentam quase o título, pois são administrados indiretamente. Os parques representam um esforço para manter os espaços naturais e os japoneses são conscientes de isso, por esta razão se empenham no seu cuidado. Em cada região falaremos de cada um deles.

Fonte: www.rumbo.com.br

Geografia do Japão

Área

O arquipélago japonês, situado ao largo da costa oriental do continente asiático, estende-se por um estreito arco de 3.800 quilômetros de comprimento, variando de 20 graus e 25 minutos a 45 graus e 33 minutos de latitude norte.

A superfície total do Japão, de 377.815 quilômetros quadrados (um pouco maior que o Reino Unido, mas de apenas cerca de um nono do tamanho da Índia e de um vigésimo-quinto da área dos Estados Unidos), representa menos de 0,3% da superfície terrestre do mundo.

O arquipélago consiste em quatro ilhas principais: Honshu, Hokkaido, Kyushu e Shikoku (da maior a menor), uma série da cadeias de ilhas e cerca de 3.900 ilhas menores. Honshu representa mais de 60% da área total.

Clima

As ilhas do Japão situam-se na zona temperada e na extremidade nordeste da área das monções, que vai do Japão, passando pela Península Coreana, China e Sudeste Asiático, até a Índia. O clima é, em geral, moderado, embora varie de maneira considerável de acordo com o lugar, em grande parte devido às correntes de ar continental de noroeste, que dominam o clima no inverno, e às correntes de ar oceânicas do sudeste, que prevalecem nos meses de verão.

Há quatro estações diferentes na maior parte do Japão:

O Verão, que é quente e úmido, começa por volta de meados de julho. É precedido por uma estação chuvosa que normalmente dura cerca de um mês, exceto em Hokkaido, a ilha principal mais setentrional, onde não há estação chuvosa.

O Inverno, que tende a ser suave no lado do Pacífico, com muitos dias ensolarados, ao passo que o lado do Mar do Japão tende a ser nublado. A Hokkaido também é caracterizada por invernos bem severos. Ambas as regiões proporcionam esplêndidos lugares para os esportes de inverno.

A Primavera e o Outono, que são as melhores estações do ano, com dias amenos e o sol brilhando em todo o país, embora setembro traga furacões que podem atingir o interior com suas chuvas torrenciais e ventos violentos. As chuvas são abundantes, variando de mil a 2.500 milímetros ao ano.

Tóquio, a capital, está situada quase na mesma latitude de Atenas, Los Angeles e Teerã. A cidade desfruta de um inverno relativamente brando, com baixa umidade e neves ocasionais, em contraste com as altas temperaturas e umidade dos meses de verão.

A combinação de chuvas abundantes e um clima temperado na maior parte do arquipélago produz ricas florestas e vegetação exuberante em toda a área rural.

Topografia

A complexa topografia do Japão forma um contraste com seu clima relativamente benigno. As ilhas japonesas fazem parte de uma extensa cadeia de montanhas, que se prolonga do Sudeste asiático até o Alasca. Isto proporcionou ao país um litoral longo e rochoso com muitos portos pequenos porém excelentes.

Criou também uma grande série de regiões montanhosas com numerosos vales, rios de curso rápido e lagos claros. As montanhas representam cerca de 71% da área total do país, segundo um levantamento feito em 1972 pelo Instituto de Levantamento Geográfico do Ministério da Construção. Mais de 532 dessas montanhas têm mais de dois mil metros de altura; o Monte Fuji, o mais elevado, atinge 3.776 metros.

Embora não entre em erupção de 1707, o monte Fuji é classificado como um dos 77 vulcões ativos do Japão.

Esses vulcões proporcionam ao país um de seus encantos mais agradáveis: as fontes termais minerais, que servem de numerosas estâncias de lazer para milhões de japoneses em férias, em busca de descanso e recreação. Junto com essa atividade vulcânica, o Japão está sujeito a tremores de terra e ocasionais terremotos de maior intensidade.

