Breaking News
QUESTION 1 You have a hybrid Exchange Server 2016 organization. Some of the mailboxes in the research department are hosted on-premises. Other mailboxes in the research department are stored in Microsoft Office 365. You need to search the mailboxes in the research department for email messages that contain a specific keyword in the message body. What should you do? A. From the Exchange Online Exchange admin center, search the delivery reports. B. Form the on-premises Exchange center, search the delivery reports. C. From the Exchange Online Exchange admin SY0-401 exam center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. D. From the Office 365 Compliance Center, create a new Compliance Search. E. From the on-premises Exchange admin center, create a new In-Place eDiscovery & Hold. Correct Answer: E QUESTION 2 You have an Exchange Server 2016 organization. You plan to enable Federated Sharing. You need to create a DNS record to store the Application Identifier (AppID) of the domain for the federated trust. Which type of record should you create? A. A B. CNAME C. SRV D. TXT Correct Answer: D QUESTION 3 Your company has an Exchange Server 2016 200-310 exam Organization. The organization has a four- node database availability group (DAG) that spans two data centers. Each data center is configured as a separate Active Directory site. The data centers connect to each other by using a high-speed WAN link. Each data center connects directly to the Internet and has a scoped Send connector configured. The company's public DNS zone contains one MX record. You need to ensure that if an Internet link becomes unavailable in one data center, email messages destined to external recipients can 400-101 exam be routed through the other data center. What should you do? A. Create an MX record in the internal DNS zone B. B. Clear the Scoped Send Connector check box C. Create a Receive connector in each data center. D. Clear the Proxy through Client Access server check box Correct Answer: AQUESTION 4 Your network contains a single Active Directory forest. The forest contains two sites named Site1 and Site2. You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains two servers in each site. You have a database availability group (DAG) that spans both sites. The file share witness is in Site1. If a power failure occurs at Site1, you plan to mount the databases in Site2. When the power is restored in Site1, you Cisco CCNP Security 300-207 exam SITCS need to prevent the databases from mounting in Site1. What should you do? A. Disable AutoReseed for the DAG. B. Implement an alternate file share witness. C. Configure Datacenter Activation Coordination (DAC) mode. D. Force a rediscovery of the EX200 exam network when the power is restored. Correct Answer: C QUESTION 5 A new company has the following: Two offices that connect to each other by using a low-latency WAN link In each office, a data center that is configured as a separate subnet Five hundred users in each office You plan to deploy Exchange Server 2016 to the network. You need to recommend which Active Directory deployment to use to support the Exchange Server 2016 deployment What is the best recommendation to achieve the goal? A. Deploy two forests that each contains one site and one site link. Deploy two domain controllers to each forest. In each forest configure one domain controller as a global catalog server B. Deploy one forest that contains one site and one site link. Deploy four domain controllers. Configure all of the domain controllers as global catalog servers. C. Deploy one forest that contains two sites and two site links. Deploy two domain controllers to each site in each site, configure one domain controller as a global catalog server D. Deploy one forest that contains two sites and one site link. Deploy two domain controllers to each site. Configure both domain controllers as global catalog servers Correct Answer: C QUESTION 6 How is the IBM Content Template Catalog delivered for installation? A. as an EXE file B. as a ZIP file of XML files C. as a Web Appli cati on Archive file D. as a Portal Application Archive file Correct Answer: D QUESTION 7 Your company has a data center. The data center contains a server that has Exchange Server 2016 and the Mailbox server role installed. Outlook 300-101 exam anywhere clients connect to the Mailbox server by using thename outlook.contoso.com. The company plans to open a second data center and to provision a database availability group (DAG) that spans both data centers. You need to ensure that Outlook Anywhere clients can connect if one of the data centers becomes unavailable. What should you add to DNS? A. one A record B. two TXT records C. two SRV records D. one MX record Correct Answer: A QUESTION 8 You have an Exchange Server 2016 EX300 exam organization. The organization contains a database availability group (DAG). You need to identify the number of transaction logs that are in replay queue. Which cmdlet should you use? A. Test-ServiceHealth B. Test-ReplicationHealth C. Get-DatabaseAvailabilityGroup D. Get-MailboxDatabaseCopyStatus Correct Answer: D QUESTION 9 All users access their email by using Microsoft Outlook 2013 From Performance Monitor, you discover that the MSExchange Database\I/O Database Reads Average Latency counter displays values that are higher than normal You need to identify the impact of the high counter values on user connections in the Exchange Server organization. What are two client connections 400-051 exam that will meet performance? A. Outlook on the web B. IMAP4 clients C. mobile devices using Exchange ActiveSync D. Outlook in Cached Exchange ModeE. Outlook in Online Mode Correct Answer: CE QUESTION 10 You work for a company named Litware, Inc. that hosts all email in Exchange Online. A user named User1 sends an email message to an Pass CISCO 300-115 exam - test questions external user User 1 discovers that the email message is delayed for two hours before being delivered. The external user sends you the message header of the delayed message You need to identify which host in the message path is responsible for the delivery delay. What should you do? A. Review the contents of the protocol logs. B. Search the message tracking logs. C. Search the delivery reports 200-355 exam for the message D. Review the contents of the application log E. Input the message header to the Exchange Remote Connectivity Analyzer Correct Answer: E QUESTION 11 You have an Exchange Server 2016 organization. The organization contains three Mailbox servers. The servers are configured as shown in the following table You have distribution group named Group1. Group1 contains three members. The members are configured as shown in the following table. You discover that when User1 sends email messages to Group1, all of the messages are delivered to EX02 first. You need to identify why the email messages sent to Group1 are sent to EX02 instead. What should you identify? A. EX02 is configured as an expansion server. B. The arbitration mailbox is hosted 300-320 exam on EX02.C. Site2 has universal group membership caching enabled. D. Site2 is configured as a hub site. Correct Answer: A
Home / Turismo / Esportes no Japão