A complexa topografia do Japão proporciona ao país panoramas belos e às vezes dramáticos: lagos de montanhas alimentados pela neve, gargantas rochosas e rios turbulentos, picos escarpados e graciosas quedas d'água. Eles são uma fonte constante de inspiração e prazer tanto para os japoneses como para os visitantes estrangeiros.

Fonte: www.rio.br.emb-japan.go.jp

Geografia do Japão

Japão consiste em vários milhares de ilhas das quais Honshu, Hokkaido, Kyushu e Shikoku são os quatro maiores.

Os vizinhos mais íntimos do Japão são a Coréia, Rússia e China. O Mar do Japão separa o continente asiático do arquipélago japonês.

Área

área do Japão é maior que a da Alemanha, compatível ao da Itália ou Califórnia e 23 vezes menor que o Brasil. As Ilhas do Norte do Japão ficam aproximadamente situadas na mesma latitude geográfica de Milão ou Portland enquanto as Ilhas do Sul estão quase na mesma latitude de Bahamas.

Em outras palavras, a extensão Norte e Sul do Japão se iguala a uma distância como de Oslo a Nápoles.

Mais de 50% da área do Japão é montanhosa e coberta por florestas.

O Japão é estruturado politicamente em 8 regiões e 47 estados.

População

população do Japão é de aproximadamente 125.000.000.

A população é quase que inteiramente japonesa. Mais da metade da população que não é japonesa, é coreana.

Vulcões

Há muitos vulcões no Japão devido o país ficar em uma área onde vários pratos continentais se encontram. Um efeito colateral positivo é um número grande de fontes termais.

O vulcão mais famoso é o Mt.Fuji que é o ponto mais alto do Japão e uma das montanhas mais bonitas no mundo. Pode ser visto de Tóquio quando o tempo estiver limpo.

Terremotos

O Japão fica em uma das regiões mais ativas de terremoto do mundo.

Clima

Devido a grande extensão Norte e Sul do país o clima varia fortemente em regiões diferentes. O clima na maioria das cidades principais, inclusive Tóquio, é de temperado a subtropical e consiste em quatro estações. O inverno é moderado e o verão é quente e úmido.

Há uma estação chuvosa no começo do verão, e tufões golpeiam partes do país todos os anos durante o fim do verão.

O clima da ilha do norte de Hokkaido é frio, e tempestades de neve freqüentemente acontecem durante o inverno. Em Okinawa, por outro lado, a temperatura de janeiro é morna, uns 16 graus Centígrados.

Fonte: www.japao.org.br

Geografia do Japão

Uma ilha do Pacífico que é um país.

O Japão é um “país-ilha” que forma um arco no oceano Pacífico ao Leste do continente asiático.

Abrange quatro grandes ilhas, Honshu, Hokkaido, Kyushu e Shikoku, além de centenas de outras menores. O Pacífico banha a costa Leste, enquanto a Oeste o Mar do Japão e o Mar do Leste da China separam o Japão do continente asiático.

Com 377.864 quilômetros quadrados, o território japonês corresponde ao da Alemanha, Finlândia, Vietna~ ou Malásia. Comparativamente, o Japão representa apenas 1/22,6 o tamanho do Brasil e é menor que o Estado de Minas Gerais.

A costa do Japão tem característica bastante variada. Em algumas localidades, como em Kujukurihama, na província de Chiba, há praias contínuas por mais de 60 quilômetros. Já a província de Nagasaki é marcada por penínsulas e baías e ilhas próximas da praia (como o arquipélago Goto e as ilhas de Tsushima e Iki, que são parte da província). Na região costeira destacam-se, ainda, áreas irregulares com baías e rochedos íngremes formados pelas mudanças na crosta terrestre.

A mistura das correntes marítimas quentes Kuroshio (ou Corrente Japonesa), que se movimenta em direção ao Nordeste, uma parte dela, o Tsushima Current, que segue em direção do Mar do Japão, e uma corrente fria chamada de Oyahio (ou Corrente Okhotsk) é responsável pela abundância de peixes nas águas próximas ao arquipélago.