Esportes no Japão

PUBLICIDADE

Não é precisa a chegada do beisebol ao Japão. Horace Wilson, professor em Tóquio, diz aos seus estudantes que supõe que os conhecimentos sobre beisebol foram introduzidos no Japão durante a Era de Meiji (1867-1912). Este era o começo da assimilação do jogo ocidental que o japonês nomeou de Yakkyu, que significava “bola de campo”.

Esportes no Japão

Desde então, o jogo se desenvolveu como um passatempo popular para o povo japonês. Durante a restauração de Meiji, como no Japão se iniciou um processo de modernização, eles adotaram muitas idéias ocidentais. Jogo esportivos ocidentais começaram a ser introduzidos nesse momento, particularmente o beisebol. De acordo com Robert Whiting, o japonês o comparou como uma batalha entre o lançador e o batedor e, em relação à atmosfera psicológica, semelhante ao sumô nativo e às artes marciais.

Esse esporte envolve uma harmonia especial de força mental e física. Por causa disso, o Ministério da Educação acreditou que o beisebol seria saudável para o caráter nacional e incentivou a sua prática. Por volta da década de 20, o jogo floresceu em escolas e faculdades.

Embora o beisebol estivesse se tornando popular para muitos, outros permaneciam relutantes em adotar o esporte ocidental. Segundo Whiting, o influente diário conservador Asahi Shinbun publicou uma série de editoriais intitulada “O Mal do Beisebol”, citando vários pedagogos importantes que se opuseram ao jogo.

Um médico reivindicou que era ruim para o desenvolvimento da personalidade por causa de “pressão mental” e que a prática constante do beisebol causaria o desenvolvimento do corpo inclinado para um lado.

Matsutara Shoriki, dono de outro jornal popular, argumentou em favor do beisebol. Este parecia ser mais influente. Shoriki, depois conhecido como “a grande figura do pai-gênio de beisebol japonês”, também ajudou a propagar tal prática esportiva ao apoiar um jogo e ao patrocinar uma excursão, na qual convidou jogadores das principais ligas americanas para jogar, no Japão, contra todas as estrelas das faculdade japonesas.

Entre os jogadores americanos estavam Babe Ruth, Lou Gehrig, Jimmy Fox e outras estrelas americanas. Não surpreendentemente, os americanos ganharam todos os dezessete jogos disputados. Shoriki, pasmo pelo interesse dos fãs japoneses, organizou o primeiro time profissional do Japão, o grande Clube Tóquio de Beisebol, em dezembro de 1934.

Antes de 1936, seis outros times tinham seguido os Gigantes de Yomiuri e a primeira liga profissional do país, a Liga Japão Pro-Beisebol (JPBL), foi formada.

Quando o beisebol no Japão já estava se tornando mais organizado e popular, começou a guerra, causando a diminuição do interesse devido a assuntos mais importantes. Eventualmente, os jogos estavam completamente suspensos porque, praticamente, todos os homens se alistaram no exército.

Consequentemente, os estádios se tornaram depósitos de munições ou campos para cultivar cevada. Conforme Whiting, como o Japão começou a se reconstruir de uma derrota devastadora na SEGUNDA GUERRA MUNDIAL, um comando de funcionários de altos aliados reconheceu o potencial do beisebol no auxílio ao resgate do bom astral do país. Em 1950, a reconstrução de times era através de grandes corporações.

O JPBL também se dividiu em duas ligas: o Central e o Pacífico com seis times cada. Antes de 1955, o jogo profissional estava crescendo consideravelmente com a ajuda da televisão. Os Gigantes de Yomiuri, ou Tóquio Giants, se tornaram o time mais popular do Japão com nove campeonatos sucessivos de 1965 a 1973.

O Sadahara do Gigante Oh teve 868 ‘home runs’ em vinte e dois anos de carreira (1958-1980), excedendo Babe Ruth e Hank Aaron – ambos dos EUA. Hoje, o beisebol é um dos eventos esportivos mais assistidos no país. Isso mostra que a popularidade do beisebol japonês cresceu e continuou crescendo enormemente.

De acordo com Whiting, um escritor japonês resumiu o seu amor pelo jogo do país dizendo: “Beisebol está perfeito para nós; se os americanos não o tivessem inventado, nós o teríamos”.

Esportes no Japão

Sumô é o esporte profissional mais popular do Japão sendo considerado por muitos como o esporte nacional japonês. Sua atração não é somente a excitação imediata dos torneios mas também o rico legado de ritual e tradição acumulado em sua história de 2.000 anos.

É caracterizado por dois lutadores grandes (sumotori), usando cabelo lubrificado em topetes e uma faixa larga de seda de 80cm (mawashi), que se posicionam no anel (área da luta). Os próximos minutos antes da luta são gastos em uma prepação psicológica para o bom desempenho. Eles lançam salgue no ar (uma sobra de rituais de purificação do Xintoísmo), agacham-se e encaram um ao outro. Então, de repente, saltam para a luta.

Usando uma das 70 técnicas oficiais, um lutador finalmente força o outro para fora do anel ou o faz tocar o anel com uma parte do corpo que não sejam as solas dos pés. Então, é declarado vencedor pelo árbitro (gyoji). Uma câmara do tribunal sentada ao lado do anel “ringside” às vezes pode conferenciar em um caso incerto.

Uma competição de Sumô normalmente termina em segundos e o próximo par de lutadores vem ao anel. Na maioria das lutas, os lutadores tentam apoiar-se na faixa do oponente que lhes dá maior facilidade para lançar o adversário ao solo, carregá-lo ou elevá-lo. Chutar ou socar com punho fechado são os únicos movimentos proibidos conforme as regras.

Esportes no Japão

O anel do Sumô (dohyo) é uma plataforma elevada de barro acumulado borrifada com areia na qual um círculo de 4.55m de diâmetro foi delineado através de fardos de palha afundados. No meio do círculo estão duas tiras de linhas brancas que marcam as posições iniciais das quais os lutadores saltam para a luta.