Terra de vulcões

Geografia do Japão

Cerca de ¾ da superfície do país é montanhosa.

A região de Chubu, no centro da ilha de Honshu, é conhecida como “o topo do Japão” por possuir diversas montanhas com mais de 3.000 m de altura.

O ponto mais alto do arquipélago é o Monte Fuji (3.776m), na província de Shizuoka, seguido do pico Kitadake, em Yamanashi, com 3.192m, e do Hotakadake, com 3.190m, entre Nagano e e Gifu.

O Japão possui nada menos que sete regiões vulcânicas que cobrem o país do extremo Norte ao extremo Sul. Do total de vulcões, cerca de 80 ainda estão ativos, como o Monte Mihara, na ilha Izu Oshima; Monte Asama, na divisa das províncias de Nagano e Gunma; e o Monte Aso, na província de Kumamoto.

O mais famoso vulcão é o Monte Fuji, um dos cartões postais do Japão, e que está adormecido desde 1707, quando ocorreu sua última erupção.

O território japonês abriga aproximadamente 1/10 dos cerca de 840 vulcões ativos em todo o planeta, embora tenha apenas 1/400 do total das terras do mundo.

Ainda que os vulcões sejam uma ameaça e possam causar grandes danos em caso de erupções, no Japão eles representam uma importante fonte de turismo tanto interna quanto externa. Regiões como Nikko, Hakone e a Península Izu, por exemplo, são famosas por suas primaveras quentes e pelo belíssimo cenário de montanhas vulcânicas.

A enorme quantidade de vulcões mostra que nas profundezas do arquipélago o é solo instável e cheio de energia. Isso faz com que o país esteja entre os que mais registram terremotos. Todos os anos, acontecem cerca de 1.000 abalos que podem ser sentidos. O último terremoto de grandes proporções, o Hanshin-Awaji, ocorreu em janeiro de 1995. Matou cerca de 6 mil pessoas, feriu mais de 40 mil e deixou outras 200 mil desabrigadas.

Clima: Quatro estações bem definidas

Geografia do Japão

A característica mais marcante do clima do Japão são as mudanças de temperatura bem definidas nas quatro estações do ano. De Norte a Sul, o país é influenciado no inverno por ventos sazonais que sopram da Sibéria e, no verão, por ventos que vêm do oceano Pacífico.

No extremo Norte, em Hokkaido, a região mais fria do Japão, o clima é sub-ártico, com temperatura média anual de 8ºC e índice pluviométrico de 1.150 milímetros. A costa do Pacifico pertence à zona temperada e apresenta verão quente, enquanto a região voltada para o Mar do Japão é marcada por muita chuva e neve. Já as ilhas de Okinawa, no extremo Sul, pertencem à zona com clima subtropical, com temperatura média anual de mais de 22°C e índice pluviométrico de mais de 2.000 milímetros por ano.

Geografia do Japão

Fonte: www.japao.org.br

Geografia do Japão

População

Com exceção dos ainos, povo indígena do qual há uma pequena população remanescente em Hokkaido, considera-se que os japoneses constituem um único grupo étnico. Classificam-se como um ramo da raça mongolóide, estreitamente relacionada com os povos da Ásia oriental. Suas características físicas gerais são cabelo negro, liso e forte; pele amarela, olhos escuros e oblíquos; e corpo pouco piloso.

A língua nacional é o japonês, incluída no grupo lingüístico altaico e afim ligada ao coreano. A introdução de caracteres e textos chineses, no século IV da era cristã, enriqueceu enormemente o idioma. Inicialmente empregaram-se os caracteres chineses para escrever, mas no século IX desenvolveu-se um silabário, o kana, desde então usado para o japonês escrito, junto com cerca de quatro mil caracteres chineses, reduzidos a dois mil após a segunda guerra mundial.