Um lutador de Sumô é grande (altura comum 1.85m) e pesado (peso comum 148kg). Porém, peso e tamanho necessariamente não determinam um vencedor. Lutadores gastam horas diárias praticando técnicas de forma que até mesmo lutadores pequenos têm uma chance de vitória.

A vida de um lutador de Sumô é difícil e exigente. A maioria é recrutada e por volta dos 15 anos de idade ingressam em um alojamento onde eles vivem e treinam com outros lutadores.

Depois que um lutador se casa, ele pode morar no próprio domicílio. O alojamento tem dormitórios para os lutadores, jantares, instalações de banho, e um anel de prática para o qual os lutadores descem todas as manhãs para o keiko (prática). Os lutadores juniores chegam às 4 ou 5 da manhã para preparar o anel; a maioria dos lutadores seniores está no anel antes das 8 da manhã.

Eles se organizam em turnos tanto para praticar quanto para repetir três exercícios tradicionais: shiko, teppo, e matawari, que seriam respectivamente, coordenação, cronometragem e flexibilidade.

Às 11 da manhã, os lutadores seniores se dirigem para os banhos, então têm desjejum – um guisado de alta-caloria chamado chanko-nabe. As refeições são gratuitas e a maior parte dos lutadores prefere jantar fora. Os 750 é uma outra denominação dada aos lutadores classificados em Sumô profissional de acordo com os registros de ganhar-perder em torneios.

Os graus são escritos em uma lista chamada banzuke. A divisão de topo é chamada makuuchi (“dentro da cortina”) e nessa divisão está o Yokozuna, o campeão principal. Todo aspecto de Sumô profissional é governado pela Associação de Sumô do Japão, composto de sumotoris aposentados.

Esportes no Japão

O Judô é uma das artes marciais do Japão com um forte partidário internacional e é um esporte olímpico oficial desde 1964. Judô, literalmente denominado “modo da suavidade”, foi desenvolvido de uma forma inicial da arte marcial desarmada chamado jiu-jítsu (literalmente, a “técnica da suavidade”), instruído pelo continente asiático.

Os judocas praticam tais técnicas golpeando, lutando, e atacando pontos vitais para autodefesa e para competição. Além disso, a prática do judô também significa desenvolver poderes mentais acentuados e estruturar uma atitude moral correta. A história do judô começa com a prática de técnicas de combate desarmado por guerreiros que lutaram no campo de batalha durante o período da guerra civil do Japão (15º-16º séculos).

Quando a paz reinava sobre o Japão durante o período de Edo (1600-1868), essas técnicas eram incorporadas em uma arte popular de autodefesa e treinamento mental e físico chamado jiu-jítsu que gerou 179 escolas.

O jiu-jítsu decaiu pelo período de Meiji (1868-1912) junto com a ‘onda’ de ocidentalização e modernização, mas foi reavivado sob os esforços das artes marciais do especialista Kano Jigoro (1860-1938). Kano modernizou as técnicas de uma escola e organizou um sistema de treinamento e competição que permanceu até os dias atuais.

Em 1952, a Federação Internacional de Judô foi estabelecida, na qual, em 1998, teve 177 países membros. Judô é ensinado em nível de escola primária no Japão. Técnicas (waza) são divididas em três categorias: golpear (nagewaza), lutar (katamewaza), e atacar pontos vitais (atemiwaza). Os dois primeiros são usados em competição, mas o atemiwaza só é usado em prática. Agilidade é essencial e os movimentos do judô são soltos e naturais.

Na competição de judô do dia-moderno, uma partida começa depois que os competidores se curvarem um ao outro e o juiz principal der um comando. Um ponto cheio, chamado ippon, é premiado por um golpe próspero, segurando, estrangulando, ou com a técnica de junta-fechadura.

A partida termina assim que um dos concorrentes recebe ippon. Se passar do tempo, os juízes podem conceder a vitória baseada em pontos parciais ou podem convocar um puxe. Kano Jigoro também inventou um sistema de graus (dan) e classes (kyu) reconhecido internacionalmente para judocas.