É grande a quantidade de dialetos, mas o de Tokyo difundiu-se pelo país ao longo do século XIX e se impôs graças ao sistema educativo e aos modernos meios de comunicação. A partir do século XIX as mudanças sociais e econômicas se estenderam às mais distantes aldeias rurais, ainda que muitos costumes tradicionais tenham sobrevivido.

Assim também ocorre com os sistemas cooperativos da agricultura e a assistência mútua entre os habitantes de um mesmo povoado. A unidade autônoma rural, conhecida como mura, consta de trinta a cinqüenta famílias.

Os assentamentos rurais são em sua maioria bastante antigos, embora muitos tenham surgido no século XVI. Nenhum núcleo populacional, porém, pode considerar-se exclusivamente rural, pois a comunicação com os centros urbanos é intensa e nos meses de inverno a população rural fornece mão-de-obra sazonal para as cidades.

As aldeias de pescadores se multiplicaram a partir do século XVII e o mesmo ocorreu com os núcleos de montanheses, que surgiram quando a madeira, o carvão vegetal e outros produtos encontraram mercado nas cidades. Visto que mais de oitenta por cento do país se constituem de montanhas e zonas inóspitas, a população se concentra nas grandes cidades e conurbações das planícies.

Os assentamentos urbanos são de origem recente. À exceção das primeiras capitais (Nara, Kyoto e Kamakura), não existia nenhuma cidade grande antes do século XVI. Desde o final desse século, os poderosos templos e senhores feudais começaram a construir cidades que atraíram comerciantes e artesãos.

O crescimento urbano se acelerou no século XIX com o desenvolvimento dos portos internacionais de Kobe, Yokohama, Niigata, Hakodate e Nagasaki e com as bases navais de Yokosuka, Kure e Sasebo.

A industrialização também influiu no crescimento de cidades como Yawatahama, Niihama, Kawasaki e Amagasaki. Nos aglomerados urbanos japoneses se misturam o antigo e o novo, pois neles um núcleo tipicamente oriental coexiste com os mais modernos centros comerciais e sofisticadas indústrias.

Casas de construção frágil se erguem junto a imponentes arranha-céus. A capital nacional, Tokyo (denominada Edo até 1868), é uma das cidades mais populosas do mundo. Outras cidades importantes são Yokohama, Osaka, Nagoya e Sapporo.

Geologia e relevo

O caráter montanhoso do país é resultado de forças orogênicas geologicamente recentes, como demonstra a freqüência de terremotos violentos, atividade vulcânica e as alterações do nível do mar ao longo do litoral. São escassas as planícies e planaltos, ao contrário do que ocorre em regiões mais estáveis e antigas da Terra, niveladas pela erosão.

As montanhas cobrem mais de quatro quintos do Japão e se agrupam em seis pequenas cadeias, que de nordeste para sudeste são: cadeia Chishima, das ilhas Kurilas; cadeia de Sakhalin-Hokkaido; cadeias do nordeste e do sudoeste da ilha Honshu; cadeia das ilhas Shichito-Mariana e as formações das ilhas Ryukyu.

Existem no Japão cerca de 200 vulcões, dos quais pelo menos quarenta permanecem em atividade. O pico vulcânico mais elevado, e também o mais famoso, é o monte Fuji ou Fujiyama (3.776m). Também são importantes o Aso, o Minami e o Asamayama.

Próximo ao litoral encontram-se fossas marítimas muito profundas: a 200km a leste de Honshu, a profundidade chega aos 8.491m.

Clima

A extensão em latitude do país explica a diversidade de climas, do tropical ao temperado, sujeitos também à influência das monções (ventos sazonais) e da altitude. No sul do país o clima é ameno, mesmo durante o inverno. Hokkaido e Honshu têm nessa estação temperaturas muito baixas.

Em geral, a vertente do Pacífico é mais quente e menos enevoada do que a vertente voltada para o continente, devido ao obstáculo interposto pelas cadeias de montanhas aos ventos frios continentais.

As precipitações são abundantes durante todas as estações e atingem médias anuais de 1.500mm no norte e até 2.500mm nas regiões a sudoeste. As neves são freqüentes em todo o país no inverno.

Geografia do Japão

Hidrografia

A estrutura do terreno faz com que o Japão tenha rios de pequena extensão, quase sempre torrenciais e de reduzida bacia hidrográfica. Somente oito rios ultrapassam 200km de extensão. O Shinano, em Honshu, é o maior, com 367km.

Outros cursos importantes são: Teshio e Ishikari, em Hokkaido; Kitakami, Tone, Kiso e Tenryu, em Honshu; e Chikugo, em Kiushu. Alguns dos rios procedentes das zonas vulcânicas do nordeste de Honshu têm águas ácidas e inúteis para a agricultura.

Os rios carreiam, geralmente, grandes quantidades de aluviões e formam deltas em suas embocaduras. O maior lago, de origem tectônica (causado por fraturas da crosta terrestre), é o Biwa, com 672km2. Mais numerosos são os de origem vulcânica, como o lago Kutcharo, de Hokkaido, o Towada e o Ashi, de Honshu.

Flora e fauna

A maior parte da vegetação original foi substituída por lavouras ou espécies originárias de outras partes do mundo. Nas ilhas Ryukyu e Bonin encontram-se vários tipos de amoreiras, canforeiras e carvalhos. Há bosques de loureiros desde as ilhas do sudoeste até o norte de Honshu. As dunas litorâneas são dominadas pelos pinheiros, e os cedros japoneses, alguns com mais de dois mil anos, são encontrados no sul de Kyushu.

São numerosas as coníferas no norte e no leste de Hokkaido. Apesar da densidade populacional humana, os mamíferos terrestres do Japão são relativamente abundantes nas regiões florestais montanhosas (ursos, raposas, cervos, antílopes, macacos etc.). As águas japonesas são povoadas por baleias, golfinhos e peixes, como salmão, sardinha e bacalhau. Entre os répteis, encontram-se tartarugas, lagartos e cobras. É famosa a salamandra gigante de Kyushu e Honshu, de 1,5m de comprimento.

Fonte: www.japaoonline.com.br

Geografia do Japão

O Japão é um arquipélago localizado ao largo da costa do Pacífico da Ásia ( Ásia Oriental ), fronteira com o Mar do Japão a oeste eo Oceano Pacífico a leste.

As principais ilhas são, do norte: Hokkaido, Honshu (a ilha principal), Shikoku e Kyushu , estendeu para o sul do arquipélago de Ryukyu , que inclui a ilha de Okinawa . Várias disputas fronteiriças persistir com a Rússia , a República da Coreia e China. Em virtude de suas costas, o Japão tem uma das maiores zona económica exclusiva no mundo.

É um arquipélago vulcânico montanhosa e muito, o que resultou em uma distribuição desigual da população no território, principalmente cluster ao longo da megalópole japonesa . A segunda conseqüência é a forte atividade sísmica, essas ilhas também são afetados por tsunamis.

Na metade norte, o clima é continental Acadian e subtropical úmido no sul, embora haja diferenças marcantes entre o litoral eo alívio. Estas diferenças de clima e relevo permitiram o desenvolvimento de uma fauna e flora variada, com algumas espécies endémicas raras ou extintas, incluindo o arquipélago de Ogasawara.

O país está dividido em 47 províncias , às vezes chamados departamentos, tendo substituído as antigas províncias do Japão , e depois divididas em cerca de 1.800 municípios.

Geografia do Japão

Localização

O Japão está localizado no leste da Ásia, mas Japão é uma ilha assim que está no Oceano Pacífico Norte. Também está localizado a leste da península coreana.