Classificação dos Judocas: de 1 a 5 podem usar faixa preta; de 6 a 8, faixa vermelha e branca; e de 9 a 10, vermelha. Só podem ser usadas faixas coloridas depois de se qualificarem por séries de classes.

Esportes no Japão

Esportes no Japão
Técnica Ashiguruma

Esportes no Japão
Jigoro Kano com Kyuzo Mifune

Esportes no Japão
Técnica Deashibarai

Esportes no Japão

Esse método de autodefesa desarmada não é considerado uma arte marcial japonesa tradicional, mas é livremente assim chamado fora do Japão. Como a palavra karatê (mão vazia) sugere, é uma arte de combate que não usa qualquer arma. Confia em golpes de braço (uchi), empurrões (tsuki) e pontapés (keri), mas um movimento de Karatê deve parar antes que uma parte crítica do oponente seja atingida.

Esportes no Japão

Os competidores são julgados de acordo com o que eles realizam em um determinado tempo, energia e poder mental dentro de uma postura correta. Algumas ações são consideradas sujas pelo fato de violarem o espírito do esporte. Historicamente, o que é conhecido no Japão como Karatê foi desenvolvido do boxe chinês chamado Quanfa (regras do punho), conhecido como Kung fu no Oeste. Espalhou-se amplamente na China como um método de autodefesa chamado Kempo de Shorinji até que foi suprimido na Dinastia de Qing (1644-1911).

O desenvolvimento mais subseqüente aconteceu em Okinawa que interagiu comercial e culturalmente com a China. Desde essa época, técnicas chinesas se fundiram com as técnicas indígenas de Okinawa e se desenvolveram rapidamente quando foram proibidas armas em Okinawa.

Esportes no Japão

As técnicas do Karatê foram secretamente transmitidas especialmente depois que o clã de Shimazu em Kyushu assumiu a liderança de Okinawa em 1609. No período moderno, a arte do Karatê emergiu da obscuridade em 1905 depois que Okinawa dominou Funakoshi Gichin (1868-1957) e executou uma demonstração em Tóquio patrocinada pelo Ministério da Educação. Outros mestres ajudaram a expandir o Karatê ao longo do país subseqüentemente. Numerosas escolas e estilos surgiram desde então.

Alguns estilos enfatizam o fortalecimento do corpo; outros, o movimento rápido; mas todos eles provêm de um método bem desenvolvido de treinamento do corpo. Uma federação geral de Organizações de Karatê foi estabelecida em 1964 antes que o Karatê alcançasse um partidário no estrangeiro. A preocupação principal dessa federação foi estabelecer formas unificadas, posições e regras de competição (kata). Há duas seções em uma competição de Karatê: forma de competição e disputa de partidas (kumite).

Fonte: www.guianikei.com

Esportes no Japão

Este é um dos grandes festivais tradicionais do Japão. Sua origem remete ao ano de 1136. Naquele tempo, as pessoas sofriam freqüentemente com epidemias e fome, causadas por chuvas e enchentes. Fujiwara-no-Tadanori, chefe conselheiro do imperador, evocou os deuses para o santuário “Wakamiya” e realizou rituais para que os desastres parassem.

O festival se inicia à meia-noite de 16 de dezembro. O sacerdote e um representante simbólico da divindade do santuário de Wakamiya, que é coberto por uma roupa branca, formam uma procissão conduzida por um fogo sagrado. Às 13h do dia seguinte, uma parada parte da prefeitura e prossegue para o “otabisho”, onde a divindade permanecerá ao longo do festival.

As pessoas se vestem com roupas dos períodos Heian e Kamakura (do século IX ao século XIII). O grupo que conduz a parada é o anfitrião do festival. O segundo grupo é composto por “miko”, ou donzelas do santuário; o terceiro por uma trupe de dançarinos tradicionais; e o quarto por dançarinos que vão realizar a tradicional dança “noh”. Um total de doze grupos caminha na parada em direção ao santuário Wakamiya, onde vão entreter os participantes do festival.

Sumô, o esporte nacional

Esportes no Japão

O sumô, com cerca de 2.000 anos de história, é considerado o esporte nacional do Japão. É, também, o mais popular do país. Os campeonatos atraem multidões aos ginásios, as emissoras de TV transmitem as lutas ao vivo, e jornais rádios e televisão dedicam amplos espaços nos noticiários. Os lutadores são alvos de grande admiração e respeito por toda a população.

Os lutadores trajam mawashi (faixa que envolve a cintura) e usam diferentes estilos de cabelos. O sumô mantém muitas de suas práticas tradicionais, como o dohyo (ringue elevado) e laços com cerimônias do xintoísmo. Apesar de existir há milhares de anos, tornou-se esporte profissional no início do período Edo (1600-1868). Hoje, é praticado em clubes, escolas colegiais e universidades, e em associações amadoras.

O ringue do sumô (dohyo) é construído com argila especial e areia. Nele há um círculo de 4m55 de diâmetro, marcado por uma corda grossa feita com palha. Duas linhas brancas dentro do círculo indicam as posições iniciais de onde os lutadores partem para a luta. Perde quem primeiro sair do dohyo ou tocar o chão com qualquer parte do corpo que não seja a planta do pé. Não é permitido bater com as mãos fechadas.

A característica mais marcante do sumô é o tamanho dos lutadores. Em média, tem 1m85 e 148 kg – alguns chegam a pesar quase 200 kg. Contudo, altura e peso não são determinantes para a vitória. Os lutadores sabem disso e passam várias horas do dia treinando.

Fontes: Consulado Geral do Japão em São Paulo, Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro, Embaixada do Japão no Brasil, Japan Network Information

Fonte: www.japao.org.br

Esportes no Japão

Quase todos os tipos de esportes, tanto os tradicionais como os modernos, têm muitos adeptos no Japão de hoje. Os jornais e revistas sobre esportes são lidos com avidez. Multidões enchem os estádios nos principais eventos atléticos, e mais alguns milhões assistem pela tevê.

No campo dos esportes tradicionais, o sumô (a luta japonesa), o judô, o kendô (a esgrima japonesa) e o Kyudõ (o arco japonês) são especialmente populares. O rádio e a tevê reviveram em muito a popularidade do sumô. Não se pode determinar o início do estilo tradicional do sumô, mas a lenda diz que ele remonta a mais de dois mil anos atrás.

Trata-se de um esporte muito cerimoniosos porém dramático, que hoje em dia é acompanhado de perto, por quase todos os japoneses. Todos os anos ocorrem em Tóquio e em outras grandes cidades seis torneio regulares de sumô, cada qual durando 15 dias. Os lutadores profissionais de sumô passam o resto do ano em turnê pelo país.

O judô, que se desenvolveu da antiga arte conhecida como Jiu-jitsu, é hoje um esporte popular não apenas no Japão mas também em muitos outros países. Ele foi incluído nas Olimpíadas desde os Jogos de Tóquio em 1964. Agora há campeonatos internacionais regulares em diferentes partes do mundo. No Japão, a Competição Anual do Judô de todo o Japão atrai um forte interesse de todo o país.

A popularidade do kendô diminui após a guerra, mas hoje em dia desfruta de um renascimento.

Quanto aos esportes modernos, o beisebol, que é jogado em todo o país, tanto a nível amador como profissional, desfruta da posição de esporte nacional. Durante a temporada de beisebol, que dura da primavera ao outono, os jogos são transmitidos pela tevê quase todos os dias. Os astros do beisebol podem tornar-se heróis nacionais.

O beisebol profissional foi fundado no Japão em 1936 com uma liga. O atual sistema de duas ligas – a Central e a do Pacífico, cada qual com seis times – foi adotado em 1950. Esse sistema de duas ligas, os jogos só de astros, o sistema de seleção e outros aspectos do beisebol japonês são semelhantes aos dos Estados Unidos. A temporada de beisebol profissional regular culmina em outubro com a Série do Japão, um torneio entre os campeões das duas ligas.