Quatro principais ilhas

Japão tem mais de 1.000 ilhas, mas há quatro ilhas principais. Honshu é a maior ilha do Japão. Ele contém 80 por cento da população. A ilha também tem a capital do Japão, Tóquio. Tóquio é também a maior cidade do Japão. Honshu também tem o famoso pico, o Monte Fuji.

Hokkaido é a ilha mais setentrional do Japão. Ele contém 5 por cento da população. Esta ilha tem o clima mais frio, uma vez que é no norte. A ilha também tem o menor terra no Japão chamado de Plain Ishikari. Hokkaido é conhecida por suas colinas.

Kyushu é a ilha mais ao sul do Japão. Mesmo que seja uma pequena ilha que é densamente povoada. Ele contém 11 por cento da população. Kyushu é a ilha mais robusto no Japão. Kyushu também tem muitos vulcões.

Shikoku é a mais pequena ilha no Japão. Ele contém 1 por cento da população. A ilha é o melhor para as suas regiões agrícolas. Ele tem muitos bosques e belos corpos de água.

Tamanho

A ilha é ligeiramente menor do que o tamanho da Califórnia. O litoral é de cerca de 29,751 km. A área total do Japão é 377,835 km ². A área de terra do Japão é 374,744 km ².

Poluição

Áreas industriais afetam a água, porque as fábricas de causar chuva ácida. A chuva ácida atinge a água tornando-o poluído. Peixes morrem por causa da chuva ácida. Pessoas pescar muito no Japão. Ela também afeta a qualidade da água do Japão.

Monte Fuji

É o maior pico no Japão. Mil pessoas visitam todos os dias. Ele está localizado na Fuji cidade, que é perto de Tóquio. Monte Fuji é 12.388 pés, e é um vulcão inativo. A última vez que entrou em erupção foi há muito tempo atrás.

Água

Japão tem muitos lagos, rios pequenos, mas com muitos lagos fazer a país mais bonito. O Japão está cercam pelo Oceano Pacífico eo Mar do Japão.

Japonês Alpes

Os Alpes japoneses são a gama mais alta montanha no Japão. Ele está localizado no Honshu ilha. Florestas cercam as montanhas, e há algumas florestas nas montanhas também. Um monte de pessoas japonesas subir nas montanhas a cada ano.

Ishikari Plain

A planície Ishikari é o menor da terra no Japão. Cercado por colinas, Ishikari é a região mais agrícola no Japão. Ele está localizado em Hokkaido. O rio passa por Ishikari a planície eo rio leva água para as culturas.

Clima

O clima do Japão varia como no sul parece tropical, mas no norte sente frio e ventoso.

Há uma grande quantidade de tremor de terra que ocorrem no Japão. Japão tem muitos terremotos porque fica no Japão uma parte instável da crosta. Quando se move a crosta que provoca um terramoto. Cerca de 1000 terremotos ocorrem a cada ano.

Terremotos também causar tsunamis. Um tsunami é uma onda enorme, uma espécie de onda. Tufões são também um grande fator no Japão. Como o Japão é uma ilha muito de tufões e furacões ocorrem. Ambos ocorrem no verão. As fortes chuvas e ventos geralmente destroem as colheitas.

Chuvas maciças ocorrer no Japão ocorrer um monte de vezes. A chuva geralmente provoca totais anos enormes. Alguns lugares têm 40 centímetros de chuva por ano. A estação chuvosa é de queda. Monções também afetar o clima do Japão. Monções são ventos sazonais que vêm do mar do Japão. No inverno monções muitos trazer tempo frio. Eles também ocorrem no verão traz ar quente e úmido, e é por isso que as ilhas do sul são quentes.

Montanhas

Há uma série de montanhas no Japão. Setenta por cento do Japão é montanhas e colinas. A maioria das montanhas são vulcões. A razão existe uma grande quantidade de montanhas é por causa dos terremotos.

Fonte: library.thinkquest.org

Sobre o Portal | Política de Privacidade | Fale Conosco | Anuncie | Indique o Portal