Duas vezes por anos, uma vez na primavera e outra no verão, os olhos da nação voltam-se para o Estádio Hansin Koshien em Nishinomiya, na prefeitura de Hyogo, onde têm lugar os torneios de beisebol entre ginásios. Esse torneios, que transbordam de entusiasmo jovial, são importantes eventos do calendário esportivo do Japão. Torcedores de todo o país convergem para o estádio a fim de animar o time de sua cidade natal, e os meios de comunicação cobrem os jogos em detalhes. Muitos astros profissionais nasceram no Koshien.

O golfe também se firmou como esporte popular no Japão. Estima-se que dez milhões de japoneses joguem golfe, e alguns dos 1.400 profissionais do país são grandes nomes no cenário internacional.

O futebol com o surgimento da Liga Profissional chamada J.League, está ficando muito popular, especialmente entre os jovens, incentivados com a presença em seu país de jogadores profissionais e famosos como Zico, Leonardo, Dunga entre outros. O Japão obteve sua primeira participação em uma Copa do Mundo em 1998 na França.

Outros esportes populares hoje no Japão incluem o tênis, o badminton*, a natação e o voleibol, que é muito popular entre as mulheres jovens e de meia-idade. O Japão também é local de uma série de maratonas internacionais, que atraem nomes famosos do mundo inteiro. No inverno, muitos proeminentes locais de prática do esqui no Japão ficam apinhados de fãs do esqui.

Os idosos japoneses também não precisam ficar de fora. O gateball é muito popular entre o número crescente no país de pessoas com 60 anos ou mais. Trata-se de um jogo que se assemelha ao croqué, que pode ser facilmente jogado em parques ou outros lugares abertos.

Muitos atletas japoneses participaram de eventos esportivos internacionais no exterior, inclusive nos Jogos Olímpicos, e inúmeras equipes e atletas individuais estrangeiros visitam o Japão todos os anos. O Japão participou pela primeira vez dos Jogos Olímpicos modernos na Quinta Olimpíada de Estocolmo, em 1912, e foi participante regular até os Jogos de Berlim em 1936. A guerra interrompeu sua participação até 1952, quanto o Japão participou dos Jogos de Helsinki.

Em 1964, o Japão foi a sede dos Jogos de Tóquio, as primeiras Olimpíadas a terem lugar na Ásia. Em 1972, Sapporo, a capital da ilha setentrional de Hokkaido, recebeu as Olimpíadas de Inverno. Em 1996 as olimpíadas de inverno no Japão foram realizadas em Nagano

Lazer

Os japoneses começaram a dedicar mais atenção ao lazer nos últimos anos, fazer as compras, cuidar do jardim, consertar a casa, passar o tempo com membros da família e amigos e outras atividades parecidas são os principais hábitos de lazer da maioria dos japoneses de hoje, junto com os esportes e as viagens.

O número de japoneses que faz viagens ao exterior tem aumentado de maneira notável nos últimos anos, hoje em dia, as formas de lazer entre os japoneses está cada vez mais variada. O lazer vem assumido claramente um papel maior na vida e atitude dos japoneses.

Fonte: www.rio.br.emb-japan.go.jp

Conteúdo Relacionado

 

Veja também

Locais Turísticos de Burkina Faso

UAGADUGU (OUAGADOUGOU), A CAPITAL PUBLICIDADE É a capital de Burkina Faso e foi fundada há mais de …

Hino Nacional de Burkina Faso

Une Nuit Seule PUBLICIDADE Une Nuit Seule (também conhecido como L’Hymne de la Victoire ou Ditanyè) …

Bandeira de Burkina Faso

PUBLICIDADE A Bandeira de Burkina Faso é formada por duas listras horizontais, de igual largura, sendo a …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload the CAPTCHA.

300-209 exam 70-461 exam hp0-s41 dumps 640-916 exam 200-125 dumps 200-105 dumps 100-105 dumps 210-260 dumps 300-101 dumps 300-206 dumps 400-201 dumps Professor Messer's CompTIA N10-006 exam Network+